fechar o olho

Não te tocar, não pedir um abraço, não pedir ajuda, não dizer que estou ferido, que quase morri, não dizer nada, fechar os olhos, ouvir o barulho do mar, fingindo dormir, que tudo está bem, os hematomas no plexo solar, o coração rasgado, tudo bem
—  Caio Fernando Abreu.

tive uma das minhas crises de ansiedade. duas em dois dias, sem motivo aparente. acordei com o peito em chamas, a cabeça confusa, a respiração difícil. tive febre, não sei porquê. diria que não há motivo, mas ele existe n’algum lugar que sequer recordo. tenho me forçado a não pensar, aquietar o vazio, calar essa consciência incessante sobre todas as coisas. as palavras não têm fluído, um tanto de pensamentos que morrem engasgados. isso sou eu teimando em deixar os dias correrem, esse é meu corpo que não consegue lidar com todas as informações que me rodeiam e finjo não notar. tenho sentido um cansaço injustificável nos dias. vontade de correr sem rumo. diria que quero bater em alguma porta e chorar desconsolavelmente, mas não tenho toda essa coragem. 

passei trinta minutos tentando respirar, deitada no quarto escuro. vi a noite cair enquanto fingia dormir. tentei comer, não senti gosto de nada. tentei conversar, tudo soou falsamente ameno. senti a empolgação momentânea por um show, o peito latejou. quis pedir socorro, quis ficar em silêncio até passar. mesmo agora, quase dez, permaneço disfarçando toda a falta de ar e a febre que corou meu rosto. sinto-me arder e sufocar. penso em voltar a deitar e permanecer até aquietar o peito. fechar os olhos. respirar fundo. sentir o silêncio tomando cada espaço e submergir. sinto que meu coração está entrando em colapso. e qual não está?

G. 

Eu cansei,
corpo e mente cansou
coração quis parar, só pra descansar, como um cochilo da tarde.
Cansei da dor, incomodo, dor e dor.
Desatei minhas mãos, tranquei a voz.
Só vou deixar, te deixar.
Ir.
—  florescereu - o fechar dos olhos
Há uma neblina a minha volta. Pra qualquer lugar que eu olhe, eu só vejo incerteza. Estou cego. E é cruel dar qualquer passo, imaginando que esse passo pode ser a minha perdição. É difícil caminhar quando tudo parece ser um erro. Eu queria ter a clareza e a segurança pra pode seguir qualquer caminho, mas é difícil quando tenho a impressão de que todos os caminhos levam ao mesmo lugar, para a mesma decepção, para a mesma ruína. E foi no meio dessa neblina que eu percebi, que quando sou tomado por essa cegueira para o mundo ao meu redor, quando todos os passos parecem tragédias, e quando o medo toma conta, é que eu tenho que olhar pra dentro de mim. Eu jamais acharia respostas e nem caminhos no mundo, sem ter encontrado as minhas próprias respostas. Não dá pra ter certeza de onde ir, sem ter certeza do que eu quero.  Não tem como olhar para o mundo e ver clareza, se a verdadeira neblina está dentro de mim. Então eu vou fechar os olhos para o mundo, e olhar pra dentro, assim poderei abrir os olhos para um mundo novo, porque eu serei novo.
—  Aluador.
quero falar sobre reconhecer os próprios erros.

é que é relativamente fácil perceber e destacar o erro do outro, mas quando se trata do nosso, ou nos fazemos de desapercebidos ou simplesmente não reconhecemos que erramos. e é altamente negligente não reconhecer nossas próprias falhas e fraquezas. a Bíblia diz que por ora temos um corpo que é corruptível e que apenas quando adentrarmos a eternidade com o Jesus é que habitaremos um corpo pleno e incorruptível. isto me ensina que estou sujeita a errar, cair, tropeçar. a minha carne é passiva de falhas e ela está constantemente pendendo para o pecado. fechar os olhos para isto é exatamente como ficar parada de braços rendidos no meio de um campo de batalha. não posso solucionar um problema sem antes detectá-lo.

