garoto no parque

Quando você chegou eu estava preparado. Já tinha vestido minha armadura e tinha armas em mão. Eu já tinha me apaixonado antes, e não ia me deixar levar por uma segunda vez. Então, eu falhei.
Os primeiros sintomas foram claros: a melhor hora do dia para mim era quando conversava contigo, pensava em você antes de dormir todas noites, eu até sonhei com você algumas vezes, lia e relia nossas conversas. E depois daquele dia que você me beijou no parque eu soube, com toda certeza, eu estava apaixonado. E a história terminou assim: pela segunda vez eu tinha feridas no coração, você não ficou comigo, não namoramos, nem casamos, nem tivemos uma casa com 101 dálmatas, e nem filhos adotivos, e nem nada que eu havia fantasiado. Mas agora eu garanto, estou preparado, me apaixonar de novo? Jamais!
—  Jackson Lemes.
Capitulo 64

(flashback)

Pepa: Hm,olha ela ai,linda como sempre.(sorrindo)

Letícia: Você achou Pe? não tá muito exagerado?(em frente ao espelho)

Pepa: Você fica linda de qualquer jeito.(segurando em sua cintura)

Letícia: Agradando uma pessoa já está de bom tamanho.(sorrindo)

Pepa: Que sorriso bobo é esse hein?

Letícia: Pe acho que estou apaixonada.

Pepa:c-como assim?(surpresa)

Letícia: Sabe aquela garota que eu fiquei naquela festa?(empolgada)

Pepa: Aquela que você descobriu ser filha do chefe do seu pai?

Letícia: Ela mesma.(sorrindo bobo) não tiro aquela menina da cabeça(se jogando na cama)

Pepa: A Le,qual foi,aquela garota é uma pirralha,você mesma disse.

Letícia: Isso foi antes de ficar com ela,aquela garota é…(sorrindo) incrível.

Pepa: E você se arrumou toda assim por causa dela?

Letícia: Sim,a gente combinou de sair depois do jantar na casa dela.

Pepa: Quero ver os pais dela deixar.

Letícia: A gente dá um jeito.(beijando seu rosto) tchau amiga!

(fim do flashback)

Pepa:Tudo o que eu queria era que você percebesse que o verdadeiro amor da sua vida era eu meu amor.(olhando para uma foto de Letícia)

(campainha)

Pepa:Espera ai meu amor ja falo com você.(pondo o retrato no lugar)

Valter:To com medo da casa cair Patricia.(nervoso)

Pepa:Esse mundo tá perdido mesmo,bandido com medinho,essa é nova.(debochada)

Valter:É sério,eu passei ag…

Pepa:Pera,antes me explica o que você fez com aquela peste?(irritada)

Valter:Que peste Patricia?o que eu tenho pra falar é sério.

Pepa:O filho do Fabian anta,eu não falei para você dar um jeito naquela moleque?

Valter:E eu dei,abandonei o garoto em um parque eu te disse que criança eu não matava.

Pepa:É uma ameba mesmo,se eu soubesse eu mesma teria acabado com aquele tranqueirinha.

Valter:Eu deixei ele no parque…

Pepa:No Vila Lobos ameba,próximo aonde a mãe mora,parabéns gênio,já pensou se alguém vê?

Valter:Temos problemas maiores do que se preocupar com o menino.

Pepa:Sério?(desinteressada) tipo?

Valter:Passei pela represa agora,estava a policia,o IML e a imprensa,só podem ter encontrado o corpo do Fabian.

Pepa:E o que eu tenho a ver com isso?

Valter:O que tem é que você matou,se alguém descobre…(nervoso)

Pepa:Só vão descobrir se você abri a boca,afinal só quem sabe é eu e você,a peste não conta porque nem fala ainda.

Valter:Patricia a gent….

Pepa:Tá com medo de que?quem meteu o dedo no gatilho,não foi eu?

Valter:Mas eu sou cúmplice,se a casa cair pra você,cai pra mim também.

Pepa:O francês é arquivo morto,sendo assim,eu não me importo mais,se me dá licença eu tenho que me arrumar.(abrindo a porta)

(na empresa)

Fabricia;Van,você tem certeza que é isso que você quer?

Van:Não era pra ser assim Fabs…mas mediante aos acontecimentos.(sorrindo fraco)

Fabricia;Thata não vai gostar nada,nada disso.

Van:To até imaginando ela toda nervosinha brigando comigo.(rindo)

Eu batalhei muito para conseguir chegar aonde eu cheguei,trabalhar na empresa Aguilar é sonho de consumo de qualquer publicitário,mas eu não podia continuar ali,com ela todos os dias,o mais importante que havia naquela empresa eu já havia perdido.

