fiz ontem!

Toda força e foco no mundo rsrsrs

Quem ai acordou faminta e fraca levante a mão 🖐🏻✋🏻👟👞👢👠👣👡bom dia lindas (os), vou explicar mais ou menos a dieta consiste em 10 dias pra perder 13 kls vc basicamente come 100 e 70 kcal… Só que ontem eu comi somente uma rodela de tomate e fiz bastante dança… ontem foi 100 kcal. Hoje é 70 irei comer bem pouquinho de novo rsss..

Originally posted by disappearingdancer

partidas

ontem eu fiz todas aquelas coisas
que você disse que eram erradas
com todas aquelas pessoas
que você não gostava

elas me sorriram
e foram leves
e pela primeira vez em muito tempo
me senti realmente bem

e percebo agora que a gente acabou

a epifania me vem
com um gosto amargo de rancor
pelo tempo perdido
pelo amor desperdiçado

pessoas novas entraram na minha vida
pessoas velhas voltaram
elas destrancaram as minhas portas
abriram minhas janelas
e mostraram uma paisagem nova lá fora

o mundo é vivo e verde
e contrasta com a aridez insustentável
que fomos nós dois

estou indo embora do que a gente foi
e quando ele encontrar uma pessoa
mais bonita do que você
ou mais perto, ou mais inteligente
ou melhor
e for embora outra vez
você não vai ter pra onde voltar

nossa casa está trancada
nossas memórias jogadas
debaixo da ponte do trem
não há mais nada
não há ninguém
adeus

9

em homenagem a estreia de riverdale ontem, eu fiz esses iconszinhos das rainhas mais adoráveis de riverdale

like or ©  lillycolisn

Imagine Liam Payne

  • Pedido: Faz um do liam, que eles são casados, mas vivem brigando, no meio da briga o Liam acaba batendo nela e ela conta de esta gravida pra ele ele chora e pede desculpa, com final feliz (0129131225)

————————————————


O relógio já marcava 00h45 e nada do meu marido chegar. Isso estava acontecendo com uma regularidade absurda nos últimos tempos. Nós vivemos brigando e discutindo dia após dia. E eu tinha a plena certeza que isso iria acontecer novamente assim que ele passasse por aquela porta.

Eu realmente não sabia o que estava acontecendo com a gente, com o nosso casamento e com o nosso relacionamento. Nós começamos a brigar com regularidade.

E isso vem me preocupando ainda mais nos últimos tempos; nos últimos 47 dias. Eu descobri que estou grávida; com pouco mais de 1 mês. Eu fico pensando como vai ser. Como iremos criar essa criança em um lar calmo e tranquilo sendo que não conseguimos ficar um dia sem brigar? 

Eu estava adiando em contar isso pra ele. Mas não tem como eu esconde por mais muito tempo. Então, não me resta outra alternativa a não ser contar de uma vez por todas que eu estou grávida.

Escuto barulhos vindos da porta e vejo Liam entrar cambaleante por ela. Meu sangue ferve. Eu respiro fundo para me acalmar.

- Onde estava?

- Por ai. - ele falava enrolado. 

- Não é essa a resposta que eu espero ouvir. Liam, você estava bebendo? - pergunto ainda tentando manter a calma. 

- Estava. Satisfeita? Estava bebendo sim. - ao fim da frase, eu mando para o espaço o pouco de calma que ainda me restava.

- Que bonito, não? Enquanto sua esposa está aqui, preocupada com você, esperando você chegar, você está no bar, bebendo e se divertindo com seus amigos. Você se esqueceu que você é um homem casado e que tem responsabilidades agora?

- Não começa, vai. Não estou nem um pouco afim de falar sobre isso. 

- Ah… você nunca está afim. Liam, pelo amor de Deus, você está se dando conta do que está acontecendo com a gente? Nós brigamos todo santo dia. Eu não aguento mais isso. Isso tá acabando comigo, com o nosso casamento. 

- Se você não fosse tão chata, se você não pegasse tanto no meu pé por cada coisinha mínima que eu faço, talvez não brigássemos tanto. Mas a única coisa que você sabe fazer é achar coisa onde não tem e começar uma briga. 

- Vendo coisa onde não tem? Você jura? Meu marido, ao invés de voltar pra casa, ficar um pouco comigo, de dar atenção, prefere ir pro bar com os amigos, beber, e fazer sei lá mais o quê; e eu tenho que ficar quieta? - me aproximei dele. - Sabe quando isso vai acontecer? Nunca! - falei mais alto.

