henriq

Mesmo que você não queira ouvir, quero que você saiba que sempre será parte de mim. No tempo que passamos juntos, você conquistou um lugr especial no meu coração, que eu vou levar comigo para sempre e ninguém pode substituir. Mas acima de tudo, você é o primeiro homem que amei verdadeiramente. E não importa o que o futuro traga, você sempre será, e sei que minha vida é melhor por causa disso.
—  Querido John
Queria fazer uma carta ao próximo amor do meu último amor. Comecei com “cuida bem dele” e pensei que ridículo, certamente a pessoa cuidará por um tempo. Então pensei em falar de todas as manias que ele tinha. E isso me arrancou um sorriso, já que ele tinha várias. E muitas delas eu gostava. Como acordar todo sábado e colocar uma música alta, qualquer ritmo que fosse - ele gostava de tudo - e lá ia ele tocar sua bateria imaginária, cenas que eu sempre achava hilária de se ver, mas eu gostava mesmo era de esperar ele vir me acordar, do jeito certo, com carinho, se é que entende. Pensei também nas manias culinárias: o molho tinha que ser cremoso e não podia colocar muita água. E bem, ele gostava de comer coisas suculentas, que de olhar davam água na boca. Modéstia a parte, nesse quesito eu sempre me superei. Pensei também em como ele olhava futebol, ou qualquer esporte que fosse, sempre com olhar atento e torcedor. Pensei também em quando se calava, e isso não significava boa coisa. Homens quando pensam muito, há problema. Por fim lembrei de como ele gostava de ser surpreendido, e eu sempre gostei de surpreender. Tantas memórias que agora, já não fazem mais sentido, ele continua o mesmo, talvez com uns quilos a mais e uns neurônios a menos. Já eu… Eu mudei tanto. Compreendi que o amor é livre, e que se você ama, você deve querer a felicidade do outro, mesmo que lhe doa. Hoje já não dói mais, demorou, e eu sofri. Mas vejo isso como aprendizado. E não posso desejar nada menos que ele seja feliz, afinal eu também serei. E o que dizer ao próximo amor dele: Nada! Não conheço mais a pessoa que se materializa no corpo dele hoje. Só posso dizer duas coisas clichês: Seja feliz e cuide bem dele. Eu o amei mais que a mim mesmo em muitos momentos, e feri-lo seria ferir uma parte que um dia me pertenceu.
—  m.e