grandinho

Desisti. E isso é a coisa mais triste que tenho a dizer. A coisa mais triste que já me aconteceu. Eu simplesmente desisti. Não brigo mais com a vida, não quero entender nada. Vou nos lugares, vejo a opinião de todo mundo, coisas que acho deprê, outras que quero somar, mas as deixo lá. Deixo tudo lá. Não mexo em nada. Não quero. Odeio as frases em inglês mas o tempo todo penso “I don’t care”. Me nego a brigar. Pra quê? Passei uma vida sendo a irritadinha, a que queria tudo do seu jeito. Amor só é amor se for assim. Sotaque tem que ser assim. Comer tem que ser assim. Dirigir, trabalhar, dormir, respirar. E eu seguia brigando. Querendo o mundo do meu jeito. Na minha hora. Querendo consertar a fome do mundo e o restaurante brega. Agora, não quero mais nada. De verdade. Não vejo o que é feio e o que é bonito. Não ligo se a faca tirar uma lasca do meu dedo na hora de cortar a maça. Não ligo pra dor. Pro sangue. Pro desfecho da novela. Se o trânsito parou, não buzino. Se o brinco foi pelo ralo, foda-se. Deixa assim. A vida é assim. Não brigo mais. Não quero arrumar, tentar, me vingar, não quero segunda chance, não quero ganhar, não quero vencer, não quero a última palavra, a explicação, a mudança, a luta, o jeito. Eu quero não sentir. Quero ver a vida em volta, sem sentir nada. Quero ter uma emoção paralítica. Só rir de leve e superficialmente. Do que tiver muita graça. E talvez escorrer uma lágrima para o que for insuportável. Nada pessoal. Algo tipo fantoche, alguém que enfie a mão por dentro de mim, vez ou outra, e me cause um movimento qualquer. Quero não sentir mais porra nenhuma. Só não sou uma suicida em potencial porque ser fria me causa alguma curiosidade. O mundo me viu descabelar, agora vai me ver dormir. Eu quis tanto ser feliz. Tanto. Chegava a ser arrogante. Tanta coisa dentro do peito. Tanta vida. Tanta coisa que só afugenta a tudo e a todos. Ninguém dá conta do saco sem fundo de quem devora o mundo e ainda assim não basta. Ninguém dá conta e quer saber? Nem eu. Chega. Não quero mais ser feliz. Nem triste. Nem nada. Eu quis muito mandar na vida. Agora, nem chego a ser mandada por ela. Eu simplesmente me recuso a repassar a história, seja ela qual for, pela milésima vez. Deixa a vida ser como é. Desde que eu continue dormindo. Ser invisível, meu grande pavor, ganhou finalmente uma grande desimportância. Quase um alivio. I don’t care.
—  Tati Bernardi
Nunca acreditei firmemente quando lia ou ouvia em algum lugar: “amor acaba” e “amor morre”. Amor não acaba. Se eu te encontrar daqui a dez anos, sendo que não haverá nenhum tipo de contato durante esse período, eu ainda sim vou te olhar e pensar: “poderia ter sido diferente”. Isso não é superar, eu sei. Isso é lembrar, é ter saudade, é sentir falta quando sei que não vai voltar, é querer voltar no tempo pra ver o que fizemos de tão errado pra poder consertar. Então eu disse e repito: amor não acaba. Eu sei que ele sempre vai tá em algum lugarzinho aqui dentro, intacto, mesmo que até eu desconfie que ele já decidiu ir embora. Se outro dia eu te encontrasse na fila do supermercado e permanecesse indiferente, não ficaria feliz em pensar que o amor resolveu ir, mas sim por descobrir que ele nunca chegou habitar em mim por você. Também acredito ser uma grande bobagem dizer que amor morre. Se eu sentisse que algo morreu dentro de mim, diria que morreu aquela importância e preocupação, aquela vontade de tá junto, aquele pensamento em alguém durante quase 24 horas por dia e aquele carinho só porque alguém me fazia bem, não o amor, longe disso. Mas eu te conheço tão bem, ou conhecia, acho mesmo que nem conheço mais. E sim, eu amava cada pedacinho teu. Amava, não porque tenha acabado ou morrido, mas porque eu amava o que você era. Claro que eu sinto saudade, mas não significa que eu queira e consiga amar o teu novo eu, quando eu já pude amar o que você deixou de ser. E mesmo mal te conhecendo agora, esse sentimento vai continuar aqui, mas de uma forma diferente, eu sei. E é exatamente por isso que eu digo que amor não acaba e nem morre, mas pode mudar de forma. O sentimento que te sufoca agora pode não ser amor e logo isso acaba. Passa! E se for amor, acredite, você supera só pelo fato de saber que outra pessoa pode aparecer, mas nunca, em hipótese alguma vai conhecer e poder chamar de “meu” aquele alguém que você conheceu antes. Ele é complicado. Às vezes realmente parece que vai nos enlouquecendo aos poucos. Ele vai tirando cada gotinha de cada coisa boa pra sobreviver, e se, ainda sim as coisas boas não bastarem, amor vira dor pra não virar fim.
— 

Amor não acaba e nem morre, mas pode mudar de forma. - Talita Melo - (TM)

Capítulo 63: Despedida de solteiro - Parte III

*Chay narrando 

Chay: Então vocês seguiram a gente?  

Mel: Ué claro, você achou mesmo que eu ia deixar meu noivo solto por ali, abandonado numa despedida de solteiro, fazendo não sei o que com uma mulherzinha qualquer?! Ata.. -Dei um selinho nela- 

Arthur: Mas vou te falar hein.. Cês tão um arraso papai do céu! - Lua e Mel sorriram uma pra outra poderosas- 

Chay: O cara que vai casar com você é muito sortudo sabia? -A puxei pela cintura- 

Mel: É mesmo? Por que? -Olhou em meus olhos- 

Chay: Por que ele vai casar com a princesa mais linda desse mundo. -Nos olhamos com os olhos brilhando, sorrindo…- 

Arthur: Vou pedir um champanhe! -Lua foi com ele ao telefone pedir e ficamos só eu e ela no quarto- 

Chay: Mal posso esperar pro nosso casamento..  

Mel: É amanhã, Nem falta muito.. -Sorriu pra mim- 

Chay: Eu fico imaginando você naquele vestido branco, lindo, vindo até a mim com o sorriso mais lindo sobre aquele tapete.. -Suspirei- 

Mel: Vai ser o dia mais feliz da minha vida.. -Ela me olhou toda meiga com os olhos já com lágrimas- 

Ela chegou mais perto de mim.. Nossos corpos estavam colados.. Ela sorriu pra mim com os olhos fechados e me deu um selinho, com aqueles olhos brilhando dentro dos meus. Me deu um beijinho calmo no nariz, sorrindo. Eu puxei seu lábio inferior a correspondendo e ela agarrou em meu cabelo bem forte, começando um beijo quente. Nossas línguas faziam o movimento perfeito, se movimentando juntamente, com calor.. Paramos o beijo com a respiração ofegante, sorrindo..  

Arthur: Epaa! Chegamos casal!  -Sorrimos pra eles, abraçadinhos- 

Chay: Vamos fazer um brinde.  

Arthur: Ao casamento! 

Chay: As gatas mais lindas desse mundo! -Nós quatros brindados felizes- Amor, eu vou tomar um banho, cê vem?  

