eu aid

Ana foi embora às 8h e ponto da última manhã de terça. Não parecia muito feliz, pude constatar pela força que bateu a porta de carvalho e pelas lágrimas. Ela saiu daqui mais rápido do que a última; uma manga de seda azul pulava para fora da mala de oncinha. Aquela mala era ridícula, Liz. Sempre preferi aquela preta discreta que você usou na viagem que fizemos à Veneza. Também prefiro o teu coque preso com um lápis de cor quebrado, do que o solto sem nenhum fio para fora que Ana tanto prezava.

Eu não dormir essa noite, Liz. Assim como mal durmo desde que você foi embora. O calor do corpo de Ana me esquentava como uma boa dose de uísque, mas eu precisava do fogaréu do teu sorriso, que me alastrava até o âmago. Falando nisso, Ana não bebe. A garrafa do seu uísque favorito continua intocada, igual ao seu vestido de bolinha que você esqueceu aqui, Liz. Mas que idiota eu sou. Se nem se lembras da sua roupa favorita, como vai lembrar-se de mim?

Já são 5h da manhã e eu continuo desperto. Liz, eu preciso dormir. Porém, não consigo. Da mesma forma que não consigo doar o maldito vestido nem abrir a droga do uísque e me embebedar. Da mesma forma que não consegui manter Ana. Acho que ela não gostou de ser usada como band-aid. Eu já deveria ter aprendido, Liz. Pessoas são pessoas e possuem sentimentos. Elas não gostam de serem usadas para preencherem lacunas deixadas por outras.

Meu casal de vizinhos está brigando agora. Parece que ele perdeu o recital do filho. Assim como eu perdi Veneza e a Ana. Perdi teu coque preso num lápis encardido e a mala idiota de oncinha. Oh, Ana esqueceu o anel em cima da cabeceira. Que sensação de meio déjà vu. Mas o anel não é a porra do seu vestido. Ela não é você, minha cara Liz.


(Liz Jones)

youtube

Sorry for my awful english. 


In a nutshell:

 I’m joining the #EmergencyLessons tag buy showing you my scholl photo, and also, I’m auctioning this portrait + Little of Tom Hiddleston’s #EmergencyLessons school photo


The highest will get the drawing and the money will be donated to Unicef to, along with EU Humanitarian Aid, help provide the means and facilities for kids to continue their education.Thank you all for watching me and send me your bid any way you want until the end of May!!!

