eu estou com fome

Clara sempre foi apaixonada pelas cores, em especial pelo roxo bebê - cor que ocupa 70% do seu armário. Meiga, delicada e sorridente. Dizem que ela é como uma brisa, leve e calma. Isso, claro, sem perder a compostura de chefe. Bom, pelo menos até às 18h, horário que sai do seu escritório. Ninguém desconfia, mas em casa a vida de Clara é um martírio:
- Clara? Ei, estou com fome. Isso lá são horas de chegar? Estou esperando a janta há 10 minutos, isso não se faz.
Ela sempre fica sem reação e acha que deve obedecer. Com a cabeça baixa, mal consegue olhar para o rosto dele, fala com a voz fraca:
- Hoje o trabalho estava exaustante. O Alexandre, meu melhor funcionário, teve que faltar porqu….
- EU NÃO QUERO SABER, CLARA. Oh Clarinha - diz ironicamente - sua vida não me interessa. Minha fome, sim.. - diz Cláudio, seu marido.
Essa situação era normal para Clara, que com o rabo entre as pernas vai fazer a janta.
- Ele é meu homem, devo satisfazê-lo, eu sei. Mas é que ultimamente…
Marcos, seu filho, chega interrompendo seus pensamentos. Ele tem apenas 16 anos, mas é quase um clone do pai.
- Mãe, a janta já vai sair? Eu estou com fome. - fala grosso, ríspido.
- Está cada vez mais igual o pai - pensa Clara, aflita. Mas responde com tranquilidade:
- Amor, vou fazer a janta agora. Que tal ir para o quarto e chamo quando estiver pronta?
Tudo ocorre normal. Ela está sozinha. Aliás, acompanhada de seus pensamentos que, exatamente nesse dia, começaram a atormentá-la de maneira descomunal.
- CLARA! A janta está pronta? Já disse que estou com fome. - chega Cláudio, mal educado como sempre.
- Está sim. Vai lavando as mãos.
- Você me faz rir, Clara. Lavar a mão é para viadinhos. Vou esperar aqui na mesa já que está quase pronto. - responde em tom intimidador.
Clara serve a mesa e vai chamar Marcos:
- Nossa, mãe, eu estou jogando vídeo game, não está vendo? Que saco! O pai está certo de tratar como te trata. Já vou!
Clara não retruca, seu filho está virando outro monstro.
A janta ocorre tudo normal, a não ser os pensamentos de Clara que começam a crescer cada vez mais na sua cabeça de maneira assustadora e ela não sabe o que fazer. Outro dia começa, mesma rotina, Clara acorda, chama Marcos para ir à escola, local que ele dá trabalho corriqueiramente, e Cláudio continua dormindo, provavelmente até o meio dia. Horário em que acorda e come um Hot Pocket, pra variar.
Chegando no trabalho, ela está deslumbrante vestindo uma saia branca e a blusa roxa clarinha, como de costume. Alexandre chega pedindo mil desculpas pela falta:
- Claaara! Me desculpe ontem. Uma virose me pegou de jeito, hoje já estou melhor. Prometo que vou adiantar tudo e isso não voltará a ocorrer. Tá?
Clara, educada, responde:
- Alexandre, não se preocupe. Só deixe o atestado em cima da minha mesa e, caso não se sinta bem hoje, pode ir para casa. As coisas estão calmas aqui.
O dia corre como de costume. Responsável e dedicada, não para pra nada em seu trabalho, a não ser, de hora em hora, que o pensamento volta a crescer em sua cabeça. Ela tenta evitá-lo, mas é inevitável. Chega 18 horas, hora de ir pra casa - o que de um tempo pra cá não vem sendo sua maior alegria.
Chegando em casa, algo está diferente. Ao estacionar o carro Clara já ouve uns gritos vindo de dentro. Ela abre a porta bem devagar e escuta vindo do quarto de Marcos:
- PAI, VOCÊ É UM OTÁRIO, UM VERME. A MÃE É OUTRA. NÃO SEI O QUE FIZ PARA MERECER VOCÊS COMO PAIS. VAI SE F…
Um barulho imenso se propaga pela casa. Clara leva o maior susto e corre em direção ao quarto. Quando pensa em abrir a porta, ouve o filho mais uma vez:
- PAI, VOCÊ ESTÁ LOUCO. MINHA TELEVISÃO, VOCÊ É DOENTE, SÓ PODE.
- APRENDE A NUNCA MAIS PENSAR EM ME MANDAR PARA AQUELE LUGAR, PIVETE. - responde o pai nervoso.
Agora o som foi diferente, deu para distinguir exatamente. Era um murro. Um murro bem dado. Clara corre para o carro e finge que nada aconteceu, os pensamentos em sua cabeça ficam ainda mais forte, não conseguindo mais evitá-los. Sua casa é um inferno, ela já não sabe o que fazer. Ou melhor, agora, está começando a saber.
- E NÃO OUSE SAIR DO SEU QUARTO TÃO CEDO. - grita Cláudio.
Clara decide esperar 10 minutos e entra em casa como se nada tivesse acontecido. Cláudio é grosso, como sempre, mas ela simplesmente não liga. Vai para o quarto, toma um banho e começa a fazer a janta. Leve e calma, essa era sua marca.
O jantar é servido, a mesa está em silêncio e o clima pesado.
- Vamos, fale algo, Clara. Você sempre tenta me agradar. Agrade. - fala Cláudio, em tom irônico e intimidador.
Clara dá um sorriso amarelo, levanta da mesa e limpa seu prato na pia. Marcos, na velocidade de uma metralhadora começa a falar:
- Vocês dois são loucos. Você, mãe, como pode fingir que está tudo bem? Olha para o meu rosto, OLHA SUA VAGABUNDA! Isso é a marca do que seu marido, meu pai, fez - seu olho estava roxo, inchado. E você aí, com essa cara de tranquila como se nada tivesse acontecido. Isso não vai ficar assim, não não. Terá volta. - levanta nervoso, joga a cadeira no chão, e vai para o seu quarto. Bate a porta tão forte que o som ecoa pela casa toda.
Uma troca de olhares intensa entre Clara e Cláudio, até que ela decide ir para o seu quarto e com um tom leve fala:
- Não ouse entrar no quarto hoje. Obrigado. - e dá um sorriso de canto de boca como se estivesse tudo planejado em sua cabeça.
Cláudio não retruca. Talvez ele tenha consciência de que o que fez foi errado.
Chegando no quarto, os pensamentos de Clara gritam, a incomodam, parecem fazer um barulho fora do comum. Ela decide deitar e dormir, ou pelo menos tentar.
Mais um dia começa. Hoje, Clara está de vermelho. Um vermelho forte, gritante. Ela vai ao trabalho decidida, os pensamentos sumiram de sua cabeça. Alexandre, seu funcionário, chega até sua mesa pedindo o dia de folga.
- Você só pode estar louco. Ontem estava tranquilo e você decidiu ficar, hoje preciso de você aqui, a resposta é não.
Alexandre não retruca. Dava-se para perceber de longe algo diferente em Clara - fora a roupa vermelha, coisa que nunca havia acontecido antes.
Chega 18 horas, hora de ir para embora. Chegando na porta de sua casa, percebe que está cheia de viaturas. Ela dá um sorriso de canto de boca, se sente vitoriosa. Estaciona o carro e vai em direção a sua casa.
- Ei, você não pode entrar aí! É a cena de um crime. - fala um policial
- Essa é a minha casa. - responde Clara, com sua tão conhecida tranquilidade.
Entrando encontra Cláudio morto, uma facada no peito. As mãos de Cláudio estão segurando a faca, uma cena assustadora. Ela vira de costas e pergunta ao policial sobre seu filho:
- O senhor viu um adolescente aqui? Cerca de 16 anos, loiro..
- Oi? Adolescente? Chegamos e não havia ninguém aqui.
- Tudo bem. Onde dou meu depoimento? - responde, com a voz aliviada.
—  Pedro Peixoto.
Intimidade é saber amar e ser amado. É dormir no sofá e acordar na cama. É saber que nas minhas músicas sempre terão de Chico Buarque até Pink Floyd e, também sentar junto pra escutar. É saber que se eu dançar na sua frente eu estou muito bêbada ou simplesmente, já temos aquela famosa intimidade. É saber que pra você chegar em qualquer nível de proximidade, basta apenas eu gostar do seu sorriso e, também saber que às vezes eu vou me dar demais e me enganar. É saber que de todos os loucos do mundo eu sempre vou escolher alguém com a maior média de insanidade. É saber que eu sou brisa leve e também furacão. É saber que eu grito bem alto para quem quiser ouvir que sempre tem espaço no meu coração. É saber que eu amo cantar no chuveiro. É saber que eu vou contar minha vida toda em um dia pra qualquer desconhecido que aparecer na esperança de este se torne meu amigo.  É me ouvir por três horas seguidas, mas saber que eu sempre vou estar aqui por você, até mesmo quando você não precisar. É saber que eu não canso rápido, mas quando eu desisto, eu sempre volto atrás porque eu tenho uma mania insuportável de acreditar na humanidade. É saber que eu fico brava quando estou com fome e não consigo socializar. E que às vezes eu vou ser aquela pessoa chata que não se cansa de falar e vai querer sempre falar com todos ao mesmo tempo. É saber sempre me ouvir, mas também saber que de vez em quando eu vou me calar e querer ficar sozinha, mesmo que eu sempre diga que nunca quero que me deixe. É saber que eu odeio que mexam nas minhas coisas, que eu amo cantar no chuveiro, que os pequenos detalhes me encantam, que quase sempre eu me apaixono pelas letras da música mesmo não gostando da voz do cantor, eu sempre quero livros mesmo que eu não vá ler todos eles, eu gosto de cd’s, eu gosto de enfiar os dedos nas sementes nas feiras, eu gosto de ir ao cinema e observar as pessoas se expressarem no escuro como se ninguém as pudesse ver, eu gosto de muita coisa que eu nem sei explicar. Ter intimidade é saber muito sobre o outro, mas principalmente saber que saber muito sobre o outro, não importa se você souber uma única coisa, ser sempre você.
—  Bianca Autran
Imagine Zayn

Eu queria um com o Zayn que os dois são casados e que ele traí ela com a empregada deles, ele não é um bom marido pra s/n, e ela faz de tudo pra ele, eles tem um filho pequeno, o final vc decide. Desde já agradeço! 😘


 — Nossa, mas não são esses os amores da minha vida? — Sorri ao ver meu marido Zayn e o nosso pequeno, ambos com seus skates embaixo dos braços. — Se divertiram?

