imagineharrystyles

Pedido: Quero um imagine que a SN passa o natal em Holmes Chapel e conhece a família de Harry. Quero continuação desse imagine porfavor. Obrigada


*Demorou mais saiu more, espero que goste.

🍇🍇🍇

O nervosismo estava extremo, minha mãos suavam e tremiam. Harry me levaria para conhecer a família e passaríamos o natal por lá, sua irmã Gemma eu já conhecia, mas sua mãe não.Era o primeiro natal que passaríamos sem o padrasto do Harry que infelizmente faleceu a alguns meses.

-Amor vai demorar muito? Estamos atrasados.- Harry gritava do andar de baixo um tanto impaciente.

-To descendo. - Corri alcançando ele que já estava entrando no carro.

-Meu Deus, você é muito impaciente - Fingir estar brava fazendo um biquinho e cruzando os braços.

-O problema meu amor é que eu tenho uma namorada que demora muito pra se arrumar. - Falou descruzando os meus braços e selando nossos lábios.

[…]

E finalmente chegamos em Homes Chapel, era um cidade calma e aconchegante e fomos recebidos por Anne bastante animada.Entramos e estava todo mundo reunido, primos, tios avós.

-Então você é a nova namorada do Harry? -Falou a prima de Harry

-Sim. Prazer meu nome é S/N. - Levantei a mão pra cumprimenta -la mas a mesma fez questão de ignorar.

Preferir ficar na minha.

Na mesma vi Harry vindo até a gente e dei um suspiro de alívio.

-Bom, vejo que já se conheceram.

-Ah, sim. Sabe lindo, você não tinha comentado que gostava de garotas com sotaques estranhos. - Deu uma risada forçada tentando fazer um piadinha. E Harry ficou meio sem graça.

-Eu sempre comento que Harry tem um gosto maravilhoso pra escolher algumas coisas. Não é amor? - Olhei pra Harry que deu um leve aceno.

Todos na sala tinha percebido o clima e logo Anne chamou pra abrir os presentes. Dando chance de eu dar uma escapada para a parte de trás da casa. Sentei em banquinho e vi Harry se aproximar.

Descansei minha cabeça em seu pescoço e suas mãos me envolveram.

-Sabe você é bem ciumenta quando quer. - Soltou um risinho me apertando mais em seus braços.

-Não vi graça.- Fiz bico

-Nossa que rabugenta!. - Brincou, adorava ver aquele sorriso em seus lábios.

Suas mãos tomaram meu rosto ,seus nariz passeou pela minha bochecha e finalmente nossos lábios se encontram.

-Vem, vamos voltar lá pra dentro. - Ele se levantou e me puxou

-Calma aí, apressadinho… -

-É você que demora demais, vem cá deixa eu te ajudar! - Me pegou e me botou nos ombros e saiu andando.

Afinal o normal sempre é chato!

#NALU

Imagine Harry Styles

Mais um do H pq sim.😘

Pedido: Vcs poderiam fazer um imagine com o Harry que ele da valor a ela, ele tem uma amante e quando ela descobre vai embora mais está gravida, final feliz.

(…)

O cheiro da comida fluía em meu nariz e todo carro, já podia imaginar o provável sabor, a comida estava dentro de uma tapoer embrulhada com alumínio. Harry irá adorar minha surpresa, ele poderia até estar exausto do trabalho e nada melhor do que uma companhia para ele.

Além de fazer esta surpresa eu finalmente irei contar para ele que estou grávida, quero que Harry fique feliz junto à mim. Eu dirigia pelas ruas de Londres, o céu estava meio acinzentado, e parecia que logo a chuva viria de novo, o tempo nunca se firmava, às vezes fazia o sol porém o frio continuava ali.

O grande logotipo da empresa Styles Road Studios no topo do prédio avisava que havia chegado ao meu destino, deixo minha Mercedes estacionada na rua, pois não iria demorar, saio do carro e levo comigo a marmita de Harry.

Assim que chego no salão principal sou recebida pela recepcionista.– Sra. Styles que surpresa.– disse ela, seu sorriso era sincero.

– Não costumo muito vir estás horas, né?!– brinquei.– Bom, eu apenas vim ver Harry.

– Ah sim, claro deixe-me avisa-lo.– ela esticou a mão em direção ao telefone, entretanto a impedi.

