hipnotizando

“Te encontré, cuando ya no te buscaba y lograste aquello que ya no creía. Me salvaste del silencio, recuperaste mi sonrisa, me llevaste a tu mundo, lleno de paisajes y aromas, con fiestas de luna llena en tus ojos y soles radiantes en tus cabellos. No creí que me volvería a pasar.
Llegaste a desbaratar mi calma, alborotando mis letras, llenando de vida mis días, convirtiéndote en mi presente e hipnotizando mis sentidos.
No sabría explicarte las sensaciones que nacen dentro de mí al hablarte y las muertes literales que siento cuando te escucho.
Has llegado cuando ya no esperaba nada, apareciste cuando ya no quería nada; pero tú me has enseñado, que para quererlo todo, tenía que conocerte, tenías que aparecer en mi vida. Porque ahora sé que valió la pena tanta espera.”

—Volviendo a Sonreír, José Vergara

A troca de olhares consumava o nosso desejo, depois de uma dose ou duas eu sabia com clareza a intenção dela e aos poucos me desfiz. Ela desajeitada, com a franja desarrumada – o olhar de silenciosa poesia. Percebi que a música tinha parado de tocar, todas as pessoas ao redor estavam estáticas naquele bar… Engraçado, era o meu tempo se refazendo ao teu, como se o único centro móvel fosse você e os teus olhos brilhantes me hipnotizando. Encarei-a noite inteira, quer dizer, eu não sabia fazer outra coisa naquele momento a não ser admirar aquele par de infinitos e bem, a música voltou a tocar, ela se levantou e foi embora. Eu a tinha, mas ela não me pertencia.
—  Scars. Everton.
Não, não faz isso comigo. Não chega sorrindo assim fazendo com que eu esqueça todas as suas mancadas. Não, não me olha assim. Não venha me hipnotizando com esses olhos grandes e com esse olhar de criança. Não, não me caricia assim. Não faça com que o meu corpo exale desejos por você.
—  Away from you, I go crazy very more. Rafael Gorgatt
Manual para "No enamorarse"

Tienes que entender, primero que nada, que el simple hecho de estar leyendo este manual implica que tú no estás preparado para enamorarte, principalmente bajo una terrible circunstancia:  No te conviene, puedes salir lastimado, y en definitiva, lo más importante aquí es tu integridad emocional.

Instrucción 1.-

Cuando la veas, deslumbrante, hermosa como ninguna, no te inmutes, guarda calma. No dejes que los latidos del corazón se te aceleren.

Instrucción 2.-

Bajo ninguna circunstancia despliegues esa auténtica sonrisa de oreja a oreja que revela un poquito tu estado vulnerable a un fugaz enamoramiento. Sonríe apenas notoriamente, una especie de mueca feliz. 

Instrucción 3.-

No sostengas un contacto visual demasiado estrecho, desvía de vez en cuando la mirada, a cualquier lado, pero aíslate un poco de aquellos ojos seductores, y cada uno de sus fieles complementos. No mires demasiado sus sonrisas, imperceptiblemente te van hipnotizando, y cuando uno toma conciencia después de un rato, ya es demasiado tarde. 

Instrucción 4.-

Cuando se dé la ocasión, y las palabras tomen turno, mide las frases, ten cuidado en las palabras. No quieres que sin querer salga una palabra de más, o quede una de menos. No quieres que se te note levemente el amor, si es el caso de que ya estás introducido en el infortunio de estar enamorado, y este manual lo tomas más bien como un manual de des-enamoramiento.

Evita las fatales cursilerías, aunque sean lo tuyo, aunque te sientas un cursi inevitable, sin remedio, evítalas a toda costa. Porque las palabras más sinceras, son esas que salen de algún cachito del corazón. No convine meter la mano a ese cajoncito interior e ir sacando frases cursis al azar, porque uno tiende a creérselas, y creerse sus cursilerías, en definitiva, es un indicio importante del amor.

Instrucción 5.-

Cuando llegue la hora de dormir, y los ojos no caigan vencidos como de costumbre, e inevitablemente te encuentres entre las calles del pensamiento nocturno la imagen de la mujer que quieres, entonces ten cuidado. No la conviertas en la dueña de tu insomnio, no dejes que sus imágenes llenen la obscuridad de tu habitación. El insomnio es el más grande creador de historias, no dejes que ella aparezca en algunas de las más frecuentes, y si aparece, que sea una mera espectadora, no la protagonista principal, y bajo ninguna circunstancia, tú y ella los protagonistas principales. Crearse cuentos en noches de insomnio es hacerse ilusiones de algo que jamás pasará. Y cuando esas ilusiones se quiebran a mitad del camino, todo se derrumba, y con ello tú.