— Muito mamãe! Estou quase conseguindo ficar em pé. 

— Uaaaaau, daqui a pouco já está andando igual ao papai. — Sorri para Zayn, que não deu importância.

— Vamos pro banho filho? — Zayn o convidou.

— Isso, vão tomar banho enquanto eu preparo a mesa.

— Não estou com fome (S/n)… — Respondeu seco.

— Fiz sua lasanha favorita amor.

— Mais tarde eu como alguma coisa. — Subiu com Isaac. 

 Os dois levaram cerca de vinte minutos para finalizar o banho, apenas Isaac desceu, segundo ele, estava morrendo de fome. Eu sorria feito boba ao ver aquelas mãozinhas que aprenderam a se alimentar sozinhas a tão pouco tempo. — Tá gostoso meu amor?

— Maravilhoso, a melhor lasanha que já comi. — Ri com a resposta dele. — Mamãe, você deveria fazer comida sempre para gente. A sua comida é beeeeem melhor do que a da Rita. — Disse baixinho.

— Eu acho que o papai prefere a dela. — Eu ri ao lembrar que Zayn não quis comer.

— Rita, não deixe ele ficar até tarde assistindo tv por favor.

— Pode deixar (S/n), boa viagem.

 Peguei a mala e entrei no táxi, ao chegar no aeroporto tentei diversas vezes falar com Zayn, que não me atendia.

 “Bom dia amor,

 Estou prestes a entrar no avião, mas já estou morrendo de saudades. Sei que sou chata, mas quero pedir pela milésima vez para vocês dois não ficarem até tarde comendo besteiras, preste atenção nas lições de Isaac e divirtam-se muito. Te amo muito meu bad boy. 

 Até daqui um mês.”

 O deixei uma mensagem para quando ele estiver perto do celular ler.


ZAYN:

 Minha relação com (S/n) não é a mesma já há um tempo, ela até tenta forçar algo, mas eu não consigo mais. Ela já não é tão atraente como quando nos conhecemos. 

 Li a mensagem da minha esposa e pude sentir um arrepio na espinha em saber que serei responsável por Isaac por um mês. O moleque é incrível, muito bem educado, não faz malcriação, mas é uma criança que precisa de cuidados, eu não sou muito bom nisso!

— Você vai me ajudar com isso, não é? — Entrei sorrindo na cozinha.

 Rita se virou com a faca na mão, enquanto cortava os legumes. — Ham?

— Hmmm, hoje o almoço é seu. Graças a Deus.

— Zayn, eu já comi a comida de (S/n) e ela cozinha super bem. — Ela me repreendeu.

— Não melhor que você. — Beijei seu pescoço.

— Zayn, estou trabalhando…

 Tirei a faca da mão dela, a virei de frente para mim e a imprensei na bancada.   — Estamos sozinhos. — Mordi os lábios enquanto acariciava seu corpo lentamente. 

— A gente nunca fez isso aqui na sua casa, eu não me sinto bem… — Tentou se afastar.

 Desabotoei seu vestido, deixando-a apenas com sua lingerie branca. Sorri ao ouvi-la gemer enquanto eu acariciava seu clitóris. Me despi e ela fez o mesmo. A penetrei e ela gritou, me deixando com mais prazer de fazer aquilo. Acelerei o ritmo, ela pedia mais e mais, chamava pelo meu nome e eu gozei, por pouco quase dentro dela. Rita me beijou. — Dorme comigo hoje? — Sussurrei.

— Você é louco. — Disse enquanto se vestia. 

— Por favor. — Fiz um biquinho para convence-la.

— E Isaac?

— Vai dormir na minha mãe hoje.

— Tá bem…

 Sorri comemorando.

 Nós dois almoçamos juntos, em seguida fui para o escritório responder alguns emails.

(S/N):

 Não acredito que fiz essa viagem atoa!

— Você cancelou tudo e não me disse? Eu me programei para isso.

— Me desculpe senhora, eu a enviei um email avisando.

 Abri minha caixa de email e não havia nada ali. Saí furiosa daquela sala a caminho do hotel, arrumei minha mala e me direcionei para o aeroporto. Já eram duas da manhã quando finalmente o táxi parou em frente a minha casa. Entrei em silencio para não acordar Zayn e Isaac. Deixei minhas coisas na sala e fui até o quarto do meu pequeno, observá-lo. Ele não estava lá, pensei na possibilidade dele estar dormindo junto ao pai. Caminhei até meu quarto e de Zayn e levei um tremendo susto ao ver que tinha outra pessoa deitada com Zayn e não era o meu filho. Tentei controlar meu choro e minha respiração ao máximo, eu estava nervosa, mas precisava pensar o que fazer. Caminhei lentamente até o Zayn e cutuquei seu ombro, o fazendo acordar. Só ali pude perceber que a mulher era a Rita, nossa empregada.

— Estou te esperando lá na sala. — Disse baixo para ele.

 Desci e o aguardei de braços cruzados. Ele desceu em seguida coçando os olhos.

— Cadê meu filho? — Eu disse séria.

— Está na minha mãe. — Se aproximou. — Amor me desculpe, eu…

— Você está de parabéns Zayn! — O interrompi. — Está aqui seu premio de melhor marido do ano. — O entreguei minha aliança.

— Amor vamos conversar. — Segurou minha mão.

— Quer falar sobre o que Zayn? Como fui no trabalho? Sobre nosso filho?

— Quero falar da gente (S/n).

— Não existe mais a gente! — Caminhei em direção a escada. — Amanhã quando eu acordar quero meu filho aqui, entendeu?

 Zayn assentiu. Subi para o quarto de Isaac e juntei algumas peças de roupa dele em uma mala, sentei na cama do meu menino e ali pude chorar, chorei até o amanhecer. Oito horas da manhã Isaac estava passando pela porta do quarto dele, gritou quando me viu. — Mamãeee! — Correu para me abraçar. — Pensei que só ia voltar mês que vem.

— Eu também meu amor. — Sorri. — E seu pai também. — Olhei séria para Zayn que estava na porta do quarto.

— O que vai fazer com essas mala (S/n)? — Zayn perguntou fraco.

— Eu e Isaac estamos de mudança. 

 Isaac olhou assustado. — Estamos? E o papai?

— O papai mora aqui.

— A gente também mamãe.

— Não mais, meu amor, depois a gente conversa.

 Caminhei com as malas até o carro, coloquei Isaac no banco de trás e o protegi com o cinto de segurança.

—  (S/n), você não tem esse direito de levar meu filho.

— Você vai levá-lo para escola? Vai educá-lo? Alimentá-lo? Cuidar quando estiver doente? Vai nas reuniões escolares? — Contei nos dedos. — Na primeira oportunidade você o largou na sua mãe.

— Eu vou poder vê-lo?

— Todas as vezes que ele me pedir.

— Obrigado. — Zayn respirou aliviado.

 Partimos para casa dos meus pais, onde vivemos provisoriamente até encontramos nosso apartamento, que Isaac adorou a piscina e o parque que haviam no condomínio.

 Seis meses se passaram, Issac passava quase todos os fim de semanas com o pai e eu aqui sentada em uma mesa de um restaurante em um encontro, o primeiro desde que me separei de Zayn. Louis é uma pessoa completamente diferente de Zayn, super bem humorado, ao mesmo tempo sério e responsável. Foi divertido sair com ele e pude ver que eu poderia ter um novo relacionamento, mesmo sendo mãe.

 Mais dois meses se passaram e era aniversário de Zayn, Isaac implorou para que pudéssemos ir até a casa dele presenteá-lo, conversei com Louis e ele não viu problema em eu acompanhar meu filho até a casa do meu ex marido.

 Tocamos a campainha, Zayn não demorou a abir, se assustou ao me ver.

— Feliz aniversário Zayn.

— Érrr, obrigado, entrem… — Deu passagem.

— Só vim trazer isaac, já estou de saída.

— Por favor (S/n).

— Por favor mamãe.

— Tá bem. — Revirei os olhos.

 Isaac entregou o presente ao pai, que ficou muito feliz em termos acertado no presente.  — Vocês me conhecem mesmo. — Zayn disse me olhando.

— Nos conhecemos a mais de vinte anos… — Eu disse o fazendo engolir seco.

— Estraguei tudo, me desculpe (S/n).

— Não vim pra falar sobre isso Zayn…

— Me dê uma chance de consertar tudo.

— Zayn, meu coração não é um brinquedo que você abandona quando enjoa, depois brinca de novo, aí quebra, conserta, enjoa de novo…

— Eu sei (s/n), estou muito arrependido.

— Além do mais, eu já tenho uma pessoa.

— Tem? — Arregalou os olhos.

— Sim…

— Quem? Você ama ele?

— Para Zayn.

 Zayn se aproximou de mim colando nossas testas, meu coração estava acelerado. — Me diz que você ama ele.

— Zayn, o Isaac está aqui, respeite nosso filho.

— Eu preciso saber se você o ama.

— Não importa Zayn.

— Eu sabia, você não o ama, está na sua cara, eu te conheço (S/n). — Se afastou satisfeito. — Eu ainda tenho chance de te conquistar de novo e eu não vou desistir.

— Eu nunca vou esquecer o que você fez, não vai ser fácil pra você. Não atrapalhe minha relação com Louis, eu também tenho o direito de ser feliz.

— Então é o Louis… Você vai enjoar dele (S/n).

— Me dê licença, já chega por aqui! Tchau Isaac, se divirta meu amor. — Dei um beijo na testa do meu filho e saí.

