e gostosa

Não tem um dia, um dia mesmo, que eu não sinta a sua falta, que eu não lembre de você e do seu sorriso bonito, da sua voz gostosa, e principalmente, do seu jeitinho que me conquistou e me fez ficar apaixonado por você. Essa saudade, que sufoca o meu peito, que não me deixa dormir e deixa o coração doendo. Para você não achar que é mentira minha, estou escrevendo sentado no chão da faculdade. Essa é uma pequena prova, bem pequena mesmo, que você não sai do meu pensamento por nada, mesmo depois desse tempo sem nos falarmos. Sinto falta do seu carinho, mesmo que de longe, mas que me confortava, dos seus conselhos preciosos, da sua preocupação comigo, seja quando eu chegava tarde da rua ou da faculdade, até mesmo para não dormir tarde. De chegar à noite, e saber que era a hora mais feliz do meu dia, pois eu ia te ver e ficar um pouquinho mais perto de você. Lembro como se fosse ontem, dos dias incríveis que passamos juntos, o nosso final de semana perfeito e tão aguardado, e me pergunto, onde foi que eu te perdi? Me diz. Sempre fiz de tudo por você, por nós, tentei ser a melhor pessoa possível, e eu tenho consciência que fui. Tentava me reinventar, para não deixar o nosso relacionamento cair na rotina, mesmo sabendo que essa era uma missão difícil, por causa dessa distância entre nós. Sempre fiquei ao seu lado, independente da situação, seja para te apoiar ou para te consolar, mas estava ali, contigo. Me fala, por quê você se foi? O que mais dói em mim, é saber que você está bem, que não se arrependeu da decisão que tomou, enquanto eu, estou aqui, na esperança boba de ser você a me chamar no Whatsapp, toda vez que aparece uma notificação para mim. De achar, que em uma madrugada qualquer, você vai me ligar, só para ouvir a minha voz, a que você dizia amar, e dizer que está arrependida, que o mundo não tem graça, sem eu ao seu lado. Não tive coragem de apagar a nossa conversa, nem as suas fotos, e tem vez, que eu me perco, e quando reparo, já estou olhando, só para matar um pouco da saudade. Às vezes me pergunto, como você conseguiu superar tão rápido, se não teve um dia sequer, que você sentiu minha falta, mas não me procurou para ficar balançada ou qualquer outra coisa. Jurava que você ia vir falar comigo, para saber se eu estava melhor, quando falei com você que estava doente, mas isso não aconteceu. Você não sabe como é horrível, deitar, chorar e ter que abafar com o travesseiro, só para ninguém saber o que está acontecendo. Não sabe o quão triste é se apegar muito a alguém, que não pensou duas vezes em ir embora. Já chorei na frente de amigos que nunca me viram chorar, que sempre me acharam forte, e cheguei até mesmo, a ouvir comentários como “eu nunca o vi assim”, “o que está acontecendo com ele?”. Preciso deixar essas lembranças para trás, pois sei que não vou suportar carregá-las comigo por muito tempo, mas olha só para mim, ainda te espero todos os dias, e sabe o que é pior? Saber que isso não vai acontecer, pois você encontrou o seu caminho, e eu me perdi totalmente no meu. Em certos momentos, acabo olhando para você, e vendo que seu sorriso continua o mesmo. Acho que você não se deu conta de que, deixou passar um cara que era completamente apaixonado por você, que faria qualquer coisa, para te deixar feliz. Mas, isso não vai mudar o fato de que, sempre vou carregar você comigo, que você é e sempre será o grande amor da minha vida, e apesar de tudo, se me perguntassem uma coisa boa com apenas quatro letras, eu diria: Iara.
—   Rodrigo Avila
A vida podia até ser simples, mas que graça teria não poder lutar pelo que se quer. Os sonhos estão todos ao nosso alcance, mesmo que pareça ser impossível. Eu acredito que possamos realizá-los. Assim como no amor tudo o que buscamos é alguém que nos complete, que nos entenda, que esteja ao nosso lado, que faça uma surpresa em uma segunda feira na hora do almoço, que te traga flores em um dia de chuva, logo após aquela mensagem dizendo que não viria te ver. Todo mundo precisa daquele telefonema em que alguém do outro lado da linha diga o quanto você é importante, o quanto você fica linda com cara de brava, o quanto o seu ciumes foi ridículo, e naquela minutinhos finais aquelas três palavrinhas capaz de desarmar qualquer guerra, aquele eu te amo,que mesmo sendo dito na frieza da discussão, é capaz de aquecer qualquer coração gelado. Todo Mundo precisa de alguém para lembrar quando passa em algum lugar, ou quando come aquele lanche gostoso para dizer queria tanto que ele estivesse aqui. E é exatamente assim que eu me sinto aqui, sem você, sinto como se tivessem tirado uma peça daqui de dentro e não consigo funcionar direito sem ela. Até funciono, mas não como quando estamos bem, aquele sorriso que só você me arranca, aquele ciúmes que você me provoca, aquele frio na barriga quando estou te esperando. Aquela sensação de que o mundo todo fosse um pouco menos importantes quando estamos trancados em nosso quarto em nossa reunião particular. Aquela paz que só você me trás quando sinto que estou perdida, aquela segurança que você me dá com seu abraço apertado e quente. Sinto como se nada mais fosse importante sem você aqui, como se só você pudesse me consertar. Sem você aqui os dias são cinza e as músicas que mais gosto não possuem mais uma melodia gostosa e agradável.  É aquele velho cliché, você é a graça de tudo, e a vida sem você não tem graça.  É incrível como você consegue fazer uma caminhada na rua perto de casa parecer uma viagem ao sul da Europa de tão transformadora que é sua presença. É incrível como você sempre me tem. Você é o meu acaso favorito. Minha melhor lembrança. Você é aquele pôr do sol, que causa impacto no olhar. É aquela chuva gostosa, acompanhada de um vento remansoso, quando estou dormindo. É minha calmaria em meio ao caos. É inverno aquecendo meu coração. Verão brilhando o meu sorriso. Vento embaraçando meu cabelo. Eu te venero, meu bem. Você me tem. Você e mais ninguém.
—  Escrito por GiovanaLucas e Anelise em Julietário.

