eme-hotel

Grand Hotel - Death Note 

I’m not putting this under a cut because it’s not complete and also… I’m really proud of it. If it comes up multiple times on your dash, pressing “j” should skip to the next post. I’ll also tag it “grand hotel” so people can block if they like. 

This is based in Em and Rene’s verse (as always! What can I say, I love their work) and while it doesn’t fit as well as some lyric art I make, I kept seeing it whenever I listened to the song. 

I made this when I was so tired of winter I felt like I needed to fill it with spring. 

ARMYs I’m not going to answer any questions about in what hotel they’re staying or in what place are they. They’re really tired they need rest, privacy and respect so please do not give any information about it.

ARMYs no respondere a ninguna pregunta sobre en qué hotel se están quedando o en qué lugar están. Están muy cansados necesitan descanso, privacidad y respeto así que por favor no den ninguna información sobre ello.

ARMYs não vou responder perguntas sobre em que hotel eles estão hospedados ou em que lugar estão. Eles estão realmente cansados eles precisam descansar, privacidade e respeito então por favor não dá qualquer informação sobre ele.

PRESTA ATENÇÃO AQUI : Esse imagine não é um pedido (desculpa), mas eu venho me sentindo exatamente assim nesses tempos então precisei desabafar de alguma maneira (prometam não rir de mim) então me perdoem por estar tão simplesinho.

Segundo, boa leitura sz

——-

Com as costas encostadas na parede e as pernas juntas ao seu corpo, S/n deixa com que as lágrimas finas e delicadas molhem seu rosto. Todas as luzes da casa estão apagadas, apenas um abajur na cômoda deixa algo iluminado.

Ela se sente tão tola por estar chorando daquela maneira por algo que muitos julgariam besteira, mas não é. Ela sente a dorzinha em seu peito ao analisar tudo que está ocorrendo ao seu redor, S/n se sente tão perdida e sozinha, todos ao seu lado sabem o que fazer, sabem como agir, sabem ser adultos.

- Eu não quero. - Ela sussurra baixo para ela mesma.

Enquanto isso, no andar de baixo, Harry acaba de entrar e sua feição confusa ganha seu rosto ao ver que tudo está extremamente silencioso. Ele acende a luz da sala e vê os pertences de S/n sobre o sofá e sorri com isso. Não é fácil passar o dia todo longe de quem ama. Mas Harry ainda está confuso por tudo estar silencioso, nesse horário geralmente S/n está assistindo seu talk show favorito.

Ele não dá muita importância, talvez ela deva estar dormindo depois de um dia longo. Com esse pensamento Harry vai para a cozinha para beber algo que molhe sua garganta que está seca.

Ao observar o balcão ele vê uma enorme panela na pia com rastros de que alguém vez um doce de chocolate e conter o sorriso é inevitável.

- O que será que ela aprontou dessa vez? -Ele questiona a si mesmo e abre a geladeira em busca de algo que contenha chocolate e ao ver um pote repleto dele não se segura e acaba pegando um pouco, mesmo sabendo que aquilo pode gerar um grande problema para ele mais tarde.

A canseira bate forte no corpo de Styles que resolve que já está mais do que na hora de tomar um bom banho.

Assim que vai subindo as escadas, por onde passa acende as luzes. Ele odeia a casa escura.

Ao chegar na parte superior da casa, vê que o último quarto o qual ele divide com S/n, emite uma luz fraca e em seguida seus ouvidos captam um soluço baixo, mas ainda sim captam. Imediatamente sua preocupação com a noiva vêm a tona. Ele caminha em seus passou lentos e ao chegar no quarto vê, assim como o restante da casa, que a luz principal está apagada e apenas o abajur está ligado.

- Amor. - Ele chama de forma calma e leva a mão no interruptor iluminando todo o quarto.

Seus olhos encontram o corpo de S/n encolhido no canto da parede e ao ver que ela realmente está chorando seu coração se aperta.

- Hey linda. - Harry chama carinhosamente enquanto seus pés o guiam para perto dela. Ele se abaixa em sua altura e de forma delicada acaricia ps longos fios. - Meu amor, o que aconteceu? - Pergunta preocupado, mas S/n apenas afunda mais seu rosto entre seus braços com vergonha dele por encontra-lá assim.

- Nada não. - Seu tom de voz é contraditório à suas palavras e ela se xinga por isso.

- Você quer conversar? - Ele tenta mais uma vez em uma tentativa de ajuda-la.

A cabeça de S/n então, entra em uma discussão entre falar e não falar o que está sentindo durante um tempo. Ela sente medo de se abrir e seu noivo acha-la uma idiota por pensar essas coisas que ela vêm pensando. Mas o que ela pode fazer? Ela não pode controlar seus pensamentos.

- Confia em mim. - Harry pede e isso foi apenas um pequeno espaço para que ela quisesse despejar tudo o que queria para fora.

- Promete não rir de mim? - Ela pede o encarando com o rosto um pouquinho inchado.

- Eu jamais faria isso meu amor. - Harry diz sério se sentando ao lado de S/n pronto para ouvi-la.

- Ok. - Ela passa a mão por debaixo dos olhos tentando conter as lágrimas e ao mesmo tempo encontrar as palavras certas. - Acho que estou tendo uma crise existencial. - Styles a encara confuso.

- Crise existencial?

- Eu não sei como chamar isso. - Seus ombros se balançam e ela respira fundo antes de continuar. - A uns tempos eu parei para observar tudo o que vêm acontecendo e isso está me sufocando. - Harry ainda não entende, mas não a interrompe. - Sabe, eu sempre gostei de curtir a vida, sempre gostei de viajar com você e os garotos em turnês, sempre gostei dos nossos trotes, das nossas diversões. - A cada palavra ela sentia como se pequenos nós fossem se amarrando e nem mesmo o carinho que Harry fazia em seus cabelos agora amenizavam isso. - Quando meu irmão me disse que havia conseguido entrar para uma banda eu fiquei imensamente feliz, isso sempre foi o sonho de Liam e vê-lo conquistar isso me satisfez. - Styles prestava atenção em cada palavra que saia de sua boca e tentava ligar aquilo a algo, mas ainda não tinha chegado a um resultado final. - Foi incrível, eu conheci você, conheci Louis, Niall, Zayn, Gemma, Lottie, a Lou e todos os outros que são importantes para mim agora. - Ela sorri se lembrando de todos que cruzaram seu caminho e agora fazem parte de sua família, assim como Harry Styles. - Mas desde o ano passado eu estou vendo as coisas mudarem e isso está mexendo comigo mais do que eu imaginei.

- Como assim? - Harry pergunta mais uma vez curioso vendo S/n sorrir de forma amarga.

- Bom, na verdade acho que isso começou quando Zayn saiu da banda, mas enfim. - Seu corpo se ajeita ao de Harry e ela recomeça. -Nós já estamos juntos como amigos a vários anos e sempre vivemos grandes coisas juntos, mas agora eu estou me sentindo perdida, eu estou vendo cada um tomar um rumo como realmente deve ser, mas eu não quero aceitar isso. - Sua voz se eleva um pouco. - Louis tevê um filho, meu irmão acabou de ter um também, Gemma está em um relacionamento bem sério, Niall tem seus próprios compromissos, quase não tenho tempo para falar com Zayn. Todos estão crescendo, mas eu não sei quero isso. Quer dizer, óbvio que eu preciso crescer também eu já tenho vinte e quatro anos, mas poxa Harry, eu ainda gosto das mesmas coisas que eu gostava quando tinha dezessete. Eu gosto de fazer bagunça em um quarto de hotel, eu gosto de assistir ensaios de uma turnê, eu ainda amo pedir pizza e comer no ônibus da banda. - Os nós que haviam se formado vão se desfazendo ao que sua voz se emite pelo quarto. - Mas apesar de tudo isso, eu também gosto de ter algumas responsabilidades, eu gosto de estar organizando meu casamento junto com o homem que eu amo, gosto de saber que sou eu mesma que pago minhas contas e não meus pais. Mas mesmo assim, não sei se quero crescer. - Ela concluí e encara o noivo que a olha de forma pensativa. - Você consegue me entender? - Pergunta com medo de estar parecendo uma menininha mimada.

Harry sorri fraco, ele achava que era o único a se sentir dessa maneira, apesar de parecer que era o único ali que não se importava.

- Eu te entendo completamente. - Ele diz se aconchegando a ela. - Eu paro para pensar nisso vez ou outra, mas sabe de uma coisa, eu até que estou gostando dessa mudança.

- Está? - Pergunta desacreditada.

- Um pouco, ter amadurecido fez com que eu tivesse um novo olhar sobre a vida, fez eu experimentar coisas novas e ver o que era o real amor que eu procurava. Te pedir em casamento faz parte disso e eu agradeço por isso. - O sorriso de S/n se alarga. - E não faz mal a saúde ser imaturo algumas vezes, nós ainda podemos nos reunir em um hotel, poderemos correr dos paparazzis em um dia qualquer, ainda podemos dar um baile nos seguranças. A idade não é somente um número S/n, isso aí é apenas uma data, nós não precisamos nos rotular vinte e quatro horas, a gente só precisa ser a gente! - A forma com que Harry fala passa uma enorme confiança para S/n que pensa com carinho nas palavras de Harry.

- Nós ainda podemos fazer as coisas de 2012? - Ela pergunta de forma engraçada fazendo Harry rir.

- Por que não? - Ele ri.

- Dança Take Me Home comigo. - Ela se levanta em um pulo animado e estende as mãos para mim.

- O álbum inteiro? - Ele pergunta assustado mas ainda divertido com a mudança de humor de S/n.

- Nós fazíamos isso em 2012! - Alega deixando Harry sem saída.

- Ok, você venceu. - Se rende levantando-se e acompanhando S/n que liga o som em seu álbum favorito.

Aquela noite sem dúvida seria longa…

Pedido: Faz um que ela tá num quarto de hotel sozinha, e uns bandidos invadem o quarto e levam tudo e ela quase é estuprada (como aconteceu com a kim) com o harry

           Daqui a dois dias a semana da moda vai acontece em Paris eu sou umas das convidadas, tudo está pronto e agora estou em um hotel em Paris junto com a minha estilista, meu marido, Harry só chega amanhã com os nossos filhos, já que ele está ocupado com a gravação do seu novo CD. Tomei um banho e fiz alguns snaps e fotos para o instagram.

           O fuso horário estava me matando, eu só precisava descansar um pouco. Olhei no relógio do meu celular e já passava das dez horas então deitei minha cabeça no travesseiro e mandei uma mensagem para Harry dizendo que tudo estava bem e que eu tinha chegado, ele respondeu que os nossos filhos estavam com saudades e que amanhã bem cedo estaria aqui. Logo depois dormir.

           Abri meus olhos assustada, escutei alguns barulhos vindo da escada, eu sabia que alguma coisa não ia bem, mas ignorei, porém mais alguns vieram do mesmo local, gritei perguntando se alguém estava lá, mas ninguém respondeu então eu simplesmente voltei a dormir um pouco aflita, mas precisava de uma boa noite de sono. Sem sucesso com o meu sono e ainda ouvido barulhos liguei para o meu segurança que provavelmente estava no andar de baixo, mas ele não atendeu o que é muito estranho. Meu coração estava batendo forte e minhas mãos estavam suadas, a única pergunta que rondava em minha mente era ‘’Que diabos está acontecendo?’’. A porta abriu e vi dois homens vestidos de policiais e com uma mascara de esqui e com um terceiro como refém.

- Onde está a mulher do Harry Styles? – O homem disse. – Leve a gente até ela! – Forte sotaque em francês fez meu coração estremecer.

           Assim que eles me avistaram apontaram a arma em minha direção e eu comecei a chorar.

- Cadê o anel? – Ele se referia a meu anel de noivado.

- Eu não sei. – Disse com a voz tremula.

           Ele sacou a arma e apertou o gatilho. – Está sobre a mesa. – Disse apontando com o dedo, ele o pegou usando luvas.

- As joias e o dinheiro?

           Falei que estava na minha bolsa. Eu olhava para arma e para as escadas. Eu tinha um segundo apenas na minha mente para tomar uma decisão rápida, se eu correr pelas as escadas e levar um tiro nas costas, meu corpo tremia só em pensar nessa possibilidade, se eles não atirarem iriam conseguir me alcançar, ou então, se eu conseguisse correr e eles não me alcançassem, se o elevador não abrisse a tempo ou se as escadas estivessem trancadas. Não havia jeito de sair de lá.

           Os dois me pegaram e me levaram até o outro quarto. – Eu tenho filhos. Por favor.  - Dizia em francês. – Eu tenho dois filhos em casa, eu tenho uma família. Deixem-me! – Nunca senti tanto medo da morte como sentia agora.

           Eles não disseram nada, apenas tamparam minha boca com fira adesiva para me impedi de gritar. Eles agarraram minhas pernas e eu estava com medo. Eles me puxaram na direção dela na cama eu senti que eu iria se estuprada, eu comecei a chorar sem parar. Mas nada aconteceu, eles prenderam as minhas penas com fita e seguraram a arma na minha cabeça, eu achei que eles iriam atirar. Eu apenas rezava para que o Harry tivesse uma vida normal depois de achar meu corpo. Logo depois eles foram embora e eu fiquei aliviada, mas não parava de chorar.

