estocada

O sexo é um instinto primitivo, ganancioso, essencial. Nos torna viciados, devotos do prazer. Nos deixa vulnerável ou até mais forte do que somos. Faz da mente e até do corpo, um lugar perigoso. Para o sexo, não importa os meios, pois esses justificam os fins. E para uma mente viciada em prazer, cada beijo, cada estocada, cada toque nos torna ainda mais poderosos, como se queimassemos um pouco mais. E se o prazer é o fogo, o sexo é o nosso combustível.

Bruna Gomes

🔥CONTOS ERÓTICOS Obs: O melhor conto que já li até hoje!! Se virasse um filme seria O FILME!! *Bárbara a prostituta.. (Capítulo 1) Já era por volta das 22:35 e eu estava retocando a maquiagem. Coloquei um batom bem vermelho pra chamar atenção!! A final sou branquinha de cabelos longos e negros.. Quando o carro buzina na porta da minha casa, finalizo e saio de encontro com aquele Corolla preto. Entro no carro e me deparo com um cara que aparentava ter uns 32 anos, corpo normal, nem magro, nem gordo, tinha um olhar misterioso e ao mesmo tempo triste, era moreno e a barba estava para fazer. Apesar de querer saber o que aquele olhar esconde, olhei pra ele super profissional e com um sorriso no rosto e me apresentei: - Olá, sou a Bárbara, você deve ser o Anderson né? - Sim eu sou... - Ok, Anderson. Tudo bem?! Por precaução o pagamento é adiantado, aceito cartão de crédito e débito. As informações já foram passadas pelo telefone correto? O serviço completo é 400 reais e... - Primeiramente me chame de Senhor Anderson!! Segundo, eu já sei de tudo.. E terceiro cale a boca!! Putas foram feitas para transar, não pra ficar tagarelando no ouvido dos clientes. Estamos entendidos? - Sim Senhor Anderson. Mas que cara babaca, juro que se eu não tivesse que pagar meu aluguel eu descia desse carro. Quem ele pensa que é pra falar assim comigo? Por mais que eu faça sexo por dinheiro eu exijo respeito, afinal estou trabalhando. Segui o caminho todo em silêncio, até que chegamos no motel, pelo menos era 5 estrelas. Entramos e eu já fui logo tirando a roupa, queria acabar logo com o serviço. Ele me olhou com muito ódio e retrucou: - Quem dita as regras aqui sou eu, estou te pagando então só faça o que eu mandar!! Coloque a roupa novamente. Coloquei minha roupa e fui em direção a porta, sim eu ia embora!! Que se foda meu aluguel, caras pra mim transar era o que não faltava. Ele veio em minha direção e foi mais rápido, me puxou pelo braço e me encostou na parede, abriu minhas pernas e encaixou sua perna no meio e sussurrou no meu ouvido: - Onde você pensa que vai? Hoje você é minha putinha. Está sendo paga pra isso, não seja rebelde. Cada vez que você for uma menina má, vou te fuder com mais força. Senti um arrepio enorme começando pelo meu pescoço e descendo pelas minhas costas, um calor invadiu meu corpo e minha calcinha molhou.. Fechei meus olhos e me rendi. Confesso que nunca senti tesão por nenhum dos meus clientes, tudo foi sempre muito profissional.. Mas com este foi diferente, ele me fez sentir vontade de fuder com ele, de fuder com força. Tentei beijá-lo, nunca havia beijado um cliente, mas ele negou. - Puta não beija na boca, não na minha. Agora você será castigada, pois não me obedeceu. Acho que pelo seu jeito autoritário de querer mandar e controlar a situação que mexeu comigo, me deixou excitada. Então ele tirou minha roupa, me colocou de quatro e amarrou minhas mãos, segurou firme meus cabelos e foi beijando lentamente minhas costas foi descendo e me arrepiando dos pés à cabeça, estava encharcado, então sem nem pensar duas vezes ele penetrou tão fundo que meu corpo se esquivou o máximo para recebo-lo, com uma mão ele puxava meu cabelo com firmeza e com a outra me dava tapas no bumbum. Suas estocadas estavam cada vez mais fortes e seus tapas ardiam, revezando uma vez de cada lado, de repente sinto sua respiração no meu ouvido e sua voz sai meio rouca: - Vou te fuder a noite toda!! Estava suada, com meus cabelos bagunçados, minha bunda estava quase dormente de tantos tapas que levei. Estava deitada enquanto ele estava no banheiro, assim que ele saiu eu entrei, tomei um banho rápido, e dei uma ajeitada no cabelo.. Quando retornei ao quarto tive uma surpresa!! Ele estava com um vibrador enorme na mão, pediu pra ir pra cama e eu sem questionar fui. Ele se deitou e eu fiquei por cima dele, ele começou a chupar meus seios alternando de um para outro, passava a língua com cuidado e depois devorava de uma vez, suas mãos percorria meu corpo e novamente minha buceta pedia para ser fodida. Com uma das mãos alcancei seu pênis, quando iria começar os movimentos de vai e vem ele me interrompe: - Vejo que você não me obedeceu novamente, vou ter que te castigar sua putinha gostosa, não sei se você lembra, mas cada vez que você for uma menina má vou te fuder com mais força!!! Sua bucetinha está implorando por mais, vou acabar com ela. Me virou de quatro e pegou o vibrador, lubrificou bastante e sem qualquer carinho introduziu o vibrador no meu ânus. Uma sensação de dor e prazer tomou conta do meu corpo, gritava, gemia, queria mais.. Muito mais!! Então ele enrolou a mão no meu cabelo puxou com força e sem dó alguma penetrou seu pênis em minha buceta. Eu estava totalmente preenchida, estava delirando de prazer. Ele metia com tanta força que a cada penetração meu corpo ia pra frente. Meu corpo avisava que eu iria ter um orgasmo. - Goza gostoso!! É assim que você gosta ne safada? Gosta de ter duas rolas pra você, gosta? Goza no meu pau, goza gostoso!! Nessa hora não aguentei e gozei, ele também não e gozou junto... Minha buceta latejando de tanto prazer recebeu seu leite quente. Ele tirou o vibrador do meu ânus e deu um tapa na minha bunda e somente disse: - Veste sua roupa e coloca sua calcinha no meu bolso, ela fica comigo.. Está na hora de ir embora. Da próxima vez ficaremos mais tempo!! Eu fiz o que ele mandou sem nem pensar duas vezes, só de ouvir ele dizer próxima vez meu coração acelerou e minha calcinha ficou toda molhadinha.. (CAPÍTULO 2) Já se passaram duas semanas e o Anderson não me ligou, acho que aquela "próxima vez" era apenas uma ilusão.. Minha vida continuava a mesma, tinha em torno de 3 clientes por dia e estava faturando bem. Minha faculdade de nutrição está no último semestre, logo sairei desta vida de sexo por dinheiro. Quando sai da casa da minha mãe prometi a ela que voltaria com uma vida boa e tiraria ela daquele sofrimento. Se ela soubesse a vida que levo teria desgosto de mim, mas nenhum emprego aqui em SP eu conseguiria ganhar tão bem assim para pagar meu aluguel, água, luz, compras do mês e ainda mil reais de faculdade. As vezes ser prostituta é falta de opções melhores ou vergonha na cara mesmo. Levanto cedo pra ir pra faculdade, quando estou saindo de casa meu telefone toca: - Alô? - Hoje a noite te espero na porta da sua casa, esteja pronta as 22:00 em ponto!! Se tiver qualquer cliente pro restante da noite desmarque.. Eu pago o dobro do que iria ganhar. Desligou na minha cara e nem deixou eu dar uma resposta. Fiquei excitada só de ouvir a voz autoritária dele!! Estava contando os minutos para chegar às 22:00 horas. As horas pareciam não passar e enfim chegou a noite, coloquei minha melhor lingerie e no horário combinado estava pronta e ele já estava na minha porta. Entrei no carro em silêncio, ele também não falou nada, depois de alguns minutos andando ele quebra o silêncio dizendo: - Está linda com esse vestido!! - Obrigada senhor Anderson. Seu celular estava em cima do porta luva, uma mensagem chegou e o visor acendeu, vi um lindo menino junto dele na foto e ousei perguntar: - É seu filho? Ele abriu um sorriso bobo, mas na mesma hora que percebeu que estava sorrindo fechou a cara para que eu não notasse. - Sim, é meu filho. - Lindo ele, como se chama? - Rafael. Agora chega de perguntas, lembre-se que você só faz o que eu mando!! Isso inclui falar também. Chegamos no motel, eu entrei, e fiquei esperando sua ordem. - Tira a roupa e fica somente de salto. Obedeci e fiquei nua em sua frente. Ele me agarrou por trás, pegou em meus seios com firmeza, eu senti o volume crescer dentro da sua calça!! Começou beijando meu pescoço lentamente sussurrando no meu ouvido o quanto eu era gostosa, me virou de frente e me jogou na cama!! Abriu minhas pernas e começou beijar minha barriga descendo para a virilha, eu correspondi com um gemido baixo.. Ele foi passando a língua até chegar no meu clitóris e me devorou com sua boca, sua língua fazia movimentos circulares enquanto seu dedo me penetrava com força. Sua língua passeava por toda minha vagina!! Senti meu clitóris inchar e sabia que iria gozar, ele percebendo aumentou a velocidade das metidas com o dedo e os movimentos com a língua, não aguentei mais e gozei na boca dele. Em seguida ele tirou seu mastro pra fora e eu já iria cair de boca, ele segurou minha cabeça e disse: - Você só faz o que eu mando, agora será castigada!! Ele tirou da bolsa dois vibradores e ordenou que eu ficasse de quatro, introduziu o primeiro vibrador no meu ânus, eu gemi de prazer.. Logo após vejo ele forçando o segundo. Fiquei com medo mas não me movi, deixei rolar, ele penetrou o segundo vibrador, senti dor, muita dor, então ele com seu pênis penetrou minha vagina. Começou o vai e vem e com sua mão masturbou meu clitóris, então a dor se transformou em prazer. Eu estava com dois vibradores no meu ânus e um pênis na minha buceta. Que maravilha!! Estava sendo totalmente arrombada. Ele por sua vez, começou a meter com mais força. Eu gemia e pedia cada vez mais fundo. Gozei de novo, e ele metendo sem parar me chamando de cachorra e puta gostosa. Me segurava com tanta firmeza, batia na minha bunda, admirava meu cuzinho sendo arrombado e fodia minha buceta com tanta força que até parecia que suas bolas iam entrar em mim!! Com um puxão de cabelo e uma última estocada que alcançou meu útero, ele derramou seu leite quente sobre mim. Tirou apenas um vibrador do meu ânus e deixou o outro. - Deixa esse vibrador no seu ânus a noite toda. Você vai dormir com a sensação de estar sendo arrombada!! Eu achava os pedidos dele muito estranho, mas como uma boa cliente obedecia. Ele tomou um banho, deitou e adormeceu.. Fiquei por um bom tempo admirando ele, e ahhhh!!! Confesso que estou encantada por ele e ao mesmo tempo com medo, medo de se apaixonar por um cliente. Ele acorda e me pega no flagra olhando pra ele, me olha e sorri: - Ninguém te ensinou que é feio ficar olhando uma pessoa enquanto ela dorme? - Porque você me contratou novamente? Porque você é tão misterioso e autoritário assim? Meus clientes não costumam ser tão intensos igual a você.. Ele passou as mãos no meu cabelo e parecia lembrar de alguma coisa, alguma coisa que o deixava triste pois seu olhar perdeu o brilho que tinha. - Não costumo falar disso com garotas de programa. Apenas me calei. Ainda vou descobrir o mistério deste homem!! (CAPÍTULO 3) Os dia se passavam e eu não parava de pensar naquele homem!! O que está acontecendo comigo? Eu sempre fui tão profissional.. Não conseguia parar de pensar nas nossas transas, no jeito autoritário dele e daquele olhar triste que carrega uma história. Então decido procurar por ele, depois de inúmeras pesquisas no Facebook eu encontro seu perfil, meus olhos brilham e meu estômago embrulha!! Abro sua página e está fechada, consigo ver somente sua foto do perfil e umas publicações de alguns anos atrás. Sua foto de perfil é a mesma que vi no celular, dele e do seu filho. Um status me chama muito a atenção: "Por mais que a primavera e o verão chegue, meu coração sempre será um dia pacato de outono e congelado como o inverno!!". Engoli em seco e imaginei mil e uma coisas. Então mandei um convite pra ele.. Me assusto com meu celular tocando: - Alô? - Como você ousa a mandar convite no meu face pessoal? Você está pensando que é quem para se atrever a isso? Você é só uma prostituta!! Se coloque no seu lugar, eu te pago para me dar prazer, somente isso, minha vida pessoal não te interessa nem um pouco!! Você é um ser desprezível, depósito de esperma e fim. - Você é um babaca!! Estava tremendo de nervoso.. - Se você acha que pode me ofender assim está enganado!! Eu não preciso de você, e muito menos do seu dinheiro!! Posso fazer sexo por dinheiro sim. Mas não sou uma pessoa amargurada da vida como você é!! Tum, tum, tum.. O idiota ainda ousa desligar na minha cara.. Se ele não ligasse privado, juro que retornaria e falaria umas boas pra ele. Olho pro relógio e já são 19:40, meu próximo cliente vem me buscar as 20:00. Dou uma última olhada no perfil dele e vejo que ele trabalha na empresa mais famosa de publicidade da cidade, a Performance.. Penso em bater lá, mas depois vejo que não vale a pena, afinal só seria mais humilhada, melhor seguir minha vida como sempre foi!! Ouço a buzina de longe, olho pela janela, meu trabalho me espera, reviro meus olhos, pego minha bolsa e saio. As 22:00 termino o serviço, me sinto suja.. Mas suja na alma!! Só me sentia assim quando comecei a fazer programa, depois me "acostumei" com isto, mas hoje esse sentimento voltou à tona. Pra espantar esses pensamentos eu ligo para o Léo, meu melhor amigo desde que cheguei aqui na cidade, ele estuda comigo na facu.. Ele é uma figura!! - Léo, ta fazendo o que? - Nada minha gatinha. - Vamos sair pra beber, eu pago!! - Arrasa viadaaaa!! Caiu na gargalhada. - Só me fala onde é, que daqui a pouco estou por ai!! Depois de mais algumas conversas eu desligo, sento na beira da calçada e fico pensando em tudo que aconteceu no último mês, nem me dei conta de como a hora tinha passado, escuto uma voz me gritando: - Bah meu amor, levanta do chão rapariga! A tristeza que estava em mim foi embora dando lugar pra um sorriso largo em meu rosto. Impossível ficar triste perto do Léo, uma amizade verdadeira cura tudo!! Levei ele pra um barzinho com música ao vivo, desabafei tudo com ele, contei tudo que anda me assombrando. Depois eu e ele caímos na farra, entramos na primeira balada que achamos.. Precisava me distrair e me divertir e ao lado dele é diversão garantida!! Os meses se passaram e enfim chegou minha formatura, o grande dia!! Liguei para minha mãe: - Oi mãe, como a senhora está? Estou morrendo de saudades, estou me formando hoje e logo irei passar as férias em casa. - Oi minha filha, fico muito feliz por você, eu sabia que você iria ser meu orgulho!! Não demore a vim, viu? Ouço minha mãe tossindo e num tom de voz fraca. - Mamãe também está com muita saudade!! - Mãe a senhora está bem? - Estou meu amor, não se preocupe. Neste momento Léo aparece: - Vamos Bah, está começando. Eu só assenti com a cabeça. - Mãe preciso ir, depois te ligo, beijos. Desligo o telefone e vou em direção ao Léo de cabeça baixa e preocupada com minha mãe, quando me esbarro em um cara e sem nem ao menos olhar pra cara dele peço desculpas e continuo andando.. Este homem por sua vez me segura pelo braço, me leva a força para o estacionamento e me joga dentro do carro. Eu assustada olho para ele e encontro seu olhar, num tom de voz baixo e ofegante eu consigo dizer: - Anderson??? (CAPÍTULO 4) - Anderson??? Não estava acreditando no que meus olhos me mostravam, senhor Anderson na minha frente? O que esse babaca quer? Ele me olha, me admira, tira o cabelo do meu rosto e de repente sinto seus lábios encostando nos meus!! Penso em negar, mas sinto aqueles lábios macios e me rendo.. começamos um beijo envolvente, sua língua passeava pelo céu da minha boca, um beijo caloroso e diria que apaixonado!! Por um instante ele para, me olha como se não tivesse acreditando no que estava fazendo, eu tento me soltar, mas ele me segura mais forte e volta a me beijar!! O clima esquenta e estamos prestes a transar ali dentro do carro no meio do estacionamento, mas somos interrompidos pelo meu celular tocando, era o Léo.. Me dou conta que a formatura já começou e se eu não chegar a tempo vou perder a vez de pegar meu diploma e fazer meu discurso. Anderson então me diz: - Levanta o vestido! Você terá uma surpresinha. Eu juro que tento dizer não, mas não consigo, então só obedeço. Ele retira do bolso um vibrador portátil, era bem pequeno. Ele introduz na minha vagina e aperta um controle que está em sua mão, nesta hora o vibrador começa a dar pequenos choques junto com a vibração, uma sensação estranha porém muito gostosa. - Você vai passar o resto da noite com isso!! Quando eu achar necessário irei apertar o botão no meu controle e você sentirá prazer. Tentei protestar, mas ele me interrompe.. - Essa noite será bem interessante, você irá adorar. Ele me pega pelo braço e me coloca pra fora do carro. - Agora vai antes que se atrase mais. Eu saí de lá me xingando em pensamentos. Como posso ser tão idiota? Depois de tudo que ele me disse eu ainda aceito as ordens dele, mas não sei o que acontece comigo porque eu não consigo dizer não para este homem!! Com ele é diferente, eu me rendo muito fácil. Estou perdida em meus pensamentos quando sinto o vibrador dando choques e vibrando, me desconcerto e solto um pequeno gemido, olho pra trás e ele acena. Cretino!! Chego no salão e o Léo estava quase infartando com minha ausência, solto uma gargalhada quando ele me xinga pela demora, não demorou nem 3 minutos e meu nome é anunciado. - Bárbara Scrocco, por favor comparecer ao palco para receber seu diploma. Quase não acredito nisso, meu coração pulsa mais rápido de alegria, subo no palco, pego meu diploma, abraço os professores e vou dar meu discurso. Olho aquele salão lotado e la na última fileira de cadeiras avisto o Anderson, meu coração gela. - Gostaria de agradecer a Deus por me dá forças e saúde para conseguir, agradecer aos professores por todo conhecimento que me passaram, agradecer a minha mãe que mesmo não estando presente, sempre torceu por mim e.. Travo na hora, os choques começam, sinto minha calcinha molhar, minha vagina latejar, seguro um gemido.. Que sensação gostosa!! Olho para ele e só consigo pensar "desgraçado", respiro fundo e continuo. - Agradecer a instituição pela oportunidade, a partir de hoje começa uma nova vida pra mim!! Sorrio lembrando que minha vida de prostituta acabou, apenas aceno e saiu do palco. Do lado meus amigos me esperavam para me abraçar. Nem acreditava que tinha conseguido, lágrimas caem dos meus olhos, lágrimas de alegria. O baile de formandos começou, coloco um vestido preto bem sexy e curto e vou pra pista de dança. Estou me acabando de dançar quando vejo Anderson sentado me olhando, fico sem graça e vou até a mesa pegar um drink, ele se aproxima de mim por trás e aperta o botão no controle, dessa vez foi numa velocidade maior!! Minhas pernas fraquejam e ele sussurra no meu ouvido: - Goza pra mim!! Isso foi a palavra chave, aquela voz sexy dizendo isso eu não me contive, soltei um gemido, como eu queria que ele me fodesse ali mesmo!! Saio de perto e vou pra um canto escuro, ele vai atras de mim e me agarra pela cintura, ele coloca sua mão por debaixo do meu vestido e mete um dedo no meu ânus, começa a meter com vontade e aumenta as vibrações na minha vagina, não aguentei!! E gozei no salão do baile da minha formatura, não me virei de frente pra ele, quando me virei ele não estava mais la. Fui no banheiro me limpar, ainda não acreditava que isso tinha acontecido, saio do banheiro e vou curtir minha noite. No fim da festa, por volta das 05:00 da manhã estou de saída, eis que aquele mesmo Corolla para do meu lado e abre a porta pra mim entrar, eu entro e lá está ele. - Vamos direto pra minha casa, tudo bem? Se não for me levar pra lá, eu desço aqui mesmo. Estava um pouco alegre por causa do álcool, ele não me diz nada. Seguimos o caminho em silêncio. Chegamos na porta da minha casa e ele todo arrogante como sempre diz: - Desce! Eu chego bem perto do seu rosto, ameaço beijar ele e me viro abrindo a porta do carro. Ele me puxa e me beija loucamente, acaricia meu corpo com suas mãos e beija meu pescoço lentamente. Vejo que ficou de pau duro, a calça social não esconde e fico toda molhadinha. Sento no colo dele de frente pra ele e fico roçando no seu pênis, ele rasga meu vestido e cai de boca nos meus seios, devorava com vontade!! Queria muito que ele me comesse ali mesmo e por ele era isso mesmo que iria fazer, mas no auge do momento eu paro, olho pra ele e digo: - O senhor descumpriu uma de suas regras, me beijou na boca, como castigo hoje não terá sexo!! Ele ficou sem reação, eu saí de cima dele, me ajeitei e sai do carro, do lado de fora, me abaixei na janela e dei um tchauzinho!! Hahaha, ele me olha furioso, liga o carro e sai nervoso. Droga!!! Droga!!! O que eu fiz? Eu quero esse homem mais do que nunca e acabei de desprezar ele, o que eu tenho na cabeça hein? Entro pra casa, tomo um banho, retiro o vibrador, lavo e guardo, depois me deito. Meu celular vibra, olho e tem mensagem de um número que não está salvo na minha agenda: "Bárbara Scrocco, você me paga por hoje!! Boa noite e bons sonhos". Sem perceber, um sorriso se abre em meu rosto, suspiro de felicidade, viro pro lado e adormeço. (CAPÍTULO 5) *VERSÃO ANDERSON. (Ano de 2014) - Querida, vamos parar na próxima pousada, preciso descansar um pouco. - Claro meu amor, dirigir 12 horas direto é perigoso. Estávamos voltando de uma longa viagem de férias, eu minha esposa Sabrina e meu filho de 2 anos, o Rafael. Olho pra minha esposa que acabou adormecendo, aahhh como ela é linda!! Como eu amo essa mulher!! Deus não poderia ter me dado família melhor! Próxima pousada estava longe, meus olhos estavam pesados querendo fechar de tanto sono. Tento cantar pra me distrair, mas de repente, por um segundo meus olhos se fecharam, quando abrir meu carro estava rolando ribanceira abaixo. Vejo minha esposa saltar pela janela, eu pedi pra ela por o cinto, mas ela disse que ficaria mais confortável sem para poder dormir. Tento procurar meu filho e não o vejo, neste momento levo uma pancada na cabeça e tudo vira escuridão.. (Ano 2017) Já se passaram três anos da morte minha esposa e eu ainda não superei, choro todas as noites. Suas roupas ainda ocupam o guarda roupa, nossas