e como amo

Eu sei que você já duvidou diversas vezes de si mesma, mas é através dos seus piores momentos que Deus quer te mostrar o quanto você pode ser corajosa.
Todo dia busco incessantemente coisas para ocupar minha mente; seja me afogar nos meus livros de aventura, ou me deleitar-se nos meus estudos extensos. O que eu quero na verdade é ocupar a minha cabeça. Não deixar que o teu nome e o teu rosto inunde meu pensamento a qualquer momento. Pode parecer meio mórbido tudo isso, mas te tornaste a minha droga, e entro em abstinência toda madrugada, porque é ela que faz-me lembrar do que eu estou tentando fugir todos os dias. Você. Quero ocupar minha mente com coisas que me façam esquecer que você está ali, que a qualquer momento pode chegar e dizer como foi o seu dia e perguntar como foi o meu. Por Deus, eu quero tanto me curar de você, quero seguir a minha vida sem olhar e perceber que o que tivemos nunca teve início e mesmo assim é inacabado. Já se tornou rotina escrever alguma coisa sobre como você me tem, como eu te amo e como eu te queria - porque agora não quero mais. Eu li uma vez que quando não é reciproco não é amor, é insistência. Nunca pensei que fosse insistir tanto em algo cujo final fosse tão incerto. Fiz-me tua casa, morei na tua calçada e reguei as flores mortas do teu jardim. Pra quê? Pra hoje simplesmente fechar os olhos e enxergar que foi tudo uma ilusão, estória criada na minha cabeça, fruto da minha imaginação. Sofrer por algo que acabou antes mesmo de começar. A dor serve para me lembrar de como eu preciso continuar ocupando minha cabeça, com quantas coisas eu puder ocupar. Acho que dessa forma, um dia, eu consiga olhar para dentro e ver que tudo está completamente curado.
—  Alícia Gither.
Ouvir Ed Sheeran me deixa romântica, carente, doente de saudade. Me dá uma raiva tão boa, pois lembro de você, lembro de cada infeliz e infinito detalhe de você. Lembro de suas pintas, sei onde cada uma estão, lembro de como a cor de seus olhos mudam com o clima, por favor, não gosto de lembrar, só faz eu me apaixonar mais, desgraçadamente mais. Ah, baby, te olhar, era algo que eu poderia colocar duzentos e setenta e quatro palavras e mesmo assim eu não iria conseguir te descrever. Era algo que parava meu coração, mas só fazia eu me sentir mais viva, era como tocar o céu sem sair do chão. Eu só queria que você soubesse que eu ainda penso em você, ainda penso no dia que estávamos deitados abaixo das estrelas e você soltou um “eu te amo” para mim, e eu não disse nada sobre isso, só disse “olha, aquelas 3 estrelas estão juntas” e olhei para o lado, então você riu e me disse “eu sei que esse é o seu jeito de dizer eu também te amo.” Então baby, agora eu digo, digo se for preciso mil vezes, eu-te-amo, completamente, perdidamente, incontrolavelmente e desesperadamente. Eu andei pensando se você ainda toca aquela música que só eu gostava, pensei se você lembra que brincava com meu cabelo até eu dormir, será que você lembra o quanto te odiei quando você sorriu pra mim e fiz de tudo para não rir também, mas foi em vão, seu sorriso era algo misterioso que me levava às loucuras, perdi dez paus com aquela aposta. Mas penso principalmente em como te conheci e como te deixei, exatamente do mesmo jeito, naquela biblioteca onde não podia falar, e mesmo assim quebrávamos as regras. Eu te achei, você me achou, eu te deixei, você me deixou. Perdoe a melancolia, mas eu te amo e amo como você me beijava e amo como minha alma precisa da sua e isso dói, mas dói de um jeito incrivelmente bem. Talvez eu esteja menos durona por causa do Ed, mas isso será passageiro.
—  Então me beije. Ana Lua.

