feita

10

to com ciumes dessas headers entao deem um like bonitinho ou credito @artlouisangels

(se alguma dessas fan arts foi feita por você me avise e darei os devidos creditos)

anonymous asked:

eu só acho que deveria parar de ser trouxa, por isso vc vive se magoando com esses caras bostas

Sabe, eu não me arrependo de ter sido feita de trouxa por esses caras, foi por causa disso que eu amadureci e aprendi muita coisa. Aprendi que antes de eu amar eles, eu preciso me amar em primeiro lugar e aprendi principalmente que minha felicidade não depende de nenhum deles! Sou feliz sozinha e as pessoas que entram na minha vida, vem apenas pra me transbordar e caso vão embora, o vazio não fica, por que lembra? Sou cheia de mim mesma! Não sou mais a garota inocente, bobinha e clichêzinha de merda, sei quem sim, quem não e quem nunca. Mas obrigada pelo conselho! Foi muito bem vindo.

AE SÃO PAULO! dias 20 e 21 de agosto eu vo tá aí fotografando! Essa foto foi feita na minha última viagem a SP! BORA fazer o nosso? Me manda direct, whatsapp 048 8849 2749 ou email contato@cesaracosta.com.br e vamo marca o nosso, já marquei dois! Tá indo rápido as vagas!

Made with Instagram

linafagundes  asked:

Eu li uma resposta sua para um nony e nela você comentou sobre outlines. Será que você poderia me explicar melhor oque é uma outline? Eu só conheço esse termo quando o assunto é photoshop haha.

Eu também passei por isso quando comecei a escrever. Fiquei um tempo “boiando” quando se falava sobre Outlines. Mas é bem mais simples do que parece, garanto.

Outline é o esquema de planejamento e organização de enredo. O esqueleto da sua obra, feita capítulo por capítulo, cena por cena — ou pelo menos usando pequenos tópicos que relatem o que de mais importante deve acontecer.

Por exemplo:

- Capítulo 1

  • cena 1 - Maria e Pedro se encontram no colégio.
  • cena 2 - A mãe de Pedro vai buscá-lo no final da aula.
  • cena 3 - Maria encontra a mãe de Pedro no caminho para casa.
    - subcena : A mãe de Pedro não se lembra de ter ido buscar o filho no colégio.

E por aí segue.
Você pode fazer isso de uma forma mais clean ou detalhada, não importa. Siga o que for necessário para o seu enredo e o seu estilo.

É muito legal utilizar um outline para ter uma ideia base do tamanho que sua história vai ficar, encontrar falhas no plot, eliminar/adicionar personagens, encaixar cenas e enxergar o projeto como um todo.

Se você quiser ver mais outlines no Google, vai encontrar muitos rabiscos de autores famosos por aí, como por exemplo a própria J.K. Rolling ( e outros autores geniais, como aqui nesse link).

Espero ter ajudado!
Grande abraço! :D

beautifulandamned submitted to euamoescrever: Olá! Tudo bom? Eu escrevo desde bem novinha e sempre encontrei uma paz enorme em fazê-lo, tal como também amava ouvir a opinião alheia sobre meus textos e as críticas, mesmo que às vezes duras, não conseguiam me desestimular (muito pelo contrário). Depois que comecei a assistir séries e, com isso, me aventurar no mundo das fanfics, resolvi postar algumas (muitas) das que havia escrito. Como eu mencionei, sempre vi as críticas como algo construtivo e tentava aos poucos reaver meus erros, porém, depois de um certo tempo postando minhas histórias no Nyah! e em meio a alguns elogios, comecei a receber umas mensagens duras, criticando minhas ideias e até questionando a personalidade de alguns personagens; tenho que confessar que até hoje não compreendi algumas das críticas que me foram feitas e mesmo já fazendo um tempão, eu volto lá e leio aquelas mensagens novamente e não consigo encontrar na história os erros que apontaram (não que não tenha erros e etc, mas certos questionamentos mais me pareceram “implicância” por não seguir o caminho mais óbvio do que algo de fato a ser corrigido) e sinceramente, isso me desmotivou muito.

O resultado disso foram duas histórias sem um final postado no site. Alias, uma delas sequer tive ânimo para continuar.

E desde então não consigo dar continuidade a nada que começo a escrever e não é por falta de ideia, mas simplesmente pelo fato que já internalizei a ideia de que “não vai sair nada que preste” ou “ninguém vai gostar”, coisas que quando eu tinha 12 anos não me incomodava. Sinto (muita) falta de perder noites escrevendo, de usar qualquer pedacinho de folha de para anotar minhas ideias para não esquecer ou até mesmo ajudar as pessoas que tinham certas dificuldades em passar para o papel suas ideias. É completamente frustrante olhar para trás, ver como algumas fanfics que escrevi tornam-se “populares”, como essa facilidade com a escrita me ajudou na época escola e perceber que simplesmente “não dou mais conta” e não por falta de tempo, não por falta de criatividade, apenas por um bloqueio que não consigo quebrar.

Tudo que eu mais queria no momento era voltar a escrever, postar minhas histórias e finalmente ter de volta essa maneira de aliviar minhas emoções e expor alguns problemas que me incomodam. Recentemente comecei a escrever um conto, justamente porque não dá para perder o entusiasmo uma vez que trata-se de um único capítulo, mas… Não é a mesma coisa hahaha Amo longas narrativas e histórias que levam seu tempo para se desvendar e antes mesmo de chegar a uma “versão final” já não tenho grandes expectativas porque certamente vou querer um “depois” e… É aquela coisa, né?