fotos em quadros espalhados pela casa, a única coisa de melhor que ela me deixou foi nosso filho, nosso Rafael que hoje tem 5 anos e é o meu bem mais precioso. Me culpo todos os dias pela morte de Sabrina, eu dormi dirigindo, eu fui um idiota, se não fosse por minha culpa ela estaria viva e estaríamos todos felizes. Eu nunca vou me perdoar por isso, nunca!! Desde o seu falecimento prometi a ela que nunca amaria outra pessoa, me dedicaria somente ao nosso filho e ela pra sempre será meu único e verdadeiro amor. - Ei cara, bora tomar umas brejas hoje? Felipe fala colocando o braço sobre meu ombro, ele é meu sócio e único amigo. - Pegar umas mina, relaxar um pouco, hoje é sexta!! - Vamos, por sua conta. - Vai se fuder!! Não contive a gargalhada. - Você é rico, mais rico que eu, deveria pagar a minha. Olho pro relógio, já são 17:36, finalizo o expediente e marco de encontrar Felipe as 20:00. Felipe é um filho da puta que chamo de amigo, ele foi o único que esteve do meu lado, me ajudou a sair da depressão e cuidou dos negócios nesse período. Confesso que virei uma pessoa amargurada da vida, sempre de mal humor e muito sério, mas Felipe conseguia me tirar desse posto de Durão. A uns 6 meses atrás, depois de muita insistência do meu amigo, aceito sair com ele em um sábado a noite, ele me levou em um lugar chamado "casa do prazer", lá possui diversas meninas disponíveis para nos satisfazer, diversos jogos e brincadeiras. De início fiquei com muito receio, eu não podia fazer isso com minha pequena Sabrina. Fui embora, mas voltei outras vezes. Na quarta vez me rendi e cai no jogo, está era uma maneira de sair com mulheres mas não me apegar a nenhuma, pois meu único e verdadeiro amor era minha esposa. Desde que comecei a frequentar está casa me tornei mais frio ainda, tratava as mulheres com muita arrogância. Um certo dia, olhando o catálogo da casa, uma moça me chamou muita atenção, era linda, seus cabelos eram longos e pretos, seus olhos pequenos e seu sorriso era encantador, decido então ligar e marcar um encontro. Bárbara era o nome dela. Marquei o horário para nos encontrar, paro de frente sua casa, buzino, ela sai e entra no meu carro, quando ela se vira pra mim vejo a mulher mais linda que já vi nos últimos anos!! Seu batom vermelho estava mais pra um convite para um beijo. Ela começou a falar e a única coisa que eu conseguia prestar atenção era em como essa mulher era maravilhosa, seu rosto angelical, sua pele branquinha e seu perfume exalando no carro estava me deixando tenso, estava suando frio, meu coração disparou e parecia que tinha borboletas no meu estômago. Volto pra realidade e me dou conta de tudo que estou pensando. Droga, sou mesmo um idiota, ela é só uma prostituta, então volto a vestir minha máscara de Durão. - Primeiramente me chame de Senhor Anderson!! Segundo eu já sei de tudo.. E terceiro cale a boca!! Putas foram feitas para transar, não pra ficar tagarelando no ouvido dos clientes. Estamos entendidos? Cara como eu sou um babaca!! Como posso falar assim com uma mulher? - Sim senhor Anderson. Ela me responde somente isso e seguimos em silêncio. O que essa mulher tem? Ela mexeu muito comigo!! Que porra que está acontecendo? Eu preciso me manter firme, ela é só mais um brinquedo meu, só isso. Meu coração diz pra ficar com ela, mas eu não posso, fiz uma promessa a Sabrina e tenho que cumprir. (CAPÍTULO 6) *VERSÃO ANDERSON. - O que foi aquilo ontem? Essa mulher é incrível, sua pele é tão macia, sua voz tão delicada.. Felipe interrompe meus pensamentos. - Seu filho da puta, você está se apaixonando por uma garota de programa? Cadê aquele cara amargurado que não se apaixona por ninguém? Cara eu até ficaria feliz se você se apaixonasse, retornasse a sua vida, mas uma prostituta? Fala sério Mano!! - Cala a boca, me deixa sozinho. Ando de um lado para o outro na minha sala, não posso levar isso adiante, mas também não consigo parar de pensar nela. Decido que não vou mais ligar para ela, fingir que essa mulher nunca existiu. Semanas se passaram, cada dia era uma tortura, vontade de estar com a Bárbara, pego meu telefone, disco o número dela e marco um encontro, depois de desligar dou um soco na mesa, não deveria ter feito isso, mas meu coração dizia que era a coisa certa. Chegou a hora do encontro e eu estava feliz, enfim feliz por vê uma mulher, quando a vi, não me contive e elogiei seu vestido, ela estava muito bonita. Foi tudo incrível estar com ela, eu ainda não tirei minha máscara, não quis demonstrar que com ela a situação era diferente, mas eu sei que ela sente que quando transamos é intenso, é algo surreal, é muito bom. Depois de tudo eu acabei dormindo e acordei com ela me olhando, ela estava mais linda ainda, passei a mão nos cabelos dela, droga, eu mostrei sentimentos, mas tudo era mais forte que eu!! Eu não conseguia me controlar. Depois de passarmos a noite juntos, deixei ela na sua casa e fui para a minha, quando chego meu pequeno Rafael corre em minha direção, pula nos meus braços, eu pego ele, jogo ele pra cima e brinco de aviãozinho. - Papai, papai, eu sou um avião!! Meu filho fala aos risos. - Você é o melhor avião que existe filho. Coloco ele no chão e beijo sua testa. - Papai vai tomar um banho e já vamos tomar café, espera com a dona Sônia (a babá). - Tá bom.. Vou em direção ao quarto e ouço Rafael rindo e brincando com a babá, mas logo meus pensamentos vão pra outro lugar, novamente a Bárbara, acho que estou ficando louco, louco por ela..!! Tomei café com o meu filho e voltei para meu quarto, abro o guarda roupa e vejo as roupas da minha querida esposa, cheiro e ainda posso sentir seu perfume.. Me faz lembrar o quanto eu era feliz, o quanto minha esposa era especial pra mim, pego um retrato nosso no criado mudo, olho pra nossa foto, abraço e digo chorando: - Me perdoa querida, estou sendo fraco, não vou deixar jamais alguém tomar seu lugar!! As lágrimas insistem em rolar sobre meu rosto. Ouço barulhos no corredor e uma voz lá no fundo chamando Papai, enxugo minhas lágrimas e vou em direção ao meu filho. Os dias passam voando, estou muito atarefado na empresa, muitos problemas para serem resolvidos, como sempre é eu pra tudo. Estou no escritório, no notebook está aberto minha página do Facebook, tem uma notificação, vou olhar e quase caiu pra trás "Bárbara Scrocco te enviou uma solicitação", xingo, fecho o notebook com força, procuro meu celular e ligo pra ela: - Como você ousa a mandar convite no meu face pessoal? Você está pensando que é quem para se atrever a isso? Você é só uma prostituta!! Se coloque no seu lugar, eu te pago para me dar prazer, somente isso, minha vida pessoal não te interessa nem um pouco!!! Você é um ser desprezível, depósito de esperma e fim. Jogo o telefone na parede, estou lutando contra meu proprio coração, sento e choro, choro como um bebê.. Não deveria ter falado essas coisas tão duras pra ela!! Meu coração diz pra ficar com ela, mas eu não posso, fiz uma promessa a Sabrina e tenho que cumprir. (CAPÍTULO 7) *VERSÃO BÁRBARA. Hoje acordei meio dia, faculdade acabou e provavelmente clientes só mais tarde. Abro meu notebook e começo a fazer um currículo, vou começar a entregar, pois não quero continuar nessa vida. Pego meu celular e vejo 10 chamadas perdidas da minha irmã, me assusto e retorno em seguida: - Alô mana? O que houve? - A mãe está ruim Bárbara. Passou mal hoje de manhã e a levamos para o hospital. Ela está internada fazendo vários exames, hoje pela tarde saí os resultados.. te ligo para avisar. Meu coração dispara, lágrimas caem dos meus olhos sem eu perceber, respiro fundo e digo: - Estarei no aguarde, mantenha contato pelo Whatsapp. Desligo o celular e choro feito uma criança, se acontecer algo com minha mãe eu jamais me perdoaria por não ter aproveitado mais tempo ao lado dela!! Minha viagem estava marcada para dois dias depois para passar as férias com ela, dependendo dos resultados dos exames irei hoje mesmo. Fecho meu notebook e me deito, luto contra o choro mas é impossível, penso em tudo que ja vivi, como sofria quando morava com minha mãe, passávamos fome, morávamos em um barraco, penso em como minha vida mudou, em como me tornei uma prostituta, choro mais ainda ao lembrar disso.. Mas por um lado fico feliz porque consegui comprar uma casa para minha mãe, não deixo faltar nada pra ela e nem pra minha irmã e sobrinha!! Porém não é com dinheiro honesto e minha mãe ficaria muito triste em saber. Me agarro ao travesseiro como se ele fosse um consolo pra mim, as lágrimas escorrem automaticamente e eu não faço esforço nenhum para evita-las. Do que adianta eu ter me formado, conseguido ajudar minha mãe se me tornei este lixo? Anderson tem razão.. sou um ser desprezível!! Nunca vou consegui formar uma família, ter uma vida normal, vou viver pra sempre com este sentimento de culpa.. adormeço e acordo com meu celular tocando: - Bárbara? Não tenho boas notícias.. - Fala logo Bruna!! - Mãe vai continuar internada, foi diagnosticada com câncer na garganta, mas estão fazendo mais exames para confirmar. Sinto a voz da minha irmã embargada e sei que ela está segurando o choro. Eu por minha vez, fico sem reação, sinto tudo rodando ao meu redor, minhas vistas começam a escurecer, vou perdendo meus sentidos e somente ouço uma voz la no fundo me chamando: - Mana vc está bem? Bárbara me responde pelo amor de Deus. Bárbara você está me deixando mais preocupada..!! Não vejo, nem ouço mais nada, tudo se apaga e sinto o baque da minha queda. *VERSÃO BRUNA (irmã de Bárbara) Dou a notícia para Bárbara, segurando o máximo o choro, quero mostrar que sou uma pessoa forte, mas quando termino de falar ela não me responde mais, começo a gritar no telefone, me desespero, começo a chorar. Desligo e imediatamente ligo para Léo: - Léo preciso que você vá agora até a casa da minha irmã, ela está sozinha e acho que aconteceu algo!! Não consigo falar sem gritar e chorar, Léo me pede calma, mas fico mais nervosa ainda. - Calma Bruna, me explica o que está acontecendo!! Respiro fundo e tento explicar tudo, Léo diz que vai até a casa de Bárbara e que manda notícias depois. *VERSÃO LÉO Saio de casa as pressas, ligo o carro e saio cantando pneu!! Minha melhor amiga precisa de mim neste momento. Em menos de 15 minutos estou em sua casa.. A porta está trancada e nesse momento deixei toda a minha feminilidade de lado e dei um empurrão que a porta abriu de uma vez!! Vou de encontro a Bárbara, chamo pelo seu nome porém ela não acorda, a pego no colo e seu celular começa a tocar, pego o celular e saio correndo, coloco ela no banco de trás e vou direto a um hospital. Chegando no hospital os enfermeiros já colocaram ela na maca e entraram, eu fico lá fora aflito e com medo.. Sinto o celular vibrando no bolso, olho pro visor e alguém está ligando, cujo o contato ela salvou como "cliente gostoso", não me contive e soltei um riso, atendo: - Alô? Olha, a Bárbara não está em um momento legal então por favor desmarque o horário e depois ela acerta com você!! - Quem está falando? Cadê a Bárbara? Eu não tenho horário nenhum.. O que aconteceu com ela? Me toquei que deveria ser o cara que Bárbara havia me contado. - Sou amigo dela e ela está no hospital, eu não sei bem o que aconteceu, mas ela estava desmaiada e sozinha na casa dela então a trouxe para cá, os médicos entraram com ela e ainda não tenho notícias.. Silêncio! Depois de uns 3 minutos somente ouço uma voz de choro e ao mesmo tempo preocupada e furiosa: - Me passa o endereço agora deste hospital!!! (CAPÍTULO 8) *VERSÃO ANDERSON. Receber aquela notícia de que Bárbara estava no hospital me deixou maluco, como assim? Como eu poderia pensar em me preocupar com uma prostituta? Foi incontrolável, peguei o carro e em menos de 10 minutos cheguei ao endereço que Léo havia me passado. Quando vi aquele rapaz meio afeminado na recepção logo lembrei de tê-lo visto na festa de formatura dançando com Bárbara, então me aproximei e perguntei logo: - E ela? Me olhando assustado Léo não exitou em responder... - Ela está lá dentro, ninguém me dá notícias! Eu corri para recepção, estava ficando cada vez mais nervoso, era um frio na barriga, uma dor no coração. Eu não suportaria perder alguém de novo. Confesso que cheguei a falar internamente para mim mesmo que, se Bárbara ficasse bem, eu me permitiria viver essa história. - Quero notícias de minha mulher que está lá dentro. O nome dela é Bárbara!! A recepcionista levantou, apertou um botão e a porta de vidro destravou. - Entra, sua esposa está na emergência. Olhei para trás e o Léo acenou afirmativamente com a cabeça, então eu entrei e fui caminhando até encontrar um médico que saia de uma sala que, pela placa era onde estava Bárbara. Perguntei: - Preciso de notícias de Bárbara! - O que você é dela? - Esposo!! (Eu sabia que ele não me diria nada se eu não confirmasse a mentira que havia dito na recepção.) - Barbara está melhor agora, precisa se cuidar. Ela teve uma queda brusca de pressão arterial. Um sentimento aliviador me invadiu, mas era pouco, eu precisava ver Bárbara. - Posso vê-la? - Sim, pode!! Ela já vai ser liberada!! Pedi apenas para voltar a recepção, pois eu precisava acalmar o Léo. - Léo, Bárbara está melhor, foi uma queda de pressão. Nesse momento o celular de Léo trocou, ele me pediu para atender e me disse apenas: - É a irmã de Baby... Imaginei que seria o apelido de Bárbara. - Peguei o telefone, naquele momento eu já estava me sentindo o dono da situação e preferi nem pensar em nada. - Oi!! - Leo? - Não, Anderson!! - Anderson? - Sim, sou amigo de Bárbara. - Sei Anderson, ela me disse semana passada que havia se apaixonado por um homem chamado Anderson, mas que ele havia sumido. - Bárbara está bem!! ... Cortei. Não acreditava ter ouvido aquilo. Como assim? Continuei preferindo não pensar. A irmã de Bárbara continuou... - Eu deveria ter dado a notícia da doença de minha mãe com mais calma, isso a fez desmaiar. Que burra que sou!! - Como assim? Então ela seguiu contando a história da ligação. - Bárbara trabalha muito para nós manter e nos dar uma vida melhor, não deve estar se cuidando. Nossa mãe é tudo pra ela. Me surpreendi admirando aquela prostituta!! Como pode uma puta ter amor pela mãe? Me neguei a pensar... - Estou cuidando dela agora. Ela ficará bem. Entreguei o telefone ao Léo e voltei para onde Bárbara estava. Dessa vez o médico já foi abrindo a porta para mim. Olhei aquela mulher linda, deitada, fragilizada e me aproximei. - Barbara!! Ela me olhou e sem falar uma palavra começou a chorar. Eu já sabia o motivo, então a abracei. Não tive tempo de vestir minha máscara, estava despido de qualquer arrogância dos últimos anos. - Vamos embora Bárbara, você precisa descansar. *VERSÃO BÁRBARA 😻. Abri meus olhos e me sentia um pouco tonta, estava frio e eu ouvia alguém conversando ao meu lado. - Barbara, tudo bem? Você teve uma queda brusca de pressão arterial e está no hospital sobre cuidados médicos. Sou o Dr. Carlos e seu esposo está lá fora, já vai entrar para vê-la e te levar para casa. Foi somente um susto, menina!! Como assim meu esposo? Como assim hospital? Não saiu uma palavra!! Meu Deus, minha mãe!! Antes de analisar todo o cenário, sem conseguir suportar aquele medo, me encolhi naquela cama e chorei as lágrimas mais doloridas da minha vida. Nem pude perceber que alguém se aproximava, foi aí que ouvi... - Bárbara!! Não reconheci o tom doce, mas era o Sr. Anderson. Não entendi sua presença, mas o olhei e parecia que era ele quem me curaria daquela dor mesmo que momentaneamente. Chorei alto e ele me abraçou e me disse que iríamos embora, que eu precisava descansar. (CAPÍTULO 9) *VERSÃO BÁRBARA 👏🏻😻. Ainda meio tonta e atônita fui saindo pelo corredor do hospital. O Anderson me segurava pelos ombros com uma mão e com a outra segurava algumas receitas. Eu ainda calada, comecei a tentar entender tudo aquilo e ao esperar que a recepcionista abrisse a porta de vidro para termos acesso ao exterior do hospital perguntei: - Senhor Anderson, como cheguei aqui? O que aconteceu? Minha irmã me ligou... Ele me interrompeu... - Já te explico!! Ao abrir a porta, o Léo, meu amigo de todas as horas estava ali segurando minha bolsa... - Léo!! - Minha palitinha, que susto que você me deu!! Nós três seguimos para o estacionamento, então avistei o carro do Léo, neste instante olhei para Sr. Anderson e perguntei o que estava me deixando completamente sem compreensão... - Senhor Anderson, o que aconteceu? Porque você está aqui? Desobedeceu uma regra, foi carinhoso e gentil, mas dessa vez não vai ter punição. Não tenho cabeça para pensar nisso. Ele sorriu com o canto da boca e olhou para o Léo que também sorriu junto. Aquele homem me desconcertava, ele era alto, tinha um corpo bem definido, um sorriso de garoto propaganda de creme dental e os cabelos com alguns fios brancos embora sua fisionomia era de no máximo 38 anos. Ainda com as mãos nos meus ombros ele me disse: - vou te levar para casa!! Obedeci. Já dentro do carro ele foi me explicando tudo como tinha acontecido e quando disse sobre ter falado com minha irmã que eu me dei conta que não era um sonho ruim, de fato minha mãe estava doente. Eu não resisti e chorei alto dentro do carro dizendo que aquilo não podia estar acontecendo, que não era justo. O Senhor Anderson parou no acostamento e me abraçou novamente dizendo: - Por hoje esqueça as punições e me passa o telefone de sua irmã, vamos ligar para ela. Mais uma vez não questionei, apenas peguei meu telefone e passei. Ele discou o número e se identificou: - Oi, Aqui é o Anderson. Já estou com a Bárbara e estamos a caminho de casa... Ela está bem. Quero que prepare as coisas da sua mãe que amanhã bem cedo mandarei um motorista ir buscar- lhes para trazê-las a cidade. Precisamos que um bom médico a análise. Meu coração foi atingido por um choque de alívio, eu sabia que não era a cura para minha mãe, mas eu tinha uma noção plena que aquilo seria muito bom e as chances aumentariam. Ele desligou o telefone permanecendo em direção da minha casa, mesmo andando bem devagar, chegamos em poucos minutos na porta do meu prédio. Peguei minha bolsa no banco de trás e o olhei, sabia que precisava agradecer... - Senhor Anderson, nem sei o que dizer. Obrigada por tud... Antes que eu terminasse a frase ele desceu do carro, achei por bem fazer o mesmo, em passos largos ele me alcançou me tomando minha bolsa e dizendo: - Hoje eu te levo até lá em cima. Não questionei. Subimos juntos. - Não repare!! Não tenho o que te oferecer, pois não recebo visitas. Tentei deixar claro que ele era o primeiro cliente que conhecia aquele espaço só meu, lugar onde eu me encontrava, onde eu era eu. Ele não reparar essa foi de mais... Ele mediu cada canto e mandou outra ordem... - Tome um banho, um bom banho!! Fui direto para o banheiro, mas antes disse que ele poderia ficar a vontade. Imaginei até que eu não o encontraria mais quando saísse do banho. Me enganei, quando me virei ele estava ali na porta me olhando tirar as primeiras peças de roupa. Eu havia acabado de ter uma queda de pressão, mas ter tomado dois frascos de soro me deixou bem forte e viva. Liguei o chuveiro e entrei nua na água observando ele me olhar. Estava me sentindo excitada e sabendo que ele gostava da minha bunda me virei de costas deixando a água escorrer no meu reguinho!! Ouvi um sono "humm".... - Você tá querendo, né?! Apenas sorri! - Ele tirou a roupa e entrou pelo box já encaixando sua mão na minha bucetinha. Eu podia sentir seu órgão na minha bunda enquanto sua boca lambia meu pescoço. - Empina o rabo sua gostosa, vou fazer sua pressão subir!! Ele me penetrou com força no cuzinho me fazendo gemer como nunca, sua mão alcançava meu grelo e ele me mexia freneticamente. Depois me virou de frente levantando bem uma de minhas pernas enquanto com a outra eu só encostava a ponta dos dedos no chão e me comeu a buceta. Não demorou muito para que anunciassemos o orgasmo. Terminei meu banho e ele também se lavou, saímos do banheiro e ele me disse: - Agora vamos almoçar!! Se arruma. Senhor Anderson sentou na cama enquanto eu me vestia com uma lingerie negra. Coloquei uma calça jeans que valorizava minhas curvas, uma blusa discreta, arrumei meu cabelo e ele logo começou a elogiar. - Você está linda Baby!! - Obrigada Anderson!! Como ele cortou os protocolos formais resolvi quebrar também. Ele se levantou me abraçou por trás e, me virando, me beijou deliciosamente. Seguimos para o carro e ele disse que eu poderia escolher o lugar de comer. Eu amava ir em um restaurante com comida muito saudável, não podia fazer feio, agora eu era uma nutricionista! No caminho ele parou em frente a uma loja de celulares e pediu que eu aguardasse uma pouco. Fiquei no carro e fui admirando aquele homem lindo que se dirigia para o interior da loja!! Algum tempo depois ele saiu com uma sacola. Anderson abriu a porta de trás, colocou o embrulho e fomos para o restaurante. - Baby eu quero saber o que fez uma menina vinda do interior se prostituir... Eu sempre quis explicar isso para alguém, dizer que eu não fazia aquilo pelo dinheiro fácil e sim pelas circunstâncias. Disse tudo enquanto ele dirigia e cada vez queria saber mais sobre meus planos. E enfim chegamos ao restaurante. - Chegamos!! ... Disse ele - Ótimo!! Nos dirigimos para uma das entradas e ele esticou a mão pegando na minha. Me senti flutuar, mas permaneci caminhando firme. Na outra mão ele segurava a sacola da loja de celulares. Escolhemos o que iríamos comer e enquanto esperávamos ele me entregou a sacola e disse: - Você está vendo aquela lixeira ali na frente? - Sim!!... Respondi. - Quer deixar todos os seus clientes para virar minha mulher? Se quiser, jogue seu celular dentro dela e pegue este novo que comprei para você e está aí dentro. Sem esboçar reação alguma, fiquei paralisada pôr minutos, não pensei duas vezes e joguei meu celular dentro daquela lixeira!! E por fim o meu pior cliente em termos, que foi um dos mais babacas no início, que passou em minha vida.. Jamais imaginaria que se tornaria MEU HOMEM. 🔥QUEM LEU DÁ UM UP🔥