- Você fica me esperando voltar, fica me esperando chegar em casa só pra ter o prazer de se fazer de vítima. 

- Vítima é o caralho! - gritei. - Eu fico te esperando porque eu fico preocupada com você, porque eu acho que pode ter acontecido alguma coisa com você. E hoje, em especial, eu fiquei te esperado porque eu precisava conversar com você, te contar uma coisa. Eu não sou a única errada nessa história. Mas você, como bom idiota que é, não percebe isso. 

Foi rápido e inesperado. Eu senti meu rosto queimar. Eu havia levado um tapa. Do meu próprio marido. O encarei com ódio, raiva, indignação e com lágrimas escorrendo pelo meu rosto. 

- Você nunca mais vai encostar um dedo em mim. Você nunca mais ouse fazer isso de novo. Eu não quero que você chegue perto de mim ou dessa criança que está aqui dentro. 

Me viro e corro para o meu quarto. Após fechar a porta, me permito desabar a chorar. Colocando tudo que está me fazendo mal pra fora. Como ele teve a coragem, a capacidade de fazer isso? Eu ainda não conseguia acreditar. 

Acabei sendo vencida pelo cansaço e sono e acabei por dormir. 

**

A noite de sono foi turbulenta. Tive alguns pesadelos durante a noite e acordava assustada e suada. 

Ao abrir os olhos de manhã, vejo Liam parado, em pé, me encarando. Seus olhos estão inchados e sua expressão é de dor, tristeza, pesar. 

Me sento na cama e ele se aproxima.

- Aquilo que você falou ontem… sobre ter um criança dentro de você… É mesmo verdade?

- É… Por que iri mentir? - ele olhou para baixo e vi lágrimas tomarem conta do seu rosto. 

- Eu… Eu juro que não queria ter feito aquilo. Eu… Eu… - ele não conseguia falar. Ele realmente estava mal. E vê-lo daquela forma partiu meu coração. Ele se sentou na cama e me encara. - Eu estou muito estressado ultimamente, e acabo descontando em você. Como eu fiz ontem. Me perdoa… - segurou minha mão. 

- Se você está tão estressado, tão irritado… por que prefere sair por ai bebendo como se fosse uma pessoa solteira e livre, do que vir conversar comigo, explicar o que está acontecendo? Quem sabe eu poderia te ajudar… É isso que é o casamento, Liam. - digo e ele funga alto.

- Eu não sei porque comecei a fazer isso… Pressão dos meninos, influências.. Sei lá. A única coisa que eu sei é que eu só preciso de uma chance sua, pra ser uma pessoa melhor, pra concertar meus erros. Por favor, não me deixa. Eu amo você. Me perdoa, por favor…

Eu só conseguia perceber arrependimento e sinceridade nas palavras dele. E, por mais que o tentasse, não conseguiria o odiar pro resto da minha vida. Eu o amo. O que ele fez foi grave e errado. Mas não muda em nada meus sentimentos por ele.

- Vem aqui! - abri meus braços e o abracei apertado. - Eu não vou te deixar. E sim, eu te perdoo. Mas só se você me prometer que vai mudar; que vai conversar mais comigo e que vai me contar seus problemas para que possamos resolvê-los juntos. Ok? - ele me encarou.

- Eu prometo! Eu aprendi com meu erro, e jamais vou repeti-lo. Eu amo você, mais que tudo! - sorriu levemente e se aproximou de mim, segurando minha nuca. 

Seus olhos, que antes encaravam profundamente meus olhos, passaram a encarar minha boca por alguns segundos; para depois a beijá-la com carinho. O beijo foi calmo, suave, delicado. 

- Eu prometo que vou mudar, e que não vou desperdiçar essa chance. Eu vou ser o melhor marido e o melhor pai! - disse sorrindo animado e passando a mão na minha barriga.

- Tenho certeza de que vai! - acariciei seus cabelos. 

- Faz quanto tempo que você descobriu?

- Faz quase 1 mês que descobri… Mas estou com 1 mês e 3 semanas de gestação! Ou 7 semanas, 52 dias… Como quiser! - ele riu.

- Você me deu um presente que jamais poderia pensar em receber… 

- Que presente?

- Uma família! - sorri e o beijei. Ele me abraçou forte, e ali eu tive a certeza de que as coisas seriam diferentes e que seríamos uma família muito feliz!!

[…]



/Helo^^


Me contem o que acharam!

