finalmente brasil

Imagine Harry Styles - feito por Nath

Pedido: “ Vocês podem fazer um imagine que o Hazza se apaixona por uma fã na tour no Brasil?”

Parte I

Eu não estava acreditando que depois de quase quatro anos de banda finalmente desembarcamos no Brasil, eu sempre tive um carinho e fascinação muito grande por esse grande e lindo país.

Quando finalmente chegamos ao hotel foi uma loucura, centenas de fãs com cartazes gritando histericamente, nos estávamos acostumados a ser perseguidos por fãs, mas as Brasileiras… Deus, elas passaram o nível, e isso é maravilhoso.

Depois de cumprimentar algumas celebridades brasileiras que ocasionalmente estavam hospedadas no mesmo hotel que a gente, decidimos que queríamos conhecer esse lindo país. Mas como se seríamos rodeados por fãs?

- Vocês só podem estar malucos! - disse Zayn pela 4ª vez - Eu não vou sair desse hotel nem se a Emma Watson estivesse lá fora.

- Menininha. - disse Louis em um tom sarcástico, Zayn quis protestar, mas ele continuou - Shiu, menininha e já era.

- Quem sabe, se não… - começou liam - é loucura, e apenas uma ideia, mas e se alugássemos uma van, quer dizer, uma dessas bem velhas, poderíamos rodar com ela sem ninguém perceber, o problema…

- O problema é que em uma van cabem de 5 a 6 pessoas, somos nós e o motorista, se algo der errado seremos soterrados por fãs. - Zayn cortou Liam de uma maneira grosseira.

- Nossa - Louis disse perdendo a paciência, eles tem brigado muito, isso é assustador - Ninguém te chamou, se quiser ficar ai mofando não tem problema.

E assim a discussão se encerrou.

- Vou pedir uma van no nome do Paul.- Liam disse

**

Já tínhamos visto tudo que poderia se ver quando Niall teve a brilhante ideia de parar em um quiosque na praia, esse menino só pensa com o estômago não é possível, ele cismou que deveríamos comer camarão brasileiro, de acordo com ele todas as comidas ficavam melhores feitas por mãos brasileiras. Estacionamos no quiosque mais afastado e menos atraente, não que ele fosse feio, mas em comparação a todos os outros, ele era bem menos… luxuoso.

Foi ai que nossa sorte começou a mudar.

Sentamo-nos e esperamos alguém nos atender, tinham três garotas lá dentro que tinham idade que pareciam variar de 15 a 18 anos, as duas mais novas nos atenderam primeiro com cara de tédio, mas suas expressões mudaram para surpresa e graça enquanto tentavam inutilmente anotar nosso pedido, acho que nenhuma delas falava inglês. Niall tentava sem sucesso fazer mímica de alguém comendo camarão, depois de 10 minutos elas gritaram com um sotaque brasileiro adorável o nome de outra garota que saiu de dentro do quiosque com as mãos cheias de farinha, gritando o que eu creio que sejam insultos.

Ela olhou para as duas garotas de maneira impaciente, ela parecia a mais velha das três, depois que as duas falaram algo em português, ela pareceu finalmente notar que estávamos lá, li três expressões seguidas no seu rosto - surpresa, alegria e finalmente vergonha - mesmo com os cabelos loiros fora do lugar, as mãos e o avental coberto de farinha, não pude deixar de notar o quanto ela era linda.

Estava descalça e usava bermuda, uma blusa vinho igual a das duas outras garotas, suas curvas mesmo estando em baixo do avental eram perceptíveis, e eu me peguei deixando o olhar por ali alguns segundos a mais do que deveria, pois Louis me deu um chute por de baixo da mesa.

- Des-desculpe pelas minhas irmãs. - Ela começou a falar em inglês, gaguejando um pouco, supus que ela não o usava muito - Nós não estamos acostumados a atender estrangeiros, eles sempre preferem os quiosques grandes e cheios de frescura. Eu sou (s/n).

- Não seja modesta, seu estabelecimento é adorável - Liam foi o primeiro de nós a falar.

- Eu agradeço muito. - Ela corou, acho que não estava acostumada a receber elogios - No que posso ajudar vocês?

- Bom isso é comigo - Niall começou - Queremos a maior porção de camarão que você tiver.

- Caipirinha também, um copo pra cada um. - Louis gritou enquanto ela se afastava, esse bêbado, pensei.

- Claro, só que… - ela voltou para frente da mesa - eu costumo ser a barman, mas nossa cozinheira estava se sentindo mal - Ela tentava inutilmente tirar a farinha das mãos sem olhar para nós - Então eu meio que sou cozinheira barra barmen e atendente de turistas que não falam português, vou demorar só um pouquinho.

- Ótimo. - disse Zayn em tom de sarcasmo. Automaticamente Liam deu um chute nele.

- Tudo bem querida, quanto tempo quiser. - Louis disse docemente, e isso me surpreendeu.