esse texto não é sobre ti, e sim sobre mim.

pensar em te ter alimenta esperanças que eu nem deveria criar. eu acho que nunca poderiamos ter nos apaixonado, levando em conta que tu vives na Terra e eu no mundo da Lua. nós nunca poderiamos ter nos apaixonado sem nunca termos nos visto. mas há quem diz que o amor é cego e eu concordo.

eu acho que nunca te conheci de verdade e tudo que eu sempre vi era uma ilusão tua feita de palavras bonitas e carinhos falsos. já não sei se tudo o que aconteceu entre a gente foi só tempo jogado fora ou se realmente valeu a pena.

nem sei por que ainda me pego pensando nisso, sendo que tu deves ter tua cabeça estocada com outras coisas agora. coisas mais importantes e com maior valor do que eu. coisas mais bonitas e polidas. coisas que se igualem à ti.

o real problema de eu não ter conseguido me recuperar de tudo, tem a ver comigo. a culpa é minha, só minha e nunca te pertenceu. porque tu estavas afim de ir embora e tu apenas foi e eu ainda tô aqui esperando tu voltar (mesmo sabendo que tu não vai).

e eu penso que talvez eu não tenha sido suficiente (porque eu nunca sou). mesmo eu tendo dado tudo de mim e me esforçado. e tentado ser tudo pra ti.

eu apenas não era.

quando tu sumiu eu deixei tu levar um pedaço meu junto e deixar muito de ti aqui comigo. e a culpa disso é minha. e o pior de tudo é que eu ainda guardo tudinho que tu deixou.

a culpa permanece comigo.

eu comecei a ouvir tudo o que tu ouvias, eu comecei a falar tudo o que tu falavas, eu comecei a escrever tudo que tu escrevias e eu não me dei conta, agora eu não consigo me livrar disso (desses pequenos fragmentos teus). e a culpa é minha.

me pego de novo escrevendo sobre tudo isso, e me pergunto por que? me pergunto se tu sabes a resposta.
[…] mesmo sabendo que tu nunca sabes de nada.
[…] e que tu nunca entendeu nada.
[…] e até agora não entende.

mas pelo menos, eu entendi
que a culpa é minha.
e tudo isso, meu amor,
deixou de ser sobre você
à tempos.

Bárbara Xavier

Ficar sentado durante dias, horas de medo incomunicável, o medo se abrindo no meio do peito como um grande botão em flor, não se podia analisar o que estava acontecendo, imaginar o porquê de tudo aquilo, o que tornava as coisas ainda piores. Horas sentado em uma cadeira no meio de um quarto passam rápidas e impactantes. Cagar ou mijar são esforços tremendos, sem sentido; pentear o cabelo ou escovar os dentes: atos ridículos ou insanos. Cruzar um mar de chamas. Ou servir água em um copo para beber: parece que você não tem direito mesmo a um ato simples como esse. Decidi que estava louco, imprestável, e isso fez com que eu me sentisse sujo. Fui à biblioteca e tentei encontrar livros sobre o que fazia com que as pessoas se sentissem do jeito que eu estava me sentindo, mas os livros não estavam lá, ou, se estavam, eu não podia compreendê-los. Ir até a biblioteca não era nada fácil: todos pareciam tão confortáveis, os bibliotecários, os leitores, todos menos eu. Tive dificuldade até mesmo para usar o banheiro da biblioteca… os vagabundos lá dentro, as bichas me olhando mijar, todos pareciam mais forte do que eu… despreocupados e seguros. Continuei saindo de casa para caminhar, atravessava a rua e subia uma escada em caracol de um prédio de concreto onde eram estocadas milhares de caixas de laranjas. Uma placa no telhado de outro prédio dizia JESUS SALVA, mas nem Jesus nem as laranjas valiam o esforço de subir aquelas escadas e entrar naqueles prédios de concreto. Eu não podia deixar de pensar que ali era o meu lugar, dentro de uma tumba de concreto.
—  Charles Bukowski.
Odiaba esa boca. Sus curvas, aquellos dientes alineados, su estocada letal al tiempo cuando lo congelaba. Odiaba aquel cuello, los hombros y el torso firme y altivo. Odiaba sus caderas, sus muslos y sus pantorrillas. Sus brazos, sus manos, sus pies y sus dedos. Aquellas uñas esmaltadas. Las odiaba todas. Odiaba aquel recuerdo, la máscara de lo inconsciente, lo que me hacía actuar de manera disoluta cada vez que la soñaba. La odiaba a ella, quizá porque era mi manera de quererla. Odiándola. Para que no me doliese luego cuando se fuera. Para que al irse me llevara consigo. Para que no se le ocurriera volver sin intenciones de quedarse para siempre. La odiaba sin temor ni mesura, sin más ardor que el frío de un te quiero apagado. La odiaba porque seguro que me odiaba a mí mismo tanto como para no admitir que por ella hubiese entregado hasta la vida. La odié entonces, porque viví por ella y me olvidé del resto. De aquello que realmente me mantenía vivo. La odié por llegar, no por hacerme olvidar de todo. La odié por existir luego de haber agradecido que lo hiciera. Y la odié de nuevo. Su boca injusta, sus ojos que nunca me miraban. Sus hombros y sus muñecas, las costillas que se insinuaban bajo su piel desnuda. Sus pretextos y razones, su maldita forma de celarme, de mantenerme aguardando un algo que nunca llegaba. De hacerme oír la lluvia en mitad de un desierto. De decirme que iba a quedarse y de no aparecer al día siguiente. Ese abrir y cerrar de ojos. El sí y el no escritos en una misma línea. La odiaba a ella. Su vida y la mía. El que no hubiésemos sucedido nunca.
—  Heber Snc Nur

anonymous asked:

como seria o sexo perfeito pra vc?

Bom um sexo perfeito pra mim seria… Em uma viagem pra um lugar lindo, uma casa de praia, só eu e ela, um casal apaixonado, a gente acordando, um por do sol lindo, ela toda linda, de calcinha e uma blusa minha, eu de samba canção sem nada por baixo, ela me acorda da um sorriso gostoso, me da um beijo no rosto e vai ao banheiro, eu levanto e vou atrás logo em seguida, ela se olhando no espelho quando chego por traz e a elogio, falo que ela esta linda, e dou uns beijos no pescoço dela, ela sorri e manda eu para ,falando que esta cedo pra isso, digo que nada e cedo ainda mais com esse sol lindo nascendo em nosso quarto, ela se vira e concorda, começamos a nos beijar , beijos lentos, sem pressa, com mordidas seguidas de sorrisos, a gente abraçados , naquele clima gostoso.

Ela decide ir para o banheiro, vou logo atrás mais antes ligo o som, e boto uma musica leve, romântica, para o nosso momento, chego ela esta lá toda linda, nua em minha frente com o corpo molhado, vou entrando devagar, acariciando seu corpo, me conectando a ela, beijando seu corpo, suave, sua boca, dando mordidas, vou ensaboando suas costas, dou um tapa de leve em seu bumbum, ela diz que adora, com um sorriso malicioso, encostamos nossos corpos, sentindo ela colada a mim como se fossemos único, desligo o chuveiro e nos enxugamos , quando saímos do banheiro tiro a toalha de seu corpo e a coloco na cama, ficando por cima, percorro minhas mãos sobre seu corpo, a beijando forte, beijando seu pescoço , fazendo o tesao aumentar entre a gente.

Beijando seu corpo, vou percorrendo seu corpo, chego a seus seios e começo a passar minha língua ao redor do bico, dando mordidas de leve, apertando os dois, olho nos seus olhos e dou um beijo, descendo mais a boca, abro suas pernas, vou mordendo sua coxa, mordendo de leve , cada vez chegando perto da sua buceta, olho nos olhos dela e vou beijando sua buceta, beijos molhados , vou passando minha língua levemente, subindo e descendo, começo a chapa-la , sentindo seu gosto, sugando seu clitóris, arranhando suas pernas, ela vai ficando louca de prazer, dando gemidos leves, vou chupando com mais intensidade a sentindo cada vez mais, ela segura meu cabelo e pede mais, vou enfiando um dedo, e chupando gostoso, sentindo cada parte sua, depois 2 dedos, ele geme alto , aumento a velocidade , ela não aguenta de prazer, quando tiro meus dedos ,estão muito molhados, ela tinha gozado.