Pardonner moi pour mes fautes d'orthographe mais, je suis dysorthographique et je n'ai jamais eu d'aide pour m'aider à ne plus l'être…
Desculpa os erros, os medos, as perdas, os começos e os finais, mas eu preciso falar do amor. Eu acho que a primeira vez que eu soube o que era amor foi quando minha mãe descobriu que estava grávida, eu provavelmente era só um pedacinho de alguma coisa que viria ao mundo e apesar de muito nova eu sei que no fundo ela se sentiu a pessoa mais feliz do mundo todo, mesmo quando a notícia se espalhou e veio aquele medo horrível, o desespero de uma vida toda sendo jogada fora. Mas então a barriga começou a crescer e foram muitas mãos, todas elas cheias de carinho passando por ali todos os dias. E então ela deu a luz, todo mundo muito feliz! É uma menina! Mas papai, cuidado, ela é uma menina. Mamãe estava cheia de amores, a vovó cheia de amores pela primeira netinha que tinha acabado de chegar ao mundo. E do lado do fora do hospital uma menininha mirradinha via pela janela a pequena que um dia se tornaria a grande amiga dela. E lá estava eu, minúscula, parecendo um ratinho, foi uma festa. Uma confusão para escolher meu nome, afinal ninguém consegue escolher o nome de um bebê com tanta facilidade assim, mas sério, graças a Deus que as mulheres da minha vida interferiram e não deixaram meu pai por o meu nome de “Galadriel”, um grande beijo e meu pedido de desculpas aos fãs de “Senhor dos anéis” mas esse não é o nome que eu queria ter. Aliás, eu amo meu nome, obrigada a todos que escolheram ele com tanto amor e carinho. Os anos foram passando e toda forma de amor que eu recebi eu guardei dentro de mim, eu nunca fui muito boa com expressar meus sentimentos, eu não conseguia dizer “eu te amo” pra quase ninguém, apesar de amar muito a todos que sempre cuidaram de mim. Eu lembro que a primeira vez que eu pensei em dizer “eu te amo” pra um garoto eu tinha por volta de 11 anos, bem pequena, mas foi então que eu tinha acabado de descobrir que existia algo além do amor dos nossos pais, avós, tios, tias, parentes, irmãos. Existia um mundo inteiro em preto e branco que alguém teria uma caixinha de lápis igual a sua para colorir ele contigo. Quando a gente descobre uma forma de amor nova é sempre assustador e maravilhosamente surpreendente, o seu coração dispara mais rápido, os seus olhos e sua alma se enchem de alegria ao ver aquela pessoa e você começa a confundir tudo. E é nessa hora que conhecemos aquela famosa coisa “coração partido”. Meu coração se “partiu” pela primeira vez quando eu estava no ginásio e eu gostava de uma garoto, o mesmo garoto que todas as minhas amigas mais vaidosas, legais e com mais peitos que eu, gostavam também e sim, tudo isso é importante. Mas ele gostava de mim, logo de mim, a garotinha estranha que usava sapato de luzinha na sexta série. A garota cuja a melhor amiga era dois anos mais nova, a mesma garota tinha os piores apelidos da escola, foi por essa garota que ele se apaixonou e por essa mesma garota que eu sou apaixonada até hoje. Eu estava na sétima série quando ele beijou uma outra garota, na minha frente, bem ali, a garota que eu menos gostava no mundo todo e meu coração se partiu em pedaços tão pequenos que eu não consegui catar nenhum deles do chão, mesmo que depois esse mesmo garoto tenha voltado pra mim e nosso romance de ginásio, de pegar na mão, sentar junto na sala e dar um selinho de vez em nunca, o nosso amor infinito acabou na minha formatura do oitavo ano, exatamente como começou, do nada. Mas é como dizem, aos 15 tudo é infinito. E foi, foi um dos anos mais estranhos e assustadores da minha vida na escola, foi confuso e cheio de coisas novas, eu tinha entrado no ensino médio e como seu só faço aniversário depois do meio do ano, eu meio que sempre fico sendo a mais novinha, era um colégio novo, amigos novos, tudo novo e muito assustador. Ah, eu tinha começado a namorar com meu melhor amigo, aquele lá dos 10 anos e nós terminamos acho que me menos de 1 ano e nosso amor eterno, com direito a casamento e uma história igualzinha a de Forrest Gump tinha ido embora junto com o beijo que me roubaram, e que pra falar a verdade eu gostei muito. Quando definitivamente terminamos eu tinha quase 17, e tinha um garoto na minha sala, meu novo melhor amigo, ele era extremamente apaixonado por mim até chegar aquela menina nova no colégio e depois outra e outra e como eu nunca gostei dele, além de amigos, sempre apoiei e dei força. Mas tinha um garoto por quem eu era extremamente apaixonada, mas ele jamais poderia saber, ele era um ano mais novo e uma série antes da minha, estudava com minha melhor amiga e eu sempre arranjava uma desculpa nova só pra ficar junto com ele, até que nos tornamos amigos e com o tempo aquele amor roxo foi passando de uma admiração por aqueles olhos verdes e aquele cabelo de anjo. O terceiro ano, foi o melhor ano do ensino médio, estava acabando, eu passava meus dias com minha amiga e meus dois amigos super inteligentes, a gente fazia tudo junto, até que de novo o amor entrou no meio e eu me apaixonei por um desses meus amigos, mas