garrafas de vinho

é que sempre fui esse ser humano fodido, sozinho, isolado. e quando te vi, puta que pariu, quando eu te vi. tive que beber umas três garrafas de vinho subsequentes para ter coragem de ir tocar meus lábios nos teus. e nem foi necessário, se não me falha a memória. lembro de ter ido mijar e você apareceu me agarrando e beijando como se o calendário maia dissesse que aquele dia seria o fim do mundo. e eu me apeguei tanto. eu te assustei tanto que caralho, criei uma puta dependência e não tive estrutura pro baque de ver você indo embora sem ao menos eu me dar conta. eu pensava que era forte e tava cagando pra quem entrasse e saísse da minha vida mas você mostrou que no fundo, soterrado em algumas veias e artérias, existe uma parte em mim que sente. e espreme a pálpebra do olho até torcer e cair uma renca de lágrimas e sentimentos e histórias jogadas fora. como uma bomba atômica.

eu tripliquei a cafeína, darling. e dei a última garrafa de vinho pro vizinho. porque vinho me lembra você. que me faz pensar no teu hálito sedento correndo pelo meu corpo depois de algumas doses. eu sinto náuseas. eu quero vomitar esse sentimentalismo que tu me fez engolir, assim, despercebido. mas minha garganta arranha. e falar sobre é um atentado à essa minha abstinência. aquela corda amarrada por tuas mãos nos meus pulsos que antes me excitava. agora arde, é como um banho de álcool toda vez que penso em você.

The Heart Wants What It Wants - Louis Tomlinson



S/N P.O.V


Flashback on


Louis fazia carinho em meus cabelos enquanto víamos pela décima vez o meu filme favorito. Ele estava de férias depois do último álbum lançado com os meninos, e fazíamos o máximo para aproveitar nosso tempo sozinhos.


“Você nunca irá se cansar desse filme?” Perguntou com os olhos vidrados na TV.


“Não, Tomlinson. Assim como nunca irei cansar de você me fazendo a mesma pergunta sempre que assistimos.” Falei rindo.


Louis me olhou sorrindo por algum tempo antes de se abaixar para dar um selinho em meus lábios.


“E eu nunca irei me cansar de você, garota.”


Doce ilusão.

Você me fez experimentar algo
Que não posso comparar a nada
Que já tive, e tenho esperança
Que depois dessa febre eu sobreviverei


Flashback off


“Eu sei que você estava com ela, Louis.” Gritei assim que ele começou a arrumar algumas roupas em sua mochila, afirmando que iria dormir na casa de Liam.


“S/n, pelo amor de Deus. Você só pode estar louca! Eu estava no bar com Liam, já te disse.” Falou nervoso enquanto colocava a mochila nas costas.


“E por coincidência aquela modelo, Bárbara, estava no mesmo bar que você, não é mesmo?” Perguntei irônica. “Que saber, Louis? Faça o que quiser.”


“Você esta paranóica s/n. Se você não confia em mim, nem deveríamos estar namorando.” Disse antes de sair pela porta, me deixando sozinha.


De novo.

Sei que estou agindo feito louca
Estou presa, tudo meio nebuloso
Com a mão no coração, estou rezando
Para sobreviver a isso tudo


“Louis, onde você está? Já é a centésima vez que te ligo e você não me atende. Estou preocupada, me ligue assim que escutar essa mensagem.” Suspirei desligando o celular.


Talvez fazer um jantar de desculpas tivesse sido um erro.


Talvez me sentir culpada fosse um erro.


Talvez todo o meu relacionamento fosse um erro.


Embalei toda a comida que estava posta há mesa, apaguei todas as velas que havia colocado para criar um clima romântico, peguei o presente que havia comprado para Louis e o guardei em nosso guarda roupa.


A cama está ficando fria e você não está aqui
O futuro que temos é tão incerto
Mas eu não vivo enquanto você não me ligar
E vou apostar contra tudo que dará certo


Retirei minha roupa colocando apenas um pijama e comecei a tirar toda a maquiagem de meu rosto com dificuldade, devido às inúmeras lágrimas que caiam.


Depois de algumas horas deitada com algumas lágrimas escorrendo pelo rosto, escutei a porta do apartamento ser aberta.


Ele havia chegado.


Escutei-o jogar as chaves de seu carro na mesa de centro da sala, logo depois subindo as escadas que davam para nosso quarto.


“Estava com sua amante?” Perguntei cínica, ainda deitada de costas para ele assim que lhe escutei adentrar no cômodo.


“Agora não, s/n. Por favor.” Suspirou enquanto massageava a cabeça. “Não estou com cabeça para discutir com você agora.”


“Você nunca tem cabeça para nada que envolva nosso relacionamento, Louis.” Falei com lágrimas nos olhos. “Você chegou de Los Angeles e nem me tocou um dia se quer, afirmando estar ‘cansado demais para isso’. Você mal fica em casa, nem temos mais momentos românticos como tínhamos antes.”


“Você precisa entender que tenho uma carreira solo agora, s/n. Eu não tenho tempo para mais nada e…” Lhe interrompi


“Não tem tempo para mais nada, Louis?” Ri irônica. “Você vai em pubs todos os dias, e todos os dias esta com sua famosa amiga. Eu realmente não ligo que você tenha amizade com ela, mas é realmente frustrante saber que uma outra garota passa mais tempo com você que eu, que sou sua namorada.” Falei exaltada.


“S/n, as vezes eu acho que você precisa de tratamento. Se você não confia em mim, é melhor que isso acabe.”


“Eu não quero escutar seus conselhos, Louis. Apenas saia daqui, por favor. Você já me fez muito mal.” Falei entre lágrimas enquanto me sentava em nossa cama.


Ele me olhou por alguns segundos, e por um momento eu realmente tive a esperança de que ele fosse me abraçar, pedir desculpas e fosse ficar por pelo menos uma noite.


Mas não foi o que aconteceu.

Guarde seu conselho pois não vou ouvi-lo
Você pode até estar certo, mas eu não ligo
Há um milhão de motivos para que eu te abandone
Mas o coração quer o que ele quer

O coração quer o que ele quer


Acordei com a claridade adentrando por entre as persianas de meu quarto. Abri os olhos com dificuldade, encontrando o outro lado da cama vazio.


