ignorei

Desculpe Ana

Eu deixei de lado…
Eu deixei de lado os exercícios, as garrafas d'água com limão, as fotos de lindas thinspirations, do contador de calorias, das minhas metas, dos meus objetivos….

Eu tentei ignorar as minhas fotos de corpo inteiro, as gorduras que dobravam enquanto sentada, das coxas coladas umas às outras, as garotas magras que apareciam em minha volta, os olhares, os falatórios, o mal estar por ser gorda…

Eu me esqueci de como é ser magra
Eu me esqueci do que é bom pra mim
Eu me esqueci da minha felicidade…

Por que? Porque sou fraca! Porque me deixei levar pela comida, me deixei levar pelo cheiro, e ignorei completamente o que eu deveria fazer!
Desculpe por te abandonar Ana… Me desculpe, não me deixa sozinha

You give me a feeling that I never felt before
And I deserve it, I think I deserve it
It’s becoming something that’s impossible to ignore

I wasn’t expecting this anime to take over my life. Make sure to bury me with a copy of episode 7 lmao

My pose reference for this is an old painting by Frederic Leighton titled, The Fisherman and The Siren.

- Já percebeu como ele olha para você?
- Ele olha assim para todas.
- E se essa todas se tornarem só uma, e se ele te olha de um jeito sincero e verdadeiro, vai ignorar isso?
- Uma dia eu não o ignorei, eu acreditei que aquele olhar era único, só para mim, mas não e quando descobri, já era tarde demais e eu já estava gostando dele, passaram-se dias e meses que esse sentimento só aumentava e foi então que veio a dor, eu a ignorei, tentei viver minha vida apenas no que sentia, mas quando ele olhou para outra o meu mundo acabou e foi então que a dor que eu estava ignorando veio atona, então não caia nessa e não seja mais um que vai se iludir por causa de um olhar.
—  Maybe this is love. 
Eu olho pro céu e desisto de entender. Porque esse teu interesse no meu coração quebrado? Você tá vendo essa sujeira toda? Alias, como você pode olhar pra mim? É tudo tão grande, e eu, bom, eu nada sou. E pra ser sincera, eu já nem sei se sirvo pra algo. Eu me perdi. Tentei acertar, você sabe disso, não sabe? Você estava lá, mesmo quando eu não podia senti-lo. Mesmo quando ignorei os seus sinais me dizendo que não era aquele o caminho. Você me viu entrar num barco e partir pra longe de ti. Mas agora a sua onda veio, e lavou tudo o que estava maquiado. Era tudo ilusão. Tudo o que não vem de você é ilusão. E agora eu sou o que restou dessa tempestade toda. E você me abraça ainda assim. E você ainda assim me aceita. E você me mostra que conhece também a dor de sofrer sozinho, como no getsemâni. Você me mostra que conhece a dor do que é ser traído. Então me aquece. A doçura do teu falar me limpa de poeira que trago das quedas. Eu fiz o meu melhor. Eu tentei ser forte, mas minha força só vem de ti. E não importa o que aconteça, você está comigo. Você sempre esteve, Deus. Mesmo quando eu não sentia, você estava lá.
—  A menina e o violão.

They must have a gala in the New Old Night Vale Opera House sometime, right? What other excuse do I have to draw my favorite peeps in fancy clothing?

This thing is massive and got way out of hand Fullview

Foreground–Cecil Palmer, Carlos (and yes, that is his party lab coat), Midground–Mr. Hooded figure, Dana Cardinal, Megan Wallabi, Background–Leanne Hart, Tamika Flynn 

PS: I’m sorry Cecil is so dapper I drew this several months before we discovered how bad his fashion sense is anyway I don’t know what constitutes bad clothing

But Wait There’s More:

It may be illegal to acknowledge the presence of angels but they sure are hard to ignore

Bonus song for otp feels

I’ve never done a comic before, I don’t even know if it makes any sense, but I spent months on this thing and I’m so proud of it like seriously guys

