guilherme fiuza

“Não era para ter vindo. Mas já que veio, que
tenha vindo junto com a única coisa boa que
essa doença traz: reflexões sobre os verdadeiros
valores da vida.

Graças ao seu otimismo e vontade de viver
felizmente ela se foi, e agora meu desejo é
que tudo que foi ressignificado em sua vida
não vá embora com ela. Nunca.

Espero que esse livro te ajude nessa missão.

P.S. Te acompanhar nessa luta me trouxe um
grande aprendizado também, que eu nunca
me esquecerei.

Te amo

Vera dez/12”



>Giane – vida, arte e luta . Guilherme Fiuza

>Enviada por Vera Lucia

>Ela conta: Meu marido, Alan Borim, um jovem de 33 anos, passou por quase dois anos lutando contra dois tipos de câncer num passado recente.

Foi uma fase de muita luta, mas, ele sempre esteve otimista e nunca se deixou abater. Em nenhum momento chorou ou perdeu as esperanças. Um guerreiro. Já tínhamos um filho na época e o segundo na barriga quando descobrimos, acho que isso o ajudou a lutar ainda mais.

Hoje, já curado e sem sinais da doença há um ano, tem demonstrado que anda esquecendo alguns valores que ganhou com a doença por vezes. E não quero que todo o aprendizado caia no esquecimento, que a doença e a cura tenha sido em vão…