futurame

despetala-se

tristes são os caminhos dos homens,
nunca chegaremos a um acordo.
há muito coração nesse abandono,
flores enfeitam o peito do homem morto.

as praças parecem mentira
e são: santo urbano mistério.
as calçadas futuram os limites
aos jovens, que calçam pretéritos.

o tédio nos olhos dos jovens
é a morte que o adulto não vê.
a culpa que assusta um adulto
é o pecado que o jovem não crê.

cínico é o destino da humanidade,
tem um vento encanado na sala.
fantasmas vandalizam tempestades,
enquanto a flor, alada, se cala.