henrry

eliana55226838  asked:

De los pocos que veo que hablan español. iufff alegría. pregunta: Bendy decidio matar después de 30 años a Sammy, a pesar de que ofreció a Henrry como sacrificio, que crees que le molesto? se nota que Sammy adoraba mucho a Bendy, que desencadeno la ira de Bendy contra el? y podemos notar que Sammy intento defenderse con el acha.

Wow! yo te admiro, e visto tu blog y me encanta!, yo lo que me teorizo, es algo como que este tipo de demonios que se invocan en el caso que es bendy, siendo un demonio lo unico que hara es matar todo a su paso, no creo que le interese la idea de ser un dios, o tal vez tampoco la idea de que alguien le mande, los demonios son seres traicioneros que prometen cosas y terminan mintiendo, a la vez cuando mato a sammy intento ir a por Henry, pero fallo en el intento, es lo que pienso uwu

Queria começar dizendo que este não é um pedido, mas sim, uma cena que eu imaginei logo que eu vi essa foto na internet.

Imagine com Harry Styles - Henry

Ver Harry daquele jeito era ótimo. Despreocupado com os seus compromissos, relaxando de todo o estresse acumulado, andando somente de meias pela casa, cabelo bagunçado.

Após anos na estrada, se apresentando, fazendo shows, dando entrevistas e cantando mundo afora, finalmente ele havia conseguido dar uma pausa na sua carreira para nos dedicarmos mais ao nosso casamento.

Estávamos casados há exatamente um ano, e já vínhamos pensando sobre a possibilidade de formarmos uma família. Mas para isso, Harry precisaria estar mais presente na rotina da casa, ele não queria que seus filhos crescessem longe dele, queria acompanhar a infância deles de perto, estar presente quando eles dessem seus primeiros passinhos, começassem  a falar, quando largassem a chupeta e a fralda, queria poder brincar com eles a qualquer momento, levá-los à escolinha, para passear no parque, à casa dos avós, etc.

Então, fomos nos programando aos poucos, fizemos alguns exames, conversamos com nossos pais e conhecidos que já tinham filhos, pesquisamos sobre os cuidados na gravidez, e após algumas tentativas, logo descobrimos que eu estava grávida. Harry, ficou extremamente  animado com a ideia de ser papai, queria comprar tudo o que via pela frente para o bebe antes mesmo de sabermos o sexo. Ele passava horas deitado com a cabeça em meu colo, passando a mão pela minha barriga levemente saliente pelos poucos meses de gestação, imaginando as características que teriam o nosso filho ou filha.

— Aposto que ele vai ter os meus olhos. — Disse Harry sonhador, entrelaçando os dedos na barra da minha camiseta e deixando exposta parte da minha barriga.

— Ele? — Perguntei confusa. — Harry, ainda nem sabemos o sexo do bebê.

— Eu sei, eu sei, mas é que eu simplesmente sinto que vai ser um menino. — Sua respirações batia contra minha pele, me fazendo cócegas enquanto seus dedos desenhavam pequenos círculos na região. — Ele vai puxar a minha beleza, com os olhos clarinhos, cabelos castanhos e lisos igual aos meus quando eu era pequeno, o sorriso galenteador para conquistar várias candidatas a ser a sua norinha… — Brincou.

— Muito engraçado, Harry. Eu não vou deixar você transformar o nosso filho em um garoto pervertido que nem você. — Falei séria. — Ele pode até puxar um pouco da sua beleza, mas é a minha inteligência que ele vai ter.

— Está me chamando de burro, S/n? — Segurei a minha  risada. — Já que é assim, daqui para frente não vou mais atender aos seus desejos de grávida no meio da noite. — Cruzou os braços emburrado, se sentando ao meu lado da cama.

— Nãooo, meu amor, não faz assim. — Falei rindo levemente da sua cara mal-humorada, subindo em cima dele e me sentando no seu colo de pernas abertas.  — Eu estava brincando com você. — Beijei a ponta do seu nariz. — Mas eu estive pensando… Como você pode ter tanta certeza? Digo, e se for uma menina?

— Não é uma menina, S/n. — As mãos de Harry estavam apoiadas em minhas coxas, fazendo um carinho  gostoso e deslizando os seus dedos por minha pele exposta pelo shorts. — Sabe como eu sei disso? — Perguntou e eu neguei. — Minha mãe dizia que quando a grávida está esperando uma menina, a bebê tira a beleza da mãe. Já quando ela está esperando um menino, a grávida fica ainda mais bonita. — Harry fez uma pausa e arrumou uma mexa do meu cabelo que insistia em cair no meu rosto toda hora. — E é isso que eu estou observando em você nessas últimas semanas, S/n. A cada semana que passa, você fica cada vez mais bonita do que já é, meu amor. Você pode não perceber isso já que vive reclamando que está engordando, e as roupas que te serviam não cabem mais, ou quando tem os seus ataques de choro e começa a me xingar e a reclamar das coisas sem motivo algum. Mas todas as noites, fico te observando pegar no sono, e você não tem noção do quão bonita fica dormindo, vestindo a minha camiseta como pijama, sem nenhuma maquiagem, com o cabelo preso em um penteado bagunçado…

— Harry… — Falei com a minha voz já afetada pelo choro que ameaçava sair. Era um saco lidar com as mudanças emocionais quando se estava gravida. Uma hora você podia estar se sentindo a mulher mais feliz da face da terra, e era só alguém falar alguma coisa, que a vontade de chorar tomava conta do seu corpo. — Porque você tinha que me fazer chorar, seu idiota? — Perguntei chorando e rindo ao mesmo tempo, batendo de leve em seu peito e encostando a minha cabeça entre o seu ombro e o pescoço, sentindo seus braços me envolverem num abraço quente e acolhedor, e ouvindo sua voz rouca sussurrar um “Eu te amo” baixinho e beijar a minha testa.