Mel: Você quer que eu tome banho ou…  

Chay: Ai linda, vem logo! -Eu a puxei rápido pra dentro do banheiro- 

Ela entrou primeiro e foi logo colocando produtos na banheira de hidromassagem.. Fiquei olhando aquela bunda perfeita, sorrindo bobo..  Ela se virou e me encarou com um olhar sexy. 

Lua: Olha a sacanagem ai hein! Vai da pra ouvir daqui de fora, casal fogueira! -Ela deu umas batidinhas na porta, falando alto. Eu e Mel começamos a rir descontroladamente, abraçados- 

Ela começou a tirar a roupa lentamente sorrindo pra mim.. Foi deslizando aquela roupa preta devagar sobre seu corpo..  

Chay: Melanie.. Aii vem cá! -Eu a puxei fortemente e ela começou a tirar minha roupa devagar.. sorrindo pra mim- 

Nós entramos na banheira e ficamos lá meio deitados, abraçadinhos.. Ela entrelaçou suas pernas nas minhas..

Mel: Ai príncipe, eu nem acredito que a gente vai se casar amanhã, e tô estou aqui com você numa banheira de hotel.. -Ela olhou pra mim sorrindo- 

Chay: Pior se fosse com um Rodrigão da vida, ou seu amante..  

Mel: Quem disse que eu tenho um? Eu vou casar amanhã menino, e com o homem da minha vida.. -Eu passei a mão sobre seu rosto e nos beijamos intensamente- 

Chay: O homem da sua vida? Nossa é tudo isso? -Eu comecei a me achar com o nariz empinado- 

Mel: Por que? Eu não sou a mulher da sua vida?  

Chay: Bem.. Vejamos..  

Mel: O que? Ahh não acredito.. -Ela meio que se levantou da banheira indignada- 

Chay: Ei! -Eu tentei pegá-la mas ela foi mais rápida e ficou na outra ponta da banheira, com os braços cruzados, bufando.- 

Eu fui chegando mais perto dela e ela ia se esquivando, bravinha.. Quando cheguei mais perto ainda ela começou a tacar água em mim sem parar. 

Mel: Eu não sou a mulher da sua vida, né cachorro? Não sou né? -Ela tacava água mais e mais e eu rindo com os olhos fechados- 

Abri meus olhos e segurei em seus braço a fazendo parar. 

Chay: Minha bravinha, minha linda, minha princesa, minha gata, minha onça, minha, só minha.. Você é mais que a mulher da minha vida Melanie -Eu sorri e ela simplesmente derreteu toda meiga- 

Eu a deitei um pouco sobre a banheira e comecei a beijar seus lábios carnudos e descendo levemente entre seus seios, os chupando devagar. Ela arqueou a cabeça e eu me senti poderoso a encarando. Ela mordeu o lóbulo da minha orelha sorrindo.. Eu a levantei um pouco segurando em seu quadril e ela se virou por cima de mim, ficando sobre o comando. 

Mel: Vamos brincar um pouquinho, vamos? -Ela deslizou sua mão desde meu abdômen até meu membro, segurando com força, fazendo movimentos rápidos, me fazendo ficar maluco. 

Chay: Minha vez.. -Eu fiquei por cima dela e comecei com movimentos lentos em sua intimidade, massageando seu clitóris devagar, a torturando.. Ela soltava uns gemidos afobados e eu continuava, sorrindo.. Nós dois fechamos os olhos e de repente escutamos um barulho na porta. Lua e Arthur entraram com um extintor na mão, com uma cara medonha. 

Mel: Não Lua, pelo amor de Deus não!  

Lua não respondeu e ‘soltou a mão’, saindo aquele jato de ar na gente. Começamos a tossir sem parar e eu fiquei meio sem ver nada, não consegui achar a Mel. Sai da banheira e vi meu calção de banho, coloquei e fui atrás da Mel. 

Chay: PARA ARTHUR PORRA! MEL CADÊ VOCÊ?? -Achei a Mel que estava tossindo também, a levantei e ela se apoiou sobre meu ombro- 

Mel: Porra Lua Maria! Cacete precisava isso?  

Lua: O que? Só isso pra apagar o fogo de vocês.. Dava pra escutar os “Ohhh Mel.. Ohhh Chay.. Isso.. Isso..” Lá fora sabia? -Eles começaram a rir descontroladamente- 

Mel: Ahh vai se ferrar Lua! -Eu os expulsei, empurrando a Lua- Vai vaza daqui! -Eles saíram imitando gemidos, nos zuando-

camren

oi gente!!! estava com saudades de fazer esses posts grandinhos de camren. alguns icons são montagens delas juntas, outros não. deem like pra eu saber se vocês gostam ou não desse tipo de post. xoxo <3

headers (bônus)

(original)

image

(original)

(original)

(original)

(original)

(original)

(original)

(original)

(original)

image

(original)

© @DINAHXJANZ ou like

Então, ele tem aquele sorriso, sabe? Aquele sorriso me mata! Ilumina toda minha alma, e me purifica. Ah, ele também tem aquela voz doce e aquela risada boba, tem aqueles gestos infantis e aquelas atitudes de homem. Tipo, ele abre a porta pra mim, beija minha testa e minha mão, e faz isso do nada. Ele olha pra minha boca enquanto eu falo e sorri fechando os olhinhos, quando eu sorrio pra ele.
Me sinto tão pequena e tão menininha perto dele, mas ao mesmo tempo me sinto segura.
Já mencionei o abraço dele? É tão quentinho e tão aconchegante, melhor que meu cobertor favorito. Ele me prende com força e com jeitinho, e eu morreria se ele não me beijasse quando eu estivesse a ponto de puf, me desintegrar.
Ah, é isso! O beijo dele. Não sei descrever beijos, mas imagine a melhor comida do mundo e imagine como você gosta dela. Imaginou? O beijo dele é o melhor beijo do mundo, e eu gosto muito dele.
Ele já é lindo, até que um dia ele apareceu de moletom e eu quis tirar infinitas fotos dele assim, ele fica lindo de moletom. Acho que nunca o vi de preto, mas acho que ele ficaria lindo, pois ele tem a pele pálida… Ficaria lindo também com uns chupões abaixo do pescoço também. Ficaria ainda mais lindo (como se fosse possível) com uma aliança que tivesse meu nome gravado.
Ele é o paraíso. Ele é a perdição e o encontro. Ele é choro e riso, paz e guerra. Ele é aquele tudo que todo mundo sente falta e precisa.
Ele é único, e me sinto sortuda por ter esse único só para mim.
—  Olha só, moreno. 
2

Micael narrando.

Acordei pela manhã, e passei minhas mãos pela cama. Ela já não estava ali, corri meus olhos pelo quarto e avistei Chay colocando sua calça. Tampei meus olhos para não ter uma visão daquilo, e troquei de lado na cama.

- A bela adormecida resolveu acordar? – Chay perguntou, e continuei encarando outro canto do quarto.

- Você já tá vestido? – Perguntei, e Chay riu.

- Claro, por que você viu alguma coisa? – Chay perguntou, não conseguindo parar de rir.

- Não, claro que não. – Disse, e percebi que minha voz ainda estava meio rouca.

- Eu vou pra cantina, quer que eu te espere? – Chay perguntou, amarrando o cadarço do tênis.

- Não. – Disse, e me levantei da cama. – Tenho que tomar banho, ainda… – Cocei os olhos, e Chay começou a rir daquela cena.

- Você dorme de cueca agora, é? – Chay não conseguia parar de rir, e eu me encarei.

