imploram

Nossos corações imploram para que não chegue a hora da despedida…
—  Mary, Poetizei o silêncio.
Eu implorei.

Eu implorei pra você responder minhas mensagens, pra você gostar de mim na mesma intensidade que eu gostava de você, pra você se importar pelo menos um pouquinho, pra você não ser babaca comigo, pra você me ajudar a te entender, pra ser sua primeira opção, pra permanecer em sua vida, e sabe, essas coisas não se imploram, se não vem de livre e espontânea vontade não adianta forçar. Não vale a pena.

Não se força um escritor a escrever. As palavras não podem ser obrigadas a sair, isso é natural - elas imploram para se livrarem. São vomitadas. Desgrudam da alma. Tomam uma força inacreditável e são capazes de mudar tudo, para sempre. Não se obriga um escritor a dar vida às palavras - ele simplesmente faz.
—  Pedro Peixoto.
I lost myself in you

eu me perdi em você e quando você foi embora eu não sabia como me encontrar de volta, eu não sabia mais quem eu era sem te ’’ter’’. Você percebe o quão patético isso é? o meu maior erro foi gostar tanto de você ao ponto de esquecer que você também é humano, que você também erra (e muito), que você não é obrigado á corresponder as minhas expectativas estúpidas e que principalmente, você não é obrigado a ficar só porque eu preciso de você. Você foi embora porque você é livre, e eu fiquei porque também sou. Eu poderia correr atrás de você e insistir (mais ainda) pra você me amar, mas meu bem, amor, atenção, reciprocidade, carinho e prioridade não se imploram sabe. Eu te deixei ir porque sua vontade não era ficar (nunca foi) e dói, dói porque eu ainda não consegui achar ninguém que me faça voar sem tirar meus pés do chão como você fazia. Eu não vou mentir e dizer que um dia teria te mandado embora porque não, eu não teria, eu te gostava demais pra poder fazer isso e esse foi meu maior erro. Gostar de alguém que nunca prometeu ficar, gostar tanto ao ponto de aceitar coisas inaceitáveis, gostar tanto ao ponto de não conseguir achar o caminho de volta. Maldito gostar demais.

Querida Emma, essas duas palavras, “querida Emma”, me levam a uma outra época, quando escrevíamos cartas, depois que mamãe e papai morreram. Eu contava sobre os meus novos amigos e minha nova vida. E você me contava sobre como os seus pais estavam felizes. A verdade não é nada. O que você acredita ser verdade é tudo. E eu acreditava que ficaria com você para sempre. Para sempre. Eu levei tanto tempo para escrever para você, porque percebi que fui um tolo. Passei a minha vida toda me enganando. Toda carta que escrevia era uma carta de amor. Como poderia ser outra coisa? Agora posso ver que todas, menos esta, eram ruins. Cartas de amor ruins imploram pelo amor. Cartas de amor boas não pedem nada. Esta, tenho o prazer de anunciar, é a minha primeira carta de amor boa para você. Porque não há nada mais para você fazer. Você já fez de tudo. Já tenho memórias suas que durarão para sempre. Por favor, não se preocupe comigo. Eu sou “perfeitinho”, de verdade. Tenho tudo. Se eu tivesse um desejo, seria de que a sua vida desse a você o gosto da alegria que você me deu. Que você sinta o que é amar. Do seu eterno amigo, Will.
—  Esperar para Sempre.
A queda de um império

De qualquer forma, tenho nada.

Resta-me nada.

E tento de todas as formas

conviver com o fato

de que talvez esse nada

seja tudo que tenho.

Incertezas, milhões de incertezas

estão a perturbar-me a mente

imploram por respostas

que talvez eu nunca encontre.

(E se eu encontrasse,

seria melhor nunca as ter encontrado?)

Estou em crise,

diante de fatos que afrontaram

a base de meus ideários.

Baseei-me no único amor que senti

e me deparei com a ordem de aceitar

que vivi de mentiras.

Estou sem resquícios esperançosos

como se estivesse vizinha da morte.

Estou sem meus ideários

como se já nada mais soubesse.

Estou hoje em guerra com o que vi, ouvi e o que foi sentido

e o cessar-fogo parece não surgir.

De uma forma ou de outra,

tenho nada.

Resta-me nada.

E cabe à mim fazer de nada

tudo o que tenho.

- Beatriz Anjo.

Senhor, eu te peço, intercede por mim, pela minha família, pelos que amo, pelos que gosto, pelos que não gosto, pelos que não conheço. Por pessoas que a essa hora devem estar com frio sem se quer uma coberta, por aqueles que imploram por comida e não tem. Eu te peço Senhor, entra na vida dessas pessoas, mostra a elas uma maneira de ser feliz, dás a elas amparo, amor, fé e esperança, dias melhorem estão por vir. Eu te peço Senhor, intercede pelas crianças que não tem pai e mãe, pelos jovens que entram em lugares onde só há o mal, livra Senhor essas pessoas do mal, mostra a elas a Tua palavra, o teu amor. Eu te peço Senhor.
—  Renatha Cristina.
Abraços

É impressionante o que um abraço pode fazer,

Um abraço nos anima a continuar a viver,

Um abraço pode transmitir o amor de um amigo,

ou dizer, “Ainda que vás, estarei contigo.”

Um abraço diz, “Que bom, que você voltou”.

“Que bom te ver” ou “ Por onde você andou?”.

Um abraço consola uma criança a chorar.

É o arco - iris depois da chuva passar.

O abraço, meu amigo pode crer

Que sem ele ninguém poderia viver.

Como são animadores os abraços.

Foi por isso que Deus nos deu braços?

Abraços são ótimos para pais e mães,

São um ato de amor entre irmãos e irmãs.

E é bem capaz de certas tias favoritas

Os considerem uma das coisas mais bonitas.

Gatinhos os imploram. Cachorrinhos os adoram.

E nem os Chefes de Estado os ignoram.

Um abraço quebra as barreiras da linguagem.

E compensa qualquer outra desvantagem.

Não se preocupe em os poupar,

Quanto mais der, mas vai ganhar.

Então olha para alguém ao seu lado,

E dê-lhe já um abraço bem apertado!


Autor: Desconhecido

A verdade não é nada. O que você acredita ser verdade é tudo. E eu acreditava que ficaria com você para sempre. Para sempre. Eu levei tanto tempo para escrever para você, porque percebi que fui um tolo. Passei a minha vida toda me enganando. Toda carta que escrevia era uma carta de amor. Como poderia ser outra coisa? Agora posso ver que todas, menos esta, eram ruins.
Cartas de amor ruins imploram pelo amor. Cartas de amor boas não pedem nada. Esta, tenho o prazer de anunciar, é a minha primeira carta de amor boa para você. Porque não há nada mais para você fazer. Você já fez de tudo. Já tenho memórias suas que durarão para sempre. Por favor, não se preocupe comigo.
Eu sou “perfeitinho”, de verdade. Tenho tudo. Se eu tivesse um desejo, seria de que a sua vida desse a você o gosto da alegria que você me deu. Que você sinta o que é amar.
—  Do seu eterno amigo, Will Donner.