Já percebeu como ele olha para você?
- Ele olha assim para todas.
- E se essa todas se tornarem só uma, e se ele te olha de um jeito sincero e verdadeiro, vai ignorar isso?
- Um dia eu não o ignorei, eu acreditei que aquele olhar era único, só para mim, mas não e quando descobri, já era tarde demais e eu já estava gostando dele, passaram-se dias e meses que esse sentimento só aumentava e foi então que veio a dor, eu a ignorei, tentei viver minha vida apenas no que sentia, mas quando ele olhou para outra o meu mundo acabou e foi então que a dor que eu estava ignorando veio atona, então não caia nessa e não seja mais uma que vai se iludir por causa de um olhar
—  Para sempre, Cory.
Porra, eu te deixei entrar! Deixei que você se instalasse em meu coração e agora estou completamente perdida e sem rumo. Será que você é capaz de perceber a dor e a destruição que você provocou? Será que consegue compreender o vazio que se instalou em meu peito?
Não dei ouvidos aos alertas, ignorei todos os avisos. Apostei todas as minhas fichas em alguém que nunca foi sincero, nunca foi real, nunca existiu.
—  Pra quê rimar amor e dor? Ana Luiza Assunção.
— Me desculpa? Desculpa pelo meu orgulho. Desculpa por nunca expressar como deveria o quanto eu te quero por perto. Desculpa se eu já te magoei algum dia. Desculpa se em algum momento eu disse algo que te atingiu de certa forma. Desculpa por nunca agradecer a forma como você se importava ou se importa comigo. Desculpa se algum dia eu te ignorei. Desculpa por eu ser assim. Incompreensível. Confuso. Frio. Desculpa por todas as coisas que você acredita que eu sou. Desculpa se meu medo impediu que eu lutasse por você. Desculpa por desistir de lutar. Não foi minha culpa. Você também não lutou. Desculpa minha falta de perseverança. Desculpa por sumir. Desculpa pela minha infantilidade. Desculpa por ser assim… Eu sei que já é tarde, mas eu te amo. Isso não vai mudar nada, mas mesmo assim, eu te amo. Você ainda está aí?
— Esse numero não é mais o da Isa.
— Ah sim, desculpa.
—  Boêmio.
Escrevo agora diretamente para você. Pensei inúmeras vezes se você realmente era digno de minhas escritas, e a respostas nas maiorias das vezes era não. Mas eu precisava aliviar, precisava deixar você e esses sentimentos acumulados saírem finalmente de mim e irem para o meu único abrigo: o papel. O conteúdo dessa carta não é bem organizado, assim como nós, ignorei todas as regras de português, ignorei vírgulas e parágrafos, queria chegar logo no foco: você, nós. Durante meses procurei uma definição para nós, nosso amor e minha ressaca de você e essa definitivamente foi a melhor que encontrei: “Você assim como um jardineiro descuidado plantou em meu coração a semente e partiu, a deixou florecer sem seus cuidados”. E aqui estou eu, e lá está você, a semente floreceu e uma flor brotou, criou raízes e em minh’alma se instalou, você nem se importou em cultivá-la, e agora essa flor que em meu peito vive clama por sua atenção. Responda-me por favor: Porque plantastes a flor se sua intenção não era cultivá-la? Porque se preparou para a primavera mas quando ela finalmente chegou se trancou em seu quarto esperando ansiosamente pelo inverno?
—  Incorpora.
Eu não consigo lembrar um dia em que não te amei. Eu comecei a te amar na primeira vez que te vi, na primeira vez que escutei a sua voz, na primeira vez que você me protegeu no seu abraço. Eu te coloquei no mais alto pedestal e te idolatrei. Eu vivi pra te agradar, pra ser digna de você. Eu ignorei aquelas noites que você chegava tarde em casa, cheirando a cachaça. Eu ignorei os dias em que você só aparecia pela manhã, com as marcas da briga que você teve no bar. Eu ignorei quando você me olhou com desprezo. Eu te deixei no pedestal e te amei com todo o meu ser. Eu ignorei todos os dias ruins e nunca esqueci os bons. Nunca esqueci como assistíamos os mesmos filmes todas as noites, ou os dias que você decidia fazer minha comida preferida. Nunca esqueci nosso costume de ir ao cinema