Texto p/ namorado(a)

“Eu quero tudo que venha de você, o seu carinho, o seu beijo, o seu toque, as suas palavras de conforto, o sorriso mais lindo, o abraço mais gostoso e aconchegante, aquela risada gostosa que vai me deixar com um sorriso bobo, quero olhar para esses olhos lindos e em seguida ser puxada pela cintura e ganhar aquele beijo que só você tem, que me faz bem, me faz feliz, quero aquele cafuné maravilhoso que me dá um sono enorme, eu quero qualquer afeto que venha de você, porque tudo que vem de você me faz bem, e é perfeito pra mim.”

Já ficou clichê, tudo o que escrevo é sobre saudades. Eu não deveria me lembrar do seu nome, ou das coisas que você gosta, sendo que você não lembra nem do meu nome mais, você seguiu em frente, e eu fiquei aqui, parada no tempo, paralisada, mergulhada no mar da nostalgia, sonhos, e promessas, - que jamais serão cumpridas. Eu continuo aqui. Lembro do seu tom sério, da sua risada gostosa e do seu drama bobo, lembro de você pelo menos uma vez por dia, e isso vem me consumindo cada dia mais, e não venha me falar de cabeça desocupada, é inevitável. Eu sei que você nunca leu qualquer coisa que escrevi sobre nós, e nem vai ler qualquer coisa que eu vou escrever sobre o mar de saudade que está habitando do meu corpo. Eu sinto sua falta. Eu não deveria, mas sinto.
—  Anna Paula Varella.
Você me transformou no melhor que posso ser. Você me mostrou a outra face da vida. A face mais bela, mais leve, mais prazerosa e mais gostosa para ser vivida. Você provou que amar pode não ser o monstro que todos temem que um dia cruze com eles na rua. Você me fez sentir que amar é tão bom quando recíproco. E é isso que me faz querer te amar cada dia mais, cada dia de uma forma mais bonita, mais intensa e completa. Minha vida se tornou tão melhor quando você chegou. Eu me tornei melhor depois que você chegou e pretendo ser cada dia melhor pra poder te merecer.
—  Obrigada por ter dado cor ao que era preto e branco.