Dou um sorriso e vou e direção a sua boca, dando beijos molhados, ela me vira e vai passando a mão no meu corpo ate chegar ao meu pau, vai sentindo ele ficando duro , me olhando ela vai descendo, vai beijando ele, aquilo me deixa louco, vai massageando minhas bolas, e batendo uma pra mim, passando a língua de leve, me olhando, ela vai sugando a cabeça pra dentro de sua boca, fecho os olhos sentindo aquilo, sentindo sua boca molhada e meu pau quente, ela vai me chupando rápido, me masturbando, quando ela bota tudo na boca eu seguro sua cabeça, aquilo me leva as loucuras , solto e vejo meu pau todo babado, faço mais vezes e não aguento gozo de prazer.

Estávamos relaxados mais queríamos mais, ela deitada de bruços, vou olhando seu corpo, e beijando, vou abrindo suas pernas e começo a passar meu pau na sua buceta , aquilo era gostoso, enfiava e tirava , ela pede pra mim colocar tudo, seguro na cintura dela e vou colocando devagar, dando tapas na sua bunda gostosa aquilo vai ficando gostoso, vou mais rápido, ela vai gemendo, tiro e viro ela de frente , ficando no papai e mamãe, enquanto beijo sua boca, vou enfiando gostoso, suas pernas se entrelaçam na minha cintura, seguro na parede e aumento a velocidade, sinto suas unhas percorrerem minhas costas, vou metendo gostoso, ate que ela me vira fico deitado, ela da uma chupada no meu pau e vai encaixando devagar , e começa a quica , dando umas reboladas gostosa, de todos os jeitos, linda e gostosa, aquilo me excita

Estando preste a gozar a coloco de quatro e começo a meter com força. Deixando sua bunda vermelha com meus tapas, puxo seu cabelo, fazendo ela gemer pedindo pra gozar , seguro na sua cintura e dou uma estocada com força , não aguento , gozo gostoso , e sinto tudo molhado , ela tb tinha gozado, mortos ficamos ali na cama observando o sol, dando beijos, e curtindo o momento , depois de um bom sexo

Making sex with Ten, Yuta, Taeyong, Johnny and Jaehyun. (Fazendo sexo com esse povo aí)

Ten: Would totally use his flexibility against you. Would be always open to try new things in the bed. Very loud. I feel like Ten is a natural sub, but wouldn’t mind taking control once in a while. // Usaria totalmente sua flexibilidade contra você. Seria sempre aberto para tentar coisas novas na cama. Muito barulhento. Eu sinto que Ten é um sub natural, mas não se importaria de tomar controle de vez em quando.

Originally posted by chanceyeoi

Yuta: Very dominating. Even if you was riding him, he would still have control over you. Would bite, suck and squeeze you all over. This boy just can’t keep his hands off you. Would use a lot of pet name with you. Also a lot of smirks so beware. // Muito dominante. Mesmo se você estivesse sobre ele, ele ainda teria controle sobre você. Iria morder, chupar e apertar você toda. Esse homão da porra simplesmente não consegue manter as mãos longe de você. Usaria um monte de nomes carinhosos com você. E um monte de sorrisos maliciosos então cuidado.

Originally posted by yu-gyummy

Taeyong: Sex with Taeyong would be either wild as fuck or very romantic. No between. Totally has a roleplay kink. His eyes burning in your body, his hands gripping on your hips. His deep voice saying curse words or sweet nothings in your ear. He’d always make sure that you were comfortable though. // Sexo com Taeyong seria selvagem pra caralho ou muito romântico. Nada além disso. Totalmente tem um kink de roleplay. Os olhos dele queimando em seu corpo, as mãos dele agarrando em seus quadris. Sua voz profunda dizendo palavrões ou palavras doces no ouvido. Entretanto, ele sempre se certificaria de que você está confortável.

Originally posted by yoon-to-the-oh

Johnny: Lazy hip thrusts. I feel like Johnny have a spanking kink ‎but that’s only my thirsty ass talking don’t mind me. Sometimes he will joke saying things like “oh mama” just to make you blush because he thinks it’s cute. Prefers the doggy style because as I said spanking kink. // Estocadas preguiçosas. Eu sinto como Johnny tem um spanking kink mas isso é só minha bunda sedenta falando não ligue pra mim. Às vezes ele vai brincar dizendo coisas como “oh mama” só para fazer você corar porque ele acha que é fofo. Prefere a posição ‘cachorrinho’ porque como eu disse spanking kink

Originally posted by nakamotens

Jaehyun: Jaehyun would drive you crazy. Saying dirty things while having the most innocent face ever. He you caress your body kissing you all over. Fingering you would be his favorite thing because he would love to see how he can make you squirm and scream using only his fingers. // Jaehyun te deixaria louca. Dizendo coisas safadas enquanto faz a cara mais inocente do mundo. Dedilhar você seria a coisa favorita dele porque ele adoraria ver como ele pode fazer você se contorcer e gritar usando apenas os dedos.

Originally posted by jaehyunsource

- Adm Boonon -

quero transar com você ouvindo Tame Impala, escorrendo meus dedos pelos seus pelos enquanto percorro seu corpo com a minha língua em fogo e sede, quero espremer sua pele contra a minha e ouvir o som dos deuses que antecede o gozo e mata as preliminares, escuta o que eu não te falo em palavras, o que eu te grito em gestos, voltando e indo, caindo e subindo, espremida contra a parede azul borrada do teu quarto. corre o teu semen pelas minhas veias, esgota o teu suor pingando no meu peito nu, vasto e devastado, e saiba que o que eu quero não tem nome nem lugar, não cabe no espaço entre a respiração e um espasmo, não cabe na minha boca miúda e nem nas estocadas fortes, o que eu quero não se chama, só vê vir vindo e se afoga, de alma completa, de perna tremendo, de corpo inerte e flutuante, eu matei o amor, mas pari um gozo no céu da tua boca.

céu

Imagine com Zayn Malik

Esse imagine vai ter um final alternativo, amanhã eu posto o outro final! Boa leitura!

– Uau, que milagre. – Abri a porta com um sorriso cínico. – Sua namorada te deu um pé na bunda de novo?

– Não começa. – Falou entrando no meu apartamento e se jogou no sofá.

– Depois de meses sem aparecer, ou dar qualquer tipo de notícia, Zayn Malik aparece no apartamento da melhor amiga, bacana, bem bacana. – Ainda falava com um irônico. – Quem que foi que terminou dessa vez?

– Eu. – Suspirou. – A vadia estava me traiu com o ex dela, dá para acreditar?

– Sim. Faz bem o tipo dela. – Dei ombros. – Fazer o que né? Infelizmente é a vida. Um dia metemos o chifre na cabeça de alguém e no outro alguém mete um chifre na nossa cabeça.

– O que você está insinuando? Eu não traí você. – Levantou-se do sofá com agressividade. – Para começar, não tínhamos nada.

– Não tínhamos nada, Zayn. Mas eu esperava um pouco de respeito da sua parte. – Fiquei na sua frente. – Você sabe muito bem dos meus sentimentos por você e mesmo assim não pensou duas vezes em transar comigo e depois ir embora, como se nada tivesse acontecido. – Cruzei os braços. – E ainda volta com a ex e some por meses. Então se você pensa que isso vai acontecer de novo, pode dar meia volta e sair da minha casa. 

 – Me desculpe…. Eu não sabia que você iria ficar assim. 

 – Tudo bem, Zayn. Eu adoro ser usada. – Sorri falso. 

 – Para de me tratar assim, porra.  – Falou bravo.  – Eu quero te amar da mesma intensidade que você me ama, mas eu não mando nos meus sentimentos. 

– Eu sei, Zayn. Você realmente acha que eu escolhi me apaixonar pelo meu melhor amigo?  – Dei uma pausa.  – Porra, nos conhecemos desde quando?

– Desde os 9 anos.  – Completou. 

– Então, infelizmente, eu continuo sendo apaixonada por ti, mesmo depois de todas as merdas que você fez comigo. – Meus olhos lacrimejaram. – Você é muito cruel comigo, Zayn.

– Me desculpe, eu não queria que fosse assim. – Tentou me abraçar, mas eu o empurrei.

– Não queria que fosse assim, Zayn? – Falei indignada.

– Eu quero te amar. – Suspirou. – Mas eu não consigo. Você não sabe o quanto isso me machuca.

– Você nunca tentou me amar, Zayn, você apenas brincou com os meus sentimentos. – Senti uma lágrima descendo pelo meu rosto. – Você não se importou em me usar e depois me abandonar, me tratar com indiferença quando estava com a sua ex. – Limpei as lágrimas. – Mas se você quiser tentar, eu vou estar aqui. Pronta para você.

– Eu não quero te machucar. – Suspirou. – Você sabe que eu vou fazer isso.

– Mas eu não me importo, Zayn. Contanto que você me ame e cure essas feridas que está aqui dentro. – Apontei para o meu peito. – Eu posso amar por dois, até você conseguir me amar, eu posso fazer isso por nós dois, Zayn. É só dar uma chance para nós.

– Eu não posso fazer isso com você. – Abaixou a cabeça. – Eu sinto muito. – Me olhou. – Eu só vou te machucar mais ainda. – Suas mãos quentes pousaram no meu rosto. – E eu te amo demais para fazer isso.

– Me dê amor como nunca antes. Porque, ultimamente, eu tenho desejado mais. – Meus lábios já estavam relando nos seus.

– Talvez você deveria me deixar ir. – Segurou minha cintura. – Mas eu sei que você pode fazer o que ela nunca fez. – E por fim me beijou.

Dessa vez o beijo foi mais profundo e doce, com uma mistura de sentimentos, raiva e amor. Suas mãos foram parar na minha nuca, me puxando para mais perto, enquanto eu levei uma das minhas para o seu cabelo, dando leves puxadas.

– Eu quero você. – Zayn sussurrou ofegante contra os meus lábios.

– Você me tem. – Disse e ele sorriu.

– Eu quero fazer amor com você. – Me pegou no colo e foi em direção ao meu quarto. – Eu quero amar você. – Me deitou na cama com delicadeza.

Zayn beija meu pescoço, me fazendo dar suspiros, puxou a blusa de pijama que eu estava e sorriu quando viu que eu estava apenas de blusa e calcinha. Tirou minha calcinha e então eu fiquei totalmente nua em sua frente, me olhou e cima a baixo e deu outro sorriso.

– Você é tão linda. – Falou baixo e atacou meus seios.

Zayn chupava um enquanto massageava o outro, eu dava gemidos baixos por conta do prazer que já estava sentindo. Foi descendo os beijos até chegar na minha virilha, onde deu uma mordida fraca lá, gemi. Zayn me olhou com um sorrisinho malicioso e passou dois dedos na minha vagina, que já se encontrava totalmente molhada.

– Sempre pronta para mim. – Falou com a voz rouca.

Zayn não disse mais nada, apenas tirou sua roupa, liberando o membro já duro.

– Posso amor? – Segurou seu pênis e enfiou a cabecinha na minha vagina.

– Vai logo, por favor. – Digo entre gemidos quando ele passa o pau no meu clitóris.

Zayn sem mais delongas enfiou em mim com vontade, fazendo movimentos lentos e fundos.

– Ah porra. – Urrou enquanto metia lentamente.

Zayn abaixou-se ficando na altura do meu rosto e começou me beijar.

– Me desculpe, mas eu não consigo fazer assim. – Disse ofegante e então segurou na minha cintura e aumentou os movimentos, estocando fundo e rápido, me fazendo gemer alto.

– Me faça gritar, garoto. Me fode. – Gemi alto. – Zayn segurou meu pescoço, como se fosse me enforcar e começou a me foder forte, suas estocadas eram brutas e longas, me fazendo revirar os olhos de prazer. – Eu já estou quase.

– Goza no meu pau, cadela. – Segurou minhas pernas e as colocou em volta de sua cintura, apoiou-se na cama e metendo mais rápido, me fazendo gozar. – Eu preciso te foder de quatro, amor. - Tirou seu pênis de dentro de mim, gemi em reprovação. – Você sabe o quanto eu amo ver você tão vulnerável a mim.

Em um movimento rápido Zayn me colocou de quatro e se posicionou atrás de mim.

– Empina mais. – Falou rápido e então eu deitei minha cabeça no colchão, ficando com a bunda totalmente empinada para ele. – Que visão maravilhosa. – Abaixou-se e mordeu minha bunda. – Caladinha. – Sussurrou no meu ouvido e então enfiou seu pênis na minha buceta com brutalidade.

A cada estocada, Zayn gemia no meu ouvido, como se quisesse me provocar. Deixei escapar um gemido baixo e então ele me deu um tapa forte e ardido. Levantou-se segurando fortemente em minha cintura, aumentando a força das estocadas.

– Como você é apertada, amor. – Estocou forte. – Eu estou no paraíso. – Urrou e segurou meus cabelos em um rabo de cavalo. – Goza gostoso no meu pau, de novo. – Deu outro tapa em minha bunda.

– Ah meu Deus. – Gritei quando gemi pela secunda vez em seu pau.

Zayn com brutalidade me virou para ele e enfiou seu pau na minha boca, fodendo a minha boca fortemente, me fazendo engasgar algumas vezes e em segundos ele gozou na minha boca. Segurou minhas bochechas me levantou fazendo ajoelhada na sua altura.

– Minha puta. – Deu um tapinha no meu rosto e me jogou na cama de bruços. – Agora eu vou gozar dentro. – Avisou e deu um tapa na minha bunda.

Zayn enfiou o membro ainda duro na minha vagina, estocando rapidamente, enquanto segurava minha cintura fortemente. O jeito que ele me fodia era surreal, ora batia na minha bunda e ora puxava meu cabelo, me deixando com mais tesão.

– AH VAGABUNDA, GOSTOSA DO CARALHO. – Apertou minha bunda e eu fui atingida por um jato.

– Me fode gostoso assim, Zaddy. – Gemi segurando os lençóis e ele deu mais duas estocadas fundas e eu gozei, pela terceira vez naquele dia.

Acordei nua deitada na minha cama, sozinha, novamente. Olhei para o relógio que marcava 21:45 da noite, levantei e coloquei a blusa que eu usava antes de transar com ele.

– Zayn? – Chamei seu nome quando cheguei na sala e não tive respostas.

Ele havia feito de novo, transou comigo e depois me deu um pé na bunda. Suspirei e me joguei no sofá, lágrimas já caiam pelo meu rosto, como eu pude ser tão burra?

Três meses se passaram depois daquele dia, fiquei sabendo por uma das minhas amigas que o Zayn voltou com a ex dele, confesso que fiquei triste, mas não surpresa. Liguei para ele várias e várias vezes, mas ele apenas ignorava, foi então que eu decidi me livrar daquele amor, eu ainda o amo muito, mas não com aquela intensidade de antes, eu desisti de Zayn, comecei a pensar mais em mim, comecei a me amar.

Terminei de empacotar as coisas que faltavam e ouvi meu telefone tocando. Peguei o mesmo que estava no meu bolso e o nome de Zayn aparecia na tela. Uau.

“– Eu não gosto de intriga. – Comecei. – Mas eu vi sua namorada com o seu amigo, trocando beijo, sem nenhuma preocupação.
– Eu sei. – Suspirou. – Ela terminou comigo.
– Por que será que não estou surpresa? – Ri. – E o por que me ligou?
– Eu…. Eu não sei, sinto sua falta. – Gargalhei.
– Você quer que eu fale o que? – Ouvi ele fungar do outro lado da ligação. – Está chorando, Zayn?
– Eu sou um idiota, me desculpe. – Deu uma pausa.
– Era só isso? Vou desligar, tenho muitas coisas para fazer.
– Não. Por favor, eu te amo e estou completamente apaixonado por você. - Gargalhei alto.
– Você está brincando com a minha cara, só pode. – Fungou mais uma vez.
– Eu não estou, eu juro. Eu te amo de verdade.
– Eu estou indo embora, Zayn. E nunca mais vou voltar, então eu espero que você suma da minha vida para sempre. Adeus. – Estava pronta para desligar o telefone quando ele gritou.
– ESPERA! Eu vou no seu apartamento para conversarmos melhor.
– Já sabe se me procurar vai ser pior. Eu não quero ver você nem pintado de ouro, vai para o inferno.
– Por favor, acredita em mim, eu te amo.
– Isso não é problema meu. – E então desliguei.”

Eu estou livre desse amor que tanto me machuca.

Tenho todo o discurso gravado, depois de repetir mil vezes sozinha no quarto tudo que preciso falar mas não sai uma palavra, nenhuma palavra sequer. Tenho a sensação que vou explodir, literalmente explodir, com tanta coisa guardada, estocada, engolida aqui dentro. Tenho a vontade absurda de falar, falar, falar e falar, por horas, tudo que ta aqui e me afeta. Tenho dias ruins que conseguem ser os piores, dias que a vontade é de deixar de existir só um pouquinho e ficar na inércia. Tenho em mente a necessidade de resolver os problemas que existem, os que ainda não existem e os que nem vão existir. Tenho que gritar mas fico em silêncio. Tenho muito mas sou pouco.
Take me to the shower - Taehyung
  • Categoria: Smut // Mature  
  • 1710 palavras
  • Aviso: Conteúdo de sexo explicito 
  • Pedido feito por: @ghowys

– Estou indo tomar banho, - disse levantando do sofá dando um tapinha na perna de Tae que tinhas seus braços ao meu redor - quer ir no banheiro ante que eu entre?

– Bom, não… Mas eu posso tomar banho com você.

– Ah não, - respondi respirando fundo - não começa. 

– O que? Porquê? 

Keep reading

Pedido: Meu pedido é com o Liam, que ele compra ela que é virgem pra ser a “escrava sexual” dele e também pra cuidar da casa e arrumar tudo mas eles acabam se apaixonando - Anônimo

A PRIMEIRA PARTE SE ENCONTRA >>AQUI<<

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*

PARTE 2

Imagine do Liam

Depois que eu terminei de arrumar a casa, Marie não me deixou em paz, ela queria que eu me aprontasse logo para me encontrar com o Liam. Confesso que estou curiosa, mas ao mesmo tempo com receio.