 Zayn e correu até a porta. — (S/n), apesar de tudo eu te amo muito, estou muito mal por tudo que te fiz. Eu peço a Deus todos os dias para te trazer de volta a minha vida, eu serei o cara mais feliz do mundo quando acontecer. Eu não vou atrapalhar seu namoro, mas quero que saiba que estou ansioso para te ter em braços novamente. Me desculpe por tudo, meu amor.

 Saí dali com os olhos cheios de lágrimas e a mente repetindo toda hora as palavras de Zayn.


 Talvez tenha continuação.

Pedido de dabhdkd163: Com o liam que eles eram ex namorados e ela organizou o aniversário surpresa pra ele, ela ainda gostava muito dele, ai quando ele viu ela, começou a humilha-la na frente de todos. Ele não sabia que ela tinha organizado.(O momento do término deles foi porque teve boatos que ela o traiu.) Final feliz pfv .


Harry: Tudo certo S/A! 

S/N: Todo mundo chegou? - perguntei ansiosa. 

Harry: Sim! Só falta ele! 

S/N: Ótimo!! 

Eu e Liam havíamos terminado há 6 meses. Motivo? Boatos que o trai. Nós permanecemos juntos por 5 anos, e nosso relacionamento acabou por mentiras que ele nunca me deixou explicar. Eu não o trairia nem se eu quisesse. Liam foi meu primeiro amor e a paixão que sinto por ele ainda permanece em minha cabeça. Na tentativa de nos reconciliarmos, resolvi fazer uma festa surpresa pra ele. Ainda possui a chave de seu apartamento, então tudo ficou mais fácil. Nunca mais nos vimos depois do término, ou seja, poderia conversar com ele agora, com mais calma. A decoração, comida, bebida já estava tudo pronto. Todos os convidados estavam no local e em poucos minutos Niall nos avisa de sua chegada. 

Todos: SUPPRESA!!! - nós gritamos, lançamos confetes, bexigas no momento que Liam chegou, deixando-o de queixo caído. 

Liam: Uau!!! Que surpresa! - nós rimos. Liam entrou no apartamento e cumprimentou todos, dando atenção a cada um enquanto à festa rolava. Havia Música, salgadinhos, docinhos, tudo ocorria como o planejado. Liam estava todo contente, curtindo o momento. Ver ele desta maneira me trazia uma paz e felicidade. A saudade de tê-lo novamente era grande.

Zayn: Parece que ele está gostando bastante! - Zayn falou com um sorriso no rosto, olhando para Liam, que dançava loucamente. 

S/N: Estou feliz em ver ele assim! 

Zayn: Assim que acabar, vocês podem conversar não é? - assenti - Vai dar tudo certo! Não se preocupa! - Zayn sorriu de leve e me deu um abraço. Fui até à cozinha, que no momento parecia estar vazia. Peguei uma cerveja na geladeira e sinto meu braço sendo apertado. 

Liam: O que tá fazendo aqui? - falou com raiva, parecendo que havia cometido um crime. 

S/N: Oi pra você também! 

Liam: O que está fazendo aqui S/N?? Eu não fui claro quando disse que nunca mais queria te ver?Como teve a capacidade de aparecer na minha casa, e ainda no meu aniversário depois do que fez comigo! 

S/N: Liam.. 

Liam: Cala a boca!! Não quero ouvir sua voz, eu não quero nunca mais te ver S/N! Você estragou minha vida, estragou os nossos planos! Eu só quero aqui as pessoas que eu amo, que me fazem bem, e você não está incluída! Na realidade, por que está aqui?? QUEM FOI QUE CONVIDOU ELA PRA ESTAR AQUI?? - Liam gritou e todas a atenção foi diretamente pra ele. Meus olhos estavam lagrimejando e meu coração destruído. Não consegui agir naquele momento. À vontade de chorar era imensa. Era horrível ouvir aquilo da pessoa por quem você foi e é apaixonada. 

Louis: Liam..- Louis falou calmo para o amigo. 

Liam: QUEM TEVE A BRILHANTE IDEIA DE TE CONVIDAR S/N? - seus olhos quase pularam pra fora. Dava para ver sua fúria nitidamente. 

Louis: Foi a S/A que fez a festa pra você cara.. - Aquilo foi demais pra mim. Liam me olhou sem entender nada. 

S/N: Espero que curta sua festa! E meus parabéns Liam! - disse, tentando ser o mais forte possível e o dei às costas, indo embora. No carro, chorei o caminho inteiro de volta pra casa. Era tão doloroso saber que Liam um dia gostava de mim e hoje, o mesmo me humilha, e pelo o que vi e senti, ele me odeia.

Dias depois.. 

Mary: Você tem certeza que quer comer aqui? - minha amiga perguntou quando se deparou com a praça de alimentação do shopping lotada. 

S/N: Eu estou com fome! 

Mary: A gente come na sua casa S/A! O Josh tá me esperando no estacionamento. Ele não vai querer subir até aqui! 

S/N: Pode ir pra casa então. 

Mary: Mas e você? 

S/N: Eu pego um táxi depois. Não se preocupa! - dei um leve sorriso. 

Mary: Tudo bem! Se cuida! Me manda mensagem qualquer coisa tá bom? - assentei e nos despedimos. 

Realmente o shopping estava uma loucura, mas a fome que eu sentia não podia esperar. Pedi um lanche e fui em busca de uma mesa, encontrando uma a alguns metros de mim. No momento em que me sento na cadeira, consigo ver Liam, realizando a mesma ação que fiz há poucos minutos atrás. 

Nunca mais o vi. Depois daquele dia, Liam deveria ter morrido pra mim, mas infelizmente isso não aconteceu. Eu ainda o amava. Ele não saia dos meus pensamentos. Mesmo sendo um total idiota, eu gostava dele. 

Olhei novamente para Liam, vendo o mesmo vindo em minha direção. Peguei uma batata frita, fingindo estar distraída, mas falho e ele chega até mim. 

Liam: Oi.. - não o respondo, apenas olho para sua face. - Posso me sentar aqui? 

S/N: Tem certeza que quer sentar com a pessoa que estragou sua vida? - digo séria e Liam abaixa a cabeça, depositando à bandeja na mesa. 

Liam: Eu preciso muito conversar com você! - ele diz em um tom de profundo arrependimento. 

S/N: Tudo bem.. - disse e ele se sentou em minha frente. Nossos olhares se encontraram e foi como se eu o visse pela primeira vez. Aquela sensação de nervosismo tomou conta de mim. 

Liam: Eu descobri toda à verdade sobre nós. Se arrependido matasse.. 

S/N: Por que não me ouviu? Você veio atirando pedras em mim, sem ao menos ter me escutado primeiro! Você acha que eu teria coragem de te traia? 

Liam: Eu sei S/A.. Eu fui um tremendo babaca em ter feito tudo o que fiz! Pra mim, foi um choque também! Eu não queria acabar com tudo, mas toda essa confusão fez com que minha cabeça pirasse de vez. - ele respirou fundo. 

S/N: Eu te entendo em relação a traição.. Mas você poderia ter me ouvido antes de me acusar. 

Liam: Me perdoa.. por favor! Eu agi totalmente errado! Principalmente no meu aniversário. Eu adorei à festa que você fez pra mim! - Liam segurou minha mão - Depois que você foi embora, eu fiquei sem chão! Tudo o que passamos juntos, em todos esses anos, passou pela minha cabeça. Eu vi o quanto eu errei! Não tenho como me explicar.. sei que vacilei mas sabe, eu te amo! - ele deu um sorrisinho fraco e acariciou minha mão. 

S/N: Eu realmente não sei o que dizer.. Eu também te amo mas o que você me falou aquele dia me magoou bastante.. 

Liam: Sabe que eu não sabia de nada não é? - assenti- Ok - ele respirou fundo - Me promete que vai pensar com carinho em relação a nós dois? 

S/N: Se eu te dar uma chance agora, promete que nada vai estragar nosso relacionamento de novo? - um sorriso enorme abriu em seu rosto, me fazendo sorrir também. 

Liam: Prometo!- Liam foi se aproximando de mim e nossos lábios se colaram novamente, depois de bastante tempo. 

S/N: Senti sua falta.. 

Liam: Agora Não mais.. Vou estar com você pra sempre meu anjo!


Ju

*.

Harry Styles.

·         Medo?

     O relacionamento de S/N e Harry nunca foi do jeito que ele imaginou que seria. Ele imaginou que ambos estariam apaixonados e que teria todos os clichês que ele poderia pensar que casais fariam.

     Mas com S/N, é difícil ter um relacionamento assim.

     Ele não sabia de seu passado, S/N tinha sofrido muito quando seu ex-namorado a traiu e sentiu como se não pudesse confiar em nenhum outro homem.

     Quando Harry sentou ao seu lado no cinema não fazia muito tempo do acontecido, por isso quando ele pediu seu número de telefone, ela gritou com ele e foi embora furiosa.

     Alguns meses depois eles se encontraram novamente e Harry teve que implorar por um jantar como um pedido de desculpa pelo modo que ele agiu na primeira vez que eles se encontraram.

     Agora, com dez meses de relação eles eram uma bagunça como casal. Mas mesmo assim eles estavam bem juntos, e estavam fazendo uma das coisas favoritas de Harry; Tendo um dia de preguiça, descansando no apartamento dele com S/N rindo de uma piada que ele tinha contado a ela.

     Quando S/N finalmente acabou de rir, ele virou sua cabeça para vê-la com os olhos fechados e um sorriso no rosto, o cabelo desarrumado em seu travesseiro e sua camisa levantando por qualquer movimento que ela fazia. Ela era a garota mais bonita que ele já conheceu e ele é tão feliz por poder chama-la de ‘sua’.

 “Hey” S/N virou a cabeça para ele e olhou para ele com olhos brilhantes.

 “Oi” Ela riu.

 “Ele sorriu e pressionou um beijo em sua testa entes de se deitar. “Se lembra quando fomos ao supermercado?”

 “Temos várias lembranças desses mercados, Harry.”

 “Você queria sorvete, mesmo sendo inverno. Você não conseguia decidir qual sabor levar e eu estava te provocando sobre você ser tão indecisa às vezes. Eu sugeri que você comprasse todos os sabores do mercado e você riu. Era o tipo de risada que eu poderia ouvir pelo resto da minha vida. Você disse que eu era um bobo e me beijou, você usava um suéter, e os cabelos bagunçados por ter passado o dia todo na cama comigo. Lembra disso?”