todos os sábados e como você costumava fazer todas as minhas vontades. Mesmo quando por sua causa meu mundo desmoronou, eu te mantive no pedestal e te amei como se minha vida dependesse disso. Eu me transformei na pessoa que sou hoje pra te orgulhar, pra não te dar motivos pra ir embora outra vez. Eu culpei a todos menos você, o único culpado. Eu ignorei todos os dias ruins e nunca esqueci como costumávamos ir a qualquer lugar longe o suficiente pra passar horas dentro do carro escutando música o mais alto possível, cantando como se o mundo fosse acabar naquele dia. Eu vivi a minha vida inteira por você, eu segui seus conselhos, eu segui seu exemplo. Eu ignorei o seu descaso dos anos anteriores e me agarrei a aqueles dias em que eu era a sua única preocupação. Eu fiz de tudo pra esquecer aquele olhar de desprezo tão frequente durante tanto tempo e me concentrei na sua risada quando eu fazia alguma brincadeira idiota. Eu ignorei quando você chegava em casa batendo as portas e quebrando as coisas e me concentrei nos abraços apertados. Eu me convenci de que apesar de tudo você me amava e que esse era só seu jeito de ser. Eu consegui ignorar todos os malcuidados por que as vezes eu via carinho no seu olhar. Mas agora os dias ruins voltaram e eu estou longe demais pra saber se ainda existe algum carinho no seu olhar. Você achou um brinquedinho novo e me jogou fora como um jogo que você já se cansou. Eu vivi minha vida pra te orgulhar e hoje você tem vergonha de mim. Eu te amei todos os dias. E apesar de tudo, não teve um dia que eu te amei menos. Eu dediquei a você todo o meu ser e você se cansou de mim. Eu tentei culpar a todos menos você, mas agora todos os dias são ruins e você está longe demais. Já faz muito tempo que eu não escuto sua risada, sinto seu abraço apertado ou vejo um leve traço de amor no seu olhar. E sem isso eu não consigo mais ignorar tudo que aconteceu. Eu te coloquei no mais alto pedestal, te amei mais do que imaginei ser possível amar, ignorei os seus erros e fui extremamente feliz nas poucas ocasiões em que você achou que talvez eu era digna de você. Mas agora eu não consigo ignorar. Você partiu meu coração em mil pedaços e riu ao ver minha destruição. Você pisou em mim como um inseto indesejado na sua casa nova. Me varreu pra debaixo do tapete como se eu fosse a poeira que você não quer que as visitas vejam. Eu te coloquei no mais alto pedestal e não foi suficiente pra você. Eu te coloquei no mais alto pedestal e você deixou claro que eu não era digna de você. Eu te amei todos os dias da minha vida e isso não vai mudar. Eu te amei e vou te amar por toda minha existência. Vou te amar com tudo que tenho pra oferecer. Mas você já não está naquele pedestal.
Eu te coloquei no mais alto pedestal e você me provou que não era digno de estar lá.
—  Anna Maia
...

eu era feliz com você, porra. mas ao mesmo tempo eu era triste.  eu deixei coisas indivisíveis entre nos. eu aguentei coisas calado. tudo no meu canto sem chorar. eu relevei suas infantilidades. eu reescrevi diversas vezes nossa poesia para dançar conforme a música. porra, eu ignorei até as indiretas da sua mãe dizendo que você merecia alguém melhor. eu perdi minha essência. eu deixei de ser eu. pois é. who knew? se alguém dissesse há um tempo atrás que estaríamos assim hoje eu na certa riria. who knew, who knew, who knew. agora cá estou eu chorando as mágoas e as dores que sempre guardei. algo que eu nunca imaginei ser possível aconteceu, todo aquele amor se esgotou. who knew.

¿Cómo que no me darán la suite mas grande? —preguntó con incredulidad a la persona que se encontraba en recepción—. ¿No sabéis quién soy o qué? —replicó, bufando a los pocos segundos—. Da igual, me tendré que conformar con esta porquería —rodó los ojos y se dio la vuelta, haciendo que chocase con la persona que estaba detrás de ella en la fila—. Podrías estar pendiente, ¿sabes? Casi me rompo una uña por tu culpa. Y déjame decirte que costó demasiado como para que se rompa.