exibitionist

Gabriel ligou e disse pra eu ir com “aquela sainha” curta que ele gosta, com um calcinha bonita e uma blusinha.

- Vamos sair com uns amigos hoje.
- Amigos?
- Sim. Iremos para um bar. Quero que você os conheça.
- Tá bem.

Eu desliguei o telefone já molhada imaginando como seria minha noite.
A calcinha era pequena, de renda e mal fazia seu papel. A saia também. Se me abaixasse, eu estaria descoberta.
A blusa que eu escolhi era leve e pela falta de sutiã, era possível ver meus mamilos e meu piercing.

Eu cheguei no bar e ele já estava bebendo, sentado com outros três caras. Ele bebia uma cerveja e puxou uma cadeira pra perto dele. Após ser apresentada a todos, ele me serviu um copo. Eu sabia como seria a brincadeira daquele dia.

Segurei sua coxa enquanto ele discutia com os amigos sobre o carro que queria comprar. Meus dedos chegaram até perto do seu pau, o que fez ele me olhar sorrindo.
Em uma distração dos outros amigos, eu encostei a boca no seu ouvido.
Mordi levemente seu pescoço, enquanto eu alcançava finalmente seu pau que já estava endurecendo.

- Eu posso brincar com você? - eu sussurrei.

Ele me olhou assustado e respondeu sussurrando.

- Eu te queria assim toda safada pra mim. Aqui vão ver o que você está fazendo.
- E qual é problema?

Ele não me respondeu, só sorriu.
Eu apertava levemente seu pau e não demorou muito para que ele estivesse completamente duro. E que o amigo sentado na sua frente notasse a brincadeira.

Eu estava molhada. O amigo dele acompanhava os movimentos da minha mão e Gabriel tentava agir como se nada disse estivesse acontecendo.
Eu puxei sua mão pra minha coxa e ele sorriu.
Ele apertava minha coxa com força, seus dedos estavam ficando marcados nela.

Eu me levantei da mesa e fui ao banheiro. Tirei a calcinha e voltei a mesma com ela na mão e sorrateiramente coloquei em seu bolso.
Ele me olhou assustado.
Eu encostei a cadeira ainda mais perto dele e puxei sua mão pra minha coxa novamente.
Seus dedos subiram devagarinho pela minha perna e finalmente chegou na minha buceta encharcada.
Seus dedos entraram em mim com força e eu escondi o rosto em seu ombro.

Sem mais delongas, ele tirou os dedos de mim e os colocou na boca. Ele sorria pra mim e me beijou, fazendo com que eu pudesse sentir meu gosto em sua boca.

Antes que eu pudesse reagir, a namorada de um dos amigos dele chegou no lugar. Não havia nenhuma cadeira e eu vi a oportunidade perfeita de continuar a brincar.

- Sente aqui. Gabriel tem espaço de sobra no colo dele pra mim, não é?

Eu me sentei no seu colo e eu podia sentir seu pau duro apertando contra minha bucetinha.
Eu rebolei devagar e Gabriel segurou com força minha cintura para que eu parasse.

- Eu não vou parar.

Ele riu baixo e segurou então meu cabelo, puxando devagar. Eu rebolava com mais força e eu com certeza não estava mais disfarçando.

- Vai pro banheiro masculino agora.

Eu obedeci na hora e ele me seguiu. Ele me empurrou pra dentro da cabine e me beijou com força. Ele subiu minha saia e já colocou seus dedos dentro de mim.

- Você vai me pagar por isso, você sabe né safada?
- Me fode por favor, Gabriel!
- Não, agora não. Você me provocou e agora você vai só chupar meu pau bem gostoso. Ajoelha agora.

Eu me ajoelhei no chão do banheiro e abri sua calça e coloquei seu pau na minha boca. Eu massageava suas bolas e colocava seu pau inteiro na minha boca. Eu deixava ele babado, bem molhado. Eu engasgava em seu pau e ele olhava no meus olhos, gemendo baixo, me deixando cada vez mais molhada.

Ele segurava meu rosto com força e deu um tapa com força na minha cara.
Eu chupava cada vez mais rápido e suas mãos puxavam meu cabelo. Eu estava com seu pau inteiro em minha boca quando ele gozou.

Eu engoli toda sua porra e limpei todo seu pau.
Ele riu baixo e me puxou pelo cabelo.

- Isso não é nem o começo do que você vai ter que fazer hoje.

Eu voltei pra mesa com a cara vermelha, com cara de quem havia chupava maravilhosamente aquele pau gostoso mas sem comentar com ninguém.