edit: liam

Preferencia #185 - Le escondes tus lágrimas
  • HARRY: No puede hacer nada, porque si no quieres que te vea llorar debes de tener una buena razón. Pero mientras ocultas tus ojos él no se va, está junto a ti esperando a que quieras hablar con él.
  • LIAM: "¿Estás bien?" Pregunta al verte con la cabeza abajo, y sin subir la mirada contestas: "Si, bien." Pero a quién quieres engañar, Liam te conoce mejor que a nadie y sabe cuando no estás bien. "Sabes que aquí estoy, y cuando quieras hablar..." Se detiene al verte limpiar una lágrima, y tu cabeza llega a su hombro.
  • LOUIS: Se pone nervioso, porque ni sus tonterías te hacen subir la mirada. "Amor, por favor..." Ni siquiera sabe que decir. Está sentado junto a ti, y toma tu mano para besarla. "Estoy aqui, no me cierres." Besas rápidamente su mejilla. "Perdón." Le dices viéndolo a los ojos, y te abraza.
  • NIALL: Se te queda viendo cuando duda si estás llorando o no, pero hay una cortina de cabello que no lo deja ver. ¿Debe abrazarte? ¿Decir algo? ¿Hacer algo? No lo sabe. "Amor, quieres hablar de algo?" Pregunta tratando de quitar la cortina, pero te mueves para evitarlo. "No." Dices lo más suave y tranquila que puedes. Niall odia verte así, y odia más no saber que hacer.
  • ZAYN: Puede escuchar que lloras desde afuera del cuarto, pero la puerta está con llave y no hay forma de entrar. "¿Cielo?" Te llama después de tocar la puerta. "Abre la puerta, por favor." Dice casi rogando. En cuanto la abres caes a sus brazos, y te envuelve en un abrazo. "Tranquila, aquí estoy... todo está bien." Pasa sus manos por tu espalda, tratando de calmarte. Pero nunca puede verte, él sabe lo mucho que odias que te vean llorar.

One Shot Liam

- Seus exames estão pronto (s/n). - O Dr. Shaw disse entregando-me uns papeis. Finalmente iria descobrir se estava grávida.

Leio algumas coisas, mas as letras vermelhas escrito “NEGATIVO”, me chamava a atenção. Então é isso, eu não estou grávida. Algumas lágrimas rolam de meu rosto. Essa é a quinta vez que faço o teste, e nunca dá certo.

- Tenho  que lhe dar uma notícia. - O Doutor diz. - Um tanto chocante. - Ele concluí.

- Então diga. - Peço apreensiva, o que pode ser pior do que não estar grávida.

- Aproveitamos que fizemos esse teste de gravidez, e como todas as vezes anteriores que fizemos, dava negativo, decidi fazer outro teste. - Ele pausa, e solta um suspiro profundo. - Descobrimos que a senhora é estéreo.

- O que? - Pergunto exasperada. - Não, não pode ser Doutor, por que? - Pergunto olhando para tudo menos para o médico.

- Algumas mulheres não podem ter filhos, então dizemos ser estéreas. - Explica ele.

- Isso eu sei. - Reviro os olhos tentando não chorar mais. - Mas por que eu? - Pergunto.

Dr. Shaw dá de ombros: - Não somos nós que escolhemos isso minha querida, infelizmente. - Diz ele.

- Ahn, obrigada. - Saio do consultório aos prantos. Entro no elevador do prédio e escorrego pela parede do mesmo ficando sentada no chão. Outras pessoas entraram no elevador, me olhavam com cara de pena, isso é tudo que eu não preciso agora. Pena. Me levantei sem forças quando o elevador parou no saguão. 

Sai desnorteada do grande prédio. Entrei no carro e dei partida indo para casa. Era um desafio enxergar a rua com os olhos cheios de lágrimas. Abri a porta de casa e Liam estava na porta a minha espera.

- E ai meu amor? - Ele parecia ansioso. - (s/n), o que ouve? - Ele pergunta indo me abraçar.

Solto um soluço: - Liam - Balbucio. -, eu… Me desculpe. - Peço me aconchegando em seu abraço.

