fundo roxo

Em Seus Olhos - Cap 12

Enviei a mensagem, e me sentei na areia úmida e gelada, subi meus joelhos e abracei-os próximo ao meu peito, o céu estava mudando de cor, ali parecia ser um pouco mais quente que Miami, Haviam tons de roxo, no fundo um rosa mais claro e o laranja começou a predominar, peguei meu celular e tirei uma foto e enviei para ela. Ela certamente se lembraria do pedido que ela havia feito para dançarmos ao por do sol.

Resolvi ficar ate o crepúsculo, olhei o relógio e já tinha passado das nove. Resolvi comer em um restaurante que vi na cidade enquanto vinha para cá, entrei em um lugar chamado Carrigans, fiquei do lado de fora, em uma das mesas de madeira próximo a um pequeno canteiro, uma garçonete veio me atender.

- Boa Noite, deseja ver o cardápio?

- Boa noite, não obrigada, já sei o que vou pedir, quero peixe com fritas e uma caneca de cerveja bem gelada, por favor. – Ela anotou o pedido e foi para dentro, eu apoiei meus cotovelos na mesa e comecei a olhar em volta, eu deveria ter vindo para cá outras vezes, ficava muitas vezes só enfiada na empresa ou em algum hotel. Saindo ocasionalmente quando necessário para jantares de negócios, ou com alguns homens e algumas vezes mulheres, esse pensamento me fez rir, o que me impulsionava a sair com aquelas pessoas?

Haviam algumas pessoas sentadas em outras mesas, eu deu uma olhada geral, e vi que em uma das mesas haviam somente garotos, e assim que os vi virei, porque todos estavam olhando para mim, não consegui ver direito nenhum rosto.

Meu pedido chegou. Uma musica começou a tocar muito alta em algum lugar, vi um movimento grande em direção ao fim da rua. Assim que terminei paguei a conta e me levantei, fui andar um pouco, segui o luxo de pessoas, vi que as pessoas estavam dançando, outras menos corajosas estavam em volta só olhando.

Dei a volta para ver do outro lado e então senti alguém pegar minha mão, meu coração disparou, me virei e me deparei com garoto sorridente, bonito, olhos azuis, seu cabelo era loiro muito claro.

- Dança essa comigo?

- Oh! Não! Não, eu.. – mas ele me puxou para o centro, sorriu para uns outros garotos, imagino que fossem os mesmo do restaurante. Acabei cedendo.

- Você não é daqui! – era uma afirmação

- Tenho trabalhado em Miami.

- Está aqui a negócios?

- Não, estou aqui porque.. Mmm.. me deu vontade de ver o mar, de pensar um pouco na vida. – eu sorri para mim mesma, pensando que eu não teria feito isso a um mês atrás.

- Você deveria vir mais vezes. – ele disse colocando a mão nas minhas costas, uma musica conhecida começou a tocar, era a musica da Vanessa, a que ela havia cantado no bar.

Quem está cantando? – perguntei ao garoto, que parou de sorrir e disse achando estranha minha pergunta.

- Gavin DeGraw! – isso! Era ele mesmo, eu sorri. - Você gosta? – agora o garoto tinha começado a deslizar a mão pelas minhas costas.

- A mulher que eu amo gosta! – o sorriso foi desfeito, ele ate parou um pouco ficando sem graça, depois disso ele não falou mais, eu continuei dançando e ouvindo a musica, que era o mais importante, eu ia baixar algumas musicas deles, para me familiarizar.

Assim que a musica acabou o garoto deu um tchau gelado e saiu, enquanto fui pra o carro sorrrindo.

De volta a Miami fui para meu quarto, eu estava realmente exausta, mas de alguma forma estava começando a me sentir mais leve. Me enfiei no chuveiro e tentei relaxar os músculos.

Quando fui para a cama eu peguei meu celular e digitei uma mensagem.