sério, ele era a cópia do Chico Buarque, ninguém achava isso, mas eu sim. Entre os amores mal resolvidos do ensino médio e os garotos mais novos que eu conheci, nas pouquíssimas vezes que eu fui em festinhas, os amigos que eu gostava demais e os garotos que eu me apaixonava no ônibus… Veio um garoto novo, legal, interessante e amigável, um pouco, talvez muito idiota, mas eu ainda estava tão magoada por ter acabado tudo com meu namoradinho que eu achava que seria pra sempre que ele foi a melhor pessoa pra me ajudar, o que me fez parar pra pensar que quase sempre que eu me apaixono é porque estou frágil e alguém conserta os meus caquinhos, mas isso é outra história. E bom, eu acho que eu já gastei todas as minhas palavras sobre esse tal garoto, já usei tudo que eu tinha sobre ele aqui, sério, com tudo que eu escrevi juntaria um livro. Mas esse garoto foi o que eu fui mais grata até hoje, ele me ensinou coisas que eu posso usar nada vida, obrigada, caso isso chegue em você algum dia saberá quem é. Então deixo aqui meus agradecimentos. Mas antes de falar dos erros, eu tive um acerto, eu conheci uma pessoa incrível nesse meio tempo e foi uma das minhas melhores experiências de amor, aliás, não é todo mundo que fala de estrelas e faz trigonometria em parquinhos de criança. Obrigada por ter sido uma das melhores pessoas da minha vida. Mas agora vamos falar dos erros que cometi no meio disso e as consequência deles que foram dois garotos que eu não me arrependo de ter conhecido, porém, definitivamente não me acrescentaram nada na época, mas atualmente eu começo a pensar e agradecer a eles por ter me ajudado a ser alguém melhor, isso vale pra todos os erros que eu cometi ao longo da vida. E eu queria me desculpar com as pessoas e especialmente um garoto que eu usei de band-aid durantes uns 3 meses, a sorte foi que ele nunca me amou de verdade também, mas levem pra vida, não usem pessoas, ame-as. Hoje eu tenho 20 anos e eu espero não precisar mais acrescentar mais ninguém nessa história além da última pessoa, um detalhe: Sim, sempre pensamos que é o último, mas é assim mesmo, mas dessa vez eu quero que esse seja o último. Como eu já havia dito, eu conheci esse garoto da mesma forma de sempre, fim de relacionamento e alguém aparece como amigo pra te ajudar. Mas com ele foi um pouco diferente, dessa vez eu já conhecia ele, aliás sempre fui apaixonada por essas malditas sardas, mas isso não vem ao caso. Quando eu realmente me aproximei desse garoto eu achei que talvez o que eu senti era só uma tipo de paixonite aguda que passaria em um mês, mas cá estamos nós mais de um ano e se isso for possível eu o amo a cada dia mais. Eu lembro que quando eu o conheci eu estava tão perdida que achei que seria impossível me entregar a alguém, mas então eu entreguei a ele minha alma nua, com todos os meus erros e defeitos, eu literalmente me abri para um estranho do nada, por causa de uma música bem triste que meu ex tinha me mandando e estava doendo tanto que eu só precisava de alguém dizendo que tudo ficaria bem, e ficou, porque sempre fica, nenhuma dor é eterna. Eu já tive meu coração partido tantas vezes, por tantas pessoas diferentes, são tantas histórias escondidas nessas entrelinhas que você se assustaria com a quantidade de dor e alegria que se encondem aqui. E olhando pra trás e pro agora tudo que eu sei é que o amor não se entende, se sente e sente muito. E não importa quantos caras passaram na minha vida ou quantos ainda vão passar, espero que mais nenhum, o que importa é aprender, amar, cuidar de cada pessoa que marcar sua vida de alguma forma, porque olhar pra trás só me faz pensar que mesmo que eu tenha aprendido com os erros, eles nos marcam pra sempre, tente marcar a vida de alguém sempre de uma forma positiva. Por isso eu passei a perceber que fins são sempre dolorosos, mas meios não precisam ser.
—  Bianca Autran
Eu sei que eu errei com você, mas olha só, você também errou comigo. Você não gritava e nunca me tratou mal, mas você fez coisa pior, foi capaz de guardar e se manter em silêncio quando deveria ter me contado toda verdade. Eu sempre soube que você nunca foi e nunca iria ser o meu príncipe encantado, mas por hora era o que me bastava. Eu continuei ali, mesmo quando você já tinha desistido da gente, eu continuei por nós, mas você não ficou nem por mim. Fez questão de ir embora depois do meu primeiro erro enquanto eu perdoei todos os seus 19 erros, sim, eu contei quantas vezes você me destruiu e ao total foram vinte, mas na vigésima vez eu fui embora sem olhar pra trás. Eu chorei, porque doeu, mas eu sabia que aquilo passaria mais rápido do que eu imaginava e que eu logo ficaria bem. Eu errei desde o começo, eu errei quando achei que poderia usar você como um band-aid. Mas eu aprendi, se for pra curar, só amor.
—  Bianca Autran
Philippines Still Seeks EU Aid, Only With No Strings Attached
The Philippines hopes the European Union revives an offer to provide development grants – but this time without conditions linked to the country’s human rights record, according to Trade Secretary Ramon … Read more
youtube