           Após algumas Harry entrou no quarto e me viu chorando nos braços da minha irmã, mais velha meus olhos estavam vermelhos e eu não conseguia nem ao menos falar. Harry estava com nossos filhos e ele correu em minha direção para me abraçar. – Eu sabia que deveria ter vindo com você. – Ele disse me abraçando e beijando-me.

- O que importa é que você está aqui com nossos filhos. – Disse abraçando ele. – Eu imaginei que nunca mais iria vê vocês novamente. – Peguei nossos filhos no colo e os abracei e os beijei, provavelmente não estavam entendendo nada, mas eles me abraçaram e diziam a todo o momento para eu não chorar e que me amavam.

- Eu amo tanto vocês. – Falei ainda chorando.

“Pedido: amooooooooooor faz um do Harry que eles estão separados e se encontram em uma premiação e depois rola um hot o final pode ser como você quiser”

Espero que gostem e desculpa os erros!


Meu vestido era todo prateado, ele ia até a metade da minha coxa e minhas costas estava desnuda, meus saltos eram pratas também assim como a maioria de minhas joias e minha maquiagem estava magnífica. Hoje teria uma premiação muito importante no mercado da música, muitos artistas estariam lá e eu como convidada de honra dos organizadores também iria, mas algo me deixava aflita, na verdade uma pessoa em específico, Harry Styles. Fazia quatro meses que eu e Harry havíamos terminado o nosso relacionamento de um ano, a desculpa dele foi que precisava curtir mais a vida e que depois iria pensar se namorava ou não, no começo eu fiquei bem magoada, chorei por semanas, mas hoje já me sinto melhor em relação a isso, o meu único medo é que seria a primeira vez que eu estaria o vendo depois do ocorrido, não quero que pense que sinto fala dele (por mais que eu sinta) ou algo assim.
- Sua limusine chegou querida- Mike, meu maquiador e também amigo, me avisou e eu sorri para o espelho, espantando todos os meus pensamentos.
Sai do hotel em que estava hospedada sendo ajudada por um segurança, a limusine branca me fez sorrir e admira-la por alguns segundos.
Entrei no grande veículo, sendo acompanhada por Mike que não perdeu tempo e desfrutou dos luxos do veículo. O caminho até a premiação foi rápido, logo eu já estava na entrada do red carpet e muitos flashes já estavam em cima de mim.
Os vários fotógrafos me enchiam de fotos enquanto eu sorria charmosa, passei por todos eles enquanto esperava para dar uma entrevista à um grande canal que fazia a cobertura.
A entrevista foi rápida, quando me vi já estava dentro do local enquanto famosos e mais famosos conversavam entre si. Fui para o backstage já que eu seria a primeira a me apresentar e também a apresentar uma categoria.
A premiação começou e eu cantava animadamente, mexia meu corpo junto à minhas dançarinas enquanto cantava a minha nova canção, a apresentação acabou e logo os apresentadores começaram seus discursos de início, voltei para o backstage trocando minha roupa. A primeira categoria seria anunciada e eu já estava ao lado de Shawn para dar o prêmio de melhor banda/grupo do ano.
Os indicados passaram e eu me senti aflita ao ver One Direction passar no telão, com o envelope em mãos eu fiz um pequeno suspense antes de ver o resultado.
- E O VENCEDOR É ONE DIRECTION. - Shawn e eu falamos juntos e eu senti minhas pernas bambearam quando vi Harry e os demais se levantarem.
Niall foi o primeiro a me abraça e eu o parabenizei, depois Liam, Louis e em seguida Harry, que me abraçou tão forte que jurei que fosse ficar sem respirar. Enquanto eles discursavam, percebi ser a minha deixa para sair dali, andando em passos rápidos, fui para a área onde os artistas ficavam para poder organizar as apresentações e tudo mais.

Já no lugar no qual foi reservado para mim, pude ver Harry passar por entre as fileiras, o seu olhar parou em mim, pude ver ele parar enquanto me encarava, desviei o olhar para o palco como se não tivesse o visto ali.
A premiação passou rápido e logo começou a afterparty, avistei Niall e Liam conversando assim que entrei no local, fui até o bar pedindo um dos drinks que eles ofereciam e puder sentir um olhar sobre mim. Harry estava do outro lado do bar, me olhando, percebi que ele andou por entre as pessoas tentando chegar até mim, sem pensar muito sai do bar indo para a saída, passei por Liam e Louis me despedindo e logo indo para fora. Mike já tinha ido embora já que no dia seguinte teria uma prova importante a fazer, minha limusine já tinha voltado e então acabei ficando no taxi mesmo.
Enquanto esperava um táxi, senti uma mão em meus ombros, fazendo com que eu me arrepiasse ao sentir o toque. Virei para trás vendo um Harry ofegante me encarar.
- O que faz aqui? - Perguntei tirando sua mão de mim enquanto voltava ao normal.
- Quero falar com você- Ele se aproximou e eu fechei meus olhos sentindo o seu cheiro.
- Não temos nada a falar Harry - Me virei de costas para ele, o que foi um grande erro, já que ele nos grudou fazendo com que minha bunda batesse em seu membro.
- Sinto sua falta - Beijou meu pescoço fazendo meus pelos se arrepiarem- Sinto falta dos seu beijos - Mordeu minha orelha enquanto eu segurava um gemido. - Te quero tanto.
Harry me virou me fazendo o olhar, sua mão foi para minha nuca e me puxou para um beijo veloz. Styles estava tão desesperado que me puxava para ele mais e mais, partimos o beijo e pude sentir sua ereção roçando em mim.
- E-eu preciso ir embora - Digo com a voz falha e ele ri negando.
- Você não vai a lugar algum- Me puxou até um carro preto enquanto eu tentava relutar. - Vou te dar uma carona.
- Não precisa Harry, eu estou bem - Me soltei dele enquanto ele abriu a porta para mim.
- Por favor (S/A), deixa eu tentar me redimir. - Me olhou com olhões pidões e eu suspirei me dando por vencida.
- Tudo bem Styles, tudo bem.

Harry estacionou em frente do prédio em que eu morava, desci do carro assim como ele.
- Obrigada pela carona. - Dei um beijo em seu rosto e ele me segurou.
- Eu não saio daqui enquanto eu não tiver um beijo. - Ele sussurrou em meu ouvido e eu suspirei.
- Harry…- O olhei ainda receosa, fechei os olhos enquanto lhe dava um beijo lento, e que logo se tornou um beijo rápido e feroz.
Harry acionou o alarme do carro enquanto me beijava e ia me guiando até o elevador, aos beijos entramos e só paramos para apertar o botão do andar, já no andar do meu apartamento, Harry me empurrou até a porta do mesmo, enquanto eu procurava as chaves em minha bolsa. Já dentro do apartamento, fomos para o meu quarto, nesse momento eu já estava entregue ao desejo, sem vestido, pude ver Harry me encarar enquanto mordia os lábios. Tirou meu sutiã, beijou meus seios enquanto eu suspendia minha cabeça para trás, apresado ele arrancou minha calcinha, enquanto tirava a cueca, não pude deixar de admirar seu belo corpo. Harry subiu em cima de mim, enquanto me olhava, senti ele me penetrar e não pude evitar soltar um gemido.
- Eu te amo- Se movimentava dentro de mim enquanto eu gemia baixo.
- Harry, por favor- Digo já sem forças e ele acelera enquanto beijava meus seios.
Depois de longos minutos, Harry e eu respirávamos ofegante, eu estava deitava em seu peito enquanto ele mexia em meus cabelos fazendo com que o sono tomasse conta de mim em poucos.
- Durma meu amor- Harry disse antes de eu cair no sono.


Sua avaliação conta muito viu? se gostou deixe seu coraçãozinho  ♥

Pedido: Faz um do Zayn que ele está em turnê ( com os meninos ainda ) e ela vai fazer uma visita e eles tem uma noite hot e no show do outro dia ele está cheio de marcas e os meninos estão brincando e tiram a blusa dele e acabam mostrando as marcas e ele fica com vergonha e os meninos fazem brincadeiras no palco e depois no camarim c0m ela perto.



Zayn P.O.V

Abri os olhos devagar, me arrependendo no mesmo instante assim que os raios de sol foram diretos ao me rosto, me fazendo querer matar seja lá quem estiver batendo na porta do meu quarto de hotel em plena 07:00 AM.

Me levantei da cama com dificuldade, calçando meus chinelos e indo em direção à porta, xingando de todos os palavrões possíveis quem estivesse ali.

SURPRESA.” Escutei um grito animado e logo um corpo sendo jogado contra mim.

Assim que o corpo se chocou ao meu, pude sentir o perfume de morango vindo de seus cabelos, logo me fazendo arregalar os olhos ao reconhecer aquele aroma.

“Não acredito.” Mumurrei entre seus cabelos enquanto lhe abraçava o mais forte possível. “Como chegou até aqui?” Perguntei.

“Ah, Malik… Não me faça responder a uma pergunta idiota dessas.” Disse enquanto empurrava suas malas, entrando no quarto.

Revirei os olhos para sua ironia, que por incrível que pareça estava me fazendo falta, enquanto fechava a porta do hotel.

“Eu consegui 5 dias de folga. Vão fazer alguma reforma na empresa, então os funcionários foram dispensados por esse tempinho.” Disse sentada na cama. “Eu estava com saudades.” Sorriu.

“Eu também estava morrendo de saudades, meu amor.” Disse indo até ela e lhe dando um selinho.

O resto do dia se resumiu em s/n e eu em baixo do cobertor, assistindo alguns filmes enquanto comíamos algumas besteiras que havíamos pedido no restaurante do hotel.

Eu estava em turnê há 1 mês e meio, e a saudade que estava sentindo da minha namorada era grande.

Eu estava distraído enquanto prestava atenção no filme, quando senti um leve toque em meu membro. Olhei para s/n e ela me encarava de volta, com um sorrisinho sacana no rosto.

Fechei os olhos enquanto aproveitava a sensação das suas mãos em meu pau, e apertei ainda mais os olhos ao senti-las por dentro de minha cueca.

Em um movimento rápido, puxei s/n para cima de mim, enquanto lhe beijava intensamente, apalpando sua bunda. Gemi durante o beijo assim que lhe senti rebolando em meu membro ainda por cima da calça.

Rapidamente tirei sua blusa enquanto ela tentava fazer o mesmo com minha calça, se atrapalhando um pouco com a situação.

Assim que nos livramos de todas as roupas, voltamos a nos beijar intensamente enquanto s/n arranhava todo o meu ombro e minhas costas. Seus arranhados eram fortes, e eu tinha quase certeza de que já estavam sangrando.

Me virei por cima de s/n e lhe penetrei rapidamente, o que fez com que ela desse um gemido alto devido a surpresa e o prazer.

S/n gemia em meu ouvido, enquanto eu soltava alguns suspiros e gemidos abafados.

Ficamos ali ‘matando a saudade’ até decidirmos ir para o restaurante do hotel para jantarmos.

Horas depois

“Boa sorte, meu amor.” S/n disse me dando um selinho. “Tenho certeza que será incrível, como todas as outras vezes.”

“Obrigada, querida. Depois do show podemos ir em algum lugar para comer algo.” Sorri para ela até escutar meu nome ser chamado por alguém da equipe. “Tenho que ir.”

O show estava incrível, toda aquela alegria dos fãs era impressionante, o que fazia o show ficar ainda mais animado.

Eu estava ao lado de Niall enquanto Harry conversava com os fãs, até sentir um jato de água ser jogado contra mim.

Assim que abri os olhos, dei de cara com Louis rindo junto com Liam enquanto segurava um balde. Niall já gargalhava escandalosamente ao meu lado.

Balancei a cabeça em sinal de negação enquanto ria junto com eles.

“Olhem só essa blusa colada no corpo.” Harry comentou apontando para mim enquanto as fãs gritavam.

“Vamos dar um jeito nisso.” Louis disse antes de vir para cima de mim junto com Liam, me segurando, enquanto Niall arrancava minha blusa.

As fãs gritavam loucamente enquanto eu ainda tentava me soltar dos garotos, mas minha situação não estava das melhores.

“Isso são arranhados?” Niall perguntou gargalhando observando minhas costas e barriga

“Parece que alguém aqui de divertiu com a visita da namorada.” Liam piscou

“Não me diga que eram vocês fazendo barulhos no corredor.” Harry comentou com as mãos na cintura, fingindo me repreender.

As fãs gritavam cada vez mais, e eu apenas imaginava a grande repercussão que isso tudo iria gerar, e no quanto s/n devia estar envergonhada.

Durante o restante do show, fiquei sendo alvo de piadas de duplo sentido dos meninos, e eu apenas ria e entrava na brincadeira.

Assim que chegamos no camarim, vimos uma s/n nos olhando vermelha como um tomate.

“Aqui está nossa mulher gato.” Harry disse se sentando ao lado de s/n

“Eu não acredito que vocês viram.” Disse escondendo a cabeça nas almofadas.

“Não só a gente.” Louis disse piscando. “Você quase arrancou as costas do Malik, senhorita.”

“Tudo bem, chega de brincadeiras com minha namorada. Podem ir para o camarim de vocês e nos deixar á sós.” Disse já puxando Harry do sofá e empurrando o resto dos meninos até a porta.

“Tudo bem, só não esqueçam que há mais gente aqui. Se eu ouvir algum barulho, vou gravar.” Louis disse rindo, enquanto saia.

Assim que todos saíram, fechei a porta e me virei para s/n, que estava com a face ainda mais vermelha.