A misericórdia hoje, me esperava despertar. A misericórdia hoje, me olhava dormir. E o seu olhar era tão leve, era tão puro e forte, decidido a me perdoar, e me dar mais uma chance, de no centro da vontade de Deus eu ficar. E ela esqueceu tudo o que eu fiz ontem, e ela me vê com os olhos de Deus. Não desiste de mim, mesmo me vendo assim. Não vê o que a vida me fez, ela sabe os planos de Deus pra mim.
—  Bianca Toledo
One Shot - Harry Styles
  • Pedido

-Oi, amor. - Harry disse assim que abri a porta. - Você está linda.

-Obrigada. - Sorri. - Você também não está mal. Vamos? - Ele assentiu.

Harry tinha uma festa para ir hoje. Não queria que ele viesse, e ele percebeu isso, já que acabou me convidando. Eu confio nele, mas as únicas coisas que fazem nessas ocasiões são beber, beijar e fumar, suavizando a situação. Portanto, por que ele viria aqui sozinho?

Peguei minha bolsa em cima do sofá e saímos de meu apartamento, fechando a porta em seguida. O caminho até a casa de Dean durou cerca de quinze minutos, e fomos cantando juntamente com as músicas que tocavam no rádio durante o trajeto.

-Harry, (s/n)! Podem entrar. - Dean falou, nos cumprimentando a seguir. - Divirtam-se. - Piscou.

A música estava bastante alta, e a visão era dificultada pela escuridão do local, que tinha todas as luzes apagadas, exceto alguns spots coloridos que brilhavam de um lado para o outro com diferentes formas e tons; Pessoas se empurravam e esbarravam em mim o tempo todo, além do fato de eu ter que presenciar casais praticamente se engolindo durante o beijo, enquanto Harry me puxava pela mão até o bar improvisado na cozinha.

-Quer beber alguma coisa? - Neguei.

-Você também não deveria beber, já que vai dirigir.

-Só vou tomar um copo.

-Olhe lá…

-Qual é, (s/n), vamos nos divertir! - Revirei os olhos. Nunca fui adepta à ideia de que é necessário ter bebida envolvida para acontecer a diversão.

-E aí, meu! - Um amigo do Hazza avistou-o, dando um leve abraço. - Há quanto tempo! Os caras nem sabem que você está aqui, vem comigo! - Puxou-o pelo braço para o centro da sala. Meu namorado virou para mim, sussurrando um “eu…”, mas eu fiz um beleza com a mão, avisando que estava tudo bem.

Peguei um pouco de água e decidi ir para a parte de fora atrás da casa, para poder respirar  ar puro. Ao contrário do que planejava, diversos fumantes estavam lá reunidos, encobrindo o oxigênio com suas nuvens de fumaça.

Dei meia-volta e voltei para a parte de dentro, decidindo ir ao banheiro. Tive um pouco de dificuldade de encontrar a porta certa, visto que todas estavam fechada, fazendo com que eu precisasse abrir de uma em uma até encontrar a correta.

Girei a chave para ficar trancada, já que poderia aparecer um bêbado tarado ou algo do tipo. Retirei o batom que havia utilizado, retocando-o. Não que realmente estivesse precisando, mas queria gastar o tempo.

Sentei na tampa da privada e fiquei mexendo no celular por alguns minutos, quando decidi sair, com medo de ter deixado meu namorado preocupado.

Olhei o celular e percebi que já era quase uma da manhã. Fui até a cozinha pegar um pouco mais de água, sentindo o tédio me dominar. Decidi finalmente chamar Harry para irmos embora, encontrando-o no mesmo local em que havia visto-o pela última vez.

-Amor. - Pousei minha mão em seu ombro. - Vamos?

-Ahhh, ainda é cedo, (s/n). - Riu.

-Você bebeu mais? - Questionei indignada.

-Não, não. Estou alterado por causa do suco de abacaxi.

-Harry, você disse que só iria beber pouco… Você está bêbado! - Sussurrei, tentando ser discreta na frente dos amigos dele.

-Para de encher o saco, meu! - Falou alto, não fazendo questão de fazer o mesmo que eu.

-Vamos embora, e eu vou dirigir! - Puxei-o pela mão, mas ele permaneceu parado. - Está esperando o que?

-Eu não vou. Quer ir, vai você. - Ele só pode estar brincando comigo. Todos os seus amigos ali presentes, agora prestavam atenção na nossa conversa.

-Como é?

-Vai sozinha! Pelo menos assim você para de encher o saco. - Fiquei encarando-o, não acreditando em suas palavras. - Vaza!

-Ok, Harry. - Disse, pegando as chaves de seu carro em seu bolso.

