e:one shot

Betrayal

Pairing: Loki x Reader

Genre: smut  |  Word Count: 2,601

Summary: Loki receives a visit in his cell in Asgard.

Warnings: thor 2 spoilers, swearing, rough (ish) sex, unprotected sex.

Author’s Note: I don’t think thor 2 can be spoiled at this point, but I’m not taking any chances.

[ Masterlist ]

Originally posted by peppertylerperry

Keep reading

Under the mistletoe

Christmas carols rang through the mall, filling you with Christmas cheer. You squeezed Calum’s hand and grinned excitedly. Even Santa was there, in the centre of the mall with a big display accompanying him. Christmas was your favourite holiday and Calum knew it. This was why he’d taken you Christmas shopping here, it had been awarded the “Best display of Christmas Spirit” for the entire country. And it was pretty obvious why. Christmas trees around every corner, walls plastered with more decorations than you could ever imagine, and the floor littered with artificial snow and glitter. This truly was a winter wonderland. Behind the Santa display was an indoor ice rink, this was not something you’d see on a day to day basis. You pulled on Calum’s hand and dragged him towards the queue to see Santa. He shook his head and laughed. He’d never really understood your obsession with Christmas, but he wasn’t one to deny your happiness, so reluctantly he complied. You got to the front of the queue and raced up to Santa, jumping onto his knee. You shot Calum a huge grin as he took your photograph. You then gestured for him to join you. He rolled his eyes before squatting next to Santa, one hand placed on the small of your back. Santa turned to him, “So young man, what would you like for Christmas.” You looked down at him and giggled, this was so not Calum’s scene. He would kill you if any of his friends came to the mall and saw him talking to Santa. Calum took your hand and smiled sheepishly, “I don’t want anything for Christmas, because I’ve got everything I could ever want right here,” he said while rubbing your back. You squealed with delight and wrapped your arms around his neck, leaving Santa behind. The two of you were then ushered away, your turn was over. You beamed from ear to ear, he couldn’t have responded with a better answer. Calum was definitely a keeper. He leant over to you and gave you a quick peck on the lips, and with a twinkle in his eye, he asked where you’d like to go next. Of course it had to be ice skating. I mean you were right there already, it was almost compulsory for you to try it out. Calum helped you tie the laces on your skates before doing up his own. You’d only ice skated a few times before so it wasn’t surprising that you were a bit wobbly. Calum on the other hand was super coordinated thanks to years of football training, and picked it up instantly. It got kind of tedious at times, Calum was so good at everything, even if he’d never done it before. But then you’d look at his face light up when he realised he could do it, and every doubt you’d ever had about him was washed away. He pulled you out onto the ice, skating backwards like an expert. If you didn’t know any better, you would’ve thought he was lying about this being his first time iceskating, but as it was Calum, you didn’t even question it. You wobbled along, clutching Calum’s arms for support. You reached the middle of the rink and he span you both around in a circle, before pulling you close to him and kissing you softly. Despite the coldness of the ice rink, his lips were warm and comforting. As cheesy as it sounds, Calum’s kisses really did warm your heart. You smiled up at him, staring deep into his big brown eyes. He still made you feel like a princess, even after all this time. You shivered and he comforted you with a warm embrace. “You’re getting cold sweetie, let’s head in,” he told you, before helping you to the side of the rink. Once you’d returned your skates, Calum led you to the closest café and ordered you both hot chocolates with extra marshmallows, just how you liked them. When they arrive, he put all of his marshmallows in your hot chocolate, and then added all of yours, licking his fingers with a cheeky smirk. After you finished your hot chocolates, it was time to go home. The Christmas shopping had kind of failed, you’d both exhausted yourselves so much from all of the other activities that you’d given up. As Calum drove you back to your house, you sat in the passenger seat belting out Christmas tunes with Calum rolling his eyes at your excitement. He walked you to the door, always a proper gentleman. As you reached the door way, he glanced up and took your hand. You looked to see what he was staring at, realising there was mistletoe above the two of you. He bit his lip and looked back down at you with a smile, his dimples making you die a little inside. You stood on tiptoes and wrapped your arms around his neck, before pushing your lips against his. Kissing Calum had become second nature, but he still managed to give you butterflies and make your heart race every time. As you pulled away, you looked up into the big brown eyes of the boy you were lucky enough to call your own. Then you whispered the three little words you know he’d been dying to hear after all this time, “I love you”. His eyes lit up and his grin widened, “I love you too baby, more than you’ll ever know”.