Fui até ela, e lhe puxei do sofá, logo colando nossos corpos.

“Mudança de planos, não vamos mais jantar fora. Você tem que me pagar por esses arranhões.” Falei em seu ouvido logo depois dando um tapa em sua bunda.




Que merda foi essa, Gabriela?

xXxGaby

One Shot Niall Horan

  • Pedido -  Vc pode fazer um do Niall em que ela é uma cantora famosa e está em tour e aparece notícias em que Niall traiu ela mais na verdade não era ele?? Final feliz


Os olhos de (seu nome) vacilavam e umedeciam toda vez que as imagens eram colocadas em sua frente, era doloroso, mas ela não conseguia parar de olhar. Talvez ela só estivesse tentando acreditar ou apenas tentando se convencer que estava completamente errada sobre o caráter do cara que ela dividia sua vida.

As imagens não mostravam muito, mas mostravam o suficiente para que ela soubesse que Niall havia sido um canalha. As fotos - de um site qualquer que dizia que ela havia sido traída enquanto estava em turnê - mostravam Niall de costas agarrado a uma loira. O homem tinha o estilo de roupa idêntico ao de Niall e usava uma boina idêntica a dele, então não há como negar, Niall havia partido seu coração publicamente.

O dia terminou com (seu nome) trancada em seu quarto de hotel ignorando as ligações do Niall, chorando tudo que podia chorar enquanto pensava o quanto havia sido idiota em acreditar nas palavras que Niall dizia e cantava para ela a fazendo se sentir especial.

Vez ou outra Cindy, sua assessora, entrava no quarto falando que Niall insistia em falar com ela pelo telefone para explicar o mal entendido, mas ela sabia que não tinha mal entendido nenhum. Ela viu as fotos, todos viram e não adianta inventar desculpas esfarrapadas que muitos homens inventam quando fazem merda.

A única coisa no mundo que ela não perdoa é traição e Niall sabe disso porque ela já disse várias e várias vezes.

Sentada na cama, (seu nome) escutava músicas de sua playlist nomeada “Fossa”, parecia idiota, mas ela gostava de ouvir músicas tristes para se afundar ainda mais em sua dor. Tudo que ela queria era que a dor em seu coração diminuísse conforme as lágrimas escorriam até seu queixo fazendo um salto suicida e caindo em seu colo.

Ela suspirou e fechou os olhos, mas logo os abriu novamente ao escutar o barulho da porta sendo aperta brutalmente. Ao olhar na direção do barulho, ela conseguiu ver Niall tentando se livrar dos braços de Jeffrey, o segurança, para entrar no quarto.

— Desculpe (seu nome), eu já vou tirá-lo daqui. — Jeffrey disse enquanto segurava a cintura de Niall fortemente com um braço o puxando para trás e com o outro tentava fazê-lo soltar a maçaneta da porta.

— Eu não vou sair sem falar com você! — Niall falou um pouco ofegante pela pequena luta com o segurança — Nem que eu tenha que escalar o prédio. Eu vou falar com você!

— Pode deixar Jeffrey… Obrigada! — (seu nome) disse baixo enquanto desligava seu iPod dando atenção a Niall que era solto de forma relutante por Jeff.

— Qualquer coisa é só chamar, (seu nome). Estarei aqui no corredor. — soltando Niall completamente, ele saiu fechando a porta depois que Niall avançou alguns passos em direção a grande cama.

— Por que não me atendeu? Eu te liguei mais de cinquenta vezes e tive que fretar um jatinho para vir até você. — ele disse de forma desesperada.

— Você ainda pergunta? — (seu nome) o encarou com os olhos sendo tomados pelas lágrimas — Você não se contentou em me humilhar publicamente e fez questão de vir aqui me humilhar pessoalmente?

— Eu não fiz nada disso, (seu nome). Passei o dia inteiro tentando falar com você, mas você não me deu chance. — Niall se colocou de joelhos sobre a cama em frente a namorada pronto para segurar seu rosto.

— Não me toque! — (seu nome) se levanta desviando de suas mãos — Eu não vou ouvir mentiras vindas de você, não mais. — ela se virou de costas pra Niall para que ele não a visse chorar. Ele não merecia.

— Eu te disse onde iria ontem a noite. Essas matérias são mentiras, eu não estava beijando ninguém, esse cara na foto não sou eu.

— Você disse que iria em uma social na casa do Ed… Ele estava te acobertando? Há quanto tempo ele te ajudava a me enganar? — (seu nome) se virou completamente raivosa em pensar que o melhor amigo também havia a traído.

— Claro que não, Ed nunca faria isso. — Niall o defendeu — De fato eu estava na casa dele por isso eu não poderia estar com essa garota a beijando, não consigo estar em dois lugares ao mesmo tempo.

— Quem pode me garantir que você estava lá? Ed? Ele também é seu amigo, ele pode não querer ferrar você.

— O snap do Ed pode provar. — Niall tirou seu celular do bolso e mexeu nele por alguns segundo caminhando até ela e a entregando — Veja o horário em que as fotos foram tiradas e postadas, não era eu naquelas fotos, mas sou nessas aí com roupas completamente diferentes.

(Seu nome) olhou cada foto que passava diante de seus olhos e realmente os horários não batiam com o que era dado na matéria que leu sobre a traição. Seu coração se tranquilizou e seu choro se intensificou deixando Niall completamente sem reação e confuso.

— Eu achei que você não me amava mais… Eu fui tão injusta com você, me desculpe.

(Seu nome) estava de cabeça baixa envergonhada de olhar nos olhos de Niall depois de tê-lo acusado de traição, talvez ele que não quisesse mais falar com ela depois disso e ela entenderia perfeitamente o lado dele. Niall se aproximou da namorada lentamente e colocou suas mãos no rosto dela o levantando para que pudesse olhar em seus olhos.

— Eu nunca vou te trair porque eu te amo demais para fazer isso. Está tudo bem agora, eu vou processar o site que publicou essa mentira e que causou todo esse constrangimento. — Niall encontrou os lábios da namorada com os seus — Tudo continua do mesmo jeito entre a gente, vamos apenas esquecer e esclarecer esse mal entendido para nossos fãs que querem me matar. — ele riu baixo a fazendo rir também.

— Eles são bem protetores, não é?! — ela colocou a mão sobre o braço de Niall acariciando sua pele.

— São sim… Metade dos meus se juntaram com os seus para falar o quanto eu sou imbecil e idiota por ter te machucado e a outra metade dos meus continuam me defendendo e isso está gerando uma grande guerra no twitter.

— Vamos fazer um vídeo ao vivo no instagram ou no twitter… Não quero que fiquem pensando mal de você, eu pensei e agora estou mal comigo mesma por causa disso.

— Está tudo bem, qualquer pessoa no seu lugar pensaria a mesma coisa, eu te entendo. — ele a deu mais um selinho — Mas creio que eles vão me odiar ainda mais ao ver sua cara de choro.

— Eu vou lavar o rosto e me maquiar… Vai preparando o celular que eu já volto.

Depois de um beijo calmo e um pouco demorado, (seu nome) foi em direção ao banheiro se preparar para mostrar que as coisas não eram o que pensavam e como ela todos que acreditaram na notícia estavam cometendo um erro ao pensar que Niall faria uma coisa tão baixa assim.

Ao sair do banheiro, (seu nome) se ajeitou entre as pernas de Niall e eles começaram o vídeo mostrando o quanto se amavam e estavam juntos, foi assim durante algumas horas mesmo estando tarde da noite.




Espero que tenham gostado :)

- Tay

Eu sempre fui uma garota que parecia não se importar muito com as coisas. Ou com as pessoas.
Enquanto todas crianças abriam o berreiro quando os pais saíam de casa, eu apenas ia para o meu quarto e ficava quietinha brincando com minhas bonecas. Quando minha mãe foi me buscar no primeiro dia de aula, ela me perguntou se eu senti saudades dela… E eu respondi que não tive tempo para sentir saudades. Enquanto todas minhas amigas tinham plena convicção de que queriam se tornar mocinhas logo e arrumar o primeiro namoradinho, eu só pensava no passo de ballet que iria aprender na minha aula mais tarde. Enquanto todos levantavam a mão na sala de aula e diziam para a professora o que queriam ser no futuro, eu só pensava o quão era nova para escolher algo. Eu tinha que escolher? Quando assisti minha melhor amiga se descabelar porque seu primeiro namorado tinha terminado com ela, eu só conseguia pensar em como o amor é tão injusto. Em alguns corações tanto, em outros nada. Enquanto meus pais discutiam dentro de casa, eu só pensava em como certas discussões não existiriam se as pessoas não fossem tão egoístas e pensassem só um pouquinho nos outros. Mas ficava quieta no meu quarto, rezando para que eles parassem logo. Enquanto todos estudavam para as provas do colégio para poder garantir o futuro, eu só queria me afundar nos meus livros e nas histórias que criava na minha cabeça. É que nada daquilo fazia sentido pra mim, sabe? Enquanto todo mundo acabava torcendo para o time de futebol que seus pais torciam, eu me peguei pensando: Ué, eu não posso escolher? Eu quero torcer pro time da estrelinha. Eu gosto de estrelas. É isso aí. Esse é o meu time.
Enquanto todo mundo se preocupava com o futuro, eu achava incrível o agora. Esse segundo. Esse mesmo, que passou. Você aproveitou?
Também nunca entendi muito bem porque as pessoas odiavam as outras, isso nunca fez sentido pra mim. Odiar alguém que eu nem conheço? Ou pior, odiar alguém que eu conheço vai trazer o que de bom para a minha vida? É perda de tempo. E temos tão pouco tempo…
Procurar o amor sempre me deu um pouco de preguiça. Eu tinha que procurar? O amor? Mas que amor? As pessoas falam que se amam com tanta facilidade que a palavra amor não tem tanto significado assim pra mim… Talvez um “meu sorriso é fácil quando você está comigo” me leve às nuvens. Ou um “antes de você ir embora, eu já sinto saudades” revire meu estômago.
Ou os seus olhos em cima dos meus. Isso basta…
Enquanto todos se prendem à conceitos, amarras, status em redes sociais, eu dou valor à outras coisas. Dou valor ao que quase ninguém vê, ao que não tem “valor algum”. O modo como suas mãos tremem quando estamos juntos e você tem que destacar o ingresso do cinema. Ou o olhar que você lança pra mim, sem saber, mas que diz mais do que você conseguiria dizer. O jeito que você fala quando tá perto de mim, mansinho, porque eu acalmo seu coração ansioso. Ou quando você perde as palavras, e eu as encontro. Dou valor às nossas noites mal dormidas, falando sobre tudo e sobre nada, só os dois, sentindo a energia que vibra à nossa volta quando estamos juntos. Gosto de observar as estrelas e pensar no quão infinito é o universo, e o quanto sou grata por todas às vezes que eu me senti tão infinita quanto ele.
Esse amor fácil de hoje em dia em nada me atrai. Você fica com um hoje, outro amanhã, um terceiro no próximo dia útil. E o que me espanta, é que isso é muito fácil, você só precisa querer. E eu nunca quis isso, entende… Não tenho fome de amor. Não tenho fome de sexo. Não tenho medo de ficar sozinha. Então sempre que esses assuntos surgem na roda de amigos, me calo.
Ninguém iria entender a fome que eu tenho.
Ela é maior do que tudo. Me consome. Me cega. Me faz ter vontade de fugir. De jogar tudo pro alto. De gritar. De cortar o cabelo. Mudar para outra cidade. Outro país. Pegar o carro e viajar sem destino. Me hospedar em um hotel que não olhei na internet. Me faz ter vontade de rodopiar sozinha. De escutar música até meus tímpanos explodirem. De pisar no acelerador para me sentir viva. De dizer o que eu penso sem medo. De contar histórias até o amanhecer. De correr pra longe de tudo que me retém. Eu vivo com pressa. Faminta, sedenta, clamando por tudo que faz meu coração acelerar.
É que eu tenho fome de tudo que me faz sentir infinita. Tenho fome de tudo que me faz sentir invencível. Fome de tudo que não precisa mais do que 10 segundos para se tornar inesquecível na minha mente tão esquecida…
Eu sempre fui uma garota que parecia não se importar muito com as coisas. Ou com as pessoas.
Besteira… É claro que eu me importo. O que ninguém nunca entendeu é aquilo que eu me pergunto todos os dias:
Você vai me fazer sentir?
—  Isabela Freitas
Imagine Zayn Malik
  • may-mellark:Eu queria um do Zayn em que ela acha que vai passar o ano Novo sozinha na casa deles e quando da Meia noite ele aparece❤❤ 
  • Era pra ser especial de ano novo, mas como eu não consegui postar aqui está, espero que goste :)
  • Boa Leitura!


Era meio dia e ouvi meu celular vibrando em cima do balcão da cozinha e vi o nome de Zayn no visor.

Ligação On

- Oi amor

- (S/N) tá tudo bem?

- Sim, estou arrumando aqui pra quando você chegar.

- É sobre isso… Eu não vou poder passar a virada com você – ele diz

- Por quê? Aconteceu alguma coisa? – tento ser compreensiva

- Uma das empresas daqui foi assaltada hoje de manhã e vou ter que ficar até amanhã de tarde aqui. – sento no sofá já desanimada com tudo que arrumei.

- Tudo bem, eu entendo

- Amor, eu sei que você tá triste, mas me desculpa eu fiz de tudo pra resolver isso, mas não deu.

