g:oneshot

REQUESTED - Taken care of

Request:  Can you take a request for me? Reader is sick and Steve or Bucky (or both, omg) take care of me/her? It can be short. I just need… You know - @becaamm  

Pairing: Bucky Barnes X Reader X Steve Rogers

Word Count: 1, 244

Warning: FLUFF!, Sexual tension, Bucky and Steve being two perfect boyfriends.

(A/N): So, I made this to my love @becaamm​ she was sick (doesn’t know what was, though) and I tried to make this, Is probably really shitty, but I tried and I did with all my heart. Get better, my pumpkin pie. 

MASTERLIST


Originally posted by little--batman


Originally posted by ohevansmycaptain


Pain.

It was all you could feel, it was all you were.

But did you knew the source of it? Nop. Not a single fucking clue besides the various thoughts you were dying in agonizing pain and fever and tears and pain again.

“Doll?” You groaned, lifting your head up to stare at a worried Steve, that single movement making all of your neck and back hurt. “Are you okay?” When one tear slipped down your cheek, he knew that it wasn’t.

He ran away, getting back a couple of minutes later with Bruce and Bucky; your room was dark besides the annoying light the leaked through the open door.

“Ok, Y/N? I’ll have to turn on the lights to check on you, is that alright?” Groaning in response, you closed your eyes to avoid the bright light. You were half-asleep, even though you had been asleep for the last 5 hours before waking up from a 6 hours nap.

Maybe that was what made Steve go check on you, since you wouldn’t miss lunch and dinner when it was his day to cook.

You actually wouldn’t miss him cook, since you would make your entertain watching him sway around the kitchen with a cook apron tied on his waist with a simple sweatpants underneath that made his butt look even more beautiful. And you knew that after half an hour you would be stealing kisses and nibbling on his neck, almost making him burn the food.

“What does she have?” Bucky asked, worry leaking from his words as he rounded you and Bruce like a scared chicken. The thought made you chuckle painfully, yep, you were so sick that you were having weird thoughts.

“I don’t know, but seeing her symptoms… Is not a cold, she’s not with running and or stiff nose. She has a fever and is sweating cold, but that is obviously because of the fever to cool down the tempter of her body and-“

“Pain.” You whispered, hoping that he would shut up with the fast and weird words.

“Where?”

“Everywhere.” The moan that escaped your mouth made both super soldiers get closer to you, caressing the parts they could reach for.

“Can you give her anything?” Steve asked quietly as he ran his warm fingers through your face, ungluing the hair from your sweaty forehead.

“Unfortunately, I can’t. I don’t know what she have, yet. It can be a virus, maybe muscle reaction… We’ll have to wait to see if any more symptoms appears, but until then, she’ll have to drink a lot of water and eat healthy and light things, and-” You draft back to your tired sleep, ignoring Bruce’s speech of what you should do.

A warm feeling invaded you as someone peppered kisses all over your face to wake you up, recognizing the stubble and the scent of Bucky, you smiled and stretched as you tried to shoo away the tiredness.

You looked up at Steve carrying a tray of bows that – by the smell – were juicy fruits.

“C’mon, Darling, you need to eat something.” You groaned while Bucky helped you to sit and Steve placed the tray next to you. When you were outstretching your hand to grab a hold on the slice of watermelon, your blonde boyfriend stopped it gently, denying with his hand and getting himself the piece and handing it to your mouth while your other boyfriend cooed you under his arms and kissed your messed hair.

The warm cloud filled you again as you took a bite on the fruit, appreciating it taking the sourness and dry feeling off of your mouth.

“I probably look like shit.” You humbled, snuggling further into Bucky while accepting Steve’s care of feeding you.

“You look beautiful.” James said without hesitation, stroking your arms and sides as Steve completed:

“As always.” Smiling, you kept eating, receiving approval hums every time you finished one fruit. “Do you want us to do anything, love?” Being laid again with as much love as Bucky could give you, you tried to think of something.

“Can you finish reading to us the book you brought?” He smiled, nodding with his head as you snuggle into the bed with Bucky, waiting to Steve to get back with the book. When he did, he laid on your other side, clearing his throat before starting to read with a calm and steady voice.

Feeling loved and satisfied with your two men next to you, the exhaustion got the best of you, the memories of them kissing and taking care of you that evening filling your thoughts and sending you to an ease and peaceful zone.

You kept waking up from hour to hour, but the voices of them talking quietly about random things made you fall asleep again, their hands caressing your pained parts such as your back and arms.