Let's Be Crazy

A/N: This has been stuck in my drafts for ages, and I honestly have too many of these unfinished writings saved –– I figured I should start finishing them. Okay, so listen to this while you’re reading, but if you’re not a country fan, listen to this.  And if neither of those sound good to you, just listen to your own fun, up-beat song (or read silently, I guess)! ENJOY. xo

Keep reading

You're Beautiful, Lou - Larry One Shot (tłumaczenie)


Tytuł: You’re Beautiful, Lou (Jesteś piękny, Lou) (LINK DO ORYGINAŁU)

Autorka: Danielle

Zgoda na tłumaczenie: Jest!

Pairing: Larry Stylinson

Bohaterowie: Harry Styles, Louis Tomlinson

Ilość słów: ~4k

Opis: Louis czuje się niepewnie i Harry sprawia, że znów czuje się kochany. Nieco oparty na gifie z Louisem, pociągającym swoją koszulkę na brzuch, kiedy stał na rękach podczas koncertu na TMH Tour.
Harry postępuje jakby Louis był szkłem, które może roztrzaskać się w każdej chwili, gdy tak naprawdę jest już rozbity, i Harry składa go z powrotem.

Od autorki: Heeeej, więc napisałam to kiedy byłam smutna, ponieważ Louis próbował zakryć swój idealny brzuszek podczas stania na rękach i tak, widziałam go poprawiającego swoje ubrania i mam to coś, gdzie myślę, że Louis jest niepewny. Okej, mam nadzieję, że się będzie podobać, dzięki za czytanie!

Od tłumaczki: To moje trzecie tłumaczenie, niewątpliwie najdłuższe i najtrudniejsze z tych trzech. Starałam się jak najlepiej je przetłumaczyć, wyszło jak wyszło :) Z góry dziękuję, za jakieś zainteresowanie. Enjoy ! :)

Keep reading

Imagine Hot ~Niall Horan

Bem, hoje você embarca para Londres, sua mãe havia morrido a pouco tempo no Brasil e então a justiça decidiu que você deveria ir morar com o seu pai em Londres. Você estava indo completamente contra gosto, pois sabia que ele era casado, com uma mulher que tinha outros dois filhos, que se chamavam Niall e Greg resumindo, de uma hora para outra você iria ganhar dois irmãos, sendo que ninguém havia perguntado se você realmente queria, isso era uma coisa altamente trágica.

            Você chegou no aeroporto, estavam os quatro te esperando, todos com um sorriso no rosto. Niall parecia ter a sua idade e Greg ser um pouco mais velho, eles eram bem simpáticos, assim como a mãe, dona Maura, que seria automaticamente a sua mãe também.

            Você ia ter que dividir o quarto com o Niall já que a casa havia sido planejada apenas para uma família de quatro pessoas, resumindo antes você não estava no plano do seus pais.

            O tempo passou, você se dava muito bem com todos na sua família, todos já te incluíam nela como se desde que ela se iniciou já tivesse sido assim. Você continuava dormindo no mesmo quarto que o Niall. Ele era sempre um fofo com você, e você estava começando a se apaixonar por ele.

            Era um dia de chuva, Greg havia viajado com a namorada, seu pai e a sua mãe, sim você chamava a Maura de mãe, era assim que você considerava ela, assim como ela te chamava de filha, então eles foram para uma reunião de negócios no Brasil, você estava apenas com Niall em casa, e para ajudar Ainda hoje fazia exato um ano da morte da sua mãe. Você estava mau, mas não queria demonstrar isso para o Niall. Você estava sentada no balcão da cozinha enquanto Niall cozinhava alguma coisa paras vocês comerem. Você chacoalhava seus pés igual a uma criança, você olhava para eles na tentativa de não lembrar da sua ma~e e cair no choro, o que era em vão. Niall começou a te observar e ver que não estava certo. Até que ele viu que lágrimas escorriam dos seus olhos e você não conseguia evitar.

