escritorasdebordel

Sou eu, apenas desejando que me ames como te amo. Só aquele amor ou uma paixonite, que causa várias borboletas no estomago, elas me reviram e me deixam malucas só que elas me fazem um bem. Quando o vejo, sinto seu perfume ou de repente se nossos olhares se cruzarem em meio uma conversa. Só desejo, que sintas como sinto as dores do amor, aquelas que passam e voltam as que me não me ajudam a dormir e deixando-me com olheiras, sonolência, e uma coisa que não passa fácil. O teu amor. Apenas desejo, que venha pra mim, como eu vou pra você dia e noite. Apenas quero que você sinta o mesmo que sinto por você. É muito sofrimento saber que eu te amo tanto assim e você não sente nenhuma gota de amor por mim. Parece que meus sentimentos são toneis de lixo para você. Eu realmente poderia ter amado outra pessoa, mas não é a gente que escolhe isso, e sim nosso coração. Mas não posso culpar sempre meu coração, porque eu fui alimentando esse amor. E hoje vejo que preciso muito de você, sinto esse amor crescendo dentro de mim todos os dias, mas também cresce minha tristeza por você não me amar do mesmo jeito. É difícil te olhar e ver que seus olhos não brilham ao me ver, que seu coração continua batendo no mesmo compasso de sempre, no mesmo ritmo de um sono profundo. Já o meu, posso dizer que fica quase como um trem desgovernado à ponto de sair dos trilhos, só não vê quem não quer. O que eu sinto está escrito em caneta fluorescente no meio da minha testa e em negrito. Queria que me amasse, que fosse eu aquela na qual te tira o sono e te faz ficar com a perna bamba ao ouvir o som da voz, mas eu não te causo nem cócegas, acho que nem ao menos sorriu algum dia por me ver. Já disse que sou chata, arrogante, vive dizendo que só falo asneira, mas no fundo sei que se importa, que me quer por perto, mesmo que simplesmente para dizer o que não sente por mim. Só peço que não se vá, que me aguente, mesmo que a vontade dos seus pés de sair de perto seja imensa. Eu vou ficar aqui, esperando você decidir o que sente, saber que gosta de mim mais do que pensa. Enquanto isso eu vou levando, vagando por aí sem ter você pra dar a mão. Vou continuar te amando, mesmo sabendo que você não me ama tanto assim. Sei que em algum dia você vai gostar de mim, pelo menos eu espero que sim. Espero poder te ter todos os dias. Sei que isso não sera impossível, basta você querer. E em quanto esse dia não chega, eu vou ficar imaginando nós dois como sempre fiz.
Eu namorei uma garota que lia. Lia muito, e escrevia também. Pra ser sincero, acho que a gente nunca combinou muito, mas eu gostava dela. Eu era meio desligado, e ela era sempre antenada em tudo. Eu era cheio de dúvidas e ela sempre tinha uma explicação minuciosa pra cada coisinha que existia. Ela adorava dias frios, dizia que eram os melhores para ficar debaixo de algumas cobertas, tomando um chazinho bem quente e lendo um bom livro. Ah, ela ficava linda quando lia. Ela já era naturalmente linda, mas tinha alguma coisa a mais que me encantava nela quando eu a via com um livro na mão. Era como se aquilo fosse tão sagrado pra ela. Os olhos dela brilhavam mais a cada página que ela virava, e ela ficava toda boba depois, tentando me explicar alguma coisa sobre o que havia lido. Pra ser sincero, eu nunca me senti suficiente pra ela. Eu sei que ela merecia muito mais. Merecia alguém capaz de entendê-la como eu nunca a entendi muito bem, e alguém capaz de lhe dar um futuro, como eu nunca tive vontade de ter. Eu era meio do avesso e com todos os anos de vida que tinha pela frente, jamais pensei nem ao menos qual profissão gostaria de seguir, e ler sempre foi algo de outro mundo, o mundo dela. O mundo de alguém que mal saiu do colegial e já pensava em ser uma neurologista renomada, ter uma família e dois filhos, fazer viagens internacionais e falar várias línguas. Não sei que futuro serei capaz de oferecer a ela ou se nós ao menos teremos um futuro juntos, mas com toda a certeza dei todo o meu amor e fiz o possível para ser merecedor daquele sorriso, que se estampava em seus lábios a cada página virada de um livro que mal entendi o título, e da sua paciência ao tentar me explicar coisas que eu obviamente não poderia entender. Sempre me encantei pela leveza de como ela levava a vida, pelo jeito dela sempre ter uma resposta pra tudo. Eu não sei o que ela viu em mim, mas eu vi tudo nela. Tudo o que era certo pra mim, mas que pra ela era normal. O que eu senti é uma coisa fora do comum, alguém tão diferente de mim ser capaz de me prender. Nosso relacionamento era um daqueles que a gente podia ver de longe que não duraria, mas o tempo em que passamos juntos foi muito bom. Foi melhor pra mim do que pra ela, confesso, até porque ela me ensinava as coisas e eu só absorvia. Eu fui tão inseguro, ficava sempre imaginando ela com outro alguém, totalmente diferente de mim. Até o dia em que eu a deixei livre pra ir encontrar o que realmente era dela, por direito. E ela foi. Como um passarinho que sai do ninho depois de aprender a voar. Espero que, voando por aí, ela acabe encontrando alguém tão bom quanto ela, capaz de dividir suas experiências sobre livros, de lhe aquecer em dias frios, e de lhe dar tudo o que eu não pude. Infelizmente.