Lu:Fabs me dá um cart…Van?tá de mudança?(estranhando)

Van:Não,estou ajudando no seu crescimento profissional.(irônica)

Lu:Como?…(confusa) olha Van,eu não tenho nada a ver com a decisão que a Cl…

Van:Já não me interessa mais,eu estou indo embora,o caminho está livre pra você.

Lu:Van que foi q…

Van:Fabs,depois eu volto pra pegar o resto das minhas coisas.(a cumprimentando) Tchau!

Fabricia:Tchau Van!

Lu:Cara o que eu fiz pra ela?

Me surpreendi com a atitude dela,eu não esperava,me senti mal por isso,não era pra ser assim,eu queria estar perto dela,não tinha como negar eu a amava,mas não,eu não ia pedir desculpas,não ia voltar atrás eu não fiz nada de errado,ela fez,eu não sei se conseguiria perdoar uma traição.

Lu:Oi…posso entrar?

Clara:Claro Lu…(respirando fundo) aconteceu alguma coisa?

Lu:eu é que pergunto…a Van foi embora?

Clara:Parece que sim,se demitiu.(olhando alguns papeis)

Lu:E tá tudo bem?

Clara:Tá sim,se ela quis assim…o que eu posso fazer.

Lu:Não precisa fingir pra mim…tá estampado na sua cara que não tá nada bem.

Clara:A Lu eu não queria que fosse assim sabe,ela me traiu mas…

Lu:Você ama ela,mas não consegue passar por cima do seu orgulho e deixar essa história de traição pra trás.

Clara:É…(marejando os olhos)

Lu:Olha Clara,você não quis ouvir a história toda,mas eu não acho que a Van tenha feito isso.

Clara:No dia que eu fui na casa dela,sabe quem estava lá?a Patricia…

Lu:É…(sentando na cadeira a sua frente) ai complica,mas ela gosta de você Cla.

Clara:(negando com a cabeça)quem ama não trai Lu.

Lu:E é por pensar assim que você esta ai sofrendo,se você ama ela cara esquece isso.

Clara:Não dá lu,tem a confiança,eu não conseguiria…

Lu:Mas Cla…

(telefone)

Clara:Oi Fabricia.

Fabricia:Clara o delegado está aqui para falar com você.

Clara:Pode mandar entrar.(estranhando)

Delegado:Com licença dona Clara,boa tarde!(lhe estendendo a mão)

Clara:Boa tarde,qual o motivo da visita?

Delegado:Bom dona Clara,estávamos fazendo buscas na região e conseguimos encontrar seu ex-marido. 

Lu:Já tava na hora…ér..desculpa!

Delegado:Mas as noticias que trago,não são muito boas.

Clara:O que aconteceu?

Delegado:Encontramos um corpo na represa,e tudo indica que seja dele.

(no hospital)

Estava uma situação tensa,os dois resolveram discutir ali no hospital,Thais estava muito nervosa e eu preocupada,toda aquela situação poderia fazer mal ao bebê,mas ela não estava no seu normal para se preocupar com isso,Ray também não ajudava,e aquilo já estava começando a me irritar.

May:Thais para!(entrando em sua frente) isso não faz bem pro bebê.

Ray:Olha Mayra acho que voc…

May:não me interessa o que você acha,o que me importa é o bem estar dela e da criança.

Ray:Claro porque foi você que fez também né?(debochado)

May:Não,infelizmente foi você,e essa criança vai ter que carregar o peso de ter um babaca como pai.

Ray:Cala boca sua…

May:Cala boca você,seu moleque mimado,que foi?o papai obrigou você a vir aqui pagar de bom moço?(alterada)

Thais:May…

Ray:Não coloca meu pai no meio,você não sabe…

May:Não sei do que?da sua vida?na verdade eu sei sim,acompanhei o seu pai pagando a sua preguiça,sua bebedeira,sua falta de responsabilidade,e olha ai o que ele criou.

Thais:May…

Ray:Qual foi Mayra?eu tô aqui não tô?tenho direito de querer saber do meu filho.

May:Agora não é o momento cara ac…

Thais:May eu não tò passando muito bem.(abaixando a cabeça)

May:Calma Thais,o que foi?(preocupada)

Thais:Eu não..não…

May:Meu Deus ela desmaiou.(a segurando)

Ray:Vou chamar o médico.

