gritei

Imagine - Liam Payne

Esse não é beeem um imagine com o Liam, mas tende mais para o lado dele… Espero que gostem! 

Pedido: Uhuuul pedidos abertos! OBRIGADA SENHOR Faz um que eles estão numa hp na casa de um dos meninos e aí eles fazem um verdade ou desafio pesadão, tipo valendo tudo! Amo seus imagines de paixão ❤ (acho que não ficou pesadão, sorry)


O barulho da música soava estridente dentro da casa de Harry.

Estávamos todos sentados juntos e por isso estava feliz e tranquila por estar acompanhada das melhores pessoas que conheci em anos.

- Hora do jogo! – Louis gritou trazendo consigo duas garrafas cheias de tequila e uma vazia de cerveja. Revirei os olhos.

- Isso é muito infantil, Louis! – Resmunguei e os meninos riram.

- Infantil, mas você adora…. – Ele arqueou a sobrancelha.

- Isso é golpe baixo. – Gritei e atirei meu copo vazio nele.

- Anda logo, mala! – Sentamos todos em círculo, no chão mesmo.

- Eu começo! – Berrei. - Por ter me chamado de mala.

Girei a garrafa e a mesma parou em mim e Louis que sorriu sacana, afinal, o bocal estava virado para ele.

- Verdade ou desafio? – Ele pergunta.

- Verdade. – Digo, já esperando pela bomba.

- É verdade que você transaria com um dos meninos? – Ele pergunta sorrindo.

- Sim. – Respondo. E era uma grande verdade.

- Com quem? – Harry praticamente grita.

- Não é a sua vez ainda. Segura esse pinto aí. – Louis o empurra e eu giro a garrafa.

Passamos mais tempo do que o normal brincado naquele joguinho idiota; tomamos doses, os meninos beijaram estranhas e até eu dei um selinho em uma loira desconhecida.

- (S/A)! – Niall berra quando eu digo “desafio”. – Eu quero que você dance para o Zayn.

As meninas que estavam com a gente na roda riram e eu fiz careta para elas.

Niall traz uma cadeira para Zayn sentar.

- Sem tocar. – Digo para Zayn.

Mexi o quadril de forma lenta acompanhando a música que tocava. Eu dançava bem próximo a ele, mas ainda sem encosta-lo. Até que suas mãos seguram minha cintura e eu me afasto dizendo que o desafio acabou.

Harry não tirava os olhos de mim e eu estava bem incomodada por causa disso.

- Finalmente! – Harry gritou quando o bocal estava virado para ele e o outro lado para mim.

- Verdade ou desafio? – Ele perguntou e mordeu os lábios. Como já estava quase bêbada e sabia que ele queria, respondi desafio. – Eu desafio você a confessar com quem quer transar.

- Com o Liam. – Vi o mesmo se afogar com a cerveja e me encarar.

- Uau. – Louis soltou. – Achava que era com o Harry.

- Achou errado. – Virei o resto de tequila que eu tinha no meu copo e girei a garrafa.

- Louis. Verdade ou desafio? – A voz de Zayn está suave, mas tem um quê de malicia.

- Desafio.

- Eu desafio você beijar a (S/A) por mais de um minuto. – Ele pega o celular. – Vamos cronometrar.

Louis me olha com cara de cachorrinho e eu me levanto, já cansamos de brincar com isso e é mais difícil achar alguém nessa festa que eu não tenha beijado, além das mulheres.

Louis agarrou minha cintura e começamos um beijo bem lento. Louis beijava bem. Conseguia acender um fogo em mim indescritível. Ele desceu as caricias para meu pescoço, pois já estávamos sem ar e o celular não havia apitado ainda. E assim que ouvimos o apito nos separamos.

Depois disso, Zayn sumiu para um quarto com uma morena – parte de um desafio – e Niall cansou de brincar por que não tinha beijado ninguém interessante.

Ficamos naquilo mais um tempo, até que ouvi o nome de Liam ser chamado e o mesmo responder desafio.