Para: Garota da chuva

Vendo o mundo com outros olhos.. Boa noite, durma bem, onde quer que você esteja.

E quase que instantaneamente eu dormi.

Eu geralmente não sonhava, era muito raro, mas passei a noite inteira vendo olhos castanhos, misturados com fios de cabelos molhados.

***

Acordei e a luz estava por todo o quarto. A bateria do meu celular estava acabando, coloquei para carregar, liguei meu notebook, digitei o nome do cantor e selecionei um dos vídeos.

Minha caixa de e-mail estava cheia, baixei algumas musicas e fiquei ouvindo, enquanto lia meus e-mails e comia uma caixa de biscoitos e suco que peguei no frigobar.

Fiz umas ligações e encaminhei alguns e-mails, Amanda iria me trazer a documentação que seria enviada a alguns sócios da empresa que estavam em Nova York, para que eu assinasse. Eu resolvi esperar na varanda, eu estava ainda com o shorts do pijama quando bateram na porta.

Abri a porta e voltei para pegar uma canela, Amanda olhava para os papeis em suas mãos quando me virei, suas bochechas estavam vermelhas como tomates.

- Ora vamos Amanda, você já me conhece há anos, não fique com vergonha por me ver de pijamas.

- Desculpe senhorita! – eu sorri para ela.

- Quer biscoitos? – ofereci a ela apontando para a caixa.

- Não obrigada, já tomei café da manhã. Vejo que a senhorita está melhor, e fico feliz por vê-la assim! – eu a olhei enquanto assinava a ultima olha.

-É difícil de explicar Amanda, eu estou realmente tentando.

- A senhorita se apaixonou, posso ver. – ela ficou mais vermelha do que antes, ela estava avançando uma linha que nunca havia ultrapassado, mas era Amanda e ela já tinha demonstrado seu afeto por mim, resolvi responder.

- Sim Amanda, dessa vez eu realmente me apaixonei! – ela acenou com a cabeça.

- Eu acho que ela também gosta de você, deu para perceber quando as via juntas, sempre sorrindo e felizes.

- É o que você acha mesmo Amanda? – eu disse entregando os papeis, ela acenou com a cabeça.

Ela já estava se virando para sair, e eu estava na porta.

- Amanda! Obrigada! – ela me mediu dos pés a cabeça ficando tão vermelha quanto antes, o elevador chegou e ela se foi.

Tirei meu shorts do pijama, coloquei uma calça jeans preta e uma camiseta velha, cinza, eu não usava há anos, já estava desbotada. Coloquei um tênis confortável e fui ao banheiro dei uma boa lavada no rosto, escovei os dentes e penteei o cabelo rapidamente. Eu estava pronta para sair.

Desci pelas escadas, quando passei pelo Lobby, vi as recepcionistas sorrindo com muitos dentes para mim, alguns não tão bonitos. Acenei e passei pela porta de vidro, olhei para dentro e elas estavam se abanando. Fui para a lanchonete perto da empresa e pedi um lance para o almoço, peguei uma Coca-Cola e fui me sentar no banco de costume.

Coloquei meus fones de ouvido e dei play, estava ouvindo algumas do Gavin DeGraw que tinha acabado de baixar, enquanto comia meu lanche, lembrei daquele dia feliz, o dia em que passei sorrindo para o celular e agora ele andava tão silencioso.

Lembrei dela entrando no restaurante e o guardanapo com o sorrido, que eu ainda guardo. Olhei em volta para ver se a garota estava por ali.

Eu senti a necessidade urgente do beijo, de ver o corpo dela, de tocar ela pela primeira vez … Eu tentei me acalmar eu estava na rua pensando em como seria tê-la realmente. Eu baixei minha cabeça apoiando-a em minhas mãos e respirei fundo.

Eu tinha que me controlar, acho que eu precisava andar um pouco, espairecer, mas antes mandei uma mensagem para ela.

Para: Garota da chuva

Sinto sua falta…