When you woke up the next morning, you had your head resting on Steve’s chest while Bucky was hugging your back, comfort made you purr, smiling and stroking James’ hand, you took it off of you, quietly crawling out of bed, both of them still asleep when you entered the shower, washing yourself and your hair with the thought that maybe if you felt cleaner, you would get better.

You wrapped yourself on a towel, yawning and getting back to your room. Buck was nowhere to be seen and Steve was going through your drawer of clothes.

“Sit, Kitten.” Doing as told, you waited, still feeling a little bit dizzy from whatever you had. “Why didn’t you call one of us?” You shrugged your shoulders, hearing him sigh before grabbing another towel and drying gently your hair.

“As long as I know, in this relationship, the old ones are you and Bucky.” He chuckled, denying with his head before starting to brush and blow dry your hair, the loud buzz making you cringe slightly.

“Almost done.” When the sound of the door being open got your attention, you looked at Bucky, seeing him with breakfast in hands and was smiling lovingly at you.

“Morning, life.” You received a quick peak on your lips before he placed the food on the bed. “How are you feeling?”

“A little bit better, still tired and in pain, though.” He hummed, waiting Steve to finish whatever he was doing so you could all eat.

“You can eat, if you’re hungry.” Bucky and you denied with your heads, and since your boyfriend didn’t have anything to do instead of watch you almost sleep innumerous times, he decided to help you dress.

“Is that ok to you?” Rolling your eyes, you took off the towel, letting if rest on the bed as you smirked when you heard both of them gulp loudly.

“I thought you were going to dress me?” Steve chuckled as Bucky started to dress you trying to keep his eyes on your face.

Your body wasn’t unknown for them, but they were being thoughtful in not teasing, since you were sick.

After breakfast, you were snuggled between both of them watching your favorite show and didn’t had to raise one single finger for the days that you were with whatever you had.

You knew how much you were loved by both of them, and even though you were one of the ‘leaders’, the one that takes care of the team, you always let them take care of you.

Always.

You loved it, they loved it. 


Condemn to a forever tagging: @fangirlandnerd @tommys-girl1980  @myplaceofthingsilove

All Bucky: @ifoundlove-x0vanessa0x 

One Shot Liam Payne

  • Pedido por @maritoml - Eu queria um do Liam. Ele é empresário e tem uma sócia que dá em cima dele. Ele fica bem balançado mas não trai a Sn. Eles são casados e tem 3 filhos um mais velho e 2 mais novos, pode ser de idades diferentes. E a Sn começa a perceber que ele anda agindo estranho. Não chega cedo, não dá atenção aos mais novos e nem a ela. Aí ela começa a se pergunta se o problema é com ela e o filho mais velho perceber o que está acontecendo e fala com o Liam eles brigam mesmo e a Sn ate se separa dele e as crianças sofrem com isso ele faz de tudo pra ela perdoar ele e ela o perdoa.


Liam não sabia o que fazer para quebrar a rotina que havia criado, ele até tentava, mas sempre perdia para a sua inconsequência e ficava no escritório mais do que devia. A única coisa que ele conseguia fazer no fim do expediente era atravessar o corredor e entrar na sala à frente da sua. Era errado, mas ele gostava de ficar observando a sócia organizando os arquivos que usou durante o dia, eles conversavam enquanto ele a assistia agachar naquela saia social apertada.  

Na primeira vez que ela o chamou para conversar, ele pensou que se tratava de uma brincadeira quando ela ficou de costas para ele abaixando e levantando para pegar as pastas em uma caixa no chão enquanto o dava uma ótima visão de sua bunda. Depois ele pensou ser uma espécie de jogo onde ela testava a fidelidade dele a esposa, agora ele tem certeza que tudo faz parte de uma sedução cautelosa e bem planejada.

Ele se sentia mal, mesmo que não houvesse toque ou qualquer tipo de contato, haviam pensamentos, pensamentos esses que não eram nada puros, ele sentia como se estivesse traindo a esposa mesmo que não quisesse. Todos os dias que ficou até mais tarde no escritório, todos os dias que esqueceu o jantar em família e todos os dias que não beijou a esposa ao dizer “boa noite" contam como consequência do que estava fazendo, estava sendo natural decepcionar as pessoas que o ama, mesmo que ele não desejasse isso.