– É uma supresa.– acrescentei, ela concordou.– E pode deixar eu sei o caminho, obrigada.– agradeço e prontamente sai.

O caminho até a sala de Harry não foi longo, apesar da ser quase na superfície, o prédio não era grande mas era muito renomado no nosso país. Estava na frente de sua porta respirei fundo e a abri de uma forma espontânea com o melhor sorriso.

– Surpre… Harry?

Harry estava beijando uma secretária que já trabalhava a alguns meses, sabia disse pois o mesmo já havia me apresentado. Era muita cara de pau, ele a prensava na mesa encaixando seus corpos, a mão da garota permanecia em seu peitoral, provavelmente a mesma estava tentando tirar sua camisa.

– (S/n), eu…– como ele ainda tentava se explicar? Não havia explicações para aquilo.

Harry ainda estava com as calças no lugar, o que me fez suspirar de alívio, mas o grande problema era a quanto tempo isso acontece?

– Eu não acredito nisso. Harry você… Como você pode?– perguntei abismada, a comida que havia feito com tanto carinho estava agora no chão, assim como a minha dignidade.

– Não é o que você está pensando.– disse abotoando a camisa, ele tentou se aproximar de mim, porém me afastava levantando as mãos.– Me escuta (S/n).

– Como não é Harry? Vocês praticamente estavam fazendo.– gritei, empurrei Harry e joguei as palavras na mulher sentada na mesa.– Você é uma vadia, sabia?! Eu tenho nojo de pessoas assim, sem consciência do que faz.– bati com a mão aberta em seu rosto, o impacto a fez virar o mesmo, quando ela ia voltar e retribuir o ataque Harry a impediu.

– Saia.– disse, ela o encarou surpresa e novamente ele repetiu rude e frio.– Sai agora.

A mulher saiu totalmente desamparada, a fúria estava estampada em seu rosto marcado pela minha mão.

– A quanto tempo me trai com essa vadia?– perguntei hostil, sua expressão era de tristeza, eu que deveria estar assim.

– 4 meses.– respondeu suspirando.

Não aguentei ficar mais ali, assim que ia sair pela porta Harry vem atrás de mim, segurando minha mão. – (S/n) por favor, eu te amo.

– Me amou tanto que foi capaz de me trair com uma qualquer.– puxei minha mão de volta e fechei a porta com toda a força que tive.

Talvez eu só queira descontar minha raiva em alguma coisa. Entrei no elevador sentindo ador apertar meu coração, como alguém pode sofrer tamanha dor pela pessoa amada? Como?

Você pode passar a vida toda se dedicando a uma pessoa e mesmo assim ela te trai, isso prova que nosso amor nunca existiu, talvez nem fosse amor.

Passei novamente pelo salão principal, correndo em direção ao meu carro, queria apenas ficar sozinha. Fechei a porta do meu carro é por um momento as lágrimas começaram a cair pelo meu rosto, odiava não poder controlar meus sentimentos, mas a humilhação que acabei desabando. Sentia meu coração se quebrar em mil pedaços.

O pior de tudo era que eu estava grávida, e saber disso me deixa ainda mais triste,nós tínhamos planos e tínhamos um lindo futuro.

(…)

Harry havia me ligado inúmeras vezes naquele dia, começou a me enviar mensagens dizendo que sentia muito e que queria conversar comigo, apesar de querer perguntar para ele se ele me amava como me disse um dia, eu somente ignorava.

(…)

É impressionante como um erro, apenas um erro, pode mudar completamente sua vida. Mas tudo mudou, os meus sonho desmoronaram e caíram diretamente em cima de mim. Agora eu sei o preço da traição e acredite, meu caro, ninguém gostaria de pagar esse preço se for ele perder a pessoa que ama.
Eu estava com raiva de mim mesmo de ser quem eu sou, eu estava desorientado por ter perdido uma pessoa maravilhosa, o motivo dos meus sorrisos e, agora, a causa da minha depressão.

Então era isso? Depois de anos de casamento tudo estava acabado, por culpa de quem? Minha! Nunca deveria ter trocado (S/n) por dias de prazer.

Eu nunca vou esquece-la. Na verdade, até que eu tentei, mas é foda não pensar em quem sempre pensei, descartar quem amei. O pior não é ter que aguentar essa ferida, pois o foda mesmo é conviver sem ela na minha vida. Eu sei que tudo vai passar, sei que a vida vai levar mas se eu deixar a vida levar ela irá embora e talvez possa não voltar.