Ela se afastou da mesa com um aceno e voltou para a cozinha, no mesmo instante eu sofri uma enxurrada de sarcasmo e zoeiras.

- Huuuuum, o Romeu gostou do que viu. - Louis começou.

- Achei que eu que fosse me apaixonar por uma brasileira. - Niall disse e dessa vez eu que corei.

- Parem, eu só achei legal uma menina da idade dela trabalhando tanto, geralmente elas só querem curtir e gastar.

- Por favor, né Harry, quase tivemos que pedir um babador. - Até Zayn entrou na brincadeira.

E eu fiquei de cara emburrada até ela voltar equilibrando uma bandeja enorme com porções de camarão em uma mão e na outra cinco copos de caipirinha. Ela fazia aquilo com uma maestria incrível, sem derramar nenhuma gota.

- Espero que gostem e é… - ela pareceu pensar sobre o que ia falar, no fim fez uma careta e acenou com a cabeça - Eu sou uma grande fã, quer dizer, admiro muito o trabalho de vocês, e eu até vou ao show hoje à noite.

- Já sabemos, - Zayn começou sarcástico - quer uma foto, ingressos para o backstage. – E a linda garota o interrompeu.

- Um abraço. - um silêncio se fez, todos pareceram, assim como eu, estáticos, essa garota não era nem um pouco comum. Liam foi o primeiro a se levantar.

- É sempre bom conhecer nossas fãs. - Liam a abraçou, seguido de Louis.

- Desculpe nosso amigo boca dura, ele só está estressado. - Louis voltou ao seu lugar e deu um tapa no pescoço de Zayn que se limitou a levantar, abraça-la e voltar para o seu lugar.

- Essa comida é demais. - Niall se levantou e a abraçou também cortando finalmente o clima tenso - Se um dia for a Londres e não tiver onde ficar é só me procurar, troco estadia confortável por essa comida todos os dias. - Ela abriu um sorriso radiante e voltou a corar.

Levantei e a abracei assim como os outros, mas me deixei demorar um pouco mais, e no final beijei delicadamente suas bochechas.

- Você disse que vai ao nosso show. - disse depois de dar um gole em minha caipirinha para dar coragem - Qual é o seu setor? - Ela ainda tentava se recuperar do beijo na bochecha e demorou alguns segundos para responder, tão adorável.

- Na pista Premium, em frente ao palco. - ela pareceu notar nossa surpresa - Qual é, sou uma boa economista.

Como ela havia dito bem, poucos turistas chegavam aquele ponto da praia, e os que chegavam pareciam ser velhos clientes, pois eles a cumprimenta com beijos e perguntas sobre a faculdade e os seus pais. Ela tratava todos de maneira doce e gentil, mesmo sempre correndo de um lado pro outro, sempre arrumando algo que as irmãs deixavam fora do lugar. Mesmo assim ela arrumava um tempo para parar e conversar conosco.

Assim então descobri que o quiosque era da mãe de uma amiga, e ela trabalhava lá o ano todo para juntar dinheiro pra pagar a faculdade e ajudar os pais que já eram bem velhos, e que tinha levado as irmãs para trabalhar lá para que finalmente descobrirem o valor do dinheiro e pararem de gastar desenfreadamente.

Fiquei extremamente grato pelos garotos também parecerem estar fascinados nela, por que senão ia dar muito na cara que eu estava dando em cima dela. Não me julguem, eu realmente não sou o que as revistas dizem, é ela que realmente é maravilhosa.

Depois de mais ou menos duas horas, o sol já quase se punha, e nós realmente tínhamos que ir embora. Mas algo me atraía para (s/n) de uma maneira que eu não sei explicar, então quando nos preparávamos para ir embora, fiquei por ultimo na pequena fila para lhe agradecer e me despedir, quando todos já entravam na van, tirei a coragem do bolso e lhe roubei um selinho rápido e antes que ela pudesse me esbofetear coloquei meu celular no bolço de seu avental e sai correndo em direção ao carro.

Meu coração batia incontrolavelmente enquanto eu tentava analisar o que tinha acabado de fazer.  Dei um selinho em uma fã. Estou amarradão nessa mesma fã. Dei meu celular com fotos, contatos e coisas particulares para essa mesma fã.

Eu só posso ter enlouquecido.

Mas ele podia sentir que podia confiar em (s/n) e a ideia de nunca mais voltar a vê-la lhe consumia.

 Continua?