            Ele desligou o fogão, tirou o avental e foi até você te abraçando. Comos você estava sentada no balcão ele entrou no meio das suas pernas.

Niall: O que aconteceu?

S/N: Nada.

Niall: Ninguém chora por nada, mas se você não quer falar não tem problema, eu entendo. – ele sorriu e você olhou para aqueles olhos azuis penetrantes do Niall.

            Vocês foram se aproximando, e quando você se tocou, vocês já estavam se beijando, você passou as suas pernas ao redor dele, ele parou o beijo te olhou nos olhos, limpou mas suas lágrimas e disse:

Niall: Eu te quero e você também me quer, não somos mais criança, vamos aproveitar que estamos sozinhos.

            Você concordou com a cabeça e ele te levantou do balcão te levando para o quarto no colo dele. Naquela hora você não estava nem lembrando do motivo pelo qual você estava chorando, mas sentia que de certa forma era a sua mãe lá em cima, intercedendo pela sua felicidade, pois você amava o Niall.

            Ele te colocou na cama, cuidadosamente e subiu em cima de você tirando a camiseta, era a sua primeira vez, mas Niall não sabia disso, você estava com medo de contar e estragar todo o clima que estava rolando entre vocês. Você tentou não focar tanto nisso. Niall estava beijando o seu pescoço e você só estava querendo relaxar para não deixar aquilo tudo muito mecânico. Você tomou a decisão de falar para Niall, era melhor ele saber, até para lidar melhor com a situação.

S/N: Niall – falou com um fio de voz.

Niall: Hum? – falou sem parar de beijar o seu pescoço.

S/N: Eu sou virgem.

            Nessa hora ele parou e te olhou sério e te perguntou passando a mão na sua cintura:

Niall: Você quer mesmo? Não se sinta pressionada a nada.

S/N: Você é demais, Niall eu quero que seja com você.

Niall: Tá, fica tranquila, vai ser natural.

            Você assentiu com a cabeça e ele continuou.  Ele tirou a sua camiseta e você ajudou ele a tirar o seu sutiã. Ele levantou tirou a calça e a cueca e pegou uma camisinha. E voltou para cima de você, ele te beijou mais um pouco e afastou as suas pernas delicadamente, você estava visivelmente nervosa.

Niall: Isso pode doer um pouco, mas eu prometo que não vou te machucar.

            Você concordou com a cabeça e então ele pentrou, bem devagar para não te machucar. A dor era muito forte, parecia que algo estava te rasgando por dentro,você sentiu seus olhos se encherem de lágrimas. Ele entrelaçou os dedos nos seus e disse:

Niall: Já vai passar.

            Novamente você concordou com a cabeça. Mas aquela dor não passava, você sentiu as lágrimas começarem a escorrer pela sua face, ele parou os poucos movimentos que estava fazendo.

Niall: Você confia em mim? – assentiu com a cabeça – Então fica calma que tudo vai dar certo.

            Ele saiu de dentro de você e com a mão fez carícias em suas partes baixas. Você conseguiu ficar relativamente calma. Então ele penetrou novamente, doía, mas não tanto quanto da primeira vez. A dor foi passando conforme você ficava mais calma, e quando você notou você dois já tinham chegado no orgasmo. Niall te enrolou em um lençol e te abraçou enquanto você arranhava de leve o peitoral dele.

Niall: Eu te amo princesa.

S/N: Niall eu sou apaixonada por você, e eu só aceitei fazer isso com você porque eu te amo também.

Niall: S/N quer namorar comigo?

S/N: É claro, é tudo o que eu esperei por todo esse tempo que eu vim para Londres.

            Vocês se beijaram. Logo depois começaram a rir, pois vocês começaram do final, mas não tinha problema o que importava era que vocês se amavam, Niall te olhou dando uma gargalhada gostosa que só ele coseguia dar:

Niall: Tá dolorido amor?

