eu e minhas besteiras

Esse eu fiz para meu senpai, Cranberry.
Sinto por seu autor ter mudado de tema em seu blogue, mas mesmo assim vou continuar o seguindo…. Apesar de que eu já o seguia, mas fiz uma besteira na minha conta e sem querer a apaguei. Tive que criar tudo de novo.
Mds, eu quero me mata, mas ok… Está aí meu desenho em homenagem a você….
Cranberry by: @blueberrycomcerejeira

Eu beijo o vento que vem do campo
Canto às colinas meus desencantos
Sou filho de ilusões e utopias
Eu afogo meu pranto em poesia

Eu bebo essa tristeza que me assola
Escrevo um poema ao som de Cartola
Digo ao papel minhas tolices e besteiras
Eu sou um menino que carrega água na peneira

Eu sou o fruto marcado da inutilidade
E faço disso minha felicidade
Porque eu sei o que respiro
É de literatura que sobrevivo

Sou mais um poeta, erro de fábrica
Riscando o papel, navalha da alma
Sou o lírio mais belo de meu fracasso
Vestido em versos dissimulados.

—  Rômulo Jardim