Suspirei me levantando, decidida a me desculpar com Louis. De fato eu poderia ter exagerado com todas as acusações de traição.


Assim que terminei o banho, coloquei um casaco para me aquecer do frio que fazia em Londres.


Peguei minha bolsa, e adentrei em meu carro, dirigindo até a Starbucks mais próxima.


Adentrei no elevador do prédio de Louis no centro de Londres segurando o seu copo de café favorito e um pedaço de bolo que eu também sabia que ele gostava.


Assim que cheguei ao seu andar, fui até sua porta, estranhando ao constatar que ela não estava trancada. Assim que cheguei na sala, pude ver uma garrafa de vinho com duas taças vazias na mesa de centro.


Naquela hora, rezei para que fosse algum dos meninos que estiveram ali com Louis na noite passada.


Mas minha esperança foi embora assim que enxerguei um sutiã, que obviamente não era meu, jogado em um canto daquela enorme sala.


Minhas mãos tremiam e eu podia perceber que estava suando frio. Eu sabia que a cena que veria, quebraria meu coração em milhares de pedaços, mas eu estava decidida a ver aquilo com meus próprios olhos.

Você me partiu em pedaços
Brilhando como estrelas e gritando
Me iluminando como vênus
Mas então você desaparece e me deixa esperando


Subi as escadas com cautela, tomando cuidado em cada passo que dava para que não houvesse muito barulho.


Estiquei minhas mãos trêmulas até a maçaneta da porta do quarto de Louis, e a abri com cuidado, logo perdendo o fôlego com a cena que via em minha frente.


Louis estava dormindo de frente a porta, e junto dele estava Bárbara. Ambos cobertos apenas com lençóis brancos.


Soltei os cafés rapidamente, causando um barulho consideravelmente alto, fazendo com que Louis acordasse rapidamente.


Assim que me viu, arregalou os olhos, logo se levantando.


Mas já era tarde.


Ele tentou vir atrás de mim, tentou me agarrar para que pudesse se explicar… mas já era tarde.


Eu entrei no meu carro, logo voltando para minha casa, esperando que tudo aquilo fosse um pesadelo e que eu acordaria com Louis me chamando dizendo que eu estava chorando desesperada enquanto dormia.


Mas eu sabia que era tudo real.


E eu também sabia, que era hora de deixar Louis para trás.

E cada segundo é uma tortura
Esse inferno vai acabar
Estou encontrando maneiras de te deixar para trás
Baby, baby, não, eu não tenho saída


Cheguei em meu apartamento, colocando tudo meu que havia ali, dentro de uma mala.


Eu precisava dar um tempo para o meu coração.


Esse é um conto de fadas moderno
Sem finais felizes, sem nenhum vento soprando em nossos barcos
Mas não imagino minha vida
Sem momentos de tirar o fôlego acabando comigo


Precisava esquecer Louis Tomlinson.


XxXGaby

One Shot Harry Styles

  • Pedido - Olá Tay, estou completamente de acordo c/ as regrinhas. Bem, eu gostaria que você fizesse um do Harry, onde ele e a S/N são um casal, já há um tempo, em meio à uma conversa o Harry descobre que ela já transou c/ um dos amigos dele (obviamente no período que eles não estavam juntos), Harry fica muito frustrado, eles têm um desentendimento, mas depois tudo se resolve?! muito obrigada ps: amo sua escrita ❤


— Você vai começar agora, não vai?

(Seu nome) perguntou enquanto entrava em casa carregando algumas sacolas do mercado ao qual ela e Harry acabam de voltar, ele havia prometido fazer o almoço e (seu nome) estava ansiosa para comer o que ele vai preparar.

— Você me ajudar? Não vai ter que fazer muito, só cortar algumas coisas.

Harry fechou a porta com a lateral do corpo - por suas mãos estarem ocupadas - e seguiu (seu nome) até a cozinha, onde deixou as sacolas sobre a bancada começando a tirar as coisas que haviam comprado.

— Eu não sou muito boa na cozinha, mas posso ajudar sim.

(Seu nome) passou por trás do corpo de Harry e bateu em sua bunda indo lavar as mãos na pia, enxugando-as em seguida em um papel toalha porque sabe que o namorado odeia quando ela sai pingando água pela casa.

— Eu não sei direito o que fazer, acho que macarrão com molho… — Harry disse enquanto guardava as coisa organizadamente como gosta.

— Eu amo seu macarrão. — sorrindo (seu nome) se colocou de frente para a bancada — O que eu tenho que fazer?

— Comece cortando essa cebola. — ele a entregou.

— Você quer me fazer chorar para ficar rindo de mim. — (seu nome) fez um bico pegando a faca.

— Não passe a mão no olho como da última vez. — ele riu.

— Tudo bem… Se eu conseguir me lembrar.

[…]

Tudo saiu muito bem, agora eles apenas comem com muito gosto o macarrão com molho que havia ficado uma delícia como as muitas coisas que Harry cozinhava, mas (seu nome) ousava dizer que o macarrão com molho era a sua especialidade.

Eles comeram sem muita conversa, não gostavam muito de conversar enquanto comiam e (seu nome) estava concentrada demais no sabor maravilhoso em sua boca. Harry abriu uma de suas garrafas de vinho servindo-os em taças deixando as coisas ainda mais interessantes.

— Ficou realmente muito bom, amor… Eu mal posso esperar você fazer carne grelhada. — (seu nome) sorriu apenas imaginando enquanto levava a taça de vinho até a boca bebendo um gole.

— Provavelmente será na semana que vem… — Harry disse também bebendo seu vinho, eles já estavam satisfeitos da comida.

— Eu estou louca para provar. Eu conheci uma pessoa que fazia uma maravilhosamente bem, mas tenho certeza que você faz melhor. — ela o olhou sorrindo — Você nasceu para a cozinha.

— Essa pessoa que você conheceu, era mais velha? Talvez eu possa pedir umas dicas. — Harry colocou sua taça sobre a mesa.

— Não, eu não tenho mais contato… Se for mais velho é uns dois, três anos. — (seu nome) deu de ombros se encostando a cadeira.

