final de namoro

Eu sinto sua falta. Sinto falta principalmente da nossa amizade, todo dia tenho certeza que estragamos tudo com isso de namorar. Podemos voltar para o inicio de tudo? Podemos fingir que esse namoro nunca aconteceu, e aí a gente fica só com a parte boa da amizade? Eu juro que queria tentar ser só a sua amiga, mas meu peito sangra, as lágrimas descem, eu ainda estou tão magoada com tudo. Eu quero ser sua amiga, mas aí eu lembro que pra isso eu teria que socar meu coração até ele diminuir de tamanho, eu teria que me diminuir e diminuir tudo o que eu sinto pra ocupar apenas esse espaço de amiga. Seria doloroso demais. Eu sei que a vida vai passar, que daqui a uns meses ou uns anos não vai doer como dói agora. Eu sei que eu vou conseguir falar de nós dois sem chorar incansavelmente, eu sei que vou lembrar das partes bonitas. Só que agora dói tanto, entende? Todo dia é um inferno. Você acredita que todas as manhãs eu ainda digito aquele bom dia enorme cheio de “m” e “a”, mas eu apago logo depois, não tenho coragem de enviar. Não faz diferença. Eu chego em casa e não tenho ninguém preocupado comigo, ninguém para avisar que eu cheguei, que tá tudo bem, e eu não me acostumo mais com isso. Essa semana eu dormi umas 14hrs da tarde, acordei 21:30 e não tinha mensagem de ninguém, nenhum “Ei, acorda logo. Já tô com saudades, urso polar”. E eu choro, porque eu realmente não sei lidar mais com a solidão. Eu até sabia antes de você aparecer, só que eu me esqueci como era ser tão solitária e triste, e todo dia é um choque. Lembra que eu disse que estava seguindo um monte de instagram’s de memes? É porque eles me faziam lembrar do teu jeito engraçado, mas agora eles também me fazem ficar absurdamente triste, e lá está eu olhando instragam’s de humor e chorando. Eu sei, sou louca.  Lembro que sempre que eu ficava triste ou chateada com algo, você me mandava fotos de filhotinhos pra me animar, já vi um milhão de filhotinhos, só que cada vez fico mais triste. As seis horas do meu estágio agora demoram doze horas, era você que ficava me fazendo companhia a manhã toda, e aí a hora passava rápido, mas eu não tenho mais você para conversar, e as horas se arrastam. Eu deixo a página do meu facebook aberta, e sempre que aparece alguma notificação, eu sempre acho que é da nossa conversa, clico rápido na página, mas nunca é você. Onde foi que a gente se perdeu desse jeito? Como é que um dia eu era tudo, e agora não sou mais nada? O que é que eu faço agora? Eu tento não pensar mais sobre isso, mas ainda tem tanta coisa que eu precisava entender, e eu sempre volto para aquele domingo terrível onde tudo se transformou em nada em segundos. Eu fico tentando entender tudo isso que trouxe a gente aqui, mas é como se não existisse um motivo. Me ensina a ser igual você, por favor. Me ajuda a fazer essa droga de sentimento todo virar nada em segundos. Me ajuda a te olhar com olhos de amigo. Faz alguma pra acabar com essa vontade que eu tenho de conversar com você 24 horas por dia. Me ajuda a não querer sair correndo e me jogar no teu peito e ficar lá quieta até toda essa confusão passar. Como é que você fez para seguir em frente assim tão rápido? Me diz a formula, me conta, por favor. Eu não aguento mais ter que passar por isso sozinha, eu só quero arrumar um jeito de ir embora, assim como você foi.
—  game over.
E chegou ao ponto que eu não tinha mais o que dizer, não havia mais argumentos, não havia mais motivo, não havia mais o que me fizesse querer ficar.
Foi você quem disse pra eu parar, que já era. E quando ouvi que nem você me amando muito teria volta, foi o basta pra eu acordar.
Deus. Só Ele sabe o quanto sinto tua falta. E não deixo de ir atrás de você por orgulho, mas sim por não ter o que dizer… Não mais.
Infelizmente, acabou.
—  Um Inverno Em Mim
Nada justifica um erro que leva alguém a ir embora. Vocês imaginam um futuro juntos, começam a ver como vão realizar cada plano, quando de repente alguém faz algo imperdoável, uma traição, uma promessa quebrada, uma frieza continua, algo que disse que a machucou.. Tem tantas opções, são tantos os motivos que podem fazer alguém dizer adeus, e são tantos os arrependimentos e tantas as noites em claro tentando entender o que cada um fez de errado, e a gente esquece que no início todo mundo sabe que as coisas tem um final, talvez seja o final de um namoro quando um casamento surge, ou simplesmente quando tudo acaba. Tudo começa, tudo tem um meio, uma história bonita, uma lembrança insubstituível ou inesquecível, mas a gente esquece, que só tempos dois finais, ou você termina algo pra ter alguma coisa maior e mais responsabilidade, ou você termina algo pra voltar ao começo. Lembra das fases daquele game? As vezes que você avançou uma fase, você também terminou, e como o ponto que fica depois das letras, o final também fica depois das lembranças e das histórias de um relacionamento, mas você pode decidir se continua o game ou se para ali, as vezes é o fim da linha, o game termina ali, por não ter mais fases ou por não conseguimos, porque tudo tem um fim. A gente vive começando de novo, terminando de novo, insistindo, mas todas essas fases, e todas as coisas que vivenciamos só tem duas coisas em comum: tudo tem um fim e tudo tem um começo. E como em um jogo, a cada fase passada, ou momentos terminados, as coisas só se dificultam e se tornam mais intensas, e o motivo é simples: se quer algo que dure e que mereça, você tem que passar pelos finais de cabeça erguida, mesmo que demore 1 semana ou 1 ano pra você conseguir se levantar, e vencer os obstáculos e aproveitar o que ou quem encontrar, porque você sabe o que nos espera depois: o fim.
—  Para alguém que nem se quer vai ler.