Desculpa esse texto imenso, mas realmente precisava desabafar e, como uma grade fã do eus2escrever e até mesmo da sua escrita, me senti um pouquinho à vontade para usar seu blog para isso. Realmente espero não incomodar haha :) Parabéns pelo trabalho!

Oi, moça! Estou bem sim, obrigada por perguntar, mas acredito que você não esteja nada bem mesmo. Confesso que me senti triste lendo sua história, mas por mais que eu queira te abraçar nesse momento e dizer que irá ficar tudo bem, no fundo nós duas sabemos que não. Isso pode ser amenizado.

Não sei se você tem uma beta reader ou uma pessoa de confiança que leia todas suas histórias e dê palpites sinceros (e que você respeita e confia) sobre elas. Se não tiver, o problema nº 1 está aí. Por mais que a gente ache que nossa história está perfeita do jeitinho que está, nem sempre é isso que acontece. Pode ser um livro do Stephen King, J.K Rowling, Neil Gaiman, da Clarisse Lispector… mas todos, e todos mesmo, passarão na mão do editor e o dito cujo irá querer riscar frases, mudar cenas e quem sabe até tirar personagens. Se isso não é um conceito que você consiga digerir e quer mesmo continuar no ramo, é algo que deveria trabalhar dentro de você. 

A pessoa de confiança ao qual me referi no parágrafo acima seria uma espécie de editor para você, mas diferente de um profissional, essa pessoa saberia usar as palavras certas quando quiser te dar um toque sobre um trecho, ao invés de dizer: “isso está um lixo”. E na maioria das vezes, você vai perceber que a pessoa estava mesmo certa, mas você estava tão mergulhado no próprio roteiro que ficou “cego” a certos detalhes. 

Esse leitor de confiança também é responsável para te lembrar que você não escreve lixos, que tem potencial e que a maioria das críticas ruins gratuitas que te fazem na internet não passam de invejosos de talento/fama ou o que for. Crítica boa é crítica construtiva, no mais, é tão lixo quanto a forma que eles se “referem” ao nosso trabalho. Mas se no fundo esses anônimos de internet tiverem razão, seu leitor de confiança irá concordar e conversar a respeito da mensagem com você.

Te digo isso por experiência própria. Quando você posta seu trabalho na internet, todo mundo “vira autor” da sua obra. Você ouvirá muitos elogios, mas muitas críticas também, algumas delas sobre trechos que você amava muito, atitudes de personagens que deveriam ser daquela forma sim para a história fazer sentido, e talvez até reclamando do fato de fulano torcer pro time X. Você vai entrar em desespero e querer mudar tudo para agradar esse povo? E quando você mudar, acredite, virá outros reclamando da mudança. 

Como você deve ter notado, é um ciclo infinito.

Óbvio que no início você fica tentado a mudar tudo mesmo, normal, mas com o tempo você fica calejado para “as críticas” (que nesse caso não passam de opiniões pessoais, sinceramente), e seu leitor confiável, que provavelmente também será um amigo seu, irá te consolar e te ajudar nesse processo. Escrever não precisa ser uma caminhada solitária, é bom ter pessoas que te inspiram e te apoiam no meio do caminho, vai te ajudar muito nos momentos de frustração.

Sabe qual é nosso mal? Podemos receber dez mensagens positivas; se a décima primeira for uma crítica, você irá tratar as dez anteriores como se nunca tivessem existido. Você não vai agradar todo mundo, sempre haverá alguém que não vai gostar dos seus livros, e críticas negativas é uma realidade que não pode ser calada. Se você se sente mal em receber um comentário ruim de uma pessoa que provavelmente é um adolescente desocupado, que nem terminou o ensino médio e mal lê algo, imagine se for um crítico renomado, cheio de prêmios, mestrados e etc? 

É a realidade dos escritores profissionais, e não, eles não param de escrever por causa disso, eles podem até chorar em segredo, fazer o maior barraco em casa, quebrar tudo, mas no final, se concentram em outra obra e seguem em frente. Afinal, teve gente que gostou e o aplaudiu com louvor, uma única pessoa não vai derrubá-lo.

Escreva sem olhar para os lados, moça. Se o que você produziu lhe agrada, vamos encontrar seus semelhantes por aí. Uma boa coisa a se fazer é só postar algo na internet quando estiver finalizado, assim você escreve tudo do jeitinho que pensou, sem influência de terceiros, e os palpites alheios não fará diferença para você, já que a obra está concluída. Melhor do que escrever na medida em que posta, e se desmotivar com cada comentário negativo que receber e te fazer mudar tudo que pensou na sua cabeça.

Bola pra frente, que só pelo textão que você me mandou, me parece que sua escrita é boa e que você deve ter algum talento escondido aí. Você tem o mais importante que é o gás e a vontade de escrever, tem vários escritores por aí que dariam tudo para ser você nesse momento, inclusive eu, rs, porque bloqueio criativo não é coisa desse mundo, viu?

Beijão pra você e muito obrigada pelo apoio! <3

#focoféeforça