estimulada

A fé sincera e verdadeira é sempre calma; faculta a paciência que sabe esperar, porque, tendo seu ponto de apoio na inteligência e na compreensão das coisas, tem a certeza de alcançar a meta visada. A fé vacilante sente a sua própria fraqueza; quando é estimulada pelo interesse, torna-se furiosa e julga suprir, com violência, a força que lhe falta. A calma na luta é sempre um sinal de força e de confiança; a violência, ao contrário, é uma prova de fraqueza e de dúvida de si mesmo.
Não se deve confundir fé com presunção. A verdadeira fé se alia à humildade; aquele que a possui deposita mais confiança em Deus do que em si próprio, por saber que, simples instrumento da vontade divina, nada pode sem Ele. É por essa razão que os espíritos bons vêm em seu auxílio. A presunção é mais orgulho do que fé, e o orgulho é sempre castigado, cedo ou tarde, pela decepção ou pelas derrotas que lhe são infligidos.
—  Allan Kardec - O Evangelho segundo o Espiritismo - Cap. XIX.: Poder da fé