estagios

Em Portugal, há empresas cuja maioria da força de trabalho é composta por estagiários. O fenómeno é recorrente em empresas que estão a iniciar actividade. Como não têm verbas suficientes para pagar ao número de trabalhadores de que necessitam (ou julgam necessitar), recorrem a estágios, sejam curriculares (sem remuneração), profissionais (financiados pelo IEFP) ou ilegais. Em seguida relatamos uma história ilustrativa. O texto, que partiu dos testemunhos de estagiários e do responsável da empresa, está dividido por datas para melhor compreensão:

1 de Setembro de 2014
Seis jovens começaram um estágio profissional (via IEFP) num novo projecto jornalístico da empresa Palavras Reais: o Jornal Região de Valongo. Foram integrados numa equipa que tinha mais quatro trabalhadores. Inicialmente, todos trabalhavam a partir de casa, uma vez que a redacção ficava num espaço alugado que ainda não tinha secretárias, cadeiras, computadores, etc.. Só perto do final do mês, já com condições para trabalhar, se mudaram para o local.

8 de Outubro
O primeiro salário foi pago, mas com quase 100 euros em falta, tal como o responsável da empresa nos confirmou. Aos estagiários foi dito que tinha havido um engano da contabilidade e que o montante seria restituído no vencimento seguinte. Mas nessa altura voltou a haver problemas. A empresa justificou-se com um alegado atraso de uma transferência do IEFP.

14 de Novembro
Já depois de os jovens trabalhadores terem ameaçado fazer queixa, a Palavras Reais fez um depósito bancário de 300 euros na conta de cada um. A situação era irregular, porque nos estágios profissionais o pagamento tem de ser feito por transferência bancária. Para os estagiários, isso era o menos importante.

de Dezembro
O resto da dívida foi saldado. Além de referir os atrasos estatais, a direcção da empresa admitiu por escrito que havia problemas de tesouraria mas assegurou aos estagiários de que as “perspectivas de consolidação do projecto” eram boas. E partilhou as expectativas de receitas até final de Janeiro, nos três jornais do grupo: 43.700 euros, incluindo 25.400 euros de tranches do IEFP.

No meio deste processo, os estagiários procuraram informação no IEFP. Descobriram que a 17 de Setembro tinha sido paga à empresa uma parcela do bolo total relativo aos seis estágios profissionais. Estranharam, portanto, que no final do primeiro mês de trabalho já não houvesse dinheiro para lhes pagar. E fizeram então uma exposição ao director do IEFP de Valongo que prometeu averiguar a situação. O responsável do jornal admitiu que parte das verbas foram utilizadas para que o projecto pudesse prosseguir e foi dada garantia aos estagiários de que estavam a ser encontradas soluções para que as coisas se estabilizassem.

Início de Dezembro
Os seis jovens cessaram o seu contrato por falta de pagamentos. Ao acederem ao site da Segurança Social, aperceberam-se de que os seus descontos tinham sido feitos devidamente.

5 de Janeiro
Apesar de dever remunerações aos dez trabalhadores do Jornal Região de Valongo, a Palavras Reais publicou um anúncio para contratar mais jornalistas.

17 de Fevereiro
Os seis jovens reuniram-se com o director do IEFP de Valongo e souberam que o Estado ia avançar com a execução fiscal da entidade, depois de terem passado os 60 dias legais para pagamento da dívida.

7 de Maio
Ainda nada foi pago.  Os estagiários acreditam que a empresa não vai ter dinheiro para lhes pagar seja o que for, pois num processo destes quem recebe primeiro são as entidades credoras (neste caso, o IEFP), ficando as dívidas aos trabalhadores para segundo plano. O instituto admitiu até que há a forte possibilidade de a empresa não pagar nada a ninguém, mesmo depois da acção judicial. 

A Palavras Reais diz que, se os jovens não tivessem abandonado, o projecto teria vingado e hoje teriam os salários em dia. Eles respondem que foram forçados a sair por não receberem e lamentam terem rejeitado outras ofertas de trabalho em detrimento do Jornal de Valongo.

Estágios na AKTO studio. Contacte-nos para saber como estagiar connosco para o 213900551 ou 919608063 ou por email para info@aktostudio.com

Internships at AKTO studio. Contact us for more information on how to do tour internship with us, at 213900551 or 919608063 or by email to info@aktostudio.com

#aktostudio #crafts #oficios #artsandcrafts #arteseoficios #restoration #conservation #restauro #conservacao #intern #internship #estagio #estagiar #estagios #crafting #craftsmanship #craftsmenship #lisboa #lisbon #portugal #principereal (at AKTO Studio)

Há dias, este operador turístico publicou em um anúncio em sites como o Net-Empregos e o OLX a indicar que iria violar as leis laborais. Em oferta, está um estágio a tempo inteiro no departamento de reservas da empresa, com a duração de seis meses, em época alta de atividade. A remuneração definida para o estagiário, 250 euros mensais, não chega a metade do salário mínimo nacional (505 euros) e está bem abaixo do menor valor legislado para os estágios profissionais (419 euros para pessoas com curso de nível 2 ou inferior). Desconhece-se, portanto, em que modelo de estágios se baseou a Solférias ao fazer a proposta.

