festa formatura

Melhor Amigo

Atenção: Imagine Hot/Romântico

Atenção: Min Yoongi

//Série de imagines de primeira vez com o BTS

Originally posted by sugastoungetechonawlogy

A música estava alta e minha cabeça estava girando um pouco, talvez pela Vodka que havia tomado. Olhava para todos os lados procurando pelo meu melhor amigo, Min Yoongi —Ou Suga, como ele preferia que eu o chamasse — porém acabei desistindo. De repente senti meu corpo sendo totalmente envolvido pela batida daquela música e comecei a dançar, como todos ali na pista de dança. 


O melhor de uma festa de formatura é que você se sente livre de verdade, e era exatamente o que sentia nesse momento. Fechei os olhos e deixei meu corpo se mover sozinho. Quando abri os olhos novamente, encontrei Yoongi. Sorri em sua direção e andei até ele. 


– Procurei você por toda parte, (S/N), por acaso você foi pra Hogwarts?
Sabia que ele havia falado alguma coisa, mas sua voz parecia estar muito, muito distante. Estava olhando para Suga de um jeito totalmente diferente do normal. Cara, ele estava tão lindo naquele terno. 


– (S/N)? – Ele perguntou, chegando mais perto de mim e segurando meus braços.


Acordei de meu pequeno transe.


– O-oi, Suga. Eu estava dançando.


Ele me encarou alguns segundos, sorrindo.


– Nossa, você já tá bem bêbada – Min disse, rindo – Vem, vamos sentar um pouco.


Yoongi pegou minha mão e me levou até uma sala ao lado da pista de dança, onde haviam vários sofás e cadeiras estofadas. Haviam algumas luzes coloridas ali que deixavam o lugar bem legal. Nós nos sentamos e ficamos em silêncio. Eu simplesmente não conseguia desviar o meu olhar dele, tipo, não dava mesmo. 


Em algum momento ele percebeu isso e, como eu o conhecia muito bem, percebi que ele ficou um pouco corado, depois sorriu. Ai que droga, aquele sorriso. Meu coração se acelerou e nesse momento eu não soube mais o que estava acontecendo comigo. 


– Por que você tá olhando pra mim desse jeito? – Suga perguntou, rindo.
O sorriso surgiu devagar em meu rosto, enquanto eu ainda o encarava. 


– É que — Suspirei — É que você é tão lindo, Yoongi.


Simplesmente falei aquilo e taquei um grande foda-se para as consequências. Eu estava bêbada e parecia que tudo era possível, então precisa aproveitar esse momento. Yoongi ficou ainda mais corado e começou a rir, totalmente envergonhado. 


Me aproximei dele sem nem saber direito o que estava fazendo, Suga estava com a respiração acelerada e me olhava atentamente. Estávamos um do lado do outro no sofá e o rosto de Min estava iluminado por uma luz roxa, o que fez tudo em seu rosto ficar mais lindo do que nunca. 


Fiquei olhando de seus olhos castanhos e eu sinceramente me perdi ali. Depois olhei para sua boca. Nós estávamos tão incrivelmente perto que eu conseguia sentir sua respiração se misturando com a minha. Delicadamente, levei minha mão até seu rosto e acariciei lentamente. 


Meu coração batia disparado e eu sentia que devia fazer isso. Talvez fosse a bebida falando, mas naquela altura, eu não me importava mais. Meus lábios se juntaram aos lábios macios de Yoongi pela primeira vez, e eu me senti no céu. 


O beijo estava bem lento, e aos poucos, nossas línguas foram se entrelaçando. Yoongi também levou uma de suas mãos até meu rosto, acariciando lentamente. Aquilo estava tão bom que eu não conseguia parar, mas Suga acabou parando e se afastando um pouco, de olhos fechados.


– O quê foi? – Perguntei, baixinho. 


– Eu não posso… Você tá bêbada, (S/N), amanhã não vai se lembrar que isso aconteceu. E se lembrar, vai pensar que eu me aproveitei de você porque estava bêbada. 


– Ah Suga, deixa de bobagem – Disse, tentando me aproximar novamente.
Yoongi segurou-me pela cintura e me abraçou, fazendo minha cabeça cair em seu ombro. 