- Vá tomar seu banho, já está de noite, vista sua roupa de dormir e espere dentro do quarto do Senhor Payne – Ela diz me empurrando delicadamente para meu quartinho no fundo da casa.

- Marie, eu não quero – Digo fazendo bico.

- Menina, você não tem querer, não deixe o senhor Payne com mais raiva de você, ele pode te matar e matar a mim por não ter educado você durante esses dias, vá logo – Ela diz e eu assinto e vou para meu quartinho.

Tomo um banho demorado para tirar o suor e quando termino visto meu vestido de dormir e penteio meus cabelos.

Marie aparece na porta do meu quarto.

- Ótimo, venha comigo – Ela diz segurando minha mão e me levando em direção ao quarto de Liam.

Quando chegamos lá, entro e percebo que ele ainda não chegou, graças a deus.

Me sento na cama dele por um tempo, então me levanto e caminho até a janela e observo a lua enorme que enfeita o céu.

- Você fica muito bonita com a luz da lua sobre a sua pele – Escuto Liam falar atrás de mim e eu me assusto – Que bom que veio – Ele diz passando as mãos pelos meus braços.

- Só vim porque Marie me obrigou – Digo e Liam sorri de lado.

- Bom, o que eu queria conversar com você é sobre sua teimosia – Liam diz e eu reviro os olhos.

- Liam… – Tento falar mas Liam me virar para ficar de frente para ele.

- Apenas sinta… – Ele diz e suas mãos passam pela minha pele, passam pela minha barriga devagar e eu começo a respirar com mais dificuldade – Se você não sentir prazer hoje eu te liberto, mas se você gozar pode ter certeza que será minha – Liam diz e eu travo, eu preciso demonstrar que estou odiando – Mas para isso vai ter que me deixar tocá-la, você deixa (S/n)? Aceita esse desafio? – Ele pergunta e eu assinto, eu vou conseguir não sentir nada, eu detesto Liam Payne.

Liam abaixa as alças do meu vestido e a roupa cai aos meus pés. Fico apenas de calcinha na frente dele e isso me deixa envergonhada. Liam me encara e percebo que seus olhos ficaram mais escuros.

- Você é maravilhosa, fiz certo não deixar aqueles homens olharem para tal vista – Ele diz e passa o polegar no meu mamilo, sinto minha intimidade apertar. Oh Deus, o que está acontecendo?

Liam percebe que eu estou sentindo algo e sorri para mim, ele usa a outra mão e aperta devagar meus seios, mordo meu lábio e fecho os olhos.

- Muito bem, boa garota – Ele sussurra próximo ao meu ouvido.

Do nada ele me pega no colo e me coloca deitada na sua cama.

- Agora vem o maior desafio, espero que esteja pronta, porque irei provar o seu sabor – Liam diz e eu fico confusa, o que ele vai fazer?

Ele retira minha calcinha e abre minhas pernas, fico mortificada, meu rosto está em brasas.

- O que você vai fa… – Eu ia perguntar, mas eu sou interrompida ao sentir a boca de Liam se fechar sobre meu clitóris.

Solto um gemido arrastado e minha mão vai para o cabelo dele.

Liam chupa devagar minha intimidade e sua língua me penetra lentamente me fazendo suspirar alto.

- Seu gosto é magnifico – Liam diz e em seguida ele aumenta as sucções no meu clitóris e eu começo a gemer mais. Eu não estou conseguindo me controlar.

Então do nada sinto o dedo dele me invadindo e me penetrando e esse foi o estopim para meu prazer, eu tenho um orgasmo pela primeira vez e foi maravilhoso.

- Parece que você é minha agora – Liam diz e eu louca pelo prazer que acabei de sentir puxo ele para cima do meu corpo e o beijo com vontade e ele corresponde a altura. Liam me prende ao seu corpo e me abraça pela cintura.

- Por favor… – Sussurro com minha boca colada a dele.

- O que você quer, (S/n) – Ele pergunta me encarando com luxuria.

- Quero senti-lo dentro de mim – Digo e Liam sorri malicioso.

- Irá doer, mas farei delicadamente – Ele diz, Liam se levanta e retira toda a sua roupa, eu encaro seu membro e fico assustada por saber que aquilo irá entrar em mim, irá doer muito.

Ele abre minhas pernas e se deita por cima de mim, sinto seu membro me pincelar, ele esfrega a cabeça do seu pênis no meu clitóris e eu solto um gemido.

- Se doer arranhe minhas costas, eu não irei parar agora – Ele diz e eu assinto.

Sinto ele começar a me penetrar, começa como uma ardência e depois vem a dor forte, deixo um gemido de dor escapar e minhas unhas se afundam nas costas de Liam.

Ele me beija com vontade e me acaricia toda até eu esquecer da dor. Liam começa a me estocar devagar, respiro fundo até perceber que meu corpo acompanha o ritmo do dele e então ele aumenta as estocadas e eu começo a sentir prazer. Eu e ele começamos a gemer juntos, Liam me aperta junto e ele e mantem o contato visual comigo, sinto como estivéssemos sendo interligado por uma fita invisível.

- Você é tão apertada, oh deus, sinto que a qualquer momento eu vou gozar, não estou conseguindo me controlar com você – Ele diz e me penetra com força e atinge um ponto meu sensível e eu chego ao meu orgasmo soltando um grito de prazer, sinto um liquido quente me invadir e percebo que Liam gozou junto comigo, ele solta uns gemidos roucos perto do meu ouvido e isso me deixa excitada.

Liam sai de cima de mim e nos dois ficamos encarando o teto.

Eu perdi a aposta.

Me viro de costas para ele e respiro fundo.

Depois dessa noite que eu tive com Liam muitas coisas mudaram, o jeito que ele me tratava era diferente de como ele trava as outras pessoas, ele me trocou de quarto e me colocou em um próximo ao seu, comprou novas roupas e sapatos, quando ele perguntou qual era meu maior sonho além de ser livre eu disse que seria começar minha faculdade de medicina e ele disse que ia cuidar disso para mim. Além disso, ele me leva para sair toda noite e quando voltamos temos incríveis noites de sexo.

Marie veio até mim e sorriu.

- Ah minha querida, acho que você está conseguindo entrar no coração de gelo do Senhor Payne – Ela disse e eu fiquei confusa.

- Ele não é tão ruim assim, só quero que ele me liberte para eu poder ficar completa – Digo e ela sorri.

- Ele tem medo que se der a liberdade para você, você vá embora e o deixe, Liam já sofreu muito com abandono por isso que ele é assim com você, ele vai deixar você cursar uma faculdade, ele nunca fez nada disso para nenhuma outra escrava – Marie diz e eu fico pensativa.

Quando ficou a noite Liam me levou para jantar, nos dois já estávamos saindo do restaurante quando começa um tiroteio, Liam me puxa para trás do seu corpo me livrando de levar alguns tiros, nos dois corremos para trás de um carro, enquanto os seguranças dele revidavam o os inimigos.

- (S/n) preste atenção, você vai direto para o carro me escutou, ele é blindado, quero você segura lá dentro, me espere, não saia de jeito nenhum lá de dentro por favor, me ouviu? – Ele diz e eu assinto – Te darei cobertura, vai – Ele diz e eu saio correndo até o nosso carro,      quando finalmente abro a porta sou acertada com um tiro no meu ombro e caio para trás, escuto grito de Liam e o tiroteio parece se intensificar mais. Passa poucos minutos e eu pressiono o meu ferimento, minha mão fica suja de sangue, percebo que os barulhos de tiros cessaram. Liam vem correndo na minha direção, eu começo a me sentir tonta e vou caindo até sentir ele me segurando.

- (S/n) vai ficar tudo bem, olhe para mim, vai ficar tudo bem, você não vai morrer, você não pode morrer, porra, (S/n) eu te amo, não me deixe, eu te amo – Liam diz me abraçando – RÁPIDO VAMOS LEVAR ELA PARA O HOSPITAL AGORA, VAMOS – Liam grita e me segura no colo. E então eu desmaio

Acordo sentindo meu ombro doer.

- Finalmente você acordou, fiquei muito preocupado – Escuto Liam falar do meu lado – Tenho algo para contar pra você, (S/n) você sempre foi livre, eu nunca comprei você, eu apenas te tomei para mim, me desculpe pelo o que fiz com você, mas quando te vi totalmente desprotegida naquele palco eu senti que não poderia deixar você lá, então como sou o dono de tudo, eu apenas te tomei pra mim, se você quiser ir embora eu aceitarei a sua decisão – Liam diz e eu suspiro.

- Eu também te amo – Digo com a voz falha e Liam me encara surpreso e em seguida dá um sorriso.

- Eu te amo mais do que eu pensava que era possível amar alguém, não se preocupe porque agora que eu sei quem tentou te matar eu irei atrás dele até o inferno, ninguém ousará encostar em um fio de cabelo seu – Liam diz e se deita ao meu lado e assim eu me sinto mais segura

Espero que tenham gostado, se sim, deixem uma ask me contando

*Os favoritos são importantes, então se gostou deixa seu fav lindo aí ;D

Pedido: Faz um imagine hot cm o Styles q eles estao a um tempo sem se ver pq os dois são cantores e quando se encontram matam toda saudade e desejo q sentiam, no outro dia ela é vista cm marcas no pescoço e sai em todo site de fofoca - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Harry Styles:

Já fazem três meses que não a vejo, é tão difícil ficar três meses longe da pessoa que você ama. E o pior, S/n vive me provocando, nem que seja pela ligação do telefone onde ela solta alguns murmúrios baixos ou geme o meu nome, quando ela vai sair e me manda uma foto com a roupa que vai usar no dia -nunca esquecendo de colocar algo bem provocante e fazer poses-, quando estamos nos falando por facetime, webcam ou chamada de vídeo e ela me provoca me fazendo ficar com uma puta de uma ereção. Mas quando nos encontrarmos, eu não vou deixar barato.

(…)

Após mandar uma mensagem avisando que eu já estava a esperando na parte de desembarque, vi minha garota correndo na minha direção e pulando em mim me fazendo a segurar pela cintura e a levantar do chão.

-Harry…amor…que saudade!
S/n falava afobada enquanto distribuía beijos por todo o meu rosto e enfim chegando na minha boca. Quando ela parou e começou a me encarar como se pedisse permissão, eu me perdi em seus olhos e só acordei quando senti o leve gosto de menta na minha boca. Seus lábios se chocando contra os meus, me causando arrepios. Seu beijo me fazia esquecer de tudo, até mesmo as duas horas de avião, as quatro horas que fiquei sem dormir, a minha mala que eu havia esquecido no hotel e tive que voltar para a pegar, tudo, ela me mantém calmo.

-Acho que precisamos ir comer logo, minha barriga já está roncando.
S/n falou assim que separou nossos lábios recebendo um resmungo de minha parte pela falta de contato.

-Ok. Vou pedir para o motorista deixar nossas malas no hotel e daí nós vamos comer em algum restaurante aqui perto.
Falei e ela assentiu. Entrelaçamos nossas mãos e caminhamos para a parte de fora do aeroporto onde meu motorista nos esperava.

(…)

S/n resolveu que queria comer em uma lanchonete simples, e então pedimos ambos um sanduíche.

-E então…como foi sua apresentação ontem? Quero dizer, eu vi pela TV mas ainda sim quero saber como foi para você.
Sorriu amigável logo dando um gole em sua bebida.

-Foi normal, eu amei me apresentar e não me senti tão nervoso quanto nas outras.
Respondi simples e entrelacei nossos dedos por cima da mesa.

S/n sorriu e deixou um beijinho na minha mão.

Nosso pratos chegaram e nós começamos a conversar sobre como foram nossas vidas nesses últimos três meses, até que me veio uma ótima idéia.

-Eh…meu Deus você estava tão gostoso naquela roupa!
S/n falou se referindo a roupa que eu usei na entrevista para a Quotidien. Sorri maliciosamente. Agora que eu iria me vingar, por todas as sua provocações.

-Sabe que eu senti sua falta…queria que estivesse lá para tirar minha roupa depois da entrevista.
Falei na maior cara de pau e a mesma corou.

-Estamos em uma lanchonete.
S/n sussurrou para mim e eu ri.

-Eu sei amor. Mas eu ainda nem mencionei nossa vida sexual, aliás, poderíamos dar uma rapidinha ali no banheiro, não acha?
Falei e vi o casal da mesa ao lado nos olhar estranho, lancei um sorriso amigável aos mesmos e logo eles voltaram a comer.

-O que deu em você?
S/n falou entre dentes e eu só tive vontade de rir.

-Nada, sabe como eu também fico gostoso?
Sussurrei e S/n negou com a cabeça. Me aproximei mais da mesma.

-Quando fazemos amor, lento e apaixonado e eu sei o quanto você gosta quando eu sussurro o quanto você é perfeita para mim.
Sorri quando vi o que minhas palavras lhe causaram, sua respiração estava ofegante e podia sentir suas pernas trêmulas enquanto seu olhar não se desviava do meu, nem por um segundo.

-Har-…
S/n engasgou com suas próprias palavras e eu sorri ainda mais.

-Não precisa falar nada, poupe sua voz para quando você for gritar o meu nome.
Falei e plantei um longo beijo em sua bochecha, logo deixando outro em seu pescoço e tive que me segurar para não atacar ela ali mesmo.

-A conta, por favor!
Chamei o garçom.

(…)

S/n e eu entramos em casa aos tropeços, a todo momento eu a beijava, no pescoço, mordia sua mandíbula, fazia uma trilha até seu decote. E ela não parava de soltar suspiros pesados. isso com certeza deixaria marcas.

-Vamos para o quarto logo?
Perguntou afobada e eu ri.

-Calma amor, pra que pressa?
Perguntei sorrindo safado e ela chiou.

-Eu sei que quer isso tanto quanto eu!
Sorriu provocadora e me empurrou para as escadas. Peguei-a no colo fazendo-a entrelaçar suas pernas em minha cintura, subimos as escadas não desgrudando nossos lábios por um segundo sequer, abri a porta e entrei no quarto a colocando na cama.

Meus lábios viajam de seu pescoço para sua mandíbula e minhas mãos frias estão queimando a pele da parte de trás de sua coxa. Me levanto por um momento para tirar minha camiseta e encontrar seus olhos cheios de luxúria me encarando, descendo por meu peitoral e a mesma morde seu lábio inferior. Me deito novamente por cima da mesma e pressionei meu dedo indicador em sua calcinha que estava amostra por seu vestido.

-Tão molhada e tão pronta para mim.
Sussurrei a provocando ainda mais enquanto massageava seu clitóris.

-Anda logo…Harry…
Resmungou enquanto se contorcia. Peguei na barra de seu vestido e o puxei para cima, S/n levantou seus braços para que o mesmo passasse por sua cabeça e antes que eu pudesse fazer qualquer coisa ela atacou meus lábios novamente. Joguei seu vestido para qualquer canto do quarto, quando senti sua mão indo direto para o zíper da minha calça, separei nossos lábios por um breve momento.

-Acho que não temos mais camisinhas.
Fiz uma careta desapontada. Eu havia me esquecido de comprar. Droga Harry!

Quando iria sair de cima da mesma ela me puxou.

-Vamos sem.

-Tem certeza?
Perguntei preocupado.

-Eu preciso te sentir.
Clamou e eu não pude mais me segurar. Desafivelei  o cinto e tirei minha calça junto de minha cueca jogando pelo quarto. Separei suas pernas e a penetrei devagar, a ouvindo gemer baixinho.

-Você é tão boa para mim.
Sussurrei em seu ouvido e a mesma fechou os olhos quando a estoquei pela primeira vez. É tão diferente senti-la desse jeito, sempre usamos camisinha e nunca tentamos algo do tipo. Mas é um diferente bom, tão, tão bom.

Estocava lento, mas aumentando o ritmo aos poucos, S/n gemia cada vez mais alto e eu me sentia nos céus quando sentia sua intimidade quente e molhada em volta de meu membro.

Estamos tão necessitados que bastou mais algumas estocadas para que a mesma viesse, deixando meu membro mais lubrificado o fazendo entrar e sair com ainda mais facilidade.

-Eu te amo.
Sussurrei antes de vir também, dentro dela.

Cai cansado, suado e ofegante ao seu lado. A envolvi em meus braços e dormimos de conchinha.

l Dia Seguinte l

Acordei feliz, sabia que a mulher que eu amo estava mais perto e sorri ao lembrar da noite passada. Fui ao banheiro tomar um banho, quando terminei liguei meu notebook.

S/n provavelmente foi a uma pequena reunião que ela tinha marcada para hoje, mas logo volta.

Abri em minhas redes sociais e vi uma notícia sobre minha namorada.

“Futura Sra.Styles, foi vista hoje andando pelas ruas de Londres com marcas de chupões pelo pescoço e mandíbula, a mulher também estava com uma aparência feliz e animada, parece que teve uma noite boa com seu namorado.”

Ri ao ler a notícia, “feliz e animada” parece que acordamos em sincronia, pena que S/n não é muito boa com maquiagens e muito menos em disfarçar. Agora todos sabem quem é que a deixa “feliz”.

***

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante para mim e isso me motiva a continuar.❤😊

Imagine com Niall Horan

– Já pediu? – Louise perguntou sentando-se ao meu lado, assenti. – Que cara é essa?

– É a única que eu tenho. – Respondi curta.

– Ei, calma aí. Se está acontecendo alguma coisa com você, a culpa não é minha.

– Eu sei, desculpa. – Bufei. – Só estou irritada.

– Alguma coisa com o maridão? – Perguntou olhando no cardápio.

– Sim.

– O que ele fez? – Olhou para mim.

– Não sei. – Suspirei. – Acho que o nosso casamento está caindo na rotina, sabe? – Assentiu. – Ele é um ótimo marido, mas é sempre a mesma coisa no sexo. – Bufei novamente. – Isso me irrita, porque nunca fazemos nada de novo, eu tento, mas ele continua no papai e mamãe.

– E você quer que ele seja um pouco mais bruto? – Ela perguntou rindo.

– Sim. – Ri com ela. – Eu nunca gostei desse tipo de sexo, você sabe.

Mas ele me dá prazer, só que eu quero algo mais intenso.

– Eu posso te dar exatamente o que você quer e mais. – Antony sentou-se junto de nós.

