himalaia

o amor mais bonito

somos todos amontoados de átomos que não se tocam nunca. ironicamente, os mesmos átomos que nos separam hoje são os mesmos que se juntaram no big bang. que esculpiram as mais belas montanhas no himalaia. moveram as placas tectônicas pra juntar dois amantes no ártico. que desenharam estrelas no céu da indonésia.
e se condensaram nesse poema. todavia insistem em nos deixar à oito elétrons na camada de valência mas estranhamente atraídos.

trágico, não?

“baby,
tive um sonho na qual estávamos dolorosamente ligados.”

Luto por mim mesmo

a luz se põe
em cada átomo do universo
noite absoluta
dessa mal a gente adoece
como se cada átomo doesse
como se fosse esta a última luta

o estilo desta dor
é clássico
dói nos lugares certos
sem deixar rastos
dói longe
doi perto
sem deixar restos
dói nos himalaias, nos interstícios
e nos países baixos

uma dor que goza
como se dor fosse poesia
já que tudo mais é prosa

Paulo Leminski

Ele quis ir embora, assim como todos os outros que já chegaram a conquistar um pedacinho de mim. O problema é que ele tinha me conquistado inteira. Enquanto ele gritava da porta um “adeus” cada parte de mim queria gritar um “me leva contigo”. Mas daí ele gritou ainda mais alto um “some, para de encher o saco” e eu calei, fiquei encolhidinha no canto da sala. Meu coração se partir foi tudo o que eu pude ouvir. Doeu. Não, dói. Continua estourando cada veia e artéria dentro de mim. O nome dele ecoa por todo o meu corpo e tudo o que eu posso dizer é que ele não vem e, sabe da maior? A gente também não vai. Porque só eu sei o quanto a ida dele dói e machuca. E talvez eu passe meses, talvez anos curando essas feridas, mas pelo menos ele não vai estar aqui pra abrir as que já se fecharam de novo. As pessoas só te machucam quando você se permite machucar, entendeu? Eu decidi que por mais que doa, que aperte, que sangre, eu não vou insistir, não sozinha. Porque não adianta fazer macarrão sem ter molho; tentar ligar a tv com o controle do ar condicionado; tentar abrir o cofre com a chave da lavanderia; comprar uma roupa que não cabe achando que vai emagrecer e que ela vai encaixar certinho; tentar acostumar a comer camarão, mesmo sabendo que tem alergia; tentar usar garfo pra tomar sopa. Amar você, quando você só quer que eu suma. Sabe o que mais não adianta? Ouvir melodia nas pancadas. Mas advinha? Eu cansei. Cansei de ser alcançável a todo tempo e circunstância, quando você escala o Himalaia pra me evitar. Cansei de lidar com tuas crises de raiva como se tudo estivesse bem e eu também não tivesse o direito de me alterar, bancar a louca e te jogar pro alto gritando “morre” como você fazia. Cansei de lutar contra enxames e mais enxames de abelhas pra te dar o mais doce mel e você nem sequer agradecer o esforço. Cansei de me preocupar com as tuas doenças, teus machucados, tuas crises, teus tormentos, teus traumas, seus medos, quando agora, que eu mais preciso, tu deu tchauzinho e saiu de fininho pela porta. Tu disse que me ajudaria a superar cada tropeço. Cadê você? Tu disse que a gente tinha se encontrado por algum proposito maior e que seria meu amigo. Amigos vão embora? Tu disse que gostava de mim, tanto, tanto, mas não o suficiente pra ficar, ne? Por que, agora, cadê você? Agora que eu preciso, não de alguém pra arrumar minha bagunça, mas de alguém que limpe o quarto, jogue tudo fora e abra as cortinas pra me fazer ter vontade de viver. Cadê você? Não mediu esforços pra ir embora, quando prometeu que ficaria. “Você é minha, eu tô aqui”. O que significaram as palavras que você disse? Sabe o que eu odeio em promessas? Seus cumprimentos nunca são feitos. Promessas são como tiros perdidos numa rua perigosa, nunca se sabe em quem vai acertar e, quando acerta, mata. Quando a gente acredita demais numa promessa a gente morre, morre por ter fé. Engraçado né? Acho que por isso que você vivia dizendo que não tinha fé. Eu fiz de você a minha fé, eu acreditei em você, mas o seu revólver estava cheio e todas as balas eram pra mim. Promessas. O engraçado é que você dizia pra eu ir embora, mas sempre voltava pra me buscar. Dizia que eu ia afundar como a Rose no Titanic, mas você esqueceu de lembrar que a Rose se salva do naufrágio, assim como eu vou me salvar. Por que? Porque eu cansei. Cansei de você ir e depois voltar tocando a campanhia com o sorriso mais bonito do mundo, eu te receber, tu me ganhar e ir embora de novo. Eu cansei, por que sabe quem fica? Não é você, sou eu. Eu fico pra procurar meus caquinhos e colar um por um. Você fica da janela rindo. Burra, é isso que você acha que eu sou. E eu até concordo, só sendo burra mesmo pra fazer tanto papel de trouxa. Porque eu sei que você só ta esperando eu colar esse coração inteiro pra poder bater na porta de novo e, pela primeira vez, eu tenho dúvida se te atendo sorrindo ou te mando embora de vez. Porque eu posso não cansar de amar você, mas sabe uma coisa que eu canso? De ser idiota. E por você eu já fui um zilhão de vezes. Tu sempre disse que eu escrevia demais, que as pessoas perdiam o interesse por isso, que era corriqueiro, normal demais, sem graça. Mas a única coisa que se tornou corriqueira foram os meus machucados. E sabe o que não tem graça? Você achar que não dói.
—  Não atenda a porta, Maria. Meu coração não está.
O idioma Nepali