Parabéns de Caetano a Chico

“Chico chega aos setenta (e até agosto sou apenas um ano mais velho do que ele, prazer de dois meses a cada ano). O Brasil é capaz de produzir um Chico Buarque: todas as nossas fantasias de autodesqualificação se anulam. Seu talento, seu rigor, sua elegância, sua discrição são tesouro nosso. Amo-o como amo a cor das águas de Fernando de Noronha, o canto do sotaque gaúcho, os cabelos crespos, a língua portuguesa, as movimentações do mundo em busca de saúde social. Amo-o como amo o mundo, o nosso mundo real e único, com a complicada verdade das pessoas. Os arranha-céus de Chicago, os azeites italianos, as formas-cores de Miró, as polifonias pigmeias. Suas canções impõem exigências prosódicas que comandam mesmo o valor dos erros criativos. Quem disse que sofremos de incompetência cósmica estava certo: disparava a inevitabilidade da virada. O samba nos cinejornais de futebol do Canal 100, Antônio Brasileiro, o Bruxo de Juazeiro, Vinicius, Clarice, Oscar, Rosa, Pelé, Tostão, Cabral, tudo o que representou reviravolta para nossa geração foi captado por Chico e transformado em coloquialismo sem esforço. Vimos melhor e com mais calma o quanto já tínhamos Noel, Haroldo Barbosa, Caymmi, Wilson Batista, Ary, Sinhô, Herivelto. A Revolução Cubana, as pontes de Paris, o cosmopolitismo de Berlim, o requinte e a brutalidade de diversas zonas do continente africano, as consequências de Mao. Chico está em tudo. Tudo está na dicção límpida de Chico. Quando o mundo se apaixonar totalmente pelo que ele faz, terá finalmente visto o Brasil. Sem o amor que eu e alguns alardeamos à nossa raiz lusitana, ele faz muito mais por ela (e pelo que a ela se agrega) do que todos nós juntos.”