- Tudo bem meu amor. - Ele acaricia meu cabelo. - Podemos tentar mais vezes.

- Não. - Suspiro. - Nós não podemos.

- Por que? - Sua voz transmitia pânico.

- Eu sou uma doente Liam. - Digo enterrando meu rosto em seu peito deixando que mais lágrimas saiam de meus olhos.

- Doente? - Liam pergunta. - Como assim?

- Eu sou estérea Liam. - Digo. - Eu sou uma doente que não pode te fazer feliz.

- Ei, para com isso. - Liam diz me soltando do abraço, segurando-me pelo braço e me olhando nos olhos. - A culpa não é sua, você não é uma doente. Podemos resolver isso querida.

- Como? - Pergunto.

- Muitas crianças esperam pessoas como nós, cheio de amor para dar, as adotarem. - Diz ele sorrindo.

- Você vai ficar feliz mesmo não saindo do meu ventre? - Pergunto.

- Claro que vou. - Ele me abraça. - Desde que eu tenha uma família com você eu já vou ser feliz. - Ele beija minha testa.

- Eu te amo tanto, Payne. - Digo deixando um sorriso bobo escapar.

- E eu te amo muito, muito mesmo. - Ele roça nossos narizes.

• • •

- Fiquem a vontade. - A mulher disse.

Liam e eu entramos numa sala, onde haviam vários bebês, esperando que fossem acolhidos, por pais que lhe deem muito amor. Juro que se eu pudesse adotar todas elas, eu adotava. Dizem que não é nós que escolhemos, é a própria criança. Passei em frente a todos os berços. Mas quando parei em frente de uma menininha que tinha o nome de Heather, meus olhos parecia sorrir, e a pequena bebê pulava animada ao me ver.

- Liam. - O chamei.

- Ela é linda. - Ele se aproximou.

- Sim. - Concordo. - Heather. - Digo.

- Posso escolher um menino também? - Liam pede.

- Claro. - Concordo.

Liam vai para a sala ao lado, e eu pego a pequena Heather no colo, e a levo para a sala ao lado.

- Esse é perfeito. - Liam diz se virando. - Tyler.

- Gostei do nome. - Sorrio. - Me lembra de meu avô. - Me aproximo dos dois. - Ele é lindo.

Saímos da sala e levamo os dois bebês conosco, assinamos algumas papeladas e vamos embora. Em alguns dias receberemos visitas da mulher que nos liberou a adoção, e o processo já foi aberto.

- Bem-vindos a nova casa de vocês. - Digo abrindo a porta de casa.

- Bem-vinda mamãe. - Liam diz selando meus lábios.

One Shot Liam

A ceia tinha sido realmente ótima. Liam falava sobre os recentes acontecimentos em sua vida. Quem é Liam? Ah, sim, Liam é um filho de um amigo de meu pai. Passara todas as ceias desde que nasceu aqui na minha casa, ou seja, vinte ceias acompanhada dele.

Por mais que a vida dele fosse corrida por conta da banda, ele sempre dispensava os meninos no Natal para vir para cá. Não que os meninos não importassem para ele, mas nossas famílias eram tão unidas que pareciam uma só.

Mas desde que a ceia foi acabada Liam não disse mais nada, ficou quieto, no jardim, com o celular no ouvido. Mesmo depois de desligar, não pude deixar de perceber que ele continuava ali sozinho, olhando as estrelas.

- Não vai entrar? Nossos pais estão fazendo a maior gambiarra lá dentro, está muito divertido. - digo me aproximando dele, que sorri para mim. Ele abre os braços para eu abraça-lo.

- Eu preciso de um pouco de paz, um lugar mais calmo.

- Hum.

- Sem falar que a visão daqui é ótima, as estrelas… Mostra a parte ruim de morar em cidade grande.

- Sim, eu vejo estrelas quando estou querendo pensar.

- Olhe isto. - ele falou e olhou para cima de sua cabeça. Você olha também.

Um visco.

- Mamãe que plantou, ela acha bonita.

- Tem uma lenda escandianava sobre os viscos. Qual é mesmo?