Há precisamente um ano, a empresa publicou um anúncio praticamente igual, tal como divulgámos. Até quando servirão os estágios como fachada de trabalho precário e ilegal?

Estágios, leituras e reta final....

Bom, estou aqui por volta de 5 meses e estamos nos preparando para o último mês desse primeiro semestre aqui no CTMDT. Fase final de entrega de trabalhos, leituras e decisões que vão caminhar com a gente nos próximos anos.

É claro que passou muito rápido. Mas é uma coisa sem lógica. Parece, em termos de tempo, que estou aqui apenas algumas semanas, mas em termos de aprendizado da parte de Deus e acadêmica, parece que aprendi por uma vida toda. Ainda tenho muito que caminhar, mas o que Deus tem feito é muito intenso e muita coisa ao mesmo tempo.

Fora as amizades aqui dentro. A convivência de apenas alguns meses, por ser intensiva e comunitária, dá a impressão de anos andando juntos. Isso é muito legal e como Deus tem usado isso para o tratamento e aprendizado.

Também tem sido o período de algumas decisões que vão estar comigo nos próximos semestres. Um exemplo é a escolha do estágio. O CTMDT tem estágios que os alunos tem que participar. Eles são divididos em ministeriais e sociais.

Os ministeriais são em conjunto com a Igreja Batista da Lagoinha. Nós podemos trabalhar com o Ministério infantil, Mocidade, Adolescentes e Ministério de Louvor.

Os sociais são projetos como o asilo, presídio, escola, vila (Vila Ferraz) e hospital. Onde nós fazemos visitas e projetos para esses locais.

Ainda estou em dúvida, mas os que mais me interessaram foram o hospital, a mocidade e principalmente o presídio. Ainda não decidi, mas Deus vai direcionar.

Achei que aqui não pensaria nisso mas, quero férias! Apesar de ser muito bom toda a rotina, ela é bem puxada eu as vezes seu corpo pede descanso.

É as fotos tem falado muito o que tem acontecido por aqui. Apresentação de trabalhos e dia a dia. FOTOS AQUI


Naquele que é bom e Seu amor dura pra sempre…. 

«A rede The Luxury Network é o grupo líder mundial de marketing de afinidade, parcerias e eventos, direccionados para o mercado empresarial e para o consumidor final, sendo descrita pela comunicação social britânica como a próxima geração de marketing para marcas de luxo». Assim se apresenta a empresa no seu site oficial, onde também podemos ver que têm escritórios espalhados por todo o mundo. Mas, apesar de estarem sediados também em Lisboa, os responsáveis da The Luxury Network não conhecem as leis laborais portuguesas.

Num anúncio publicado no Carga de Trabalhos, a empresa indicou estar à procura de, não um, mas três estagiários licenciados em simultâneo. O trio irá dar assistência ao director-geral da empresa, em todos os projectos de marketing, relações públicas, comunicação e design gráfico. Não é indicado se os três seleccionados terão perfis semelhantes ou complementares (para formarem uma equipa). A duração do estágio também não é indicada. Apenas é revelado que não há remuneração para ninguém.

Será que em algum dos países onde a The Luxury Network opera é legal contratar trabalhadores e não os remunerar? Cá, sabemos que não é.

Doida pro dia 6 de agosto chegar...

Dai a vida de muito gente vai melhorar 100%, e varias pessoas passarão um ano maravilhoso sem mim :D
Tentar conseguir um estagio, pra trazer 1 ano e mais alguns meses de alegria pra eles!
Mesmo que esse intercambio seja uma merda, ficarei feliz em saber que melhorei a vida de algumas pessoas passando mais tempo lá.

Não estou morrendo por você, eu juro. É que ultimamente os sentimentos andam mais confusos que o normal. Espero profundamente, que esse momento de perdição seja o último estagio do amor. Aquele em que o balão de ar percebe que esta furado e que foi esvaziando um pouquinho mais a cada dia. Acho que o ar do meu esta no fim.

O problema disso tudo é que estou regredindo ao deixar que meu amor se envenene de ódio. Saiba que, para cada gota de sentimento bom que eu nutria por você, hoje é uma gota a menos de afeição.

Não sei bem o que eu quero de você, já que nunca houve esperanças para um “nos”, mas sei que espero. Estou esperando suas palavras me ferirem tão profundamente que eu queira chorar, estou esperando que você me magoe e não volte para pedir desculpas. Sei que vai doer muito mais do que eu parar de te amar, mas é que sou assim, funciono melhor com “ tapas na cara”, não julgue mal afinal, eu só estou esperando você me soltar pra vida.

Vaga de Social Media na s3

Pra quem é da comunicação. Pra quem tem na redação a sua qualidade. Pra quem respira redes sociais, tem boas ideias, cria conceitos, é organizado, antenado e trabalha em equipe.

5h+bolsa auxílio+VT+café

CV para vagas@agencias3.com.br com o título VAGA SOCIAL MEDIA