- Tá tudo bem Zayn, o trabalho é mais importante.

- Não, você é mais importante, mas eu não dá pra eu voltar meu amor

- Zayn, eu já entendi tabom, antes da meia noite eu te ligo – digo – beijos, te amo – desligo sem esperar uma resposta.

Ligação Off

Se eu dissesse que não estaria chateada eu estaria mentindo, mas eu realmente esperava passar o ano novo com meu namorado já que só tenho ele nessa cidade, mas eu também não podia culpa-lo ele tinha que cuidar da empresa. Passar a virada do ano não era o que eu esperava esse ano. Já passava das oito da noite e eu preparei algo pra eu comer, fiz um macarrão e abri uma garrafa de vinho, sentei na sala e liguei a TV eu estava de pijama e com um coque, acho que o vestido que eu comprei pra passa o ano novo com o Zayn vai ficar pra outro dia, tudo que passava era relacionado ao ano novo e isso me deixava triste porque passaria sozinha, mas encontrei um filme e comecei assistir.

22:00 PM

Já tinha terminado o filme e assistir um episódio de Pretty Little Liars minha série favorita, coloquei os pratos na pia e lavei quando eu terminei já eram 22:15 e decidi assistir mais um pouco de tv até cochilar.

23:00 PM

Acordei e faltava uma hora para o ano novo, eu estava no tédio e não sabia mais o que fazer, eu só queria meu namorado aqui comigo.

23:50

Sentei na janela que tinha uma vista incrível onde daria para eu ver  os fogos e alguns já tinham começado, eu pego mais vinho e coloco do meu lado.

23:59

Um minuto, estava com o celular na mão pra ligar pro Zayn quando escuto a campainha,  mas quem seria essas horas? Quando abro a porta encontro a pessoa mais importante da minha vida na porta, ele me abraça e me beija e eu escuto fogos anunciando que já era um novo ano e eu estava ali com o meu namorado. Ele não parava de me beijar eu paro o beijo.

- O que está fazendo aqui?

- Vim passar o ano novo com a minha noiva – olho estranho pra ele

- Noiva? Você não me pediu em casamento ainda

- Não seja por isso, perai só falta uma coisa eu saber onde eu coloquei sua aliança – eu fico perplexa, e fico olhando ele procurar nas suas coisas – Achei – ele se ajoelha na minha frente e faz o pedido e é claro que eu aceitei.

- Mas Zayn eu ainda não entendi como conseguiu resolver tudo

- É.. digamos que fiz uma pequena brincadeirinha com você na hora que te liguei eu já estava aqui bem pertinho de você, estava na joalheria da cidade comprando sua aliança e fiquei hospedado em um hotel  e aqui estou. – Bato em seu braço – Você me enganou, e eu fui pedida em casamento vestida de pijama , e eu comprei um vestido lindo pra você seu trouxa.

- Você é linda de qualquer jeito meu amor – ele me beija de novo – Agora vem, vamos passar o ano novo juntinhos – ele me puxa pro sofá e me abraça ali e depois de cinco minutos adormecemos ali mesmo agarradinhos.

 LEMBRE-SE:PLÁGIO É CRIME!

Quando Dois Corações se Encontra

Capítulo 106  :

 Lua: Eu não acho Mia. Ele não foi atrás de mim e hoje de manhã devolveu o meu carro antigo. Eu acho que o meu namoro durou menos que eu esperava. – deu de ombros e Mia acariciou o cabelo dela.

Mia: Não acabou amiga, dá um tempo para ele assimilar o que aconteceu. E dê esse mesmo tempo a você.

Lua: E se ele não voltar?

Mia: É lógico que ele vai voltar, ele te ama morena. – sorriu e então a puxou, dando um beijo na testa dela. – Tenho um convite para você, será bom para se distrair.

Lua: Do que?

Mia: O Micael me deu algumas entradas de um show de uma cantora hoje em um hotel. Se não quiser ir, eu vou entender. – mirou a amiga que ao ver aqueles olhões azuis convidativos dela, não tinha outra saída a não ser recusar. – E não se preocupe com o Micael, ele mesmo disse para que eu lhe convidasse.

Lua: Quem é a cantora?

Mia: Uma tal de Sophia, acho que já vi uns dois clipes dela, parece ser boazinha. – abriu um sorriso e Lua assentiu, tendo a certeza que seria bom se distrair e arejar a cabeça longe de Arthur. Ultimamente tinha vivido em razão dele, seria ótimo retomar a sua vida aos poucos.

Lua: Tudo bem, eu vou. Você me busca em casa? – perguntou e a loira assentiu, batendo palminhas animadamente. – Agora tenho sessão de fotos, beijos Mia. – beijou o rosto dela e saiu correndo para a sala da sessão.

Exatamente quarenta era o número exato de vezes que Arthur tinha ligado no celular de Lua e só de pirraça ela não atendia.

Fora as vezes que ele estava ligando no telefone de casa que Cláudia e Marcela já estavam enjoando de falar que Lua não queria atende— lo. O relógio marcava nove da noite e Lua tinha acabado de descer a escada assim que ouviu a buzina do carro de Micael puxou a barra do vestido branco que batia dois dedos acima do meio de sua coxa, a saia dele era rodada e o decote era comportado, adornado por um colar de pedras douradas, nos pés uma sandália de salto combinando com sua clutch vermelha. Ao verem a morena ali, Cláudia e Marcela ergueram os olhos da televisão.

Marcela: Meu Deus do céu! Essa é a minha neta? — olhou para Lua totalmente encantada, cada dia mais ela estava melhor.

Cláudia: Fez as pazes com o Arthur? – perguntou, pois já estava cansada de recusar as ligações dele.

Lua: Não! – deu de ombros e colocou a franja atrás das orelhas.

Marcela: Então vai sair com quem?

Lua: Mia e Micael. — deu um sorriso enorme para as duas. — E os dois já estão me esperando. Até mais!

Marcela: Lua! Como você vai sair com o Micael? Você sabe o que ele é do Arthur?

Lua: Ele é namorado da minha melhor amiga.

Cláudia: Onde você está indo?

Lua: Em um show de uma tal de Sophia e eu já estou atrasada. Beijos. — saiu correndo para fora de casa.

Marcela: Sophia? Volta aqui Lua! — gritou, mas foi em vão, sua neta já estava longe.

Lua caminhou até o belíssimo carro de Micael, uma Mercedes prata, conversível e com portas que abriram para cima, no estilo daquelas que só vemos em filmes.

Mia deu um sorriso enorme e desceu do carro com um vestido azul na altura dos joelhos, bem apertado e no estilo tomara que caia prendida por uma delicada faixa branca de cetim abaixo dos seios e nos pés uma maravilhosa sandália branca de salto alto, provavelmente assinada por um estilista bem conhecido e extravagante, tudo no estilo de Mia.

Mia: Para tudo! O que é isso Lua Maria? Está perfeita! — abraçou a morena que sorriu.

Lua: Você também está linda! — elogiou sinceramente e fez a loira sorrir.

Micael: Olá Lua! — cumprimentou, descendo do carro com uma calça social preta fazendo conjunto com a camisa social também preta. Não se lembrava da beleza de Micael e junto de Mia faziam um belo casal.

Lua: Boa noite Micael. — sorriu sincera. No mesmo momento o celular dela começou a tocar dentro na clutch, Lua pegou o celular e revirou os olhos ao ver ‘Arthur’ no visor. Mia que estava ao lado sorriu, olhando a reação da amiga.

Mia: Não vai atender? — deu um tapinha no braço de Lua que bufou, abrindo o celular e assim provavelmente atendendo a ligação, mas ao contrario do que a loira pensava Lua desligou o celular. — Lua!

Lua: É melhor irmos não?

Micael: Claro!

Mia: Ok. — entrou no carro ainda olhando torto para Lua, para ela Arthur era o namorado perfeito e não entendia o porque de Lua fazer isso com o menino.

Chegando ao hotel onde iria ser realizado o show, todos surpreenderam— se quando viram saindo do carro de Micael Borges, junto da namorada Mia, a namorada de Arthur, o atual rival do moreno dentro e fora das pistas. Logo uma manada de fotógrafos e repórteres caíram em cima dos três, fazendo milhões de perguntas que foram totalmente ignoradas.

— O Arthur vai vir Lua?

— Vocês se conhecem?

— Você é amiga do Micael, Lua?

Alguns seguranças vieram ajudar o trio a entrar no hotel sem responder as perguntas, o que era praticamente impossível. E o pior que não entendiam… O que a atual namorada estava fazendo no show da ex—noiva?

5

Claudinha, Acompanhante em porto Alegre

Sou uma bela garota de alto astral e posso ficar contigo até uma hora e meia pelo mesmo valor que ficam quinze minutos, gosto muito de homens apreciadores de uma mulher mais madura e educada que sabe te satisfazer melhor, gosto de fazer sem pressa nenhuma e tratar todos com respeito e humildade que homem merece, me ligue pra marcar em motel ou hotel e não vai se arrepender, na Zona Sul fica mais fácil ainda… Beijinhos… 51 9252 6591 Não uso Whats!

Ponte Aérea.

Eu namorava, na época. No entanto, meu namorado tinha ido embora para Fortaleza, em janeiro, e eu fui morar em Goiânia com minha tia a fim de estudar. Mesmo assim, não terminamos. Concordamos em nos ver pelo menos nas férias de fim de ano e, quando desse, em alguns dos feriados prolongados que o ano nos concederia. Para despistar as horas de tédio e estimular a procrastinação, comecei a jogar. Entrei para o LoL. League of Legends. A falta de alguém ao meu lado foi difícil no começo. Jogar fora um modo de me distrair. E muito eficiente. Logo, estava viciada. Jogava em qualquer ocasião que podia.

Em uma das partidas conheci um rapaz de São Paulo, bem diferente dos outros garotos que jogavam no time. Ele foi gentil. Me adicionou depois que terminamos a campanha e, então, conversamos. Falamos sobre o jogo, me deu dicas. Contudo, ele não sabia que eu era uma garota. Não me lembro bem, mas devo ter usado algum adjetivo que entregou-me o gênero. Você é uma garota? Sou. Não consegui desvendar o que o surpreendia. Talvez não houvesse muitas garotas que jogassem, ou, talvez, ele não conhecesse nenhuma que o fizesse.

Depois disso, tudo fluiu, como a água corre pelo rio e segue seu caminho infinito, desbocando onde tem de desbocar. Trocamos Facebook, falamos pelo Skype. Fomos nos conhecendo melhor e, ele, sempre respeitador. Progressivamente fomo-nos aproximando. Já não jogávamos um sem o outro. Conversávamos por horas e horas ininterruptas, de passar madrugadas em claro sem me importar com as olheiras que adquiri por isso. Encantei-me. Algo me fez perder o tino de meus passos e, não mais que de repente, maravilhada, vi-me seduzida por aquela pessoa. Resolvi abrir o jogo. E, para minha (falsa) surpresa, ele correspondeu. Pronto. Era formado um laço tão forte e obstinado, louco, que perdurou meses e em todos esses meses a vontade de nos encontrar apenas cresceu.

Um dia foi anunciado na faculdade que teríamos de fazer uma viagem para o Rio de Janeiro a fim de participarmos de um congresso de Relações Internacionais. Morri de vontade de marcar com ele, para nos encontrarmos lá, mas vários amigos meus iriam também. Então, não achei prudente. Seria em Outubro; mas, por acaso ou obra do destino – como a vida ou o karma agem de forma justa às vezes – o evento fora adiado para Março do ano seguinte e meus amigos desistiram de ir.

Era minha chance. Nossa chance. Falei com ele, que comprou a passagem. Alugamos um quarto em um apartamento no Flamengo. Pertencia a uma senhora que morava com um dos filhos. Eles alugavam o quarto para turistas. Como não tínhamos grana para ficar em hotel ou alugar um apartamento com mais de um quarto disponível, optamos pelo quarto no Flamengo.

Havia chegado o dia. Quase não estava acreditando. Íamos pegar o avião e nos encontrar no aeroporto Santos Dumont. Já tinha me preparado psicologicamente para caso ele não viesse. Todavia, não havia pensado sobre como agir se ele realmente fosse. Quando o vi, quase morri de vergonha. Fiquei sem reação. Ele me abraçou. Pude sentir a respiração, mesmo que tensa, ir se acalmando aos poucos entre o abraço apertado. Foi relaxante e não foi. Não sei explicar. Saímos dali e pegamos um táxi. Pouca conversa. Chegamos ao apartamento.

Estávamos os dois muito receosos, afinal de contas, qualquer um de nós poderia ser um psicopata à lá Dexter ou Hannibal. Teríamos de confiar um no outro pois iríamos dormir na mesma cama durante uma semana. Todo aquela tensão foi quebrada quando ele tocou meu braço. Imediatamente, lembrei das nossas conversas e só conseguia pensar no tesão que sentíamos um pelo outro. Subitamente nos engalfinhamos loucamente. Caímos na cama. Mal vi quando estava por cima. Sentei no cacete duro dele e comecei a rebolar, ainda de calcinha. Podia sentir aquele caralho, mesmo por cima do tecido, encaixar entre os lábios da minha buceta, em um esfrega-esfrega muito gostoso. Já estava molhada. A calcinha encharcada. Ele enlouqueceu. Arrancou-a e jogou longe. Eu quicava e rebolava no pau dele, alucinada. E ele metia. Metia. Metia. Isso. Mete gostoso. Come sua puta. Metia enquanto mexia no meu grelinho rijo de tanto tesão. Não aguentei. Gozei. Gozei e molhei ele todo. Deitamos um ao lado do outro, extasiados.