- Estava calor. – Tentei justificar, antes de procurar minha camisa pelo quarto, junto com minha calça, que na verdade, eram de Chay. – São suas. – Joguei as peças de roupa para Chay e me dirigi até o banheiro.

- Quem dormiu aqui contigo ontem, Micael? – Chay perguntou, quando eu já estava na porta do banheiro.

- Um espírito. – Disse e entrei no banheiro, rindo. Era a verdade, eu tinha dito a verdade para Chay, mas isso soou tão irônico…

Tomei meu banho, coloquei minha roupa e arrumei meu cabelo, estava pronto, mas não tinha nenhuma noticia de Sophia. Arrumei minhas coisas e saí de meu quarto, partindo para a cantina.

Sophia narrando.

Micael estava seguindo para suas aulas, por mais que eu tivesse muito ciúme de Laura, pararia de o seguir para todos os lados. Ele tinha razão, eu estava amando saber tudo que ele fazia, mas deixei disso, afinal, confiava muito em Micael, e sempre confiaria. Olhei pelo quarto, procurando alguma coisa para fazer, mas nada me interessava. Liguei a televisão, mas depois a desliguei, ao não ter nada de interessante, além de desgraças publicadas em jornais, programas de fofocas de celebridades, e novelas com um péssimo enredo. Andei pelo quarto, sentei no tapete italiano, que era vermelho cor de fogo, abracei minhas próprias pernas, e repousei minha cabeça ali. Não queria que elas viessem, mas eram mais fortes que eu… Lembranças.

Era o baile de iniciação da escola, era uma novata naquela escola. Mel era minha companheira de quarto, e ainda não tinha amigos. Só sabia que desde o primeiro dia que tinha pisado naquela escola, tudo que queria fazer era cumprir logo a minha missão. Micael, não tirava os olhos de mim, o que era ótimo. Seria curta e breve, logo aquela missão acabaria e eu iria para Malibu, e desfrutaria de todo o luxo possível.

- Não acredito que você é capaz de desprezar, Micael Borges! – Melanie disse, rindo alto, enquanto estávamos pedindo nossas bebidas sentadas num daqueles bancos altos de bar.

- Para mim, Micael é só mais um garoto. – Disse e dei um gole em minha bebida. Não era alcoólica, porque eu não gostava muito de beber. Era um refrigerante, uma soda, para ser mais especifica.

- Ele não é só mais um garoto… – Mel discordou de minha opinião, e riu baixo. – Ele é Micael Borges… Micael Leandro de Farias Borges. – Mel sabia muito sobre Micael, na verdade, todas as meninas daquele colégio sabiam demais sobre Micael, mal sabiam as coitadas, que eu sabia muito mais.

- Ok… Ele é Micael Borges. – Resolvi, ceder. – Mas, e daí? Tem tanto cara mais interessante que esse tal Micael. – Disse, e desci do banco alto. Mel me seguiu, enquanto passávamos pela pista de dança.

- Dá uma olhada… – Mel pediu, e puxou meu rosto com as mãos. – Ele é Micael Borges… – Micael estava parado, conversando com Chay, enquanto muitas garotas o bajulavam. Simplesmente, patético.

- Mel, pra mim ele é apenas mais um. – Fui fria e sai de onde estava, andando pela pista de dança, senti alguém puxar meu braço, e eu achei que fosse Melanie. – Mel, eu já… – Ia dizendo, quando me virei e percebi que seus grandes, e lindos, olhos castanhos me fitavam.

- Não sou a Mel, sou um pouco mais bonito que ela… – Ele disse, sorrindo. Seu sorriso era lindo, e desde aquela época, achava isso.

- Pode me soltar, por favor? – Pedi, tentando puxar meu braço, e ele me soltou com toda a delicadeza do mundo. – Obrigado. – Disse, e o encarei. – O que você quer comigo?

- Sophia… Por que você me odeia tanto? – Ele perguntou, sendo absolutamente sincero, percebia aquilo em seus olhos.

- Eu não te odeio, Micael. – Disse, e arrumei meu vestido. – Eu só não te bajulo igual á todas as outras… Que, aliás, vão me odiar por estar trocando algumas palavras com o cara mais disputado de toda a escola. – Disse, sendo irônica e me virando para sair. Ele me puxou novamente, e eu o encarei. – O que você quer?

- Você não respondeu minha pergunta. – Ele disse, sério. – Você me despreza á todo instante…

- Olha, Micael, eu não te desprezo. Eu só não te conheço, tá bom? Não vou ficar igual á todas essas oferecidas que ficam te bajulando. – Disse, e ele riu.

- Você é incrível. – Ele disse, e seus olhos ganharam um brilho especial, e em seguida seu sorriso, lindo, apareceu.

- O que você sabe sobre mim? – Perguntei, e ele prendeu seus olhos nos meus.

- Só sei que desde que eu te vi, não te tiro da minha mente… Não sei muita coisa sobre você, e eu queria saber… Queria te entender, queria te ter. – Ele disse e eu paralisei. – Como você disse tem milhares de garotas correndo atrás de mim, mas, até hoje, só você me despertou atenção… – Ele continuava falando àquelas coisas que qualquer menina gostaria de ouvir, menos eu, não naquele momento, não naquelas circunstancias. – Esse seu jeito decidido, me despertou a atenção, desde a primeira vez que a gente se viu, e… Teve aquela situação toda. Eu gosto de você, gosto de verdade. – Micael sorriu, e eu perdi meu chão. O tratava tão mal, mas… Ele gostava de mim, gostava de verdade. Podia perceber isso em seus olhos, ele realmente se sentia atraído por mim, e por mais que eu não quisesse, e também, não pudesse admitir, também me sentia assim por ele. Não, Micael, não!

- Tá, e daí? – Liguei-me em meu modo “não me importa o que você diga, irei te tratar mal, muito mal”. – O que você quer que eu faça? Quer que eu saia daqui e te dê um mega abraço, dizendo que você é meu chão, minha vida, meu ar? – Perguntei, ainda no modo automático. Micael ia desfazendo o sorriso aos poucos, o que acabou comigo.

- Desculpa, Sophia, nunca quis te causar nenhuma coisa desse tipo. – Micael disse, e abaixou a cabeça, envergonhado, saindo daquele lugar, sendo observado por todos. Eu estava me sentindo mal, muito mal.

- Pegou pesado. – Mel puxou meu braço, me encarando. Ela voltou para o bar, e Chay foi até mim.

- Não precisava disso tudo. – Ele disse, e sai correndo pela porta do salão. Precisava encontrar Micael.

Saí do salão e cheguei até o jardim. Micael estava sentado na grama, abraçando suas pernas, e olhando para a lua. Era noite de lua cheia.

- Micael. – O chamei, e ele olhou para mim, abaixando o olhar. – Sinto muito. – Disse, com uma voz amena. Por que eu estava fazendo aquilo?

- Você tem razão em não querer nada comigo… Eu sou metido, frio, ignorante, acha que tem tudo o que quer, e assim pode manipular os outros… – Por que ele estava falando daquele jeito? Droga! Pare, Micael. Você é perfeito.

- Apenas me desculpe, você não é nada do que pensa, e também não é nada que eu penso, mas eu não me importo… Eu quero te conhecer, eu quero parar de te julgar, e ninguém nunca fez o que você fez por mim… Obrigado. – Disse, e ele se levantou da grama, ficando de frente para mim.

