estocado

Se qualquer coisa, era estranho estar de volta para o lugar que costumava nomear sua casa naquelas circunstâncias, mas pelo menos ele podia agradecer que diferente das outras dessa vezes tinha outra mão colada a sua própria que era definitivamente todo o apoio que ele precisava. – Eu quase sempre esqueço da quantidade exorbitante de verde que esse lugar possuí. – confidenciou a Thomas, enquanto eles chegavam perto da casa de sua avó. Era impossível, ele sabia, mas como se ainda tivesse quatro anos de idade todo o corpo foi envolvido em uma nuvem com aroma de bolo de laranja com cobertura de açúcar e aquecido com as milhares de mantas que a mulher tinha estocado dentro dos armários.

Coração de gelo

Capítulo  7 :

Passamos através de um arco do lado direito da sala e entramos em um pequeno hall onde uma grande porta que parecia com a da sala de estar deu passagem para uma bela sala de jantar. Uma bela mesa retangular com tampo de vidro estava no meio sob um lustre de cristal. Os pés eram de madeira bem talhada e as cadeiras seguiam o mesmo material com estocados cor de areia. A parede direita tinha pequenas pastilhas que mesclava as cores gelo, marrom, marfim e cinza. Um aparador de madeira estava encostado à parede decorado com um vaso de flores. Ao fundo uma vidraça também dava vista para um jardim.

- Vamos conhecer a cozinha, Lua. – Melanie, saiu pelo lado esquerdo.

O que vi em seguida foi uma enorme cozinha muito bem equipada onde uma cozinheira mexia em algumas panelas diante do fogão. Pareceu não notar nossa chegada apesar dos barulhos dos saltos de Melanie sobre o chão de porcelanato. As bancadas e armários tinham o mesmo tom amadeirado da sala de jantar, um enorme balcão estava no meio da cozinha e a geladeira de inox era imensa. Nunca estive em uma cozinha tão bem equipada, mas era de se imaginar que em uma mansão onde recebiam várias pessoas para jantar, os cozinheiros tinham tudo à mão e espaço suficiente para trabalharem.

- Olá, Beth. – Melanie chamou a mulher que estava de frente para o fogão e esta se virou um pouco surpresa por me ver ali.

- Srta. Aguiar, o jantar está quase pronto. – ela disse de maneira educada enquanto voltava a mexer de maneira eficiente suas panelas.

- Quero te apresentar Lua Maria Blanco, ela vai morar aqui a partir de hoje.

- Muito prazer, Srta. Blanco. – ela fez um leve aceno com a cabeça.

- O prazer é todo meu. – sorri educada.

Beth parecia ter cerca de quarenta anos e usava uma touca de proteção para cozinhar. Seu uniforme era da cor vinho e tinha um avental branco com detalhes formando alguns babados na borda. Seguindo o passeio pela mansão, vi uma enorme sala de TV do outro lado do hall e me perguntei se estava dentro de um cinema. Cada vez que caminhávamos eu duvidava de que fosse precisar de um GPS para me localizar naquele lugar. Finalmente chegamos de uma grande porta branca trancada e Melanie não abriu. Apenas se virou para mim parecendo um pouco mais séria.

- Este é o escritório do meu irmão. Arthur detesta que as pessoas entrem aqui. – explicou-me e seu tom de voz mostrava que ela levava bastante a sério as vontades do irmão – Uma pessoa só entra se for convidado ou tiver a permissão dele. Arthur passa uma boa parte do tempo aí dentro, é quase como se sua casa se resumisse a esse lugar. – ela cruzou os braços e alisou-os devagar, virou para olhar a porta trancada e depois de alguns segundos me olhou novamente – Por um lado eu entendo essa mania que ele tem de viver trancado aí dentro. Depois que nosso avô adoeceu, Arthur passou a ser o responsável pela empresa e por mais experiente que seja, ele só tem vinte e oito anos. É jovem demais se comparado aos outros empresários e carrega uma enorme responsabilidade.

- Eu entendo, deve ser muito difícil. – disse com sinceridade, eu não entendia do mundo dos negócios, mas estar à frente de um império não devia ser uma tarefa fácil.

- Bem, amanhã você pode conhecer a área externa já que pela manhã é tudo mais bonito. – sorriu e se afastou dali – Venha, quero te mostrar o jardim de inverno.