- Eu desafio você fazer a (S/A) gozar. – Harry me lançou um olhar desnecessário.

Me afoguei com minha própria saliva e todos olharam para mim.

- Eu acho que a brincadeira acabou por aqui. – Louis murmura.

- Eu vou. – Todos olharam para mim de novo.

Subimos para um dos outros quartos e, ainda no corredor, pude ouvir uma garota gemer de forma horrível.

- Você sabe que não precisamos fazer isso… – Liam começa.

- Eu sei. E por isso vamos ficar aqui por um tempo e depois vou embora.

Liam acenou e ficamos os dois deitados na cama olhando para o teto.

- Ah, que se foda! – Liam girou na minha direção e me beijou com força. - Hoje quero tornar seu desejo em uma ordem.

Liam me jogou na cama e me despiu completamente me fazendo gritar seu nome. Nada bruto, mas o carinho também não estava presente durante o ato.

Quando minha respiração ofegante se acalmou, nos vestimos e descemos para sala de novo, mas o pessoal já tinha se dispersado.

Liam seguiu para a cozinha e voltou com dois copos, me entregando um.

- Obrigada. – Resmungo levando o copo até a boca.

- Pelo que?

- Pelo melhor orgasmo da minha vida.

Disse e sai para rua.

- E então, (S/A)?! Realizada? – Louis se para ao meu lado.

- Não vejo a hora da próxima rodada.

eu tava analisando todos os fatos e nós nunca chegamos ao ápice da felicidade. você tinha seu jeito autoritário e insensível. eu livre e sentimental. porra os opostos não se atraem. a gente fingia ser o que não era só pra agradar o outro. e esse foi o nosso erro. não foi culpa sua, nem somente minha, a gente se pôs nessa situação. vivíamos vidas que não nos alegrava. e um belo dia houve aquela explosão. eu gritei. você gritou. nós dois choramos. tive uma crise asmática, fui medicada no hospital, você se culpou, eu te odeie por um misero instante. e ali, bem ali, naquele minuto, eu soube, não estaríamos mais juntos. 

um dia desses o telefone tocou, era seu numero, eu atendi. e a gente conversou por horas e horas. e em nenhum momento eu te quis de volta. e agora eu entendo, o nosso nós não era para durar. os opostos não se atraem e nem se completam, eles mentem, e eu não quero mais viver uma mentira.

Eu já fui traída. Na primeira vez, bati o pé, chorei, gritei, xinguei a mulher, dei tapas nele, me massacrei em frente ao espelho comparando nós duas. Questionei a mim mesma e me acusei de erros que nunca foram cometidos e que se foram, não deveriam servir como justificativa. Ele quis voltar e eu quis dizer que sim, porque a gente acredita na mudança. Em outro momento, com apenas um mês de namoro, peguei meu namorado aos beijos com outra na praça de alimentação do shopping. Olhei, sentei por perto e esperei ser vista. Peguei minhas coisas e fui embora. Ele veio atrás, pediu perdão, mandou cartões e ursos de pelúcia. Ajoelhou nos meus pés e chorou. Mas dessa vez eu estava mais forte. No mesmo dia, olhei no espelho e esperei as lágrimas cairem, achei que novamente cobraria a mim mesma mais sexo, mais beleza, mais atenção. Mas nada disso veio. No lugar, me peguei sorrindo por ter descoberto por conta própria que não fui eu quem perdeu. Quem te ama verdadeiramente e quem quer estar em um relacionamento, não tem porque trair, porque mentir. Quem quer ter vários parceiros gosta da gandaia, de festa o dia inteiro. Quem tem falta de caráter é que escolhe traição. Não é culpa nossa! Mas seria equivocado e injusto da minha parte dizer que é fácil. Escolher o amor próprio é uma decisão inicialmente desgastante e solitária. Você acha que é egoísmo, que é exagero, que é medo. Mas não é. Nós não podemos esperar que o outro nos escolha sem que a gente já não tenha nos escolhido antes. Meu conselho? Não contentem-se com ego fantasiado de amor. Saiba sempre que você merece mais, que você é mais. E se achar que não é suficiente, pegue suas coisas e vá atrás de si mesma.
—  Desconhecido.
Eu te chamei e gritei, mas você não ouviu, você estava perto e longe isso era estranho. Eu tinha você pra mim, mas não comigo.
—  Eu amo você, mas você não sabe.
sobre você, de novo.