- Ainda há uma chance de recomeço? – Ele perguntou, me olhando firmemente.

- Não. – Disse, firme e ele olhou para baixo. – Ei. – Levantei seu queixo, que estava na direção do chão. – Você não fez absolutamente nada de errado. Levante essa cabeça! – O olhei, e ele prendeu seus olhos em mim. ‘Me beije’, pedi em minha mente, enquanto também prendia meus olhos nele. – Apenas… – Me aproximei dele. – Apenas me beije. – Pedi, e assim ele fez, sem contestar, sem questionar. Aquele foi nosso primeiro beijo, e não estava me aproximando dele para cumprir a maldita missão e sim porque eu gostava dele, ou eu estava tão louca para ir para Malibu?

- Por que? – Ele perguntou ao final do beijo, e eu ri, tímida. Tinha sido meu primeiro beijo.

- Porque você é incrível. – Pisquei, e ele riu, entrelaçando nossas mãos.

- Não! – Gritei, interrompendo as lembranças que estava tendo. Não queria me lembrar daquilo, queria me livrar daquilo para sempre. Amava Micael, muito, e sabia disso, mas, Deus! Era culpa que eu sentia… Não quero sentir culpa, por favor, tire essa culpa de mim! – Pedi, me jogando no tapete do quarto, fechando os olhos e esperando que adormecesse. O que não aconteceu, mas eu continuei lá, jogada no chão daquele quarto, tentando achar um jeito de parar de ficar tão culpada assim. Mas, não tinha jeito. Nunca teria jeito, as lembranças voltariam, sempre, e o sentimento de culpa também… Seria sempre assim.


*comentários?

Eis que apareci.

Eu sei, eu disse que ia vir aqui ontem à noite e furei mas eu tenho meus motivos e eles são relacionados à minha saúde! Mas acho que isso já é irrelevante para nós, vamos ao que interessa?

Tenho três coisas pra dizer:

  1. Nós vamos mudar a forma de checar a atividade. Por quê? Simples. É extremamente estressante ir na ask de cada pessoa pedir encarecidamente pra que ela dê um sinal de vida. Por isso, daqui pra frente teremos activity check que é uma forma bem mais simples. Além que se alguém conhecer as pessoas que estiverem sobre aviso, podem comunicá-las e etc. E, vocês poderão saber quem são as pessoas que estão de hiatus. Isso será feito a cada três semanas (vai continuar a mesma validade). Todos cientes? Espero que sim. 
  2. A partir desse exato momento, nós da SHSA teremos um blog de conexões. O que é um blog de conexões, Thata? Eu explico. Você está querendo um plot mas já não tem pra quem pedir ou outro motivo? Seus problemas podem acabar com esse blog, meu amigo(a)! Pois aqui, vocês podem pedir por plots e quem se interessar por ele, pode contactar você para desenvolvê-lo. Além de plots, vocês podem pedir por novos chars. Exemplo: na ficha do seu personagem tem algum amigo de infância que você adoraria que tivesse no rpg. Aí vai entrar o blog, entenderam? Claro que não é algo instantâneo, isso depende se alguém se interessar, mas tenho certeza que já é um ótimo começo! Quando vocês tiverem acesso ao blog, poderão saber mais sobre ele porque deixei tudo explicado, entretanto, se ainda tiverem dúvidas, podem perguntar à vontade.
  3. Pro post não ficar maior do que está, vou fazer o terceiro aviso em outro, então aguardem mais alguns minutinhos!
Cansei de ser brinquedo de alguém que está grandinho demais para pensar em brincar.
—  Autor desconhecido
Hoje eu percebo o quão diferente eu me tornei, depois que você decidiu embora e deixar esse rombo infinito aqui dentro. Tive que mudar as coisas de lugar pra não parecer tanto que algo fazia falta nesse lar. Parei de ouvir as musicas que eu sempre ouvia e pam, vinha você na mente, deixei de frenquentar o nosso barzinho favorito, que por loucura antes de nos conhecermos já era meu favorito, não vi mais minhas séries preferidas por não ter você pra comentar sobre, fiz novos ciclos de amigos. Exclui minhas redes sociais, porque eu sei bem que se eu mantivesse você nelas eu ia ficar igual uma paranóica da vida procurando saber se você já seguiu em frente ou tá igual a mim, não quis te bloquear ou te excluir, acho tão coisa de adolescente, já somos grandinhos pra isso. Demorei muito tempo trocando tudo de lugar, formatando os que tinha que ser formatado e jogando tudo o que foi quebrado fora de uma vez da minha vida. E olha, como dói, uma facada na alma. Nunca imaginei, que quando um amor acaba causasse infinita dor. Queria que esse amor fosse igual ipê, florescesse quando parecesse morrer. Mas infelizmente, foi igual uma rosa, linda em seu esplendor, depois murcha e por final morta. Reclamam o tempo inteiro que eu não sou mais a mesma menininha com sentimentos tolos de adolescente, mas quero ver experimentar perder um amor e continuar a mesma pessoa e até mesmo pensar da mesma forma de antes, pago pra ver. Queria de alguma forma de sei lá, mostrar pras pessoas que eu não fiquei tão mal assim, que esse fim me fez melhor, mais madura e mais mulher. Desvelo, encanto, amor, cuidado, apego, desencanto e cada um pro seu canto. Gradativamente e dolorosamente. Eu realmente não queria isso, bati o pé no chão, esperneei, mas como já foi dito “se for é porque nunca te pertenceu” e me conformei. E como tudo na vida passa e tudo está fadado ao esquecimento, a dor passou e ufa achei que não passaria. Mas se o esquecimento for realmente o nosso destino, eu quero cravar essas palavras, obrigada por me ter feito alguém melhor que antes, a dor muda e faz amadurecer as pessoas.
—  Sem ressentimentos.
Não deu? Falô! Não quer? Fechô! Como diz Flora Matos “se você não quer tem quem queira”. Nada de correr atrás. Sem ceninha de humilhação, eu não nasci pra ser pano de chão e ninguém vai me pisar. Se me quer amor? Vem cá! Vou te cuidar, vim pra sua vida melhorar… Mas não quer amor? Vai indo, esse mundo é grandinho melhor do que você tem muitos rapá!
—  Cicatrizando
Fic Brutinha - Amor sem Fim - capítulo 32 - Encontros

Capítulo 32 A vida é uma arte de encontros!!
23/11/2013 23:56

Passaram 3 meses.. Os gemeos da Ju estavam lindos e grandinhos.. A Martha e Olavo pra ajudar.. Contrataram uma baba p ajudar a Ju em casa e para ja ir se adaptando com as crianças quando a Ju voltasse a faculdade e ao trabalho. Rapidinho ela ficou magrinha de novo.. Primeiro pq a amamentaçao ajudou na hora de perder peso.. Segundo.. Com dois em casa é trabalho dobrado, gastava bastante energia..