     Ela revirou os olhos e se aproximou dele, envolvendo um de seus braços ao redor de sua cintura e descansando a cabeça em seu ombro. “Eu lembro. Por que está falando disso agora?” Ela perguntou suavemente, pressionando um beijo em suas costas. Ele estava deitado de bruços, com os braços debaixo do travesseiro.

     Ele respirou fundo. “Naquele momento eu sabia que eu te amava mais do que qualquer outra pessoa que eu já amei. E, no entanto, tudo o que estávamos fazendo era procurar sorvete.” Ele riu suavemente.

     Essa foi a primeira vez que um deles disse ‘Eu te amo’ no relacionamento. Harry tinha certeza do que sentia a algum tempo e naquele momento se sentia preparado para falar.

     Seu sorriso lentamente se transformou em uma carranca quando S/N se afastou dele. Ela saiu da cama e mordeu o lábio quando viu os olhos de Harry cheios de dor.

 “S/N”

 “Eu… Eu tenho que ir” Ela murmurou, pegando suas coisas. Ela saiu do quarto em menos de um minuto deixando um Harry confuso.

     Antes que S/N pudesse abrir a porta, ele agarrou seu pulso e a parou. “Espera. Por que você está indo embora?”

     Ela puxou seu pulso e abriu a porta. “Eu tenho que ir.” Foi tudo que ela disse antes de bater a porta.


     Três semanas depois e S/N não tinha voltado a ver Harry. Ela pensou em ligar para ele algumas vezes, mas ela não ligou e suspirou cada vez que desligou o telefone.

     Ela mordeu o lábio inferior e gemeu quando sentiu a culpa subindo. Desligou a tv e pegou as chaves do carro.

     Parou no mercado para comprar doces. Já faz dez meses que eles estavam juntos e ela não sabe o doce favorito dele. Será que ele tem um doce favorito? Ela então parou em uma pizzaria pediu uma pizza e foi até ao apartamento de Harry.


     Quando ele abriu a porta ela sorriu. “Eu trouxe presentes como um pedido de desculpas.”

     Ele não sorriu, apenas se moveu para o lado e deixou-a entrar. Ela colocou a pizza e os doces no balcão antes de se virar para enfrentar um Harry sem emoção.

     Se ela soubesse que ele agiria assim ela só faria uma ligação. Mas o que ela queria dizer não deveria ser falado por telefone .

 “Eu comprei doces para você…” Ela disse pegando um dos doces comprados.

 “Eu não gosto de doces.”

     Seu sorriso murchou, Harry sacudiu a cabeça e abriu um pequeno sorriso. “ Só estou brincando, querida.” Ele caminhou até ela e envolveu seus braços em torno de sua cintura. “Pensei que você nunca viria.”

     Ela fechou os olhos e envolveu seus braços ao redor dele, descansando sua cabeça em seu ombro. Ela queria chorar, mas ela segurou a vontade.

 “Podemos comer? Eu estou com fome.” Ela sussurrou.


     Eles comeram e tiveram uma pequena conversa. S/N estava tentando evitar o assunto que estava por vir, mas ela tinha que acabar com isso.

     Quando terminaram de comer e limparam a bagunça, sentaram-se de costas e se enfrentaram, vendo qual deles falaria primeiro.

 “Por que você foi embora?” Foi Harry quem começou.

 “Eu quero terminar.”

     Os olhos de Harry se arregalaram e sua boca abriu, ele estava chocado. Descansou os cotovelos sobre os joelhos e suspirou.

 “Harry?” Quando ela não recebeu uma resposta descansou uma mão em seu ombro mas ele se afastou. “Harry… por favor, fala alguma coisa.”

 “Quer que eu fale o que? Que eu quero isso também? Eu disse que te amo e você se afastou. Agora que finalmente tenho você de volta, você quer terminar?.” Ele disse indignado.

 “Pare de dizer isso” Implorou ela, com lágrimas nos olhos. “Pare de dizer que me ama, você não me ama.”

 “Você não sabe como eu me sinto, você não sente o que eu sinto. Obviamente.”

 “Desculpe.” Ela sussurrou e se levantou pronta para sair.

 “Não.” Harry disse bloqueando a porta. “Não, você não vai sair dessa vez. Você saiu da última vez, eu não vou deixar isso acontecer novamente sem uma explicação. Por que você quer terminar?”

 “Harry, por favor…”

 “Pare de se esquivar da minha pergunta.” Ele estava ficando frustrado.

 “Porque eu acho que é a coisa certa a fazer.” Ela disse rápido e em tom alto.

 “O que eu fiz errado? Eu não sou o suficiente para você? É porque eu disse que te amava?” Ele perguntou desesperado.

     Ela queria ir embora, mas tudo o que fez foi soltar um pequeno grito e agarrar seus cabelos. “Deus! pare de dizer isso. Você não me ama. Você acha que me ama, mas não ama.“

 “Claro que amo. Eu te amo porque eu sei que você está sempre lá para me levantar quando eu caio, está lá para me ouvir quando eu preciso de você, está lá quando eu me sinto sozinho. Eu te amo porque você me entende; Você sabe como me sinto mesmo quando não consigo dizer uma palavra. Você sabe que eu não sou tão forte quanto eu digo ser. Eu te amo porque você me faz acreditar que eu não sou inútil. Eu desistiria da minha vida por você. Porra, eu te amo.”

 “Por favor, pare.” Ela disse em meio as lágrimas.

    Ele engoliu o nó em sua garganta e se aproximou dela agarrando suas mãos. “Bebê…”

 “Harry, eu não posso.”

     Parece que seu coração acabou de ser arrancado de seu peito. Ele colocou as mãos em suas bochechas e a fez olhar para ele. “Por quê?”

 “Eu …” Ela parou, um soluço a interrompeu.

 “Eu sei que você não quer se separar, eu sei que você não me ama e eu sei que há algo que está impedindo você de me amar. É seu ex?”

 “Não é ele. Quero dizer, ele é parte disso. A última vez que amei um homem, ele me enganou. Ele teve um caso com minha melhor amiga.” Ela disse, seu tom de voz abaixando agora que ela tinha algum contato com Harry.

 “Eu nunca trairia você, amor. Por favor, me diga.” Ele sussurrou, descansando sua testa sobre a dela.

 “Eu tenho medo” Ela sussurrou, sem olhar para ele.

 “Medo de quê? De mim?”

 “Não. Claro que não. Tenho medo de me apaixonar.”

     Ele soltou uma risada engraçada se afastou e deixou beijos por todo rosto dela; Seu nariz, olhos, testa, bochechas, em toda parte. “Bebê, por que você não me disse isso antes?”

 “Harry, isso não é engraçado.” ela disse seria, afastando-se dele. Ela cruzou os braços e fez uma carranca.

 “É, amor.” Ele assentiu, agarrando as mãos dela novamente. “Quer saber por quê?” Ele sorriu, puxando-a para um abraço.

 “Hm?”

 “Tenho medo de me apaixonar também.”

     Ela piscou os olhos para ele e seus lábios se abriram. “Mas você não disse que …”

 “Sim, eu te amo. Eu não estou apaixonado por você.” Ele lambeu os lábios e levou ela de volta para o sofá onde gentilmente a deitou e se aconchegou em cima dela com a cabeça em seu peito, os dedos de S/N correndo através de seu cabelo. “Olha, você é isso para mim. Você é a garota dos meus sonhos.” Ambos sorriram. “Eu não sei se é assim que você se sente em relação a mim, mas é assim que eu me sinto. Eu quero você e só você para o resto da minha vida. Se você quer terminar, então vamos terminar. Só quero que você seja feliz, amor.”

     S/N beijou a testa de Harry e fechou os olhos. “Você me faz feliz.” Ele sorriu e a beijou, e naquele momento ele soube que teria o amor dela.

Imagine Niall Horan

Pedido: Meu pedido é baseado na última cena do ep 16 da 3° temporada de Friends,onde o Ross é a Rachel estão muito magoados(por algo q ele fez)e ele implora pra ela o perdoar,se ajoelha e tal. Obrigada meu amor ❤


S/N P.O.V

- S/N, fale comigo, por favor! - Ele implorou fechando a porta atrás de si.

- Eu não olhar na sua cara, qual seu problema Niall?

- Eu errei, ok? É isso que quer escutar? 

- Sai de perto de mim, eu tenho nojo de você. 

- Não diga isso. 

- Não diga isso? Você transou com outra mulher, na nossa primeira noite de término, que coisa.

- Ok, eu errei, confesso. 

- Vá embora, sai daqui, agora! - Exigi abrindo a porta do meu apartamento. 

- Não, nós vamos conversar sobre isso. 

- Você quer conversar, então nós vamos conversar. Me conte, me fale como ela foi? Diga!

- Você está louca. - Respondeu e eu quase soquei sua cara naquele momento. 

- Você não quer conversar, vamos conversar. Como ela foi? - Apoiei a mão na cintura.

- Ela foi diferente. 

- Tudo bem, qual seu conceito de diferente? - Perguntei ajeitando meu casaco tentando manter a raiva. 

- S/A, ninguém gosta de mudanças. 

Eu peguei um livro que estava em cima da mesa do apartamento e comecei e bater em seu braço coberto pelo grosso casaco verde militar. 

- Ei, para com isso. Eu estava chateado, ok? Eu fiquei péssimo pelo nosso termino e você me alegrou com aquela mensagem pela manhã e eu só queria você ali comigo. 

- Só um segundo, que horas sua amiga foi para embora? Ela não estava lá não é? - Ele não respondeu. 

Ele me devolveu o livro para que eu continuasse batendo. 

- Calma, amor. O que importa é que ela não significou nada para mim, ok? Nada.

- Uma mulher que não vale nada vai acabar com nosso namoro? - Atirei o livro nele. 

- Nós terminamos. 

- Estávamos terminando. 

- Isso poderia ter durado para sempre. - Respondeu. 

