gotinha de amor

A gente sabe quem pode chamar de amigo. A gente reconhece de longe quando a amizade é de verdade. A gente sabe porque nós sentimos. E não tem isso de amizade perfeita porque a gente sabe que as melhores amizades são anormais. Sabe que em toda implicância tem algumas gotinhas de amor e que em toda “cara feia” tem um sorriso se segurando para não sair. A gente sabe que em todos “tô nem aí”  tem uma pitada de inquietação e que em todo ciúme tem um enorme medo de perder. Sabe que no meio de todas as brigas tem uma enorme preocupação e uma vontade grande de cuidar com as próprias mãos. A gente sabe que quando é de verdade não é “às mil maravilhas”, aliás, todas as amizades verdadeiras tem uma gotinha de desordem.
—  Edvan Santos.
Talvez não tenhamos sido feitos um para o outro. Talvez eu não tenha sido feita para o amor. Me diga como alguém tão complicada, cheia de manias e de manhas, feita de entrelinhas e segredos, pode amar alguém ou ser amada? Se eu fosse menos confusa, talvez tivesse chance. Mas embolo e embaralho toda gotinha de amor que cai em mim.
—  CSFPS