implico

Mor, hoje eu quero te agradecer. Te agradecer por você ser assim do jeitinho que é. Um jeito único que faz com que eu me apaixone novamente todos os dias. Agradecer por abrir mão de muita coisa para poder estar comigo. Agradecer por todos os beijos, todos os abraços acolhedores. Agradecer por ser tão super protetora, me sinto tão segura ao seu lado. Quero agradecer por todas as vezes que você ficou, mesmo tendo motivos para ir. Agradecer pelo respeito que você tem comigo. Agradecer por fazer planos comigo, por querer constituir uma família. Agradecer por ser tão cuidadosa e paciente comigo. Agradecer por todo apoio e incentivo. Agradecer por ser tão carinhosa e às vezes romântica. Agradecer por me assumir como sua namorada. Agradecer por me amar dia após dia. Agradecer por me surpreender com as palavras. Agradecer pela parceria diária. Agradecer por todas as conversas, principalmente aquelas antes de dormir. Agradecer pelo beijo na testa, carinho de dedo e olho no olho. Agradecer por cada sorriso, cada gargalhada. Agradecer por prestar atenção no que digo, por valorizar nossos momentos. Agradecer pela paz que me traz. Agradecer por ser tão compreensível. Agradecer por me aceitar com minhas falhas e defeitos. Às vezes eu implico, fico meio paranoica, mas na realidade, eu acho que tudo isso é medo de te perder. Você está fazendo meu conto de fadas se tornar real. Hoje olhamos na mesma direção e caminhamos lado a lado. Eu sempre desejei um amor assim, exatamente como nós temos. Obrigada por tudo, meu amor.
—  para a minha Lua.
Não nasci pra agradar ninguém. Falo alto, reclamo de tudo, distribuo patada, saio do sério rapidinho, implico com todo mundo e pra piorar não sei fingir simpatia, nem ser falsa. Quando eu gosto, fica logo na cara e quando eu não gosto aparenta mais ainda. Quem tiver que ficar comigo, vai ficar do jeito que eu sou, não acredito nesse lance de mudar pelos outros, a gente é o que é, goste quem tiver afim de gostar.
Eu pensei no que falar por um ano, por um ano inteiro, eu não conseguia tirar o nó da garganta e dizer o que eu sinto.
Por mais que você fale que não vale a pena, eu acredito que vale, procurei motivos e razões nas quais eu poderia me convencer não gostar tanto de ti, mas todas em vão. Eu vejo em você o que eu nunca encontrei em ninguém, eu não consigo enxergar defeitos, eu só vejo o bem que me causa estar perto de você! Eu vou lutar por você até meu coração parar de bater, não é exagero. É que todo o tempo longe de ti, me fez ver o quanto você é importante… Sei la, você me faz bem, e muito! Eu me encantei pelas qualidades e aprendi a amar cada defeito, mania, cicatriz e mancha, que vc contém. As vezes a gente espera tanto pra dizer que alguem é importante, até o tempo esgotar e arrependimento bater e o tempo nao voltar. Me perdoe pelas minhas gafes, é que perto de você eu tropeço em meus proprios pés e acabo agindo de forma incontrolavel. Sinto ciumes, saudades, sou chata, implico, mas é esse o meu jeito de amar. E não é que você seja diferente, é que ninguém consegue ser igual a você! Você age de forma diferente! Você tem luz dentro de si, e ela sempre me iluminou muito! Você é um em um milhão! E eu literalmente amo quando vc me abraça sem eu pedir… Se me dessem um ultimo pedido, aah meu querido, eu escolheria você!
—  Eu te amo!
Uma guria como Hazel Grace.
Somos o que ninguém consegue ser. Juntos somos tão completos. Eu implico contigo, faço cara de birra, mas termino sempre concordando. Você provoca, me tira do sério, mas no final dá uma trégua. Porque a gente é assim. A confusão que se arruma. O errado que dá certo. Os olhos que sorriem. Os gestos que se desculpam. Os toques que sabem conversar. Nem sempre um ama mais que o outro. Quando duas pessoas foram realmente feitas uma para a outra, elas amam igualmente. De modos diferentes, mas, ainda assim, na mesma proporção. Eu lhe escolhi, não por ser o melhor. Escolhi você porque me faz feliz como ninguém nunca fez. De repente percebi que o melhor de algumas pessoas, não é o melhor para outras. E descobri que o teu melhor, se encaixa perfeitamente em mim.

