e postei (:

nunca vou ser a pessoa que você procura.

sei que já me disse um milhão de vezes que ninguém é perfeito, mas pra você eu queria ser. nada nem ninguém pode mudar o que aconteceu, nós fizemos escolhas que nos levaram a isso e por mais que eu insista em sentir saudade, no fundo, bem lá no fundo, eu agradeço todo dia por cada coisa que nos trouxe até aqui. sabe, eu nunca fui de querer alguém por tempo demais, sempre chega um dia que eu simplesmente me canso e vou embora. sempre foi assim, simples. mas dessa vez alguma coisa me fez ficar mais do que deveria e acho que foi essa mesma coisa que me prendeu a você (ou no que prefiro acreditar que seja você). então, meu caro, eu finalmente lhe digo adeus, mas não se esqueça nunca que, por mais que eu esteja me distanciando cada vez mais, você sempre morará no meu coração.

Eu não sei você, mas, eu super vou concorrer a promoção da radio mix que vai levar eu e um amigo para ver a posse do Donald Trump com o Latino. Sabe? O Latino da festa no apê? Não estou indo pelo Trump, mas pelo Latino, ele é um poeta da música brasileira. Vai rolar bundalelê em Washington DC.

Só porque estamos presos em um elevador não quer dizer que isso tem que ser uma bagunça, vamos dividir as áreas, cada um só pode pegar ar da sua parte.

Sabe, eu acho que você deveria tirar uma foto, dura mais e não gasta minha paciência, o que você acha? Até porque eu não sou fucking obrigado a ficar olhando pra sua cara feia.

Edward tocava as teclas delicadamente enquanto cantarolava a música que havia acabado de aparecer em sua cabeça. Estava sozinho no restaurante que ainda não havia aberto suas portas, então podia ensaiar o quanto quisesse. – Wake me up when the sad part ends, wake me up when we were just friends… – encarou o teto por alguns segundos e parou de tocar, anotando as notas em sua partitura. – Seria bom ter uma opinião agora. – comentou com si mesmo, rindo por mais uma vez estar falando sozinho.