A Isa ja estava com 2 anos e 10 meses.. Fralda agora so pra dormir.. Ela pedia e ia direitinho ao banheiro..
Ja a Lia.. Estava em plenos preparativos para ir representar a Citrus la nos EUA/Miami. A Rita e o Fera iam com ela.. A Rita estava fazendo faculdade de linguas e tbm tinha sido contratada pela Citrus.. Iam precisar muito dela futuramente e agora na hora desta nova e grande expansao da agencia.. Para o Fera seria a oportunidade impar de fazer um curso e aprimorar o ingles, na volta ele voltaria a faculdade de Educaçao Fisica. E ganhar uma super grana como personal trainer!! Alias, ele ja estava no ramo.. A Fatinha, Bruno, e a galera q n tinham tempo de malhar.. Faziam aulas com ele.
A Lia, Rita e Fera iam viajar em abril, uma semana depois do aniversario da Isa, q este ano sera numa casa de festa. Os gemeos ja estarao com 5 meses. Os filhos da Ju nasceram em Novembro (Colocando datas para nao confundir depois, acho q nao tinha feito isso, ainda, rsrsrs). A Tata q andava chorosa!!

Tata: - Poxa 1 ano é muita coisa!! Ainda é em outro continente!!

Lia: - Prometo entrar todo dia na sky pra falar com vc!

Tata: - Nao é a mesma coisa!!

Lorenzo: - Filha, chegando as ferias nos vamos la ficar com a sua irma.. E que tal um passeio pela Disney!

Foi falar nisso e a Tata ficou toda animada!!

Tata: - Jura, pai?? Serio mesmo??

Lorenzo: - Nao vamos precisar pagar uma locaçao, vamos ficar com a sua irma, so vamos pagar o hotel de Orlando. Vou ja procurar um pacote!!

LIa: - Vou comentar disso com o Bruno.. Quem sabe ele me libera uns dias p ir com vcs??

Tata: - Ai, Julho tem q chegar logo!!

Lia: - Mas vc vai me prometer q vai ajudar o nosso irmao e a Ju com os gemeos?

Tata: - Mas eu ajudo sempre!!

Lia: - Sua bobinha, eu sei!! Mas quando vc tiver com muitas saudades minhas.. Abraça aqueles dois gostosos, pode ser??

Tata: - Ta bom! Mas ainda assim vou ficar com muitas saudades!!

Lia: - Eu tbm!! Ainda bem q a Fatinha deu a ideia de mandar o Fera e a Rita comigo.. Imaginem se eu fosse sozinha de tudo? (A Lia nem lembrava q o Dinho morava em Miami, nem estava se ligando para o fato de ir para mesma cidade.. As vezes ela lembrava.. Mas tinha se desligado e tbm, depois da segunda decepçao amorosa q teve.. Queria mais dar um tempo.. E esta viagem veio como uma luva)

Abril chegou..

A festa da Isa seria no dia seguinte.. Mas a Fatinha mandou um bolinho p escolinha para a Isa cantar parabens com os amiguinhos dela e a noite em casa so a familia.. Pais, avos, priminhos e tios.. Era sexta-feira.. E era o dia de verdade do aniversario de 3 anos da Isa. Estava falando quase corretamente.. Agora erres e outras palavrinhas ja saiam certinhas e com frases muito bem formadas. Uma ou outra saia errada mas Bruno e Fatinha faziam com q ela repetisse ate sair certo.

Bruno e Fatinha foram acordar mais cedo a linda deles!! Deram muitos beijos na mocinha deles!!

Fatinha: - Preguiçosinha da mae? Acorda aniversariante do dia!!

Bruno: - Vida minha!! Se vc nao acordar as garras do pai vai entrar em açao!!

A Isa que estava de lado virou de frente sorrindo meio com soninho ainda!! Ela agora ja dormia em caminha mas com protetores pa evitar cair no chao a noite!

O cabelinho da Isa deu uma crescidinha das boas dos dois anos ate agora com tres.. Ja estava compridinho.. E ela nao deixava cortar nem as pontinhas.. O casal deu um abraçao na filha.. Agora a Fatinha realmente estava pensando serio em ter o segundo filho.. Estava começando a sentir saudades de ter um bebezinho em casa.. Mas o q a impedia ainda era este ultimo ano de faculdade.

Bruno: - Filha, hj eu e a mamae vamos levar vc na escolinha.

Isa: - Oba!!

Fatinha: - E quem vai cantar parabens na escolinha?

Isa: - Eu, mamae!!

Bruno: - Vamos para o chuveiro minha perereca? Ficar cheirosa pq hj é o dia da nossa princesa!!

Isa levantou rapidinho!! Fatinha levaram a Isa na escolinha! Os dois tiraram o dia de folga para resolver os ultimos preparativos da festinha do dia seguinte!! No carro:

Bruno: - Nao da pra acreditar q ela esta uma mocinha, o tempo voou!

Fatinha: - Nao lembra q eu choro!! Outro dia ela estava nascendo.. Saudades de um bebezinho.. Mesmo tendo dois na familia..

Bruno: - Eu fico zoando com vc, loira.. Mas acho q realmente é melhor esperar a sua faculdade acabar!! Nossa vida ta uma loucura!!

O Bruno estacionou o carro na casa de festa para ver como estava a organizaçao deles para o dia seguinte.. A D. Vilma ia buscar com Sr. Adolfo a Isa na escolinha.. Ela viria cheia de coisas e so ela com a Isa n ia dar conta de tudo.. Mas o vo babao aceitou na hora. Eles dois, Bruno e Fatinha, ainda passariam na casa da dona q fez o bolinho da Isa da noite e os cupcakes.. Fora alguns docinhos e salgados.. Chegaram em casa e foram arrumar a mesa! Uma toalha simples, colocaram os cupcakes espalhados e o bolo com o nome da Isadora. Sem tema! Colocaram uma velinha de 3 anos. E colocaram os docinhos, tbm.. Eles sairam em seguida para comprar refrigerantes e pratinhos e copinhos..

Chegou a noite.. A campainha tocou..

Isa: - Mamae, atende a porta, eu nao consigo abrir!!

Fatinha teve que rir, ne? A Filha estava se achando!!

Fatinha: - Ja vou atender dona aniversariante!!

Era a Ju, Gil e os priminhos.. A Isa era carinhosa com eles. Sempre pegava os pezinhos pra dar beijo. E a duplinha se desmanchavam de sorrisos pra ela.. Ah! A Isa estava sendo bem educadinha por Bruno e Fatinha!!

A Ju pegou a Isa no colo e deu muitos beijos e o Gil tbm!! E deram o presente deles..

Isa: - Obrigada, dinda e dindo! (E deu outro abraço neles)

Ju: - Espero que os meus sejam educadinhos, assim!!

A Fat deixou a porta encostada pra q a Isa abrisse.. Todos chegaram e a farra boa!! A Isa ate tirou fotos segurando os priminhos.. Na hora de assoprar a velinha ela quis q repetisse umas trilhoes de vezes!! E foi risada geral! O Bruno toda hora acendia a vela!

Fatinha: - Filha, eu ja cansei de cantar parabens..

Isa: - De novooo!

Tata: - Vc ja fez ate dezoito anos com tantos parabens q ja cantamos!

Isa: - Nao fiz, nao! Mais! De novo papai!

Martha: - Voces q sao os pais q decidem.. Isa a vovo quer um pedacinho do bolo!!

Isa: - Cantar parabens de novo!! So mais uma vez!

Bruno: - Isa, so mais uma vez. Ok??

Isa: - Ok, papai!!

A Fatinha pegou a caixinha de fosforo e tirou todos os fosforos q estavam la dentro. Pq ela sabia q a Isa ia pedir de novo!! Eles cantaram parabens pela milesima vez e a Isa cansou? Nao ela pediu.. Mais!!

Rasta: - Amor do dindo! Chega, ne??