— Perdeu contato? Por que não pediu a receita? — Harry riu de forma divertida se levantando para pegar o sorvete que haviam comprado mais cedo.

— Eu sou péssima na cozinha, então não usaria de qualquer forma. — (seu nome) riu um pouco antes de continuar — O nome dele era Nicholas, tivemos algo por quase uma semana… Não deu certo, ainda bem.

— Ainda bem? — Harry perguntou curioso — Um amigo meu de mesmo nome que me ensinou a fazer a carne grelhada. — ele voltou para mesa com o sorvete e colheres.

— Se tivesse dado certo, não estaríamos aqui. — (seu nome) se inclinou pegando uma colher e deixando um beijo na bochecha do namorado — Mas então, seu amigo… Tem o sobrenome Grimshaw?

— Tem… Você já ficou com o Nick? — Harry se virou olhando a namorada com uma careta.

— Eu acho que sim… — (seu nome) de ombros.

Harry não disse mais nada, apenas começou a comer seu sorvete com uma cara de desgosto como se estivesse comendo a coisa mais amarga do mundo. (Seu nome) estava tão concentrada em comer, um momento muito importante para ela, que nem ao menos reparou no rosto do namorado. Isso só aconteceu quando ela sorriu se inclinando para dá-lo um beijo gelado.

— Ei, o que foi? — (seu nome) olhou com atenção o namorado depois que ele a deu apenas um selinho bem rápido.

— Parece que tenho alguma coisa? — não soou rude, apenas desinteressado.

— Você não estava assim há alguns minutos… O que aconteceu, Hazz?

— Não aconteceu nada, ok?! — ele encostou seus lábios nos da namorada rapidamente para tentar distraí-la.

— Claro que sim… É por que o Nick é seu amigo? — ela perguntou olhando em seu rosto e teve certeza que a resposta para sua pergunta era sim — Me desculpa, eu não sabia que você ia ficar desse jeito. Se eu soubesse nem tinha tocado no assunto.

— Eu estou normal, você está vendo coisa onde não tem. — ele se levantou levando a colher e jogou-a na pia.

— Você está tudo, menos normal. — (seu nome) assistiu seus movimentos pela cozinha — Eu não sabia que ele era o seu amigo… E ele é passado, não foi nada muito importante.

— Como seria se soubesse que fiquei com uma amiga sua? — Harry resolveu parar de mentir sobre o que o chateou.

— Se estivéssemos juntos quando vocês tivessem ficado, eu arrancaria os olhos dela, mas se for como eu e o Nick, normal… Faz parte do passado.

— Não gosto de ouvir você dizer “eu e o Nick" em uma frase. — (seu nome) riu baixo — O que é tão engraçado? — ele a encarou com uma carranca.

— Não seja um bobo, Hazz… Eu estou com você e só com você. — (seu nome) se levantou indo até o namorado que estava encostado na pia e enlaçou seus braços em volta do pescoço dele — Não interessa quantos amigos seus passaram pela minha vida no passado, você é o meu presente.

— Foi só o Nick, não foi?! — Harry perguntou com uma pitada de humor antes que os lábios da namorada encontrassem os seus.

— Eu espero que sim, você não reagiu bem ao saber do Nick.

(Seu nome) riu baixo encontrando os lábios de Harry com os seus iniciando um beijo calmo e intenso como se dissesse que só ele importa. As mãos de Harry apertaram a cintura de (seu nome) apertando ainda mais o corpo dela contra o seu.



Espero que tenham gostado… ❤

Desculpem se ficou bobinho, mas eu não consegui imaginar diferente e eu meio que gsotei assim 😊

- Tay

Não vá agora. Fique um pouco mais e deixe teu cheiro em minha roupa, em meu corpo. Chega mais junto e me de deixa te beijar por mais um tempo até eu aceitar que vou ter que passar essa noite sem teu colo. Fique mais dez minutos. Deixa eu abrir um vinho e falar que desde o momento em que te conheci, as borboletas aqui dentro de mim não pararam de voar.

Fica um pouco mais. Me fala da sua agenda de amanhã, que filme está esperando chegar ao cinema e que serie está companhando na netflix. Me fala que país pretende visitar e qual comida deseja provar. Olha, acho que está chovendo lá fora e você terá que passar a noite aqui. Vi no celular que o trânsito está um inferno e que a cidade fica mais violenta a noite. Talvez isso seja só desculpa para que você passe a noite comigo, se colar colou, amor! Eu quero mesmo passar a noite fazendo sexo contigo.

Fica aqui e me faz companhia. Sei que tens que trabalhar amanhã. Basta sair um pouco mais cedo e tudo dará certo. Vamos abrir mais uma garrafa de vinho e se tudo der certo, nossas roupas ficarão espalhadas pelo chão da sala até a entrada do meu quarto. Deixa eu te olhar nos olhos e te mostrar que meu desejo maior e ter você pra vida toda e não só até o amanhecer.

Esquece as horas e o mundo lá fora. O momento é agora. Fica só mais dez minutos. É o tempo que preciso pra provar que você deve ficar para o resto da vida.