Ao acordar pela manhã, enquanto ele ainda dormia, fui ao banheiro. Escovei os dentes e voltei para cama. Olhei-o ali, indefeso, só de bermuda. Como resistir? Só de olhá-lo, já podia sentir o tesão subindo pelo meu corpo, tomando-me toda. Debrucei-me sobre suas pernas. Desci a bermuda e, sem delongas, abocanhei-o. Estava naquela transição entre a rigidez e a calmaria. Meio mole. Meio duro. Um prato completo. Deslizava com a boca tão ávida, que pude distinguir sem esforço quando começara a ficar rijo ao longo de minha língua e começar a tocar minha garganta. Que prazer. Que tesão. Chupei. Mas não chupei muito. Ele, já desperto, me puxou gentilmente e me fez quicar naquele caralho maravilhoso.

Passamos a semana nesse frenesi. Transamos inúmeras vezes ao longo dos dias. Mas o melhor ficou para o final. Em nossa última noite no Rio fomos à Urca dar uma volta. Depois jantamos em um restaurante bem bacana no shopping de Botafogo. E fomos para casa. Naquele dia eu havia me preparado para dar a ele algo que tanto me pedira. Minha bunda. Meu cuzinho. Meu cuzinho doce. Chegamos ao apartamento e tomamos banho. Engalfinhamo-nos mais uma vez e, entremeios aos gemidos, a respiração entrecortada, pedi para que ele comece meu cuzinho. Vai. Me come. Fode o meu cuzinho. Vem cá. Foi deliciosa a expressão que tomou conta de seu rosto. Estava boquiaberto, desacreditado. Mas se recuperou rápido, o safado. Puto. Gostoso. Abre esse cuzinho pra mim, vai. Prepara esse cuzinho pro meu pau. Disse isso punhetando aquele cacete de dar água na boca e do qual eu não conseguia tirar os olhos.

Deitei de lado, o mais aberta que pude. Enfiei um dedo no meu rabinho. Enfiei fundo. Mexi. Mexi. Enfiei mais um. Não sei o que me dava mais tesão. Se era a cara dele ou aquele pau já escorrendo de tanto pré-gozo misturado mel da minha bucetinha. Ele estava babando. Babando de vontade. Sempre quando mexo no meu cuzinho, minha buceta encharca mais ainda. Puta que pariu. Que gostoso. Que delícia. Que tesão. Vai comer meu cuzinho, vai? Você quer? Quer me arrombar, me rasgar todinha? Quero. Quero, sua puta. Cadela. Ai, que gostoso. Eu gemia. Manhosa. Então vem. Vem, me come, vai. Mas vai com calma pra não machucar meu cuzinho. Me come devagarzinho, gostosinho. Manhosa. Manhosa que nem uma puta. Eu queria que ele me fodesse inteira. Virasse, revirasse. Arromba esse cu, filho da puta. Me rasga toda. E ele veio. Puxou todo o mel que escorria da minha buceta para o meu cuzinho e começou a colocar a cabecinha. Bem devagar. Colocava e tirava. Colocava e tirava. Que tortura. Filho da puta. Mete logo essa rola no meu cu. Pensava. Queria gritar, tava tão gostoso. Tava gostoso aquele põe e tira. Põe e tira. Vai. Coloca mais. Por favor. Eu quero mais. Tem certeza? Tenho. E ele colocou mais um pouco. Gemi. Gemi alto.

Doía. Mas a dor do sexo anal me enlouquece. É uma dor pouca, mas muito deliciosa, que aos poucos vai passando. Coloca tudo. Eu quero esse caralho todo no meu cu. E ele colocou. Devagar. Dei um grito de prazer. Ele começou a meter. Devagar. Bem devagar. Gemia baixinho, sem conseguir segurar o tesão me subindo pela garganta. O ritmo foi acelerando. Aumentando. Aumentando. Eu tinha vontade de gritar, mas não podia. Tinha a dona do apartamento no quarto ao lado. Filha da puta. Velha lazarenta. Empata foda. Eu quero gritar. Quero explodir em gemidos. E lá estava eu, tentando abafar meus gritos no travesseiro, sem muito sucesso.

Metia. Metia. Fodia. CRACK! A cama quebrou. Me come. Vai, me come. E meu comeu. Comeu gostoso. Gozou no meu cu. Encheu-me com aquele leite grosso, pastoso, carregado. Pude senti-lo explodir em jatos dentro de mim. Quando ele tirou o pau para se limpar, podia sentir todo gozo, quentinho, querendo escorrer pelo meu cuzinho. Se limpou. Voltou e comeu minha buceta. Me fode. Me come, vai. Come sua putinha.

Não precisou de muitas metidas para me fazer molhar a cama. Sexo anal me enlouquece. Eu já estava bamba. Não conseguia me sustentar nas pernas. Fode, vai. Me come. Puto. Filho da puta. Me bate. E bateu. Bateu, puxou o cabelo, enfiou o dedo na minha boca. E eu mexendo no meu grelinho, já frouxa, deixando toda porra do meu cu escorrer e lambuzar o pau dele, se misturando com o melzinho que escorria da minha buceta e molhava a cama. Vou gozar. Vai, puto. Goza. Goza na minha buceta. Vou gozar também. Goza no meu pau. Ele gemeu. Eu mordi a fronha. Gozamos. Muito. Se a cama já estava toda melecada, agora então nem se fala.

Deitamos. Apagamos, daquele jeito ali mesmo. Sujos de gozo, de delícias, de volúpia. No dia seguinte, logo após acordar, pela manhã, tomamos banho, arrumamos tudo e pegamos um táxi até o aeroporto. Nos despedimos. Chorei no avião. Foi uma das pessoas mais incríveis que tive o prazer (e que prazer) de conhecer na vida. Hoje somos amigos e ele tem uma nova namorada (sim, ele também namorava na época).

Não deixo de pensar nele um só dia.

Gangster

Atenção: Imagine Hot

Atenção: Jeon Jungkook

Originally posted by jeonify


Faltavam poucas coisas para a minha mala ficar pronta. Peguei meus óculos de sol e já coloquei na cabeça para não esquecer. Sábado era o casamento de minha irmã Natalie e nós estávamos indo hoje, quinta-feira, passar a despedida de solteira dela em Las Vegas. Vendo que aquilo era tudo que eu precisava levar, fechei a mala e saí de casa.


Minha irmã e nossas duas outras amigas, Lisa e Mina, já me esperavam no carro. É claro, sou sempre a atrasada. Coloquei a mala no porta-malas e nós finalmente caímos na estrada. Lisa pediu para que eu colocasse uma música bem agitada, e foi exatamente o que fiz. 


– Últimos dias como solteira, como se sente? – Perguntei a Natalie.


– Acho que vou sentir saudades – Ela disse rindo e todas nós rimos também.


Fomos cantando músicas o caminho todo, chegamos em Las Vegas por volta de umas seis horas da noite. Rapidamente nos hospedamos em um hotel e fomos nos trocar para a grande noite. O nosso quarto era incrível. A vista era maravilhosa, haviam quatro quartos, a sala era enorme e a cama do meu quarto era a mais macia do mundo. 


Infelizmente — Ou felizmente — não iríamos poder desfrutar daquele belo quarto, pois estaremos dançando muito loucas em alguma boate. Assim que saí do banho, coloquei uma Lingerie preta, de renda. Coloquei meu vestido vermelho que ficava um pouco acima do joelho, ele era um pouco decotado também.


Depois de fazer chapinha em meu cabelo, passei uma maquiagem bem pesada. Por último, coloquei meu salto preto. Nós todas estávamos vestidas para causar. Essa noite, Las Vegas era nossa. Antes de sair, para deixar tudo melhor, tomamos uma dose de Whisky cada uma, e então saímos.


A primeira parada seria em um cassino muito famoso, onde também tinha uma das melhores boates do lugar. Assim que entramos, uma música de hip-hop já estava tocando alto ali. Fomos para o lado do lugar onde estava a boate e não demoramos muito para formar uma rodinha de dança ali. Dancei como se o mundo fosse acabar e não cansei. 


Olhei de relance para o lado enquanto dançava, para o cassino logo ao lado, e percebi que havia um garoto me observando. Ele era alto, cabelos castanhos, tinha algumas correntes douradas em seu pescoço. O olhar dele sobre mim… Confesso que estava me deixando um pouco sem ar. Virei-me para Mina e perguntei que tipos de pessoas eram aquelas, ela olhou apenas de relance e já se virou para mim.


– Uma amiga minha disse que muitos Gangsters vem nesse cassino. Agora, não sei se é verdade. 


Apesar de ter achado ele muito bonito, depois do que Mina disse, parei de olhar para ele. Continuei dançando normalmente, aquele era apenas o começo dos dois dias que passaríamos em Las Vegas. 


Depois de algum tempo, já havia dançado tanto que meus pés já estavam doendo. Avisei para as garotas que iria pegar alguma bebida no bar e descansar um pouco as pernas. Elas gritaram um “Aham” e rumei para o bar. Assim que cheguei e me sentei, juro pude ouvir meu pés agradecendo. 


Pedi uma dose de tequila e fiquei ali, esperando. Fiquei olhando para as pessoas se divertindo na boate, quando percebi que no meu campo de visão havia surgido um dos caras que estavam com o tal moreno que me encarava antes. E o pior, ou eu estava muito louca, ou ele estava olhando diretamente para mim. 


Assim que ele chegou bem perto de mim, senti meu braço ser puxado com força, fazendo eu sair do banco que eu estava sentada. O homem começou a me carregar por uma porta lateral da boate, tentei gritar e espernear, mas com o volume da música, seria difícil alguém me ouvir.


– O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO? ME SOLTA!!!


Ele não respondeu, apenas continuou me carregando. Aquela hora, eu já estava ficando desesperada. Então outro homem abriu a porta lateral, a qual saía na rua e um carro estava ali esperando. Ele me empurrou para dentro do carro e entrou logo em seguida, então o carro deu partida. Minha respiração estava acelerada e meu coração estava descontrolado dentro do peito. Não sabia para onde estavam me levando e nem o que iriam fazer comigo. Eu estava com muito medo.


(…)


O carro finalmente havia parado e a porta da esquerda foi aberta, outro homem estava ali e me arrastou para fora do carro. Olhei para frente e pude ver que estávamos entrando em uma outra boate, mas esta estava vazia. Três homens me levaram para dentro, mas não ficamos na parte de baixo. No lugar haviam duas escadas laterais, eles me levaram pela escada direita. No final das duas escadas havia uma grande entrada, que dava para um corredor. 


Os caras me arrastaram por aquele corredor até a última porta, grande e com fechaduras douradas. Assim que a abriram, vi que haviam mais garotas ali, todas como eu: Assustadas. Elas estavam todas uma do lado da outra, e os caras me colocaram ao lado delas. Depois disso, mais quatro homens entraram pela mesma porta que entrei, um deles era o garoto que me observava na boate. 


Ele analisou um pouco todas as garotas, inclusive eu. Então deu um grande sorriso e abriu os braços.


– Sejam bem vindas, garotas! Eu me chamo Jeon Jungkook, e vocês estão aqui porque eu quero fazer uma proposta para vocês. 


Ele fechou os braços e começou a andar pelo quarto, ainda analisando cada uma de nós. 


– Como vocês devem ter visto, há uma boate no andar de baixo. Mas vocês devem ter percebido que, ela está vazia! Isso porque ela irá inaugurar hoje, um pouco mais tarde, e para isso, eu preciso de dançarinas. 


Jeon colocou os braços para trás e continuou falando.


– Cada noite, cinco caras no mínimo, dois mil dólares. Entenderam? 


Ah, não. Ele estava procurando por… Por garotas para serem prostitutas! Acabei me desesperando mais do que o normal e comecei a apertar a barra do meu vestido. 


– Dois mil dólares por noite? – Perguntou a garota ao meu lado.


Jungkook direcionou seu olhar a ela.


– Isso mesmo, babe. 


A garota pareceu se animar no mesmo instante, assim como todas as outras. Eu apenas queria ir embora dali. 


– Eu não aceito a sua proposta! – Disse em alto e bom som – Posso ir embora agora?


Jungkook se aproximou de mim, ainda com os braços para trás. Ele sorriu de canto e fez sinal para que um dos caras me levasse dali. Por instinto, dei uma cotovelada na cara do homem, me soltando do mesmo. 


– EU QUERO IR EMBORA! VOCÊ NÃO PODE ME PRENDER AQUI! – Gritei, fazendo todas as meninas olharem para mim.


Jeon se aproximou até ficar cara a cara comigo, sua mão segurou meu rosto, fazendo eu olhar diretamente para seus olhos castanhos.


– Ah eu posso sim, meu amor. Levem ela daqui, tranque-a em um dos quartos.

 
Dois homens me seguraram dessa vez, ficando um pouco difícil de me soltar. Eles me levaram para um quarto naquele mesmo corredor, me jogando ali dentro e me trancando. Dei murros na porta algumas vezes, mas eles não voltaram. Quando me virei para olhar o quarto, confesso que me impressionei.