Eu quero nós, quero você fazendo cafuné em mim até pegar no sono, quero você me dando abraços inesperados, quero você ligando pra mim as 3 horas da manha pedindo pra ir aí porque não consegue dormir, quero você me acordando de madrugada pedindo pra trocar as crianças, quero nós comemorando aniversário de 50 anos de casados, quero você correndo atrás das crianças quando elas começarem a andar, quero que chegue em casa com um buque de flores, quero tudo isso e mais um pouco, pois que quero você aqui, de qualquer jeito, de qualquer maneira, só quero você, com suas birras, suas manias, suas idiotices. Porque mesmo quando você diz que não é ou tenta não ser a pessoa mais perfeita que eu já conheci, você é. Mesmo quando eu te mando ir embora e você vai, sabendo que na realidade eu queria que você ficasse. Mesmo quando eu espero a madrugada inteira por uma ligação sua e você não liga. Mesmo quando você grita fazendo minha cabeça girar e meu corpo implorar por um pouco de atenção sem rancor. Você é tudo oque eu sempre quis pra minha vida, mesmo que você desacredite ou que eu diga que não. Mesmo que você se canse ou encontre alguém melhor, porque em cada rua, prédio ou bar, existe uma cocha mais grossa ou um cabelo mais ajeitadinho que talvez te fizesse muito mais feliz do que eu. Falo isso tudo, mesmo que saiba que você não vai desistir, porque eu sei dos estragos que eu fiz e das cicatrizes que eu te fiz. Tá vendo esse coração? Tá machucado, sangrando, cheio de hematomas. Não chora não, a culpa não é sua, a culpa sempre foi e sempre será só minha, me desculpa por ter te feito chorar acreditando que você era o culpado pela dor. Eu as causei, quando te mandei ir embora, quando não disquei o seu número pra parecer decidida e determinada, quando não apareci pra parecer que desapareci e te fazer aparecer. É complicado, sou complicada, sou impulsiva, sou impossível, eu sei. Mas não desiste. O impossível só é impossível se você acreditar que é. Luta por mim, fica, me segura, não me deixa cair, não vai embora. Por mais que seja difícil, fica. Porque eu preciso de você e sei que você também precisa de mim. Deita aqui, segura meu braço firme, me olha nos olhos, diz que nunca vai embora. É tudo oque eu preciso. Você é absolutamente tudo o que eu preciso. Eu quero você hoje, amanhã, depois, depois, depois e depois. Você não sabe o quanto eu desejo você, o quanto eu peço a Deus pra que ele cuide de ti, o quanto eu choro todos os dias só de pensar em te perder, o quanto eu tenho medo de você gostar tanto de uma pessoa ao ponto de se esquecer de mim. Eu sei que sou chata, insuportável, compulsiva e ciumenta, mas cara, vem pra cá e fica. Quero sua companhia, eu quero você. Quero acordar de madrugada e ver você deitado ao meu lado, quero que você faça café da manhã e traga pra mim ao acordar, ter uma família com você e um cachorro chamado Ted. Meu futuro só inclui você e você. Nunca pensei que iria amar tanto uma pessoa ao ponto de pensar só nela. Seu sorriso é lindo, seu corpo é lindo, seus olhos são lindos e sua boca é uma delícia. Quero beijos, mordidas, carinhos e sorrisos. Quero eu e você, apenas.
Calça jeans. Cabelo solto. Sorriso maléfico. Senso de humor ácido. Sinceridade arrogante. Olheiras profundas escondidas atrás de um blush exagerado. E dor. Dá pra acreditar? Dor. Mas você não vê, pois ela está escondida atrás do jeito estúpido e das grosserias que eu digo vez em sempre. Não precisa ter pena não. Dó pra mim é o fim do mundo. Não quero que você passe a mão no meu cabelo e diga o que você acha disso tudo, porque eu sei como as coisas são. Sei que escolhi ser assim, sei que tenho várias opções, sei que tem outras formas de resolver as coisas. Eu sei de tudo isso. No dia em que você viver todas as minhas dores, abraçar todas as minhas causas, arrumar toda essa minha bagunça, pagar todas as minhas contas, viver todos os meus pesadelos diários, comer todos os legumes do meu prato, chorar minhas lágrimas até cair no sono, e cometer todos os meus suicídios internos, você abre a boca pra falar da sua opinião que pouco me importa. Tô cansada, sabe? Cansei. Se quer falar de mim, bora bater um papo. Acho engraçado essa gente que sai por aí falando o que não sabe. “Ah, ela é tão ignorante”, “ela é muito antipática”, “essa aí dá patada em todo mundo”, “que garota mais grossa”. Você sabe o meu terceiro nome, por acaso? Sabe dos sapos que eu engoli antes de me tornar quem eu sou agora? Sabe dos medos, dos choros, das dores, das cicatrizes embaixo das mangas longas, dos risos falsos estampando uma dor que ninguém via, que ninguém se preocupava em entender, que ninguém percebia, que ninguém amparava? Não, você não sabe. Então quando quiser falar de mim, puxa uma cadeira e abaixa a cabeça, porque, meu amor, o que você sabe de mim, é só o que eu deixo que você veja. Metida? Quê? Nunca. Não mesmo, sem ironia. Só sou sincera e realista. Porque quando eu passo na rua você nem cumprimenta, mas no meu aniversário vem desejar tudo de bom no facebook. Fica sem graça não, você sabe que é verdade. Eu não sou sua amiga. Eu não sou amiga de quase ninguém e eu acho isso, mas eu tenho certeza que nem pra tua vizinha eu sirvo porque conviver com você seria um porre. Mudei, mudei sim. Cansei de ser a idiota que procura motivos pros erros de todo mundo pra não ver a falsidade exposta que todo mundo tem. Cansei ser a boazinha que prefere perdoar, porque sentiria uma falta imensa daqueles que nem ao menos se importam. Amigos né? É assim que deveria chama-los. Pois agora prefiro mil vezes passar o resto da minha vida sozinha a ter que aguentar esse tipo de gente. Suportei por tempo demais toda essa falta de vergonha na cara, mas foi tempo suficiente pra perceber que nenhuma delas valia a pena. No fundo eu sinto que vou me arrepender de deixar tudo pra trás, me afastar de todos e ter que recomeçar uma vida praticamente nova, com novos rostos, sorrisos. Mas ninguém se importa. Minha aparência está ótima, todas as minhas imperfeições das noites de choro constante e sem dormir foram encobertas e pareço melhor que nunca. Minha boca está preparada pra dizer qualquer frase que prove isso pra quem quer que seja. Posso estar destruída por dentro, mas o que eu sinto, ninguém precisa saber. E se, vez ou outra, você me ver calada demais, agradeça. Sim, você iria odiar saber metade do que eu penso ou sinto. Não me importo mais com o que falam, ou pelo menos, não me importo mais agora. Grossa, fria, insensível, por que diabos vocês tem que rotular tudo? Mas tanto faz, eu gosto de ser assim. Eu me aceitei assim, e tô até feliz, se quer saber. Se ainda quiser alguma explicação pra isso tudo, tudo bem, eu te explico. Eu apenas cansei. Cansei de ser idiota, sabe? Aliás, cansei de idiotas. Mas tá tudo certo agora, maquiagem bem feita, cabelo arrumado, aquele típico tom sarcástico na ponta da língua, aparentemente uma garota perfeita. Ótimo, ninguém vai desconfiar.