Eu não fui para o Cristianismo para que ele me fizesse feliz; sempre soube que uma boa garrafa de vinho faria isto. Se você quer uma religião para se sentir realmente confortável, certamente não recomendo o Cristianismo.
—  C.S. Lewis
Coloquei uma música animada, não funcionou. Comprei quatro tipos de doce, não senti vontade. Terminei a garrafa de vinho, e a vontade aumentou. Fechei os olhos, percebi que ardem. Ardem na vontade de chorar, na vontade de te ver, incapazes de esquecer. Me restou a última tentativa de me sentir melhor… olhei pras estrelas. Em vão, com a saudade aumentando ainda mais.
—  Na varanda.
Garrafas de vinho e de uísque barato haviam tomado todo o seu apartamento. O álcool já não surtia mais efeito naquele homem.
Ele repetia diversas vezes: que merda estar sóbrio! Que merda estar no mundo real!
É triste ver como a desilusão acaba facilmente com a vida de um homem.
—  Bruno Estevam - Desejos de Arthur
Eu não fui para religião para me fazer feliz. Eu sempre soube que uma garrafa de vinho do porto faria isso. Se você quer uma religião para fazer você se sentir realmente confortável, certamente eu não recomendo o Cristianismo.
—  C.S. Lewis
Uma garrafa de vinho pendendo na ponta da mesa, algumas cinzas de cigarro espalhadas pelo chão e no noticiário as mesmas balelas de sempre: o mundo anda um caos. Eu não estou preocupado com as consequências da modernidade, os gritos da vizinha que não sabe educar o filho, o irritante barulho que vem da casa ao lado. Eu não estou dando a mínima para as incontáveis correspondências que tem chegado a minha casa, pouco me importam as ligações que recebo, o telefone está quebrado e nesta altura a operadora de telefonia já deve ter cortado minha linha por inadimplência. Eu não quero carregar os problemas do mundo, já estou desgastado o suficiente carregando os meus, e bem sabemos que não existe ninguém neste universo capaz de fazer o mesmo. Me deram conselhos de como viver a vida. Compraram-me livros de auto-ajuda, me levaram a sessões de terapia, me pagaram deliciosas garrafas de vinho; fizeram por mim tudo aquilo que se faz por um homem fodido, mas de nada adiantou, os artifícios que me proporcionaram me deram esperanças efêmeras, prazeres momentâneos, motivações ilusórias. Eu não me encaixo nesta caixa cheia de ratos que chamam de sociedade. Eu não nasci para ser um homem de virtude e carregar sobre o peito uma medalha de bom cidadão. Meu habitat natural é o fundo do abismo, muito cedo cortaram-me as asas de homem sonhador. Sou assim, que problema há nisso? De que me adiantariam fórmulas de padrões sociais? Catálogos de esteriótipos? Modelos de como ser comum? Falho, não por ser falho, mas por falhar como ninguém falha.  Vão para o inferno, seus filhos da puta! Eu não sei viver a vida, mas não é com vocês que irei aprender.
—  Gabriel Vargas
Imagine Zayn Malik
  • may-mellark:Eu queria um do Zayn em que ela acha que vai passar o ano Novo sozinha na casa deles e quando da Meia noite ele aparece❤❤ 
  • Era pra ser especial de ano novo, mas como eu não consegui postar aqui está, espero que goste :)
  • Boa Leitura!


Era meio dia e ouvi meu celular vibrando em cima do balcão da cozinha e vi o nome de Zayn no visor.

Ligação On

- Oi amor

- (S/N) tá tudo bem?

- Sim, estou arrumando aqui pra quando você chegar.

- É sobre isso… Eu não vou poder passar a virada com você – ele diz

- Por quê? Aconteceu alguma coisa? – tento ser compreensiva

- Uma das empresas daqui foi assaltada hoje de manhã e vou ter que ficar até amanhã de tarde aqui. – sento no sofá já desanimada com tudo que arrumei.

- Tudo bem, eu entendo

- Amor, eu sei que você tá triste, mas me desculpa eu fiz de tudo pra resolver isso, mas não deu.

- Tá tudo bem Zayn, o trabalho é mais importante.

- Não, você é mais importante, mas eu não dá pra eu voltar meu amor

- Zayn, eu já entendi tabom, antes da meia noite eu te ligo – digo – beijos, te amo – desligo sem esperar uma resposta.

Ligação Off

Se eu dissesse que não estaria chateada eu estaria mentindo, mas eu realmente esperava passar o ano novo com meu namorado já que só tenho ele nessa cidade, mas eu também não podia culpa-lo ele tinha que cuidar da empresa. Passar a virada do ano não era o que eu esperava esse ano. Já passava das oito da noite e eu preparei algo pra eu comer, fiz um macarrão e abri uma garrafa de vinho, sentei na sala e liguei a TV eu estava de pijama e com um coque, acho que o vestido que eu comprei pra passa o ano novo com o Zayn vai ficar pra outro dia, tudo que passava era relacionado ao ano novo e isso me deixava triste porque passaria sozinha, mas encontrei um filme e comecei assistir.

22:00 PM

Já tinha terminado o filme e assistir um episódio de Pretty Little Liars minha série favorita, coloquei os pratos na pia e lavei quando eu terminei já eram 22:15 e decidi assistir mais um pouco de tv até cochilar.

23:00 PM

Acordei e faltava uma hora para o ano novo, eu estava no tédio e não sabia mais o que fazer, eu só queria meu namorado aqui comigo.

23:50

Sentei na janela que tinha uma vista incrível onde daria para eu ver  os fogos e alguns já tinham começado, eu pego mais vinho e coloco do meu lado.

23:59

Um minuto, estava com o celular na mão pra ligar pro Zayn quando escuto a campainha,  mas quem seria essas horas? Quando abro a porta encontro a pessoa mais importante da minha vida na porta, ele me abraça e me beija e eu escuto fogos anunciando que já era um novo ano e eu estava ali com o meu namorado. Ele não parava de me beijar eu paro o beijo.

- O que está fazendo aqui?

- Vim passar o ano novo com a minha noiva – olho estranho pra ele

- Noiva? Você não me pediu em casamento ainda

- Não seja por isso, perai só falta uma coisa eu saber onde eu coloquei sua aliança – eu fico perplexa, e fico olhando ele procurar nas suas coisas – Achei – ele se ajoelha na minha frente e faz o pedido e é claro que eu aceitei.

- Mas Zayn eu ainda não entendi como conseguiu resolver tudo

- É.. digamos que fiz uma pequena brincadeirinha com você na hora que te liguei eu já estava aqui bem pertinho de você, estava na joalheria da cidade comprando sua aliança e fiquei hospedado em um hotel  e aqui estou. – Bato em seu braço – Você me enganou, e eu fui pedida em casamento vestida de pijama , e eu comprei um vestido lindo pra você seu trouxa.

- Você é linda de qualquer jeito meu amor – ele me beija de novo – Agora vem, vamos passar o ano novo juntinhos – ele me puxa pro sofá e me abraça ali e depois de cinco minutos adormecemos ali mesmo agarradinhos.

 LEMBRE-SE:PLÁGIO É CRIME!