Isa: - Dindooo, so mais umazinha vez?? (Pediu fazendo charme)

Rasta: - “Umazinha vez?”, figura! ( O Rasta pegou a caixa de fosforo e mostrou p Isa q tinha acabado)

Isa: - Ah, acabou!! Mas eu quero cortar o bolo!!

Ju: - Linda da tia, mete o dedao no bolo de uma vez, toda criança faz!!

Gil: - Ju? Isso é coisa q se ensine?

Ju: - Deixa, aposto q todo mundo fez isso uma vez na vida!

Olavo: - A Ju tem razao!

So que como a Fat e o Bruno deram a pa de bolo na mao da Isa, a intençao dela foi outra!! Começou a furar o bolo como se fosse um monte de areia!

Ju: - Fatinha e Bruno, vcs sao oito ou oitenta.. Era pra ela colocar o dedinho no bolo e nao cavucar o bolo como ela esta fazendo, ne??

Toda vez q a Isa batia com a pa no bolo, espirrava e quem estava perto. Ate q o dindo Gil, teve a grande ideia de montar a bicicleta q os avos Vilma e Adolfo deram pra ela.. Ela viu e largou a pa de bolo!!

Fatinha: - Grande tio dindo, Gil!! Salvou o nosso bolinho!!

Bruno: - Antes de cortar o bolo, espera… Vou guardar de recordaçao o estrago do bolo de 3 anos da Isa!! (Bruno tirou foto de varios angulos do bolo)

Olavo: - Pago pra ver pai mais bobao!!

Logo o pessoal se despediu, o dia seguinte seria pura diversao!! Primeira festa com os amiguinhos da escola e em casa de festa!!

A manha passou tranquila, a Isa foi com os tios dindos na pracinha, a Martha foi junto pra ajudar a tomar conta dos tres.. Fatinha e Bruno ficaram acabando de fazer os saquinhos surpresas p levar p casa de festa! So isso q faltava! A roupinha da Isa ja estava passada e no cabide. A dela e do Bruno, tbm..

Bruno: - Amor, minha loira!! Muito obrigada por ter me dado a menininha mais linda deste mundo!!

Fatinha: - Meu moreno, sem sua participaçao ela nao estaria aqui.. E a vida nao ia ter a menor graça..

Bruno: - Nao teria mesmo!! Ela é o nosso encanto!!

A campainha tocou, era a Martha trazendo a Isa na hora marcada q eles pediram. Iam dar um banho e colocar ela p deitar. A Isa ainda precisava do sono da tarde p nao ficar de mau humor. Mas ela ja enrolava e inventava um monte p nao dormir. Mas como cansaram bem ela pela manha, seria mais facil. Tio Dindo Gil, colocou ela p subir muito no escorrega, no balanço , no roda roda e trepa trepa.. Cansar, foi o pedido q a Fatinha e o Bruno pediram pra eles.. Pois a Fatinha de o almoço da Isa e o Bruno em seguida colocou a baixinha na cama deles p ver desenho e ela apagou. Uma hora antes da festinha a Isa e os pais lindos estavam prontos.. A campainha tocou.. Era Gil e Ju com gemeos perguntando se eles ja estavam prontos..

Fatinha: - Oi..

Ju: - Ja estamos prontos querem alguma ajuda?

Fatinha: - Ja estamos prontos tbm!

Ju: - E a lindeza da tia dinda?

Fatinha: - Filha e Bruno, vamos??

A Isa veio correndo e parou na porta!

Isa: - To aqui mamae!!

Ju: - Nossa! Mas tem uma princesa linda, aqui!!

Gil: - Mas esta um espetaculo??

Isa: - So falta uma coisa!

Fatinha: - Ue? Oq??

Isa: - Mamae, passa batom em mim?

Bruno: - Vamos? Isa, vc nao é muito pequena pra usar batom, nao?

Isa: - Papai, eu nao sou mais pequena. Eu tenho 3 anos.. E mostrou os dedos! Pequenos sao o Be e a Marcelinha!!!

Bruno: - Nao esta mais aqui quem falou! Agora é com a sua mae!!

Fatinha: - Hj vai ser um clarinho, ta?

Isa: - Ah! Clarinho??

Fatinha: - Isa! Se nao for clarinho, nao vai colocar nada! (Fatinha falou um pouco mais seria com ela)

Isa: - Ta bom!! ( Ela sabia q apesar das brincadeiras da mae com ela, q na hora q era serio. Era mesmo!)

Fatinha pegou um rosinha, sem ser brilho e passou na boca da filha. E guardou na bolsa.

Ju: - Cunhadinha, to besta! Impressionante como ela sabe o seu tom de voz o q é serio ou nao.

Gil: - Vc sempre foi a palhaça da turma do tempo de colegio.. Mas como mae, to impressionado!! Tomara q consigamos o mesmo destes dois..

Bruno: - Ja comigo.. Ela n me leva muito a serio, nao!

Fatinha: - Leva, sim!! Quando vc fala firme, ela entende. So q vc brinca muito.. E so fala serio em ultimo caso.

Bruno: - Mas vamos q ela ta olhando tristinha pra nos! Vamos pra festa perereca do papai?

Fatinha: - Vamos minha moreninha, linda?

Isa: - Mamae?

Fatinha: - Que foi meu amor?

Isa: - Voce me ama?

Fatinha: - Mais que tudo neste mundo!!

Isa: - E qual é o tamanho do mundo?

Fatinha: - Abre o bracinho. (A Isa esticou os bracinhos..) Isso tudo e muitoooo mais q a gente nao consegue ver! Olha o do mamae. (E fez o mesmo). Muito, nao é?

Isa: - Sim, é!

Fatinha: - Eu e seu papai amamos vc tudo isso e muito mais q a gente nao pode ver! Viu sua pererequinha??

Isa sorriu e abraçou a Fatinha apertado!!

Ju: - Eu nao to podendo com isso!! Daqui a pouco eu choro e vou borrar toda a maquiagem! Parem por favor!! Vamos pra festinha?

Chegaram na festa! O tema era a" Turma do Barney" q a Isa amava ver!! A Isa correu logo para falar com quem estava la! Os vovos, padrinho Rasta.. Tinha pouquinha gente, ainda.. Eles tinham chegado cedo. A fotografa aproveitou pra tirar as fotos da Isa com os q estavam la, ja. Mas estava doida para ir nos brinquedos!! Cada amiguinho q chegava da escolinha, ela abraçava e puxava pela mao p levar pra brincar. Tinham muitos recreadores, entao os pais podiam ficar sentados conversando.. A Fat e o Bruno q rodavam p falar com todo mundo!! Vieram todos q eles chamaram, ate os professores.. A Isabela veio com o Leandro e o filho deles q ja estava com uns 4 anos, era mais velho q a Isa, quase 1 ano. E agora tinham duas atraçoes q dormiam no carrinho.. Todo mundo estava corujando.. E assim chegou a hora do lanche da criançada.. Os recreadores colocaram varias mesas juntinhas e cadeiras no salao e colocaram para tocar a Musica do “Comer Comer - Patati Patatá”.

Fatinha e Bruno nao sabiam.. Mas a Ju, Gil e o Orelha editaram um video das fotos e video da Isa desde q ela estava na barriga.. Ate os tres anos.. Enquanto as crianças estavam quietinhas eles colocaram o video.. As musicas do video eram:

Valsa para uma menininha - Vinícius & Toquinho

Ursinho Pimpão - Patati Patatá

Bê-A-Bá - Toquinho

Toquinho - Gente tem sobrenome

ANGÉLICA - TERRA DO NUNCA

Fatinha e Bruno e o resto da familia se emocionaram com a homenagem!! Quem conhecia a historia deles como os amigos, tbm!!! As crianças voltaram a brincar.. E logo veio a hora do parabens.. A recreadora chamou os pais, tios, padrinhos, avos.. A Isa foi para o colo do pai.