Tá pensando que eu vou ficar correndo atrás de você? Espera aí sentado por uma ligação minha. Eu te deixei mal acostumado, te perdoando sempre, ficando disponível o tempo todo pra você, te ligando o tempo todo, te dando carinho quando você não merecia. Só que agora a história é outra meu bem. Eu cansei de ser a sua idiota, de passar o tempo todo vivendo pra você enquanto eu estava esquecendo de cuidar de mim. Agora estou deixando meu orgulho agir, estou querendo me proteger de você. Quero esquecer que perdi noites da minha vida tentando te fazer acreditar que eu gostava de você. Quero fingir que não me humilhei por uma pessoa que nunca veio atrás de mim pra me pedir desculpas. Você me procurava só quando não tinha nada melhor pra fazer ou então quando terminava algum relacionamento. Me mandava uma mensagem toda fofa falando que estava sentindo minha falta. E eu? Como sempre, a boba da história, ficava com você, porque ao contrário de ti, eu gosto de você de verdade, e você aproveitava desta situação para alimentar teu ego, se achando o “bonzão”, só porque me tinha nas mãos. Falava que estava com saudade e que eu fazia muita falta, e depois de dois dias sumia de novo, nem dava satisfação nem nada, eu sou uma idiota, uma completa idiota. E eu sei que só aguentei tudo isso porque achava que você gostava de mim. Mas não. Eu me enganei, errei mesmo em acreditar em ti, em te mimar sempre. Mas agora eu cansei de viver sempre na sua sombra, acho que tudo tem um limite e o meu chegou. Eu parei com isso de perdoar, não vou te aceitar de novo na minha vida, eu já passei dessa fase de achar que a culpada sempre era eu. Liga, manda sms, me espera voltar, faz o que você quiser, mas espera sentado, porque isso não vai mais acontecer, a partir de agora estou preocupada com meu bem estar, com minha felicidade e posso jurar que você não fará parte dela. Então é isso, você já não passa de uma página virada do livro de minha vida, uma página mal escrita que, em certas vezes, eu me arrependo de ter escrito.
Por um tempo eu deixei a tristeza me dominar, mas agora é totalmente diferente. Depois de milhares de noites sozinha e chorando, percebi que todo o sofrimento que eu passei foi em vão. Eu deveria estar rindo e não chorando, deveria ter saído pra conhecer novas pessoas, novos lugares, fazer loucuras e não me arrepender. Passei um certo tempo isolada do mundo tentando esquecer as pessoas que me fizeram mal, chorei milhões de dores para tentar curar o meu coração ferido, e pode até ter sido bom pra mim, pensar um pouco na minha vida, só que eu não deveria ter feito isso, chorei demais por quem eu não deveria nem lembrar do nome. Hoje, eu vi que todas as minhas lágrimas não deveriam ter sido derramadas, e agora eu percebi que só devo ser feliz e mais nada, devo aproveitar todos os segundos que eu tenho pra procurar algo que me faça bem. Não preciso mais perder meu tempo com essas coisas, isso só me fez mal. Eu preciso é acreditar em mim mesma e ser feliz, apenas isso. Não tenho que ficar chorando por alguém que não me quer, eu tenho é que partir para outra e deixar isso de lado. Sei que posso, e eu vou fazer. Cansei de forçar sorrisos, de chorar sempre quem me lembro de ti, de ficar trancada em casa sofrendo… Cansei de tudo, e eu realmente não quero mais isso pra mim. Não vou chorar por quem não soube valorizar nem ao menos o meu sorriso. Está na hora de perceber que o tempo não muda nada se não tomarmos alguma atitude. Importei-me demais, senti o que mais temia e ao final não foi o suficiente pra você. Te esperei por um longo prazo, te dei mil chances, mas esqueci de dar uma oportunidade pra mim mesma. Você me ofuscou, tirou meu brilho e não se importou. Mas agora é diferente, mostrarei quem sou e não me vem em mente agradar mais ninguém. Ser feliz é minha principal meta, por algo que vem de dentro, que será eterno. Irei andar de mãos dadas comigo, e viverei a maior história de amor; o próprio. É isso. Algo que resutará em felicidade em harmonia com sigo mesma. Era isso que faltava pra me tornar alguém sem opniões alheias, ter a minha. Dizer estou bem, sem aspas é algo prazeiroso, dizer isto é apenas o começo de estar feliz e ter este amor comigo. E dizer, que estou indo em rumo a minha felicidade.
Saudade. Palavra vinda do latim ‘solitatem’, que quer dizer solidão, nada mais é do que sentir falta daquilo que não se tem ou perdeu-se. Pesar, pela ausência de alguém que nos é querido. Todo esse rodeio de explicações e significados, só foi dito para que tivesse certeza do que aquele “Estou com saudade”, dito horas depois do nosso último beijo pudesse significar. Sei que as vezes não entende o quanto te quero por perto mesmo que separados por míseros cinco minutos, mas é assim que me sinto quando estamos longe um do outro, solitária. Fico sem chão só de pensar que posso precisar de um abraço seu a qualquer momento e você não estará aqui pra me reconfortar de todo e qualquer medo, ou simplesmente estar ao meu lado quando me for necessário. Acho que mais que sentir sua falta, isso já se tornou precisar. Preciso de você ao meu lado para que tudo fique bem. Porque mesmo ciente que você me ama e sente minha falta nos momentos de solidão, as vezes parece que essa minha saudade nada mais é do que medo de lhe perder. Isso mesmo. Talvez um pouco de insegurança da minha parte. Medo de você encontrar alguém melhor do que eu, e me largar. Talvez - mas só talvez - seja por isso que eu lhe desejo a todo instante do meu lado. Para assegurar-me que quanto chegar a noite e encostar a cabeça no travesseiro, seu único pensamento será os momentos que passamos juntos naquele dia. Mas talvez - só talvez - seja porque o meu coração é fraco o bastante por não aguentar ficar longe de ti nem por um segundo sequer. Ou talvez - ainda só talvez - seja porque meu amor por ti é grande o bastante e lhe almeja a todo instante.