sabe, isto já me angustiou profundamente a alma, quando, num dado momento, cobrei-me um posicionamento que estava além das minhas condições e totalmente fora do que o meu Pai desejava - e deseja - pra mim. eu vesti a capa de “super crente”. dizia a mim mesma coisas como: “não posso deixar perceberem que não tô legal, ou então vão ficar falando”. “não posso demonstrar cansaço/fraqueza/apatia/desânimo. não posso decepcionar as pessoas com minhas turbulências” “tenho que conseguir”. isto tanto em questões ministeriais, como na minha vida de como um todo. e deixa eu te dizer uma coisa: nós não somos super-heróis. mas eu conheço um cara que é.

o problema de eu achar que sou completamente eficiente e suficiente, é exatamente este: eu não sou. você não é. nenhum de nós somos. minha autossuficiência anulou o poder de Deus que opera nas minhas fraquezas. e só me restou o nada.

a grande verdade é aquela que Jesus ensina: são os doentes que precisam de médico. e aquele que começou a obra em mim, há de aperfeiçoá-la até o dia de sua volta. longe de Deus, eu e você nos reduzimos a nada, porque o poder não é nosso, a transformação, a cura, o milagre, não vem de nós. é tudo dele, por ele, e para ele. nós somos apenas os vasos de barro, a glória que carregamos e expressamos, vem dele. 

agora, o fato de ter consciência da minha condição não me dá nenhum direito ou liberdade para pecar deliberadamente. pelo contrário: reconhecer minha pequenez só me abre os olhos para o quanto eu preciso desesperadamente me agarrar no meu Pai. entender isto faz toda diferença, acredite.

nós somos hoje uma geração que tem expandido o reino com ousadia, poder e amor, e para que prossigamos em direção ao alvo levando conosco tantas vidas quantas pudermos, é que escrevo. Romanos 8 diz que já não somos mais escravos do pecado, o sangue de Jesus nos libertou. que possamos reconhecer as nossas limitações diante do Pai sem medo, vergonha ou orgulho, mas nos despir a cada novo amanhecer do velho homem, deixando sem reservas as coisas que para trás ficaram, e conscientes de que aquele que nos chamou é o mesmo que nos capacita. e tudo o que ele deseja é só um coração rendido.

Papai abençoe você.  



De verso e alma, para Ele.

Papai ,ensina-me a não querer desistir quando as turbulências chegarem. Ensina-me a ouvir as palavras ofensivas sem querer dizer em alto e bom som os defeitos daquele que diz da boca para fora o que não deveria. Ensina-me a não querer fechar os olhos para o mundo e esquecer os que amo, mesmo quando me machucam. O meu coração está cansado e ferido, mas não quero viver como se esse cansaço e essa ferida valessem mais do que as pequenas alegrias. Não quero esquecer o que, realmente, é importante. Ainda tenho fé e não abrirei mão dela por nada.

Amém

  Olhei mais uma vez para a extensão da mesa que já estava completamente cheia com a decoração que eu havia feito esperando apenas a hora certa para por o prato principal sobre ela.

  - Você acha que ele vai gostar? - Pergunto a Gemma que está ao meu lado sorrindo assim como eu.

  - Menina, se ele não gostar eu dou na cara dele. - Ela diz rindo me fazendo revirar os olhos. - Desculpa. - Pede agora um pouco mais controlada. - Você está muito tensa, tente relaxar um pouco mais, hm?! - Seu pedido é acompanhado de um carinho nas costas.

  Suspiro frustrada. Esse é o segundo ano em que eu e Zayn comemoramos algo juntos, especificamente, nosso aniversário de namoro e para mim está é uma data super importante e tem um enorme significado já que foi o dia que encontrei um homem maravilhoso e que me compreende como ninguém mais. Não seria justo eu fazer algo desleixado para ele.

  - Ok, vou tentar. - Digo vencida pela insistência de minha melhor amiga.