XUXA- PARABENS DA XUXA

Logo depois cantaram o parabens tradicional. So q com muita gente cantando, ao contrario do q ela fez no dia anterior ela ficou meio timida. E nem bater palma ela quis.. Mas depois das fotos com a familia, amigos, priminhos.. voltou a brincar!

A semana seguinte voou.. E chegou o dia q tres dos amigos do grupo iam viajar para passar um ano fora. A galera foi em peso se despedir.. Uma nova etapa na vida deles.. Era so um ano. Um ano é muita coisa.. Principalmente para aqueles q se amam e se gostam! Mas era uma oportunidade impar de crescer e progredir na profissao e tbm na vida.. La fora teriam de se virar sozinhos.. Bem longe da Familia. Naquele ano eles so viriam a familia uma vez.. E principalmente para a Lia.. So viria os pais, os irmaos, sobrinhos e avo, nas ferias de Julho e depois no Natal e ano novo. O Lorenzo tinha prometido p ela e para a Tata. Mas la, na Terra do Tio Sam.. Ela iria encontrar algo q mudaria sua vida pessoal todinha..

Depois da choradeira da despedida.. Eles ( Fera, Rita e Lia) embarcaram.. Chegando la foram recebidos pelo chefe de la, q era o dono da primeira filial, onde agora o Bruno era o unico chefe e responsavel. Foram recebidos pelo Sergio q os conheciam muito bem!! Ele os levou ate a casa q tinha alugado pra eles.. Como era sabado.. O Sergio falou para eles descansarem da viagem e assim q acordassem, para ligar pra ele. Que dariam uma volta para eles conhecerem o local, onde pegava metro e onibus.. E se quisessem podiam disponibilizar um carro.. Os tres entraram em casa e sentaram olhando um para outro!

Lia: - Meio assustador, ne?

Rita: - Verdade! Ainda bem q viemos juntos.

Fera: - Vou tomar conta de voces!

Eles olharam a casa. Estava toda equipadinha e tinha tudo na geladeira!! Tbm andaram pela casa e encontraram o q precisariam no dia a dia. No Brasil ter alguem para cuidar da casa era facil. Mas ali? Eles mesmos teriam de fazer.. Outros habitos, nova vida por pelo menos um ano.. Aos poucos foram se adaptando a rotina.. Trabalho e casa, compras.. Afazeres domestico.. Deixavam tudo bem limpinho.. Teve um dia q a Lia resolveu ir ao mercado sozinha, agora ja conseguia andar pelos lugares mais proximos sozinha.. Foi bem e na volta sem perceber esbarrou em alguem.. Os dois pediram desculpas em ingles! Mas nem um e nem outro acreditaram no q viram.

Lia: - Dinho?

Dinho: - Lia?

A Lia preferiu quebrar o gelo primeiro.. Ta tudo bem? Sua familia? Seus irmaos?

Dinho: - Todos estao bem. E com vc? Que mal eu pergunte.. Depois destes anos todos.. O q vc ta fazendo aqui??

Lia: - Estou trabalhando numa agencia q expandiu e uma filial veio pra ca.. Vim representar a empresa por um ano.. Chegamos tem uns dias, ja.

Dinho: - Vcs? (Dinho ficou meio com medo de ficar perguntando demais, mas ate a sua sua ex estava receptiva)

Lia: - Vim com o Fera e a Rita. Ja q parte dos q trabalham tbm nesta agencia ja estao com familia e filhos..

Dinho: - Precisamos por o papo em dia.. To bem curioso quanto as mudanças todas q ocorreram, principalmente, quanto ‘familias q se formaram e com filhos"! Houve muitas reviravoltas desde q sai do Brasil?

Lia: - Vc nem imagina!!

Dinho: - Vcs estao morando aqui perto?

Lia: - Daqui a dois quarteiroes..

Dinho: - Eu e meus pais, tbm!

Lia: - A sua irma deve estar grandinha!

Dinho: - Esta com 5 anos.

Lia: - Mas ja?

Dinho: - Passou foi tempo!!

Lia: - Tenho tres sobrinhos emprestados!!

Dinho: - Serio?

Lia: - A filha da Fatinha com o Bruno, q fez 3 anos semana passada..

Dinho: - Para tudo!! Eles se acertaram? E ficaram super bem??

Lia: - Para voce ve!! Sao super apaixonados e se amam muito. A razao deles de viver é a Isadora.. Para eles acertarem as diferenças e amadurecer o q sentiam houve desavenças, mas o amor falou bem alto.. Alias, todos sabiam q mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer!!

Dinho: - Isso dava pra perceber. So achei q o Bruno nunca ia se render.. Quem mais teve filhos??

Lia: - Tem uns cinco meses exatos q nasceram os gemeos, um casalzinho lindo, da Ju e do Gil! Na historia deles, houve um fato muito triste.. Hj praticamente eu e Tata somos irmas do Gil.

Dinho: - Nao entendi..

Lia: -Mais ou menos uns dois anos atras.. A Professora Marcela sofreu um acidente e nao resistiu.. Alias, ela era a minha madrastra.. E antes de partir pediu q minha mae acabasse de criar o Gil. Bem.. criar nao é bem o termo.. Ele praticamente ja era um adulto.. Mas nao sabia administrar suas coisas.. Nao tinha emprego e estava entrando para a faculdade. Resumindo.. Somos irmaos de coraçao. Ele e a Ju sao pais maravilhosos para o Bernardo e para a Marcelinha.

Dinho: - Estou chegando em casa.

Lia: - Eu tbm!

Dinho: - Vc ta falando serio?

Lia mostrou onde ela, Fera e Rita estavam morando. Por coencidencia do destino.. A casa deles ficavam uma de frente pra outra.

Lia: - Nao estou acreditando!!

Dinho: - Nem eu!! Vamos fazer assim.. Guarda as suas coisas.. Eu vou guardar as minhas e a gente acaba a conversa..

Lia: - Ih! Tem tanta coisa pra contar.. Semanas e semanas.. Vou entrar e avisar a Rita e o Fera q encontrei vc. Ah! Os dois estao casados!

Dinho: - Como é que é?

Lia riu do espanto do Dinho..

Lia: - eu avisei q tinham acontecido muitas coisas.. Acho q vc nao acreditou, muito!!

Dinho: - Realmente eu nao tinha noçao.. Depois q viajei ao mundo aterrisei por aqui e aqui fiquei.

Lia: - Eu ia te fazer uma pergunta delicada.. Mas deixa pra la!!

Dinho: - Pode fazer.. Ja sei q vc vai perguntar da..

Lia: - Dela mesma, mas nao precisa ficar cheio de dedos. Tanto eu como vc, tivemos relacionamento apos o nosso termino de namoro..

Dinho: - Bom! Entao dando nomes aos bois.. A Valentina encontrou outro marujo. Rico, cheio de posses.. Com um baita barco e sumiu pelo mundo.. Antes mesmo de eu vir morar com meus pais aqui, ela ja tinha sumido.. Vindo pra ca, troquei o celular e os numeros.. Perdi contato com vcs e com o mundo.. Para achar so voltando ao Brasil.