Não é que eu seja antissocial, antipática, nem nada do tipo. Eu só não gosto de gente, tumulto, multidão. Pessoas me olhando me dá a enorme sensação de que meu nariz está sujo ou que esqueci de escovar os dentes, e um pedaço de alface enorme aparece todas as vezes que tento sorrir. Sempre acho que tem algo de errado. O mesmo acontece quando tento conversar com alguém, é estranho, as palavras não saem e por mais que pense em dizer algo eu não consigo e o assunto morre logo depois da tão famosa frase “o que anda fazendo”, seguida da minha resposta de sempre “Nada!”. Eu faço sim, várias coisas. Como, durmo, estudo, leio, assisto programas de tv que mal sei o nome, mas ninguém precisa saber, até porque, ninguém se interessaria por uma explicação detalhada sobre as fases da mitose ou o quanto chorei no final de ‘A culpa é das estrelas’, que terminei de ler logo após me viciar em mais uma série dessas de quinhentas temporadas, que provavelmente só chegarei ao último capítulo no ano que vem. Eu gosto de socializar com quem me entende, sabe dos meus gostos, manias e mesmo assim continua ao meu lado. Tenho medo de espantar quem não me conhece e acha que sou muito menos do que realmente sou. Tá, certo. Convenhamos.. eu sou sem ser. É quase que impossível alguém conseguir desvendar os meus mistérios, quando, nem eu mesma sei-os com plena convicção. Digo-lhe isso, pois, já fui em uma cartomante e ela gritou aos quatro cantos do mundo que as linhas da minha mão mostravam personalidades, não duplas, mas sim triplas, quadruplas e que o meu destino se cruzaria com ele mesmo diversas vezes por no meu pensamento não existir veias e sim confusões. Penso comigo mesmo: Se alguém chegar ao ponto de tentar querer me desvendar, não irá enlouquecer? Num ar supérfluo, nem eu mesma tenho capacidade de me conhecer, porém, louca já me denomino. Gosto da solidão. Prefiro boleros em meio á salões vazios e cheios de almas vazias criadas pelo meu âmago para não se sentir sozinho em meio aquelas multidões de pensamentos inexistentes. Consegue me compreender? Não, não consegue. Ninguém nunca me entende. Comigo nunca é. E nunca será. Sei disso. Queria poder não entender, mas sim conseguir ao menos saber o que estou fazendo e porquê, normalmente faço coisas que cá entre nós não são lá essas coisas. Normalmente escrevo quando sei que estou “supostamente” atrapalhando a vida das pessoas, e isso tem me ajudado e muito. Estou conseguindo me descrever, explicar as minhas maninas, tentando dizer o que me vem há cabeça cada vez que ouso aquela musica, sabe, essas coisas. Talvez com o tempo eu me refugie de vez, e prefira ficar trancada o dia inteiro procurando me entender do que conviver com pessoas que se bem sei nunca entenderam.
O problema não é perdoar, é confiar de novo.
Eu esperei por esse momento durante muito tempo, só que agora eu não sei o que fazer. Não sei se isso é realmente o que eu quero. Quer dizer, você ainda é atraente, eu ainda te amo e quando me deixou eu contei até os segundos para esse nosso reencontro, pra ouvir você me dizer essas coisas que acabou de dizer. Coisas do tipo que você sempre usava para me iludir e eu acreditava, ‘Eu te amo’, ‘Eu não consigo viver sem você’. Se fosse há um tempo atrás eu continuaria acreditando, porque, como dizem, quem ama confia. Mas cara, quando uma pessoa diz que vai ficar e no outro dia vai embora, você acaba perdendo a confiança nela. E não existe relacionamento algum sem confiança, pelo menos não para mim. Portanto, eu não sei se posso continuar acreditando em suas palavras. Quem irá me garantir que daqui a algum tempo todos esses seus dizeres não irão para água a baixo novamente? Quem irá me garantir que você não vai querer desistir, e jogar tudo pro alto quando as coisas ficarem difíceis? Você tem esse defeito estúpido de jogar as suas ríspidas palavras sobre mim sempre que as coisas não funcionam da sua maneira. Você afeta o meu íntimo, como quem toca em uma ferida aberta, e faz com que o meu coração se despedaçasse. E então você vai embora, fazendo com que eu me sinta totalmente culpada, você deixa pedaços de você por toda parte, e eu vejo essa atitude como um incentivo para a minha própria tortura. Todo esse seu joguinho sempre foi perceptível por mim, embora eu nunca tenha conseguido te mostrar o que enxerguei.. É que você tem uma força tão sublime, você me puxa para perto de si sempre que percebe que está me perdendo, e aí você solta essas frases soltas que sinto tanta falta quando não as escuto, e isso é suficiente para que o meu coração se enobreça. Isso é suficiente para que todas as mágoas se camuflem, mas em momento algum foi suficiente para apagar todas as palavras que me diz quando as situações são tão complexas, ao ponto de fazer com que você pense que a solução para elas não existe. E nesse momento volto ao ponto principal, como posso acreditar em um relacionamento sólido novamente, sabendo que atrás de alguma porta que juntos abriremos estarão as suas atitudes fajutas e as suas palavras que são donas de uma frieza tão intensa facilmente comparadas a um conjunto de icebergs? Como posso acreditar em você, quando suas ações não condizem com seus dizeres? Mas te peço que me responda essa última pergunta querido, como faço para tirar você e esse seu sorriso tão galanteador da minha memória e desse coração que grita pelo seu nas noites em que ao meu lado você não se está? Como faço para não ter a sensação dos seus toques em meu corpo sempre que fecho os meus olhos? Como posso fazer para tirar-te da minha vida completamente, e me sentir leve, sem ter medo de ter o coração ferido ao amanhecer? Me responda, como posso deixar de amar você?
Amor é uma doença que não tem cura. Nenhum cientista até hoje teve capacidade de desvendar o segredo por detrás de uma palavra tão simples e com efeitos devastadores. Quando me foi perguntado a respeito do amor eu não soube responder, então pensei em você e sorri. Não por você, mas pela minha incrível habilidade de amar alguém que normalmente não se importa com a minha existência. Talvez essa seja a resposta, pois a melancolia extrema só é seguida de uma falta de reciprocidade. Eu, aos 17, sei muito mais sobre amor do que podem imaginar. Não amei muito, aliás, o amor é algo em falta atualmente, mas sei o que acontece por trás disso tudo e posso resumi-lo em algumas palavras facilmente compreendidas: saudade, querer, sofrer, chorar, sorrir, borboletas - aquelas existentes em seu estômago -, calafrios, e sensações estranhas. Acontece sempre um dilema interno onde brigamos com nós mesmos tentando, sem sucesso, entender o que se passa nessa confusão toda e tudo sempre leva a mais perguntas que não sabemos responder. Talvez tenha me enganado a respeito do saber o que é amar, afinal nenhum questionamento meu até hoje teve resposta. E aí, o que é o amor pra você? Muitas pessoas não sabem o que responder, mas o amor pra mim é respeitar, admirar, cuidar de uma pessoa, não por interesse, mas sim por que isso o faz feliz. É um sentimento que quando é verdadeiro, não envolve beleza, e sim caráter, é ajudar sem pedir nada em troca, é querer a felicidade do outro primeiro do que a sua. Amor, se cuidado com carinho, é pra vida inteira. Amor é compartilhar a proximidade e a intimidade de outro sem o sentimento de censura, egoísmo, ciúme, cobrança ou qualquer sentimento menor. O amor é quando você encontra aquela pessoa que você faria de tudo pra chamar atenção, aquela que te derrete com um sorriso, que você lembra cada detalhe de conversas bobas, de coisas que aconteceram, coisas que a outra pode nem lembrar mais, mas você guardou tudo com você, que está em todos os seus pensamentos, que você seria capaz de fazer qualquer coisa só pra vê-la feliz … de forma bem resumida, o amor é mais ou menos isso. Ou seja, o amor são várias demonstrações do cotidiano desde você ajudar caridosamente alguém até viver e partilhar uma vida com uma pessoa. Amar é viver constantemente, é beijar de olhos fechados e sentir carinho, respeito por alguém. E mais que tudo isso uma grande emoção compartilhada, é o amor. Amor não é algo pra sair dizendo pra qualquer um, amor é carinho, amor é desejo, amor é respeito. Amor te faz se sentir vivo e ao mesmo tempo morto, te faz sentir perto e ao mesmo tempo longe. O amor é forte, mas tão forte que te faz ultrapassar barreiras. Amor é pra você cuidar, proteger e também ser protegido. Amor não é ruim, só é ruim quando ele não existe em nossa vida. Amor é algo que te faz crescer, amadurecer e aprender. É algo sem definições, sem explicações, é algo pra se sentir e se entregar de corpo e alma. E só quem ama -assim como eu- sabe que o amor é tudo.