“Back in Syria, I was shot at and hit five times. I was treated by an MSF team in Jordan. I’m on my own here. I’m heading to Germany to be with my uncle. I got hit by a bullet in the arm and another in the chest. It’s very cold here and we don’t have warm clothes.” - These are the words of Saleh, a young Syrian refugee currently held in the detention center in Samos, Greece

http://www.doctorswithoutborders.org/article/eu-turkey-deal-false-solution-evasion-responsibility

Manifesto Summary #1 - UKIP

Let the insanity begin!

The manifesto: here

Meaningless slogan: “Believe in Britain” (as opposed to denying it’s existence???)

Economy: UKIP is basically promising all kinds of tax cuts, because why fund public services when the middle classes could just keep all their money to themselves? They want to leave the EU, cut international aid and cut down on what we give to Scotland. Yes. They think Scotland gets too much of our money. 

Immigration: Guess what? They want to reduce it. Their little tagline here is “space not race.” Basically despite being one of the richest countries in the world, we don’t have space for more EU migrants to come in and pay us more tax so that we can fund more public services. Somehow.

NHS: They claim they will put more money in the NHS and find 8000 more GPs and 20,000 more nurses. Even though they want to cut tax. They also want to bring social care under the NHS. Which means that £3 billion a year they just promised the NHS isn’t gonna go very far (to put these figures in perspective, the NHS costs £95.6 billion a year, so £3 billion is nothing).

Welfare: They want a lower benefit cap, to end fraud and to limit child benefit to the first two children, because obviously if you’re the third child in your family, you don’t deserve food or clothes.

Education: UKIP say there should be no sex education for primary school children. So expect child sexual abuse rates to soar if UKIP get in. Also they support grammar schools, which basically means children will be given an unfair advantage or disadvantage in life based on an exam they take at the age 11. 

Other shit: scrapping High Speed rail, saving the “Great British seaside” (you know, that thing we used to have in Victorian times), allowing smoking rooms in pubs (I’m a smoker and even I think smoking indoors is fucking horrible), repealing the Human Rights Act, scrapping translation on official documents, ending funding for public bodies which promote multiculturalism, “English Votes for English Laws” and a guaranteed referendum every two years on something people are mad about because the Sun has whipped them up into a fucking frenzy. UKIP would also allow employers to discriminate against non-British employees and would scrap postal voting. 

Revealing quote: “The liberal metropolitan elite often tells us patriotism is wrong… Hints are dropped that wanting to celebrate "Britishness” is an act that touches on extremism.“ Umm, we spent the fucking ENTIRETY of 2012 celebrating our Britishness and nobody got sent to the gulag over it. 

What the fuck? moment: There are many, but the thing that bemuses me most is that they claim to agree with everything the government did on pensions. Which is a weird position to adopt if you’re courting older voters.