– Ah pelo amor. – Revirei os olhos. – Eu sou casada, me deixa em paz.

– Eu não tenho ciúmes, gata. – Enrolou o dedo no meu cabelo. – Garanto se você tivesse comigo eu iria te dar mais prazer do que seu marido frouxo.

– Niall me satisfaz como ninguém e é por isso que eu não preciso de procurar outros. – Dei um tapa em sua mão. – Agora vaza.

– Eu vou almoçar também. – Sorriu.

– Então não abra a boca para falar comigo. – Sorri falsa.

•••

Os dois dias depois do acontecimento da lanchonete foram completamente insuportáveis trabalhando no mesmo setor que o Antony, além de dar em cima de mim descaradamente, ele teve a audácia de passar a mão em minha bunda. Jurei que se acontecesse de novo eu levaria esse caso para a polícia.

– Quando é que você vai me dar a famosa chance? – Antony encostou no balcão ao meu lado.

– Imprime dois papeis desse. – Falei com a minha secretária, ignorando totalmente a presença dele lá. – Obrigada. – Sorri para a mulher e olhei para ele. – Nunca.

– Qual é. – Segurou meu braço. – Você sabe que eu posso ser melhor do que ele.

– Eu acho impossível. – Sorri sarcástica.

– Eu vou te dar o prazer que você merece. – Falou alto sem se importar com quem estava presente. – O prazer que ele nunca vai ser capaz de te dar.

– Na minha humilde opinião eu também acho impossível. – Ouvi a voz de

Niall na porta do elevador e o olhei assustada, saindo do lado de Antony rapidamente. – Primeiramente, para dar prazer a uma mulher, você precisa ter um pênis considerado normal. E todos nós sabemos da sua faminha. – Niall gargalhou e Antony sorriu sarcástico.

– Mas eu sei usar, eu não deixo nenhuma mulher passar vontade. – Foi em direção ao Niall. – Dou exatamente o que elas querem, ao contrário de você. Estou certo, S/n? – Me olhou.

– Vai se foder, idiota. – Segurei Niall pelas mãos, tentando levar ele para minha sala.

– Fala para ele o que você disse para Louise, querida. – Niall me olhou vermelho. – O que você disse mesmo? Que queria um homem melhor, que não ficasse só no papai e mamãe? Que ele é um fraco e não inova na hora do sexo? Não foi isso? – Gargalhou.

– Você está colocando palavras na minha boca. – Tentei puxar Niall novamente, mas ele se soltou brutalmente.

– Eu sei que você está dizendo tudo isso para me provocar e adivinha. Não conseguiu. – Deu um sorriso pequeno. – E você pode falar o que quiser sobre nós, mas quem vai foder com ela no final da noite, sou eu. – O sorriso que Antony tinha no rosto se fechou e Niall não disse mais nada, apenas me puxou para minha sala, trancando a sala.

– Niall, me desculpe. – Digo quando vejo que ele já está ficando nervoso.

– Porra, você tem noção do quanto eu fui humilhado? – Ele aumentou o tom de voz. – Caralho, S/n, isso é entre nós.

– Eu… eu. Me perdoa, por favor. Eu não falei tudo aquilo, ele só falou para te deixar nervoso. – Tentei abraçá-lo, mas ele se afastou.

– Eu não dou a mínima. – Me encarou. – Eu estou tão puto com você.

– Meu amor, por favor. – Tentei chegar perto de novo, mas ele me parou.

– Não chega perto, não agora. – Sentou-se na minha cadeira, apoiando oscotovelos na mesa, massageando as têmporas. – Você queria sexo brutal, não queria? – Me encarou pensativo.

– Niall, o nosso sexo é…. – Fui interrompida de novo.

– Cala a porra da boca e se ajoelhe na minha frente. – Disse rude.

– Amor…

– Cala a boca. – Disse com a voz rouca. – Vem, agora.

Decidi não reclamar, ele afastou mais a cadeira e eu me ajoelhei na sua frente.

– Me desculpa, sério. – Apoiei em seus joelhos.

Niall em um movimento rápido tirou a calça, ficando só de cueca.

– Você reclamou tanto, agora daqui para a frente vai ser diferente. – Passou a mão em meu rosto. – Garanto que você não vai se arrepender. – Colocou o polegar na minha boca.

Niall deu um sorriso malicioso e tirou a cueca, segurando o membro duro.

– Já está duro, amor? – Sorri e apertei suas bolas. – Eu nem fiz nada.

Segurou seu pênis, pincelando na minha boca, ora entrava e ora saía.

– Me chupa. – Tirou a camiseta e encostou-se na cadeira.

Peguei o pau no Niall dando beijinhos na cabecinha, massageei lentamente suas bolas e Niall deu um gemido rouco. Sem mais delongas enfiei seu membro na boca, Niall levou sua mão até minha cabeça forçando ainda mais.

– Sem gracinhas. – Falou ofegante, mas eu o ignorei e continuei chupando lentamente. – Porra.

Segurou meus cabelos e começou a se movimentar em minha boca. Parou de se movimentar e segurou minha cabeça contra seu pau, me fazendo engasgar. Comecei a fazer movimentos rápidos sugando seu pênis e as vezes a cabecinha. Niall me puxou pelos cabelos me levantando.

– Eu vou foder você todinha. – Jogou o que tinha na minha mesa no chão e me deitou de bruços. – Vagabunda. – Deu um tapa forte em minha bunda e eu gemi.

– Eu deveria ter feito isso antes. Pensei que você fosse tão pura com essa carinha, mas na real você é uma putinha.

– Eu sou sua putinha. – Olhei para ele que sorriu e deu mais um tapa em mim. – Porra.

– Você gosta de apanhar, bom saber. – Levantou a saia que eu estava e abaixou a calcinha, deixando minha intimidade à vista. – Você é tão linda, amor. Tão molhadinha, preparada para mim. – Passou dois dedos pela minha intimidade e enfiou eles em seguida. – Tão gostosa de meter.

Ele metia os dedos lentamente, me fazendo gemer fraco.

– Mais… por favor. – Agarrei seu braço.

– Abre mais as pernas. – Fiz o que ele pediu e senti Niall se agachar, ficando na frente da minha intimidade.

Sem enrolação, Niall começou a passar a língua fortemente pela minha boceta. Enquanto uma mão esquerda apertava minha bunda a sua mão direita estava em minha boceta, passando lentamente os dedos pelo meu clitóris enquanto ele chupava o resto.

– Isso, porra. – Agarrei a mesa. – NIALL.

Eu estava perto de gozar e ele sabia disso, aumentou os movimentos e começou a chupar minha intimidade por completo.

– Niall.. Eu. – Gozei na boca dele e Niall deu mais uma chupada forte e eu gritei.

Niall deu uma mordida na minha bunda e se levantou. Senti ele passando seu membro pela minha buceta, introduzindo ele lentamente.

– Não enrola, porra. – Niall me ignorou e continuou enfiando só a cabecinha e tirando, em um movimento rápido Niall tirou minha camiseta e meu sutiã.

Ele puxou meus braços para trás e prendeu-os com o cinto que estava em sua calça a minutos atrás. Segurou minha cintura e finalmente me penetrou por completo, gemi alto e ele meteu forte de novo.

– Tão apertadinha. – Deu mais tapas em minha bunda, que com certeza já estaria vermelha.

Deitou seu corpo em cima do meu, apoiando os dois braços na mesa.

– Você é tão gostosa, amor. – Niall sussurrava enquanto metia forte e lento. – Você é minha vadia, de mais ninguém. – Deixou vários chupões em meu pescoço. – Fala, fala que você é minha vadia.

– Eu. – Outra estocada funda. – Sou…. Porra. – Puxou meu cabelo. – Sua vadia…. PORRA NIALL, ME FODE ASSIM, CARALHO. – Gritei quando ele conseguiu atingir meu ponto G.

– Ninguém vai te foder como eu, amor. – Deixou uma última mordida em minha orelha e se levantou.

Niall se afastou e brutalmente me virou, abriu minhas pernas e logo meteu novamente.

– Niall. – Gemi e joguei a cabeça para trás.

– Tão apertada. – Deu um leve tapa em meu seio esquerdo antes de começar a aperta-los. – Eu vou tão bem de você. – Niall começou com os movimentos rápidos e fundos me fazendo revirar os olhos.

– Me fode mais forte. – Niall apenas sorriu e rodeou meu pescoço com suas mãos enormes, tendo o apoio para aumentar os movimentos.

Parecia que ele estava desesperado, metia forte e rápido sem dó apoiou as mãos na mesa e pegou mais impulso, me fazendo revirar os olhos de tanto prazer.

– Mais… eu vou gozar. – Assim que terminei de falar gozei em seu pau.

Niall insatisfeito, se sentou em minha cadeira e me colocou por cima dele, encostando seu peito em minhas costas.

– Pula em mim, amor. – Sussurrou em meu ouvido e eu suspirei.

Comecei a quicar em seu membro com rapidez, com uma mão Niall segurava meus cabelos e levou a outra para minha intimidade, masturbando a mesma.

– Niall… Porra. – Gemi quando ele deu um leve aperto lá.

– Goza de novo, amor. – Impulsou seu membro para cima. – Goza no pau no seu dono.

– Filho da puta. – Rebolei lentamente e ele deu um tapa na minha intimidade sensível. – NIALL. – Puxei seus cabelos e ele começou a impulsar seu membro mais rápido.

E em minutos gozei, de novo. Niall tirou de cima dele, me colocando de joelhos no chão, segurou meus cabelos fortemente e começou a se masturbar na minha.

– PORRA S/N. – Niall urrou e gozou no meu rosto. – Você é perfeita, amor. – Me deu um selinho. – Levanta e se arruma.

– Você gozou na minha cara, palhaço. – Tratei de pegar um pano para me limpar. – Não poderia ter sido na boca?

– Eu sempre quis ver minha porra no seu rosto. – Deu um sorriso malicioso.

Niall colocava sua roupa, enquanto eu colocava a parte de cima e a saia que estava toda amassada.

– Sua cara pós-sexo é a melhor. – Me puxou. – Eu te amo. – Colocou sua boca na minha, começando um beijo lento e calmo. – Eu preciso ir. – Disse terminando um beijo.

– Eu te amo. – Niall me selou pela última vez e foi em direção a porta.

– Nos vemos em casa. – Engrossou a voz quando abriu a porta e eu vi Louise e Antony nos olhando.

– Ok. – Respondi divertida.

Niall saiu da minha sala com o rosto vermelho, com o cabelo bagunçado e roupas amassadas e eu não estava diferente. Louise me olhou sorrindo enquanto Antony estava com um olhar incrédulo no rosto. Niall passou entre Antony com um sorriso enorme no rosto, como se quisesse dizer “eu acabei de foder ela” e foi embora.

– Caralho, foi bom aí dentro. Escutei alguns gritos. – Sorriu maliciosa.

– Meu homem sabe como me satisfazer. – Sorri diretamente para Antony e fechei a porta.

One Shot Niall Horan

Semana NHoran

— Não tem lugar para você. — Liam disse ao contar mais uma vez as poltronas da minivan que eles tinham alugado, ele queria me fazer ter certeza que eu não estava sendo excluída.

— Isso eu já entendi, Liam. — reviro os olhos — Mas acontece que eu decidir ir, então temos que dar um jeito.

— Joga essa mala em qualquer lugar. — Louis disse saindo da van e eu lhe mostrei o dedo do meio.

— Acontece que você disse que não iria, então alugamos uma van menor.  — Liam continuou pacientemente me explicando.

— Eu não posso dividir assento com alguém? Eu não sou tão gorda. — faço bico — E eu trouxe menos malas do que Eleanor.

— Seu peso não importa, você poderia ser um palito, as poltronas são apenas para uma pessoa. — Liam ajudou a Sophia colocar as coisas na van.

— Tudo bem, se você faz tanta questão assim que eu não vá. — faço um pequeno drama porque sei que ele não resiste.

— Não é isso, (seu apelido)… — ele suspirou.

— Niall? — Louis gritou — Diga sim!

— Sim! — Niall disse sem entender.

— Pronto, Niall concordou em te levar no colo dele. Eu até te levaria no meu, mas Eleanor e alguém mais se juntariam para me matar. — Louis riu.

— É muito longe… — Niall choramingou.

— Você disse sim. — Louis o acusou.

— Droga!

— Quem vai guardar as minhas malas? — eu perguntei sorrindo feliz por estar inclusa na viagem e todos eles sumiram em menos de um minuto — Ogros! — os xinguei indo eu mesma guardar as minhas coisas.

#–#–#–#–#–#–#–#

— Sem cantigas de viagem, por favor. Vamos em paz. — Liam disse para nós antes de ocupar o assento do motorista.

Os primeiros momentos da viagem fomos conversando sobre o que esperávamos do nosso final de semana, seriam quase cinco horas de estrada e resolvemos sair na sexta a noite. A primeira hora foi tudo bem, mas depois minha bunda começou a doer - convenhamos que estar no colo de outra pessoa durante tanto tempo não é nada confortável.

— Para de se mexer! — Niall sussurrou próximo ao meu ouvido.

— Eu não consigo, minha bunda tá quase dormente. — sussurrei de volta.

— Eu ainda fico excitado com você. Ficaria para qualquer pessoa que estivesse dançando no meu colo, mas a sua bunda eu já conheço, então não é tão difícil imaginar.

Sim, eu e Niall já nos pegamos em algum momento de nossas vidas, não foi nada sério, queríamos curtir e entramos em um acordo.

— Então é o seu pau que está me incomodando. — me mexi mais um pouco para ter certeza e sim, era o pau dele.

— Droga, (seu nome)… — Niall gemeu e apertou minhas coxas quando eu levantei um pouco e me sentei novamente.

— O que você está fazendo? — perguntei sentindo suas mãos trabalharem em uma massagem na minha coxa e quando uma de suas mãos foi de encontro a intimidade a acariciando levemente sobre o pano da calcinha, eu arfei. — Ah…

— Shhh… — a respiração quente de Niall estava em minha nuca enquanto seus dedos brincavam com meu clitóris.

— Niall… Eles… — eu tentava formular a frase, mas minha concentração estava toda no que Niall estava fazendo.

— Estão dormindo.

Mordendo meu lábio inferior fortemente, deixei que afastasse minha calcinha para o lado pressionando seu dedo em meu clitóris me fazendo choramingar. Ele continuou a me torturar - para mim era uma tortura - e vez ou outra eu me movia propositalmente em seu colo. Com a cabeça encostada no seu ombro e meus olhos fechados, eu o sentir parar e quando estava pronta para protestar abrir meus olhos e vi Liam acordando cuidadosamente um de cada vez nos bancos da frente, ele não demoraria a nos alcançar.

— Merda… — praguejei em frustração e Niall colocou minha calcinha de volta no lugar, o que me fez ranger os dentes para o quão úmida eu estava.

— Vamos fazer uma parada, quem quiser comer esse é o momento. — Liam disse assim que chegou até nós e eu fiz a minha melhor atuação de quem está acabando de acordar.

— Podem ir indo, eu vou procurar minha carteira. — Niall deu uma desculpa esfarrapada, se ele ficasse de pé era capaz de Liam pensar que a carteira dele estava dentro de sua cueca por causa do volume. Liam se virou de costas para caminhar para fora da van e eu me levantei para segui-lo, antes que eu começasse a andar Niall abaixou minha saia, eu o olhei e ele sorriu piscando para mim.

#–#–#–#–#–#–#–#

Durante a parada, nós todos ficamos em uma mesa fazendo a nossa refeição, Niall sempre me olhava com os olhos cheios de insinuações e eu apenas segurava o riso pela sua forma descarada de nem tentar disfarçar. As vezes quando eu não estava olhando para ele, ele me cutucava com o pé por baixo da mesa para ter minha atenção.

Quando voltamos para o carro o resto da viagem foi tranquila, eu e Niall não nos provocamos e isso pareceu encurtar a viagem. A partir do momento que o carro parou em frente a casa de campo, todos os garotos saíram da van correndo e eu fiquei sem entender, quando entrei dentro da casa todos estavam parados na frente da porta do quarto que tinha escolhido e eu só queria saber porque eu e Niall não fomos avisados que teria os jogos vorazes para saber quem ficaria em qual quarto.

— Pelo que eu pude ver, tem só mais esse quarto vago. — Zayn apontou para uma porta na frente a que ele estava de pé.

— Vocês são todos uns traidores, ninguém me avisou sobre essa corrida maluca. — Niall bateu os pés até o quarto restante.

— Falamos quando fizemos a parada, você tinha sumido. — Harry deu de ombros.

— Eu estava no banheiro, porra! — Harry fez uma careta para a ignorância de Niall.

— Teremos que ficar juntos desde que esse é o último quarto. — falei entrando atrás de Niall a tempo de vê-lo jogar a bolsa sobre o cama.

— Essa é a melhor parte… Não vamos deixar esses bastardos dormirem. — ele sorriu e caminhou até mim e me puxou pela cintura beijando meu pescoço.

Não deu tempo de fazer mais nada porque uma Eleanor animada entrou no quarto praticamente nos obrigando a ir conhecer o resto da casa, todos estavam bem dispostos e isso nos prendeu a eles quando iniciaram uma conversa para colocarmos na mesa tudo que cada um queria fazer.

As horas voaram e eu só me dei conta quando vi as pessoas darem boa noite e saírem em direção ao seus quartos, Niall e eu ficamos por último e ele me olhou sorrindo de um jeito que eu entendi o que ele queria dizer. Deixando de lado um pouco de vinho que restou no meu copo, eu me levantei e me sentei no colo de Niall iniciando um beijo rápido e intenso enquanto meus dedos iam de encontro ao seu cabelo puxando os fios de maneira firme.

Não demorou muito para que a temperatura do nosso corpo subisse e quando Niall estava quase tirando a minha blusa eu o impedi. Não poderíamos esquecer que havia mais pessoas na casa.

— Quarto! — sussurrei com meus lábios sobre os dele e os puxei entre os meus dentes.

Niall resmungou e no momento que percebi que ele não iria se mover para que chegássemos no quarto, eu o soltei e comecei a andar o deixando para trás.

— (Seu apelido)… —  Continuei andando e quando eu já estava de frente ao nosso quarto, Niall me alcançou, me empurrou contra a porta causando um som alto demais para quem estava tentando ser discreto e buscou meus lábios de forma faminta. Com um pouco de dificuldade eu alcancei a maçaneta da porta atrás de mim e a abri fazendo nós dois quase cair dentro do quarto.