 
Uma cama no centro, uma janela enorme atrás, cortinas transparentes. Luzes coloridas no teto, e um tapete de veludo preto por todo o quarto — Menos no banheiro. O fato de eu ter me impressionado não me deixou com menos medo. 

O que eu iria fazer? Como sairia daquele lugar? Sentei na cama e fiquei pensando em uma solução para sair dali. Mas aquela cama era tão macia que acabei me deitando, e é claro, adormecendo logo em seguida.
Senti uma mão acariciando meu rosto lentamente, abri os olhos e percebi que era Jungkook, sentado na cama, ao meu lado. 


– Bom dia, babe. A boate inaugurou a alguns minutos. E bom, já que você não aceitou minha proposta, o que acha de vir conhecer a minha sala? 


– E eu tenho escolha? – Perguntei, me levantando. 


Ele não respondeu, apenas ficou analisando cada centímetro do meu rosto, me deixando corada.


– Você é muito bonita – E se levantou – Não, você não tem escolha – Falou, estendendo sua mão para que eu segurasse. 


Assim que saímos do quarto, já pude ouvir a música no andar de baixo. O garoto me levou até um mesmo quarto daquele corredor, um clássico escritório. Ele fechou a porta e se sentou em sua mesa, pegou um copo e colocou alguma bebida e ficou ali, bebendo e olhando para mim. 


– Sabe, você se daria bem se aceitasse minha proposta. Qual é, olha pra você, qualquer homem perderia a cabeça. 


Analisei bem Jeon Jungkook. O formato de seu rosto, o jeito como agia… Não podia negar, ele era realmente muito, muito bonito. 


– Uma pena que eu não vou aceitar – Falei.


Ele tomou um último gole de sua bebida e colocou o copo em cima da mesa, suspirando.


– Oito mil por noite, pode ser só dois caras. Vai ser a dançarina mais bem paga de Las Vegas. 


Já estava me irritando com aquela conversa. Eu dando pra caras desconhecidos por dinheiro? Não, com certeza não. Me aproximei da mesa de Jungkook, espalmei minhas mãos na mesa dele, derrubando seu copo. 

– Você pode pegar seus oito mil dólares e enfiar onde quiser. Eu não vou ser sua dançarina, ou prostituta ou como você chamar. 


Ele sorriu e eu tive uma vontade imensa de dar na cara daquele garoto, mas apenas saí dali, batendo a porta com força. O pior de tudo, é que Jeon estava me deixando totalmente e completamente excitada. Se eu ficasse trancada em uma sala com ele só mais uma vez, não poderia me responsabilizar pelos meus atos. 


Mas ele não iria saber disso, é claro que não. Por que eu não ficaria trancada com ele em uma sala novamente. Eu iria sair daquele lugar. Rumei para a escada por onde entrei e estava pronta para descê-la quando um daqueles brutamontes dos guardas me puxou de volta, me levando para o meu quarto.
Eu dormi novamente, não por muito tempo, e mais uma vez, eu acordo e Jungkook está no meu quarto. Mas dessa vez, ele estava perto da porta.


– Deixo você ir embora. Mas antes, posso te mostrar um lugar? 


– Por quê? – Perguntei, confusa – Mais uma proposta?


– Não, sério. Só quero te mostrar um lugar antes de você ir embora. Por favor!


Ele estava fazendo uma carinha de cachorrinho perdido e que precisava de carinho. Não consegui recusar. Levantei, suspirando, e o segui novamente. Mas dessa vez, ele me levou para um elevador. Nós entramos no elevador e as portas se fecharam. Cruzei os braços e tentei o máximo que pude não olhar para o lado, sentia que Jeon estava olhando, e aquilo me deixava cada vez mais quente. 


As portas se abriram e a minha frente havia apenas um longo corredor, com uma porta no fim. Ele fez sinal para que eu saísse do elevador primeiro e eu fui, assim que cheguei na frente da porta, Jungkook a abriu.


Era um quarto e n o r m e. A vista daquele lugar era simplesmente impecável. Tinha uma grande sacada com cortinas brancas, uma leve brisa entrava pelo lugar. Praticamente todo o lugar que eu olhava havia ouro. Vasos, quadros, armários. 


Sem conseguir dizer nada, fui até a sacada e fiquei olhando a vista dali. Era tão, tão lindo. Simplesmente amava vistas das cidades. Todas aquelas luzes… Era maravilhoso.


– Você gostou? – O garoto perguntou, fazendo-me virar. 


– Sim. É… Muito lindo. 


– Então… O que você acha de dez mil? 


Eu sorri, mas estava morrendo de ódio daquele idiota. Me aproximei dele e, como ele estava sentado em uma das poltronas, coloquei minhas mãos nos dois braços da poltrona, ficando muito próxima dele.


– Você disse que não iria fazer propostas! Eu não vou aceitar, Jungkook, desiste!


Nossas respirações estavam misturadas, e a dele parecia ter se alterado. Ele me olhava tão profundamente nos olhos que poderia enxergar a minha alma. Percebi que minha respiração estava começando a ficar alterada também, então tentei sair dali antes que pudesse fazer alguma besteira.


Assim que me virei para sair, senti minha cintura ser puxada para trás com força, fazendo-me cair sentada… No colo dele. Eu conseguia sentir um volume, sabia que era da calça dele. Ele puxou meu cabelo pra trás lentamente, fazendo meu ouvido ficar perto de sua boca. 


– Tudo bem, eu já entendi que você não quer aceitar minha proposta. Mas, eu vi o jeito que me olha. E sabe, se quiser, eu posso te levar do céu ao inferno em cinco segundos. 


Enquanto ele dizia essas palavras, senti uma de suas mãos descendo lentamente pela minha coxa direita, a abrindo devagar. Então seus dedos foram descendo… Descendo, até encontrarem minha intimidade, que convenhamos, já estava bem molhada. 


– Eu… Eu não quero – Falei o mais claro que consegui.


Seus dedos rodopiaram lentamente ali em cima. Eu não consegui segurar, um pequeno suspiro escapou de minha boca.


– Seu corpo não diz o mesmo, princesa… 


– Não quer…


Antes que eu pudesse terminar a frase, a outra mão de Jeon foi até meu seio esquerdo e o apertou, ao mesmo tempo que massageava meu clitóris devagar. 


– O que estava dizendo, hum? – Ele disse com a voz rouca em meu ouvido. 


Simplesmente não conseguia mais segurar aquela vontade imensa que eu estava tendo dele. Não dava mais para negar.


– Eu quero – Disse entre suspiros. 


– O que você quer que eu faça, meu amor? – Ele sussurrou, mordendo o lóbulo da minha orelha em seguida.


Gemi manhosa quando seus dedos apertaram minha intimidade mais forte. 


– Eu quero que você me foda… Bem… Fundo.


Mal terminei de falar e senti os dedos de Jungkook colocarem minha calcinha de lado, penetrando minha entrada com um dedo. 


– Nossa, como você é apertada… – Ele disse, suspirando em seguida.


Mordia meus lábios com tanta força para não gemer, que não demorou muito para eu sentir o gosto de sangue. Jeon penetrou mais um dedo em minha entrada, dessa vez aumentando os movimentos e indo, como eu havia pedido, bem fundo. Abria as pernas cada vez mais, revirava os olhos nas órbitas. 


– Não segura os gemidos, amor. Geme pra mim, vai – Ele pediu manhoso.


E dessa vez eu gemi, e a cada estocada, eu gemia mais alto. Mais umas cinco daquelas e eu senti meu líquido escorregando pelos dedos dele. O garoto levou seus dedos até sua boca e os chupou. Assim que vi aquela cena, eu fiquei ainda mais molhada. 


Ele se levantou e segurou minha cintura, juntando nossos corpos. Ele me levou até uma mesa, derrubou todos as coisas que tinham em cima e pegou-me pelas coxas, me colocando em cima. Envolvi sua cintura com minhas pernas e nossas intimidades entraram em contado. Senti seu membro ficando cada vez mais duro.


Ele segurou meu rosto e foi fazendo uma trilha de beijos. Começou no ombro e foi subindo pelo pescoço até chegar na minha boca. Encostou seus lábios bem superficialmente nos meus, enquanto suas mãos subiam meu vestido lentamente. Estava tão desesperada que segurei seu rosto e juntei nossos lábios de uma vez, iniciando um beijo voraz e necessitado. 


– Sem pressa, ___________ – Ele disse, parando o beijo e rindo.


O olhei confusa.


– Como sabe meu nome? 


Ele me encarou nos olhos mais uma vez. 


– Você foi escolhida por mim para estar aqui, é óbvio que eu sei o seu nome. E posso ser sincero com você? 


Balancei a cabeça positivamente. 


– Eu gosto desse seu jeito. Você é marrenta, não aceita tudo que dizem pra você. Isso é bom, __________, sério. 


Não consegui ficar sem sorrir. 


– Além de ser – Ele me encarou de cima a baixo, mordendo os lábios – Muito linda. 


Senti minha intimidade pulsar de desejo. Segurei a cintura do garoto e a puxei pra mais perto de mim, iniciando um beijo suave dessa vez. Jungkook tirou meu vestido e depois de me analisar por uns cinco segundos, me pegou no colo e me levou para o sofá, onde me fez sentar, de pernas abertas. 


– O que você vai faz…


Não consegui terminar a frase pois o dedo indicador de Jeon foi de encontro com meus lábios, puxando o meu lábio inferior levemente pra baixo e soltando. Ele tirou seu terno e começou a desabotoar sua camiseta na minha frente, olhando diretamente para os meus olhos. 


Depois que terminou, vi que ele começou a subir suas mãos pelas minhas pernas até chegar na barra da minha calcinha, a qual ele rasgou rapidamente. E é claro, fez tudo isso olhando em meus olhos. O garoto beijou minha coxa interna lentamente, me deixando cada vez mais necessitada.


Então ele aproximou seu rosto de minha intimidade, deixando um pequeno beijo ali. Eu arfei e joguei minha cabeça para trás. Jungkook começou a me estimular com a língua sem pressa alguma, levei minha mão até seus cabelos e os puxei com certa força. 


– Acho que já está bem molhada – Ele disse, levantando e tirando seu cinto, sua calça e sua cueca em seguida.


Seu membro estava bem animado, o que me fez querer ele dentro de mim mais do que nunca. O garoto me levantou e se sentou, ele espalmou as mãos no sofá e olhou pra mim. Ele queria que eu sentasse nele, e eu o faria bem devagar. Levei minha mão até seu membro e o massageei um pouco, fazendo Jungkook suspirar e morder os lábios em seguida.


Assim que vi que ele estava entregue, procurei por uma camisinha naquele lugar e ele me apontou um armário ali perto, eu a coloquei nele e fui sentando lentamente em cima dele, enquanto seu membro entrava em minha entrada. Nossos gemidos começaram a se sincronizar agora, e quando ele estava completamente dentro de mim, eu comecei a rebolar pra frente e pra trás, depois pra baixo e pra cima. Rapidamente. 


Ele abriu meu sutiã e assim que meus peitos estavam a mostra, enquanto apertava um, Jungkook chupava o outro. Depois fazia isso de novo, alternando. Comecei a arranhar os ombros dele, não estava aguentando tudo aquilo e não ia demorar pra eu chegar no meu ápice. Dito e feito, depois de umas duas reboladas daquelas, eu cheguei no céu.


Mas ele não parou, me fez deitar no sofá e continuou me penetrando fundo. Os espasmos do primeiro orgasmo ainda me atingiam, mas eu também não queria parar. Depois de algum tempo ele chegou em seu ápice também, se soltando em cima de mim e gemendo baixinho em meu ouvido, o que me fez ficar completamente arrepiada. Ele tirou a camisinha e colocou em um lixo que havia ali perto. 


Ficamos ali deitados, respirando rapidamente e com os corações batendo no mesmo ritmo. Jungkook riu e se levantou um pouco, ficou me olhando. Ele estava todo suado e com o cabelo todo bagunçado. Mas que droga, eu já estava molhada de novo.


Jeon levou sua boca até minha orelha, mordeu de leve e levou seus dedos até minha intimidade novamente, estimulando meu clitóris devagar. Agarrei seu cabelo com o susto e um suspiro escapou de minha boca. 


– Eu quero você de novo… Só que dessa vez, na banheira.


– Jungkook, acho melhor n…


Ele apertou minha intimidade e eu gemi alto. Fechei os olhos, mordendo os lábios. Não podia negar, eu já o queria de novo. 


– O-ok. 


Ele pegou outra camisinha e me guiou até o banheiro. Jeon encheu a banheira e quando ela estava totalmente cheia, o garoto se sentou dentro dela. Eu me sentei em cima dele, a água estava morna, ótima. Peguei a camisinha e logo coloquei nele. Ainda não havia sentado em seu membro, queria torturá-lo um pouco.


Fiquei acariciando seu peitoral enquanto encarava cada traço em seu rosto. Senti as mãos do garoto descerem até minha a bunda e a apertarem forte, fazendo eu suspirar. Eu queria que ele implorasse pra mim, então iria fazer o que fosse preciso. 


Segurei seu membro e fingi que iria colocá-lo em minha entrada umas três vezes. Jungkook gemeu, jogando a cabeça para trás. 


– Implora pra mim, Jungkook…


– Por fa-favor, quero foder essa entrada apertadinha – Falou, apertando minha cintura. 


Dessa vez eu deixei que ele entrasse dentro de mim, por inteiro, enchendo cada centímetro meu. Dei um gemido longo na primeira rebolada, seguido por um gemido de Jungkook. Comecei a me movimentar rápido e mais rápido…


– J-Jungkook – Gemi, apertando seu ombro. 