S/N: Um pouco – um pouco era pouco para dor que você estava sentindo, mas não importava.

Niall: Bem, então estamos kits – falou mostrando o ombro todo roxo com marca de arranhões.

S/N: Fui eu que fiz isso? Meu Deus, eu nem percebi. – você riu – desculpa amor.

Niall: Amor, você também está marcada – falou mostrando um tapa que ele havia desferido em sua perna – Mas, se estamos assim significa que foi bom. Foi como você esperava?

S/N: Foi muito melhor, porque foi com o amor da minha vida.

            Ele te abraçou, no outro dia todos o pessoal chegou e viram vocês dois se beijando na cozinha tentando fazer alguma coisa para vocês comerem, os dois sujos de comida.

Maura: Bem pombinhos, agora deixa isso daqui comigo e vão tomar banho.

Niall: Viu amor, vamos logo párea o nosso banho.

            Você olhou um pouco envergonhada para a sua mãe, mas ela consentiu vocês dois tomarem banho juntos.

Maura: Vocês dois não são mais crianças, só peço que usem proteção, e eu sei que vocês já fizeram alguma coisa, eu vi no lençol do Niall.

S/N: Não acredito Niall, você disse que ia lavar antes da sua mãe chegar.

Niall: Ai amor… – riu e te pegou no colo, levando para o banheiro.

            Lá vocês repetiram tudo o que haviam feito na última noite e tomaram banho.

Harry Teaches Peter Pan [22/35]

Agreed: Zbliżają się święta, więc i trochę bardziej zimowy odcinek przed nami:) 

***

Kiedy Louis się obudził, nie wiedział, co się dzieje. Było mu gorąco na całym ciele, ale koc już dłużej go nie okrywał. Nie wiedział, skąd to ciepło się brało, ale rozprzestrzeniało się ono przez jego żyły i w górę kręgosłupa, a gdy otworzył oczy, zobaczył loki pomiędzy swoimi nogami i nagłe jęknięcie, łamiące się i niskie - tak różne od jego zwyczajowego wysokiego skomlenia i krzyków - wyrwało się z jego ciała.

Keep reading

Ghosts of Our Past (Percico)

Summary: Things were going fairly normally for Percy and Nico, but will seeing a ghost from their past change everything between them?

A short Percico thing that I finally got inspired to write.

Also, there is something in this story that may not make sense to some people, so there is an explanation at the bottom. Enjoy!

Keep reading

Request: Clato after the rule change

It is mid day and Cato and I are walking through the forest looking for any of the remaining tributes. We have given up on hunting at night when they are likely to be asleep and easy to kill, partly because chasing them first makes it more fun and partly because now that there are only two of us, sleeping during the day makes us vulnerable. 

It has been a while since we have seen anyone and I am starting to get bored and hungry. “Cato can we eat now?” I ask him and he looks over at me surprised by the sudden noise of my voice. He nods and we sit down on the leaves. 

“I was so sure I had seen him come this way.” He says, he is talking about Thresh.

“I don’t know. I haven’t seen him at all since we got in the arena.” I respond, pulling food out of my backpack. We don’t have very much food left since that bitch from 12 blew up our supply and we have been scavenging for what we have now. I wish I had paid more attention to those lessons in the training center but it is too late for that now. 

I sit and eat some berries while Cato just stares off into the distance. All of a sudden I hear Claudius Templesmith’s voice from above me. “Congratulations to the six of you who remain in the games.” He begins and me and Cato look at each other smiling. They must be calling a feast, I think. What a great time to take out competitors. “There has been a change of rules.” He states and I see confusion pass over Cato’s face the same way it must be passing over mine. “Now, both tributes from the same district can be declared winner if they are the last two alive.” I don’t understand and I look over at Cato to see his reaction but all I see is confusion. Claudius repeats himself but it still takes a while for it to click in. A rule change. Cato and I can both go home.

