exergar

Vivemos um espetáculo onde nós mesmos somos os protagonistas. Os sentimentos são nossos figurinos, que nessa altura já encontram-se bastante desgastados. A respiração torna-se mais agitada a cada ato, a monotomia desse show é bastante cansativa e quase imutável. Todos usam máscaras, dificilmente conseguimos exergar através delas, mas facilmente nos deixamos levar por elas. Com o tempo a nossa vida torna-se uma peça com um tema novo, um sentimento novo, personagens novos, uma dor nova, a cada noite, a cada mês, a cada ano, a cada escolha que fazemos. E no fim, as luzes se apagam, todos se vão e você tem que limpar o palco sozinho e simplesmente continuar. Na expectativa de uma nova história, de uma nova noite de estréia, de novos figurinos, novas emoções, de uma nova chance de eternizar-se.
—  Mário Dias.