fasedemenina

O ruivo falou pela primeira vez numa voz de tenor distintamente delicada.
- Não, está tudo bem, Nate. Está vendo? Eles têm um na turma deles. - Ele apontou diretamente para mim, e Ian ficou tenso - Parece que não sou o único que se aculturou.
Cal sorriu para mim, então cruzou o espaço vazio, a terra de ninguém entre as duas tribos, com a mão estendida.
Eu me adiantei, contornando Ian, ignorando a advertência que ele murmurou, de repente à vontade e segura.
Gostei do modo como Cal tinha colocado a coisa. Aculturar-se.
Cal parou diante de mim e abaixou um pouco a mão para compensar a nossa considerável diferença de altura. Eu tomei a mão dele-era firme e calejada em comparação com a minha pele delicada-e o cumprimentei.
- Flores Vivas Calcinadas - apresentou-se ele.
Meus olhos se arregalaram com o nome dele. Mundo do Fogo - que inesperado.
- Peregrina - disse
- É… extraordinário conhecê-la, Peregrina. Eu pensava que aqui eu fosse único.
- Nem perto disso - disse, pensando em Sunny nas cavernas. Talvez nenhum de nós seja tão raro quanto pensamos.
Ele ergueu uma sobrancelha à minha resposta, intrigado.
- É mesmo? - disse ele - Bem, talvez haja alguma esperança para este planeta, afinal.
- É um mundo estranho - murmurei, mais para mim mesma do que para a outra alma aculturada.
- O mais estranho de todos - concordou ele
—  A Hospedeira
  • Ela: Você disse que sonhou com eu e você formando uma família?
  • Ele: Não entendo porque a surpresa,esse é o sonho de todo homem...no fundo.
  • Ela: Não,é só que você parece ser tão desligado de tudo,tão independente,dá tanto valor a sua liberdade.
  • Ele: A liberdade se torna felicidade quando encontramos nosso amor verdadeiro.
  • Ela: Você acha que eu posso ser teu amor verdadeiro?
  • Ele: Eu não acho,tenho certeza.

Quando eu amo eu amo de verdade,de um modo intenso e completamente viciante.E quando eu me machuco…bom,eu aprendo,cada dia uma forma nova de me machucar menos,não que funcione sempre ou imediatamente,não que seja facil porque não é,nem um pouco,dói crescer,dói aprender mas infelizmente não tem um jeito mais facil.Na vida é tudo ou é nada e agente tem que ter muita força pra passar por ela e no final sorrir e dizer que tudo isso valeu a pena.

Teu olhar me deixa boba, teu sorriso me ilumina,tua voz me acalma, teu toque me arrepia,teu cheiro me enlouquece,sua felicidade me alegra,tua tristeza me deprime.Você é perfeito dentro da sua imperfeição.

Após uma briga...
  • Ela: Alô...que barulho é esse?Onde você ta?
  • Ele: Em lugar nenhum,porque?
  • Ela: Nada...é só que eu precisava de algumas coisas e...
  • Ele: Ah,claro eu deveria ter adivinhado,você só fala comigo quando quer alguma coisa.
  • Ela: Eu não quero,eu preciso.
  • Ele: Então ta,do que você precisa?
  • Ela: Eu...eu precisava ouvir sua voz,precisava saber que você não está magoado comigo,precisava ter certeza de que você voltaria pra mim,eu precisava te dizer que te amo...que te amo muito-ela começa a chorar-Deus como eu te amo.Eu sei que nunca te disso isso mais eu não posso nem pensar em te perder novamente,em não ter mais seu cheiro,seu toque,não consigo pensar num lugar melhor pra estar agora do que seu abraço.E...eu preciso muito saber se você ainda me ama-alguém bate na porta ela vai atender ainda chorando e o encontra com lágrimas nos olhos e o telefone nas mãos.
  • Ele: E eu preciso de você,meu amor.
“Ela estava arrumando seu quarto depois de milhares reclamações da mãe,ele entrou de repente sem nem bater na porta.
-Não sabe mais bater?!
-Desculpa-ele estava com aquele sorriso que a fazia perder o ar,disfarçou e continuou a arrumar as gavetas-nossa,isso aqui ta uma bagunça.
Ela fez uma careta e sorriu.Ele se joga em sua cama pega o controle do som e o abaixa.
-Ei,eu estava escutando,não era pra abaixar,folgado.-Ele sorri a pega pela cintura e a joga na cama,os dois se olham e caem na gargalhada.
-O que você veio fazer aqui?
-Vim te ver…e te dar uma coisa.-Ela se senta sorrindo.
-Eba,presente!
Ele se senta ao seu lado,tira do bolso uma caixinha e a entrega a ela.
-O que é?
-Abre pra ver.
-Mas hoje nem é meu aniversário nem nada…
-Mas eu quis te dar um presente,não pode?
Ela apre a caixinha e encontra uma corrente dourada com um pingente de pássaro de asas abertas todo brilhante.Era lindo e encantador,ela não poderia pensar em um presente melhor,mal sabia ela que aquele pássaro ainda teria muitos significados em sua vida.
-Meu Deus é…é lindo,eu to sem palavras.
-Gostou?
-Eu amei,eu…eu…-ela o abraça chorando,seus braços quentes e firmes a acolhiam como se fossem feitos sob medida para ela,seu cheiro inebriante a fazia sentir-se em casa,e a vontade de beija-lo foi tanta que ela afundou o rosto ainda mais fundo em seu ombro apertando-o mais contra seu corpo.Eles ficaram um bom tempo assim,abraçados,até que ele a soltou para olhar em seus olhos e falar:
-Acho que um pássaro tem muito a ver com você,e com a nossa amizade:livre.
Ele coloca a corrente em seu pescoço e da um beijo em sua bochecha.Eles se olham no espelho tentando gravar esse momento pra sempre,então como de costume ele a chama de gorda e ela o chama de idiota,esse era o jeito mais lindo que eles tinham de dizer ’‘Eu amo você”.“
—  você,eu e nossa amizade quase colorida.