He seems to get it right after I do and we sit there smiling at each other. We both stand up and he quickly covers the distance between us. I am in his arms and he is twirling me around. and for a while I am so caught up in it that I don’t think about anything else. Then he puts me back down on the ground and I look up at him. “What caused them to change the rules?” I ask him and he simply says “I don’t know and honestly, I don’t care. We can both go home.” I think about it for a second, about me and Cato back at home. Together. Until this moment I had not allowed myself such thoughts because I knew it was impossible. But now it could happen. I hug him again and we stay like that for a while. Then we let go and I just smile up at him while he smiles back. 

This is too good to be true, I think. But Cato seems to be having a different train of thoughts. “This is all the better reason to end this. The faster the rest of them are dead the faster we can go home. Together.” He says and gives me a deadly smile. One that I return. “I have been watching the screen every night with the faces of the dead and if I am right then the six left are; you and I, Thresh, the girl from 5, and the two from 12. So there are only two pairs. and the other pair is separated.” he says. 

“Alright so if we take out one of the kids from 12 before they can reach each other our chances are even better.” I state.

“I like the way you think.” Cato says to me before turning around and heading in the direction we were going before we stopped for lunch. And I follow him knowing for the first time in a while that Cato and I have the chance to be together.

Imagine the Doctor comes to your house on Christmas Eve to spend time with you, but finds you sitting in your room blogging and crying One Shot

SUBMITTED BY: http://little-winchestifer.tumblr.com/

—————————————————————————————-

It was Christmas Eve, and it seemed like everything that could have gone wrong did. You couldn’t get a flight to go home, your Christmas dinner was a bowl of ramen noodles, and the power had gone out in your apartment. That, paired with the fact that your boyfriend had broken up with you, made your Christmas Eve a lonely and sad one. You sat the now-cold bowl on the counter and sighed, trying hard not to tear up. You were glad you remembered to charge your laptop as you opened it and logged onto Tumblr.
Half an hour later, you realized not even pictures of Benedict Cumberbatch and Tom Hiddleston could cheer you up. Soon, the laptop lay forgotten on the counter, and you were crying into your pillow. You didn’t hear the strange sound coming from below your apartment.
The door to your apartment opened, and you looked up to see a man wearing a bowtie and suspenders looking sadly at you.
“Doctor!” you shout, sitting up and trying to wipe some of the tears away.
“What’s wrong [Y/N]? Why are crying alone in the dark on Christmas Eve?” he asks with concern, sitting beside you.
You explain how everything had gone wrong, and he nods in understanding, hugging you.
“And I’m still upset with you, Doctor. You said you’d be back soon, and that was nearly a year ago.”
“I’m sorry… Wibbily Wobbily Timey Wimey.”
You laugh shakily and he smiles.
“That’s better, now isn’t it? No one should be sad on Christmas!”
You smile back, wiping away the rest of the tears.
“That’s my girl. I brought you something, a little something from some fellow you seem to be fond of.”
He grabs a flat wrapped gift from the counter; you guessed he sat it down when he saw you crying.
You open it excitedly and stare at it in shock. It was a picture of Tom Hiddleston, with his autograph on the bottom.
“Does that make up a little for taking a little longer to get back?” he asked, searching your face for a reaction.
You set it down and hug the Doctor tightly, wrapping your arms around his neck.
“Yes, thank you so much!”
He hugged you back just as tightly. When you finally break away, he smiles at you.
“Since you have nothing else to do, would you like to come with me?”
“Where are we going?”
“Anywhere.”

Harry Teaches Peter Pan [21/35]

Agreed: Kochani, po bardzo długiej przerwie powracam z kolejną częścią HTPP! I to nie jest jedyna niespodzianka, jaką dla Was dzisiaj przygotowałam:) Otóż mam przyjemność powitać na moim translatorskim okręcie nową tłumaczkę, która pomoże mi doprowadzić tę serię one shotów do końca! Jestem bardzo podekscytowana współpracą z W. i mam stuprocentową pewność, że Wy także bardzo ją polubicie, nie tylko dlatego, że HTPP wreszcie zacznie pojawiać się o wiele częściej, ale też z powodu jej sympatycznego usposobienia:) Proszę, przywitajcie ją cieplutko w naszych skromnych progach i sprawcie, że poczuje się tu jak u siebie w domu!