É. Aconteceu. Você se cansou desse meu jeito estranho e grosseiro. Desistiu, de vez. Engraçado é que você nem insistiu muito. Eu achei que você ia insistir até conseguir, assim como eu sempre fazia com você. Achei que, pelo menos dessa vez, você poderia descobrir algo bom em mim. Mas não. Você sempre desiste de nós, não sei porque achei que dessa vez seria diferente. Sempre sou eu que toma as iniciativas, as atitudes, que resolve tudo que precisa ser resolvido. E você aí, como se eu não existisse e como se eu não fizesse falta alguma se eu não estivesse perto de ti. Será que não dá pra tu reconhecer que eu sempre faço tudo pela gente, e que dessa vez você poderia fazer algo também? Será que por apenas algum momento, tu pode parar pra pensar que um dia eu vou cansar de ser idiota e vou parar de insistir nessa história maluca que a gente tem? Custa alguma coisa botar tua cabeça pra funcionar e pensar nessas coisas? Pode ser que leve mais tempo pra eu desistir do que você, mas vai acontecer. É bom você começar a pensar nisso. Eu tentava ser a pessoa perfeita pra você, mesmo com esse meu jeito, eu sempre tentei te fazer feliz. Quando nós brigávamos, eu admitia o erro e pedia desculpa, mesmo que a culpada não fosse eu. Você ficava estranho comigo de uma hora pra outra, mas eu fingia não ligar pra não dar briga. Eu sempre te falei “ei, eu sempre estarei aqui de braços abertos pra você”. Sempre gostei de você e nunca escondi isso. Mas cara, vê se não pisa mais na bola, vê se não erra mais comigo. Se um dia você perceber que eu era a pessoa que mais te amou e fez tudo pra te ver bem, talvez eu não esteja mais aqui. Talvez eu tenha cansado de ser idiota, a trouxa que fazia tudo por você, e que você nunca deu valor. Eu sempre insistia na gente, mesmo quando tudo estava prestes a explodir, eu continuava ali, do seu lado, insistindo na gente… Mas você não foi capaz de fazer o mesmo por mim agora. Aliás, nunca foi né? Sempre eu que tomei as atitudes em primeiro lugar e se dependesse de você, nada aconteceria. Mas agora eu cansei! Vou fazer diferente, vamos ver se você é capaz de fazer alguma coisa por nós. Não vou mover mais montanhas por nós, não vou mover nem uma folha a mais por nós. Agora é assim, se você realmente quiser que tudo entre nós dê certo, demonstre! Haja! Mas anda logo, se demorar muito para levantar e agir eu vou fazer como você sempre fez. Agir com indiferença e simplesmente não me importar mais com nós. Não posso carregar nossos problemas nas costas sozinha, não posso correr atrás de você todas as vezes que nós brigamos, não posso me importar sozinha e nem deixar que o nosso fim não aconteça sozinha. Preciso de ajuda, da sua ajuda. Se quiser que realmente a gente dê certo é bom começar a se mexer e fazer com que eu tenha algum bom motivo para continuar com você. Algum motivo para levar a diante nosso relacionamento. Algum motivo, uma demonstração de que você ainda me ama, apenas.
Então eu confessei. Disse que te amo, que não vivo sem você, demonstrei a imensa falta que me faz, falei do teu riso e do efeito que ele me causa. Simplesmente olhei no teu olho e disse tudo. Mas tu é um idiota mesmo. Fez graça, disse que não queria uma declaração de amor, era só pra saber se teria um step na falta de algo melhor. E aí eu chorei, alí na sua frente. Não quis me fazer de forte ou fingir não me importar com alguém que tanto amava, queria ser fraca e demonstrar isso ao menos um dia e foi o que fiz. Te bati, te xinguei, me rebaixei ao nível mais baixo e fui embora. Você nem sequer me seguiu ou disse pra ficar, apenas ficou parado me vendo ir embora. Eu olhei pra trás, com a esperança de que você tivesse movido um mísero músculo, mas não, continuava imóvel, e nem se deu ao trabalho de fingir se importar. Você não faz ideia do que sentia, de quantas vezes já chorei por você, por sentir sua falta, por precisar dos seus beijos e abraços. Te vejo andando por aí, feliz e me sinto um lixo. Como é possível alguém ficar indiferente diante de tudo o que disse e ainda sorrir? O pior de tudo é que você não sente minha falta e isso doí, doí muito pois nunca te esquecerei, você marcou minha vida mas acho que não fiz o mesmo não é? Você nem se importa com os meus sentimentos, me viu ali chorando na sua frente e não fez nada. Você só quer alguém pra dizer que pegou e depois ir embora, pra mostrar que é o pegador e o popular pra todos verem, nem se importa com os sentimentos. Você não merece meu amor, eu sei disso mas mesmo assim não consigo parar de ter amar, mas um dia eu vou. Você é um babaca, mas é o babaca que eu amo. Eu tinha medo de assumir esse amor que eu sinto por você, mas ai eu pensava “poxa cara, vai que ele é diferente? Vai que ele gosta de mim também só que tem vergonha de assumir?” E claro, mas uma vez a trouxa aqui se ferrou por causa de um garoto. Pensei que você fosse diferente desses outros moleques, mas não, não é. Você é igual a eles ou até mesmo pior. Você não se importa com ninguém, pega todas apenas para satisfazer o seu ego. Me sinto mal por ter acreditado nisso, talvez eu seja … ingênua. Ingênua demais ao ponto de acreditar nessa droga de amor.