(Seu nome) havia acostumado se olhar no espelho sempre antes de dormir, ela estava a procura do que fazia seu marido não querer voltar para casa no horário que sempre chegava e ela encontrou. Ela encontrou uma mulher sem graça incapaz de despertar interesse no homem que ela ama, ela já foi atraente, mas hoje não mais. Bem, na concepção dela.

Ela estava arrasada, tentava não deixar transparecer para que os filhos não notasse, mas por dentro estava uma verdadeira ruína. Liam parecia ter esquecido que estava casado com ela, suas falas eram escassas e dava para notar de outra galáxia que ele estava  distante.

Ainda se olhando no espelho, (seu nome) tentava arrumar seu cabelo de um jeito que a deixasse mais bonita ou interessante e quando pensou que não era possível, socou o espelho deixando com que lágrimas banhassem seu rosto e sangue os nós de seus dedos.

— Mãe? — Ian, o filho mais velho com dezessete anos, entrou no quarto ao ouvir o barulho enquanto passava pelo corredor — Mãe, o que aconteceu? — ele se assustou ao ver o estado da mulher.

— Não! — ela esticou o braço pedindo para que ele não se aproximasse — Tem vidro pelo chão.

Limpando o rosto com a mão que não estava machucada, (seu nome) saiu com cuidado de onde estava e foi embalada pelos braços do filho enquanto ele a pedia para se acalmar.

— Mãe, por favor me diga o que aconteceu, eu estou aqui por você. — Ian acaricia o cabelo da mulher e beija sua testa carinhosamente a levando para se sentar na cama.

— Não aconteceu nada, querido… Foi só um descuido, nada com o que se preocupar. — ela tentou sorrir, mas saiu como uma careta de quem sente dor, o rapaz já havia notado que a mãe estava reagindo mal desde que seu pai resolveu que o trabalho era mais importante que a família, ele estava cheio de fingir não saber de nada.

— Vai ficar tudo bem, eu vou cuidar de você. — Ian falou docemente, mas para ele era como uma promessa. Deixando-o por alguns segundos, ele foi até o banheiro pegar o kit de primeiros socorros que a mãe tinha guardado.

(Seu nome) já não chorava mais e agora estava adormecida no meio dos cobertos com a mão enfaixada, Ian agradecia mentalmente aos céus que ela havia parado de chorar e descansava agora, ele odiava vê-la sofrer, ela era a pessoa mais importante para ele.

Ian já havia terminado de limpar todos os cacos de vidro no chão, ele estava amarrando em um saquinho quando pôde ouvir a porta do andar de baixo abrir, ele sabia que era o seu pai e algo dentro dele borbulhou querendo uma explicação.

— Por que você insiste em fazê-la sofrer? Por que ainda volta para casa se não se importa? — Ian descia as escadas rapidamente lançando as palavras contra o homem que pendurava o casaco no cabide próximo a porta.

— Do que você está falando? Não está na hora de ir para cama? — Liam não deu muita importância, desfez o nó da gravata e tirou os sapatos.

— Não me trate como se eu fosse da idade das minhas irmãs, eu sei muito bem o que está acontecendo e sei que você está traindo a minha mãe. — Ian parou em frente para o pai como se o desafiasse.

— Você está se achando muito homem para fazer essas acusações infames. — Liam riu com desdém — Não diga coisas que você não sabe. — desviando do corpo do filho, Liam continuou a seguir caminho.

— Você está fazendo mal a ela, você é tão canalha que não consegue enxergar. — Ian se virou para o pai.

— Vá dormir, você está sonhando. Eu estou cansado e não ajuda em nada eu chegar em casa e ouvir tanta besteira. — Liam estava quase subindo o primeiro degrau da escada e então parou.  

— Claro… O que ajuda é chegar em casa e ter uma esposa dedicada enquanto estava sabe-se lá onde se divertindo com alguma vagabunda.

— Você cala a sua boca e não diga essas besteiras! — Liam alterou o tom de voz e se colocou de frente ao filho apontando o dedo em direção ao seu rosto — Se sua mãe te escuta falando essas mentiras ela vai ficar mal e a culpa vai ser sua.

— Minha culpa? — Ian já estava se irritando, ele se forçava a lembrar que o homem a sua frente ainda era o seu pai — Você é o responsável por ela chorar, você está a machucando e a destruindo. VOCÊ! — ele bateu na mão do pai a tirando de seu rosto. Os dois estavam cara a cara como se estivessem prestes a partir para a agressão.