- Você está tentando escapar com isso?

- Eu pensei que nós dois nunca mais aconteceria. 

- E foi se divertir, que ótimo. - Ri sem graça. 

- Eu fiz de tudo para que não acontecesse. 

- Uau, que doçura. Ganhou meu coração. 

- Eu iria te contar, mas me convenceram que não seria uma boa ideia e eu não queria te perder mais uma vez. E nada disso aconteceria se eu não desconfiasse de você com o Jason.

- Você tem razão. Mas, se eu tivesse transado com o Jason, você me perdoaria? 

- Claro. - Franzi o cenho. 

- Mesmo se visse todas as cenas? 

- Ok, eu ficaria péssimo, me sentiria horrível. Mas eu ainda gostaria de ficar com você, por ser você. - Me sentei na cadeira ao seu lado de costas para ele. - Diga algo, fale alguma coisa. 

 - Vou sair para comer um lanche. 

- Isso quer dizer que você me perdoo e vai sair comigo? - Sorriu. - Posso ir com você? Eu estou com fome. 

- Ok, agora cale a boca. 

Fomos buscar o lanche. 

- Pode comer o último. 

- Eu sei que posso, você dormiu com outra mulher.

Ficamos em silêncio por um tempo longo, mas Niall tinha que estragar isso também. 

- Não vai falar comigo? - Não respondi. - Amor, me desculpe. 

- Não me chame de amor. - O cortei. 

- Eu pensei que tinha te perdido, eu jamais faria isso em outra situação, me perdoe. Foi você quem quis terminar, foi você que foi embora quando tudo ficou ruim. Foi você.

- Nada a ver, você está louco. 

- Tudo bem. Você quer brigar por nós de novo? Ou vai desistir como sempre? - Não respondi. - Eu sei que errei, eu sei que foi péssimo e eu me arrependo disso profundamente. Eu não sei como seguir em frente, eu não sei te esquecer, ok? Porque eu te amo demais. - Ele tentou me beijar, mas eu me levantei irritada. 

- Não, nós não podemos fazer isso, eu não sou ela. Você não pode me beijar e achar que está tudo bem, porque não está nada bem. 

- Eu não me imagino sem você. - Se aproximou. - Vamos dar um jeito de seguir em frente.

Ele se ajoelhou e agarrou minhas pernas em um pedido de perdão, eu não consegui resistir a ele e comecei a chorar, mas neguei seu pedido. Disse não esperava isso dele e que eu não poderia aceitar, disse que tudo havia mudado e que eu já não era mais a mesma, para sempre. 

- É assim que vai ser? - Ele perguntou. 

- Por enquanto é isso. - Respondi

Imagine Harry Styles .

Pedido : Oi, to adorando o tumblr, vc pode fazer um em que eles namoram e ele é manhoso e ciumento. Valeu.

S/N P.O.V

S/N: Amor , eu estou com fome . Vamos parar em algum lugar pra comer alguma coisa ?
Harry : Vamos sim , eu também estou morrendo de fome .

Harry tinha me buscado no trabalho . Estávamos no carro a caminho de casa , até q dei a ideia de paramos pra comer alguma coisa .
Eu e Harry já namorávamos a 1 anos . Ele era um cara incrível . Sempre carinhoso, e cuidadoso e principalmente, Harry me respeitava muito . Mas ele também era muito ciumento . Quando qualquer homem tentava se aproximar de mim , ele fazia um auê . Isso realmente me incomodava , mas ao mesmo tempo todo aquele ciúmes servia pra eu ter certeza do quanto ele me amava.

Harry estaciona em frente à um Café da cidade. Descemos , entramos e escolhemos uma mesa . Até Harry da falta de sua carteira .

Harry: Amor , acho que esqueci minha carteira no carro , já volto , vou buscar ok? - com isso ele me da um selinho e vai buscar a carteira .
Fico o esperando, enquanto isso , dava uma olhadinha no cardápio. É aí que recebo uma notificação em meu celular , que estava na minha bolsa , que não era nada grande . Assim que o tiro da bolsa , acidentalmente deixo minhas chaves caírem , mas antes que eu pudesse me abaixar pra pega-las , um cara faz esse favor pra mim .

XX: Acho que você deixou cair . - disse me entregando as chaves e sorrindo .
O cara aparentava ter uns 25 anos , cabelos castanhos e olhos azuis .
S/N: Nossa , muito obrigada . - disse pegando as chaves e agradecendo.
XX: De nada Linda ! - Disse piscando pra mim . - Você está sozinha ?
Antes mesmo que eu pudesse responder ouço a voz de Harry .

Harry: Não ,ela não está sozinha! . - disse com agressividade.
XX: Ei cara Calma . Só que queria saber.
Harry: Sai daqui seu otário antes que eu faça besteira .
S/N : Harry , por favor calma . Para com isso . - falei mas ele nem me deu bola .
XX: Fala direito comigo , quem você pensa que é? - o homem disse irritado .
Harry: O cara que vai quebrar sua cara se você não sumir daqui agora .

Aquilo já havia virando praticamente um show . As pessoas do Caffé estavam com olhares direcionados a nós .

XX: A é? então vem me tirar !
No mesmo momento Harry parte pra cima do cara , mas eu o impeço . O segurando .

S/N: Harry não por favor , não ! Olha pra mim , olha pra mim. - então o seus olhos que esbanjavam fúria vão de encontro aos meus que demonstravam medo . - Harry vamos embora daqui agora , por favor .
Ele então, leva os olhos de volta ao cara .
Harry: Você está com sorte hoje … - disse a ele , que nos encarava .
Com isso Harry pega em minha mão e nos retiramos no local.

No caminho até o carro começamos uma pequena discussão.

S/N: Harry você está maluco ! Olha o que você fez !!!
Harry: Aquele cara estava de gracinha pra cima de você ! O que queria que eu fizesse ?
S/N: Harry! Ele não fez nada demais !
Harry: Como assim nada demais ? Ele estava dando em cima de você ! Eu vi !
S/N: Nós Mal trocamos duas falas Harry!
Harry: Não importa S/N !
S/N: Eu estou cansada desses seus ciúmes idiotas ! Por que fez aquilo ? - disse em bom som .
Harry: Por que eu te amo S/N! Eu te amo . - gritou .
No mesmo momento ele encara o chão , com o semblante bravo, mas com o olhar triste . Aquilo foi de cortar o coração.
Respiro fundo e vou até ele , colocando minhas mãos sobre seu rosto o fazendo com que me encarasse .
S/N: Amor , você não confia em mim ?
Harry: É Claro que eu confio . - disse me encarando com os olhos marejados .
S/N: Então por que todo esse ciúmes Harry ? Por que toda essa insegurança?
Então ele começa a falar .
Harry: Amor , você sabe que você é tudo pra mim . Eu não suporto a ideia de te ver com outro cara . Eu não suportaria a ideia de te perder . - as palavras de Harry mexeram comigo.
S/N: Harry , você nunca vai me perder . Você sabe disso . Eu te amo . - disse olhando no fundo dos seus olhos .
Harry: Sabe , eu nunca senti isso com ninguém. O que eu sinto por você é tão grande e novo pra mim . Eu ainda não sei lidar com isso.
Solto um sorriso bobo ao ouvir aquilo .
S/N: Eu sei exatamente como está se sentindo …
Harry: Me desculpa por tudo isso tá ? Eu prometo que vou mudar .
S/N: É Claro que eu te desculpo Hazza. Eu sei que vai … - disse o abraçando .
Harry: Eu te amo tanto.Nunca se esqueça disso ok? - disse dando um beijo na minha testa .
S/N : Eu também te amo meu amor . Não sei nem dizer o quanto.
É aí que Harry fala :

Harry: Ainda está com fome ?
S/N: Sempre - disse rindo .
Harry: Vamos pra casa , vou preparar seu lanche preferido .
S/N: Não resta dúvidas de que você é o melhor namorado do mundo Harry.
Harry: Boba … - soltou uma risada gostosa .
Era incrível saber que eu era a responsável por aquele sorriso. O sorriso que eu mais amava e que mais me fazia Feliz .

Capítulo 2>>


S/N: Acho que peguei tudo! - falei dando uma conferida básica em meu quarto. 

Harry: Só estamos esperando você! - Harry diz, encostado na porta. 

S/N: Estava checando se não esqueci alguma coisa! - disse olhando em seus olhos. 

Harry: Que tal darmos mais uma olhadinha? Eu te ajudo! - Harry juntos nossos corpos e suas mãos pararam em minha bunda. 

S/N: Acho uma ótima ideia! - o beijei ferozmente e o mesmo apertava meu corpo contra o seu. Senti o volume de membro e dei uma risada fraca - Alguém está agitado! 

Harry: Você me deixa assim! - ele sussurrou em meu ouvido, fazendo meu corpo arrepiar. 

Louis: O casal! Vamos? - olhamos para porta e lá estava Louis - Não me olhem com essas caras aí! Só desçam! - ele disse e assim fizemos. 

Zayn: Por que demoraram tanto? 

Louis: Os dois tavam transando lá em cima! 

Emma: O que? 

S/N: Vocês vão mesmo acreditar no que o Louis diz? - perguntei todos riram. 

Niall: E o que aconteceu lá em cima? 

Harry: Acho que ninguém precisa saber não é! 

Emma: Eles estavam realmente transando! 

Harry: Bem que poderia ter acontecido! - Harry disse baixinho mas eles conseguiram ouvir. 

Diana: Ihhhh, esses dois não vão prestar!! 

S/N: Vocês são tão chatos! - revirei os olhos - Podemos ir? 

Zayn: Podemos! - Zayn disse e cada um foi para os seus devidos lugares. Eu, Zayn, Louis e Diana fomos em um carro e Niall, Liam, Harry e Emma foram em outro carro. 

Diana: Amiga- Diana me chamou e eu tirei o fone para escuta-lá. 

S/N: Oi 

Diana: Você e o Harry, estão juntos? - falou baixinho e riu. 

S/N: Não sei explicar! Estamos ficando há algum mas não sei se ele quer algo sério. 

 Diana: Você gosta dele? 