Deixei o copo de uísque no parapeito da varanda, meus pensamentos voavam pelo céu junto as minhas amarguras. Levantei da cadeira, e caminhei pela grande casa até o banheiro, lavei meu rosto na temperatura fria jogando em todo meu rosto afim de tirar toda a olheiras pelo choro. Eu abri o armário procurando uma toalha quando avisto uma caixinha suspeita, peguei a mesma e pela figura na embalagem pude saber que era um teste te gravidez.

Vários pensamentos passam em minha mente, sem perder tempo abro a pequena caixa e confirmo o que já deduzia, era um teste de gravidez na qual havia dois tracinhos oque significa que é positivo. Isso só pode ser de (S/n)… Ela estava grávida. Como eu pude fazer isso?

Sentei-me na privada fechada e comecei a refletir, essa estória está pior do que pensei, além ter traído a deixei aos prantos junto com um filho meu, que tipo de homem eu sou. Se antes na estava desesperado pela atenção de (S/n) imagine agora, sem perde mais tempo corri para meu quarto indo pegar meu celular. Não sabia onde estava (S/n) nem onde estava morando esses meses, então apenas irei enviar uma mensagem, mesmo sabendo que ela nunca me responderia. Aliás, eu tinha o direito de saber se ela estava realmente grávida.

[15:37]

(S/n) por favor, precisamos conversar. Eu descobri uma coisa sua, provavelmente você iria me contar sobre algo que esta crescendo dentro de ti. Quero saber tudo e resolver isso, pense no futuro que podemos dar a ele… Xoxo H.”

Horas se passaram e nada de (S/n) me responder, eu estava esperançoso por isso.

[19:20]

Eu sei que está visualizando, e sei que você quer resolver isso também. Por favor, me encontre no The Ledbury daqui a vinte minutos.

Harry.”

The Ledbury era o nosso restaurante, quer dizer o restaurante que costumávamos ir quando estamos juntos. Vinte minutos era o tempo suficiente para me arrumar e dirigir até lá, e foi o que eu fiz.

A rua de Ladbroke Grove sempre fora movimentada, com bares e lanchonetes em cada esquina. Estacionei o carro atrás do restaurante e caminhei até ele. Eu trajava uma camisa de manga comprida social, a mesma tinha um degradê de preto e branco, juntamente com uma calça jeans, em meus dedos haviam vários anéis, e um em especial.

Entrei no restaurante e o garçom logo me indicou uma mesa, prontamente fui e esperei até que (S/n) chegasse com um água a minha frente. Sim, tinha esperanças que ela aparecesse naquela porta.

É, quem diria que eu estaria aqui, no mesmo lugar para desta vez poder me desculpar de tudo que aconteceu, por eu ser um babaca. Assumo todos os meus erros e digo que o errado aqui foi eu, por ter deixado a garota perfeita que sempre amei.

Bebendo minha água eu a visto depois de longos minutos sentado ali, ela estava simples, apenas trajando uma calça preta, junto com sandálias e uma jaqueta de couro. O mesmo garçom a direciona para esta mesa, senti um calor e comecei a suar frio, sentia uma sensação de fraqueza ao ver ela me olhando com tanta frieza.

– Oi, sabia que você viria.– falei trêmulo, me levantei arrumando a cadeira como um cavaleiro para que ela se sente.

– Eu queria te devolver isso.– disse ela assim que sentei, (S/n) estava me entregando a aliança, ela foi mais fria que o normal. Meus olhos se arregalaram surpreso.

– Você tem certeza disso?– perguntei, ela insistente concordo. – Eu não vou aceitar.– retruquei negando, (S/n) aproximou ainda mais aliança brilhante de mim.– Eu não vou aceitar! Não é sobre isso que vim falar.

– E sobre oque quer conversar? Sobre o que vi naquele dia em que iria te dizer sobre o nosso bebê? – perguntou sarcástica, engoli seco.

– (S/n)… Eu me arrependo de tudo que fiz e peço perdão. Foi coisa do momento, não estou me fazendo de vítima mas ela sempre me seduzia, e como qualquer homem não resisti.– respondi sincero.