Ela era linda, ela quase nunca sorria quando eu via ela, acho que ela não gostava muito do seu sorriso, mas eu era completamente apaixonado por ele. Ela tinha a risada mais gostosa e preguiçosa, quando acordava. Ela era a minha melhor companhia. Era ela que eu queria ver todos os dias ao acordar. Éramos melhores amigos. Nossas brigas só serviam pra mostrar o quanto queríamos um ao outro e o quanto amávamos. Ela foi tudo. Perdi as contas de quantas vezes eu sorri ao pensar nela. Ela foi o motivo do meu sorriso mais sincero. Ela foi o meu único amor. Ela foi a minha melhor lembrança, e eu sei, ela vai ficar na minha memória pelo resto dos meus dias.

b,

estava nos céus no exato momento em que teus dedos me penetravam. a única coisa que passava por minha cabeça era “puta que pariu. como ela é gostosa” e a arte de segurar o gemido nunca dominei muito bem. arranhava tuas costas numa tentativa de substitui-los.

meu corpo simplesmente pedia o teu. gritava aos quatro ventos que não parasse. implorava pra que aqueles minutos infinitos realmente durassem para sempre. e cá estou com aquela cena gravada na mente. com teus olhos adentrando os meus mais violentamente que tuas mãos me fodiam.

e hoje o foda é não te ter aqui.

j.

A transa mais louca que eu já tive


Ol meu nome é Hellen, tenho 18 anos e vou contar algo que aconteceu comigo no dia 06/05/2017, sou morena, tenho 1,70 de altura, peso 69kg, tenho os seios médios durinho, bumbum não muito grande, mas também não muito pequeno. Neste sábado fiz sexo bem gostoso na cozinha de uma amiga.

Na sexta foi aniversário de um das minhas melhores amigas e eu passei lá pra dar um abraço nela, mas foi somente isso, pois a festa seria no sábado onde nos reunirmos para beber, quando cheguei na casa da My, a aniversariante, já estavam lá,  o namorado dela,  uma prima dela que é outra melhor amiga minha e seu marido. Depois de um tempo chegou o Bruno, um amigo nosso que mora na mesma rua que da My. Ele é branquinho, tem 1,80 de altura, olhos claros e tem namorada, ao chegar ele comprimentou a todos e na minha vez, já veio com um sorrisinho bem safado, nisso ele sentou na minha frente e colocou o celular sobre a mesa, no que ele pôs o celular sobre a mesa, a namorada dele ligou, e eu disse: “sua namorada está ligando”

e ele me disse: ”nem ligo” descartou a ligação e sorriu, ela ligou umas 3 vezes para ele, e as 3 vezes ele descartou. Eu e a My começamos a brincar com ele dizendo que ele iria apanhar quando chegasse em casa, ele sorriu e disse: “tô nem aí” e sorriu novamente eu e a My sorrimos também.

Começamos a jogar baralho enquanto íamos bebendo e comendo alguns petiscos que minha tia tinha feito para a gente, ficamos na área, onde pudemos ouvir algumas músicas eletrônicas provenientes de uma festa que estava acontecendo a uns 10km de onde estávamos, animados pela ocasião começamos a planejar irmos todos a festa. Um outro casal de amigos Roger e Mariana, chegou trazendo catuaba e fortalecendo a ideia de irmos para festa, saindo ali mesmo da casa da My. Nessa hora já tínhamos esquecidos os jogos e estávamos só bebendo. A Mariana disse que conseguia os ingresso da festa para a gente a através de um amigo, ficamos um tempo discutindo se íamos ou não.

Nesse meio tempo o Bruno não parava de olhar pra mim, me provocando com troca de olhares, as vezes até passava o pé sobre minhas pernas, a essa altura ele já tinha até tirado   a aliança. A My já tinha sacado que ele me queria e perguntou ao Bruno se ele estava solteiro ele respondeu dizendo: “tecnicamente sim” e me fez a mesma pergunta eu disse que sim, aproveitando da situação ela falou: “pronto, temos um casal, todos estamos de casal”. Ficamos discutindo sobre a festa até que decidimos não ir, pois estava tendo blitz em toda a cidade e  todo mundo estava bebendo.

