escorregando

instagram

Getting worming up with one of my favorites songs “Escorregando by Ernestho Nazareth” #escorregando #slippering #Ernestonazareth #piano #playingatchurch

Sabe aquela sensação de que aquilo que vc tanto gosta e quer perto, está escorregando pelos seus dedos e vc não pode fazer nada. Uma sensação de impotência e de falta de controle, dói. 

E lá estava eu, um novato em uma cidade e no seu primeiro dia em um baile.
A luz tão fosca quanto negra. Luzes azuis e verdes combinavam-se entre si na leve batida da música. Bom… não tão leve.
Estava tocando uma música antiga, ousada.
Conforme as batidas da música, as meninas tão ousadas quanto a música que tocava se aproximavam. Uma de cada homem presente no baile.
Aproximando-se de mim estava uma garota com uma aparência doce e um olhar devastador. Sua cintura mexia-se como um bambolê, ela era boa. Era sensual.
Seus cabelos mesclados entre um loiro e um leve tom de castanho moviam-se exatamente conforme o som. Seus olhos… seus olhos me consumiam.
Ela aproximava-se com passos lentos, o que me dava tempo de perceber cada detalhe seu. Cada centímetro de seu corpo.
A música estava terminando e a cada segundo seu corpo aproximava-se mais do meu. Em questão de segundos senti suas mãos escorregando pelo meu corpo. Ela pegou minha mão com toda a sensualidade que existia no mundo e colocou em sua cintura. Desceu seu corpo junto ao meu, passando seus lábios em meus ouvidos e descendo para meu abdômen. Eu poderia dizer que não tinha vindo para me encantar, mas me encantei. Me encantei por cada centímetro de seu corpo.
De repente… o que era isso?
Uma música um tanto antiga e agitada começou a tocar. Quando percebi estava no meio da pista de dança com aquela garota. Uma cadeira surgiu atrás de mim e ela sentou-me na mesma, dançando para mim logo em seguida.
Parecia algo como uma dança indiana. Tentei olhar ao lado para ver se mais alguém estava passando por essa situação estranha, mas quando tentei ela passou as mãos em meu rosto virando-me para ela e aproximando seus lábios dos meus.
Um sussurro invadiu meus ouvidos. “Emma”
Emma. Um sorriso invadiu seu rosto enquanto minha expressão mudara para algo prazeroso.
No agito das batidas a cadeira sumiu, em meados de segundos eu estava dançando como nunca havia dançado, meus passos acompanhavam os de Emma. Ela guiava-me por cada centímetro daquele enorme salão. Eu a rodopiei por 10 segundos e a senti cair em meus braços com o fim da música.
As luzes apagaram-se, o azul e verde ficou preto e quando dei por mim Emma já não estava mais nos meus braços. Ela já não estava mais no meu campo de visão, que aos poucos clareava.
—  Prólogo, Enigmático. 
Primeiro

Conseguia te engolir em versos, te encontrar em minha laringe, escorregando sobre meu corpo, tua mão e sua leveza.
Leveza que me leva como correnteza, apreciei os versos antes de ir.

nord.

Deixou o celular de lado pra se concentrar na busca da chave, a encontrou em seu quarto, dentro de uma bolsa, espalhando tudo por sua cama, mas sem se importar por conta da pressa. Correu até a porta quase escorregando por conta das meias e abriu a porta de vez. 

“Você veio rápido”

Não evitou e logo abriu os braços pra puxar o moreno pra um abraço. Encostou seu rosto no ombro dele ainda no batente da porta, sem ter o deixado entrar na casa.

youtube

Todos os dias eu acordo e penso: “hoje eu vou começar a solucionar o meu problema”, eu creio que eu já tenha a solução muito clara na minha cabeça, mas eu continuo com o dia e acabo escorregando na casca de banana.

Ao fim, vou dormir pensando: “quem sabe amanhã eu consiga… quem sabe amanhã eu extraia finalmente alguma lição disso tudo” .

“ If you don’t learn to leave this thing alone you’ll never get to see the sun again.” 

prenda seu cabelo, sente sobre mim, te quero por cima, dessa vez. seu rosto parece mais limpo quando está com o cabelo preso, nada no mundo se compara com a paz que esse momento me traz. a sua imagem com o cabelo preso, passa uma inocência que combina perfeitamente com o sexo que você faz, suas unhas bem feitas e delicadas passando pelos meus lábios, escorregando pelo meu pescoço, eu me rendo. eu quero poder te explicar esse efeito que você tem sobre mim, mas de uma forma que te excite e mostre a vontade que tenho de te devorar, foder e proteger você de todo o resto do mundo na minha cama (…) minhas mãos subindo pela sua cintura, até chegar em teus seios, esfregando meus dedos em seus mamilos, enquanto você, sentada por cima de mim, com o meu pau dentro de ti, mordendo os lábios com o cabelo preso, sabendo exatamente o que está fazendo.

rotineiro

E as coisas vão esfriando e você vai se perguntando em que acreditar? A felicidade escorregando aos poucos por entre seus dedos e quanto mais você tenta agarrá-la mais ela quer fugir, então você olha para trás e vê tudo o que podia ter feito para evitar isso. Percebe que um grande amor não se destrói de uma hora para outra e sim com o tempo. Percebe que nem tudo que deseja pode acontecer a acima de tudo percebe que nunca foi amor, foi só um sonho.

assim perto do sol a vida
pode descansar da tonteira que
é girar entre rotina e
mundo

pode parar de pés na grama
passar pelo nariz sem acelerar
nada

pode renascer como o dia
escorregando do céu sua
primeira luz

desabar concretos que nos vestem
pesos disfarçados de abrigos
esquecer cansaços nas calçadas renovar solidões

e
só assim 
levantar e seguir

COmpetição

O orc tentava se proteger de forma inutil das mordidas do tigre, sua mente estava confusa, afinal a cabeça dele quicava da mão do Ghro para o chão, e no final o nariz entro tanto que tava achatado no rosto dele.

Zoe recolheu o medalhão

- Ponto para os Leviatãs!

Não tem como descrever exatamente o que o ursizomen fez com a centopeia gigante, ele basicamente foi a abrindo ao meio, elo por elo, até  abrir a cabeça dela, e o medalhão sair escorregando pela arena. Aos poucos ele foi retomando a forma humana, caiu de joelhos, e então de cara ao chão, apagando.

O LAÇO E O ABRAÇO

Meu Deus! Como é engraçado!
Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço… uma fita dando voltas.
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.
É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.

É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo,
no vestido, em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando…
devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então, é assim o amor, a amizade.
Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,
deixando livre as duas bandas do laço.
Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.
Então o amor e a amizade são isso…
Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!
-Mario Quintana #triscapire