eu li com a voz dela

quick musical doodles and sex (4)

Min Yoongi
Sinopse: Por mais que eu tentasse, eu simplesmente não conseguia me livrar daquilo. Do maldito som insistente de gemidos altos que vinham do apartamento vizinho.
[ parte: 0 l 1 l 2 l 3 l 4 l 5 l 6 l 7 ]
Contagem de palavras: 4,802 palavras.
Avisos:

Keep reading

Eu olho para o passado e penso que queria ter passado mais tempo ao seu lado, sei que ainda que curta a intensidade da nossa história fez dela forte e indestrutível, mas queria mais páginas para o nosso pequeno livro de capa dura. Li por aí que o verdadeiro lar das pessoas que amamos sempre será nosso coração, independentemente de onde elas estejam. É assim que eu consigo lidar com tua ausência física, você permanece aqui dentro de mim. Nem sempre é fácil, já fazem dois anos que não ouço tua voz, que não vejo teus olhos brilhantes e intensos, que não sinto o calor do teu abraço… Quero acreditar que independente de onde esteja você ainda pode ler o que eu te escrevo e sentir todas as vezes que a saudade rasga meu peito, quero acreditar que posso levar paz pro teu coração ao lembrar de todos os teus bons momentos aqui. Eu sei que eu deveria ter te procurado mais vezes, eu deveria ter enfrentado melhor as barreiras pra passar mais tempo ao seu lado, a gente sempre acha podia ter feito mais não é? Mas eu sempre sorrio ao me lembrar de você e acho que isso significa que o pouco valeu muito, valeu mais do que muitas futilidades que algumas pessoas valorizam por aí. Quero acreditar que você também lembra de mim, de nós, e que também sorri quando pensa no nosso pouco. Eu sei que a morte não é capaz de destruir o que o coração construiu, eu sempre vou te amar.
—  Cartas de adeus, Afetiza.

Imagine com Harry Styles: Butterfly in stomach

Eu adorava observá-lo, principalmente daquele jeito. Ele estava com os olhos fechados, como se estivesse num momento de relaxamento,  o suor escorrendo pelo seu rosto, o cabelo todo bagunçado, respirando fundo e soltando o ar pela boca, deitado no meio da cama de casal. Um lençol fino cobria apenas a sua parte íntima, deixando à mostra o seu tórax definido e coberto de tatuagens.

Suas tatuagens.

Desde que eu o conhecia, e tive a oportunidade de vê-lo sem camisa, sempre procurava entender o significado por trás das tatuagens de Harry. Algumas eu gostava, achava bonitas até, como a rosa em seu braço direito. Já outras, me até me faziam duvidar sobre a sua sexualidade. Eu nunca havia lhe perguntado os significados delas, apesar da minha curiosidade, mas eu adorava “desenhá-las” por cima com o meu dedo.

Sentada na beirada da cama, fui me aproximando aos poucos do seu corpo, engatinhando como uma gata em busca de carinho do seu dono. Coloquei uma perna de cada lado do seu quadril e me deitei da forma mais confortável possível sobre ele, repousando a minha cabeça sobre o seu peito, fazendo com que eu pudesse ouvir seus batimentos cardíacos.

— O que houve? — Ouvi a voz baixa e rouca de Harry, sentindo seus braços me envolvendo num abraço desajeitado, e me arrepiando levemente.

— Eu queria saber o significado delas. — Respondi um pouco tímida, passando meus dedos levemente pelo seu braço, contornando algumas das tatuagens daquela região.

— A maioria delas tem algum significado especial — Falou se ajeitando melhor na cama, encostando a coluna na cabeceira da cama, e me fazendo sentar sobre as suas pernas. — Pergunte quais delas você quer saber.

— Mmm… — Disse tentando me decidir sobre qual tatuagem seria a primeira. — As andorinhas.

— Elas são aves migratórias, sempre estão viajando, mas sempre retornam para as suas casas vitoriosas. — Explicou.

— A sereia. — Apontei para o seu braço. — Acho que já suspeito o significado dela… As sereias são conhecidas por encantar os pescadores com a sua voz e a sua beleza, no seu caso, você seria a sereia e suas fãs os “pescadores”. — Ri fraco.

— Talvez…  — Disse envergonhado.

“Things I can’t” — Li a frase escrita em seu antebraço.

— Essa faz mais sentido, tem a ver com as coisas que eu não posso fazer, como me expressar como eu gostaria, frequentar festas, sair com os meus amigos e minha família, assumir compromissos. Por isso em me sinto como se estivesse preso. — Apontou para a sua tatuagem de gaiola em seu ombro.

— Ok, só quero saber de mais uma. — Anunciei ainda tomando coragem para perguntar sobre a tatuagem que mais me intrigava. — A borboleta.

— Bem… Ela significado do que eu estou sentindo neste momento. — Harry sorriu torto, ajeitando o meu cabelo atrás da orelha. — Sabe quando você gosta muito de uma pessoa? E você sente como se houvesse milhares de borboletas voando em seu estômago?

— Sim.

— É o que eu estou sentindo por você neste momento, S/n. — Harry passou as mãos pelas minhas costas, aproximando ainda mais os nossos corpos,  e nossos rosto estarem próximos os bastante para sentirmos a respiração do outro. — Eu amo você — Sussurrou baixo, com a sua boca levemente aberta, o seu hálito quente batendo em meus lábios, que automaticamente se abriram em busca do contato com os dele, num beijo acolhedor e cheio de amor.