Um filme passava na minha cabeça,enquanto eu andava por aqueles corredores,dizem que cada um colhe o que planta,mas será mesmo que ele merecia um fim tão cruel quanto esse?apesar de tudo eu acreditava que não,ele não era uma pessoa ruim,suas atitudes eram impulsivas,entrei na sala onde o corpo estava,só o reconheci por suas roupas e uma pulseira que havia colocado no pulso quando Max nasceu. Sai daquela sala quase que correndo,me cabeça estava para explodir,porque alguém faria isso com Fabian?

(no carro)

Lu:Então?

Clara:É ele…meu Deus que cena horrível.(fechando os olhos)

Lu:Caraca porque alguém mataria ele?e porque?

Clara:Eu não faço a minima ideia.(ligando o carro) vamos sair daqui.

E realmente eu não tinha ideia de quem poderia ter feito isso,até onde se Fabian não tinha inimigos e nem amigos,a unica certeza que eu tinha era que a principal suspeita cairia sobre mim.

Doutor:Não foi nada grave,só uma crise de estresse.

May:Está tudo bem com o bebê doutor?

Doutor:Está sim,ela só precisa repousar e evitar passar por estresse como esse,a gravidez não é de risco,mas requer cuidados.

Thais:Eu vou poder saber o que é,hoje?

Doutor:Claro,eu vou buscar o equipamento que está faltando aqui,e já volto.(saindo)

May:Que susto anjo,você tá bem.(segurando sua mão)

Thais:Agora eu tô…(sorrindo)

May:Thais você não pode se estressar daquela forma,isso não faz bem nem a você muito menos ao bebê.

Thais:Eu sei,só que,não acreditei que ele tivesse a cara de pau de vir atrás de mim,depois de tudo o que me disse.

May:Eu sei,eu também fiquei surpresa com ele aqui,mas agora não é o momento de pensar nisso.

Thais:Ele foi embora?(cruzando os braços)

May:Foi,agora,você não vai poder fugir dessa conversa anjo,ele é pai,tem seus direitos.

Thais:Eu não quero que ele…

May:Tá bom,tá bom,depois a gente vê isso.

Doutor:Preparada mamãe?

(Na casa de Clara)

Delegado:Bom dona Clara,já não há mais duvidas que o senhor Fabian Tessier foi assassinado.

Clara:Meu Deus…(passando a mão no rosto) e agora?

Delegado:Bom,até onde sabemos,a unica pessoa com que ele teve uma desavença foi com a senhora,precisaremos colher o seu depoimento e de algumas pessoa ao seu redor.

Clara:Eu sei,mas será que pode ser amanhã?é muita informação pra minha casa,o pai do meu filho está morto,preciso informar a família dele,enfim.

Delegado:Claro,eu entendo,bom amanhã pela manhã eu espero a senhora na delegacia.

Clara:Tudo bem,eu estarei lá.

Delegado:Revisando,a senhora não poderá sair do país,pois está sendo suspeita.

Clara:Eu já sabia,bom obrigada delegado.

Delegado:Com licença.

Lu:Óh Clara,socorro,seu filho quer me morder.

Max:Mama…(estendendo os bracinhos)

Clara:Vem meu amor…(o abraçando)

Lu:E agora Clarete,o que você vai fazer?

Clara:Bom eu tenho que avisar a família dele,que com certeza vai querer que o corpo seja velado lá na França e depois me preparar para enfrentar a mídia.

Lu:Caraca que barra hein…

Clara:Quando o meu mundo resolve cair ele não cai Lu,ele desmorona eu já estou até acostumada.

Lu:Óh,eu to aqui pro que der e vier,hein?

Clara:Eu sei Lu,obrigada.(sorrindo)

(celular)

Lu:É o seu…aqui óh.(lhe entregando)

Clara:Obrigada! (atendendo) alô.

Angelis:Clara…o que estão dizendo na televisão é verdade?

Clara:Depende…o que estão dizendo?

Angelis:Sobre a morte do Fabian.

Clara:É Angel…

Angelis:Eu estou indo ai.

(Na casa dos Aguilar)

Repórter: O corpo do empresário foi reconhecido por sua ex-mulher e que pode ser tornar principal suspeita do crime,a também empresaria Clara Aguilar,os dois tem um filho de um ano e estavam separados já alguns meses e de acordo com a policia.ele estava sendo procurado acusado de tentativa de homicídio contra ela,

Fernando:Mas que droga! (nervoso)

Rose:O que houve?

Fernando:Assassinaram o Fabian,e a Clara tá sendo posta como suspeita.

Rose:Como assim foi assassinado?(assustada)você já ligou pra ela?