Nós tínhamos tudo pra ser o casal perfeito, daqueles que arrancam sorrisos da platéia e fazem as pessoas se perguntarem: “Por que tão felizes?”. Mas meus planos deram errado e você se foi antes mesmo de construirmos uma história. Trouxe contigo a felicidade, me fez lembrar o que é esboçar um sorriso sincero, me fez perceber que o mundo não é tão ruim quanto aparenta ser e tudo depende de um ponto de vista, que no meu caso, era o pior possível. Eu acreditei que tudo poderia ser diferente, que era tudo melhor que pensava, graças a você. Mas acabei te perdendo e o vendo ir embora assim como chegou. De repente. Só não achei que pudesse levar com você toda a felicidade que trouxera. Meus dias ficaram cinzas, sem cor, sem brilho, meu sorriso desapareceu e tudo voltou a ser como antes. Voltei a ficar pelos cantos, sozinha, sorria por obrigação, pra que não se importassem tanto com minha infelicidade. Assumo que a culpa foi minha. Não achei que seria tão firme ao cumprir a promessa de que se por acaso saísse pela porta jamais voltaria. Eu sinto sua falta. Antes de dormir eu fico te imaginando comigo, fecho os olhos e fico me iludindo que você estará aqui ao amanhecer. Não há mais nada que eu queira na minha vida a não ser você ao meu lado. Eu estou precisando do seu sorriso agora, dos seus beijos, dos seus abraços pra me esquentar, do seu carinho, e eu não faço ideia de onde ou com quem está agora. Queria poder saber o que você pensa e o que passa na sua mente, acho que me ajudaria mais a te entender e a te ajudar. Nada esta saindo como eu planejava, a solidão tem sido tão presente nos últimos dias. Não quero mais lembrar, não quero sentir, não quero passar por tudo isso. Quero que esses dias passem rápido, muito rápido, quero fechar os olhos e só abri-los quando tudo voltar ao normal, quando os dias voltarem a brilhar como antes, quando meus sonhos e meus sorrisos voltarem pros meus dias, quando você voltar pra minha vida, novamente. E eu sei que esse dia vai chegar, meu grande amor vai voltar pra mim, e eu não vou cansar de te olhar. Vou tocar sua pele, sentir seu cheiro, aquele de quando você acaba de sair do banho ou daqueles tantos perfumes que tem. Vou fazer de conta que o tempo nunca esteve entre nós, que nunca ouve essa saudade que me trazia junto a insônia. Vou aproveitar e falar bem baixo no seu ouvido todas as palavras que durante esse tempo, gostaria de te falar, mas que ficaram bem guardadas junto comigo. Não vou perder mais nenhum detalhe meu amor, vou escutar seu silêncio. Será apenas nós e nosso amor, puro e tranquilo.
Sim, eu estou bem. Meu cabelo desgrenhado, minhas olheiras e a completa falta de vontade ao escolher a roupa que usaria não mudam isso. Por vezes ouvi dizer que pessoas que saem de suas casas completamente alinhadas na verdade estão destruídas por dentro, então resolvi deixar a beleza de lado e cuidar do meu interior. Não foi uma tarefa fácil, principalmente porque todos os dias de minha vida eram dedicados a cuidar de mim, e encontrar meu tão sonhado príncipe encantado. Mas príncipes não existem e por mais reais que pudessem ser, qual deles pediria solenemente para olhar meus rins ou se apaixonar pela boa digestão que meu intestino me proporciona? Nenhum. Príncipes querem beleza, querem uma princesa de conto de fadas onde seu maior orgulho seja mostrá-la a todo o seu reino encantado, querem uma mulher com o cabelo minuciosamente no lugar, vestidos esplendorosos e um sorriso sempre à mostra. Mas como me tornar essa princesa que eles tanto desejam? Confesso que nem sei por onde começar para agradar tanto. Vejo tantas garotas por ai e tento ser igual mas não entendo porque não consigo. Quando era criança sempre sonhei com esse tal príncipe encantado, mas agora que cresci ele não vem me buscar. Se todos vissem meu interior tenho certeza que se apaixonariam, mas quem teria essa coragem de escolher uma garota pelo seu “interior”? Hoje em dia já não sei se corro atrás para me tornar a princesa perfeita, ou se espero um vagabundo poeta que enxergue a minha beleza interior. É complicado essa enorme dúvida de não saber o que fazer pra “agradar” as pessoas. Eu nunca fui de agradar ninguém. Então fico com essa enorme interrogação de não saber o que eu devo ser. E é por isso que não escolho ser ninguém, escolho essa minha aparência não muito boa, mas uma limpeza e leveza por dentro. Não estou nem um pouco preocupada com o que o “meu príncipe” vai achar de mim, se ele for meu príncipe ele irá me aceitar do jeito que me encontrar. Não preciso estar com uma perfeita aparência pra dizer que estou extremamente feliz. Estou me sentindo maravilhosa sem ter um quilo de maquiagem no meu rosto. E podem me criticar o quanto quiserem, se eu estou me sentindo bem, pra mim não importa o que os outros vão achar.
Que história é essa de sofrer por amor? De sofrer por ele? Será que você não enxerga que tu já foi superada? Não existe mais essa de amar, de pra sempre, já não existe mais o amor como antes, supere. “As vezes é mais saudável chegar ao fim”, sabias palavras não é? Desculpe-me por ser tão rude e impiedosa, mas você precisa de um choque com a realidade, afinal, você já tá bem grandinha não acha? A realidade é dura, mas é necessária. Essa coisa de “amar pra sempre” não existe, nunca existiu. Não adianta chorar, sofrer e nem fazer birra, não adianta. Antes eu era calma, meiga e acreditava nesse tal de amor, mas aí, depois que eu o conheci, mudei meus pensamentos. O amor é bom, claro que é bom, no início você se sente bem, se sente leve e tem aquele brilho no olhar. Mas depois, logo quando vem a primeira decepção, você deixa de acreditar. Vire a página, para de pensar em quem só te fez mal, você já foi superada, agora só falta você superá-lo, de vez. Se ele não te quis há quem te queira, pense assim. Não fique sofrendo deixando a sua vida passar por conta de uma decepção. Viva a vida como se ele não existisse. Sei que dói, claro que dói, mas não vai ser por isso que você vai deixar a melhor face da sua vida morrer né? Supere tudo, afinal, você já fez isso antes. Só precisa parar de ser tão infantil e imatura a ponto de acreditar em finais felizes, por que me desculpa te desapontar mais eles não existem. Chegou a hora de você crescer, aprender que viver e amar são coisas que precisam estar equilibradas. Pois se você se deixar rebaixar com qualquer decepção do amor, não irá aproveitar a linda época da sua vida que é hoje. Tudo que você pode viver hoje, não vai mais poder viver daqui a alguns anos. O amor verdadeiro pode esperar, no momento exato pode ter certeza que a vida irá trazer a pessoa perfeita para você. Então pare de acreditar que o amor é infinito e todas essas historinhas que você ouve. Quando não se sabe amar direito você sofre, então aprenda com todas as quedas que você já teve. Entenda de uma vez por todas que amor é um sentimento complicado, e não bonitinho e meigo. Amar exige muita força do coração, e também do cérebro.