  - Nossa olha a hora. - Ela diz um tanto dramática, mas quem sou eu para falar de drama? - Preciso pegar a roupa da minha mãe no shopping, qualquer coisa me ligue. - Ela diz me envolvendo em um abraço aconchegante que me deixa um pouco mais segura.

  Acompanho a loira até porta e lhe dou um outro abraço forte tentando deixar que ela leve consigo toda minha preocupação, mas não sei se funciona pois assim que fecho a porta sinto minhas pernas fraquejar dando início a uma tremedeira.

  - É apenas o Zayn, apenas o Zayn…- Repito a mim mesma fechando os olhos de uma maneira forte tentando centralizar a ideia de que não é nada demais além de um jantar com meu namorado no qual estamos completando dois anos de relacionamento e que nada pode dar errado, NADA!

  Argh, isso não está dando certo.

  Faço meus pés seguirem caminho para a cozinha. Tenho que distrair minha mente de alguma maneira.

  Olho para o frango recheado que coloquei no forno a pouco tempo. Pelos meus cálculos ele ficará pronto perto da hora que marquei com Zayn. Perfeito.

  Sigo caminho para meu quarto e decido que já está mais que na hora de começar a me arrumar. Sobre minha cama tem várias sacolas das compras que fiz hoje pela manhã, pego uma delas que pertençem a uma loja de cosméticos e apanho uma toalha em seguida indo para o banheiro.

  Retiro tudo que tem dentro da sacola e coloco sobre a pia de mármore.

  - Hoje eu mereço um banho de banheira. - Digo para o reflexo que me encara enquanto me imita e sorrio para ele começando sentir a felicidade me atingir.

  Ligo a torneira da banheira e deixo com que a água morna caia sobre ela enquanto vai a preenchendo.

  Retiro minha calça e em seguida do restante das roupas que deixo com que caiem no chão. Solto meus fios rebeldes que até então estavam presos em um rabo de cavalo horrendo e me sinto livre. Após ver que a banheira está considerávelmente cheia, fecho a torneira e jogo a essência de baunilha sobre a água, o que faz com que um cheiro extremamente agradável suba até minhas narinas.

  Entro na banheira e permito-me fechar o olhos e relaxar enquanto flashback’s de dois anos de namoro com Zayn Malik invadem minha mente.

  Lembro de que quando era pequena, por volta dos dez anos, imaginava que um dia iria encontrar um cara que fosse realmente um príncipe, que iria me tratar como uma princesa e que seríamos sempre felizes compartilhando de um amor real. Isso não aconteceu, encontrei Zayn, mas ele não é um príncipe, ao menos chega próximo a isso. Mas ainda sim ele me trata como uma princesa, não somos felizes sempre, temos nossas desavenças, mas ainda sim nos preocupamos um com o outro e fazemos dos momentos bons, eternos e sem dúvida o amor que sentimos é real!

  Após um banho pra lá de relaxante, pego a cera que eu havia comprado e respiro fundo.

  - Ah, eu odeio isso! - Xingo após retirar de forma bruta a “fita” recheada de cera eu coloquei sobre a perna. - O Malik me paga. - Resmungo e após analisar minha fala acabo por rir.

  Isso é pra ele.

(…)

  Me analiso mais uma vez no enorme espelho do quarto. Eu ainda não estou pronta, falta por o vestido, porém minha imagem maquiada e com saltos usando apenas lingerie realmente tinha me pego de surpresa. Eu estou uma gata, muito gata!

  Olho no relógio de meu celular e vejo que são 20h00, falta apenas uma hora.

  Jesus.

  “Mau posso esperar pra te encontrar.”

  Mando para o número de Zayn sentindo meu sorriso rasgar minha cara.

  A mensagem demora um pouco mas logo chega e não tarda para ser visualizada.

  “Eu também meu amor.”

  Meu coração fica quentinho ao ler essas palavras simples que me fizeram suspirar.