Vinho niilista

eu perdi todas minhas esperanças
não lembro
se as enfiei no rabo
(isso explicaria porque ando tão quieto)
ou se coloquei-as em uma lâmina
e furei o pescoço
(isso explicaria o furo no pescoço)
mas ando tranquilo
quando não carrego nada no bolso

eu gosto dessas épocas
ando com qualquer trapo
tudo mal feito
mal ajeitado
reflito exatamente
a caótica imagem urbana

os lixos pela rua
os carros barulhentos
tudo cheio de pedras
e os bêbados nos bares
com suas camisas abertas
seus cigarros na boca
e seus rostos acabados
em que não se reconhece
os galãs que foram na juventude

uma moto passa a milhão
fica um zumbido no ouvido
as pessoas ficam desfocadas
e entram em mercados
para comprar as coisas mais necessárias do mundo

me satisfaço
como se tivesse todas as verdades do mundo
com uma garrafa de vinho
que comprei no mercado
das coisas mais necessárias do mundo

o resto
não é roxo

nada tem muito valor
nos dias desesperançados
são como vento em uma tarde de sábado
é nublado
e não chove
tudo muito rebuscado
e bem planejado
mas distante
como o teto das igrejas

eu rezo
ajoelhado nos bancos de madeira
com um copo de vinho na mão
falo com psicólogos em telas de computador
e dá até pra dizer que é bonito
esse batalhão de garrafas vazias
o desleixo urbano,
acumulando dengue

o verso final de cada estrofe
soa como o verso final do poema
mas poema é um poema
como a cidade é cidade
e um final é um final
como uma esquina é uma esquina

J E A L O U S 

  • Olá mundanos! Esse imagine foi escrito com muito amor e felicidade, já que eu estou numa fase mesmo que eu só ando ouvindo Beyonce e eu nem a ouvia muito, e quem não ouve isso é possível? ouçam, é um favor a seus próprios ouvidos. Bom, falando sobre o imagine, espero mesmo que vocês gostem e acho que minha escrita mudou um pouco nos últimos tempos mas espero que vocês consigam ver um casal que se perdeu mas se encontraram novamente.
  • Se possível ouça Jealous - Beyonce, já que foi a inspiração.
  • Enjoy it!

Keep reading

“Ela é meio dissimulada, uma louca varrida cheia de defeitos e qualidades. Quando é pra se jogar, ela se atira de um penhasco, quando é pra beber, ela entorna toda uma garrafa de vinho. Já fumou inúmeras carteiras de cigarro, fumando uns dois por vez, segurando um em cada mão. Garota intensa, gosta de ser e é. É uma mistura de desejo e repreensão, combinado com muita coragem e muito medo. Mas ela é. É atrevida, gostosa, conquista qualquer um com uma jogada de olhar, de cabelo, de bunda, de sorriso. E quem não fica louco? Garota cheia dos brilhos nos olhos, do cabelo verde, sorriso branco, pele negra, mente de sereia. E isso ela é mais ainda. Rainha não só do mar, mas de todos os oceanos. Ela comanda, desmanda, remanda, dá a sentença. E ela me sentenciou a amar ela, e eu sinceramente, venho pagando a pena com muito desejo de ser julgado como culpado, culpado por ter olhado nos olhos dela e me apaixonado.”

— Quando conheci Esteban

- Tudo bem Liam, eu te espero hoje à noite lá no meu apartamento então – eu disse no telefone enquanto arrumava minhas coisas para ir embora da empresa.

Hoje eu havia convidado meu melhor amigo para jantar em casa, fazia tempo que não fazíamos isso e então eu decidi relembrar os velhos tempos. Liam e eu somos amigos desde a infância e sempre estivemos juntos em tudo, ele sabe mais da minha vida do que eu mesma. Antes que perguntem, sim, já rolou várias coisas entre a gente, inclusive eu perdi a virgindade com ele, mas não somos namorados e nem nada disso, somos apenas amigos com benefícios podemos dizer.

Cheguei em meu apartamento e joguei a bolsa em cima do sofá e fui para a cozinha preparar o jantar que eu havia escolhido para a noite de hoje. Não seria nada tão especial, afinal entre eu e Liam não precisava nada disso, éramos apenas dois melhores amigos jantando juntos, sem nenhuma cerimônia. Pouco mais de 1 hora depois eu finalmente consegui finalizar a macarronada a bolonhesa, que sinceramente é a minha especialidade. Fiz uma salada básica e subi para me arrumar, deixando todas as coisas na cozinha apenas esperando Liam chegar.

Coloquei uma roupa qualquer e desci novamente, encontrando Liam no sofá de casa. Sim, ele tinha uma chave reserva do meu apartamento, já que vivíamos juntos e se eu precisasse de alguma coisa ele poderia entrar a qualquer momento.

- Trouxe vinho pra gente tomar durante o jantar – ele disse me mostrando a garrafa.

- Espero que esteja gelado

- Com certeza madame.

- Vamos comer? Estou morrendo de fome.

- Claro, estou louco para comer a macarronada deliciosa que você faz – ele disse me acompanhando até a cozinha.

Coloquei dois pratos na mesa, os talheres e duas taças, enquanto Liam abria a garrafa de vinho e nos servia.

[…]

Estávamos sentados no sofá vendo um filme qualquer, que na verdade a gente nem estava prestando atenção, estávamos mais ocupados em conversar do que qualquer outra coisa. Liam falava sobre a última vez que ele tinha tentado levar uma mulher pra cama porque foi realmente um desastre.

- E você? Anda tendo muitas aventuras? – ele perguntou

- Sabe que não, mas eu comprei uma coisa nova e queria testar com alguém – eu disse fingindo inocência.

- E será que eu vou poder te ajudar? – ele perguntou olhando pra mim.

- Não sei, talvez sim.

- No que posso ser útil? – ele perguntou já entendendo as minhas intenções.

Comigo e Liam sempre fora assim, se tínhamos vontade fazíamos sem nenhum arrependimento, sem nenhuma consciência pesada.

- Eu tive uma ideia para tornarmos nossa noite mais animada – eu disse sorrindo maliciosa pra ele.

- Que ideia?

- Pegue a garrafa de vinho que tem na geladeira e venha para o meu quarto – eu disse e fui para o meu quarto.

Liam chegou logo em seguida com a garrafa de vinho na mão e me entregou.

- Eu comprei esse dado faz algum tempo e então eu pensei que podíamos fazer um jogo – disse maliciosa.