Harry fora extremamente carinhoso e atencioso durante toda a minha gravidez. Estava ali, sempre presente, para qualquer coisa que eu precisasse. Foi uma gravidez tranquila, sem nenhum problema que causasse muita preocupação, e acabamos por decidir de somente descobrir o sexo do bebe na hora do parto. Tivemos que aguentar a curiosidade de todos nos perguntando se era menina ou menino até a hora do nascimento. E foi quando veio a surpresa.

Era um menino. Um lindo menino, com as características muito parecidas com Harry, como ele mesmo havia previsto. Os olhos num tom esverdeado bem clarinho, o cabelo quase loiro e liso, o sorriso travesso, as covinhas levemente marcadas nas bochechas rechonchudas. O pequeno Henry, era uma versão mini do pai, que desde as primeiras horas de vida, ainda na maternidade, já esbanjava todo o seu charme para qualquer um que viesse visitá-lo.

Henry já estava com os seus dez meses de idade, ele e o pai não se desgrudavam para nada. Quase sempre eu tinha que interromper a brincadeira dos dois e brigar com Harry para deixá-lo amamentar o nosso filho.
O sol da tarde começava a entrar pela janela do quarto de Henry, Harry estava deitado no chão, com as costas encostadas no carpete felpudo, suas mãos seguravam com cuidado o pequeno tronco de Henry, sobre o seu peito, assegurando para que o pequeno não caísse para trás. Henry parecia tão pequeno, suas pequenas mãozinhas estavam apoiadas no tórax do pai, sustentando o próprio corpo, e logo se deitando preguiçosamente no peito do pai, passando a observar o rosto do mesmo.

Observando Henry e Harry lado a lado era impossível não notar as semelhanças entre os dois. Henry, como qualquer menino em sua idade, era extremamente curioso e agitado, mas quando estava no colo de Harry, parecia que os seus braços do acalmavam o pequeno instantaneamente, ele não reclamava, ficava quietinho, gostava de brincar com os colares dele e passar a mão no cabelo cacheado do pai, tentando desembaraçar os fios com os pequenos dedos gorduchinhos. Harry afagava o cabelo loirinho e fino do filho hora ou outra.

Eu nunca seria capaz de esquecer esta cena, eu ficava abobalhada, observando os dois tendo momento de pai e filho, parada no batente da porta do quarto. Observando os brinquedos infantis espalhados em volta do corpo de Harry, deitado no meio do quarto, e Henry tentando decidir se dava atenção para os seus carrinhos ou para o pai.

Harry cantarolava baixinho um dos sucessos dos Beatles, tentando desde cedo influencir nos gostos musicais do filho. Até que depois de alguns instantes, sua voz foi começando a perder cada vez mais o ritmo, ficando cada vez mais lento até parar de vez, e a letra da música ser substituída pelos seus roncos, atraindo a atenção de Henry.

Ele soltou um pequeno grunido, resmundando já que ainda não tinha aprendido a falar ainda, olhava para o pai com os olhos arregalados. Eu me segurava para não rir, enquanto observava Henry subir suas mãos mais para cima contra o peito de Harry, aproximando bem o seu rosto ao dele, sentindo a respiração quente bate em sua bochecha.

Henry tinha um pequeno paninho azul em suas mãos, que a sua tia Gemma havia lhe dado logo após o seu nascimento. Ele estava assustado com os barulhos que saiam da boca de Harry, nunca tinha visto ninguém fazendo aquele barulho enquanto dormia. Eu estava me divertindo com a cena fofa, vi Henry começar a bater levemente a sua mãozinha coberta pelo paninho na bochecha do pai, acordando-o irritado mas logo sorrindo ao perceber quem havia lhe acordado.

— Acho que o papai pegou no sono Henry. — Harry riu de si mesmo, pegando o filho no colo, e deixando-o brincar com os seus longos dedos, pois comparando o tamanho dos dois, Henrry precisava das duas mãos para segurar um dos dedos do pai.

— Impressionante como ele só fica calmo desse jeito com você. — Comentei me aproximando aos e me sentando ao lado dos dois.

— Deve ser porque ele me ama. — Harry disse rindo me provocando e eu lhe dei um beliscão de leve, pegando Henry em meu colo. — Ei!

— Você ama a mamãe, não é Henry? Hein? — Perguntei com uma voz bem fina, espalhando vários beijos pelo rosto do pequeno, fazendo-o cair numa gargalhada gostosa, sentindo cócegas quando meus lábios tocavam em sua pele branquinha e macia.

— Eu também quero beijo, mamãe. — Harry disse deitado todo torto ao nosso lado, fazendo um biquinho para que eu beijasse ele e eu neguei. — Só um beijinho, mamãe, por favooor

— Desculpe, mas a mamãe aqui tem que dar de mamar para alguém. — Falei me levantando do chão, ainda com Henry no colo, e saindo do quarto para amamentá-lo sem antes não ouvir mais um dos comentários maliciosos que Harry sempre fazia quando eu dava de mamar para o nosso filho.

— Depois não esqueça de vir aqui, S/n, que eu que vou te dar o seu leitinho.

vilo-chan  asked:

Ya reemplazaron al Henrry con Zero :v

Oigame! eso no es verdad xD

Ademas, Zero merece mas aprecio que Henry >:’v el nene se quiso matar el otro solo tiene una mascara que lo hace ver bonito y una rara adicción al chocolate xD