Abandono
  • Tudo estava fluindo. Mas bem que diziam "Quando tudo está indo muito bem, desconfie". Mas você quis aproveitar.
  • Você: Ainda não acredito que estamos juntos ~sorri e o beija~
  • Luan: Pois pode acreditar meu amor ~te beija e morde seu lábio~
  • Vocês estavam sentados no chão da varanda no hotel de Aruba, admirando o mar.
  • Você: Eu te amo sabia?
  • Luan: Eu te amo bem mais
  • Você sorri
  • Você: Mas acho melhor a gente não falar nada pra suas fãs
  • Luan: Uai, porque não?
  • Você: Porque além delas terem que se acostumar com isso, meu pai também vai ter que se acostumar e eu quero ir com calma.
  • Luan: Só por isso?
  • Você: Ah.. Tá confesso.. Se sabe que eu não curto muito ficar sendo o centro das atenções e nem motivo de fofoca.. E bem, cê é famoso né mô. Preciso me adaptar com isso agora. ~morde o lábio~
  • Luan sorri, passa o dedo suavemente por sua boca.
  • Luan: Eu espero o tempo que você quiser meu anjo ~te beija e vocês acabam fazendo amor ali mesmo~
  • Os dias passaram e finalmente voltaram pro Brasil. Você voltou pra correria da faculdade e o Luan pra rotina intensa de shows. Ninguém desconfiava de nada. Vocês se conheciam a pelo menos 1 anos e poucas vezes foram vistos juntos. Você sabia ser bem discreta e todas as vezes que eram flagrados você mudava alguma coisa no cabelo. Pintava, cortava.
  • Luan: Adoro suas loucuras de mudar o cabelo sempre que nos veem juntos ~puxa seu cabelo e ri~ Mai eu gostei, lora
  • Você ri
  • Você: Tudo pra fugir dos sedentos paparazzis ~ri~ Gostou mesmo, amor?
  • Luan: Tá linda assim, loirinha ~sorri~ Acho que se pegarem a gente junto vão achar que é a Piroca
  • Você: Ai, assim espero ~sorri e o beija~
  • Luan: Hm, agora ~selinho~ vamo porque minhas neguinhas tão me esperando ~selinho~ e se eu ficar mais um segundo aqui ~selinho e te prensa na parede~ eu não saio tão cedo e ai é problema ~te dá um beijo daqueles de tirar o folego~
  • Você: Sai daqui agora ~o afasta~ou já vai pensando numa desculpa pra dar a suas fãs por não ter ido a esse show, Luan Rafael!
  • Luan: Faz isso comigo não, muié, que assim eu tenho vontade de ficar e não de ir ~rouba mais um selinho~
  • Você: Eu to falando sério! ~pega a mão dele e o guia até a porta~ Vai embora Luan! ~sorri~
  • Luan: Tudo bem, eu vo, eu vo ~vai saindo~ Mas só mais um beijo ~te puxa e te dá outro beijão~
  • Você: Sai, Luan! ~sorri e empurra ele~
  • Luan: Eu vou, mas eu volto pra gente resolver isso mais tarde
  • Você: Vou estar te esperando, denguinho ~pisca e fecha a porta~
  • Luan: EU TE AMO MUIÉ! ~grita por trás da porta~
  • Você espera um tempo, ouve os passos do Luan se afastando e enfim abre a porta.
  • Você: SÓ NÃO MAIS QUE EU, MEU AMOR! ~sorri, Luan te olha sorri e você fecha a porta~
  • Luan vai pro show, arrasa e lá pelas 4 horas da manhã ele volta e vocês terminam o que começaram.
  • -
  • Um ano e três meses passaram e vocês já tinham assumido o namoro -o que foi até bem aceito por todas as fãs- e você acabou descobrindo que estava grávida.
  • Bruna: GRÁVIDA? ~ela surta de felicidade~
  • Você: Fala baixo, Bruna!
  • Luan: Quem tá grávida? ~entra sem que vocês tivessem visto~
  • Você: LUAN? ~se levanta num pulo~ Eu posso explicar!
  • Luan: Eu ouvi direito? Você tá grávida?
  • Bruna: Acho que vou deixar vocês a sós ~e sai correndo~
  • Luan: Hein SeuNome?
  • Você: Desculpa Luan, eu descobri tem pouco tempo e desculpa eu não queria.. ~ele te agarra~
  • Luan: EU VOU SER PAI! ~te enchia de selinho~ EU VOU SER PAI!
  • Você: Cê tá feliz? ~diz surpresa~
  • Luan: Claro muié! Cê me deu a melhor notícia do mundo! ~te enche de beijo~
  • Você sorri
  • Você: Eu jurava que você ia me matar ~ri~
  • Luan: Tá doida? Logikinão amorzão! ~te beija~ Obrigada por ter me dado a melhor notícia do mundo!
  • Vocês ficaram comemorando, Luan não parava de alisar sua barriga. De repente você ficou tensa.
  • Luan: Que foi, amor?
  • Você: Suas fãs!
  • Luan: Elas vão entender, meu anjo
  • Você: Luan, eu não quero ficar expondo minha gravidez, nosso filho...
  • Luan: Cê sabe que nem eu sou dessas coisas
  • Você: Ainda bem ~dá um selinho nele~ Caramba, nem acredito que tô grávida.. E do cara que eu mais amo ainda ~sorri~
  • Luan: Nós vamos ser muito felizes, minha neguinha ~te abraça~
  • Até que as fãs aceitaram bem, mas quem não gostou da novidade e nem um pouco por sinal foi o seu pai.
  • -
  • Já tinham se passado e seu pai ainda não aceitava sua gravidez, ele já não gostava do Luan depois de toda essa história queria mais que vocês se separassem.
  • Você já estava a caminho da maternidade, pois afinal, o Breno já estava pra nascer.