— VOCÊ AINDA É UM MOLEQUE! NÃO TENTE AGIR COMO UM HOMEM. ME RESPEITE QUE EU SOU O SEU PAI! — Liam agarrou a gola da camisa que Ian vestia gritando próximo ao seu rosto para deixar claro quem ainda era o homem ali.

— Liam! — (seu nome) desceu as escadas correndo em direção aos dois e se colocou no meio deles olhando assustada para o marido — Por Deus, o que está acontecendo?

— Mãe, por favor, nós estamos conversando, não se preocupe. — Ian colocou a mão no ombro da mãe para acalmá-la.

— Isso não me parece uma conversa, Ian. Não minta para mim. — (seu nome) se virou para o filho pegando em sua mão.

— O que aconteceu com a sua mão? — Liam perguntou ao notar o curativo.

— Não finja que se importa, a culpa é toda sua. — Ian disse entre os dentes fazendo Liam quase rosnar pela afronta.

— Eu já disse para calar a boca, não me obrigue a te dar a surra que você nunca tomou. — Liam tentou avançar, mas (seu nome) colocou sua mão espalmada sobre o peito dele.

— Você não vai bater no meu filho! — ela falou firme olhando nos olhos amendoados — O que está acontecendo com você, Liam? Você nunca fez uma cena dessas, você é contra agressão e agora eu não estou te reconhecendo…

— Vamos para a cama, mãe… — Ian segurou a mão da mulher, ele não queria que ela voltasse a chorar.

— Eu estou igual, não vejo diferença em mim, acho melhor fazer o que ele está falando, foi a coisa mais sensata que ele falou até agora. — Liam já estava se virando para sair.

— Vá embora… — (seu nome) falou baixo e Liam quase não escutou — Por favor, vá embora. — os olhos da mulher já estavam banhados pelas lágrimas.

— Você está me mandando sair de casa? — Liam virou olhando a mulher com as sobrancelhas franzidas em dúvida — Você quer acabar com tudo assim?

— Essa decisão não é a mais fácil, eu só não quero mais ficar como estamos… É melhor ter você longe de vez do que te ter perto fisicamente, mas distante em todo o resto… Machuca menos. — as lágrimas desciam pelo rosto da mulher enquanto ela encarava o marido, ele abriu a boca para falar algo, mas o filho interviu.

— É melhor você ir…

Ok.

Liam estava em desvantagem, ele mesmo achava que era melhor ir e dar um tempo para que a mulher pensasse e se acalmasse, ele não estava orgulhoso de vê-la chorar. Tudo o que pôde fazer foi dar um beijo na testa da mulher e subir a escada em busca de uma mochila para que colocasse alguns pertences, antes de sair de casa viu a mulher chorando nos braços do filho.

— Mamãe… Eu quero o papai… — Ashley, a filha mais nova com três anos, disse com um pouco de manha. Todos os dias ela pedia pelo pai.

Haviam se passado uma semana desde que Liam saiu de casa, ele ligava quase todos os dias para saber como as crianças estavam e fazer consequentemente (seu nome) chorar quando a ligação era encerrada. Estando longe, ele parecia se preocupar mais do que quando estava perto e quando ele perguntava sobre ela, a fazia chorar mais ainda. Ele ainda se importava a final.

— Eu também, meu amor. — (seu nome) segurou a mão da filha sentindo o olhar do filho queimá-la, ele não queria que o pai retornasse — Mas por enquanto que tal fazer um desenho bem lindo para quando ele chegar? — ela perguntou com uma animação ensaiada e a filha pulou da cadeira com um sorriso.

— Eu vou fazer um desenho bem bonito! — a menininha gritou enquanto corria para fora da cozinha — Vem Kim! — gritou a irmã cinco anos mais velha que não demorou a seguir para o quarto.

— Para quando ele chegar? — Ian repetiu o que a mãe disse com os olhos focados nela em busca de uma explicação.

— Eu sei que você acha que não é bom, mas eu e o seu pai marcamos de nos encontrar hoje… Ele virá para o jantar. — (seu nome) abaixou o olhar para suas mãos sobre a mesa.

— Eu só não quero que ele volte para repetir tudo outra vez, você não merece sofrer por homem nenhum, mesmo ele sendo meu pai eu não quero que ele fique se for te machucar.

— Ele não vai, querido… Nós vamos nos acertar.

[…]

O jantar foi meio estranho, Ian estava sentado a mesa com cara de poucos amigos como se tivesse sido obrigado a participar, de certa forma ele foi. Liam conversava animadamente com os as filhas mais novas como não fazia a muito tempo, os olhos de (seu nome) se enchiam de alegria com aquela cena.

