hajas

Eu acho que o amor é isso. É independente do passar dos anos continuar sempre se apaixonando todos os dias, mesmo que não haja um novo motivo, que a gente invente então. Acho que é saber que mesmo que a gente brigue, no final tudo vai ficar bem, porque faremos ficar. É nunca acabar o assunto e não faltar carinho, é criar sempre mais e mais lembranças, e ter em mente que cada momento é perfeito só por estar um com o outro. Acho que amar é ser infinito, e eu espero que nosso infinito dure para sempre.
—  Afinal o que é o amor?
Az illata. A haja, amikor kócos. Az ölelése; amely egyszerre lágy és durva. A csókja. A mosolyra húzott szája. A szemei. A hangja. Az apró hibái, melyeket nem tudsz gyűlölni, bármennyire is szeretnél. A humora. A személyisége. Ő. Aki egyetlen számodra.
Estou vivo, mesmo que não haja porquê, mesmo que seja difícil, mesmo que não faça sentido, mesmo que eu me sinta aprisionado, mesmo que seja em vão, mesmo que me angustie, mesmo que eu esteja perdido, mesmo que eu não me sinta eu, mesmo que doa, mesmo que eu não queira, ainda estou vivo…
—  Suspiros silenciosos, Lupus.
Todos os dias eu tento renascer do que me restou, alguns dias a bagagem é cheia de decepções e fobias, noutros é mais leve sobrando alguns sorrisos e bons momentos. Todos os dias eu morro por antecipações e sonhos que não deram certo, e ressuscito tentando manter a esperança de que, por mais árduo que seja, ainda haja coisas boas pela frente.
—  Gabriel Mariano.