Ao contrário do que todo mundo diz, o fim não precisa ser triste. Não é como nos contos de fadas, onde a história deve acabar no momento em que a princesa encontra e se entende com príncipe encantado. A boa notícia dos tempos modernos é que, em uma vida, podemos viver várias histórias. O importante não é que elas sejam eternas, mas sim, intensas e inesquecíveis. É essencial que cresçamos de alguma forma com cada uma delas. Que a gente aprenda que nem sempre é como a gente pensa, claro que iremos um dia encontrar o nosso príncipe, mais não podemos pensar que ele será igual ao dos contos de fadas. Temos que pensar no presente e deixar que o futuro Deus resolve. A gente tem que aprender a viver, essa é a lei da vida. Não podemos pensar que tudo é sofrimento, que todos fazem a gente sofrer. Não é assim. Encontraremos alguém que nos façam feliz, muito feliz. Mas calma, não é assim tão rápido. Iremos aprender muito na vida, iremos viver momentos inesquecíveis, iremos fazer várias loucuras. Façam tudo o que tiver vontade, não se importe muito com os outros. Os outros sempre serão os outros. Aproveite a vida, viva, sorria, se apaixone, brinque, chore, saia de casa no sábado e só volte na segunda, se divirta, viva a vida, porque é uma chance só, então a faça valer a pena. Ame sem medo, não se importe com os outros, ninguém paga suas contas, ninguém tem nada haver com você, ninguém. Não deixe de fazer uma coisa porque fulano não apoia ou então porque sicrano não gostou da ideia. Viva do jeito que você quer viver, assim poderá escrever a sua própria história. Sendo ela empolgante ou não. Mas o importante é que você se divertiu vindo ela, o importante é que foi você quem a fez, e não uma outra pessoa qualquer. Aqui no mundo real, nem todos os finais acabam com um beijo de um príncipe, mas se você quiser, e tentar o seu pode acabar com um príncipe e varias outras historias para contar. Basta você tentar.
Semana passada conheci um garoto que me tirou sorrisos de imediato. Ele não tinha uma beleza estonteante nem era daqueles caras bem arrumados que cheiram a perfume francês. Muito pelo contrário, parecia que suas roupas já haviam sido usadas durante sua vida toda. Ele estava no ponto de ônibus logo ao meu lado. Eu estava sentada num banco quando ele me disse “Oi!” todo sorridente. Eu respondi com toda a doçura que nunca tive e começamos a conversar. Seu nome era Pedro e morava em um bairro afastado dali. Ele me contou toda a sua história sem ao menos me conhecer. Ele havia fugido de casa há algumas semanas. O motivo, segundo ele, era que ele era agredido por seu padrasto. Sua mãe, apesar de sofrer com isso, não podia fazer nada que pudesse o ajudar pois também tinha medo. Disse que deixou pra trás uma irmã de seis anos mas não podia ficar com ela porque nem ele mesmo tinha o que comer. Assim que disse isso sua barriga roncou. Eu nunca fui muito sentimental e nunca ligava pra qualquer que fosse o desconhecido que quisesse falar comigo, mas aquele menino me fez ver que não devo reclamar por não ter mais um sapato que não preciso ou mesmo pela falta da minha tão sonhada lasanha. Cada uma daquelas palavras fizeram eu perceber que a gente reclama da vida de barriga cheia. Enquanto eu tenho tudo do bom e do melhor, algumas pessoas não tem casa e se quer uma comida na mesa. Mil coisas passaram por minha cabeça, e a única coisa que eu queria era ajudar aquele pobre garoto. Mais como? Vou tentar arrumar um lugar temporário para ficar, quem sabe na minha casa. Ela é pequena mas acho que ele não vai se incomodar. Tento arrumar um espaço na sala, ou então no meu quarto. Tenho um colchão guardado. Faço qualquer coisa pra ajudar ele. Perguntei a ele se queria ficar na minha casa por um tempo, para comer, tomar banho e dormir, ele balançou a cabeça e falou que não precisava, que não queria incomodar. Mas eu insisti e o levei, entramos no ônibus e ficamos conversando até chegarmos. Descemos do ônibus e entramos em casa, e claro, ele estava super sem jeito e sorrindo. Entreguei uma toalha a ele e falei pra ele ir tomar um banho, que eu iria fazer o almoço. Depois de alguns minutos ele desceu, com uma bermuda jeans desbotada e uma regata. Sorri pra ele e lhe servi o almoço. Conversamos muito e rimos bastante, percebi que ele tinha um sorriso lindo e um olhar marcante. Passou-se o tempo e hoje faz 4 anos que nós nos conhecemos, e ele ainda está morando comigo. E a nossa bebê está lá em cima dormindo, enquanto estamos jogando videogame.
Guardo você em pedacinhos pequenos, na gaveta do meu quarto, debaixo do tapete ou no meu coração. Tenho algumas mensagens suas no meu celular, guardadas, para ler sempre que a saudade invadir meu peito. Mandei revelar suas fotos, aquelas que estava sorrindo e dizia ser por mim, talvez pra lembrar que um dia as coisas foram mais fáceis. Coloquei em um cd todas as músicas da nossa trilha sonora. Fiz tudo isso, mas o que adianta? Quando chega a madrugada e bate a necessidade de ouvir sua voz, eu não posso. Eu preciso lembrar da sua voz de vez em quando, para ter certeza de que não estou ficando maluca, pra saber que não me apaixonei por alguém que não existe. Odeio dizer que tudo isso é saudade, não se pode acreditar que tudo isso se resuma em uma única palavra. Um grande oco em sete letrinhas, dá pra acreditar? É uma falta absurda. É uma vontade de pegar o primeiro avião e correr pra você. É uma vontade de construir um mundo só pra nós dois. Mas quem sabe um dia você volta e a gente vira realidade. E descobre que distância passa, saudade passa, mas nosso amor não. Nosso amor fica. E adivinha, cada vez maior. Eu não vou falar “eu não sei viver sem você” porque esse frase é super clichê, e eu vivi sem você um bom tempo. Mas eu não quero ficar sem você, entende? Eu me sinto insegura, me sinto mal e fico melancólica. Eu prometo, se for o meu ciúmes, prometo que irei tentar ao máximo diminuir ele, ou pelo menos não demonstrarei tanto, se for as minhas brigas, prometo que não vou mais brigar tanto com você, só quando você falar de outra garota pra mim, você sabe querido, sabe que eu fico uma fera. Mas cara, por favor, tenta enxergar o meu lado. Tu foi embora sem nem ao menos me falar o motivo da sua partida, me deixando, além de sozinha, cheia de dúvidas em relação ao nosso termino. Eu sei que já se passou muito tempo desde então, mas cara, eu tô deixando meu orgulho de lado e lhe implorando , volta pra mim. A saudade já é grande demais para caber no peito, e o amor é valioso demais para continuar adormecido.