– Antes que você tenha ideias erradas, saiba que eu amei beijar você, na verdade eu iria fazer isso, quando você não estivesse bêbada – Min Yoongi sussurrou em meu ouvido – Mas como não posso fazer isso de novo, vou apenas te contar uma história.


Comecei a rir e então fechei os olhos. 


– Mas antes, me empresta o seu celular – Suga falou.


Peguei meu celular dentro da bolsa — Que era aquelas bolsas de festa, pequenas — e dei a ele. Min, que sabia a minha senha, desbloqueou e escreveu algo ali. Depois guardou-o novamente na minha bolsa e começou a acariciar meus cabelos lentamente. 


– Era uma vez um porquinho, esse porquinho gostava muito de alfaces, portanto, ele foi até a casa de um homem que as cultivava em seu quintal e roubou-as. O homem, que era um senhor idoso muito simpático, deixou o porquinho levar as alfaces. Porém, o que o porquinho não sabia era que aquelas alfaces eram enfeitiçadas. Quando você as roubava, estava preso em uma espécie de maldição. 


“A maldição era estar invisível a todos, para sempre. A única coisa que poderia salvar o pobre porquinho, era se uma porquinha o amasse verdadeiramente, podendo vê-lo como ele realmente era. Anos e anos se passaram e o porquinho perdeu suas esperanças. Então, quando ele foi até a casa do homem para pedir ajuda, ele viu uma porquinha,  Ela não estava inteira, parecia estar surgindo bem em sua frente. Foi assim que os dois se apaixonaram e se salvaram”


Sorri por uma última vez e então simplesmente apaguei. 


(…)


Quando acordei, senti a pior ressaca da minha vida. Pareciam que haviam pedreiros fazendo uma obra dentro da minha cabeça de tanto que ela estava latejando. Levantei-me da cama, cambaleando, e fui até a cozinha, onde Jess, minha colega de quarto, estava preparando o café.


– Bom dia, dorminhoca! – Ela disse, colocando um queijo dentro de seu sanduíche – Não consigo acreditar que cheguei antes de você.


– Que horas eu cheguei? – Perguntei, massageando a testa.


– Ás cinco da manhã, foi o Yoongi que te trouxe. 


Quando ela disse “Yoongi” eu confesso que fiquei um pouco tonta. Olhei para Jess, completamente assustada. 


– Nós nos beijamos – Falei, lembrando de poucos detalhes.


– Ai.Meu.Deus! – Jess exclamou, olhando-me impressionada – Como foi? Foi ele que te beijou? Me conta tudo!


Coloquei as duas mãos na cabeça.


– Eu não lembro como aconteceu, só sei que aconteceu. Ai Meu Deus, não estou acreditando. 


Jess olhou para seu relógio e arregalou os olhos.


– Ok (S/N), preciso ir agora, minha mãe está me esperando no restaurante – A garota correu até a mim e me deu beijo na bochecha – Quando eu chegar, você vai me contar tudo. Tchau!!!


Ela pegou seu sanduíche, seu celular e saiu correndo pela porta. Peguei uma xícara e coloquei um pouco de café, precisava acordar. Caminhei até meu quarto e sentei-me, pegando meu celular. Quando desbloqueei o aparelho, percebi que estava aberto no bloco de notas. A última nota era desconhecida por mim.


Cliquei na nota e comecei a ler.


“Oi, (S/N)! Primeiro eu queria te dizer que foi você que me beijou, porém, se eu soubesse o quão bom seria isso, teria feito antes. Não queria que você pensasse que estava me aproveitando de você, então infelizmente, tive que interromper o beijo”


Meu coração acelerou tanto naquele momento que tive que colocar a xícara em cima do criado-mudo. Eu estava tão bêbada assim que beijei meu melhor amigo? Ah, que droga. Mas porque meu coração estava tão acelerado?! 


Então eu ouvi batidas na porta. Meu coração explodiu pelo susto que levei. Levantei-me e caminhei até a porta, mas parei antes de chegar, olhando para o que estava vestindo. Ainda estava com o vestido da festa.


Me olhei no espelho do banheio e percebi que ainda estava com maquiagem, mas ela não estava tão borrada quanto esperava. Fui até a porta e a abri, quase caindo para trás ao ver Min Yoongi parado ali. 


– É… Oi – Yoongi disse, com as mãos para trás.


– Eu te beijei – Foi a única que consegui falar.


Ele me encarou por longos segundos e eu comecei a ficar um pouco desesperada.