- Que tipo de jogo? – ele perguntou interessado e se aproximando de mim.

- Funciona assim, nós vamos jogar esse dado e nele tem indicada várias partes do corpo, qual parte do corpo cair vamos ter que beber vinho nessa parte que o dado indicar, o que acha?

- Acho uma excelente ideia – ele disse malicioso também e já me puxando para um beijo.

O beijo estava calmo, só que bastante quente e olha que ainda nem tínhamos começado a brincadeira.

- Temos que ficar apenas de roupas intima – eu disse já tirando a minha blusa e ficando apenas de sutiã.

Liam fez o mesmo e logo eu estava apenas de calcinha e sutiã e ele de cueca. Ele com certeza tinha um corpo maravilhoso e toda vez que eu o via sem camisa fazia questão de olhar bastante e sempre que dava eu aproveitava daquele corpo dele.

- Eu começo – disse pegando o dado e o jogando pra cima.

Pescoço.

Liam me entregou a garrafa de vinho já aberta e se aproximou ainda mais de mim, curvando um pouco a cabeça para o lado para que eu pudesse mexer no pescoço dele. Derramei um pouco de vinho em seu pescoço e logo lambi aquela região deixando escorrer um pouco por seu peitoral definido.

- O jogo mal começou e eu já estou gostando bastante dele – ele me disse assim que terminei de chupar seu pescoço.

- Sua vez – eu disse entregando o dado pra ele.

Ele jogou o dado pra cima e não demorou muito para que outra face do dado fosse revelada.

Nuca.

Entreguei a garrafa á ele e virei de costas esperando o próximo passo até que senti um liquido gelado entrar em contato com a minha pele e acabei soltando um gemido baixo. Liam passou a língua pela minha nuca me causando um arrepio pelo corpo todo. Ele passava a língua e às vezes chupava aquela região, me deixando completamente arrepiada.

- Parece que tem alguém gostando desse jogo – ele sussurrou no meu ouvido com aquela voz grave.

Joguei o dado novamente.

Coxa.

- Deita – eu disse um pouco autoritária.

Liam deitou na cama e eu joguei um pouco de vinho na coxa dele, me atrevi um pouco mais e joguei próximo a sua virilha. Abaixei-me e comecei a passar a língua em sua virilha, bem próximo ao seu membro, que já estava começando a dar sinal de vida. Lambi mais um pouco sua virilha e esbarrei “sem querer” em seu membro arrancando um gemido baixo dele. Aquele jogo estava mais divertido do que eu imaginava. Demorei mais um tempo ali e quando ele estava começando a se animar eu parei e sorri sínica pra ele.

- Sua vez – eu disse entregando os dados pra ele.

Ele levantou rapidamente e acho que ele queria acabar logo com aquele jogo ou devolver a provocação que eu havia acabado de fazer com ele.

Seios.

Liam sorriu maliciosamente e se aproximou de mim. Desabotoou meu sutiã e logo eu estava apenas de calcinha na frente do meu melhor amigo que sorria maliciosamente pra mim. Ele pegou a garrafa de vinho da minha mão e me empurrou para a cama fazendo com que minhas costas chocassem contra o colchão macio. Ele subiu em cima de mim ficando com uma perna de cada lado do meu quadril e derramou um pouco de vinho no meu seio direito e lambeu sugando cada gota de vinho que escorria pelo meu corpo. Pra provocar assim como eu tinha feito com ele, ele mordeu o meu mamilo e eu soltei um gemido baixo. Liam estava se aproveitando da situação para chupar meus peitos e eu não estava achando nenhum pouco ruim, muito pelo contrário, estava adorando esse jogo de provocações e sei que aquilo acabaria de um jeito melhor ainda mais tarde.

Eu gemia e puxava um pouco do cabelo do meu melhor amigo enquanto ele chupava meus peitos, aquilo estava bom demais. Liam jogou um pouco mais de vinho no outro seio e fez a mesma coisa, só que dessa vez ele chupava com mais agilidade, me fazendo gemer cada vez mais alto. Depois de quase me fazer gozar apenas chupando meus seios ele decidiu parar, o que fez com que eu soltasse um gemido de reprovação.

- Sua vez – ele deu o mesmo sorriso sínico que eu havia dado há minutos atrás.

Barriga.

Liam logo trocou de lugar comigo e deitou na cama enquanto eu me inclinava um pouco para ficar mais próxima ao abdômen dele. Derrubei o liquido gelado na barriga dele sentindo ele se arrepiar talvez pelo contato do liquido gelado com a pele quente dele. Passei a língua devagar por toda extensão do abdômen, sugando cada gota do vinho que estava sobre sua barriga. Passei minha língua devagar em volta do umbigo dele o ouvindo gemer baixinho. Minhas unhas arranhavam seu peitoral enquanto eu lambia o resto de vinho que havia ficado em sua barriga.

Boca.

Ele me olhou com um sorriso bastante malicioso no rosto e pediu que eu me aproximasse dele e foi o que eu fiz.

- Parece que nossa brincadeira está acabando – ele disse bem próximo a minha boca.

- Sim, mas nós podemos terminar de outra forma, bem mais prazerosa – eu disse sorrindo maliciosamente.

- Mas ainda falta a ultima jogada – ele disse pegando a garrafa de vinho da minha mão.

Eu abri a boca e ele jogou um pouco de vinho, eu engoli e ele logo me beijou. Liam chupava a minha língua, me fazendo gemer contra a boca dele.

- Hum que delicia, com gosto de vinho – ele disse assim que nos separamos.

Não respondi, apenas o beijei de novo e quando me dei conta nós já estávamos completamente sem roupa e deitados na minha cama nos beijando ferozmente.

Senti a mão de Liam descer até a minha intimidade que já estava molhada e soltei um gemido contra a boca dele quando ele massageou o meu clitóris. O polegar era usado para massagear o meu clitóris enquanto o outro dedo me penetrava rapidamente. Não conseguia mais reprimir os meus gemidos, nunca tinha sentido algo tão intenso quanto aquilo, era uma sensação muito boa meu corpo inteiro estava arrepiado.

- M-mais… – eu disse.

- Tão molhada – Liam diz no meu ouvido.