Instrucción 6.- 

Si pese a cada instrucción dada, no pudiste seguir al pie de la letra la más sencilla, y te sientes irremediablemente enamorado, y este manual te sirvió para otro de sus no-recomendados usos: Comprobar que uno está jodidamente enamorado. Entonces, así, sin más: Estás jodidamente enamorado.

— Manual para no enamorarse; Ulises Muñoz

Imagine com Liam Payne
  • Pedido
  • Faz um do Liam q ele tipo q odeia ela por ela ser mais nova e acaba machucando ela (ela é irmã de algum dos minos)

  Prestava atenção em cada passo que ele dava e ele parecia não ter me visto aqui ainda, o que de certa forma me confortava mas ao mesmo tempo me decepcionava. Meio confuso mas é o que ele causa em mim e ninguém nunca iria conseguir mudar isso.

  Prendi a respiração quando ele começou a vir em minha direção. Meu coração parecia que ia sair pela boca a cada passo que ele dava. Seus olhos castanhos estavam me hipnotizando como na primeira vez que eu o vi.

  Oh meu Deus, será que ele vai vir falar comigo, me chamar para sair, no final da noite ele me beijará e se declarar para mim, namorarmos e depois de alguns anos me pedir em casamento e termos 3 filhos e 1 cachorro chamado…

  Meus pensamentos foram interrompidos por sua voz doce e confortante. Musica para meus ouvidos, com certeza.

  - Será que você pode sair da frente? - ahn?

  - O que? - perguntei com um sorriso bobo no rosto. O que ele perguntou mesmo?

  - Além de pirralha é surda também? - recebi um tapa imaginário no rosto. Olhei a minha volta e percebi que estava na frente da escada que levava para o segundo andar da casa do Harry.

  Engoli em seco e sai da frente dele indo em direção ao enorme sofá que tinha na sala. Ouvi os passos dele no segundo andar e automaticamente fiz uma careta.

  Por que tão ingênua?

  Levantei rapidamente me sentando corretamente no sofá. Eu preciso de um plano. Pensa. Pensa. Pensa.

  - Maninha, nós vamos a pizzaria, quer ir conosco? - ouvi a voz rouca de Harry e me virei sorrindo para os dois, recebendo em troca um só, e não era de quem eu realmente queria.

  - Claro, esperem um minuto. - subi a escada correndo e fui em direção ao meu quarto para trocar de roupa. Coloquei meu moletom rosa, uma calça jeans skin com rasgos no joelho, e claro, meu fiel all star branco. Deixei meu cabelo solto e sem maquiagem mesmo. Já estava no corredor pronta para descer a escada quando escutei a voz de Liam no segundo andar.

  - Não acredito que chamou ela. - me ajeitei para escuta-los entretanto eles não me verem e mudarem de assunto. Estava com medo do que eles falariam.

  - Liam, ela é minha irmã. - Harry parecia entediado com aquele assunto, ao contrário de mim que queria saber tudo que Liam tinha para dizer sobre mim mesmo que não fosse coisas boas.

  - Isso não significa que tenho que ser amigo dela. - respiro fundo tentando manter a calma.

  - Mas tem que respeita-la, (S/n) não fez nada de ruim para você.

  - Ela fica me encarando, dude, desculpa mas não dá pra respeitar uma criancinha que tenta ser adulta. - Liam disse perdendo a paciência. Fechei meus olhos com força sentindo lágrimas deslizarem pelo meu rosto. Eu sou uma tola.

  - Cara, ela já tem 16 anos, não sei pra quê isso tudo. - não conseguia prestar mais atenção no que Harry dizia, tudo que importava agora era o que Liam dizia porque eu tenho certeza de que não é só ele que tem esse pensamento sobre mim.

  - Ela tem 16? Com as roupas que ela usa e com a infantilidade dela, jurava que ela tinha menos. Quase dei uma Barbie para ela. - respirei fundo tentando me recompor. Entrei no banheiro mais próximo e lavei meu rosto. Não escutei a resposta de Harry para Liam mas isso não importava, pelo menos não agora. Desci as escadas vendo os dois pararem de conversar e me encararem, Liam estava com um sorriso falso no rosto e eu não sabia o que estava acontecendo com ele, Harry estava confuso e eu não sabia o motivo.