  • Marizete: Luan, vai procurar o médico!
  • Luan não parava de roer as unhas e andar de um lado pro outro
  • Luan: Quê? Ah não, eles disseram que iam vir me chamar pra entrar pra sala de cirurgia
  • Bruna ri
  • Bruna: Ôh Pi, quem vai parir daqui a pouco é você
  • Luan: Ih Piroca, me deixa ~continua andando mas para quando vê a enfermeira~
  • Rosana: Senhor Luan Santana?
  • Luan: Sou eu
  • Rosana: Queira me acompanhar, por favor
  • Luan: Tá, claro ~ele vira pros pais e pra Bruna~ É agora!
  • Amarildo: Vai lá filhão, vai ver teu filho nascer ~abraça forte~
  • Marizete: Estamos aqui orando pra que tudo dê certo, filho
  • Bruna: Boa sorte, Pi ~se abraçam~
  • Luan vai quase correndo atrás da enfermeira.
  • Após horas numa sala de cirurgia Luan finalmente volta com um sorriso enorme no rosto.
  • Luan: NASCEU! ~e abraça seu Amarildo, Dona Marizete e a Bruna junto~ Ele é lindo! ~se emociona~ Vem vocês já podem conhecer ele
  • Os três seguem o Luan.
  • -
  • Tudo parecia ir bem, mas como havia dito lá no inicio "Quando tudo está indo muito bem, desconfie". Tudo aconteceu após você ter ido na casa do seu pai e ter uma bela discussão com ele. E tudo que você queria era apresentar seu filho a ele. Você deixou o Breno com a moça, que você conhecia a anos e que trabalhava com seu pai e foi dar uma volta de carro, aos prantos. E durante essa volta, você perdeu o controle do carro e bateu de frente em outro carro onde haviam outras quatro pessoas.
  • Foi tudo muito rápido e você já estava no hospital. Tudo parecia ir bem, até você acordar e perceberem que você tinha perdido a memória.
  • -Ligação ON-
  • Jorge: Amarildo?
  • Amarildo: Oi ~desconfiado~
  • Jorge: Minha filha sofreu um grave acidente..
  • Amarildo: E como ela está? ~se exalta~
  • Jorge: Bem. Quero que algum de vocês venham buscar aquele moleque chorão.
  • -Ligação OFF-
  • Amarildo ficou atordoado e ligou pro Rober contando tudo que havia acontecido e foi até Maringá, onde seu pai morava, buscar o Breno. Depois do show o Luan ficou sabendo do que tinha acontecido pegou o jatinho e foi direto pro hospital onde você estava.
  • Luan: CADÊ MINHA MULHER?! ~chegou já gritando, atordoado no hospital~
  • Marcus: Senhor, por favor, aqui é um hospital. Se acalme que eu lhe ajudo.
  • Luan respirou fundo e então viu Seu Amarildo.
  • Luan: Pai! Pai! ~abraçou ele forte~ Cadê meu filho e minha mulher, pai? ~diz aos prantos~
  • Amarildo: Calma filho, o Breno tá bem, tá em Londrina com sua mãe e a Bruna e a SeuNome já está bem
  • Luan: Cadê ela, pai? Eu quero ver minha mulher
  • Amarildo: A gente não pode ver ela, Luan ~olha pra baixo~
  • Luan: É O QUÊ? COMO ASSIM EU NÃO POSSO VER MINHA MULHER?
  • Amarildo: Filho, se acalme! ~segura o ar por um momento e depois solta~ O pai da SeuNome proibiu nossa entrada
  • Luan: Que? ~a voz quase não saia~ Ele não pode...
  • Amarildo: Ele pode, filho. Legalmente vocês não são casados, então, como ela ainda está sedada e quem responde por ela é o pai.
  • Luan: Eu preciso ver minha SeuApelido ~e vai saindo, mas seu Amarildo o segura~
  • Amarildo: Filho, eu já tentei. Se você forçar vão nos expulsar daqui
  • Luan sentou numa cadeira e começou a chorar, seu Amarildo sentou do lado dele e o abraçou.
  • Horas se passaram e o Luan mal mudava de posição.
  • Amarildo: Vamos filho, já tá tarde
  • Luan: Eu não vou sair daqui, pai. Pode ir.
  • Amarildo: Tem certeza?
  • Luan: Tenho
  • Amarildo: Não vai fazer alguma bobagem
  • Luan: Não se preocupe, pai. ~o abraça e seu Amarildo vai embora~
  • Luan continuou observando aquela sala de emergência.
  • Já se passavam das 22 horas quando o Luan viu o seu pai indo embora, ele se escondeu e esperou alguns instantes antes tomar qualquer iniciativa.
  • Luan entrou por uma das portas em que levavam pros quartos da emergência, e logo viu uma enfermeira.
  • Luan: Opa, oi moça, tudo bom? ~assim que a enfermeira viu quem era seus olhos brilharam~ É.. Então, é que eu sou o Luan Santana e...
  • Luiza: Eu sei quem você é, Luan ~sorri~
  • Luan olhou pra mão da moça
  • Luan: É minha fã?
  • Luiza: Sou, e sei que você tá precisando da minha ajuda e eu posso te levar até o quarto onde a SeuApelido tá, mas...
  • Luan: Mas?
  • Luiza: Mas isso pode me comprometer, já que o você está proibido de entrar lá, então ..
  • Luan: Você quer dinheiro
  • Luiza: Assim você me ofende. Quero um abraço seu bobo! ~sorri~ Mas vem, me segue, eu cobro o abraço depois
  • Luan anda na maior naturalidade pelo corredores. Por causa do horário já não tinha tanto gente circulando pelo hospital.