- Eu não aguento mais Liam, por favor…

- O que você quer (S/N), diz – ele disse penetrando seu dedo mais forte – anda, diz…

- Me come, por favor – eu disse desesperada.

- Seu pedido é uma ordem.

Liam levantou da cama ficou me olhando enquanto chupava o dedo que estava dentro da minha intimidade:

- Você tem um gosto muito bom – ele disse com uma cara de safado.

Ele pegou alguma um pacote de camisinha na gaveta da cômoda e ficou parado na frente da minha cama:

- Vem aqui – ele disse autoritário.

Fui engatinhando até ele, enquanto ele se masturbava olhando bem no fundo dos meus olhos, eu podia ver que o olho dele estava um pouco mais escuro devido ao desejo que ambos estávamos sentindo. Ver Liam se masturbando enquanto me olhava era uma coisa sexy demais, ele sabia muito bem como deixar qualquer mulher louca e sempre que ele podia me provocava e o melhor de tudo é que depois ele conseguia dar conta de todo tesão que tomava conta do meu corpo.

- Ele é todo seu gatinha

Agarrei o membro dele e continuei o masturbando. Fazia movimentos rápidos pra cima e pra baixo. Liam jogava a cabeça pra trás e murmurava alguns palavrões quando eu aumentava o ritmo.

- Me mostra o que você sabe fazer com essa boca linda…

Sem cerimônia nenhuma abocanhei o pau dele o fazendo gemer alto. Passei a língua por toda extensão de seu pênis e pela glande.

- Ah que boca gostosa… Coloca ele na boca, vai – ele disse.

Fiz o que ele pediu e ele me ajudava com os movimentos enquanto jogava a cabeça pra trás, totalmente tomado pelo tesão.

- Não aguento mais, deixa eu te comer.

- Com todo prazer – eu disse maliciosa e ficando de 4.

Liam colocou a camisinha e roçou o pau na entrada da minha boceta que estava completamente encharcada. Nós dois estávamos com muito desejo, acho que aquele jogo acendeu o fogo dos dois.

- Vai logo com isso Liam – eu praticamente implorei.

- Tá querendo me dar é?

- Quero muito…

Ele não me respondeu, apenas meteu de uma vez só, me fazendo gemer alto. Liam ficou um tempo parado dentro de mim e logo começou a se movimentar rapidamente. Apertava meus seios enquanto me penetrava, me fazendo gemer cada vez mais. Ele sabia me deixar louca e parece que abusava cada vez mais disso. As únicas coisas que se ouviam no quarto eram nossas respirações descompassadas, nossos gemidos e os movimentos do Liam pra dentro de mim.

- Ah, mais Liam – eu disse entre gemidos.

- Tá gostando safada? Diz – ele disse dando um tapa na minha bunda.

- Muito… Mete mais, vai.

- Você é muito gostosa.

Liam metia cada vez mais forte e rápido e não demorou muito tempo para que eu sentisse o meu ventre se contrair. Eu estava prestes a gozar.

- Eu vou gozar… – avisei.

- Goza no meu pau então vai

Ele deu mais algumas estocadas e eu senti meu corpo tremer e perder as forças, eu havia acabado de gozar. Liam não demorou muito tempo para chegar ao ápice e caiu deitado do meu lado na cama.

Ficamos em silencio alguns minutos.

- Acho que vou querer aprender outros jogos com você – ele disse sorrindo malicioso.

- Eu vou adorar te ensinar – eu disse retribuindo o sorriso.

Nojo

(Uma ode a Poe)

Meu nome é veneno. Deslizo rubro por entre seus lábios frios. Há pouco, misturava-me ao vinho e derretia suas entranhas. Sua garganta queimava enquanto o estômago desabava molenga entre seus outros órgãos. O fígado desfazia-se em gordura, como sobras de comida descendo pelo ralo. Suas tripas abriam-se como linguiças rançosas. Mesmo assim, você me tomou. Tomou, tomou, e continua tomando.

A cada gole, minhas garras rasgam mais seu esôfago, como um pirata perneta rasgando a pele da tartaruga, sua única refeição em meses ao mar. A cada suspiro, suas lágrimas de vinho tinto dão volume ao copo que me esconde. A cada sorriso, você me consome cada vez mais. Seu vício sou eu, mas meu vício é você.

Seus olhos se fecham e se abrem bem devagar, transformando as piscadas no portão de um fosso bem alto. Sobre seu olhar, o branco passa sem sujar as vestes. Que ironia. Por dentro, tão destruída, mas não deixa de ser linda. Liquefeita, mas cristalina. Vil, mas pura. Sempre sorrindo, de lábios bem cheios. Talvez eu não saiba, tão bem assim, como matar você.

Você se levanta e a janela se abre. A luz me empurra para fora do seu seio. Vou escorrendo embora conforme seus dedos chegam e alcançam os raios de sol. A roupa veste seu corpo nu, roçando o algodão em sua pele sedosa. Seus pés entram nos sapatos, a calça é abotoada. De pouco em pouco, não estou mais lá, e você criou sua manhã. Suas tripas doem, mas você sai pela porta. Sua garganta arde, mas você abre os lábios. Que derrota para mim.

Só me resta esperar em mais uma garrafa de vinho. A dúvida, porém, em mim cresce. Talvez, bem talvez, eu não consiga ser sujeira que você não possa limpar.

Imagine With Louis Tomlinson Part. 1

      Part.2


  P.O.V. S/N
E mais uma vez eu estava ali esperando o Louis chegar, o jantar já tinha esfriado, minha maquiagem borrada, meu vestido já tinha trocado pelo pijama, a garrafa de vinho já estava quase no fim e o presente que antes estava em cima da mesa agora estava dentro da gaveta.
23:00 mais uma taça de vinho.
00:00 mais um episodio de The Originals
01:00 Ligando pro Louis (nada)
02:00 Já tinha aberto outra garrafa
03:00 Metade da garrafa já se foi
04:30 Ele chegou, a gravata frouxa, os cabelos desarrumados, a blusa de botões com os cinco primeiros abertos, o paleto na mão esquerda em quanto na direita estava sua bolça.