  Me visto por completa dou um retoque em minha maquiagem que realça meus olhos. Pego meu celular e tiro uma foto no espelho logo enviando para um grupo onde estão Gemma, Lou, Lottie, Eleanor, Fizzy e Sophia que enviam milhares de elogios e piadinhas no duplo sentido que me fazem ansiar mais ainda pelo jantar. Digo tchau a elas e sigo com o celular em mãos até a cozinha me maravilhando em ver como tudo estava correndo bem e meu frango já exalava um cheiro digno de banquetes (não que eu queira me gabar).

  Sentei-me na ponta da mesa e não consegui retirar o sorriso da minha cara nem a ansiedade do meu peito.

  Dois anos, cara!

(…)

  Meus pés tremiam de forma frenética, minhas unhas decoradas por um esmalte cintilante já eram pressionadas por meus dentes que não se controlavam.

  O frango já estava devidamente assado, mas achei melhor deixa-lo dentro do forno para não estar frio ao que Zayn chegasse. Falta dez minutos para as nove e ele não me mandou mensagem alguma, nem mesmo está online para me dar ao menos uma esperança de que ele não vai se atrasar tanto.

  “Cadê você?”

  Envio mesmo sabendo que está dentro do horário combinado e acabo por me culpar em estar apressando ele.

  A mensagem chega mas não é visualizada o que me deixa um pouquinho preocupada.

  - Ainda está no horário. - Tento me convencer.

  Basta ter paciência, é nosso dia, ele não irá dar mancada.

21h10min

  “Zayn, você está vindo?”

21h15

  “Vou tirar o frango do forno, ok?”
“ Te amo.”

21h30min

  “Zayn aconteceu alguma coisa? Por que está demorando?”

21h45min

  “ Cadê você Malik??????”

21h55min

  “ Você me disse que estaria aqui…”

  21h57min

  “ Você se esqueceu né? ”

22h05min

  “ Não precisa se preocupar em responder, já vi a foto que o Jason postou no instagram”
  “Photo”

  Eu não queria chorar por isso, não queria chorar por ele, mas a ardência em meus olhos não permitiu que eu continuasse a fazer uma pose forte e acabei por me deixar desabar ali mesmo.

  Eu me sentia tola por ter tentando fazer com que tudo ocorresse da maneira mais perfeita possível, enquanto Zayn ao menos se preocupou em olhar no calendário para ver que dia é hoje e não pensou duas vezes para ir para uma festa com seus belíssimos amigos. Ele sequer teve a decência de visualizar minhas mensagens.

  Arranquei meus saltos e os deixei jogados por ali mesmo, guardei o frango novamente e apaguei as velas que eu havia acendido para dar um ar mais romântico. Idiota. Apaguei a luz da cozinha e corri para o quarto arrancando de forma bruta meu vestido.

- Eu sou uma retardada! - Gritei com fúria e me joguei na cama dando liberdade para que as lágrimas tomassem conta do meu rosto assim como a dor que agora dominava meu peito.

Aah eu te odeio Zayn Malik!
 

Acalmem que vai ter segunda parte, risos.

ME DIGAM SE GOSTAREM E FAVORITEM OK?!

Vocês acham que Zayn merece perdão? Uhhhhhm???

Ei Sr. Destino, sei que um pedido aleatório não é importante o suficiente para chamar sua atenção mas, ta difícil sabe… Eu juro que tentei ser forte o suficiente pra disputar o mundo lá fora, eu tentei ser amigo deles, tentei me enturmar, ter os mesmos interesses, mas sempre ficava de fora das rodinhas ou era o ultimo a ser chamado, sempre achei os assuntos e desejos deles fúteis. Dói tentar ser parte de algo que você não se encaixa, pode não doer no momento, mas uma hora ou outra precisa esvaziar o peito, colocar pra fora todo o sentimento reprimido. Sr. Destino sabe porque eu não durmo para curar a dor? Por que assim que eu fechar os olhos o dia seguinte vem e eu não estou preparado pra ele. Não sei se o senhor viu, mas minha fraqueza já escorreu pelos olhos nesse mesmo quarto. A vida é um milagre mas ao mesmo tempo é um porre.
—  Vinícius Mian
Nota de Cecília, II.