Aumentei os movimentos e Jeon aumentou a pressão em minha cintura. 


– J-JUNGKOOK…


Sentia meu corpo entrando em colapso, minhas pernas tremiam, a água só deixava tudo melhor. Jeon gemia tão alto quanto eu, suas mãos apertavam minha cintura tão forte que eu sabia que ficariam marcas vermelhas.  Então eu rebolei mais fundo no membro de Jungkook e senti meu ponto de mais prazer ser atingido. Aquilo foi o meu inferno. 


Gemi tão alto que fez eco no banheiro todo. Ele segurou minha bunda e a apertou, eu rebolei mais fundo, e mais fundo, atingindo aquele ponto umas cinco vezes. Então na sexta vez, meu céu chegou. Caí em cima de Jeon, sem forças e sentindo o melhor orgasmo que havia tido na vida. Depois de alguns segundos tentando me recuperar, tirei a camisinha dele e a coloquei no lixo do banheiro. 


– Ainda bem que você não aceitou minha proposta. Você pode até ser uma pornstar, mais tem que ser a minha pornstar. 


Eu o encarei, confusa. 


– Minha? 


– É, se você quiser. 


Eu ri.


– O que acontece em Vegas, fica em Vegas, Jungkook. 


– Você é boa demais pra eu deixar ir embora desse jeito. Pelo menos uma amizade colorida? – Perguntou ele, beijando meu pescoço.


– T-tudo bem, Gangster – Falei, suspirando. 

Ele sorriu ao ouvir eu dizer “Gangster” e eu o beijei intensamente. Depois de tomar um banho, Jeon deixou eu ligar para as minhas amigas do celular dele. Eu avisei a elas que havia conhecido um cara e que fui conhecer o quarto dele, o que não deixava de ser verdade. Ainda era sexta-feira, dava tempo de voltar para o casamento, e claro, de mais um round com Jeon Jungkook. 

N/A: Jesus, esse ficou longo, hein? Digam-me o que acharam! <3

~ChimChim

amor é uma luz á
noite atravessando o nevoeiro
amor é uma tampinha de cerveja
pesada no caminho
do banheiro
amor é a chave perdida da sua porta
quando você está bêbado
amor é o que acontece
uma vez a cada dez anos
amor é o velho jornaleiro na
esquina que
desistiu
amor é o que você acha que a outra
pessoa destruiu
amor é o que desapareceu junto
com a era dos navios encouraçados
amor é o telefone tocando,
a mesma voz ou uma outra
voz mas nunca a voz
correta
amor é traição
amor é o incêndio dos
sem-teto num beco
amor é aço
amor é a barata
amor é uma caixa de correio
amor é a chuva sobre o telhado
de um velho hotel
em Los Angeles
amor é o seu pai num caixão
(aquele que te odiava)
amor é um cavalo com a perna
quebrada
tentando se levantar
enquanto 45.000 pessoas
observam
amor é o jeito que nós fervemos
como a lagosta
amor é tudo que nós dissemos
que não era
amor é a pulga que você não consegue
encontrar
e o amor é um mosquito
amor são cinquenta lançadores de granada
amor é um pinico
vazio
amor é uma rebelião em San Quentin
amor é um hospício
amor é um burro parado numa
rua de moscas
amor é um banco de bar vazio
amor é um filme de Hindenburg
se retorcendo
um momento que ainda grita
amor é Dostoiévski na
roleta
amor é o que se arrasta pelo
chão
amor é a sua mulher dançando
colada com um estranho
amor é uma senhora
roubando um pedaço de
pão
e o amor é uma palavra usada
muitas vezes e
muitas vezes
cedo demais


Charles Bukowski.

9

So I loaded Twikkii Island the other day to see how the new water mod looks there. The initial plan was to just check the ocean and beaches real quick and then move on, but then things happened and I… kind of spent the next 3 hours redecorating that cheap hotel with the palms in front. But hey, at least now I can proudly say that I don’t hate how it looks anymore. Pics are captioned.

Pedido: amoor faz um imagine do Harry que ele é super fã/tarado na S/n e eles se encontram em uma premiação e meio que rola um clima .. o final pode ser como você preferir 

Não sei se ficou como imaginaram.. Não fiquei muito feliz com o resultado, então queria saber a opinião de vocês.. 

Boa leitura

xoxo


É hoje!! Hoje seria a premiação da Radio Music Awards e eu veria a S/N!! Eu sou completamente apaixonado por essa mulher!                                           Ok, talvez eu esteja exagerando, mas ela me enlouquece de uma forma.. 

S/A está tão mais tão estourada que nem temos tempo para conversar.        

Eu já havia ouvido falar dela bem antes de conhecer-la pessoalmente e confesso que não achava que ela era tudo isso. Assim que tive a oportunidade, Louis me apresentou pra ela, pois eles já se conheciam a bastante tempo. Ali, no show que fizemos em Los Angeles, conversei com ela e percebi que estava totalmente errado sobre sua pessoa! Depois deste dia, começamos a nos encontrar como amigos mesmo, mas hoje em dia está difícil até se comunicar com ela pelo celular! Mas hoje ela não me escapa! 

Eu e os meninos estávamos hospedados em um hotel para relaxarmos depois de tantos shows. Acordei, me troquei e desci para tomar café, encontrando os meninos na mesa, conversando 

Niall: Até que enfim a Bela Adormecida chegou! - acenei e me sentei no meio de Liam e Louis 

Liam: Animado? 

Harry: Pra caramba! - disse com um sorriso no rosto 

Niall: Nunca te vi tão animado para uma premiação 

Zayn: Ele não está animado por causa da premiação- Zayn riu fraco e me olhou 

Harry: Claro que estou! 

Louis: Ah Harry, você não engana ninguém

Liam: Perdi alguma coisa? - perguntou sem entender nada 

Louis: Ele tá assim por causa da S/N! 

Harry: Não!! Claro que não!!

Zayn: Admite que é mais bonito! 

Harry: Tá, estou animado que vou ver ela.. - todos riram 

Niall: Você ama essa garota hein 

Harry: Não exagera! Só acho ela uma tremenda gostosa! - rimos 

Zayn: Quem não acha! Tenho que conversar mais com ela.. Ser mais que amigos se é que me entendem 

Harry: Eu tô na frente idiota, não vem roubar meu lugar! E você namora Zayn!! Fica quieto aí! 

Liam: Então quer dizer que Harry Styles quer pegar a S/N?! 

Harry: Quero! Quero muito! - ri - Porra, ela é tão linda! O cheiro dela, o sorriso, aquele corpo, ela é fantástica! 

Niall: Tá apaixonado! Com certeza! 

Harry: Tô nada! 

Zayn: Mal ele sabe o que o Louis já fez com ela! - Zayn riu fraco e Louis olhou para o mesmo com um olhar não muito bom 

Harry: O que você fez? - perguntei ao meu amigo 

Louis: Nada, Zayn tá louco! 

Zayn: Tô! Tô louquinho! - riu novamente, debochando 

Harry: Fala Louis! 

Louis: Não é nada! 

Zayn: Ele pegou a S/N , falei! 

Harry: O QUE? 

Louis: Você tá morto! - disse à Zayn - Isso foi há muito tempo 

Zayn: 4 meses não é muito tempo.. 

Harry: Por que Não me falou nada?? 

Louis: Sei lá, fiquei meio mal por ter pego ela já que você tava gostando dela e ainda está 

Harry: Eu Não estou gostando dela.. - disse revirando os olhos 

Liam: Vocês só se beijaram? - Louis permaneceu em silêncio, desviando o olhar e Zayn começou a rir - Não me diga que.. 

Niall: EITA! DE PRIMEIRA?!?? - perguntou perplexo e eu não entendo nada

Liam: Esse daí não perde tempo 

Harry: Cara, que que tá acontecendo? 

Niall: Eles transaram Harry! Que lerdeza! 

Louis: Agora ele vai é me estrangular! 

Harry: Não, óbvio que não vou! Ela não é nada minha! Mas poderia ter pelo menos me contado né! 

Louis: Desculpa cara! 

Harry: Mas e aí, como foi? 

Louis: Não vou entrar em detalhes, mas foi ótimo! Ela é sensacional! Mas já vou adiantando que não fui só eu que peguei ela!!! Não é mesmo Malik! - Zayn pegou o copo de suco e deu um gole tentando disfarçar 

Niall: Transou com ela também??? 

Zayn: Não! 

Louis: Para de mentir!! Transou sim!! Você veio correndo me contar!!  

Zayn: Mas só foi 2 vezes! Você foi umas 6!! 

Liam: E vocês não falam nada pra gente!! 

Harry: Eu tô chocado.. Só eu que não fiquei com ela?? 

Zayn: O Liam e o Niall também não 

Niall: O Liam já beijou ela, não foi? 

Liam: Uma vez só, mas eu tava bêbado, nem lembro 

Niall: Eu admito que fui em uma festa sozinho e ela estava lá.. e fiquei com ela, mas foi uma vez também 

Harry: Então só eu que não fiquei com ela - disse desanimado 

Zayn: Hoje é o dia meu amigo! 

Louis: Na festa depois da premiação é ótimo 

Liam: De hoje não passa!

Niall: Vai na fé irmão! 

Harry: Se ela não tiver acompanhada né.. 

Zayn: Acho que Ela está solteira .. - Zayn parou de falar pois seu telefone começou a tocar e ele atendeu - Alô… Oii S/A.. Espera um pouquinho- Zayn colocou a ligação no viva voz para podermos ouvir também 

Ligação

Zayn: Voltei 

S/N: Vai na premiação hoje? 

Zayn: Vou!! 

S/N: Ah que bom! Os meninos e o Harry vão também? - ELA DISSE MEU NOME!! 

Zayn: Vão sim! Harry Está com saudades de você - Zayn disse e eu o olhei com vontade de mata-lo 

S/N: Também estou com saudades dele.. 

Zayn: E de mim não? Podíamos nos encontrar depois da festa.. 

S/N: Você está namorando Malik! - ela deu uma risadinha - Nem sonha! 

Zayn: Ela nem vai saber.. - S/N riu novamente 

S/N: Você é um safado! 

Zayn: Tô brincando - ele riu - Amo minha namorada 

S/N: E tem que amar mesmo 

Zayn: Vai acompanhada? 

S/N: Não, ninguém me quer! 

Zayn: Eu sei uma pessoa que te quer muito!! - O Zayn quer morrer hoje, só pode - Bom, vou desligar 

S/N: Tá, nos encontramos lá então 

Zayn: Beijos 

S/N: Fala pro pessoal que mandei um beijo pra eles 

Zayn: Beleza 

S/N: Tchau 

Zayn: Tchau - Zayn desligou a ligação e me olhou - Ela te quer! 

Harry: A voz dela é tão gostosa de ouvir.. 

Louis: VISH, ACALMA SEU AMIGO AÍ HARRY! - todos riram 

Harry: Vão se fuder! - ri fraco e fui pegar meu café 

 […]

 A premiação já havia acabado e não vi a S/N até agora. Vi apenas de longe, no palco, onde ela cantou e recebeu 2 prêmios. 

Já estávamos na festa. Fui até o bar pegar uma bebida e alguém tampa meus olhos. Passei minhas mãos pelas mãos da pessoa e reconheci que era de uma mulher e pude sentir o seu cheiro de longe. Era a S/N. 

Harry: Oi sumida! - ela retirou as mãos e eu me virei dando de cara com ela que me abraçou no mesmo momento 

S/N: Como soube que era eu? 

Harry: Seu cheiro é único.. - ela sorriu - Você está linda! - olhei para a mesma de cima pra baixo e realmente ela estava maravilhosa, com um vestido longo bordo brilhante, um salto preto e seu cabelo estava um pouco liso um pouco encaracolado, resumindo, estava fantástica 

S/N: Obrigada! Não tenho palavras para te descrever né! Continua lindo! Seu cabelo está show! - ri fraco 

Harry: Valeu - disse sem jeito - Quer uma bebida? 

S/N: Agora não.. Está acompanhado? 

Harry: Não 

S/N: Posso ser sua acompanhante? 

Harry: Nem precisa pedir! - sorri e fomos nos sentar, até que achamos uma mesa vaga, colada na parede, com aqueles sofás bem confortáveis. Me sentei e ela sentou ao meu lado, ficando bem próxima a mim 

S/N: Faz tempo que não nos falávamos 

Harry: Pois é! Descobri coisas sobre a senhorita que fiquei chocado - ri fraco e ela me olhou confusa- Você já ficou com todos os meus amigos?- ela riu 

S/N: Mais ou menos.. - ri fraco 

Harry: Louis e o Zayn foi algo mais pesado digamos assim 

S/N: Meu deus! Eles te falaram disso também?! - assenti - Que vergonha! - escondeu o rosto com as mãos 

Harry: Vergonha por que? Você é solteira! 

S/N: É.. Pensando assim! Mas que fique bem claro que quando eu fiquei com eles, os dois estavam solteiros! 

Harry: E foi bom? - S/N me olhou assustada e riu ao mesmo tempo - Que foi?! - ri 

S/N: Que pergunta! 

Harry: Eles só me falaram coisas boas da senhorita 

S/N: Foi bom sim.. Que constrangedor isso! - rimos 

Harry: Fica tranquila que não vou espalhar pra ninguém! - ela assentiu - Então você já pegou todos da One Direction! 