  - Vamos? - Harry perguntou e eu apenas assenti dando o meu melhor sorriso. Fingir que tudo estava bem com Liam do lado já estava virando rotina.

  - Eu não acredito que ele falou essas coisas, (S/a)! - Lottie disse depois de eu conta-la tudo que aconteceu na noite anterior. Ela é minha melhor amiga e nós sempre contávamos tudo uma para a outra e, obviamente, ela sabia da minha paixão platônica por Liam e não me apoiava. Lottie nunca apoiou o meu amor por Liam, sempre disse que eu mereço coisa melhor e eu não a entendia, Liam era o melhor para mim.

  - Pois acredite, eu nunca me senti tão pra baixo na minha vida toda, Lottie. - ela suspirou e passou sua mão em meu rosto tentando me confortar.

  - Sabe o que eu acho? - neguei. - Que devemos mostrar ao Liam o que ele perdeu.

  - O que? - não havia entendido, Liam não me perdeu.

  - Eu sei o que está pensando, (S/n), e olha… - ela suspirou. - você tem que aceitar de que merece coisa melhor, Liam caga pra você, você correr atrás dele mesmo depois de tudo que ele te fez só piora tudo. Liam é perda de tempo. - respirei fundo, eu sempre soube que não teria chances com Liam mas sempre tive um pouco de esperança.

  - O que você tem em mente? - Lottie soltou um gritinho animado vendo que eu estava determinada a mudar, Liam que ia correr atrás de mim a partir de hoje.

  - E aqui está! Pode falar, nós arrasamos! - Troy disse quando me virou para o espelho. Eu estava em choque.

  - Ai. Meu. Deus. - eu disse separadamente. Eu olhava atentamente para cada parte do meu corpo. Troy era cabeleireiro e entendia muito de moda e foi ele juntamente com Lottie que fizeram essa transformação em mim. - Essa sou eu? - rimos.

  - Amiga, você tá muito linda! Se Liam não te quer, eu quero! - rimos. Voltei a prestar atenção no meu reflexo. Sorri convencida, eu realmente estou me sentindo linda.

   Meu cabelo estava repicado e hidratado, dando um brilho único. Usava um vestido vermelho justo e curto, com um Scarpin bege. Minha maquiagem estava perfeita, com o olho esfumado destacando o meu olho verde e na boca usava um gloss rosinha claro.

   Sorri automaticamente só de lembrar que Liam iria babar e, talvez, parar de me tratar daquele jeito rude.

   - Vamos? - Lottie perguntou e eu a olhei confusa.

   - Para? - incentivei ela a continuar.

   - A festa do Josh, você esqueceu? - continuei confusa.

   - Mas o meu irmão.. - ela me cortou.

   - Ele e os garotos também vão, (S/a), qual a desculpa agora? - ela perguntou e eu me senti obrigada a ir.

   - Lottie, ele está aqui! - falei animada vendo Liam conversar com os garotos.

   - Não começa. - ela disse atraindo minha atenção.

  - Ok. - suspirei. Ele estava tão lindo. Lottie me puxou para onde estava o bar e pedimos refrigerante com energético já que não podíamos beber.

   Já devia ter passado uns quarenta minutos que tínhamos chegado e eu estava me divertindo bastante com Lottie, ela havia conseguido me distrair e não me deixou ir até Liam e eu a agradeceria amanhã.

  - Eu vou ao banheiro. -  disse para minha amiga que dançava e ela assentiu avisando que havia escutado. Olhei em volta e a casa estava muito cheia, e me perguntei de como iria achar o banheiro. Comecei a andar no meio daquelas pessoas e quando estava chegando do que eu achava ser o banheiro, senti duas mãos em minha cintura me empurrando para um corredor escuro. Foi quando senti o gelado da parede nas minhas costas que engoli o meu medo e abri meus olhos lentamente para ver quem era e meu coração quase saltou pela boca quando vi Liam tão perto de mim, me segurando com força.

   - Você me deixa maluco. - ele disse bem perto de meu ouvido e eu senti meu corpo todo se arrepiar. Ele começou a beijar meu pescoço e eu só sabia agradecer a Lottie mentalmente. Começamos a nos beijar loucamente e eu não me importava se estava sendo fácil ou não, o que importava ali era que eu estava com ele e isso já era mais do que suficiente.

