esquecida

O tempo. É isso que importa? Passou-se tão pouco, mas parece uma eternidade. Quanto tempo é uma eternidade? Três dias, três meses ou três anos? De que importa o tempo se o que sentimos é real? Um dia ou uma hora. É eterno enquanto você estiver aqui.
Hoje é uma data importante. Não é o meu aniversário, nem o seu aniversário. É o nosso aniversário. A data circulada no calendário do meu interior desde que eu e você passamos a ser nós. Dou o máximo de mim sempre que posso, mas o que posso dizer nesse dia tão especial? Estou aqui lhe escrevendo uma carta com minhas próprias palavras e minha própria letra para falar-lhe algo que nem sei. Porém, espero que goste.
Talvez eu deva começar pelo o que eu sinto, minha paixão por você. Sabe aqueles momentos em que olho para você com um sorriso bobo ou quando te abraço de repente? É quando meus sentimentos explodem em mim e preciso de demonstrar de alguma maneira. Tão sutil, não é? Você não percebe, provavelmente, mas eu quero que saiba.
Ou talvez eu deva começar pelo o que eu espero de você: espero que você lute, assim como eu, pelo nosso pra sempre, ou melhor, pelo nosso agora sempre que puder. Espero que nossos “agoras” sejam eternos. Cada dia será um dia novo, não uma continuação do dia anterior. Cada dia tudo será renovado. E se eu estiver com raiva ou triste, espero que você não desista de mim, assim como não vou desistir de você.
Ou talvez eu deva começar com o nosso parabéns. Parabéns pra você. Parabéns para mim. Que essa data continue a repetir. Que nossos lábios nunca deixem de se encontrar. E muito menos de sorrir! (rima tosca, eu sei).
Ou talvez eu deva falar dessa moldura que estamos fazendo juntos. Temos que trabalhar muito nela para não deixar a nossa pintura frágil se destruir. Hoje, nessa data especial, podemos pincelar mais, continuar essa pintura sem fim. Mas não podemos deixar de construir nossa moldura. Você quer continuar a proteger nosso frágil quadro? Vamos continuar trabalhando juntos até nossa arte ter uma forma? Nossa própria forma, o que nós escolhermos, e se algo der errado, dependendo do nível do erro, podemos apagar ou refazer algo. Você quer?
—  Uma carta para alguém.