S/N: Todos não.. Falta 1 .. - falou e lançou um olhar sexy pra mim, logo entendi o que ela quis dizer 

Harry: Então hoje você pode dizer que já ficou com todos da One Direction - fomos nos aproximando e em poucos segundos colei meus lábios aos dela. Minha língua pediu passagem e ela cedeu. O beijo foi ganhando mais ritmo. Senti suas mãos passando pela minha nuca e acariciando a mesma de uma maneira gostosa, Já às minhas estavam agarradas em sua cintura. Paramos o beijo por falta de ar e ela deitou sua cabeça em meu ombro 

S/N: Você é rápido.. - ela disse rindo 

Harry: Não gosto de perder tempo 

S/N: Gosto disso! - ela riu e deu me deu um selinho, mordendo a parte inferior do meu lábio - Você beija bem.. 

Harry: Sei fazer mais coisas além de beijar.. - cochichei em seu ouvido e ela riu 

S/N: Tô louca pra saber.. - ela disse e beijou meu pescoço de leve, arrepiando meu corpo 

Fomos em um lugar mais reservado onde tudo aconteceu. No final da festa eu estava realizado. Bebi muito e quando cheguei no hotel, apaguei. 

Acordei com meu celular vibrando. Vi a ligação do Liam e atendi 

Ligação

Harry: Oi.. - disse ainda sonolento 
Liam: O café tá acabando, vai descer? 
Harry: Vou.. Já tô indo
- desliguei a ligação e vi uma mensagem da S/N há algumas horas atrás 

“Devíamos repetir o que aconteceu ontem mais vezes” - sorri ao ler aquilo e respondi a mensagem 

Mensagens

Harry: Tô a disposição quando você quiser 

S/N: Vou ficar sozinha hoje.. 

Harry: Vou tomar café e já vou pro seu hotel 

S/N: Vem agora.. 

Harry: Nem tomei banho ainda 

S/N: Toma aqui comigo 

Harry: Agora já sei porque os meninos ficaram loucos por você 

S/N: Vem logo! 

Harry: Tá desesperada meu amor? 

S/N: Estou! Viu só o que você fez comigo? 

Harry: Essa era a intenção! Me espera que já tô chegando!! - bloqueei o celular. Tomei um banho gelado para tirar a ressaca. Me arrumei e sai do quarto, dando de cara com os meninos 

Niall: O café já acabou 

Harry: Não vou tomar café - ri fraco 

Louis: Ele vai comer outra coisa! - Todos rimos 

Harry: Que pesado Louis!! 

Louis: Tô mentindo? 

Harry: Não.. - ri 

Zayn: Eu falei que ela tava louca pelo Harry! 

Harry: E eu louca por ela! - foi interrompido pela mensagem da S/A - O dever me chama! Não me esperem pro jantar 

Liam: Vamos embora amanhã depois do almoço hein!! 

Louis: Deixa o moleque curtir! 

Harry: Tchau!! - disse e desci as escadas. Pedi um táxi e fui até o hotel onde S/N estava hospedada. Bati na porta e ela abriu me puxando pra dentro - Cheguei! - sorri e ela me beijou 

S/N: Demorou demais.. - disse tirando minha camisa 

Harry: Sou todo seu! - abri os braços e ela me jogou na cama, ficando sobe mim 

S/N: Sabe que não vou te deixar em paz tão cedo né?! 

Harry: Eu agradeço demais por isso! - ela sorriu e e beijou. 

Com certeza nossa amizade não vai terminar tão fácil assim.. 

Imagine Harry Styles - pedido.

  • A ask com esse pedido sumiu da inbox ’-’
  • Feito por mim (Mari) e Tha (obrigada gêmea <3).

- Eu ainda não consigo acreditar que vocês vão casar! - Liam comentou, levando a taça de vinho branco aos lábios.

- Nem eu! - Harry e eu falamos ao mesmo tempo. Sorrimos um para o outro.

- Eu não acredito. - Nialler suspirou. - Minha irmã! - gritou, nos fazendo rir.

- Achei que já tinha superado isso. - Harry lembrou.

- Acho que isso nunca acontecerá. - Louis comentou.

- Parece que foi ontem que descobri sobre vocês. - Niall continuou. Eu troquei um olhar cúmplice com Harry.

[Flashback on]

- Okay, então. - falei saindo do quarto de Harry.

Os meninos estavam em mais uma turnê e como de costume, eu os acompanhava em todos os shows. E durante essas viagens, eu e Styles acabamos nos envolvendo. Por um bom tempo, conseguimos esconder nosso relacionamento, mas alguns deslizes ocorrem e àquelas alturas, quase metade da equipe já sabia. Menos ele. Meu irmão.

- Te vejo pela manhã? - perguntei.

- Só se você me der um beijo de despedida. - chantageou. Franzi os lábios.

Era meio arriscado nos beijarmos ali no corredor, mas eu não me controlava quando aqueles olhos brilhantes estavam sobre mim. Ficando na ponta dos pés, eu tomei sua boca com a minha e abracei seu pescoço a fim de trazê-lo mais para perto.

- Mas o quê…? - Niall perguntou em voz alta.

Empurrei Harry com tanta força, que o coitado cambaleou um pouco para trás.

- HARRY! - sua voz se elevou. - Nós tínhamos um acordo, lembra?

- Olha Niall… - Styles começou, mas logo meu irmão o interrompeu.

- Você está muito encrencado.

- O que está acontecendo? - Liam apareceu, seguido por Louis e Lottie.

- Harry está arrastando as asas pra cima da minha irmã. - respondeu. O rosto vermelho de tanta raiva.

- Nialler. - chamei, mas ele me ignorou.

- Qual é, Neil? Não tem nada demais. - Louis tentou acalmá-lo.

- Você diria isso se encontrasse eu e Lottie nos beijando? - perguntou com as sobrancelhas franzidas. Louis não respondeu. A pobre Lottie só arregalou os olhos azuis.

- Irmão… - insisti.

- E se fosse eu e Gemma, hein Harry? - provocou. Styles suspirou.

- Isso é diferente. - ele respondeu baixo.
- Diferente como?

- EU A AMO! - Harry gritou, apontando para mim. Meu queixo caiu alguns centímetros. Ele nunca tinha me dito as três palavras antes.

[Flashback off]

- Foi a primeira vez que disse me amava. - cutuquei o peito de Harry, com um sorriso bobo em meus lábios.

- Sim, eu estava lembrando disso também. - respondeu com a voz rouca em meu ouvido, me deixando arrepiada.

- Arranjem um quarto! - Louis pediu escondendo os olhos com as mãos. E mesmo sem ver, recebeu um olhar feio de meu irmão.

- Eu lembro que ouvi “a” conversa do Nialler com o Harry sem querer. - Liam admitiu.

- Oh, a conversa. - Harry sorriu.

- S/N e eu também tivemos uma conversa dessa. - Louis admitiu.

- Por quê? - Liam quis saber.

- Deixei claro o que aconteceria com ela se machucasse meu baby boy. - respondeu enchendo sua taça com um pouco mais de vinho.

- Awn, eu te amo, Lou. - Harry disse, esticando-se para tocar o joelho de Louis.

- Também te amo, babe. - segurou a mão de Harry e depositou um beijo ali.

- Arranjem um quarto! - brinquei.

- Mais tarde, e só com você, meu amor. - Harry falou, abraçando-me pela cintura. Um sorriso envergonhado marcou meus lábios quando Niall revirou os olhos e tapou os ouvidos.

- Não me façam lembrar da última vez, por favor. - continuou tapando os olhos com as mãos. - Ainda me lembro da bunda branca contraída do Harry. - fez uma careta.

- Ai, ai, meus olhos. - Liam fechou os olhos fazendo careta também como se imaginasse a cena que meu irmão descreveu, e Louis dava risada.

- Ninguém mandou você entrar no meu quarto, Niall. - respondi apesar de sentir minhas bochechas quentes.

- Achou errado, maninha. Devia ter trancado a porta.

- Nós achávamos que passaria a noite com Selena. - dei de ombros sabendo que ele se irritaria com a suposição.

- Pelo menos não foi no seu sofá, bro. - Louis tentou amenizar, mas Harry olhou para mim tentando esconder o riso e logo depois cobriu o rosto soltando uma gargalhada.

- Não… - Niall negou com a cabeça fazendo cara de nojo - (S/N)! - gritou indignado já com o rosto vermelho de ciúmes e nós começamos a rir. Niall com ciúmes era algo épico de se ver.

- Mal sabe ele que não paramos só na sala. - Harry sussurrou em meu ouvido me fazendo rir mais ainda.

Ajeitei-me no sofá e Harry me abraçou pelos ombros e Liam, que estava sentado no chão entre minhas pernas, encostou sua cabeça em minha coxa e eu passei a fazer carinho em seus cabelos. O silêncio agradável prevaleceu até Niall começar a rir descontroladamente, olhamos para ele confusos e já meio rindo do seu riso repentino.

- O que foi, Neil? - Tommo perguntou.

- Lembram quando a (s/n) tomou aquele caldo na praia? - riu mais levando os outros a rir também com a lembrança - Sua cara foi a melhor. - Fechei a cara só por lembrar daquilo.

- Acho que nunca te vi tão puta, amor. - Harry falou ainda rindo, secando as lágrimas no canto dos olhos.

- Só por causa de um óculos. - Liam virou pra mim balançando a cabeça em negação.

- Era meu preferido. - minha voz saiu aguda causando mais risadas e eu cruzei os braços irritada.

- Own, minha bicudinha mais linda. - Niall envolveu meu rosto com as mãos dando beijos molhados por todo meu rosto.

- Sai, você tá me babando toda, Horan - gritei tentando o afastar, em vão, ele só fez se sentar no colo. - Você tá me sufocando, baleia. - fingi falta de ar e ele parou de me beijar.

- Dramática. - rolou os olhos, mas continuou no mesmo lugar, fazendo Liam ir para o lado. Puxou minha mão observando a cicatriz que tinha ali. - Eu deveria ter te protegido. - seu tom agora era triste e até mesmo decepcionado.

- Você não teve culpa. - o abracei pela cintura encostando a cabeça em suas costas.

- Ninguém iria adivinhar que tinham tirado fotos nossas nos beijando e que as fãs iriam para cima dela daquele jeito. - Harry continuou.

Aquele dia tinha sido um dos piores da minha vida, Niall e eu estávamos no hall do hotel em que iríamos nos hospedar e enquanto ele estava na recepção um grupo de meninas conseguiram ultrapassar a segurança e foram para cima de mim, literalmente. Lembro da agonia de não conseguir respirar direito e de braços me puxando por todos os lados até eu cair no chão e ser pisada com o que eu acredito ter sido saltos altos, fora assim que obtive a cicatriz na mão.

- Não são fãs, não de verdade. - Louis interveio demonstrando sua raiva sobre aquele acontecimento.

- Vamos falar de outra coisa, sim? - pedi. - Lembram de aquele jantar que a mãe do Harry deu? - comecei.

- Eu lembro, ainda posso sentir o cheiro de molho de tomate em mim. - Liam falou rápido e se cheirou. Tinha sido hilário aquele jantar. Já estávamos rindo, não por ter tanta graça, mas porque estávamos altos por causa do vinho bebido mais cedo.

- Hey, não tenho culpa se não tenho coordenação motora pra segurar uma travessa. - Harry tentou se explicar.

- ‘Magina, Harold. Tive que usar uma de suas camisas broxantes. - Louis começou a rir concordando com Liam.

- Não. São. Broxantes. - Harry respondeu pausadamente, ele odiava quando zoávamos suas roupas.

- São sim. - concordei e recebi um olhar indignado dele. - Desculpa, babe. - beijei o bico que se formou em seus lábios.

- Okay, definitivamente vocês precisam de um quarto. - fomos atingidos por uma almofada.

- O seu de preferência, meu amor. - Harry respondeu cínico para Louis.

- Quem devia ser casar eram vocês. - falei como quem não quer nada.

- Vai se foder, Horan. - Louis falou mais alto me mostrando o dedo do meio.

- Com o Harry. - completei baixinho, rindo.

- (S/n)! - Niall chamou minha atenção e eu corei pedindo desculpas, fazendo os outros rirem.

- Quem vai ser o padrinho? - Liam perguntou repentinamente.

- EU! - Niall e Louis gritaram juntos e se olharam.

- Eu sou o irmão dela. - Niall começou.

- Eu sou o melhor amigo dele. - Louis apontou pro Harry.

- E eu sou melhor amigo dela. - Liam se intrometeu e então começaram uma discussão que não dava para entender nada, pois falavam ao mesmo tempo.

Olhei para Harry e ele já me encarava risonho, eu estava perdida sem saber o que fazer para aquela discussão boba acabar.

- Podemos fazer como Tom Fletcher e colocar todos como padrinhos.

- Isso! - Falei animada - CALEM A BOCA! TODOS SERÃO PADRINHOS. - gritei e a sala ficou em silêncio.

- Sério? - Niall virou pra mim com os olhos brilhantes. Assenti com a cabeça e sorri. Um segundo depois fomos atingidos por três criaturas felizes da vida em um abraço confuso, e nossas gargalhadas ecoavam pela sala.

Eu me sentia completa. Estava do lado do homem que amava, do irmão maravilhoso que tinha e dos meus melhores amigos que alguém poderia ter.