Aprendi ainda menina que é possível saciar a saudade de momentos fugazes. Ao fechar os olhos, deixo o pensamento vagar sem pressa. Não me prendo a detalhes mundanos como horas e datas, mas ao cheiro e tato que anseio. Me vem o odor de café e perfume, o tic tac do relógio e mãos inquietas na mesa. Lembro de confissões ao pé d’ouvido e minha literatura sem pressa, não há nada além do desejo de ouvir frases que causam sorrisos. Há sons de recordações em cada cômodo. Seguro firme entre os lençóis e sinto uma, duas, três vezes as palpitações nas costelas. Há quem sempre passeie por instantes felizes, nomes que aquietam, toques que aniquilam. Gosto de pensar no amor quando estou prestes a cair no sono, traço ações cotidianas, me reinvento. Recordo tua respiração inquieta no breu do quarto e desejo que aonde esteja tenha amor.

G.

Aqui estou novamente, quem diria que depois de tanto tempo com tantas dúvidas sobre meu verdadeiro eu, hoje tudo parece ser óbvio, que sentimento maravilhoso.
Acordar todos os dias sabendo que ao me olhar no espelho irei ver o meu reflexo, aquele que por anos não consiga enxergar nitidamente. Como me fechei tanto para realidade, tantos acontecimentos e apenas me fixei no mesmo lugar, sim perdi muita coisa. Mas sei que vou recuperar, reinventar meus próprios momentos, quero viver tudo que perdi, tantas oportunidades que {….}” Acordar do meio de um sonho como esse, poderia sim ter feito com que acabasse com o meu dia, aliás sonhar acordada não é tão ruim assim, sonhei alto se nem sequer fechar os olhos, talvez esse seja o objetivo, acordar para a realidade, pois fechar os olhos para o que está a sua frente, se tornou um escudo, ou melhor o meu escudo…. “
Bons sonhos
—  Iza
The trainee - J-Hope
  • Categoria: Smut
  • 2296 palavras
  • Pedido feito em anonimo

Esse imagine é um pouco grande, eu não quis dividir em dois post’s por que sei que fica chato ter que ficar procurando a 2° parte e tal… Então espero que gostem desse imagine com o nosso querido e amado meme ambulante <3 Amo vocês! Kissus~~  (~˘▾˘)~


Acordei com uma dor de cabeça horrível e meu corpo estava dolorido.
Parecia que tinham me batido com um taco de baseball.

Abri meus olhos devagar tentando evitar a luz que entrava pela janela e tanto irritava meu olhos. Me sentei na cama e só depois de alguns minutos percebi que não estava em meu quarto.

- Ah meu Deus… - sussurrei observando o quarto - Mas que merda é…

Olhei para o lado e vi um garoto de cabelos negros, pele clara, um sorriso despreocupado no rosto e um corpo maravilhoso.

- Mas que porra eu fiz ontem à noite?? - tampei minha boca tentando me lembrar de tudo. Flashes passavam em minha mente fazendo-a latejar mais ainda.