Fernando:Eu vou ligar pros nossos advogados,porque da Clara eu espero tudo,logo quando as campanhas vão começar.

Rose:Fernando será que você pode pensar na sua filha pelo menos uma vez na vida?

Fernando: Rosângela,a nossa filha não é conhecida como garota problema à toa.

(Na casa de Vanessa)

Repórter: De acordo com a policia a namorada de sua ex-esposa também terá que se apresentar na delegacia para prestar depoimentos já que ela teria sido a ultima pessoa a falar com o empresário.

Sol:Vanessa!(desesperada)

Van:Que foi mãe?(assustada) que gritaria é essa?

Sol:Mataram o ex-marido na Clara Vanessa.

Van:O Fabian?(surpresa) como assim?

Sol:encontraram o corpo em uma represa,a Clara já está sendo colocada como principal suspeita e você também filha.

Van:Eu?como assim mãe?

Sol:Tá passando ai óh.(apontando para a televisão)

Eu estava na expectativa,quer dizer estávamos,depois do desgaste que passamos enfim o medico deu inicio ao ultra som,eu não estava entendendo nada,já o medico parecia entender tudo,depois de mexer por mais um pouco,sorriu a nos olhar e enfim deu a tão esperada noticia.

Doutor:Se for menino como vai se chamar?

Thais:Henry…(sorrindo)

Doutor:E se for menina?

Thais:Valentina.

Doutor:Então meus parabéns,o seu bebê é….

==========Twitter:@ShowYourMiley==========

Enquanto ele esbanja sorrisos por aí a idiota tá aqui, pensando em tudo que já se foi e não volta mais. Não aceito a forma que acabou, ele simplesmente chegou e disse “Eu cansei, desisto disso, eu e você” e puts, como aquilo doeu, não por desistir, claro que por isso também, mas foi muito mais pelo fato de ser eu e você e não nós. Ficou bem claro que era uma coisa da minha cabeça, o tempo passou, tomamos outros rumos e aquele garoto que encontrei no parque que fixou seu olhar no meu não existe mais. Esse garoto era seguro e seu olhar era único. Hoje em dia só vejo o vazio, uma pessoa que faz as coisas por impulso para impressionar outras. Seus programas preferidos de domingo passou de filmes com pipoca para mulheres em volta. Às vezes eu até penso que eu não te perdi, me livrei, mas eu não consigo acreditar que aquele garoto se foi. Algo me prende, esperança. Tola eu, me prender em tão pouco, não reconhecer minha essência, eu preciso de homem, não garotos feito ele. Especialmente não preciso dele, agora vejo que nunca precisei. Não sei o que eu tive, que acabou que eu acreditei nas tuas palavras bobas e cheias de mel; não sei o que me deu de não perceber que era tudo da boca para fora, eu estava enfeitiçada para não perceber, só pode. Agora você aparece como uma imagem distorcida do meu passado, mal vivido, tudo tua culpa. Mas eu não queria ficar assim, não queria me intitular uma idiota, pois agora só vejo as coisas ruins, como as coisas aconteceram. Tão tortas, tão frágeis, como tudo se tornou tão distante, eu e você, nem um nó frouxo não é, são barbantes de rolos distintos. Foi meio que o fim do meu conto de fadas, aquilo que eu sonhei desde pequena. Você invadiu meu mundo. Eu te deixei ir depois daquilo, não tive coragem de perguntar o porquê. Por que tu foi embora? Por que desistiu do nós? Acho que serão sempre perguntas sem respostas. Tu se tornou meu passado e, apesar das coisas boas que tivemos, só vejo o quanto tu me magoou quando desistiu. Aquele seu sorriso ainda faz parte da minha memória da mesma forma que suas palavras ainda estão frescas, consigo ouvir você me falando que acabou. Logo eu que tinha tanto medo de te perder quando estávamos juntos, descobri no final que você nunca me pertenceu. Era como se você estivesse ali comigo, talvez por pura obrigação, tentando ter coragem de dar um basta, tantas garotas em sua volta, porém eu nunca percebi. Que sim, você estava lá, mas não, nunca foi meu. Não, nunca esteve lá realmente. Não, nunca estava para mim. E como não percebi isso? cegueira, quando está apaixonada é como se um véu caísse sobre os seus olhos e tudo que você enxergasse fosse a pessoa e o quanto ela é perfeita para você, mesmo com tantos defeitos, ela é perfeita. E você era. E continua sendo. Mas na verdade, não tem que ser, porque continua aqui na minha cabeça? Já não deveria ter saído daqui também?
—  By: Ana Beatriz, Paula, Mayara and Samara written in imperfeita-s.