-O que você está fazendo?

-Você não acha que eu vou pra casa a pé, não é mesmo? - Não esperei ele responder, virando de costas e indo para a saída.

(….)

Havia acabado de acordar, e já havia mais de dez ligações perdidas do Harry, sem contar com as mensagens. Decidi ignorá-lo, mas não adiantou muito, visto que às 15:00 h, a campainha tocou.

-O que você quer? - Perguntei ríspida, deixando a porta aberta para que ele entrasse, mas fui em direção à cozinha para mostrar que estava ocupada.

-Primeiramente, meu carro. - Fuzilei-o com o olhar, mas joguei a chave em sua direção com um pouco de violência. - Ai! - Reclamou, já que o objeto atingiu sua “joia”.

-No alvo. - Sorri ironicamente, e ele suspirou.

-Ok, ok, eu mereci. Eu também vim pra pedir desculpas. - Cerrei os olhos em sua direção. - Eu sei que fui extramamente idiota, que te magoei e falei coisas que não deveria e que não eram verdadeiras.

-Sim, você fez uma grande merda.

-Eu sei, desculpa mesmo. Prometo que nunca mais vai acontecer. Inclusive, nunca mais vou te largar como fiz ontem, muito menos te tratar mal.

-Promete? - Assentiu, se aproximando.

-Queria me desculpar passando a tarde com a minha namorada linda. - Sorriu. - Nós podemos tomar sorvete, se você quiser.

-Acha mesmo que você pode me comprar com um sorvete, Harry Styles?

-Eu deixo você escolher três bolas. - Fingi pensar melhor. - Com cobertura e docinhos por cima. - Bufei.

-Vou pegar a bolsa.

O que acharam??? Espero que tenham gostado :-DD.

xx, giu.

7

apenas me livrando de algumas headers que fiz ontem e hoje, © @lylasoweird

A misericórdia hoje, me esperava despertar. A misericórdia hoje, me olhava dormir. E o seu olhar era tão leve, era tão puro e forte, decidido a me perdoar, e me dar mais uma chance, de no centro da vontade de Deus eu ficar. E ela esqueceu tudo o que eu fiz ontem, e ela me vê com os olhos de Deus. Não desisti de mim, mesmo me vendo assim. Não vê oque a vida me fez, ela sabe os planos de Deus pra mim.
—  Bianca Toledo
- Eu não me importo. (Como vai você? Sua família? O Zeus, aquele cachorrinho que lhe dei, como ele está? Ainda penso em você, em nós. Ainda te espero todos os finais de tarde. Seu isqueiro azul tá aqui. Nunca mais lavei aquela blusa que o teu cheiro ficou impregnado. Quando você sorri, me desmancho. Ontem fiz o seu prato predileto. Dormi com seu cobertor.  Morro de ciúmes quando vejo outro alguém entrando na sua vida. Me corrói só o fato de outros lábios estarem tocando os teus. De cada 1000 pensamentos, 1001 são sobre você, sobre seu jeito. PORRA! Ainda gosto, ainda amo você).
—  Saudades de Irene. 
Borboletas no para-brisa

Ontem fiz força pra chorar. Anteontem fiz força pra sorrir: escancarei os dentes e os olhos também, saiu mais pra uma carranca. Não me lembrava da parte que também exigia escancarar o peito, o coração, o âmago e a alma. Mas que trabalho dá, pensei, e desisti. Amanhã farei força pra existir. Insistir. Tentar permanecer por cima da carne, não seca; podre, mas por cima, juntamente com a carnificina de tudo o que me tentou habitar o peito e morreu na fachada, na estrada, na curva e pá: no para-brisa, feito borboleta que voa, já apesar, também, da vida curta mas que assim como eu, agora, tenta subsistir, existir, insistir, e fracassou. Como borboleta no para-brisa, morta, dura e seca também são as alusões do depois de amanhã, depois de depois de amanhã, e depois é segunda, na terça ninguém nos sabe, ninguém saberá.

Peguei uma canetinha e escrevi atrás da porta do quarto assim, bem grande, feito um grito cheio de exclamações: “amanhã, quando acordar, queira acordar”, mas era só pra medir o meu grau de otimismo em tudo o que me cerca. De nada adiantou. Me lembre de apagar aquela porra, ta ofuscando o meu sono e meu pessimismo.

E, enquanto passo minha oitava noite sem dormir, fecho os olhos, coloco os fones e canto para as paredes pretas que me cercam.

But i’m creep
I’m weirdo.

Incognitar.