Eu confesso que me senti atraído pela secretaria em estágio, porém a todo momento eu a dizia que isso era errado, entretanto ela me encorajava sussurrando para tentarmos. Deveria ter a demitido desde a hora em que ela se insinuou para mim.

– Olha Harry…– o garçom sem intenção impediu (S/n) de continuar.

– O que o casal gostaria comer?– perguntou, o pano branco em seu braço e em sua mão um caderno de anotações.

(S/n) amava spaghetti, seria um ponto a mais se eu pedisse?

– Um spaghetti para ela e um…

– Não, não quero nada. Eu já vou embora.– falou, enruguei a sombrancelhas. Nossa conversa não havia terminado.

– Por favor, você pode me dar licença? – pedi com gentilmente ao garçom que revirando os olhos saiu.

(S/n) respirou fundo pensando por alguns minutos.– Isso não tem lógica Harry, você não deveria ter feito isso. Nós tínhamos algo juntos, isso ERA intenso. Eu te perdôo, mas não quero ficar com você.– ela deu ênfase no “era”, isso apertou meu coração, a dúvida em sua fala estava clara.

– Pense bem, (S/n). Se você estiver mesmo grávida, está criança irá ficar sem amor paterno.– comentei, ela fechou os olhos levando sua mão a barriga.

– Como você descobriu?– levantou a cabeça me encarando.

– Havia uma caixinha na prateleira do banheiro. Péssimo lugar para esconder.– brinquei para descontrai, ela concordou sem esboçar nenhum sorriso.

– Porém, você está errado, quantas vez já fez com aquela garota?

– Uma vez, eu juro. Aquele dia seria a segunda.– estava jogando toda a minha sinceridade, que escroto da minha parte cometer
O mesmo erro “duas” vezes, prolongando a burrice com a minha estupidez.– O meu amor por você não mudou, nunca deixei de te amar. Eu sei, fui um otário e vacilei legal naquele dia.
– digo, segurando suas mãos.

– Eu duvido disto.– respondeu, sem expressão.

– Eu te peço perdão e estou te entregando meu coração, juro que não será mais assim.– desta vez ela deixou que segurasse sua mão, me sentia tão quente com o seu contraste gelado.– (S/n) olhe pra mim… Todos nós cometemos erros e aprendemos com nossos erros. Então deixe-me conserta-los.

– Você sabe que tínhamos um futuro juntos.– (S/n) disse me encarando, seus olhos agora estavam mais calmos e sua voz como sempre fora.

– Temos um futuro juntos, e esse bebê irá nos unir novamente.– deixei que um sorriso confiante aparecesse em meus lábios, esperava que ela concordasse com minhas palavras.– Como antes.– acrescentei.

Ela ficou em silêncio encarando meus olhos verdes, como se pensasse em algo, seu olhar circulava todo meu rosto e então assentiu.– Minha mãe sempre me disse que devemos dar uma segunda chance. E por favor eu só peço que… Não faça isso de novo.– disse ela.

– Jamais farei isso novamente, já senti no peito a dor do meu erro.– contei.

– Estou fazendo isso por ele.– acariciou sua barriga, foi minha vez de concorda.

– Eu sei.– falei triste.– Jante comigo está noite, sim?…

– Tudo bem.– sussurrou, pela priemira vez ela sorriu, mesmo que seja sem mostrar seu dentes. Gostaria de ver seu sorriso completo, aquele que fica tão perto dos meus lábios.  

A sensação de estar tudo acertado era a melhor, esse seria um ótimo recomeço, querendo ou não todos nós merecemos uma segunda chance. Dessa vez não vou magoa-la, de jeito nenhum. Errar é humano e como um humano eu errei.

Eu ainda lembro como se fosse hoje, quando estávamos juntos nesse mesmo restaurante, ela esboçava seu sorriso enquanto comia da forma mais engraçada seu spaghetti. É ela que eu amo, nossas memórias juntos não poderiam ser jogadas fora por um babaca como eu. As coisas podem até não ser como antes, ela sempre irá saber que eu a amo, e se tudo passar e nada mudar eu só vou lhe dizer “Me perdoa ”.

(…)

Eu espero que vocês tenham chorado haha nem que seja um pouquinho. Sério, porque escrevendo isso eu fiquei com o coração na mão de tamanha dó… De ambos😅

Por favor deixe seu ❤ para mais imagines fodasticos. Heueheuu