Depois de terem saboreado a sobremesa, (seu nome) pediu docemente para que Ian levasse as meninas para ver as estrelas lá fora, ela queria privacidade para conversar com o marido e acertar os ponteiros. Sentados no sofá da sala, Liam pegou a mão da esposa.

— Me desculpe pelas coisas que aconteceram, eu quero que saiba que você e as crianças são tudo para mim e eu nunca vou querer o mal de vocês. — Liam falou olhando nos olhos da mulher.

— Onde você ficava quando demorava a chegar? Por que isso estava acontecendo tão frequentemente?

— Eu não vou mentir para você… Eu ficava no escritório com minha colega de trabalho, mas não do jeito que você está pensando. — ele disse rapidamente ao que ela tentou puxar sua mão da dele — Nós dois ficávamos conversando enquanto ela arrumava algumas coisas na sala dela, nem perto um do outro a gente ficava.  

— Como você acha que eu vou acreditar nisso? — os olhos de (seu nome) já brilhavam por conta das lágrimas.

— Por favor, acredite… Eu te amo, eu nunca encostei nela. — Liam mostrou um pouco de desespero — Eu não posso dizer que eu não tinha pensamentos sexuais, mas eu nunca toquei nela e nem pretendia tocar.

— E como isso vai fazer com que eu me sinta melhor? — (seu nome) puxou sua mão bruscamente se afastando do marido — Você me deixava aqui com a cabeça cheia de pensamentos maldosos sobre mim mesma para ficar tendo desejos sexuais por outra mulher.

— Eu sei o quanto é horrível, o quanto eu sou um merda, mas eu não quero que isso acabe com o nosso casamento… Nós temos filhos e por mais que um deles não queira nem me ver, eu ainda assim não quero que nossa família acabe.

— O problema sou eu, não é?! Eu não desperto mais desejo em você, eu não sirvo para nada além de cozinhar, lavar e passar… Eu sou ridícula, eu…

— Não! — Liam segurou o rosto da mulher com suas mãos limpando as lágrimas com seus polegares — Eu sou ridículo, você é a mulher perfeita. Eu sou o errado, eu sou o merda nessa história. — ele mantinha seus olhos fixos nos da mulher — Não chore por minha causa, não chore, por favor. Eu fui consertar tudo, me dê uma chance de mostrar que você não tem culpa de nada e que eu vou melhorar.

(Seu nome) apenas se jogou nos braços do homem enquanto ainda chorava como uma criança indefesa, ela não era forte o suficiente para jogar os longos anos de convivência fora como se fossem apenas dias, não seria fácil para ela e nem para as crianças se adaptarem a vida sem Liam.  

Ela confiava nele, ela acreditava que ele pode mudar, então tudo que fez foi assentir com a cabeça confirmando que ele terá mais uma chance.




Espero que goste

Me desculpem por eu não ter postado ontem como eu pretendia.

- Tay

Andrews

“Andrews”

Archie Andrews - (Y/N) One Shot/Imagine
Word Count: 968
(A/N): Requests are open!

Summary:
For years Archie and you had something more than friendship. Never had you two talked about it but both of you always flirted and found excuses to touch each other and be around each other. You slowly started falling more and more for the red headed boy and you thought he was too until Veronica Lodge showed up in the town of pep.

Originally posted by jughead-thethird

Ever since you can remember Jughead has always hated to celebrate his birthday, but tonight would be the first night he had gotten a suprise party - Betty insisted we would throw him one. During all the planning, you still tried to persuade her otherwise but she - as well as Archie, Veronica and Kevin - didn’t change their mind for one second, so you decided to just go with it and see how it turns out.

After a incredibly failed birthday party for someone who didn’t even want to have a birthday party, you slowly started cleaning up the mess that was in the Andrews’ house. Archie had been drinken too much this evening so you decided to help your friend. Since you can remember Archie and you had been friends, Archie, Jughead and you were kind of like the Three Musketiers when you were younger. But around a year ago, you started developing feelings for the red headed boy and everyone around you - including yourself - thought he was starting to feel the same way. You were always around each other since both of you always found excuses to be, you were somehow always touching each other and the sexual tension between you when you were near each other could be felt in the whole room. 

You heard some muffled, soft voices come from the living room while you were cleaning up. Slowly, while picking some trash up, you made your way to the living room.