Bruno deu a ideia de ir na casa dele pegar a televisão para assistirmos um filme, O Roger e a Mari, foram embora porque já estava tarde, 2:30 da manhã, e estavam com medo de serem parado por uma blitz . Nisso o Bruno e o namorado da minha amiga foram na casa dele pegar a televisão, enquanto eles foram pegar a televisão, aproveitei que o marido da prima de My, foi ao banheiro para falar as minhas amigas que tava louca pra ficar com o Bruno, contei sobre as provocações dele e elas falaram que eu devia pegar ele, porque  há um ano atrás era pra mim ficar com ele, mas eu fiz cu doce, eu assumo e me arrependia toda vez que o via então elas  me disseram para ir fundo.

Depois eles voltaram com a TV ficamos em 3 casais, nisso a aniversariante perguntou bem assim pro Bruno “Bruno a Hellen pode te abarcar né?”, ele deu uma risadinha e disse “claro que pode”, minha amiga virou pra mim e disse “você ouviu né amiga, não precisa ficar com vergonha” e vergonha é uma coisa que eu não tenho kkk. Nisso ele começou escolher o filme, perguntou qual a gente queria começamos a assistir uma comédia brasileira mas daí tiramos e colocamos outro filme de comédia. Nisso que colocamos o outro filme o Bruno virou pra mim e disse “pode me abraçar Hellen” e deu um sorriso de canto, estávamos sentados em um sofá, então peguei uma cadeira e coloquei em nossa frente, ele colocou o pé dele e eu,  o meu por cima do pé dele e o abracei.

Já tínhamos bebido duas garrafas de catuaba é uma garrafa de vodka nisso a prima da My e o marido dela foram embora, ficando assim, eu, Bruno, a My e o namorado dela, O Bruno foi até a mesa pegar catuaba mas não tinha gelo pois estava na cozinha, me ofereci para ir pegar,  logo minha amiga disse “vai lá Bruno com ela pegar o gelo” e ele veio atrás,  peguei o gelo coloquei no copo dele,  fui lavar um copo pra mim, fiz questão de empinar bastante meu bumbum quando me virei para a pia, estava com um shortinho, com uma calcinha de renda, estava lá de costas quando ele disse “sua bunda está suja” e começou a passar a mão na minha bunda de repente ele colocou a mão por dentro do meu short e disse “eu sempre quis pegar” nessa, hora eu já comecei a ficar excitada, já podia sentir minha xotinha umedecendo, daí eu disse “agora tem a oportunidade” ele me puxou e me deu um beijo bem molhado e ficava apertando a minha bunda, aproveitou para passar a mão por cima da minha blusa, apertando de leve meu seios, me deixando doidinha. Saímos da cozinha e fomos pra área chegando lá minha amiga me deu um sorriso e eu sorri pra ela coisas que só mulheres entendem.

Passou-se uns 30 minutos mais ou menos e ele me disse que queria beber água eu finjo que nem tinha ouvido mas antes ela já tinha me falado no meu ouvido : "quero transar com você” logo respondi que também queria. Ele me disse de novo que queria beber água daí eu disse “ vai lá pegar”, ele se levantou e foi aproveitei pra dizer “traz pra mim, respondendo com um "ok”, no que ele foi ele voltou e disse que não tinha achado o copo, sendo que os copos ficam do lado do bebedouro,  minha amiga disse “meu Deus Bruno o copo tá na sua cara”,  ela já ia levantando para pegar o copo quando eu disse "não My, deixa que eu pego”, ela olhou pra mim e sorriu e disse “ tá bom amiga”.