— Calma… — sussurrei abafado por ter sua boca ainda sobre a minha.

— Eu estava com saudade. — ele se afastou fechando a porta e rasgou minha blusa me deixando surpresa.

— Bastardo! — ele riu me vendo segurar os dois pedaços de pano que uma dia foi a minha blusa.

—  Você não vai precisar dela. — o sorriso labino cafajeste brincava em seu rosto e antes que ele pudesse rasgar mais alguma coisa, eu tirei toda roupa que me restava e o ajudei a se livrar da própria camisa.

— Vamos logo com isso. — me deitei na cama o encarando esperando que ele ficasse nu como eu e assim ele fez estimulando um pouco seu membro antes de desenrolar sobre ele o preservativo.

— Você ficou ainda mais apressada com o passar do temp. — Niall riu deixando alguns beijos sobre a pele da minha barriga, subindo de encontro aos meus seios.

— Você já brincou muito comigo durante essa maldita viagem… Ah… — arfei ao senti-lo prender meu mamilo entre seus dentes.

— Já brincamos demais… — ele disse colocando uma de suas mãos em meu maxilar e iniciando um beijo rápido com certeza para me calar porque no segundo seguinte ele entrou em mim sem aviso e com brutalidade. Algumas estocadas e Niall mudou de posição, agora uma de suas mãos apertava minha cintura e a outra usava a cabeceira da cama como apoio para sair e entrar em mim com rapidez e força.

Qualquer esperança de manter a descrição foi completamente eliminada porque a cama batia contra a parede e rangia de forma que não tinha como impedir, nem mudando de posição melhorou a situação, a cama era ruim e escandalosa não importa o que fizéssemos.

— Hum… Eu… — não consegui formular a frase que eu estava tentando e apenas gemi mais alto quando atingi meu orgasmo ficando fora do ar por alguns breves segundos. Mantendo o ritmo das estocadas, Niall mordeu meu lábio fortemente e pelo jeito que seu corpo pesou sobre o meu, ele também chegou ao seu limite.

#–#–#–#–#–#–#–#

Acordei no dia seguinte sem Niall na cama, eu nem sei dizer quando eu peguei no sono na noite anterior, mas sei que meu corpo está leve e eu me sinto mais feliz. Já fazia algum tempo que eu não fazia sexo e não me arrependo de ter ficado com Niall mais uma vez.

Depois de tomar banho e me vestir, desci para a cozinha onde todos estavam presentes tomando o café da manhã, eu nem mesmo sei a hora, mas tenho certeza que não é cedo.

— Bom dia… — resmunguei com um pouco de preguiça e me sentei ao lado de Sophia.

— Niall destruiu você. — Louis riu enfiando um pedaço de pão na boca e Niall engasgou com o café —  Foi quase impossível dormir com a cama espancando a parede.

— Não seja um idiota. — revirei os olhos e me servi com um pouco de chá.

— Ele não está mentindo. — Harry que estava cozinhando algo se meteu na conversa — Realmente deu para ouvir, acho que as paredes são finas demais.

— Eu estava esperando o momento em que a parede não aguentaria e os dois fossem parar no corredor. — Zayn riu fazendo Louis rir também assentindo.

— Vocês estão com inveja. — Niall se pronunciou.

— Gostaria que não falássemos sobre esse tipo de coisa enquanto estamos comendo… Eu estou quase perdendo o apetite. —  Liam nos olhou apreensivo.

— Obrigada! — Gigi agradeceu a intromissão de Liam no assunto e logo tínhamos outro assunto comentar.




Desculpem qualquer coisa, vocês sabem que sou uma negação com hots mas você sempre insistem para que tenha.

Espero que tenham gostado. 

- Tay

Imagine Harry Styles

  • Pedido:  oi , vc poderia fazer um imagine hot do harry em que a sn é mais nova tipo com 16 anos ,nada de romantismo ok , pegada forte, porem carinhosa , algo como daddy issues , obrigada

————–

Não sei se ficou como esperava… Mas espero do fundo do coração que goste!!

———-


Toco a campainha e em segundos Harry abre a porta. Me encara sorrindo e me dá um beijo de tirar o fôlego. Isso já é o bastante para minhas pernas ficarem bambas. 

- Que bom que você chegou! Estava com saudade! - ele diz abraçando minha cintura. 

- Eu também estava! - deixei um beijo estalado no seu pescoço. 

Eu namoro o Harry há um ano, desde que completei 16 anos. E agora estou prestes a completar meus 17 anos. No inicio, nosso namoro não foi muito bem aceito, porque ele é mais velho que eu. Não é uma diferença exorbitante, mas é uma diferença considerável quando se tem 16 anos e começa a namorar um cara de 22 anos. Mas depois de um tempo, eles aceitaram. 

Harry sempre foi muito carinhoso comigo, gentil, educado, romântico. Um verdadeiro gentleman. Fico me perguntando se ele será assim também na cama. Não, nós nunca transamos. Ele sempre respeitou meu tempo, mesmo eu sempre dormindo aqui na sua casa. Como é o caso de hoje. Passarei o fim de semana aqui com ele. 

- O que você quer comer?! - pergunta me olhando.

- Ah, amor, qualquer coisa. - dei de ombro, encaixando minha cabeça na curvatura do seu pescoço e espirando seu cheiro. 

- Pizza?! - sugere e eu sorrio. 

- Quatro queijos! - ele ri e liga para a pizzaria e faz o pedido. 

Enquanto nossa janta não chega, ficamos no sofá vendo TV e curtindo a presença um do outro, jogando conversa fora e dando muita risada. Passado uma meia hora, a campainha toca anunciando que nossa pizza chegou. Ele vai pegá-la e eu vou pegar os pratos, talheres e copos na cozinha. Colocamos tudo na mesinha da sala e comemos juntos. 

O filme já estava quase no fim quando eu começo a sentir beijos serem depositados no meu pescoço exposto. Meu corpo inteiro se arrepia e eu prendo a respiração. 

- Amor… Acho que tem coisas melhores pra gente fazer. - sua voz sai sugestiva e abafada. 

Eu respiro fundo. Eu confio nele e creio que já esteja na hora de me entregar de fato para ele. Eu sei que ele tem as necessidades dele e eu tenho que supri-las ou ele irá procurar outra. E Deus me livre dessa possibilidade. 

O encaro e sem o responder, grudo nossos lábios num beijo profundo e com desejo. Ele me puxa para o seu colo e me sento com uma perna de cada lado de seu corpo. Rebolo lentamente e sinto seu membro duro, o que me faz jogar a cabeça para trás e soltar um gemido baixo. 

Ele começa a beijar meu pescoço e, quanto sinto um chupão ser plantado ali, agarro seus cabelos com força. Algo na minha intimidade pinicava, e minha roupa já me incomodava. 

As grandes mãos do meu namorado invadiu minha blusa e ele apertou minha cintura com força. Puxo seus cabelos, fazendo ele me encarar e beijo seus lábios com brutalidade. Ele arrancou minha blusa e eu fiz o mesmo com a sua. Encarei seu peitoral definido e mordi o lábios, vendo ele sorrir sacana. 

Ele arrancou seu sutiã de renda e jogou em algum canto da casa. Encarou meus seios como alguém faminto encara um prato de comida e os abocanhou em seguida. Ele massageava um com sua mão e o outro era trabalhado por sua boca. Eu gemia baixinho e chamava pelo seu nome. Ele inverteu os lados e continuou trabalhando nos meus seios. Um calor absurdo tomou meu corpo, meus gemidos se intensificaram e, quando ele mordeu o bico do meu seio, eu cheguei ao meu primeiro orgasmo devastador. 

Respirei fundo, me recuperando e normalizando minha respiração. Ele me pegou no colo e nos levou até seu quarto. Me colocou na cama e tirou minha calça. Beijos foram depositados por todo meu corpo. Ele tirou minha calcinha e me encarou. Eu estava totalmente nua, entregue a ele. Ele se ajoelhou na cama e abriu minha pernas e senti sua respiração bater na minha intimidade. No segundo seguinte, soltei um gemido alto quando sua língua quente entrou em contato com minha intimidade. Ele me chupava como se eu fosse a fruta mais deliciosa desse mundo. 

Foi o bastante pra mim quando ele começou a estimular meu clitóris com seu dedo. Puxei seus cabelos e atingi meu segundo orgasmo. Ele me encarou lambendo os lábios e me beijou. Era possível sentir o meu gosto ali. Inverti as posições e desci os beijos para seu pescoço. Descobri, quando recebi um aperto na bunda, que ali é seu ponto sensível. Eu iria me aproveitar disso! 

Raspei minhas unhas por todo seu peitoral, e ele respirou fundo. Desci minha mão até chegar em seu membro. Tirei sua calça e apertei seu membro ainda por cima da cueca. Ele prendeu a respiração em resposta. Sorri com o feito e me livrei dela, o deixando nu. Seu membro estava completamente duro. O segurei com minhas duas mãos e comecei movimento de sobe e desce, sem perder o contato visual com ele. Acelerei os movimentos e ele rosnou. 

- Isso! - sua voz saiu fraca. - Isso, continua. - gemeu alto.

Ele fechou os olhos com força e agarrou o lençol. Era completamente exitante vê-lo dessa forma, e eu já podia sentir minha intimidade molhada de novo e pinicando. 

Os movimento eram ainda mais rápidos e ele respirava descompassadamente. Passei minha língua pela sua glande ele foi o que bastou para que ele gozasse, soltando um grunhido sexy. 

Ele me encarou com seus olhos pegando fogo. Me deitou na cama e colocou uma camisinha. Meu corpo todo pinicava e era como se eu estivesse pegando fogo. Ele segurou minhas mãos acima da minha cabeça e senti seu membro fazer pressão na minha entrada. Prendi a respiração já sabendo que iria doer. 

- Se doer muito eu paro. Mas quero que você me diga. - assenti ainda com os olhos fechados. Ele deu um beijo carinhoso na minha testa e senti ele me invadir aos poucos. 

Ele gemeu baixo no meu ouvido e eu me arrepiei. Ele não se moveu, apenas esperou que eu me acostumasse. Ele começou a se mover depois de alguns minutos, mas não antes de ter a certeza de que eu estava bem e me sentia confortável. 

- Tão quente. Tão apertada. - disse com os dentes cerrados indo cada vez mais rápido. 

Eu cravo minhas unhas nas suas costas e ele urra de prazer. Ele continua com o movimento de vai e vem, ganhando mais ritmo gradativamente. Ele envolve minhas pernas em torno da sua cintura, apertando minha coxa e indo mais fundo. 

- Oh Harry. - gemo alto. - Eu, eu… - tento dizer, mas não consigo.

- Goze para mim, goze meu amor. - ele diz e imediatamente meu corpo atende. 

Sinto minhas intimidade contrair e apertar a dele. Uma onda de prazer toma conta do meu corpo e eu fico envolta numa nuvem onde não escuto e nem vejo nada. Ele dá mais uma estocada forte e atingimos nosso ápice juntos, chamando um o nome do outro.

Ele cai ao meu lado, completamente suado e com a respiração descompassada, assim como eu. Nos encaramos sorrindo e realizados.

- Você é incrível! - ele diz e eu sorrio. - Eu não podia querer uma namorada melhor!

- Digo o mesmo! - ele sorri. Ele beija minha testa e me deixo vencer pelo cansaço e pego no sono. 


[…]

Pedido: Com o Zayn: Ele coloca alguma “coisa” nela que fica a provocando e deixando ela excitada e os dois estão numa festa ou premiação e ele fica só rindo dela, quando chega em casa rola um hot – Anônimo.

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/tagged/meusimagine vocês podem ver todos os imagines já postados*

Imagine HOT do Zayn.

Estava me arrumando para mais um evento com o meu namorado, Zayn, ele por ser um cantor famoso está concorrendo ao Grammy e eu estou muito orgulhosa dele.

- (S/n) terminou de se arrumar? – Zayn pergunta entrando no quarto e fica paralisado quando me vê – Você está muito linda, eu não sei se quero ir para essa premiação, quero ficar aqui com você fazendo outra coisa – Zayn diz se aproximando e eu dou uma risada.

- Deixe de besteira, iremos à essa premiação pois quero ver meu namorado ganhando esse prêmio, você merece, já estou pronta – Respondo pegando minha bolsa e ele me segura pelo pulso.

- Tudo bem, nós vamos, mas antes quero fazer algo – Ele fiz e eu o encaro confusa.

- Sexo agora não – Digo e ele sorri malicioso.

- Não será sexo, ainda, mas será muito prazeroso para nós dois, levante seu vestido e abaixe sua calcinha, se deite de bruços na cama e me espere volto logo – Zayn manda e eu fico mais confusa, mas resolvo fazer o que ele pediu. Me sinto meio exposta e ao mesmo tempo muito excitada com o que ele irá fazer.

Espero ele por alguns minutos e logo escuto seus passos se aproximando de mim. Sinto sua mão na minha bunda e eu me arrepio, e no segundo seguinte Zayn está com a boca em minha intimidade e eu solto um gemido de surpresa e excitação.

- Zayn… – Digo meio rouca.

Ele continua me lambendo e chupando até eu estar na beira de um orgasmo, então ele para e enfia algum tipo de bola pequena em mim, arregalo os olhos quando sinto elas vibrarem um pouco.

Solto um gemido sofrido porque elas não são capazes de me dar um orgasmo apenas me mantém excitada. Zayn arruma minha calcinha e abaixa me vestido.

- Pronto, agora podemos ir – Ele fala me fazendo ficar em pé e sinto o brinquedo erótico se mexer dentro de mim.

- Eu não irei com essa coisa dentro de mim – Falo e ele sorri.

- Vai sim, Baby, se você conseguir passar a premiação toda sem gozar eu lhe recompenso quando voltarmos – Zayn fala e eu faço um bico, estou muito excitada, como ele pode me deixar nesse estado?

O caminho do quarto até o carro foi uma tortura, aquela coisa ficava mexendo e acertava em pontos que me faziam querer gemer alto, eu percebi que Zayn estava se divertindo com isso. Eu não vou deixar isso ser tão fácil pra ele, irei fingir que esse brinquedo não me incomoda. Me aguarde Zayn Malik.

Chegamos finalmente no evento, sai do carro mordendo o lábio para não gemer na frente das pessoas, Zayn segurou minha mão e saímos de mãos dadas pelo tapete vermelho, onde paramos para tirar fotos, muitos flashes passaram na minha frente quase me deixando cega, ficamos por ali uns 2 minutos, eu já não aguentava mais de tanto tesão que aquele brinquedo estava me fazendo sentir, eu percebia de vez em quando o olhar do Zayn em mim, ele sorri malicioso e apertava minha mão.

Quando acabou de tirarem nossas fotos, a mulher da recepção nos levou até as nossas cadeiras, muitos artistas pararam para cumprimentar nos dois, vimos Harry e Niall ao longe, eles acenaram e nos retribuímos o aceno. Zayn sentou primeiro e quando eu fui me sentar o brinquedo se moveu dentro de mim e eu não consegui segura um gemido baixo, deixei ele escapar, meu namorado sorriu e apertou a minha coxa. Minha calcinha deve estar tão molhada, não sei se vou conseguir aguentar, meu plano está cada vez indo por água abaixo.

A premiação começa, vejo Zayn segurar um pequeno controle e quando ele aperta no número dois o brinquedo dentro de mim começa a vibrar mais do que antes, eu cravo minhas unhas no estofado da cadeira e meu namorado sorri malicioso, Ah eu não vou aguentar, ele continua e aperta no número três, sinto o meu orgasmo ser construído e quando eu abro a boca, Zayn desliga totalmente o brinquedo. Eu quase tive um orgasmo no Grammy.

Depois disso tudo, enfim chega a categoria que Zayn está concorrendo e ele ganha, ele me deu um beijo e me abraçou e subiu no palco, seu discurso foi lindo me emocionei, quando ele voltou eu já estava praticamente subindo pelas paredes. Assim que ele sentou ao meu lado eu levantei.

- Onde vai? – Ele perguntou.

- Irei me aliviar, já que meu namorado não está sendo capaz disso – Digo e ele ri de mim. Isso me deixa furiosa e eu saio em direção ao banheiro do evento, mas sinto um braço em minha cintura e sou guiada para a saída dos fundos onde estão os carros dos famosos, nem percebo que Zayn carrega uma bolsinha onde contém seu Grammy dentro. O motorista abre a porta do carro e nos dois entramos.

- Porque estamos indo embora? A premiação ainda não acabou – Pergunto.

- Pra mim já terminou, agora eu só quero te foder a noite inteira – Ele diz e eu sorrio satisfeita, finalmente ele irá acabar com minha excitação.

Subo em cima do colo dele e o beijo com vontade, Zayn sobe meu vestido deixando minhas coxas a mostra, ele fica passando a mão por elas enquanto me beija com desejo, paramos quando o motorista começa a dirigir.

Quando finalmente chegamos em casa, Zayn joga a bolsa que tem o Grammy em cima do sofá e rapidamente me pega no colo e juntos subimos as escadas em direção ao nosso quarto. Ele abre a porta com um chute e a fecha com força. Ele me beija com rapidez e me joga na cama em seguida.

Zayn puxa meu vestido o rasgando em dois pedaços, já que era um vestido de tecido fino. Fico mais excitada e finalmente ele retira minha calcinha e em seguida puxa o brinquedo de dentro de mim, solto um gemido alto e vejo meu namorado retirar as roupas rapidamente, percebo a enorme ereção e dou um sorriso malicioso. Não quero que tenha uma preliminar, quero ele agora.

- Zayn, vem logo, por favor – Falo manhosa e ele retira por fim sua cueca.
Ele me puxa para a beirada da cama e abre minha pernas.

- Você está tão molhada, Baby – Ele diz com a voz rouca.

Ele se aproxima e pincela seu pênis na minha entrada, solto um gemido sofrido quando ele pressiona sua glande no meu clitóris. No segundo seguinte ele me penetra devagar, sinto toda sua extensão me preencher e nos dois soltamos gemidos.

- Como você é apertada, você me faz ficar louco – Zayn diz e eu coro um pouco e ondulo meus quadris.