 S/N: Mais ou menos! Mas tenho certeza que ele não gosta de mim.. 

 Diana: Por que não fala com ele? 

 S/N: Ah, não sei. Tenho medo! 

 Zayn: Ah, vocês duas estão acordadas! - nossa conversa parou e olhamos para Zayn, que estava dirigindo. 

Diana: Louis dormiu mesmo- olhamos pra ele, que estava dormindo pesado no banco do passageiro. 

 S/N: Ele fica tão fofinho dormindo! 

 Diana: Louis é fofo de qualquer jeito! 

 Zayn: Diane apaixonada pelo Lou! Isso pra mim é novidade! - ele riu. 

 Diana: Pensei que tava na cara 

 S/N: Está na cara, só o tapado do Zayn não viu! 

 Zayn: Ihh, tapado? Pirou S/N! Eu sou apenas desinformado! - rimos fazendo Louis acordar. 

 Louis: Vocês poderiam calar a boca? 

 S/N: Não! 

 Louis: Grossa! - falou coçando os olhos - Zayn, vamos parar em uma lanchonete ou posto de gasolina! Preciso muito ir ao banheiro! 

 Diana: Eu estou com fome! 

 Zayn: Vamos parar em uma lanchonete daqui cinco minutos! Esperem aí. Seguimos por mais alguns minutos, parando na lanchonete. Louis foi correndo pro banheiro, juntamente com Niall e nós entramos na Lanchonete, sentando em uma mesa onde tivesse lugares para todos. Fizemos nosso pedido e em alguns minutos já estávamos comendo. O restaurante estava vazio e havia poucos funcionários. 

 Emma: Lugar meio macabro esse não?

 Niall: Ia falar isso agora - falou com a boca cheia. 

 Louis: Niall, come, depois você fala!

 Niall: Desculpa! Tô com fome! 

 Harry: Preciso ir ao banheiro 

 Zayn: Eu também - os dois se levantaram e foram até o banheiro, que era na parte de fora do lugar. 

 Emma: Eu também vou ao banheiro, quer ir comigo Diana? 

 Diana: Uhum! - elas se levantaram, seguindo os meninos. 

 S/N: Falta quanto tempo pra chegarmos?

 Liam: Umas 2 horas - falou comendo um batata. 

 S/N: Vou ir dormindo! - ri fraco. 

 Louis: Espero ter bastante novidades esse ano! 

 Niall: Vamos em várias festas!! - disse animado. 

 S/N: Estava precisando de um tempo de paz! 

 Liam: Eu também! 

 Emma: Gente - Emma entra correndo, assustando todo mundo - Vocês precisam ver isso!!

 […]

 —————– 

 Primeiro capítulo e espero escreve váriossss. Queria muito muito muito que participassem me dizendo se gostaram, o que estão achando, se querem a continuação! Cada comentário ajudar me deixa mas motivada então conto com vocês ❣️❣️ 

 XOXO 

 Ju

Estou com fome. A verdade verdadeira é que eu vivo com fome. Vivo imaginando uns lanches bem gordurosos, um copo bem grande com Pepsi Twist, batatinhas fritas e ketchup. Mas nada disso mataria a fome que tenho de você. A sede que tenho dos seus lábios tocando cada parte do meu corpo. Mate logo a minha fome.
—  Virei-ar
Reações dos paqueras fazendo compras com a Docete e eles tivessem que ficar esperando por horas e horas ela experimentar as roupas

Armin: Wifi não pega direito aqui, 4G menos ainda… O que eu vou fazer, quanto tempo mais ela vai demorar… Eu estou com fome… Quero um big mac agora mesmo.

Castiel: Eu vim aqui só pra comprar cordas pra minha guitarra e não pra comprar roupas… eu nem sei por que entrei nessa loja com você! Então fica aí, chama o Alexy ou a Rosalya e eu vou comprar minhas cordas e a gente se vê mais tarde.

Kentin: 10 minutos já se passaram, será que ela sai agora? Não. Então dou mais 10… Se passar disso, vai ter que compensar meu tempo perdido aqui… Será que ela prefere o filme que ela acha chato ou uma corrida no parque…

Lysandre: Ah essas roupas ficaram grandes e você vai provar outro tamanho… Tá, tudo bem… *o que são 20 minutos pra quem já esperou 40…*

Nathaniel: Quantas horas será que já se passaram *só passaram 10 minutos*

[Masterlist] [Mobile]

Carta para Harry Styles - Imagine

Oi meu anjinho, esse imagine é inspirado em uma carta que eu postei aqui no blog, se você ainda não viu, pode conferir aqui. Beijinhos.


HARRY P.O.V

Assim que passei pela portaria do prédio o senhor de aparentemente 58 anos me chamou logo entregando um envelope, eu fiquei curioso, mas resolvi abrir apenas em casa. 

Peguei o elevador tocando no número 9 vendo-o ficar com um contorno vermelho. - sorri. - Entrei em casa rapidamente e me sentei no sofá desdobrando o papel. Essa é a letra dela, a letra de S/N, ok, não é a letra mais bonita que já vi, mas é a letra da única pessoa que amei de verdade. Li todas as palavras que ela havia escrito, apesar de parecer um enigma eu gostei, foi bom saber que ela se lembra de mim, se lembra de nós.

Em um flash rápido me lembrei do caminho para sua casa, bom, eu preciso vê-la e vai ser agora. Eu poderia escrever uma carta e continuarmos como no quinto ano, mas já somos bem grandinhos para isso. 

[…]

Toquei a campainha da grande casa branca e vi uma pessoa uma pessoa vestida de branco na minha frente, na tentativa de fazer um coque, desajeitada como sempre, mas eu não sei o porquê esse jeitinho dela me encanta. 

- Harry? Oi! - Ela disse empolgada.

Peguei o papel que estava no meu bolso, esse era meu rascunho. - Oi, é bom ter você por aqui, quanto tempo, não é mesmo? Eu estou bem, espero que o mesmo esteja acontecendo com você. Como de costume você acertou. Eu estou fazendo arquitetura. Obrigada por lembrar de Nós. Eu sempre faço isso e fico pensando como você está e o que é de nós agora que crescemos. Eu não tenho tempo para escrever sobre nós. Mas eu converso com várias pessoas sobre você, sempre me disseram que você estava ótima e que cursava medicina, o que dificultava suas saídas aos fins de semana, mas eu te entendo. O curso é bem legal, é difícil, mas muito legal. Eu conheci uma garota, o nome dela é Lindsay, sim vocês se parecem, mas ela já se foi, talvez porque eu nunca tenha te esquecido, talvez, mas porquê isso importaria, não é? Eu realmente não sou bom em ficar sozinho, mas foram tantas as chandes de tentar te esquecer que eu já nem sei. Fico feliz por que você conheceu alguém, isso deve ter sido bom. Mas eu sei que não me esqueceu, porque você ainda escreve sobre nós e mesmo negando eu sei que você se lembra, me diz que não se lembra do nosso primeiro beijo? Me diz se não se lembra de tudo que passamos, me diz! Eu segui seu conselho sobre o cabelo, achei que ficaria bom, mas posso estar errado, eu concordo. Eu não sei o que você acha, mas ao invés de te mostrar meus raps poderíamos apenas sair para comer tacos de carne como nos velhos tempos e rir de algo que acharmos na internet, ou de nossos exs, como de costume. Mas eu não conheci ninguém, e você, quem é o cara da vez? - Não disse nada, apenas se jogou em meus braços.

Eu passei minhas mãos por volta de seu corpo e apertei mais contra o meu, ela usava o mesmo perfume, seu cabelo estava mais curto, ela estava mais mulher, mas ainda continua a mesma menina por dentro, talvez nós nunca tivéssemos crescido, apenas nunca admitimos isso. 

- O taco bell fecha as duas na manhã, temos muito tempo para conversar e rir de nossos exs. - Ela disse saindo de meu abraço e me encarando.

- Temos tempo mesmo. 

- Bonita carta Styles. 

- Apenas pare de falar. 

Tomei seus lábios para mim em um beijo agitado, minhas mãos na sua cintura e suas em meu rosto, movimentos lentos, porém profundos. Ainda somos nós mesmos.

- Harry, estamos no meio da rua e eu estou com fome. Já pro taco bell. - Ela separou nosso beijo e eu bateu na minha bunda indo atrás de mim. 

- Você é uma boba. 

- E você me ama. 

- Sim, muito. 

O caminho foi bem agitado, ela me contava sobre a faculdade e me fazia perguntar sobre a minha, ela continuava a mesma de sempre, eu percebi que ela havia crescido, mas eu sabia que no fundo ela ainda era a mesma garota do baile de primavera, a mesma doce garota. 

Assim que chegamos nós entramos e sentamos na mesma mesa da última vez, a mesa número 27, sentei a sua frente no estofado verde e ela ria de algo que eu falei, eu só não me lembro o que. Fizemos nosso pedido e continuamos conversando sobre a vida, sobre tudo e até rimos de nossos exs. 

- O que acha de tentarmos mais uma vez dessa vez como adultos, como um casal de verdade?

- Eu acho que nós estamos perdendo tempo. Ou melhor, você está perdendo tempo me perguntando isso. Harry Edward Styles eu te amo e eu nunca vou negar isso, por favor pare de bobeira. 

- Eu também te amo babe. Amo muito. - Coloquei minha mão sobre a sua e ela sorriu. 

Work 2.0

Olha o que estou publicando! E com um hotzineo!! Espero que gostem! Beijos e até quarta

anterior


- Que merda você está fazendo? – Zayn pergunta furioso.

- Você sabe que me ama, Zayn! – Ela grita e entra no corredor que terminava no altar. – E todas as vezes que ficamos até tarde na empresa? E as vezes que falou comigo daquele jeitinho?  Todas as vezes que me levou café até a mesa? Isso não valeu de nada? – Ela pergunta e eu mordo o lábio para não rir.

Zayn sempre foi cavalheiro com as mulheres. Ficar tarde na empresa? Ok. Relatórios acumulados causavam isso. Falar daquele jeitinho? Resultado de muito trabalho que ele não quer fazer. Café na mesa? Até quando eu trabalhava lá ganhava isso.