Keep reading

Resolvi criar um mudo, um mundo pra mim, e decidi dar o meu melhor para por tudo em prática. Decidi que pararia de desejar o mau para algumas pessoas, mesmo que ache que algumas delas mereçam. Resolvi apenas fazer o bem. Ver o bem e o bom das coisas. Sorrir para a brisa que bate no rosto e bagunça o cabelo. Fechar os olhos em direção ao sol, sentindo-o penetrar em minha pele e curar tudo que há de pior dentro de mim. Mergulhar no mar afim de deixá-lo limpar minh'alma. Decidi que começaria a notar mais no céu, nas aves que voam em sincronia, nos formatos das nuvens, nas noites estreladas, na lua em todas as suas fases. Resolvi que começaria a oferecer ajuda para pessoas e coisas que estivessem ao meu alcance. Que daria o meu melhor, não apenas para mim mesma, mas sim para o mundo que me acerca. Decidi deixar que o perdão me colhesse, para então, começar a plantá-lo, também. Quero me livrar de mágoas e rancores. De angústias. Sei que muitas vezes irei fraquejar, que muito desse bem pode não ser retribuído, que muitas pessoas ainda irão me machucar. Mas se eu me esforçar, o mundo, pelo menos o meu mundo, poderá ser melhor. Eu quero começar a mudança por mim. Agir como eu espero que os outros também ajam, mas sem esperar nada em troca, dar sem esperar receber, mas se receber, ótimo! Porque de maldade o mundo já está cheio, de orgulho, de ódio gratuito, de egoísmo. E eu não quero ser mais uma fazendo parte disso. Eu quero que a vida seja bonita, porque ela é, de fato. A beleza está nas coisas pequenas que deixamos passar por causa dos tormentos da rotina corrida. A beleza está na florzinha mais colorida e próxima do seu jardim, pedindo para ser notada. Está no cachorro que mora na rua, e vem abanando o rabinho pedindo por carinho. Está nas folhas das árvores que dançam com o vento. Está no cantar dos pássaros. Está no momento de risadas com nossos amigos mais queridos, está nos almoços, cafés da tarde e jantas com nossa família. Está nos abraços ingênuos, nas acolhidas sinceras. A beleza da vida está do nosso lado, sempre. Basta prestar atenção, notarmos: ela está e estará ali. Eu só quero parar de ver o ruim em tudo, o negativo. Quero que cada pedacinho meu seja reconstruído, que cada lágrima seja compensada com um sorriso bobo e fácil. E será. Se eu desejar e praticar, será. Porque se eu faço minha parte, eu mudo o mundo. Mudo o meu, mudo o do estranho na rua em que dediquei o meu “bom dia”, mudo o da menina que chorava no banheiro da escola a qual ofereci ajuda, mudo o do cachorrinho de rua no qual, carente, pedia um carinho e recebeu. São coisas tão pequenas que fazem tanta diferença… eu quero fazer a diferença, eu quero que seja diferente.
E então eu acordo esperando pela hora de dormir. Lá em meus sonhos é que você vive. O fechar dos meus olhos me transporta para um mundo em que você mora em meus braços e me beija antes de dizer que me ama. Afundo-me em seus pecados e você me acalma com seu sorriso vivo como o meu amor. Nos meus sonhos você é real e compartilhamos momentos tão radiantes como uma manha de natal. é lá que nosso amor vive e é lá que eu quero viver, pra sempre e sempre, até que isso não seja mais um sonho e se torne a vida que eu levo todos os dias.
—  Vinícius Viana

Era uma das noites em que chegava tarde do trabalho, estava cansada e louca para ter a sua cama pelo resto do dia.

Abrindo a porta de casa, era tudo um repleto silêncio, se perguntava se namjoon já tivesse chegado.

Subiu as escadas e um som estranho invadiu seus ouvidos, eram..gemidos?

Firmando seus passos em direção ao som, parecia vir exatamente do quarto dos dois, ele estava com outra mulher? Te traindo em sua própria casa?

Num solavanco firme você abriu a porta se deparando com a cena em sua frente.

O computador com uma mulher nua, namjoon nu da cintura para baixo, e uma de suas mãos sobre seu próprio pênis. Aquilo era para ser assustador ou excitante?

Nenhum dos dois dizia nada, só era possível ouvir os gemidos contínuos da mulher.

— Jagi..eu..— A voz de namjoon era trêmula como se realmente sentisse medo de sua reação.

Por mais que na sua cabeça fosse ridículo ele precisar recorrer ao pornô para se satisfazer, ainda era melhor do que uma amante, ou coisa do tipo.