- Mais forte – Peço e Zayn começa a me estocar com força, o barulho dos nossos corpos se chocando é tão sensual e excitante, eu fico cada vez mais próxima do meu ápice. Minhas pernas envolvem a cintura dele o puxando para mais perto fazendo ele ir mais fundo. Solto um gemido alto quando sinto a boca dele sugar meu seio esquerdo, sua língua brinca com o meu mamilo ora chupando ora lambendo. Arranho suas costas levemente e cravo minhas unhas na sua pele quando seu membro atinge um ponto sensível dentro de mim.

- Zayn… – Gemo o nome dele e jogo minha cabeça pra trás, ele aproveita a começa a deixar chupões no meu pescoço, suas estocadas vão aumentando de velocidade, estou muito perto de gozar.

- Goza (S/n), venha, Baby – Zayn sussurra roucamente no meu ouvido enquanto geme e isso é a minha perdição, chego ao meu orgasmo arrebatador, minha intimidade aperta o membro dele enquanto as ondas do orgasmo passam pelo meu corpo, solto um grito de prazer e sinto no minuto seguinte jatos quentes me preencher por completo, Zayn chega ao orgasmo gemendo rouca e me aperta contra o seu corpo com força.

Nós dois ficamos parados tentando recuperar a respiração, ele se retira de dentro de mim e me puxa para o meio da cama onde me abraça, eu coloco meu braço por cima de sua barriga e ele beija o topo da minha cabeça.

- Acho que eu devo comprar mais brinquedos eróticos desse tipo – Ele diz e eu dou uma risada.

- Você quase me fez ter um orgasmo na frente das câmeras – Falo e ele sorri.

- Eu sempre sei quando você está perto do ápice, nunca eu deixaria alguém ver minha mulher tendo um orgasmo, essa visão é só minha – Ele diz voltado a ficar em cima de mim e sinto seu pênis duro novamente. – Agora que tal você ficar de bruços, meu desejo ainda não foi saciado completamente, eu disse que iria foder você a noite toda – Ele diz me virando e fazendo eu ficar empinada para ele.

Essa foi a noite em que eu mais tive orgasmos.

Espero que tenham gostado, se sim, deixem uma ask me contando, irei amar te responder.

*Os favoritos são muito importantes, então se gostou, deixa seu fav lindo aí ;D*

eu imaginei seu pênis saindo e entrando da minha buceta
umas mil vezes
eu imaginei cada estocada sua
o olhar que eu te daria
cada gemido e respiração descompassada

Fomos para o quarto dele, eu fiquei sentada e ele foi se trocar para me levar em casa, fiquei imóvel sentada, apenas imaginando como seria bom eu largar tudo e me entregar para ele. Ele veio em minha direção, não conseguia olhar nos olhos dele. 
- Vamos?
-Tem outra opção? 
- Tem, você dormir aqui, ta tarde e creio que seus pais vão odiar ver você chegando a essa hora e com cheiro de bebida.
- Na verdade eu me referia a outra opção.  
Sem pensar duas vezes me atirei nos braços dele, ele me beijou com carinho, me pegando no colo, ficamos mais ofegantes, ele parou, me olhos e depois me puxou pra si de novo e me beijou, dessa vez foi mais tesão, me pegando com força, passando a mão por todo meu corpo e eu o querendo cada vez mais. Puxei a camisa dele e ele foi logo levantando meu vestido, passou a mão por baixo dele e vi quando ele sorriu ao sentir que eu já estava sem calcinha. Ele me pegou com força, me colocando em sua cama, fiquei deitada o olhando tirar a roupa, ele sorria pra mim com um jeito sexy e eu mordia os lábios. Ele ficou parado me olhando por um tempo e depois veio chupando minha barriga, e meus seios, eu fiquei muito ofegante, gemia baixinho ele adorava, depois que viu que eu já não aguentava mais, ele me penetrou, com força, a cada estocada eu gemia em seu ouvido e ele soltava uns gemidos baixos de prazer também. Ele deitou e puxou pra cima dele.
- Vamos, você está no comando agora. Ele sorriu.
Eu fui pra cima dele e cavalguei, eu sentia que ele tava gostando e eu tava gostando ainda mais, eu sentava devagar e gemia baixo, me senti cada vez mais ofegante e ele também, ele gemia cada vez mais e eu também, então gozamos juntos.
—  Lí Santos 
Imagine com Zayn Malik

É a continuação desse imagine

Desculpem!! Não ficou muito grande e nem muito bom! Mas, boa leitura! 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

– Even though we’re going through it – Brian cantava enquanto acariciava meus cabelos. – If it makes you feel alone. – Olhou para mim. – Just know that I would die for you.

– Ainda bem que você é modelo porque se fosse cantor, passaria fome. – Brinquei fazendo Brian rir.

– Palhaça. – Deu um tapinha na minha mão quando fui tentar relar em seu rosto.

– Você feizi dodói im mim. – Afinei a voz e logo fiz bico enquanto segurava minha mão.

– Desculpe, amor. O que você quer que eu faça? – Me olhou tentando segurar o riso.

– Beijinho. – Brian pegou minha mão, beijando a mesma. – Acho que você machucou minha vagina também. – Falei fazendo Brian rir jogando a cabeça para trás, apoiando-a no banco do carro.

– Você não existe. – Falou e enfiou seu rosto na curva do meu pescoço.

– Dá tempo de um oral, amor. – Falei enquanto descia minha mão até sua calça, desabotoando a mesma.

– Eu estou com muito testão, mas temos companhia. – Apontou para o motorista, que tentava manter os olhos na estrada.

– Que saco. – Bufei.

– Calma, apressadinha. – Foi deixando beijos em meu pescoço. – Pode rolar uma rapidinha no banheiro. – Olhei para ele sorrindo.

 

– Porra Zayn. – Gemi enquanto ele metia em mim.

– Você é gostosa pra caralho.. – Apertou mais minhas coxas.

– Eu vou gozar. – Avisei e Zayn me penetrou fundo. – FILHO DA PUTA, AI MEU DEUS. – Apertei minhas unhas em seu pescoço. – ZAYN. – Gozei gritando seu nome.

– Eu vou gozar dentro. – Zayn avisou e aumentou suas estocadas. Em segundos Zayn urrou e gozou em mim.


Apoiou seu rosto em meu ombro, respirando rapidamente.

 

– Você é louca. – Levantou sua calça e abotoando a mesma. – Completamente louca. – Me desceu da bancada do banheiro.

– Cadê minha calcinha?

– Ops. – Sorriu enquanto se abaixava para pegar uma calcinha que estava completamente rasgada.

– Eu não acredito que você fez isso, Malik. – Arregalei os olhos.

– Eu sinto muito, babe. – Me puxou pela cintura. – Acho bom você ficar de pernas fechadas, até chegarmos em casa. – Agarrou minha bunda me fazendo suspirar.

– Vai se foder. – Sorri já sabendo o que ele iria me responder.

– Eu vou te foder. – Sorriu malicioso. – Agora vaza daqui, estou indo logo atrás.


Virei e andei em direção à porta, mas antes de sair recebi um tapa forte na bunda e soltei um gemido baixo. Olhei para trás e Zayn me olhava sorrindo, como se nada tivesse acontecido.



– Brian? O que foi dessa vez? – Perguntei para o meu namorado que estava jogando no sofá com os braços cruzados e uma cara não muito boa.

– Ele, é sempre ele. – Respondeu curto e grosso.

– Ele quem? – Sentei ao seu lado.

– O DESGRAÇADO DO ZAYN. – Gritou levantando do sofá.

– Lá vem você com isso de novo. – Revirei os olhos. – O que ele fez?

– O que VOCÊ fez. – Apontou para mim.

Brian não me deixou falar nada e sumiu na cozinha, mas logo voltou com uma caixa grande na mão, jogou a caixa com agressividade ao meu lado no sofá.

– Por que você guarda essas merdas? – Colocou as mãos na cintura.

Olhei para caixa e vi que tinha presente que eu havia ganhado de Zayn, fotos nossas, brinquedos, ursos, nossos anéis de compromisso e até meu anel de noivado.

– Por que você mexeu nas minhas coisas? – Perguntei me levantando do sofá.

– Você não respondeu a minha pergunta; por que você guarda isso? – Segurou meu anel de noivado.

– Por que eu não guardaria? – Cruzei os braços. – Tudo isso fez parte de uma fase boa e importante na minha vida, não vejo por que me desfazer disso.

– SÃO COISAS DO SEU EX, PORRA, DO SEU EX. – Gritou pegando um porta-retrato e arremessou o mesmo pelo chão.

– O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTÁ FAZENDO. – Gritei e fui para cima dele, tirando outro da mão dele. – VOCÊ NÃO TEM O DIREITO DE FAZER ISSO, BRIAN.

– EU VI S/N, EU VI. – Continuou gritando. – VOCÊ CURTIU FOTOS DELE E FOTOS DE VOCÊS JUNTOS.

– O QUE? Você está de brincadeira com a minha cara, só pode. – Peguei a foto no chão, que antes ficava em um porta-retrato branco e coloquei dentro da caixa. – Está ficando paranoico.

– Eu sei que você ainda ama ele, S/n. Não adianta negar. – A voz de choro já era evidente. – Você sente alguma coisa por ele.

– É claro que eu sinto, passamos 5 anos juntos. Não é fácil esquecer alguém assim, você sabe. – Suspirei sentando ao seu lado. – Mas eu estou com você e nada mais importa. Você me mostrou um novo mundo, com novas cores, é muito clichê, mas, você coloriu o que estava preto e branco aqui dentro. – Apontei para o meu peito esquerdo. – Eu sou muito grata por isso e você sabe o quanto eu te adoro, o quanto eu te amo. Então, por favor. – Fui interrompida por ele.

– Me desculpe. – Disse abaixando a cabeça. – Me perdoa, por favor. Eu perdi a cabeça, fiquei louco com essa insegurança. Eu te amo muito e não quero te perder.

– E você não vai, meu amor. – Puxei seu rosto, o selando. – Porque eu te amo demais, para te deixar partir.

 

 – Quando vai ser o casório? – Lola perguntou.

 – Eu não sei e não estamos preocupados com isso. – Dei ombros. 

– Amiga, você contou para elas do teste? – Becky perguntou e as meninas me olharam curiosas. 

– Deu negativo. Bufei. 

– Droga. – Michele resmungou. – Queria muito um afilhado.

– Mais para frente, quem sabe. – Ri e bebi um gole de vinho. – E como está indo a tour?

– De mal a pior. – Becky suspirou triste. – É tudo tão estranho sem você. Estamos decidindo se continuamos com a banda.

– Vocês não podem desistir da banda, sempre foi o nosso sonho.

– Exatamente, o nosso, incluindo você. Você não está mais na banda, então não faz sentindo… – Meu celular começou a tocar, interrompendo a Lola.

 

Peguei o celular e vi que o nome de Zayn brilhava na tela, junto com uma foto nossa.

 

– É o Zayn. – Levantei. – Já volto.

 

 

“– Ei amor. – Atendi animada.

– S/n, o que eu tenho para falar é rápido

– O que aconteceu?

– Eu não tenho coragem para fazer isso pessoalmente. – Suspirou – Eu quero terminar.

– O que? Você está brincando comigo?

– Eu estou falando sério, me desculpe.

– Zayn? Zayn? Me responde. – E então eu não ouvi mais nada”

 

 

– Lola me empresta seu carro, é urgente. – Entrei na sala correndo

– Toma. – Jogou a chave para mim.

 

Em questão de minutos eu já estava abrindo a porta do nosso apartamento, procurando por Zayn.  

 

– ZAYN? – Gritei sem ouvi algum tipo de resposta. – ZAYN PORRA. – Gritei entrando no quarto. – O que é isso? – Perguntei assim que eu vi Zayn colocando roupas em algumas malas.

– São suas malas. – Respondeu sem me olhar.

– QUEM VOCÊ ACHA QUE EU SOU. – Gritei indo em direção ás malas e as jogando no chão. – VOCÊ NÃO ESTÁ NAMORANDO COM UMA VADIA QUALQUER, GAROTO.

– PARA COM ISSO. – Gritou de volta.

– Por que isso, Zayn? – Perguntei diminuindo o tom de voz. – O que há de errado?

– Eu não sei. – Suspirou sentando na cama, abaixando a cabeça. – Eu reencontrei uma pessoa, eu sinto muito. Eu não queria que fosse assim, eu estou cansado de fingir.

– Fingir? – Sentei ao seu lado.

– Fingir que te amo. – Zayn falou e por um momento eu parei de respirar. – Eu não quero mais isso para mim, isso só vai nos machucar.

– Quem você reencontrou, Zayn? – Perguntei tentando manter a paciência

– Gigi. – Suspirei, eu sabia. – Estamos trocando mensagens há duas semanas, me desculpe.

– Tudo bem, eu perdoo você. – Sorri triste e Zayn me olhou confuso. – Eu te amo muito e sei que você não vai me deixar por isso.

– Você só pode estar de brincadeira. – Negou com a cabeça. – Eu estou terminando com você.

– Não Z, você não está. – Me ajoelhei, ficando entre suas pernas, segurei seu rosto obrigando-o olhar para mim. – Você não pode fazer isso comigo, você não pode fazer isso com nós.

– Eu sinto muito, mas é o fim. – Zayn respondeu baixo.

– Não faz isso comigo. – O abracei fortemente. – Eu estou te implorando, você é tudo o que eu tenho, tudo o que eu preciso.

– Para, por favor. – Zayn falou tentando me afastar dele. – Pare de me torturar assim.

– Apenas me responda uma coisa; você um dia me amou? – Afastei-me dele, olhando em seus olhos.

– Eu te amei muito. – Respondeu baixo.

– Isso já basta, Z. Vamos tentar novamente, dessa vez vai valer a pena. – Zayn abaixou a cabeça.

 – Eu te traí com a Gigi e estou com ela agora. É o fim. – Assim que ouvi essas palavras da boca de Zayn, me soltei dele imediatamente. – Saía da casa, por favor.

 

– Corta. – O diretor gritou. – Foi tudo perfeito, eu amei. – Falou animado. – Se preparem para uma chuva de prêmios, meus amores.

Sorri enquanto colocava o roupão por cima da roupa que estava usando para gravar meu vídeo clipe com Zayn, peguei minha caixa de cigarros e fui atrás de alguns coqueiros.

– Ele não para de falar o quanto amou as cenas. – Ouvi a voz de Zayn e virei-me para olha-lo. – Com todo respeito você ficou magnifica.

– Obrigada Malik. – Sorriu. – Digo o mesmo de você. Quer? – Ofereci o tabaco e ele negou.

– Estou tentando parar.

– Desculpe, eu não sabia. – Coloquei o cigarro de volta na minha boca.

– Tudo bem. – Zayn suspirou. – Será que podemos conversar?

– Pode começar.

– Só nós dois. – Olhou para a equipe que estava desmontando o cenário.

– Tudo bem. – Fiz o caminho para entrar na casa. – Sobre o que quer falar?

– Você sabe. – Sentou-se no sofá. – Nós.

– Zayn. – Suspirei. – Eu não quero falar sobre isso. – Sentei do seu lado.

– Só me escuta dessa vez? E depois eu prometo não tocar mais nesse assunto. – Assenti. – Primeiro de tudo. Eu amo você.

– Ah pelo amor de Deus. – Tentei levantar, mas fui impedida por ele.

– Calma. – Sentou mais perto de mim. – Eu não te traí, acima de tudo eu sempre te respeitei. Eu falei aquilo porque sempre soube que você não me perdoaria.

– Você realmente acha que eu vou acreditar nisso?

– Eu sei que não. – Deu ombros. – Depois de algum tempo pensando eu vi o que tinha acontecido. Eu acabei com a mulher da minha vida, você foi uma das pessoas que mais me ajudou, em os sentidos, a pessoa que mais me amou com todo o coração, sempre fez tudo para me agradar ou para me ver feliz, você fez de mim um homem melhor. – Deu um suspiro longo. – Desde o dia em que te vi, eu sabia que você era a garota dos meus sonhos e desde o dia em que eu te deixei, meu mundo ficou fora de controle, eu só preciso de você para segurar. Toda vez que olho nos seus olhos, vejo que você é tudo o que eu preciso. Eu sinto tanto por tudo o que fiz, eu amo você mais do que nunca, mais do que minha própria vida eu sei que nunca vamos voltar, mas você sempre foi e sempre será a mulher da minha vida. – Abaixou a cabeça. – Eu sinto muito se não era isso que você gostaria de ouvir, mas você sabe, nunca fui bom com as palavras. – Sorriu sem graça. 

– Você sabe que eu te amo, mas isso agora não é suficiente. Só eu sei o quanto eu sofri, por Deus. Eu sofri tanto, você não tem noção. – Os olhos de Zayn marejaram. – Eu senti que nunca ia ser o suficiente para você.

– Não fala isso, meu amor. – Suas mãos pousaram no meu rosto. – Eu não sou o suficiente para você.

– Zayn. – Me afastei. – Com você eu aprendi a amar e com o Brian eu aprendi a ser amada, você entende a diferença? – Zayn assentiu e vi algumas lágrimas descendo pelo seu rosto. – Mas nunca será como eu e você, eu tentei várias e várias vezes, juro que tentei, mas nada disso funciona. Você me prende de um jeito inexplicável, mas eu preciso de alguém que possa me amar incondicionalmente e você não pode fazer isso. – Levantei. – Eu sinto muito.

– Eu posso te amar incondicionalmente. – Levantou e grudou seu corpo ao meu. – Só uma chance. É tudo o que eu peço.

– Zayn, por favor. – Tentei me afastar, mas seus braços me prenderam mais. – Me solta por favor.

– Eu te amo tanto. – Deixou sua cabeça na curva do meu pescoço.

– Zayn porra. – Me afastei bruscamente fazendo-o se assustar. – Vou te dar um tempo para provar que posso confiar em você de novo.  – Falei e Zayn abriu um sorriso enorme, ah esse sorriso, como eu amo ele.  

– Meu amor por você é maior que qualquer coisa no mundo. – Me selou. 

– Ei, calma aí. – Me afastei dele. – Eu ainda tenho namorado, vamos com calma. 

– Eu vou esperar o tempo que for.  – Me abraçou.  – Eu te amo. 


Prontinho!!!