– YOONGI! Por que está me olhando desse jeito? Droga, vou ter um ataque cardíaco. 


Suga começou a se aproximar de mim, e eu fui indo para trás. 


– O que diabos você está fazendo? 


Yoongi segurou minha mão e fez nossos corpos se colarem. Meu coração disparou, tropeçou e quase parou. Os olhos de Min Yoongi perfuraram os meus, fazendo meu corpo esquentar. 


– Eu sou apaixonado por você, (S/N). Se você não quiser me beijar agora, eu vou entender. Mas se você sente o mesmo que eu…


– Eu sinto – Falei, quase sussurrando, mas ainda olhando em seus olhos.


Dessa vez, foi ele que juntou nossos lábios. De repente, eu lembrei de tudo que havia acontecido ontem. O gosto do beijo, que antes era de Vodka e menta, agora era de café e morango. E não era ruim, era incrivelmente bom. Meus dedos seguraram os cabelos pretos de Suga, fazendo o garoto apertar minha cintura. 


Meu corpo se arrepiou completamente, e eu acabei suspirando entre o beijo. Suga me levou até a parede, prendendo-me ali. Sem saída. Ele me olhou fundo nos olhos mais uma vez, e eu sabia que havia uma pergunta ali. Yoongi sabia que eu era virgem.


– Tudo bem, Suga. A pessoa especial que eu tanto esperava pra fazer isso só podia ser você – Sorri.


Ele sorriu também, voltando a me beijar. Suas mãos foram até o zíper do meu vestido e o abriram, fazendo a peça cair em meus pés. Os dedos de Suga percorreram as minhas costas, fazendo me suspirar alto. Eu tirei sua camiseta e admirei aquele seu peitoral branquinho e seu abs não tão definido. 


Aquilo me fez pegar fogo. Saí da parede e agarrei Yoongi, beijando-o com vontade. Ele me pegou no colo, fazendo minhas pernas rodearem sua cintura e me levou até meu quarto, onde colocou-me em cima da cama. Começando a me beijar de novo. Eu o empurrei para o lado e levantei, parando em frente a cama.


– Você pode sentar aqui na ponta da cama antes? – Perguntei, sem ar. 

Ele assentiu, sorrindo enquanto me observava. Peguei meu celular e coloquei uma música que achava muito sexy. Suga me olhou confuso, então eu sentei em seu colo, uma perna de cada lado. Senti sua ereção entre minhas pernas e fiquei toda e completamente molhada. 


Comecei a me movimentar por cima de seu membro bem lentamente. Suga fechou os olhos e mordeu o lábio inferior, suas mãos estavam espalmadas na cama. Rebolei devagar e rápido, pra cima e pra baixo. Sabia que estava levando-o a loucura, essa era a intenção. 


De repente, o garoto abriu os olhos e levou sua boca até meu ouvido.


– Cara, porque você faz isso comigo? – Ele perguntou, rouco – Está me fazendo perder a cabeça. 


Então deixou vários beijos em meu pescoço, me arrepiando mais uma vez. Quando eu suspirei, ele me fez descer de seu colo e deitar na cama. Min ficou em pé na frente da cama, me observando.


– Yoongi… – Gemi manhosa.


– Deixa eu só… Ver você assim, totalmente entregue. 


Caralho, quem estava me fazendo perder a cabeça era ele! Yoongi voltou a subir em cima de mim e me beijou lentamente, abrindo meu sutiã. O garoto desceu até meus peitos e começou a chupar e morder cada um deles como se fosse um doce. Gemi arrastado, jogando a cabeça pra trás. 


Suga fez uma trilha de beijos por toda a minha barriga, chegando no meu baixo-ventre e olhando malicioso em direção a mim. O garoto tirou minha calcinha e abriu minhas pernas. Quando viu o meu estado, ele começou a rir. Aquilo me deu arrepios por toda o corpo, mais uma vez.


Segurei forte os lençóis da cama, quase os rasgando. Suga aproximou a boca de minha intimidade e começou a me masturbar. Mordi tanto o meu lábio que acabei sentindo o gosto metálico de sangue. Ele estava prestes a penetrar um dedo, porém ficou rodeando minha entrada, me torturando. Me apoiei nos cotovelos, olhando-o desesperada. Ele apenas ria da minha situação. 