Com passos firmes você se aproximou dele, substituindo aquelas mãos pelas suas, talvez nem ele entendesse o que se passava naquele momento, mas aquela não era à hora para questionamentos.

Realizando aos poucos o trabalho que antes namjoon fazia, o viu fechar os olhos com força e gemer tão alto quanto a moça, antes de tudo escorrer.

— Porque fez isso? — Perguntou ofegante.

— Pra você ver que até só com as mãos eu sou melhor que isso. — Apontou para o computador. — Limpe tudo depois, okay?

Miss Writer

Originally posted by slapmon

Em algumas noites eu tenho medo de fechar os olhos e o passado vir tirar satisfações com o presente, porque há dias que já não sonhamos com o mesmo futuro.
— 

Às vezes os planos mudam ou até mesmo deixam de existir.

M. Castro

Está na hora, de reciclar a pele, de esquecer as mágoas, de libertar o peito, fazer o coração voar. E nunca pense que não foi uma escolha acertada, a rosa dos ventos sempre exala o perfume da despedida cheia de abraços e sorrisos, uma direção sem volta. Tudo culpa do tempo que me impôs coragem e força para ir. Vejo um mundo tão lindo logo a minha frente, coberto de flores, borboletas e um ar que dá vontade de encher o peito, fechar os olhos e sentir que está vivo por um segundo, talvez só seremos livres nesse exato momento. Eu vou te ver e a saudade que me sustenta cairá feito chuva de verão.

Arthur

Se me mandarem fechar o olhos e pensar em um lugar, automaticamente você já vai estar lá e eu acho incrível como quando as coisas se tratam de você eu tenho saudades, até do que ainda não aconteceu. 

E eu sinto que pode ser você quem eu tanto espero cada vez te olho, cada vez que você me sorri e cada vez que você pega na minha mão, porque as borboletas do meu estomago acordam novamente e começam a dançar acompanhando a sinfonia do meu peito acelerado.

Até o infinito está ficando pequeno perto desse afeto que tenho sentido por você. É o tipo de afeto que me deixa sem noção do tempo (eu pude perceber isso quando apenas 1 minuto longe de você me pareceu uma eternidade). 

Depois de muito tempo finalmente eu tô sentido essa paz de um sentimento recíproco, graças a você. 

Eu adoro esse teu jeito natural, de ser você mesmo em qualquer ocasião, sem fingimentos nem máscaras. 

E eu não quero que se perca essa vontade que eu tenho de dançar com você, rir das suas piadas sem graça, bater no seu braço quando disser alguma coisa boba, andar de mãos dadas, sentir seus braços em volta de mim, e sorrir todos os dias por você estar na minha vida. 

Eu quero os clichês, as coisinhas bobas, eu quero tudo isso com você. 

Eu sinto isso não porque “é normal” ou “acontece sempre”, claro que é uma coisa inevitável, mas acontece que você me parece alguém que vale a pena sentir demais. 

Eu sempre quis me sentir realmente importante pra alguém, e é assim que você faz eu me sentir, todos os dias. 


Dias e meses se passaram e eu percebi que esse laço que temos é o tipo de laço que eu sei que não pode se desatar

nem virar nó. 

Sobre o escuro que habita o fechar dos olhos

Por mais que os anos passem,

Que minha vida dê várias voltas,

Que o mundo mude a todo instante;

Por mais que momentos encham meu coração de alegria

E outros me encham de comoção;

Por mais que todos os dias eu me sinta mais e mais humana…

Por mais que eu tente

Não há o que faça

Essa sombra dentro de mim

Desaparecer.

Todas as noites que deito para dormir

E penso na vida

E me sinto perdida

E sinto que os anos

Nada entendem da vida -

Pois eu envelheço e continuo me sentindo

Exatamente como quando era criança e só queria

Não existir.

Por mais que eu tente,

Que eu viva e ame nessa vida,

Ainda sinto que, talvez,

Por alguma escuridão em alguma esquina dessa existência,

Eu não deveria estar mais

Aqui.

Nanda Sioux