  • Luiza: Olha, ela tá aqui. Mas se a SeuNome acordar, não fala nada, sai e me chama. Se ela contar que te viu eu perco meu emprego e ela não pode passar por emoções fortes, Luan.
  • Luan: Tá bem
  • Luan entrou e quando te viu segurou o choro e correu pro seu lado.
  • Luan: Ainda bem que você tá bem, meu amor. ~ele arrastou uma cadeira pra ficar ao seu lado~
  • Luan ficou cantando baixinho algumas músicas, segurando sua mão, durante pouco mais de 1 hora e meia.
  • Luiza: Luan?
  • Luan apenas levantou a cabeça
  • Luiza: Tá na hora de ir
  • Luan: Só mais um pouquinho?
  • Luiza: Não posso. Quanto mais o tempo passar, mas dificil vai ser te tirar daqui sem que você seja notado, sem contar que já tem jornalista cercando o hospital.
  • Luan: Tudo bem ~suspira e volta a te olhar~ Vou fazer de tudo pra te tirar daqui o quanto antes meu amor ~dá um beijo suave na sua testa e sai~
  • Luan acompanha a Luiza até a saída.
  • Luiza: Agora cê tem que ir nego, precisa descansar
  • Luan: Obrigada viu? ~a abraça de surpresa~ Cê não imagina o quanto eu te agradeço por isso ~abraça forte~
  • Luiza: Que isso meu ano, aquele boboca do pai dela não podia ter feito isso ~Luan continua abraçado com ela~
  • Luan: Brigadão mesmo? ~dá um beijo na bochecha dela~ Cuida bem da minha muié ~sorri e sai~
  • Luiza: Pode deixar, nego ~e volta pro seu quarto~
  • No dia seguinte você já havia acordado e estava bem melhor, porém ainda sem previsão de alta. Luan continuou fazendo os shows normalmente mas pra isso pediu a Seu Amarildo que o mantesse informado sobre sua situação.
  • -Ligação ON-
  • Luan: Fala paizão
  • Amarildo: Meu filho, a SeuNome vai receber alta hoje!
  • Luan: Hoje? ~diz todo empolgado~
  • Amarildo: Você tá onde?
  • Luan: Tô aqui no Dudu, mas to indo prai agora!
  • -Liagação OFF-
  • Luan chegou no hospital depois de pouco mais de 2 horas e ficou esperando você sair com seu Amarildo.
  • Logo quando te viu foi correndo até você.
  • Luan: Meu amor! ~sorriu ao te ver, seu Amarildo fica do lado do Luan~
  • Você olhou para seu pai sem entender nada
  • Você: Eu te conheço? ~tentando se lembrar, o sorriso do Luan se desfaz na hora~
  • Luan: Não se lembra de mim?
  • Você: Deveria? ~olha pro seu pai~ Pai, quem é ele?
  • Jorge: Não faço a minima ideia, minha filha
  • Luan: O senhor me conhece muito bem!
  • Jorge: Ah! Lembrei! Ele é um cantorizinho sertanejo filha ~te olha e sorri~
  • Luan: Meu Deus, porque o senhor tá fingindo que não me conhece? Eu sou seu genro! Marido da sua filha, pai do seu neto! ~seu Amarildo segura o braço do Luan~
  • Você olha pro seu pai pedindo explicações
  • Jorge: Ele moleque tá doido, filha. ~faz cara de triste e olha pro Luan~ Meu rapaz, você não deveria pertubar uma garota que acabou de sofrer um acidente e precisa de total repouso com essas suas sandices!
  • Amarildo: Você sabe muito bem que meu filho não está mentindo
  • Jorge: Ah por favor, até um senhor desta idade querendo por coisa na cabeça da minha filha! Vamos querida ~e vai saindo~
  • Luan te segura e você para e o olha
  • Luan: Acredita em mim SeuNome. Não sei porque o seu pai tá mentindo, mas enfim, nós namoramos, somos quase casados, temos um filho lindo juntos ~segura o choro~
  • Você: Eu não conheço você. Como eu poderia estar casada e ter filho contigo? ~seu pai a puxa com força e vocês vão embora~
  • Luan fica sem reação.
  • Amarildo: Calma filho, não vale a pena brigar por isso agora
  • E então foram embora. Durante dias o Luan tentou ir atrás de você, mas seu pai fazia de tudo para impedir e conseguia.
  • Depois de duas semanas Luan finalmente conseguiu encontrar com você sozinha em casa. Você estava no jardim mexendo nas plantes quando o Luan chegou.
  • Luan: SeuNome?
  • Você: O que você quer?
  • Luan: Quero conversar com você
  • Você: Olha, eu lembro de você, lembro dessa criança que você diz ser meu filho..
  • Luan: Lembra?
  • Você: Lembro. E só quero dizer que se você puder me deixar em paz eu agradeço.
  • Luan: Como é?
  • Você: Isso que você ouviu. Me esquece, Luan. ~e entrou em casa~
  • Luan ficou por minutos na frente da sua casa, chocado com o que ouviu e depois foi embora disposto a seguir em frente.
  • -
  • Anos tinham se passado, Luan já tinha seguido a vida dele e criado o Breno muito bem com a ajuda dos pais. Você tinha se mudado pros Estados Unidos e morou lá durante 11 anos. Quando o Breno perguntava da mãe Luan dizia que ela tinha morrido naquele acidente 13 anos atrás.
  • Você tinha recuperado sua memória quase 100%. Mas faltava um trecho na sua história que você não conseguia lembrar de maneira alguma. Esse trecho desconhecido era o que mais te agoniava.