Olhei para o lado, e Zayn me encarava. Revirei os olhos para ele e ambos dirigimos o olhar para a sua, provavelmente, ex secretária.

- Retire-se do nosso casamento, por favor! – Grito para ela.

Minha mãe olha surpresa para mim.

- Mas, (S/A), a culpa disso é do Zayn!

- Não, mamãe. Ela está fantasiando. Conheço Zayn. E isso não pode nem ser considerado uma traição. Querida, vocês se beijaram alguma vez? – Perguntei a Lili que já estava mais próximo de nós.

- Não! Mas, Zayn sabe que só não fizemos isso por causa dele. Eu sempre estive esperando ele. – Ela sorri.

- Ah, por favor! – Zayn se irritou mais uma vez. – Você quer ir embora, por favor! Isso é loucura!

- Por favor, vá embora! – Disse e apontei para a saída. – Há um casamento que quer ser concretizado.

Minha mãe e a mãe de Zayn caminharam até ela, a levando para longe de onde o casamento acontecia. O cerimonialista deu um longo suspiro e continuou com o discurso longo. No final, Zayn me deu um selinho e eu joguei o buque de rosas para os convidados.

- Agora, vamos todos comemorar. – Zayn disse em tom alto.

- Finalmente! – Disse abraçando Zayn e o encarando com o queixo apoiado em seu peito.

- Vamos lá! Eu estou com fome. Acredito que você também esteja. -  Ele beija a ponta do meu nariz. – Minha esposa, me daria a honra de me acompanhar em um jantar, ou tipo isso?

- Sim, marido. Eu adoraria! Mas teremos um coquetel, amor, não jantar. – Me estico e o beijo.

- Crianças, não na frente do altar. – Meu pai diz rindo e sinalizando para que fossemos até o jardim onde serviriam o coquetel.

- Vamos, (S/A), corra! – Zayn me puxa pelo braço e corremos até o jardim.

- Eu vou até o quarto em que eu me vesti para trocar de vestido. – Falei para o Zayn. – Já volto.

- Está bem. – Ele me beijou. – Você vai querer comer o que? Vou arrumar nossos pratos.

- Pegue para mim o que você for comer. – Corro para o quarto e troquei de roupa; na verdade, somente a saia, colocando algo mais curto e menos pesado. Ao sair do banheiro que ficava no quarto, notei as pétalas de rosa sobre a cama; os lençóis vermelhos e ao toca-lo sentia a seda deslizar contra minha pele. Senti meu estomago embrulhar de ansiedade e morri de vontade de arrastar Zayn para esse quarto.

Mas teríamos nosso momento; por isso, arrumei o vestido e sai do quarto indo em direção a festa. Antes de alcançar o pessoal, vi Zayn e minha família conversando; nunca nada pareceu tão certo como estra com ele.

Caminhei até ele que já havia sentado na nossa mesa.

- Nossa! Adorei esse vestido! – Ele disse subindo a mão do meu joelho até o meio das minhas coxas; isso depois de eu sentar.

- Desde quando você é esse safado? – Perguntei rindo.

- Estava guardando o momento certo. – Ele riu e começamos a comer.

Depois de devidamente alimentados, passamos a circular pelo jardim para tirar fotos, conversar com o pessoal e fomos dançar nossa primeira valsa como casal. Quando as dez horas da noite chegou e o ultimo convidado foi embora, eu mal sentia meus pés de tanta dor.

- Vem! Vou levar você até nosso quarto e fazer uma boa massagem nos seus pés. – Zayn me pega no colo.

Em passos apressados, Zayn nos levou para o quarto e ao chegarmos, sou posta na cama, ele tira os meus sapatos e dá leve apertões confortáveis em meus pés.

- Eu preciso tirar esse vestido. Você me ajuda? – Ele murmurou algo e me ajudou a levantar.

Me virei de costas para ele e puxei todo meu cabelo para um lado só. Senti os dedos de Zayn segurarem o zíper e roçar na minha pele. Beijos cobriam a área exposta e i ar do quarto pareceu ficar quente. Zayn terminou de descer o zíper e eu deixei a peça deslizar pelos meus braços e fiquei apenas de langerie em sua frente.

Zayn estava somente com a camisa branca e a calça social preta. O cabelo já estava bagunçado e quando eu me virei e o senti segurar minha cintura, o beijei, embrenhando meus dedos em seu cabelo macio e acariciando suavemente sua nuca. Ainda enquanto nos beijávamos, desci minhas mãos aos botões de sua camisa e fui os tirando de suas casas. Por fim, arranhei seu abdome e o segurei pelo sinto que prendia a calça.

- Eu estou em desvantagem. – Sussurro quando Zayn desce os beijos pelo meu pescoço.

- Fique à vontade para tirar o que quiser. – Ele diz sussurrado em meu pescoço.

Tirei o sinto com um pouco de dificuldade e abri os botões que fechava a calça. Depois que o barulho da peça caindo ao chão foi ouvido, Zayn me deitou na cama e distribuiu beijos pelo meu corpo enquanto tirava minhas peças intimas.

Antes de eu tirar a cueca dele, a peça já estava no chão. Zayn já estava sobre mim e se movimentava sobre meu corpo fazendo com que eu o sentisse rígido. Mais um beijo longo foi dado nos meus lábios enquanto ele se aprofundava em mim. O vai e vem começou lento, mas foi ganhando ritmo conforme eu gemia. Zayn era mais contido com breves suspiros próximos ao meu ouvido.

Quando senti meu orgasmo chegando, me agarrei ao corpo de Zayn e aproveitei a sensação que o prazer me proporcionava.

- Eu preciso me mexer. – Zayn disse entre dentes.

Afrouxei de leve minhas pernas e senti Zayn se movimentar mais um pouco contra mim; seu gemido de prazer arrepiou os pelinhos do meu corpo e eu sorri ao vê-lo deitar ao meu lado.

- Vamos tomar um banho para dormir? – Zayn perguntou baixinho e juntos fomos para o banheiro. Tudo que eu precisava era uma ducha fresquinha contra meu corpo.

- Posso te fazer uma pergunta? – Zayn diz baixinho no meu ouvido enquanto a agua desce por nossos corpos.

- Pode. – Me viro para ele.

- Volta a trabalhar comigo? Como minha secretária. Eu sei que você não quer misturar as coisas, mas vamos evitar constrangimentos como o de hoje e eu vou ter você sempre pertinho de mim. – Ele sorri e beija a ponta do meu nariz. – O que você me diz?

Scenario BTS: Se a S/N fosse plus size/”gordinha” | Parte 1

Namjoo: Depois de assumir o relacionamento de vocês dois publicamente, você recebia frequentes mensagens que falavam da sua aparência, principalmente sobre seu peso. No camarim após o um show que você havia assistido e ouvido coisas desagradáveis de fãs Namjoo te viu “tristonha/abatida” e te disse:

NJ: “S/N não leve nada em consideração sobre o que falaram da sua aparência, você é linda para mim com seu cabelo, rosto, corpo e seus quilos a mais. Eu te amo…”

Originally posted by joonie-bts


Hoseok: No seu dia de folga Hoseok resolveu te levar para passear e fazer algumas compras. Em uma loja você acha uma camiseta que era totalmente seu estilo, mas não havia seu tamanho na arara, então foi até uma atendente e perguntou se havia seu tamanho, ela disse que não havia este tamanho na loja e depois de comentários gordofóbicos Hobi falou alto, ainda dentro da loja:

HS: “Vida, você é linda da cabeça aos pés! Você é uma deusa! Você é maravilhosa! Estranha e feia é essa atendente! Vamos embora dessa loja, acharemos camisetas mais bonitas do que essa que você gostou aqui!….”

Originally posted by aestheticvbts


Taehyung: Não era o primeiro encontro entre vocês, mas apesar disso o seu estômago ainda estava embrulhado. Você colocou a sua roupa e foi até o café que haviam combinado. Quando você chegou lá, Tae já estava lá te esperando, quando te viu você, sorriu e você se aproximou da mesa que ele estava e ele te abraçou e beijou sua bochecha e disse:

TH: “Você me faz muito bem, eu gosto de cada parte da sua personalidade e principalmente do seu corpo, quando você vai ser minha?”

Originally posted by sweaterpawsjimin


Yoongi: Vocês estavam fazendo uma viagem juntos para comemorar o primeiro ano de namoro e depois de uma longa viagem uma boa refeição era necessário, mas quando estavam dentro de um restaurante, você exitou em fazer seu pedido, porque estava com muita fome e já estava acima do peso ideal, ele percebeu isso:

YG: “Você não vai fazer seu pedido? Eu estou com muita fome e apesar de estar de dieta, eu não me importo, uns quilos a mais não irão me fazer mal e o mesmo vale para você, eles só irão te deixar mais bonita…”

Originally posted by jimiyoong


Eu vou fazer a parte 2, então por favor aguardem…

Espero que tenham gostado

~gueets

Pedido : Você pode fazer um imagine com o Harry em que ele está com febre e a (S/n) cuida dele ?

Meu celular desperta e eu acordo . Desligo o mais rápido possível pra não acordar meu namorado que dormia igual a um anjo do meu lado . Como de costume,me inclino e deixo um beijo em sua testa ,mas foi aí q vi que Harry estava muito quente e suado . Imediatamente coloco minha mão sobre sua testa para sentir melhor sua temperatura o que fez com que ele acordasse . Ele estava “fervendo” .

Harry: Amor ? - disse com dificuldade.Sua voz mal saía.
- Harry, você está muito quente ! Está sentindo alguma coisa ?
Harry: Minha cabeça dói. Eu estou com frio .
-Espera um pouco .

Me levantei e fui até o armário pegar outro cobertor . Peguei também um termômetro pois ao que tudo indica Harry estava com febre .
Joguei o Cobertor por cima do mesmo , que se encontrava enrolado em dois edredons.

- Amor ,abra a boca , eu preciso medir sua temperatura.

Ele sem retrucar fez oq eu pedi .
Fiquei ao seu lado acariciando seus cabelos enquanto aguardava o resultado do termômetro que minutos depois apita . O retiro da sua boca com cuidado e leio termômetro que marcava 38 graus . Aquilo me preocupou .