- Está atrasado.- falei levando a taça de vinho a minha boca
- Você deveria estar dormindo.- ele falou grosso
- E você deveria estar do meu lado na nossa cama.- falei me levantando e tentando reunir todas as minhas forças para não bater nele
- Oque foi S/N está carente ?.- ele perguntou debochado jogando a bolça e o paleto em cima da poltrona tirando os sapatos logo em seguida
- Estou, talvez porque já faz um mês que eu não vejo meu marido direito, um mês que acordo e ele não está do meu lado, um mês que ele não percebeu nada diferente, talvez seja porque eu não tenho mais meu marido do meu lado.- falei sentindo as lagrimas caírem uma atrás da outra e ele me olhou e deu um paço em minha direção e eu dei dois para trás

- Me desculpa meu amor.- suspirou e me abraçou beijando o topo de minha cabeça
- Eu e os meninos estamos compondo músicas direto pra quando voltarmos das férias já termos tudo pronto.- olhei pra ele e vi ele suspirar
- Me desculpe eu sou uma tola, você trabalhando e eu aqui reclamando.- falei fazendo ele rir  nervoso
- Você não é uma tola.- falou beijando os meus lábios
- Vai tomar banho vou esquentar a comida.- falei o empurrando em direção as escadas, antes dele subir o primeiro degrau ele se virou e beijou os meus lábios mordiscando o meu lábio inferior
- Eu te amo.- olhei pra ele e ele sorria abertamente
- Também te amo Tomlinson.- respondi beijando o seu queixo ele riu e subiu as escadas, fui pra cozinha e liguei o forno esquentando a lasanha e peguei o suco na geladeira fui em direção a sala pegar a taça e a garrafa de vinho quando o celular do Louis vibrou, peguei ele e vi que era uma mensagem da Liza minha amiga estranhei mas mesmo assim desbloqueei o celular e abri a mensagem, foi a pior coisa que eu fiz
Oi amor, a tarde hoje
foi inesquecível já estou
com saudades, espero poder
repetir logo.

Senti minhas lagrimas caindo de novo e segurei a vontade de gritar, poderia ser engano, mas não era logo outra mensagem chegou
Ainda bem que
a S/N é sonsa, ela ainda não
percebeu nada e já faz muito
tempo que nós a fazemos de besta
espero te ver logo meu Tomlinson.

Senti o mundo parar e o cão abaixo dos meus pés sumir, me sentei no sofá e as perguntas começaram a aparecer
Eu não era o bastante?, a quanto tempo?, porque justo comigo?, ele não está satisfeito com o nosso casamento? o que eu fiz pra merecer isso?, Logo ouvi os passos de Louis que parecia correr mas mesmo assim continuei na mesma posição, sentada no sofá com o celular aberto nas mensagens e as lagrimas caindo sem trégua
- Amor é verdade ?.- Louis perguntou aparecendo na sala com o envelope e uma pequena caixa que deveria ser seu presente mas ao menos consegui me mexer
- S/N está tudo bem ?.- olhei pra ele que assim que viu minhas lagrimas correu até mim mas parou assim que levantei a mão
- Não se aproxima Louis.- minha voz saiu rouca e baixa
- Amor você esta me assustando.- ele falou ainda parado
- A quanto tempo você está me traindo Louis ?.- fui direta, não aguentava mais sofrer
- S/N do que está falando eu nunca faria isso com você.- ele falou rindo nervoso e se aproximou coçando a nuca
- Então me explica.- falei me levantando e mostrando as mensagens pra ele que arregalou os olhos
- Amor eu posso explicar.- falou se aproximando e eu me afastei vendo a dor, a tristeza e o medo em seus olhos incrivelmente claros, nós quais passava momentos só observando
- Então explica, sou toda ouvidos.- falei enxugando as minhas lagrimas
- Bom… Eu. A Liza… Bom nós.- ele estava gaguejando não conseguia se explicar
- Como você pode?, o que eu fiz Louis ?, eu te dei tudo, tudo, sempre estive com você, quando sua irmã ficou doente, quando seu padrasto sofreu o acidente, quando o Zayn saiu da banda, sempre estive do seu lado Louis, sempre fiz de tudo por você.- falava tudo num folego só e logo vi lagrimas caindo de seus olhos como ele podia?, ele fazia toda a merda e ainda chora? Idiota, filho da mãe, vagabundo, eu odeio ele
- Amor por favor.- ele falava tentando se aproximar
- NÃO ENCOSTA EM MIM LOUIS TOMLINSON.- gritei o assustando
- Só me responda desde de quando ?.- perguntei com a voz falha
- Amor…-
- Desde quando Louis ?.- perguntei olhando pro chão
- Dois anos.- falou sussurrando senti minhas pernas ficarem fracas e meus joelhos baterem no chão
- Dois anos.- repeti balançando a minha cabeça que doeu na hora
- S/N, vamos conversar por favor ?.- pediu se abaixando a minha frente olhei em seus olhos e depois pro chão
- Sabe que dia é hoje ?.- perguntei pegando o papel de sua mão
- Sei sexta-feira dia oito de novembro Porque?.- falou confuso
- Há exato oito anos atrás nós, nos casamos.- respondi pegando os sapatinhos brancos da caixa de madeira que eu pintei a mão
- S/N.- Louis sussurrou meu nome com sofrimento colocando a mão na minha coxa
- Bom saber que enquanto eu estou aqui esperando por você toda feliz esperando o homem que eu amo, ele está lá comendo a minha melhor amiga.- falei olhando pra ele de forma dolorida - Amor vamos conversar você está gravida.- ele falou pegando na minha mão- Resolvemos a guarda do meu filho na justiça Tomlinson.- falei tirando sua mão da minha - Feliz aniversario de oito anos de casado papai e dois me fazendo de alce.- falei me levantando e pegando meu celular enviando  uma mensagem pro meu irmão
“Ian pode vim me buscar na casa do Louis ?” 
Porque Srt. Somerhalder ?
Longa historia Sr. Somerhalder
Iria sair dessa casa pra nunca mais voltar
- Agora somos só eu e você meu amor.- falei acariciando a minha barriga


Espero que gostem foi feito agora, estava ouvindo Lana e me veio o imagine na cabeça. Amores eu queria saber se vocês querem continuação ?

Mally/