Sopraste

Eu implico, xingo e brigo com você. É estranho mas eu gosto de fazer isso, gosto da parte da reconciliação que vem depois, das palavras carinhosas, do calor do seu abraço e do afago do seus dedos sobre minha pele e meu cabelo. Eu amo dizer que te amo depois de uma briga boba, parece que o sentimento revive e vai ficando mais forte e a vontade de te ter pra sempre aumenta até o infinito.
—  Eu amo brigar com você, Kamila.
Quando eu gosto,implico,perturbo,cuido,sinto ciúmes,tento fazer rir com piadas bestas,demonstro carinho. Mas ,quando eu paro de fazer isso,se preocupe…porque aí sim,eu desapeguei. Então valorize!
—  Ei você!
Eu sou uma confusão. Às vezes nem eu me entendo. Me questiono, implico comigo mesma, duvido de mim mesma e crio expectativas de mim mesma. Sou incapaz de me descrever. Não me entendo… Nem quem está de fora irá entender. Sou complexa. Sou aqueles conteúdos extensos e difíceis de se resolver. Sou aqueles cálculos matemáticos que vem com aqueles “probleminhas” que de probleminhas não tem nada. Sou um problemão. Eu deveria ter uma placa escrito: “Pare um grande problema está a caminho”. Talvez eu seja assim, das inúmeras decepções que tive com a vida e com isso foi criando um muro em volta do meu coração. A complexidade me tomou por inteira. Eu quero e ao mesmo tempo não quero. Eu ando metade do caminho e já penso em desistir achando que não haverá mais estrada pra caminhar. Sou um poço de incertezas. As pessoas podem achar que me entendem, mas na realidade elas nunca vão me entender. Nem eu mesma me entendo.
—  Who I am?
Otro texto sobre dejar ir

Seis de la tarde. Día regular. Traigo un paraguas en la mochila por si llueve. Pero no va a llover. Rutina regular. Muchos pendientes, cuentas que pagar, la misma acera al salir de casa. Cero cigarrillos, tres llantos breves, un helado a medias y al momento, ningún grito ahogado en la almohada que uso para dormir. Esta vez. Esta vez no se me rompió el corazón.

Me doy cuenta hasta la cuarta canción que llevo más de quince minutos parada en una esquina, he tenido montón de oportunidades para cruzar la calle y todas las he dejado pasar. Tengo la mirada fija en el recuerdo de tus labios dándome la última de todas las noticias: Si es que había planes, no los habrá más.

Apenas noto que tu silencio se prolonga lo suficiente, empiezo a buscar responsables, exigirme respuestas, atacarme por algún error que seguro cometí mientras hacía mi parte. Pero debo cruzar la calle, y lamentarme me tomaría otras cuantas canciones más.

No puedo lamentarme. Te tuve tanto como pude y te di tanto como quise. ¿Que si deseaba más? Yo siempre deseo más. Siempre he tenido la idea de que amar hasta las últimas consecuencias es más cuestión de evitar arrepentimientos, que de exponerse a la fatalidad. Tal vez es por eso que ahora he decidido no reprochar. Porque logré atravesar la puerta de ese café sin haber deseado ser otra, hacer algo diferente, regresar el tiempo o volverte a conquistar.

No, el tiempo que te dediqué fue perfecto, el tiempo en que te vas lo es también. Tus motivos son tan válidos como mis maneras de querer, tus urgencias tan respetables como mis maneras de ser. Fui yo tanto como lo he sido desde que descubrí que me gusta serlo, y con todo lo que implico es que te quise enamorar.

Y sí, me duele el corazón porque te vas. Siento frío. Siento vacío. Siento que se retuerce incómodo dentro mío por esta decisión. Pero lo voy a sostener con fuerza, lo voy a apretar contra mi pecho y lo voy a mantener unido obligándolo a latir, sin un solo cachito que se quede en el camino de lo que ya no será.

Me he convertido con los adioses, en una de esas que se niegan a las fracturas expuestas, no por orgullo o por preservar mi dignidad, simplemente porque un rasponcito bien cuidado es mucho más fácil de sanar. A final de cuentas, quiero volver a amar, y este corazón es lo único que tengo, la única garantía de que nunca ha estado en mis planes renunciar.

Ruth Xilotl
E é porque eu te amo que eu brigo, belisco, mordo, implico. É porque eu te amo que eu mudo, e fico muda. É porque eu te amo que eu canto, mesmo que desafinado. É porque eu te amo que eu sinto tanto sua falta. É porque eu te amo que eu morro de ciúmes, e tenho tendencias homicidas. É porque eu te amo que eu enlouqueço, e dou uma de palhaça, só pra te ver sorrir. É porque eu te amo, e porque eu sei que você me ama, que eu derreti o gelo no meu coração, e coloquei meus óculos cor-de-rosa. É porque eu te amo que desde que eu te conheci eu tenho vivido um sonho. É porque eu te amo que eu comecei a ser imensamente mais feliz.
—  – Mara Helena, o 20° texto.