“Our lives are all messed up,” you heard Veronica say while you were eaves dropping on their conversation. Ever since Veronica showed up in Riverdale, Archie has acted different towards you when she was around. His attention was fully focused on her and it was like you were thin air.

Eventually you decided to stop eaves dropping and walk into the living room, but you could have decided better than to do that.

You saw Veronica and Archie locking lips. Their kiss looked like it was full of lust and longing.

While standing there still, quiet and in complete shock of the scene you were witnessing, you could feel your heart breaking. Even if it wasn’t your right to, you felt anrgy at Archie but you also felt jealous of Veronica. She was kissing the guy you wanted to kiss for approximatly a year.

After what felt like hours but only was thirty seconds, you dropped the trashcan you were gathering all the classis red party cups in. You ran out of the living room, out of Archie’s house and suddenly stopped when you were in the middle of the deserted street.

“(Y/N)!” You heard the so familiar, lovely voice of Archie yell but you just couldn’t convince yourself to walk over to him or even look at his way. Without even maybe fully knowing, he broke your heart into a million pieces and it would have been way too hard to even be around him now. But right now, you needed tob e strong. You couldn’t run away because you couldn’t let him know what a big effect he had on you.
“(Y/N),” Archie now said while you heard him walk in front of you. Standing with you in the middle of the dark street where one streetlight was still flickering.

 “Archie, I don’t even want to know,” I began to say to him while looking up from the ground but still not looking him in his beautiful eyes.
“I wish you and Veronica the very best together, I do even if doesn’t look like it.” Saying those words to the guy I was in love with, was harder than I would have ever imagined. Never did I actually thought I would wish Archie the best with someone else. The only thing I always thought was that people would wish us the best together. People, like for example Kevin, saying we needed to get a room when we were being to lovely dovey in his eyes.

 “No, (Y/N), I don’t want you saying that,” Archie began while he lifted my head up with his fingers under my chin. Now I was looking righ into his eyes, the eyes that had made me fall hard.
“All I want is you. Kissing Veronica was a mistake because the only person I want to kiss is you. Since a while ago, you have been the only thing on my mind and the only one I wanted to kiss and hold. I like you, wait no, I like you a lot, (Y/N),” Archie continued and I could feel my heart starting to beat faster with every word he said. After a while, I finally heard what I wanted to hear from him and it felt better than ever. But still I was a little pissed about him kissing Ronnie. Why did he kiss her if he liked me that much?

 “If you like me so much, Andrews, why did you kiss Ronnie?” I asked him and I could see by his reaction this wasn’t the reaction he was excepting and hoping for.

 “I don’t know why, (Y/N), all I know is that it was a mistake and I didn’t even want it,” Archie answered me honestly. To be honest, I was content that instead of making up a stupid excuse he was honest with me on that he didn’t even knew why he had kissed her.

 A little smile formed itself on my face and again Archie was suprised of my reaction. Latetly I have been suprising him a lot.

”Well, Andrews, are you ever going to kiss me or what?” I said to Archie on who now appeared a smirk.
And then, after months of wanting to kiss him, our lips finally connected and we shared the most sweet, tender kiss.

Just This Once

Chapter: 1/1
Word Count: 1,423
Pairing: JongKey
Summary: In which Jonghyun finally convinces Kibum to ditch class and Kibum is unlucky.
A/N: originally posted on @ourshineeshrine


“C’mon, Kibum! Just this once, please. I swear we won’t get caught.” whined Jonghyun, jutting his bottom lip out in a heartfelt attempt to persuade the younger male.

Kibum frowned and nibbled his lip softly, genuinely torn. “I can’t afford to get in trouble or miss any classes, Jjong. Exams are coming up, you know.”

Jonghyun grabbed Kibum’s hand from their secluded place by the music room and entwined their fingers together. It was a perfect fit.

“Kibum,” he wailed desperately. “You’re always studying these days, and I just want some quality time with you before your schedule gets even more hectic. Just ditch this one time, I beg you!”

Kibum’s eyes travelled down to their interlaced hands and signed in resignation, lifting his gaze up to meet Jonghyun’s. “Just this once, Jonghyun. But I swear to god, if we get caught…”

Keep reading

A Roll of the Dice

Miraculous Ladybug fanfiction/oneshot

Word Count: 10,254

Rating: Teen for sin

Pairings: Marichat/Adrienette

Summary: Alya gives Marinette a pair of adult love dice for her 18th birthday. Later that night, Chat Noir suggests to Marinette that they play a game with them to see if they work.

Keep reading