    Acordei em um pulo com medo de que tudo não tivesse passado de um sonho, mas quando vi que estava sem minhas roupas senti vontade de gritar de tanta felicidade. Passei minha mão no outro lado da cama e não senti nada, olhei em volta do quarto o procurando e quando não o achei automaticamente o sorriso que antes estava tão radiante agora estava se desmanchando. Eu era só mais uma.

   A noite que era para ser lembrada com tanta felicidade agora transbordava de mágoa por ter sido tão fácil. Eu havia perdido a minha virgindade com Liam e para ele não havia passado de uma noite qualquer com uma garota qualquer. Tomei um banho demorado tentando me livrar do cheiro dele, admito que chorei no banho mas eu tenho motivos. Minha pele estava meio avermelhada por conta do grande numero de esfregadas com a esponja para tentar, de alguma forma, me livrar não só do cheiro dele mas do meu amor por ele que já estava se transformando em mágoa, rancor. Ele havia tirado o meu bem mais precioso com tanta facilidade e nem se importava comigo.

   Passei o dia sozinha e quando chegou a noite todos os garotos estavam aqui, menos ele. Eu só queria entender o motivo disso tudo. Parecia uma piada de muito mal gosto.

  Uma semana. Já havia se passado uma semana e ele estava me evitando. Ele ainda falava com os garotos e com meu irmão normalmente, e só ia lá em casa quando eu estava na escola. O que me irritava profundamente é que ele fingia que nada havia acontecido quando eu mandava mensagens para ele. Ele tinha voltado a me tratar mal, só que agora por mensagens. Era sempre Por que está me mandando mensagens? Me esquece, garota. e eu não entendia o motivo disso tudo. Ele estava brincando comigo.

  Duas semanas e foi só quando estava chegando a terceira semana que eu consegui vê-lo pessoalmente, ele estava lá em casa conversando com Harry e quando meu irmão foi no banheiro eu tive a oportunidade de descer para a sala e enfrenta-lo de uma vez, descobrir o motivo disso tudo.

   - O que você quer? - ele me perguntou sem tirar os olhos do celular.

   - Uma explicação. Você está brincando comigo? - perguntei perdendo a paciência.

  - Você é uma criança, não tem que querer nada. - ele falou ainda olhando para o celular. Tomei o celular da sua mão e me arrependi na mesma hora quando ele levantou rapidamente do sofá ficando frente a frente comigo.

   - Me devolve. - ele rangeu os dentes.

   - Não até você me falar o motivo de ter me deixado. - disse tomando coragem.

   - Porra, garota! Me esquece! - ele gritou e segurou forte meu braço tentando me colocar medo e estava conseguindo.

  - Eu te amava, Liam. - ele engoliu em seco e eu já sentia as lágrimas deslizarem pelo meu rosto. - Ma agora eu vi que você não passa de um arrogante que só se importa consigo mesmo.

   - E você é a merda de uma pirralha. Sabe aquela noite? Foi a pior da minha vida, não passou de mais uma. Você é uma qualquer. - ele cuspiu as palavras em mim e meu braço já devia estar roxo por conta da força dele. Tentava me soltar para sair dali mas ele não deixava. Onde diabos esta Harry?

  - Babaca. - cuspi em seu rosto e então ele me soltou mas quando eu estava me afastando senti uma ardência no lado esquerdo do meu rosto e cai com força no chão. Foi tudo muito rápido e quando eu tomei coragem para olha-lo, ele não estava com arrependimento nos olhos, ele estava sendo ele mesmo.

   Ouvi passos no segundo andar o que indicava que Harry estava voltando. Rapidamente me levantei e corri para a rua indo em direção ao parque mais próximo para ver se me distraía. Meu irmão não podia me ver assim, ele nunca aceitaria fazer parte de um grupo com Liam depois disso e eu não aguentaria ver ele desistir do sonho dele por minha causa. Peguei o meu telefone que estava no meu bolso e liguei para mamãe. Engoli o choro.

   - Mamãe? Eu quero voltar a morar contigo. - disse tentando não chorar. Liam tinha razão, eu era nova demais para entender os “adultos”, como diz ele, e eu prefiro continuar sem entende-los se todos forem como Liam. Eu havia cometido o erro de amar alguém que só me fez mal, confiei com todas minhas forças nele e ele me jogou fora no dia seguinte, o que me faz pensar que ele não é um homem como diz ser, e sim um garoto. Se eu sou mais uma na vida dele, ele seria único na minha vida mas porque eu agora aprendi a diferenciar homem de garoto, e Liam, definitivamente, não merece o título de homem.

Gabi