- Oh, Deus! É a lenda que quando um casal se encontra embaixo dela…

- Oh, isso! - ele lembrou. - Eles devem se beijar… para celebrar com amor a ressurreição de um dos Deuses, qual mesmo?

- Balder, o Deus da sabedoria e…

- Da justiça.

- Liam, você… Tramou tudo isso? - perguntei.

- Talvez. - ele sorriu.

- Você é um idiota.

- Vamos lá, celebrar com amor a ressurreição de… - ele apertou os olhos, tentando lembrar.

- Balder. - Liam sorriu e se aproximou. - Ei, pare!

- É a lenda.

- É uma besteira! - Liam puxou o rosto dela e a beijou.

Ele se deitou em cima dela, que deitava na grama. Eles começaram a rolar pela grama, sorrindo.

- É a melhor lenda que eu já ouvi. - (S/n) disse baixo, enquanto puxava o garoto e o beijava novamente.

  • Pedido por: imagines-dos-minos1d

——————————————————————

Londres estava cheia. Pessoas por todos os lados gritando e sorrindo, esbanjando felicidade por um novo ano chegar. Nunca tinha visto a cidade tão animada, e olha que eu vinha aqui sempre, por causa do meu namorado, Liam.

Estava eu, ele, Niall e Barbara, uma namorada de Niall, comemorando o ano novo juntos. Bebíamos champanhe e ríamos, além de contar o que esperávamos do ano.

Essa coisa de passagem do ano não era uma grande coisa para mim. Eu achava nada demais. Era lógico, o momento de você fazer tudo de novo, de uma maneira melhor. Mas eu não era como o resto das pessoas, que enlouqueciam com a data.

Eu estava ali mas por causa de Liam. Ele adorava a data. Um ano passando e um novo vindo. Coisas a mudar e tudo mais. Ele achava a data importante, então decidir não reclamar. Afinal, não era ruim comemorar a data, só achava cansativo porque sempre era a mesma coisa: fogos de artificio de tantos minutos. Bonitos, mas que as vezes não eram criativos. Outras desejando sorte, dinheiro, e saúde. Coisas assim rotineiras. 

-Vai começar a contagem, vamos? - Liam me puxava pelas mãos até onde tinha a melhor visão do big ben.

-Vamos - Falei sorrindo. 

Tinha cerca de mais de um milhão de pessoas na grande praça do big ben. Não era toda a população de Londres, mas pelo menos um terço.

O grande relógio estava quase dando meia noite. As pessoas se amontoavam mais umas contras as outras, e eu estava segurando a mão de Liam com força, já que eu tinha medo de acabar me perdendo. 

Era o meu primeiro ano novo com Liam. Tínhamos começado a namorar acho que em janeiro, então iriamos fazer um ano agora.

O relógio começou a badalar, e as pessoas começavam a contar.

-5…4….

-(s/n)? 

-3…2…

-Liam? 

-1…..

-Feliz ano novo! - Liam e eu dissemos ao mesmo tempo, rindo. Ele me puxou para um beijo enquanto as pessoas a nossa volta comemoravam mais um ano.

-Feliz 2014

-Feliz 2014! - Liam disse sorrindo. - Que venha mais dez, vinte, trinta anos ao seu lado, meu amor. - Ele disse e me beijou novamente. Sorri.

-Isso mesmo! Te amo Liam 

-Te amo (s/n) - Ele disse e nos beijamos novamente. Mas uma criatura loira interrompeu nosso momento amoroso.

-Eu não queria interromper o casal, mas também quero desejar um bom ano pra os meus amigos - Ele disse e rindo e eu logo o abracei, e Liam fez o mesmo logo em seguida. 

Abraçamos Barbara e desejamos um bom ano para ela.

-Pera, está faltando uma coisa. - Niall disse e olhamos para ele confusos. - Champanhe para brindar! - Ele pegou uma garrafa novinha e abriu, fazendo jorrar espuma de champanhe por toda a praça do big ben. 

-Feliz Ano novo! - Gritamos todos juntos, sorridentes.

Liam poderia está certo. Era um novo ano, nova chances.. Tudo poderia acontecer. E espero que acontecesse de uma maneira melhor. 

Adeus 2013!