gabstexts

A beleza depende de cada um. E quando gostamos, ela se molda. Se molda de acordo com o que recebemos diariamente. Através disso a nossa ‘imagem’ aos olhos dos que estão ao nosso redor também se transforma. A beleza é relativa, depende de quem você é, e como lida com tudo ao seu redor, independente de ser com pessoas, casos ou acasos.
—  rosa d'margura

E eu me pego desprevenida às vezes pensando em você, em nós, sem querer… pensando no passado… então olho pra cima, pra não cair mais outra lágrima dos meus olhos, porque sinceramente, não vale a pena chorar por você. És apenas mais um dos amores ou “namoricos” da minha adolescência. Não passou de uma ilusão, um simples período do ano. Cansei de derramar mil lágrimas por quem nem se importava por mim, por quem falava mal de mim, por quem achava que eu não tinha sentimentos. Alguém que se interessa pela outra pessoa apenas pela sua aparência… que só quer curtir a vida, iludindo as pessoas. Eu tenho sentimentos, tenho coração!… E se você não tem, guarde sua alma sem coração só para você, sem iludir ninguém, por favor. Isso é um tremendo favor que estarás me fazendo, depois de tudo que aconteceu. Era “eu te amo”, “te amo muito”, “ vai ser pra sempre”, cada palavra, cada promessa, cada uma ainda mais falsa que a outra. Eu te amei, com todo o meu coração, com todas as minhas forças, e oque eu ganho em troca? Mentiras, e mais mentiras. Eu cansei, até porque, isso não seria duradouro mesmo. Eu vou viver a minha vida, vou ser feliz, que é o melhor que farei. Sabe o verso “Levanta o rosto, princesa, se não a coroa cai.”? irei inspirar boa parte da minha vida nele, e ser feliz.                   — Gabrielly Barros (lonely g1rl)

novamente impulsividade
nessa minha ânsia
deu-se a verdade
que foi mal interpretada
julgada,
logo condenada
e sem julgamento, injustiçada
tentei apostar mais uma vez na minha sorte
ah! sorte!?
apenas em pegar pena de morte
sem chance de ternura
muito menos agrura
e, por fim se tornou amargura
sem ensejo de cura.
—  rosa d'amargura
dor,
ardor
sem cessar, o amor
que correspondido deveria ser
ter,
compreender
me conter ao saber que sem você passarei a viver
sobreviver,
esquecer
que um dia felizes fomos sem querer
entristecer,
magoar
e um dia se queixar do que foi obtido
negado,
substituido
e esquecido.
—  rosa d'amargura
Eu assumo ter esse problema de gostar das coisas mais clichês possíveis. Por que não um carinho clichê? Ou um presente clichê? — Que menina não gostaria de receber uma rosa solitária, quando menos esperasse? — E um amor clichê, por que não?
Talvez as coisas a moda antiga sejam bem mais bonitas e proveitosas que as modernas.
—  Um amor antigo, desses bem clichês. rosa d'amargura
O sentimentalismo vem me derrotando minuto a minuto, nessa noite que se silencia cada vez mais, e faz o mundo se fechar ao meu redor, devido a intensidade dos meus péssimos pensamentos.
—  rosa d'margura
Eu vi nele, imensidão de alegria
Em suas histórias que continham seus amores e amoresias
Ah moço, quem me dera poder tirar toda dor que tens
E finge que não o detém.
Nos teus olhos pude ver teus fantasmas do medo
Que persistem em esconder todos os teus segredos
Medo de segredos de amores
Que se transformam em pavores
De viver assim: sem ter como saber a que veio
Nesses mesmo lugares incertos
‘Lembranciosos’, ansiosos
Ora, nem sei como pude pensar
Que, um dia, o pudesse ajudar
Afinal, ele é muito mais sentimental que eu.
—  rosa d'amargura

Refletindo sobre meu último romance, lembro ter dito “eu vou tirar você desse lugar e assim, seremos só nós a sós”, porém não se deve fazer planos prematuros afinal, a estrada vai além do que se vê. Me desculpe, Aline, por ter te dado a flor pela qual deu-se, naquela primavera, o início do nosso passeio pelo horizonte distante onde os pássaros cantarolavam canções que, cogitávamos ser de amor. Mas, infelizmente, logo veio a descoberta dos verdadeiros sentimentos e vi que Gabriela nunca pudera ser esquecida.

Tá bom, eu sei que tu és uma bela morena e, eu poderia até escrever-te canções como Vinícius escreveu a garota de Ipanema. Entretanto, veja bem, meu bem, você não é alguém pra mim, um cara estranho, sentimental e com tantos traumas, que já pensou até em se atirar do sétimo andar por conta do que sentia por Carol e, não houve reciprocidade.

Por tudo isso, te peço: tenha dó, de todas as minhas desventuras amorosas, inclusive essa, que envolvia você, pois eu só estou atrás de um par que me complete para um samba a dois.

PS: Mesmo tendo sido apenas onze dias, não pense que foi tempo perdido. Guardarei comigo o pouco que restou das boas lembranças que me deixou.

Me encantei

pelos defeitos mais sórdidos,

inclusive pelo teu cheiro impregnante de nicotina,

por tuas roupas amarrotadas,

por teus poemas dedicados a outra menina

e por suas cartas pouco valorizadas que, logo eram largadas.

“Eu me apaixonei por tudo que envolvia você. Por fim, eu fui praí te ver e tentei te dizer para não deixar ser como será, fui tentar te convencer que você precisava abrir sua janela pra fazer da nossa voz uma só nota, numa só melodia, por indeterminado tempo." 

é duro pra mim, admitir
sentir
falta de quem não merece mais
me ver sorrir.

é triste falar
que tenho saudade
de quem me fazia chorar
por me alegrar,
ter me feito amar.

e depois de um tempo
me fez perceber
que mesmo sem querer
me usurpou, apreciou, cativou
e, por fim eliminou.

—  rosa d'margura
Fala pra ele o que sentes, o que pensou naquela noite fria em que bateu a sua porta, com todo aquele sentimento de agonia, por fechar teu coração. Durante todo esse tempo pensaste que toda essa emoção seria em vão, mas não demora, pois mesmo que agora não seja “a hora”, vai sentir-se aliviada por não privá-lo do que tu és. Uma menina, que ao mesmo tempo pode ser mulher, ou o que ele quiser, se ele a quiser, e afeição adequada despuser, jurando que sejam apenas vós, a sós, entre lençóis.
—  rosa d'amargura