corri mas não consegui te alcançar. Te abracei mas consegui te tocar. Tentei simplificar mas você complicou. Tentei entrar mas você estava trancado. Gritei mas você não ouviu. Te liguei mas você não atendeu. Eu senti saudade mas você só sentia carência. Eu quis que você ficasse mas você foi embora. Mas, mas e mas. São sempre eles. Não posso fazer nada. Você gostou de mim mas não o suficiente, não tanto quanto eu gosto de você, não o tanto que eu merecia. E então, logo eu tão profunda me vi mergulhando de cabeça em você, que é tão raso e perdi, perdi minha dignidade, meu orgulho, minha fé no amor, minha vontade de conhecer as pessoas, meu lado bom, me perdi e logo depois te perdi também. Mas como é possível perder alguém que na verdade nunca foi meu?

Falei de amor com ela e seu amor não respondeu. Gritei sentimentos e seu coração é surdo. Disse que senti saudade mas sem ti por perto é foda. Eu quis voar pro seu lado mas você voou pra longe. Eu corri por você e você correu de mim. Se nada que eu fiz te fez ficar, ficarei sozinho. Nada que eu faça me faz melhorar. Só se você voltar.
—  Manassés Pereira.
Eu gritei que queria morrer,

e riram da minha piada, como eu, toda dona de mim, a razão dos risos as sete da manhã e das conversas as 3 da madrugada, seria capaz de morrer. Não é normal uma mulher de 21 anos, cheia de vida, maquiada, sorriso largo e dentes brancos, querer morrer, aliás, não é normal ela gritar que quer  morrer. Mas a ingenuidade já matou tanta gente, se as pessoas levassem a sério as lágrimas escondidas, os sorrisos forçados, se as pessoas percebessem o abismo que assola tanta gente escondido a taxa de suicídio iria cair bruscamente, é falta de cuidado, falta de amor, falta de “fica mais um pouco”, porque esse pouco é o suficiente para o apertar do gatilho, o esvaziar de uma cartela de comprimidos, o pular da janela de algum prédio qualquer. Olhem mais nos olhos, sintam o que as palavras escondem, faça um elogio, de um abraço forte, uma flor, uma canção. Salve uma vida. 

Você simplesmente fechou a porta e saiu.
 E o que eu poderia fazer ? Eu entendo, você não queria ir, mas eu sabia que você não suportaria mais, você  já havia me dito isso tantas vezes, e que tipo de pessoa seria eu se te obrigasse a ficar Charlie ? Eu não poderia fazer nada e você sabia disso.
Escutei seus passos, um de cada vez, me quebrando aos poucos, eu queria abrir aquela maldita porta e correr até você, mas já era tarde, você já tinha ido embora.
E então depois do choque eu gritei Charlie, eu gritei como se a minha vida dependesse disso, mas não adiantaria mais.
Nunca pensei que você iria embora daquela maneira Charlie, depois de tudo que passamos, mas no final o que poderíamos fazer ?
Alguns amores não foram feitos para acontecer, apenas para existir, e esse foi o nosso.
Me perdoe Charlie se eu fui tão covarde ao ponto de não te dizer a verdade, pois não fui capaz.