Nepali ou nepalês é o idioma oficial do Nepal, falado por mais de 50% da população, é utilizado como língua franca do país, mas existem outras dezenas de línguas espalhadas pelo país e falada pelos nativos de diferentes etnias, dentre elas estão: Maithili, Tamang, Newari, Limbu, Sherpa e muitas outras.

No entanto, falar inglês no Nepal não é difícil, nos percursos que pretendemos passar provavelmente vamos conseguir nos comunicar em inglês na maior parte do tempo, principalmente nos roteiros de trekking, nos locais de hospedagem e meios de transporte, mas isso não é desculpa para deixar de aprender um pouco do idioma nativo do Nepal.

Apesar de pensar que seria um idioma muito difícil, o Nepali não assusta tanto. A pronuncia das vogais e consoantes é bastante parecida com o espanhol e português, e algumas frases e palavras para manter uma comunicação básica com o povo nativo não é muito difícil de aprender, vamos esperar para que na prática dê tudo certo também.

Abaixo segue uma seleção com algumas frases e palavras úteis que retirei de livros e guias para quem pretende se aventurar no idioma nepali.

PRONUNCIAÇÃO (Comparado com inglês)
a  - igual a letra U em UP
ā  - igual a letra A em FATHER
e - igual CAFÉ
i - igual RIM
o - igual GO
u - igual FULL
ai - igual AISLE

PALAVRAS E FRASES ÚTEIS
Oi / Tchau -
namaste
Como está? - tapāilai kasto chha?
Estou bem! - sanchai chha
Desculpa - hajur
Obrigado - dhanyabad
Sim - ho
Não - hoina
Talvez - hola
Agora - ahile
Qual seu nome? - tapainko nām ke ho?
Meu nome é… - mero nām … ho?
O que é isso? - yo ke ho?
Eu sei - thāhā chha
Eu não sei - tāhā chhaina
Grande - thulo
Pequeno - sano
Limpo - sāph
Sujo - mailo
Bom - ramro

TEMPO E DATA
Que horas são? - kati bajyo?
São cinco em ponto - panch bajyo
Dia - din
Noite - rāt
Manhã - bihāna
Hoje - āja
Ontem - hijo
Amanhã -  bholi
Depois de amanhã -parsi
Segunda - som bār
Terça - mangal bār
Quarta - budh bār
Quinta - bihi bāR
Sexta - sukra bār
Sábado - sani bār
Domingo - āita bār

NÚMEROS
0 - sunya
1 - ek
2 - dui
3 - tin
4 - chār
5 - pānch
6 - chha
7 - sāt
8 - āth
9 - nau
10 - das

DIFICULDADE DE COMPREENSÃO
Fala inglês? -
tapāi angreji bolna saknu hunchha?
Não falo nepalí muito bem - ma ali nepāli bolchhu
Entendo - ma bujhchu
Não entendo - maile bujhina
Por favor, repita - pheri bhanuhos
Por favor, fale mais devagar - tapāi bistārai bolnuhos

ALIMENTAÇÃO
Comida -
khānā
Água -
pāni
Água gelada -
chiso pāni
Água quente -
tAto pāni
Cerveja -
chhang / jānr
Chá -
chiyā
Pão -
roti
Arroz - bhāt
Lentilha -
dāl
Batata -
ālu
Carne -
māsu
Ovo -
phul
Frango -
kukhoroko māsu

HOSPEDAGEM
onde encontro uma..?
kahā chhar..?
   - pensão pāhuna ghar
   - hotel - hoṭel
   - camping - shivir
   - albergue - laj
qual é o caminho? thegānā  ke ho?
quanto custa por noite? ek rātko, kati paisā ho?
o preço inclui café da manhã? bihānako khāna samet ho?


Fonte:
Trekking in the Nepal Himalaya - Lonely Planet
Nepali Dictionary and Phrasebook - Prakash A. Raj
Nepali Phrasebook - Lonely Planet
Nepal - Lonely Planet

youtube

Se você quiser imitar uma exploração similar aos exploradores do final do século 19 e começo do século 20, são poucos os lugares que oferecem a real sensação de isolamento e dificuldade.

A cordilheira do Himalaia é um desses lugares, e foi pensando nisso, que um fiho e seu pai (com pouca experiência em viagens de moto), resolveram escolher o Himalaia.
A expedição foi toda filmada com cameras GoPro2 e as imagens são bem legais. 

Quero o seu cheiro, mas não tenho olfato. Quero o seu toque, mas não tenho tato. Para manter a chama do desejo acesa, um retrato três por quatro… três por quatro. Quero te escrever, mas não tenho papo. Vou te seduzir com meu verso fraco e para você não perder a rima deixo meu refrão… Três por quatro.
—  3x4, Himalaia