Tô com aquela vontade extremamente louca de acordar agora e ver que foi só sonho. Que tudo, absolutamente tudo, ainda é como era antes. Que nada mudou, e tudo ainda ocupa seu lugar.
Perdi a conta de quantas noites mal dormidas tive de uns tempos pra cá. Ainda acordo de hora em hora e olho o celular. Nada. Também não posso negar o tamanho do desapontamento quando vejo uma nova mensagem lá e ela nem se quer é sua. Que saudade das noites em claro até as três, quatro da manhã falando com você no telefone. Quem sabe, eu ainda acabe te encontrando por aí, mas a verdade é que quero te encontrar aqui, agora. Ah, também quero aquela eventual mensagem e aquela conversa jogada fora por horas e horas. Quero que você fique me ligando toda hora como antes, por mais que seja só pra ficar com o celular ligado sem falar nada. Te quero tanto como nunca quis antes outro alguém. Até acho que te amo, pode não ser definitivo mas há algo mais. Esse sentimento é profundo, sinto saudades até das nossas brigas, aquelas brigas de momento. Que mal começavam e já dávamos um fim. Sinto falta de tudo o que vivemos ou deixamos de viver. Sinto falta do beijo que só você sabia dar, das suas conversas sobre coisas de garotos que eu fingia entender, mas mesmo se quisesse, seus olhos acabavam não deixando eu me concentrar em suas palavras. Você me mudou e fez com que sentisse coisas antes desconhecidas. Sei que também sente minha falta, mas o orgulho fala mais alto, não é mesmo? Nunca gostou de correr atrás daquilo que sabe que já é seu, daquilo que tem sem fazer nenhum esforço. Sempre foi assim, nunca fez esforço pra conseguir nada, porque tudo já tava lá, na sua mão. Eu fui idiota de ter me apaixonado por você, fui mesmo. Mas fica ai, não faz mais nada não, continua sendo o idiota que você sempre foi, porque quando tu olhar pra trás querendo voltar, querendo me usar como step, eu não vou mais estar lá. Porque uma hora todo mundo cansa. E eu demorei tempo demais esperando você se cansar de ser um idiota. Um dia você consegue, mas já vai ser tarde demais, porque eu já vou estar muito longe.
Muitos me julgam sem conhecer, ou pensam que sou uma pessoa que passo longe de ser. Cada um pensa de mim uma coisa, meu jeito pode agradar uns, tanto quanto pode desagradar outros. Mas é assim, não sou perfeita e nem procuro a perfeição. Sou aquela menina que se apaixona fácil e por isso acaba se decepcionando por isso. Aquela que conta nos dedos os amigos verdadeiros que possui. Aquela que só quer viver a própria vida e não está nem ai para o que vão dizer. Sou aquela que está sempre disposta a ajudar, a dar um conselho, a conversar, a rir, a abraçar… Aquela que repara nas coisas mais simples e nos mínimos detalhes. Aquela que se apaixona por um sorriso. Aquela que só com o olhar demonstra mais do que com palavras. Me preocupo mais com minha personalidade e com o meu caráter, do que com a minha aparência e reputação. Estou sempre à procura da felicidade. Tenho o choro fácil e o riso também. Sou aquela que quer fazer as pessoas felizes, mesmo estando triste. E por incrível que pareça, sou aquela que acredita que pode mudar o mundo. Sou aquela que se machuca com as palavras que ouve, ou com as que ela mesma diz. Aquela que já amou e não foi correspondida e que foi amada e não correspondeu também. E confessa que se arrependeu. Não estou a espera de um príncipe encantado chegar num cavalo branco, mas sim estou a espera somente de um menino que me entenda, que me escute, e especialmente que me ame e que me prove que nem todos os homens são iguais. Tenho os meus sonhos, mas nunca perco a realidade. Sou aquela que consegue voar com os pés no chão, sabe? Sou desastrada, caio e me machuco sozinha. Já quebrei a cara, muitas vezes. Por isso confio em poucos, mas no pouco que confio, eu confio de verdade. Sou aquela que se emociona, chora, ri, dança, cai, ama… Sou como qualquer outro ser humano, mas ao mesmo tempo sou diferente de qualquer um. Tenho minha própria opinião, meu jeito de pensar e ver as coisas, meu estilo, meu gosto, minha maneira de agir… E sou aquela que gostaria que as pessoas conhecessem antes de qualquer opinião ou de qualquer julgamento. Procuro sempre ser melhor do que antes. Sou aquela que ri de qualquer piada, mas que chora sempre que ouve aquela musica. Estou ainda a espera de alguém que pelo menos tente me entender. Sou aquela que já teve o coração partido, mas que foi forte e se recuperou, sou aquela que muitas vezes fala demais, mas as vez não diz nada. Confuso não? Mas cá entre nós, quem não é? Todos nós somos confusos demais para explicar e mais ainda para entender. Todos nós, lá no fundo, sempre temos um lado que ninguém nunca irá conseguir desvendar. Um lado apaixonado. Um lado frágil, que se machuca com qualquer coisa. Um lado forte, aquele que você usa pra se recuperar das situações difíceis, sim, aquele que você nem mesmo sabia que tinha. Um lado bobo, um lado engraçado. O fato é que nem nós mesmos nos conhecemos por inteiros. Nós não conseguimos descobrir todas as coisas que escondemos de nós mesmos. Somos cheios de segredos e de coisas escondidas que precisam ser descobertas a cada dia e a cada amanhecer. A questão é, se nem nós nos conhecemos direito e não podemos falar, porque as pessoas que sequer conhecem nada, se sentem no direito de falar algo? Tenho mil e um defeitos, como qualquer outra pessoa. Mas se você quiser eu posso mostrar sem deleito minhas inúmeras qualidades. A minha maneira de ser irá depender de como você me trata; com amor, rancor, gentileza ou ignorância? Você quem sabe. Não me importo com o que falem, mas quem gosta de ser julgada injustamente? Pense muito bem antes de criar falsas moralidades de mim, pois eu mesma nem sei quem de fato sou, pra você saber. Sou uma caixinha de surpresas, sou mistério, labirintos, um tesouro escondido no fundo do mar. Sou nada, sou tudo, uma controvérsia de sentimentos e opiniões, sou o oposto indo na mesma direção. Ninguém pode saber qual a direção vou tomar, pois sou instável e cheia de ramificações que me levam a todos os lugares que você provavelmente não conhece. Sou intensa, vivo em uma corda bamba sobre um abismo sem fim, me desafio constantemente, sou um obstáculo de mim mesma e não demonstro nada, ou quase nada, do que se passa dentro do meu ser, por isso ainda não se deu conta de que não me conhece, não sabe o que penso, o que sinto. Você pode dizer sobre o que vê, mas o que está dentro de mim, isso ninguém nunca vai descobrir.