Dinho ao entrar em casa foi entupido de perguntas.. Com quem ele estava falando, qual o nome da pessoa.. Etc e etc..

Dinho: - Mae, apenas uma antiga amiga brasileira q veio passar um ano a trabalho por aqui!

Alice: - E pq vc n diz o nome dela? Quem é?

Tico: - Eu sei q é uma baixinha!! Eu vi daqui da janela.

Dinho pegou o Tico e deu uns esfregas nele. Que mais vc viu, seu cabeçao?

Tico: - Para Dinho! Vi q ela entrou naquela casa da frente.. Onde tem mais dois moradores.

Alice: - Entao sao brasileiros? Bom saber!! Seu pai vai gostar mais ainda!! Agora me diz? como vcs se descobriram?

Dinho: - Ela vinha vindo do mercado, eu pelo lado contrario e nao nos vimos.. E nos esbarramos..

Alice: - Quem sabe agora vc sai do casulo de casa e trabalho?? Acho q precisava de um bom incentivo.. Acho q vc encontrou.

La na casa da Lia, quando ela contou quem ela tinha encontrado.. Rita e Fera quase cairam pra tras.. Era muita coencidencia! Fera foi imediatamente falar com seu novo vizinho!! Enquanto a Lia e Rita guardavam as compras q a Lia tinha feito…

O Fera bateu palmas.. Logo o Tico veio atender..

Tico: - Acho q conheço vc!!

Fera: - O seu irmao esta em casa?

Tico: - So um minuto!! ( Tico chamou o Dinho)

Dinho: - Fera!!

Fera: - Cara! Nem acreditei quando a Lia me contou!! Vizinhos!!

Tico ouviu de quem se tratava a baixinha q ele tinha visto e foi contar pra Alice.

Alice: - Tico, vc deve ter ouvido errado! Nao pode ser a Lia.

Tico: - Tia Alice, eu ouvi bem direitinho!! A Lia esta morando naquela casa ali na frente!!

A Rita e a Lia da Janela olha q o fera esta conversando com o Dinho!!

Lia: - Pq ele nao esperou??

Rita: - Acho q ele estava meio cansado de so conversar conosco nestas semanas todas.. relaxa.

Lia: - Mais cedo ou mais tarde qq uma de nos ia esbarrar com os nossos vizinhos de porta mesmo.. Vamos la falar com eles..

Rita: - Sei nao, Lia.. Nao quero dizer nada.. Mas vc chegou bem pra baixo e tristinha aqui e agora esta toda animadinha!!

Lia: - so uma impressao, vamos?

Rita: - vamos!!

Lia: - Oi Dinho!!

Rita: - Quanto tempo!!

Dinho: - Nao desmerecendo os vizinhos americanos e Mexicanos.. Nada como ter vizinhos brasileiros e amigos morando do outro lado da rua!!

Nisso a mae do Dinho sai de casa, trazendo a Laurinha. E o Tico veio atras..

Alice: - Lia!! Quanto tempo!!

Lia: - Poe tempo nisso!!

Tico: - Ta tudo bem, Lia?

Lia: - Nossa! Tico, vc ta enorme!! Alice, essa menininha é a q estava na sua barriga quando vcs sairam do Brasil, ne?

Alice: - A propria!! Fala com os amigos, Laurinha..

Lia: - Linda!!

Alice: - Dinho, convida seus amigos para entrarem..

Dinho: - Os convidou!!

Dinho e Lia no meio da conversa se olhavam.. Alguma coisa dentro deles tinha ficado daquele amor tao grande da adolescencia.. Mas eles n queria admitir.. Para eles era apenas um carinho antigo e mutuo..

Enquanto o Fera conversava com o Bruno sobre futebol, esportes e etc.. As mulheres colocavam o papo em dia.. O Tico uma hora perguntou pra Lia.

Tico: - Lia, vc acha q eu cresci bastante??

Lia: - Muito, vc ta lindo!

Tico: - E a minha namorada brasileira?

Lia: - Quem?

Tico: - A Ju!

Lia: - A Ju minha amiga?

Tico: - Isso!!

Lia: - Vixe, como vou explicar sem desiludir vc??

Tico: - Claro q ela arranjou outro namorado, ne?

LIa: - Um pouco mais q isso!!

Alice: - Agora esta conversa esta tomando outro rumo.. Quer dizer q as coisas mudaram muito desde q saimos do Brasil?

Lia: - Quase todos estao casados, o q nao estao.. Estao noivos ou viajaram como eu..

Alice: - Nossa aquele monte de jovens casados, outros noivos..

Lia: - Filhos tbm!

Alice: - casais com filhos?

Lia: - Ja sou tia emprestada de 3. Duas meninas e um menino.

Alice: - Eu conheço bem os casais q tem filhos?

Lia: - Conhece!

Alice: - Ai, assim me sinto avo, tbm!! Todos vcs cresceram junto com meu filho!! Manda bala de uma vez!! Quem sao as mamaes e os papais??

Lia: - Fatinha q era a melhor amiga do Dinho e o irmao da Ju. Casados e tem uma filhinha de 3 anos. Apesar de terem se cuidado.. A bebe veio mesmo assim. E a Ju e o Gil, estao com um casalzinho de filhos, gemeos.. Q estao com 5 meses.

Alice: - To boba! Este pessoal nao perdeu tempo!

Lia: - Tenho muito o q contar!! Mas resumindo..

A Lia contou como vieram parar em Miami.. Contou do trabalho de todos..

Alice: - Entao todos estao bem encaminhados, apesar de serem pais tao jovens..

Lia: - Exatamente!! Graças a Fatinha, ate eu estou com um reserva boa e foi bom vir pra ca, pq p minha carreira vai dar um salto e tanto!!

O tempo passou e eles nem sentiram!! O Mario chegou do trabalho e levou um susto quando viu as visitas!! Ficou impressionado com as novidades!

Mario: - Estou bobo!!Mais bobo ainda é ver q esta galerinha q cresceu com meu filho, estao todos, mesmo alguns com filhos, estao investindo nas carreiras q escolheram.. Estudando, trabalhando e cuidando de filhos.. Melhor, assumindo praticamente sozinhos!! Orgulho desta geraçao de voces!!

Lia: - Sorte nossa, tbm ter bons amigos q puderam nos indicar para uma boa empresa! Com uma dose de sorte da vida.. Tudo de bom acontece!!

Depois o Dinho conta do projeto dele.. Se ele quiser mesmo.. Agora q temos condiçao, podemos ajuda-lo!!

Lia: - Dinho, n perguntei.. Ta fazendo alguma faculdade aqui?

Dinho: - Este ano estou terminando turismo.. E estou doido para voltar para a Terra q nasci.. Meu Brasil.. Abrir uma agencia de viagem é o meu sonho. Ja tenho projetos prontos. Falta so achar um lugar ideal, no Brasil.

Lia: - Tudo que vc sempre quis!!

Dinho: - Exatamente!!

Sera q o amor de Lidinho despertou?? Esperem o proximo capitulo!!

Leia mais: http://fic-amorsemfim-brutinha-futuro.webnode.com/news/capitulo-32-a-vida-e-uma-arte-de-encontros-/
Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br

anonymous asked:

Diz quem é, uma dica

São donas de tumblrs “grandinhos” haha e até tenho a honra delas me seguirem, por isso não posso dizer quem são haha