Chegando na cozinha novamente, fui pegar o copo e ele me disse “quero você primeiro, depois a água” e já foi me puxando e me beijando, passando a mão pelo meu corpo e eu fazendo o mesmo, ele  apertava meu seios e minha bunda, fui ficando cada vez mais excitada, podia sentir seu membro empurrando a bermuda, comecei a apertar seu pau por cima do short, quando ele disse que queria meter me mim, sentir um tesão enorme, na hora me virei, pus minha mão na pia e me inclinei um pouco, ele foi abaixando meu short enquanto mordia e dava beijinho em minha bunda, depois tirou a minha calcinha, estava esperando por aquele cacete gostoso, já estava molhada, então ele começou a me chupar bem gostoso, lambendo minha xota me deixando ainda mais molhada, porém não tínhamos tempo, então se posicionou em pé atrás de mim, botou a cabecinha na porta da minha xotinha e começou meter bem gostoso,  com força aumentando cada vez mais a velocidade,  logo gozei, então disse “posso gozar em você?” Eu disse “não” (porque não tomo remédio), ele falou “ ajoelha então, vou gozar na sua boca”, dava doidinha pra sentir o gosto daquele membro gostoso, comecei a chupar aquele pau, a indo cada vez mais com vontade, passava a língua na cabeça rosada dele e chupa com muita vontade eu sentia as veias dele latejar dentro da minha boca, ele anunciou que iria gozar dei mais uma chupada e ele gozou na minha boca, cuspi no pau dele e chupei novamente, deixei bem limpinho, ele ainda permanecia ereto então meteu de novo em mim, só que dessa vez ele me sentou na pia e de frente começou a botar bem gostoso em minha xota, fui gemendo bem baixinho no seu ouvido, enquanto ele me falava putarias,  perto de gozar ele tirou de dentro e gozou em minhas perna.

Ao acabar ele me pergunta,  "satisfeita, sua vadia?“, logo disse "muito, obrigada”, ele me deu um sorriso e me beijou com vontade, coloquei meu short e ele o dele lavei minha mão na pia tomei um copo d'água ele também, na hora que íamos saindo ele me deu um tapa na bunda e falou “gostosa” olhei pra ele dei um sorrisinho, fomos pra área e fingimos que nada aconteceu.

- Conto escrito por Hellen

quero sentar no seu colo enquanto seu hálito de maconha e cerveja sussurra no meu ouvido o quanto eu sou gostosa

quero te ter dentro de mim da forma mais obscena e gostosa que eu puder, já que no sentido sentimental você fugiu de mim

Imagine - Niall Horan

Pedido: Oi, amo seus imagine ! Poderia fazer um do Niall que ela é insegura em relação à primeira vez? Beijos ♡

Ai está! Imagine fresquinho com o Niall. Espero que gostem!


- Estou tão feliz de estar aqui com você. – Niall confessou baixinho.

- E onde mais você estaria? – Perguntei me virando para ele, encontrando apenas seus olhos de fora do edredom.

- Você sabe o que eu quis dizer. – Ele revirou os olhos. – Eu amo os shows, mas você faz muita falta.

- Você também sabe que se eu pudesse estaria lá com você! – Ele riu fraquinho.

- Eu sei.

Niall inclinou seu corpo em direção ao meu e começamos um beijo bem lento. Eu estava na casa dele desde de ontem à tarde que foi quando ele chegou de viagem; Brasil foi a última parada dele.

Anda por de baixo do edredom, sua mão abraçou minha cintura de forma desajeitada. Estávamos cada vez mais próximos e minha respiração estava desregulada; eu acariciava seus cabelos de forma carinhosa, assim como seus dedos na minha pele. Quando os beijos de Niall desceram para o meu pescoço, eu, simplesmente, travei.

Isso mesmo. Travei.

Acontece que, a pesar da idade, eu nunca havia transado. Com nenhum dos meus antigos namorados. Eu nunca me senti cem por cento confortável com meu corpo; não saberia o que fazer e ainda tinha medo de chorar por conta da dor, o que seria muito estranho para o momento. Convenhamos.

Mesmo que eu me sentisse muito segura com Niall, ainda não me sentia confortável para tal ato. Assim, eu sabia que ele não me deixaria depois, mesmo que eu fosse um desastre, mas e se ele comentasse com os amigos dele o quão ruim de cama a namorada era? Como eu sairia na rua sabendo o que os outros sabem?

- (S/A)? – Niall me encarava. – O que aconteceu?

- Eu não sei se quero fazer isso… – Desviei meu olhar do seu, envergonhada.

- Eu entendo. – Niall caiu ao meu lado. – O que você sente quando, bom, quando começamos a nos empolgar?