– Só se você gemer o meu nome – Falou, fazendo biquinho.


– V-você está exigindo demais de uma primeira vez! – Disse, como a orgulhosa que era.


Yoongi me encarou e senti seu dedo entrando em minha entrada bem superficialmente e saindo. Gemi alto, jogando minha cabeça para trás.


– Só se gemer o meu nome – Ele repetiu.


– S-suga, por favor – Implorei, fechando os olhos com força.


Assim que terminei de falar, senti dois dedos me penetrando de uma vez só. Gemi alto, revirando meus olhos nas órbitas. O garoto fez isso até me levar as nuvens. Quando terminou, ele iniciou um novo beijo, pude sentir o meu gosto em sua boca. 


Fui lentamente abrindo a calça de Yoongi, tirando-a junto com sua cueca. Suga gemeu por eu finalmente ter soltado o seu amigo, que estava duro como concreto. Peguei uma camisinha que sempre deixava na última gaveta do meu criado-mudo e ajudei-o a vesti-lá.


Suga posicionou-se em minha entrada e me olhou fundo nos olhos. Eu estava tão nervosa, tão aflita. 


– Vou começar bem devagar. Você me avisa se doer, tudo bem? 


Assenti, sorrindo com sua preocupação.


Yoongi começou, lentamente, a me preencher. Naquele momento, foi como se nós fôssemos realmente feitos um para o outro, pois a gente se encaixou de verdade. Fechei os olhos, esperando sentir a dor, mas ela não veio, por mais incrível que pareça.


Abri os olhos, sentindo o prazer me dominando por completo. Yoongi também percebeu que estava tudo bem, começando a se movimentar mais rápido. Eu não queria fechar os olhos, queria observá-lo daquele jeito. O cabelo bagunçado, todo suado, mordendo o lábio…


Eu gemia cada vez mais alto, Yoongi gemia cada vez mais rouco. Arranhei suas costas completamente e sorri ao imaginar aquele corpo branquinho todo marcado por mim. Seus movimentos estavam cada vez mais rápidos e mais fundos, eu estava chegando ao meu limite, conseguia sentir. 


E assim aconteceu. O meu primeiro ápice chegou. E foi melhor do que eu poderia imaginar. O ápice de Yoongi chegou logo depois do meu, fazendo o garoto cair por cima de mim. Mas eu não estava cansada. Nem um pouco, na verdade. 


– Suga, seria estranho se eu dissesse que eu quero mais? – Perguntei, suspirando um pouco por ainda sentir os espasmos pelo meu corpo. 


O garoto riu e saiu de dentro de mim, jogando a camisinha no lixo. Ele me fez levantar e sentar em seu colo, peguei outra camisinha e fiz questão de vesti-lo dessa vez, olhando em seus olhos profundamente. Yoongi gemia com sua voz grave, deixando-me totalmente excitada mais uma vez. 


Ele segurou minha cintura enquanto eu sentava em seu membro, fazendo-o me preencher novamente. Aquilo.Era.Tão.Bom. O jeito que nos encaixávamos, a nossa sincronia. Comecei a rebolar em cima dele com vontade, levando-o do inferno ao céu.


Segurei seu cabelo e puxei para o lado, deixando seu pescocinho livre pra eu fazer o que eu quiser. Mordi, chupei, e lambi cada centímetro de seu pescoço, deixando marcas bem vermelhas. Yoongi levou suas mãos até minha bunda e apertou-a com força, fazendo eu pular em seu membro. 


Quando mais eu rebolava, mais eu sentia seu membro afundando dentro de mim, me atingindo nos pontos certos e me levando a total insanidade. Mais umas cinco reboladas dessas e eu caí em seu ombros, com um gemido longo seguido de um suspiro dele.  Depois de conseguir respirar normalmente e parar de ter espasmos, falei:


– Essa foi a melhor primeira vez que eu poderia ter na minha vida, nossa.
Ele segurou meu rosto, encarando-me nos olhos.


– Sabe que agora tudo vai mudar, né? – Ele disse, parecendo inseguro. 


Encostei nossos narizes, olhando-o nos olhos também.


– Não, Yoongi, nós não estragamos a nossa amizade, se é isso que você está pensando. Ela só vai evoluir.


Min Yoongi sorriu, beijando-me suavemente.


– E que evolução, hein.

~ChimChim