- Com amor Bells

— 

Cartas dos Desamores

quis te guardar
te proteger de toda a maldade do mundo, de todas as notícias ruins, de toda a crueldade que passa no jornal, de todo o caos existente
eu poderia ter te coberto com a minha própria pele 
eu quis abraçar tudo o que você é

eu me encantei com teu jeito de sorrir
e não pensei na destruição que ele poderia causar
como um sorriso tão inocente fazer isso comigo?

eu bato na porta
eu te peço
eu te imploro
eu te suplico
eu te amo
mas você não me deixa entrar

tu realmente foi um campo minado 
e eu tive tanto medo de ir mas fui
eu aceitei todas as bombas 
e implodi
tentando me recuperar da explosão que você causou
eu gritei seu nome na porta
mas você não me deixou entrar

você nem quis me ouvir
eu poderia te dizer coisas bonitas
por que é tudo o que eu tinha
tuas palavras me cortaram a alma
talvez você não tivesse nada melhor pra dar

eu te pedi
eu te implorei
eu te supliquei
eu te amo
mas você não me deixou entrar

os nós dos meus dedos doem de tanto bater na tua porta, acho que vou procurar morada em casas diferentes.

Tem coisas que ninguém observa, não ouvem, fogem do assunto. Quando eu digo que vai ficar tudo bem, você ainda me diz que quer acabar com sua vida. Você pede socorro e eu aguento firme para não desabar junto. Ando tão desgastada pelo esforço em vão. Fecho os olhos por instantes e é como se eu desaparecesse, como se despencasse no mesmo abismo. O único jeito para fugir é deixar ir aos poucos. É um dia difícil para pensar ou dizer algo, às vezes as coisas parecem injustas. Você sabe. E os dias estão desprezíveis. Pelo menos pra mim. Eu costumava ouvir músicas, escrever o mundo e o fundo numa folha de caderno, ficar sentada sentindo minha respiração pausadamente, enquanto tudo estava desmoronando, gostava de ler poesia. Coisas pra acalmar o desespero. Limpei minha aura. Minha calma. Minha alma. Mas, pra ser sincera, eu nunca me senti segura. Nem mesmo com você. Acho que tirei uma folga de quem eu era e nesse meio tempo, algo continuou enclausurado dentro de mim. Parecia melhor, mais saudável. Não falei. Doeu. Não gritei. Doeu. Segurei o choro. Doeu. Não pedi reforços. Doeu. Afastei todos de mim. Doeu. Tentei ser forte. Doeu. E quer saber? Foi melhor assim. Havia momentos em que, até uma resposta mal dada me magoava entende? Minhas lágrimas caíam frequentemente. Nunca fui tão compassiva assim. Cheguei a ficar assombrada com lembranças que me deixava frágil. Nem sempre fui forte. É bom constar que estou me reinventando. Dar passos leves e certeiros. Quero descobrir o que tem no final do arco-íris. Ouvir palavras doces. Esquecer meu universo de solidão. Esquecer àqueles pensamentos enquanto estou só no quarto, isolada. Há um mundo lá fora para ser explorado, eu só quero uma companhia. Alguém que não desista de mim em tempos difíceis. Em tempos em que, eu serei a tempestade a ser acalmada. A vida é feitas de escolhas, não é o que dizem? Grave essas palavras: eu escolheria você. Mesmo tudo não parecendo dar certo entre nós. O fato é esse, você não é a pessoa mais incrível do mundo. Você tem defeitos. Falhas corrigíveis. Eu também. Mas, tenho sorte por você ainda não ter desistido de mim. Mesmo eu estando dissolvida. Só que, volta e meia, a vida cutuca meu ombro me avisando que não faço jus a ter alguém. Esse é o problema. Porque eu quero você. Eu quero te dar o melhor de mim. Porque no fundo, você me faz ser boa. E eu preciso ver você feliz. Reabre a porta para a minha paz entrar. Afogue-se em mim. Porque eu preciso mergulhar em você.
—  Máh Soares.
nota 01

e dói, e vai doendo, até onde não puder doer mais. e eu sinto um cansaço excessivo o tempo todo, minha mente está cansada de rever cada parte do teu corpo, cada palavra que saiu da tua boca, cada olhar enganador que você me deu. e cada choro agonizado meu, do qual nunca soubesses. você nunca soube que eu sofri demais com essa perda de você, eu gritei em silêncio, mas ninguém me socorreu. e eu morro todos os dias, em cada trago que dou tentando te arrancar de mim, e assim me perco mas uma vez em você.