- Amor você está ardendo em febre ! -Ele n disse nada , apenas começou a tossir . - Eu já volto , vou ligar na empresa e dizer que não vou hoje . Vou ficar aqui é cuidar de você .
Harry: Não amor , por favor , não precisa . Eles devem estar precisando muito de você lá . - disse com dificuldade.

Eu era uma empresária do ramo da moda . Tinha fundado minha própria marca .

-Harry quem precisa de mim agora é você . E não adianta insistir.
Com isso pego meu celular e aviso que não poderia ir hoje . -Pronto .
Me aproximo dele novamente que permanecia com os olhos fechados e estava com o nariz vermelho . -Hazza , que tal tomar um banho bem quente ? Vai fazer com que se sinta melhor . - Ele apenas faz que sim com a cabeça . - Vou preparar tudo pra você tá bom ?

Me levantei , enchi a banheira e separei uma roupa bem confortável e quentinha pro Harry . Então o ajudo a tirar a roupa e sigo com ele até o banheiro .
Harry : (S/n) eu não sou nenhum bebê. - disse e soltou uma sessão de espirros.
- Mas no momento está precisando de cuidados tanto quanto um .
Ele respira fundo mas n diz mais nada .
-Agora tome seu banho que vou preparar alguma coisa pra você comer . Qualquer coisa me chama tá bom ?
Harry: Ok.

Me retirei e fui até a cozinha preparar uma sopa bem quente para Harry . Ainda estava cedo para uma sopa , mas não importava , aquilo era o mais necessário para Ele no momento.

Assim que termino , pego uma bandeja e organizo tudo para levar a ele . Havia pego alguns remédios , que com certeza iriam ajudar com a febre .
Subo até o quarto e o encontro cochilando novamente em meio a três cobertas .
Coloco a bandeja em cima do criado mudo e o acordo dando beijos por seu rosto.
- Hazza,acorda você precisa comer .
Harry: Mas amor , eu não estou com fome . - disse sonolento .
-Não importa . Você precisa comer e você vai comer .
Harry: Mas amor…
-Por favor Harry, por mim . Eu quero ver você bem logo. Você acha que é fácil pra mim te ver mal desse jeito ?
Harry: Você tem razão .- disse se sentando .
Coloco a bandeja em seu colo e ele começa a comer .
Harry: Nossa amor , está uma Delícia .
- O melhor pra você meu amor …

Depois que termina de comer e tomar todos os remédios , levo tudo pra cozinha e volto para o quarto .

Harry: (S/n) . Eu estou com falta de ar . - disse respirando com um pouco de dificuldade mas permanecia calmo .

Harry tinha asma , que costumava piorar quando ele ficava doente .
- Calma amor , vou pegar sua bombinha !
Corri até o armário, troquei o refil da bombinha e levei até Harry que logo ao usar , começa a respirar sem dificuldades.
- Se sente melhor?
Harry: Sim . O que seria de mim se você amor .
- O que seria de mim sem você Harry .
Dei um selinho nele.- Agora vou deixar você descansar . Logo os remédios vão começar a fazer efeito . Eu vou estar no escritório, se precisar de qualquer coisa é só me chamar tá bem? - disse me retirando mas Harry segura minha mão .
Harry: Não amor , por favor , fica aqui comigo ? - disse manhoso .
Como não amar aquele homem.
- Seu desejo é uma ordem Sr. Harry Edward Styles.
Ele solta um sorriso inocente.
É aí que me sento com as costas apoiadas na cabeceira da cama . Harry poe sua cabeça sobre meu colo . Começo q acariciar seus cabelos .

Harry: Me Desculpa ? - Harry diz me deixando confusa .
- Te desculpar pelo que meu amor ?
Harry: Por estar te dando trabalho e por ter feito você perder um dia de trabalho. Eu sei que está sendo tudo muito corrido com sua nova coleção e …
Sem pensar duas vezes o interrompo .
- Ei, amor . Você não tem que pedir desculpas por nada . Trabalho nem nada nesse mundo é mais importante pra mim do que você .
Harry: Eu não seria nada sem você meu amor . Obrigado por me fazer o homem mais feliz do mundo . Eu te amo tanto .
- Eu também te amo Hazza.
Ele então com um pouco de insegurança pergunta :
Harry: Você promete que nunca vai me deixar ?
Aquela pergunta me surpreendeu. Harry sempre foi um cara forte , determinado . Nunca tinha visto esse seu lado inseguro ,o que partiu meu coração.
- Hey , eu jamais te deixaria . Jamais ouviu.
Ele se aconchega mais em meu colo , deixando um beijo em minha perna .
Continuo com o cafuné até que o vejo adormecer . Ele dormia igual a um anjo , meu anjo . A melhor sensação do mundo era tê-lo ali, em meu colo ,juntinho a mim .

Imagine Niall Horan

anônimo disse: 

 Faz um do Niall, que ela fala o primeiro “eu te amo” e ele fica assustado com isso, eles já namoram há um tempo mas nunca tinham dito isso um ao outro, aí ele fica todo estranho e ela percebe, daí ele termina e continua amizade, e ele percebe que ele estava totalmente enganado e tudo mais.


S/N P.O.V

A noite caiu como em todos os dias anteriores. A ligação via telefone com Niall já estava rolando há mais de uma hora. Estávamos no namoro perfeito, no momento perfeito. A única coisa que está me matando é a saudade, ele está em turnê e por isso não nos vemos, já faz um bom tempo. 

Niall está me contando como foi o seu dia, o quanto suas fãs são incríveis e como é seu trabalho durante a semana. Eu só sabia sorrir e esbanjar felicidade por ele. Eu o amo demais. 

- Ei amor, eu tenho que ir. - Niall disse já triste.

- Boa noite, amor. Eu te amo. - Disse e ficamos em um silêncio profundo. 

- Boa noite S/N. - Desligou. 

Caramba, ele não me ama? Nós namoramos há 11 meses e nunca havíamos dito isso um ao outro. Como é possível? 

Cobri meu corpo com o edredom azul onde havíamos rolado algumas vezes. Eu me virei na cama de todos os jeitos e nada, eu não conseguia tirar aquilo da cabeça. Por que eu tenha que dizer isso? Por que fui tão burra? 

[…]

Já se passaram algumas semanas depois daquilo, na verdade eu sei que nada está como antes. Niall não me liga com a mesma frequência, ele sempre está “ocupado, desculpa amor.” Essa tem sido sua desculpa mais esfarrapada. Eu ainda me considero uma idiota por ter dito isso a ele. Caramba, qual era a necessidade disso? 

Voltei para casa com meu jantar que seria um lanche do Mc Donald’s, é o suficiente para hoje. Não estou em ânimo de fazer nada, bom, na verdade desde aquele dia eu não tenho ânimo para fazer nada. Coloquei o hambúrguer sobre a mesa e meu telefone tocou repentinamente. 

- Oi? - Disse um tanto seca. 

- Oi S/N, eu preciso falar com você. - Niall disse rápido.

No fundo eu sabia que ele iria querer terminar após tudo. Mas eu entendo o lado dele, talvez ele não estivesse pronto. 

- Olha, eu andei pensando e eu fui meio tocado com aquilo que você me disse. - Suspirei. - Eu gosto muito de você, mas eu não estou pronto para um relacionamento sério. Não agora, não hoje. 

As lágrimas desciam rapidamente por meu rosto. - Não, tudo bem. Eu entendo você e talvez eu tenha levado as coisas muito a sério. Me perdoe. 

- Não peça perdão. Podemos ser amigos, o que você acha? - Ele riu alto. 

- É, podemos. Mas, agora eu tenho que ir, agora. Até mais. - Quando eu iria desligar o telefone Niall diz. 

- Eu posso continuar a te ligar? 

- Claro. Tchau! - Desliguei. 

[…]

NIALL P.O.V

Após algumas semanas depois da última ligação resolvi o que eu queria para mim. Eu quero S/N S/S para mim, hoje e agora. Em um impulso dentro de mim liguei para S/N e a ligação foi recusada. Ok, eu entendo todo o lado dela. Eu a machuquei muito. Mas eu só estava assustado. Já pra entender isso? 

Liguei para minha assessora cancelando todas minhas reuniões da semana. Ela iria me escutar, de verdade. Iria mesmo. 

[…]

Meu voo foi rápido, cheguei em seu apartamento como da primeira vez, eu estava carregando algumas sacolas de mercado para que cozinhássemos algo, eu estou com uma fome que mal posso explicar. 

O porteiro me deixou subir como de costume, eu vivo mais aqui do que na minha própria casa. Mas eu posso explicar, não, não posso não. Seria pior, acreditem se quiserem. 

Toquei a campainha do 43 no quarto andar e uma garota bem vestida abriu a porta, ela está tão linda. Está mais bonita que nunca. 

- Oi! - Eu disse e ela sorriu sem mostrar os dentes e deu espaço para que eu entrasse. - Trouxe algo para cozinharmos. Como de costume. Bom, eu estive pensando sabe, pensando seriamente sobre o que eu te disse naquele dia e… - Antes que eu pudesse continuar ela começou a falar. 

- Olha, Niall… 

- Não, me deixe terminar. - Sentei no sofá ao seu lado. - Eu estava completamente enganado. Eu te amo, eu amo você e quero ter você na minha vida. Para sempre. Sempre, você entendeu. - Ela apoiou os cotovelos no joelho e as mãos tampando os olhos. - Eu sinto sua falta. - Disse. 

- Merda. Por que você disse isso? - Ela olhou para mim com os olhos marejados. 

- Desculpa, mas eu te amo e sinto sua falta. 

- O problema Niall é que eu também te amo e sinto sua falta. - Ela me encarou e eu selei seus lábios não sendo correspondido. 

- Então por que não volta pra mim? - Disse erguendo seu queixo para que ela me olhasse. 

- É que eu não sei se posso fazer isso. 

- Vamos meu amor, só uma chance. 

- A última chance. - Ela me fitou fixamente. 

- Eu amo você. - Disse e a beijei.