gritei

Eu já fui traída. Na primeira vez, bati o pé, chorei, gritei, xinguei a mulher, dei tapas nele, me massacrei em frente ao espelho comparando nós duas. Questionei a mim mesma e me acusei de erros que nunca foram cometidos e que se foram, não deveriam servir como justificativa. Ele quis voltar e eu quis dizer que sim, porque a gente acredita na mudança. Em outro momento, com apenas um mês de namoro, peguei meu namorado aos beijos com outra na praça de alimentação do shopping. Olhei, sentei por perto e esperei ser vista. Peguei minhas coisas e fui embora. Ele veio atrás, pediu perdão, mandou cartões e ursos de pelúcia. Ajoelhou nos meus pés e chorou. Mas dessa vez eu estava mais forte. No mesmo dia, olhei no espelho e esperei as lágrimas cairem, achei que novamente cobraria a mim mesma mais sexo, mais beleza, mais atenção. Mas nada disso veio. No lugar, me peguei sorrindo por ter descoberto por conta própria que não fui eu quem perdeu. Quem te ama verdadeiramente e quem quer estar em um relacionamento, não tem porque trair, porque mentir. Quem quer ter vários parceiros gosta da gandaia, de festa o dia inteiro. Quem tem falta de caráter é que escolhe traição. Não é culpa nossa! Mas seria equivocado e injusto da minha parte dizer que é fácil. Escolher o amor próprio é uma decisão inicialmente desgastante e solitária. Você acha que é egoísmo, que é exagero, que é medo. Mas não é. Nós não podemos esperar que o outro nos escolha sem que a gente já não tenha nos escolhido antes. Meu conselho? Não contentem-se com ego fantasiado de amor. Saiba sempre que você merece mais, que você é mais. E se achar que não é suficiente, pegue suas coisas e vá atrás de si mesma.
—  Desconhecido.
Eu te chamei e gritei, mas você não ouviu, você estava perto e longe isso era estranho. Eu tinha você pra mim, mas não comigo.
—  Eu amo você, mas você não sabe.

eu tava analisando todos os fatos e nós nunca chegamos ao ápice da felicidade. você tinha seu jeito autoritário e insensível. eu livre e sentimental. porra os opostos não se atraem. a gente fingia ser o que não era só pra agradar o outro. e esse foi o nosso erro. não foi culpa sua, nem somente minha, a gente se pôs nessa situação. vivíamos vidas que não nos alegrava. e um belo dia houve aquela explosão. eu gritei. você gritou. nós dois choramos. tive uma crise asmática, fui medicada no hospital, você se culpou, eu te odeie por um misero instante. e ali, bem ali, naquele minuto, eu soube, não estaríamos mais juntos. 

um dia desses o telefone tocou, era seu numero, eu atendi. e a gente conversou por horas e horas. e em nenhum momento eu te quis de volta. e agora eu entendo, o nosso nós não era para durar. os opostos não se atraem e nem se completam, eles mentem, e eu não quero mais viver uma mentira.

Setembro Amarelo

Então, isso tudo é uma droga!
Todos esses problemas, todo esse vazio aqui dentro, toda essa dor que parece um buraco ácido que me corroe aos poucos e eu não consigo evitar, pois esta droga me viciou. Sim, sou viciaca em tristeza. Tenho amor pelas trevas, pois lá é onde eu consigo ficar em paz com minha angústia de estimação. Como eu já disse, isso tudo é uma droga. Quem me vê, pensa que estou ótima, as pessoas sempre correm pra mim quando estão tristes, sempre me perguntam o que fazer, sempre procuram um ombro amigo e o meu… “é o mais apropriado”, eles dizem. Não que eu esteja reclamando, é uma honra. Mas aí eu pergunto: quem me ajudará quando eu precisar? Quem estará aqui por mim quando eu não tiver motivos nenhum pra sair da cama e dar de cara com esse mundo cheio de dor e mágoa, cheio de maldade e ódio, e minha alma está tão abatida que nem falar eu consigo? Quem vai me abraçar e dizer: vai ficar tudo bem. Mesmo que não fique, mas a sensação de ter alguém por você é maravilhosa. Mas eu não tenho. Tudo que eu tenho é essa droga. Não importa o que eu faça, não há motivos pra estar bem. O mundo está em festa, e eu estou em casa, cansada e chorosa porque não há nada ou ninguém no mundo que possa me ajudar a sair desse buraco negro. Meu coração dilacerado e minha mente perturbada, estou cansada de tudo isso. “Não aguento mais” sussurrei baixinho virada pra parede. “Por que eu?” Gritei silenciosamente, mas ninguém ouviu. Da janela olhei o sol, estava tão lindo lá fora. Os pássaros cantam e encantam qualquer um que os assistam. As flores brotam, exalam tantos cheiros e eu aqui achando que não há quem ou o que me faça feliz. Ver toda aquela obra divina, me deu uma satisfação enorme que durou 30 segundos. Então parei pra pensar, e acabei percebendo que perdi tanta coisa no escuro do meu quarto, e que aquela droga só fazia mal pra mim mesmo e, olha eu aqui. Essa carga de mágoas ambulante, pulsos marcados e olhos da cor de fogo. Percebi que eu, e apenas eu poderia me salvar. Eu e apenas eu, era o suficiente para sentir alegria, eu e apenas eu, deveria ser o meu maior orgulho. Eu e apenas eu, deveria ser a razão do meu viver. Alguém lá em cima não me colocou aqui sem motivo. Problema todo mundo tem, a diferença é como cada um lida com eles. “Já cheguei até aqui, posso continuar” digo pra mim mesma toda  vez que me olho no espelho. E olha, funciona. Se eu consigo, você também consegue! Nossa luta é diária. Algumas vezes me sinto como quem quer ter uma recaída, mas logo penso: “Opa! Sai pra lá”. E tudo fica certo.
 Leidiane Alves

Eu me perdi em algum lugar.
Estou tão longe de mim.
Sinto meus ossos se separando pouco a pouco.
Eles clamam por um fim.
Eu bebi mais do que devia
Gritei tudo que estava preso dentro de mim
Agora me sinto vazio como nunca.
Porque raiva era tudo o que eu sabia sentir.
—  Guilherme

eu já te falei sobre matéria escura?

é uma parte do universo que existe, mas não emite luz

escapa à observação direta

é invisível

e mesmo assim corresponde a mais de 90% do universo


talvez entre a gente seja assim

porque há algo que fazemos ficar invisível sob todo ego:

o nosso amor sempre esteve aqui


até quando eu te gritei coisas terríveis e você me falou do meu potencial em ser cruel

e isso me fez chorar e me afastar porque

eu queria desfazer o caminho de volta

pra casa

pra você

pro nós


se eu o tivesse desfeito ali, você o refaria?

talvez o amor seja inevitável

ou talvez não

mas você me tocou como um beijo urgente que não precisa de calma

e não tivemos


faz um tempo que não temos contato

porque você disse que tudo tava indo errado

e que seguir por outro caminho era o melhor

mas eu ainda sinto esse toque além da pele

sugando qualquer tentativa de um novo caminho


“não tem medo não

eu sei, vai dar errado

a gente fica longe

a gente até se esconde

e volta a namorar depois”


eu sempre tive a mania de perder tudo, até que você me achou

e agora eu espero reencontrar você num tempo de paz

onde a minha pele vai sentir sua respiração

cadavezmaisperto

e dessa vez nada vai ser invisível.