Od dzisiaj co tydzień będzie pojawiał się nowy rozdział Harry Teaches Peter Pan, raz tłumaczony przez W., raz przeze mnie, także czeka nas tutaj wielki ruch:)

Nie przedłużając, oddaję głos Awmylourry - tłumaczce dzisiejszego rozdziału.

Awmylourry: Hej, słoneczka :) Od dzisiaj razem z Agreed będę tłumaczyć HTPP i mam nadzieję, że miło spędzimy ten czas. Jestem w tym nowa, więc nie bijcie, jeśli jesteście wymagający! :D Miłego czytania, po prostu.

Keep reading

Pisząc shota
  • Ja: Dobrze, rebloguję ostatni obrazek i koniec. *reblog*
  • Ja: No dobrze, niech będzie przedostatni i biorę się za pisanie.*reblog x100*
  • Ja: O, mam wiadomość *odpisuje*
  • Ja: W porządku, teraz po pracy.
  • Ja: *otwiera worda* O kur*a. To ja coś takiego napisałam?
  • Ja: Dobra, zobaczmy *czyta*
  • Ja: W sumie nawet nie najgorzej, dawaj dalej *pisze*
  • Ja: *po pięciu minutach* Może mam wiadomość? NIE! Nie sprawdzę dopóki nie dokończę tej części shota.
  • Ja: Ah, well, fuck it. *minimalizuje worda*
  • Ja: *otwiera tumblr* O, faktycznie, mam wiadomość *odpisuje*
  • Ja: No dobra, a teraz serio, trzeba pisać shota. *przegląda dash*
  • Ja: O zukfdbieubfyib! Czyżby to pornosik z Larrym!? sdabfioasfi asdroibfnesgrio!!!
  • Ja: ....ale...mój shot...
  • Ja: ....
  • Ja: ....
  • Ja: ...ch*j, shot nie zając, nie ucieknie, a ochota na pornosa może zniknąć *czyta porno*
  • Nie mam pojęcia czy w ten sposób w ogóle napiszę tego shota xD

One Shot Harry - Parte 2 (Parte 1 - clica)

- Não posso afirmar a recuperação dela. - Uma voz ecoava em minha cabeça. Eu não conseguia me mover, por mais que eu tentasse, meu corpo não obedecia meus instintos. - O bebê não conseguiu suportar o acidente. - A voz continuava.

- Ela perdeu o nosso filho? - Essa era a voz do Harry.

- Desculpe senhor Styles.

O que? Eu perdi o meu bebê. Meu mundo pareceu parar nessa fração de segundos. Mas por que? Que acidente? Onde eu estou? Por que não consigo me mover? Eram perguntas que eu ainda queria descobrir.

- Por quanto tempo mais ela vai ficar em coma? - Outra pergunta de Harry.

Coma? Eu estou aqui. Só não posso fazer nada. Eu estou viva. Eu estou viva. Repito.

- Não podemos saber senhor Styles. Desculpe. - Ouço uma porta se abrindo.

Uma sensação de escuridão volta, tento fugir dela. Mas a escuridão foi mais forte.

• • •

Abri os olhos. E logo as fecho grunhido em reprovação a luz forte em meu rosto. Volto a abri-los lentamente para me acostumar com a claridade. O quarto queimava minha vista, um branco gelo e a luz de neon forte. Olhei para mim, estava em uma cama de hospital, com várias agulhas em meu braço, e uma cateter que me ajudava a respirar. Olhei em volta e vi Harry dormindo em uma cadeira ao lado da cama, ele estava mais magro e com a mesma roupa do dia em que brigamos.

Apertei um botão que havia perto de meu dedo e logo uma enfermeira apareceu na porta, fazendo Harry acordar.

- (s/n). - Ele pula da sofá, ficando ao meu lado.

- Senhora. - Disse a enfermeira simpática. - Sou Annastasia, sua enfermeira. - Diz sorrindo. Gostaria de comer algo? - Pergunta.