- Medo. – Eu disse olhando para o teto. – Medo de eu não gostar, de você não gostar, das pessoas saberem que você não gostou. Eu não confio no meu corpo e tenho receio do que possa acontecer depois.

- Olha para mim. – Niall pediu com a voz rouca. Virei meu corpo bem devagar na direção dele o encontrando com a expressão séria. – Nunca, em hipótese alguma, as pessoas vão saber o que acontece na nossa casa, ainda mais no nosso quarto. Eu amo e respeito você mais do que tudo. Você não se sente segura com seu corpo? Ok, isso é normal e podemos trabalhar para isso mudar. Vem cá.

Niall levantou as pressas e me puxou com força. Ao sairmos da cama, andamos até o imenso espelho que Niall em um dos lados do seu closet. Niall me deixou de frente para o espelho e de costas para ele; eu sabia o que vinha pela frente e encolhi em seco para não gritar um não e sair correndo.

Devagar, Niall abraçou minha cintura Niall me encarou firme no reflexo do espelho.

- O que você vê? – Ele falou pertinho do meu ouvido. – Por que eu vejo uma garota linda, com um brilho intenso nos olhos e que mesmo de pijama consegue me deixar excitado. - De forma bem sutil, ele esfregou sua ereção no meu bumbum.

- Niall. – Seu nome saiu em um sussurro quando ele beijou meu pescoço.

- Eu não quero forçar você a nada, mas eu estou enlouquecendo. – Ele suspirou pesado próximo ao meu ouvido. – Se eu pudesse, arrancava todas suas inseguranças e guardava em um potinho, mas eu não posso. Eu apenas posso te amar de todas as formas e mostrar a você como está enganada com esses medos; juntos podemos transforma-los m pó. Você só precisa confiar em mim.

De volta aos beijos em meu pescoço, eu me permiti tentar.

- Se eu quiser, podemos parar. – Eu perguntei me virando para ele.

- No momento em que você quiser. – Ele disse olhando em meus olhos.

Eu sorri fraquinho, de nervoso e por ver Niall tão disposto a tentar. Me aproximei dele e tomei seus lábios para mim. Caminhamos às cegas de volta para a cama.

Depois de sentar, Niall me colocou em seu colo ainda sem separar seus lábios dos meus. Suas mãos acariciavam minha cintura com tanto carinho que fazia meu corpo ficar cada vez mais molinho.

Nossos corpos passaram a se movimentar fazendo com que a minha intimidade pressionasse a dele. Minha respiração estava alta e em um ritmo descontrolado. Meus beijos se destinaram para o seu pescoço até que os beijos dele desceram para meu busto e eu apenas acariciei seus cabelos.

Meu pijama deixou meu corpo tempo depois e foi Niall quem tirou seu próprio moletom.

Quando Niall me deitou na cama, minha cabeça pousou entre vários travesseiros e eu me sentia leve. Seus beijos me deixavam perdida. Niall tomou todo cuidado do mundo com meu corpo e eu me arrepiei por completo ao senti-lo tocar minha intimidade ainda com os dedos.

E quando Niall foi me fazer sua, ele perguntou mais de dez vezes se eu tinha certeza, e era impossível não ter. Ele havia sido o primeiro a ter tanto carinho ainda nas preliminares, eu tinha certeza que ele seria paciente com todo o resto.

E realmente foi.

Ele parecia realizado e, apensar de estar achando um pouco desconfortável, eu passei a me sentir feliz também.

Quando Niall deu uma estocada forte e sua última, eu gemi longamente e me abracei ao seu corpo suado como o meu. Ficamos apenas abraçados por um tempo e assim que me soltei dele, senti meu corpo mole e uma sensação gostosa ainda abaixo da minha barriga.

Me deitei de lado com um sorrisinho grudado em meus lábios e minutos depois senti Niall me abraçar e ficamos de conchinha até eu cochilar.

- Seria impossível não amar qualquer coisa que eu faça com você. – Ouvi Niall sussurrar em meu ouvido e eu me encolhi mais ao abraço dele, me sentindo muito mais do que desejada; eu consegui me sentir amada.