  • Luan estava nos Estados Unidos para uma turne e por coincidência você o encontrou numa livraria. Por mais lindo que aquele homem alto, de pele clara e olhos negros fosse, o que te chamou a atenção foi um menino que estava ao seu lado. O rapaz, aparentemente bem novo, porém alto e um físico um tanto definido era lindo. Muito semelhante ao pai. Mas algo naquele garoto lhe fazia lembrar de alguém que você conhecia bem. Só não sabia quem.
  • Camila: O que foi amiga?
  • Você: O que? ~olha pra ela~ Nada
  • Camila: Ah tá.. É vou ali em cima ver se tem o cd que eu quero. Você me espera aqui ou vai comigo?
  • Você: Eu espero aqui
  • Camila: Certo
  • Você ficou esperando o Luan se afastar e então se aproximou do menino.
  • Como quem não quer nada ficou procurando algum livro do lado do rapaz.
  • Você: Ei, pode me ajudar? ~olha pro garoto~
  • Breno: Posso tentar ~sorri~
  • Você: É que eu queria um livro bom, pode me indicar algum?
  • Breno: Claro ~olha pra prateleira e você aproveita pra observar bem o Breno~ Eu gosto desse aqui... Mas tá em inglês ~ri~
  • Você: Eu sei ~ri~ Mas então, como é seu nome?
  • Breno: Breno e o seu?
  • Você: SeuNome ~sorri~
  • Breno: Bonito o nome, igual o da minha mãe ~sorri~
  • Você: Sua mãe?
  • Breno: Sim, mas não cheguei a conhecer ela
  • Você: Porque não?
  • Breno: Hmm, é que ela sofreu um acidente de carro anos atrás e enfim não resistiu
  • Você: Sinto muito. Isso tem quanto tempo?
  • Breno: 13 anos.
  • Fleches de memórias começam a vir a sua mente e você tenta forçar sua memória. Sua cabeça começa a doer muito.
  • Breno: Você está bem? ~segura seu braço~
  • Você: Dor de cabeça ~respira fundo e volta a olhar pro Breno~ Você..
  • XX: Breno?
  • Breno se vira na hora
  • Breno: Oi pai
  • Quando o Luan vê você logo te reconhece e fecha a cara
  • Luan: O que você tá fazendo com essa mulher?
  • Breno: Só tô conversando, pai ~diz sem entender~
  • Luan: Vamos embora daqui agora ~pega no braço do Breno e te olha com desprezo~
  • Breno: Mas pai..
  • Luan: Sem discussão Breno! ~puxa ele~
  • Você: Espera! ~pega a mão do Breno~
  • Eles te olham
  • Luan: O que você quer?
  • Você: Eu acho que lembro de você..
  • Luan: Cê já me disse isso ~puxa o Breno e vai embora~
  • Você: ESPERA! ~grita, mas eles já estavam longe~ Vamos conversar... ~sussurra~
  • Luan não diz uma palavra até chegar ao hotel.
  • Breno: Pai, qual o problema com aquela mulher?
  • Luan: Breno eu não quero você com estranhos!
  • Breno: A gente só tava conversando
  • Luan: NÃO IMPORTA! ELA É UMA ESTRANHA! ~se estressa~
  • Breno se assusta
  • Luan: Eu vou dar uma volta! ~sai batendo a porta~
  • Luan vai andando pela cidade, algumas fãs o reconhece, ele atende todas e tenta disfarçar ao máximo. Luan foi pra uns locais mais isolados.
  • XX: Te achei! ~segura o braço do Luan~
  • Luan se vira, era você
  • Você: Por favor, fala comigo!
  • Luan: Não tenho nada pra falar com você ~solta o braço dele~
  • Você: Olha, me escuta! ~Luan começa a andar mais rápido e você vai atrás~
  • Luan: Já disse, não temos o que conversar!
  • Você: Me dá só uma chance!
  • Luan: E porque eu deveria?
  • Você: Porque a 13 anos atrás eu sofri um acidente e perdi a memória talvez esse seja trecho da minha história que eu não consigo lembra e explique essa sua raiva de mim! ~falou tudo muito rápido~
  • Luan: Eu sei que você perdeu a memória. Mas duvido que você não lembre do dia em que você saiu do hospital ou daquele dia na sua casa.
  • Várias imagens vem a sua cabeça, mas tudo embaçado e você tentava forçar sua mente pra se lembrar desses dias, mas por alguma razão você não conseguia. Você via o rosto do Luan na sua mente, mas não via esses momentos que ele havia dito, e isso fazia sua cabeça doer.
  • Você coloca a mão na cabeça.
  • Você: Olha, eu lembro de você ~choraminga~ mas por mais que eu tente eu não consigo lembrar desses dias ai e isso faz minha cabeça doer demais ~chora~
  • Luan te olha com mais compaixão mais ainda faz pose de durão.
  • Você: Eu só queria entender tudo isso! Eu queria entender porque aquele menino na livraria me chamou tanta atenção, porque eu senti uma necessidade absurda de chegar perto dele, de ouvir a voz dele... De saber porque ele me parece tão familiar, mesmo sem eu nunca ter o visto na vida! ~respira fundo~ Mais ainda, eu queria entender porque te ver me olhando assim, com tanto desprezo me dói tanto, me corta toda por dentro e... AAAAAAH ~grita~ Me deixa tentar entender, Luan, por favor!
  • Luan: Não sei