- Me bebê. - É a unica coisa que consegui pronunciar. Os olhares dos dois se murcharam.

- Desculpe (s/n). - Ela parecia não sabe como dar a notícia. - Seu bebê não suportou o acidente.

Não tinha força para falar mais nada, aquele momento parecia já ter passado em minha mente, algo me dizia que eu já ouvira essa notícia. Minha cabeça doía e as lágrimas caiam.

- Vou trazer algo para a você. - Disse Annastasia. Assenti com a cabeça.

- Eu pensei que eu fosse te perder. - Harry finalmente disse algo.

- E perdeu Harry. - Digo arrumando forças.

- Por favor. Não faça isso comigo meu amor. - Ele pede se ajoelhando ao lado da cama.

- Por sua causa eu estou nessa cama de hospital, por sua causa eu perdi o meu filho. - Digo.

- Nosso filho. - Corrige ele.

- Não foi o que você disse antes de eu ir embora. Harry, eu posso ter passado bastante tempo nesse lugar, mas ainda posso me lembrar do antes, da nossa discussão, e da sua rejeição. - As lágrimas não me abandonava.

- (s/n), me desculpe. Eu não queria que nada disso acontecesse. Mas por minha causa olha onde estamos. Eu me arrependo (s/n), muito. Você não sabe como fiquei quando ligaram para mim, dizendo que você sofreu um acidente. Você não sabe como fiquei quando o médico me disse que você perdeu o bebê, o nosso bebê. Você não sabe como eu fiquei quando te vi toda machucada em cima dessa cama, em coma. - Ele deixa as lágrimas correrem e pega em minha mão. - Meu mundo de foi junto com seu estado. Eu me senti um nada, um lixo. Me sentia um cara sem conteúdo, e sem motivação para estar vivo.

- Harry… - Digo e a enfermeira entra me interrompendo. - Depois terminamos. - O olho e ele assente.

- Aqui está, uma canja de galinha. - A enfermeira coloca em uma mesa para eu pode tomar.

- Obrigada. - Agradeço e ela sai do quarto.

Olho para Harry e dou a primeira colherada na canja. Faço uma careta, aquilo estava horrível. Ele ri.

- Está horrível. - Digo.

- Prometo que quando sairmos daqui, vou lhe comprar um hambúrguer. - Ele sorri.

- Harry, por favor. - Digo. - Eu não posso perdoar alguém que negou o próprio filho.

- Eu quero me redimir (s/n). - Ele pega novamente em minha mão. - Eu quero tentar de novo. Você é a mulher com quem quero ter uma família, filhos e mais filhos. Você é a mulher que eu sempre pedi a Deus. Você é perfeita.

- Eu amo você Harry. - Suspiro. - Mas vamos com calma. - Peço.

- Desde que você volte para mim. - Ele diz. - Eu amo muito você querida.

• • •

- Finalmente sai desse inferno. - Olho para trás onde o hospital estava.

- Agora vamos comer comida de verdade. - Ele me abraça pela cintura.

- Quero uma menina. - Sorrio.

- Negativo, um menino, para ser gostoso que nem o pai. - Ele gargalha.

- Styles. - O cutuco rindo. - Vamos pensar.

- Desde que venha com saúde por mim tudo bem. - Ele dá de ombros.

- Certo. - Sorrio.

• • •

- Harry! - Berro.

- O que foi? - Ele aparece ofegante na sala.

- Chegamos. - Sorrio.

- Chegamos? - Ele pergunta confuso. Não respondo, apena aliso a barriga e o olho. Seu sorriso se abre e logo corre até mim, me abraçando forte. - Finalmente. - Ele beija meus cabelos. - Vou ser papai! - Ele grita.

- Vai com calma. - Sorrio. - Nem todos precisam saber.

- Precisam sim. - Ele me repreende.

- Ah, te amo Styles. - O selo.

- Também amo vocês. - Ele alisa minha barriga. E se ajoelha diante minha barriga. - Você vai ser muito mimada ou mimado. - Ele abraça minha barriga.

youtube

SBS [2013가요대전] - 비에이피(B.A.P) ‘One Shot’