  • Você: Por favor, eu imploro!
  • Luan fica te encarando por longos segundos
  • Luan: Você já viu o Breno na vida
  • Você: Quê?
  • Luan: Ele é o nosso filho, SeuNome
  • Você entra em choque
  • Você: Eu tenho um filho? ~diz sem acreditar~
  • Luan: Nós temos. Mas você o abandonou.
  • Você: Luan, eu não lembro do Breno. Eu nem sabia que tinha um filho! Meu pai nunca me contou...
  • Luan: Seu pai... ~risada ironica~ Ele quem separou a gente
  • Você: Não, meu pai... Ele não teria porque fazer isso
  • Luan: Ele não aprovava nosso namoro, SeuNome. E quando você sofreu o acidente ele proibiu minha entrada e qualquer um da minha família no hospital.
  • Você: Eu não acredito nisso
  • Luan: Pergunta pra ele quem eu sou, talvez ele te responda "Um cantorzinho sertanejo"
  • Você: Ele me disse isso quando eu perguntei de você uma vez ~mais fleches de memória vinham a sua mente e tudo parecia fazer sentido~ Me conta toda essa história, Luan, por favor. Eu preciso lembrar.
  • E assim o Luan começou a te contar tudo desde o inicio e quanto mais ele falava de mais coisas você lembrava, mas não do Breno.
  • Luan: E essa foto aqui cê me mandou antes de ir ver seu pai, no dia do acidente ~te mostra~
  • E ao ver aquela foto, o Breno pequeno, e depois de tudo que o Luan havia dito como um lampejo de um raio o trecho da sua história que faltava surgiu em sua mente.
  • Você olhou pro Luan
  • Luan: Cê tá bem?
  • Você: Eu lembrei
  • Luan: Lembrou?
  • Você: Lembrei de tudo! ~sorriu~ Minha cabeça dói mas dá um alivio grande ~abraça forte o Luan~ Me desculpa! Eu não teria abandonado vocês se eu soubesse de tudo isso antes! ~apertou ele~
  • Luan: Não sabe como você nós fez falta
  • Você: Eu preciso ir
  • Luan: Já?
  • Você: Eu preciso tirar essa história a limpo com meu pai, preciso pensar em tudo isso e arrumar minhas malas
  • Luan: Arrumar as malas? Porque?
  • Você: Eu vou voltar pro Brasil, Luan. Quero ficar perto do meu filho e recuperar o tempo perdido.
  • Luan abre um sorriso enorme e te abraça. Anota seu número e te deixa ir.
  • Você: PAI? ~grita~ PAAAAI!
  • Jorge: Que foi filha? ~desce as escadas~
  • Você: COMO VOCÊ PODE, COMO TEVE CORAGEM DE SEPARAR UM FILHO DE UMA MÃE? O MEU FILHO DE MIM?
  • Jorge: Que filho menina? Está louca?
  • Você: Nem tenta me enrolar ~diz entredentes~ Eu já sei de tudo!
  • Jorge: Enlouqueceu de vez!
  • Você: Não pai! Eu não enlouqueci! Não ainda! Eu lembrei, pai! Lembrei do Luan, lembrei da minha história com ele, lembrei do acidente... ~segura o choro~ do meu filho
  • Jorge: Filha eu...
  • Você: NÃO ME CHAMA DE FILHA! COMO VOCÊ PODE? VOCÊ NÃO TINHA ESSE DIREITO! ERA A MINHA VIDA!
  • Jorge: Eu fiz isso pro seu bem!
  • Você: DESDE QUANDO SEPARAR O FILHO DE UMA MÃE FAZ BEM PRA ALGUÉM? DESDE DE QUANDO SEPARAR DUAS PESSOAS QUE SE AMAM FAZ BEM? BEM PRA QUEM, PAI?!
  • Jorge: VOCÊ ERA IMATURA FEZ ESCOLHAS ERRADAS EU SÓ QUIS CONCERTAR E CONSEGUI!
  • Você: EU TE ODEIO!
  • Jorge: O que?
  • Você: Tô indo embora pro Brasil e NEM PENSE tentar me impedir! ~sobe pro seu quarto~
  • Você faz suas malas, seu pai até tenta falar com você mas você não deixa, faz todas suas malas e sai de casa. Liga pro Luan, diz que esta de malas feitas e vai pro hotel onde ele está hospedado.
  • Você: Luan! ~o abraça~
  • Luan: Vem, entra
  • Breno vai saindo do banheiro com a toalha enrolada na cintura
  • Breno: Pai, eu ... ~te olha~ O que ela tá fazendo aqui?
  • Luan: Vai por uma roupa menino que a gente te explicar
  • Breno se troca e volta pro quarto
  • Breno: E então?
  • Você: Breno, eu sou sua mãe
  • Breno: O que? Mas a minha mãe morreu ~olha pro Luan~ Pai
  • Luan: Filho, ela é sua mãe
  • Breno: Pai, eu não to entendendo
  • Luan: Senta aqui, que nós vamos te explicar tudo
  • Breno senta do lado de vocês e vocês explicam tudo a ele
  • Luan: E eu não contei antes porque sabia que seria muito mais dificil você crescer achando que foi abandonado do que pensar que ela morreu
  • Breno te olha e sorri
  • Breno: Será que eu posso abraçar a minha mãe? ~você se emociona ao ouvir o Breno te chamar de mãe e o abraça forte e o enche de beijos~
  • Você: Meu filho! ~Luan abraça vocês~ Minha família! ~sorri~
  • Breno: Pera ~vocês se soltam~ E vocês, como fica?
  • Luan: Se sua mãe aceitar, seremos oficialmente marido e mulher ~te olha~ Cê topa?
  • Você: Claro que eu topo! ~se beijam~
  • Depois de mais três shows do Luan nos Estados Unidos vocês voltam pro Brasil. Com o tempo você acabou perdoando o seu pai mas mantinha a distância. E após alguns meses a felicidade de vocês teve um grande reforço com a chegada da Nicole.