eu danço com o caos e te faço poesia
eu escrevo torto em linhas retas pra ver se esse caminho me leva até você
eu mudo letras de canções para que você se encaixe em suas realidades
eu reescrevo o final dos filmes tristes para que assim exista um final feliz e a esperança não morra
eu estudo a era renascentista para me adaptar aos seus conceitos
eu aprendo a tocar instrumentos e te faço música pra guardar-te nas notas no final de uma gaveta

eu te pinto e amo-te como van gogh pintava girassóis
[apaixonadamente e em excesso]

Como você disse, eu não tenho coragem para lutar por nós. Logo eu que renunciei tanto por você, logo eu que fiz o possível para arrancar pelo menos o início de um sorriso seu. Logo eu que nunca te julguei ou exigi algo. Logo eu, que te amei e ainda amo. Como você disse, eu desisti do nosso amor. Não, eu não desisti do nosso amor. Eu percebi que o amor não é tudo como dizem por aí. Amor é saber deixar voar, sem condições, sem placas, imposições, sabe? Amor é respeitar o porque sim e o porque não. Amor não é “não ir embora”, “não desistir”. Amor é deixar a porta aberta sem ter horário de funcionamento. Amor é saber dizer: A gente deu certo, mas acabou. E mesmo assim continuar amando.
—  Desencontrou.
Alguns motivos pelos quais te amei

Eu te amei lá em São Paulo, treze vezes enquanto você olhava o celular esperando uma resposta de alguém que eu não sei o nome. Eu te amei enquanto virava a esquina ouvindo “there is a light that never goes out” do The Smiths voltando do trabalho numa quarta-feira e eu ficava sussurrando para mim mesma aquela trechinho “to die by your side is such a heavenly way to die”. Eu te amei lá em Saturno, enquanto dormia com medo dos meus pesadelos me abalarem no dia seguinte. Eu te amei indo até a lojinha da minha tia para buscar uns utensílios para minha vizinha que sempre brigava com o marido porque ele não sabia amá-la direito. Eu te amei enquanto eu corria para alcançar o ônibus na esperança de te encontrar no ponto duas horas depois. Eu te amei naquela tarde fria em que você cuidava do meu caos enquanto tomava sorvete em frente aquela loja de roupas na avenida. Eu te amei no sábado às seis da matina enquanto você abria o olho tentando buscar o botão para desligar o despertador e suas pupilas se adaptavam a luz ambiente. Eu te amei nos meus planos, enquanto buscava conforto para sair do cansaço mental em que me encontrava, tentando achar uma forma de melhorar meu dia apenas com sua voz sussurrando “te amo, te amo tanto…” Eu te amei enquanto seus dedos percorriam meu corpo, procurando meus pontos vitais e arrepiando cada centímetro da minha epiderme naquele dia que você foi embora e eu fiquei com uma parte sua grudada na palma das mãos. Eu te amei enquanto você pedalava até o nosso ponto de encontro, porque eu sabia que logo em seguida eu iria colar teu coração ao meu naquele abraço que sempre dura mais que dez segundos. Eu te amei naquela noite em que tive um medo absurdo de te perder, assim como Hitler perdeu a guerra por não saber como cuidar da sua insensatez fazendo tudo errado com sua terrível inteligência de querer ser o melhor em tudo. Eu te amei enquanto você colava tua bochecha rosada na minha boca esperando que eu enchesse teu rosto inteiro de beijos e eu sempre encho. Eu nunca nego. Eu te amei quando você me segurou pelos braços de forma abstrata e plantou tua calma dentro do meu peito, fazendo com que meu miocárdio ficasse em paz durante o ano inteiro. Eu te amei quando você chorou naquela noite que já se passava das dez, quando você disse que tinha medo de me perder e eu olhei teus lábios tremerem com receio que eu pudesse partir. Mas eu nunca parto. Eu te amei e te amo como os anéis abraçam os planetas. Te amo como Theodore ama Samantha naquele momento de desespero nas escadas em posição quase fetal. Te amo feito louca, igual Anna e Jacob se amam em Like Crazy mesmo quando a distância faz de tudo para desfavorecer esse sentimento. Te amo por isso e por tudo. Mas além de tudo te amo por você saber exatamente em qual ponto meu coração interliga no teu.

Eu quero te ver. De novo.
E essa tem sido minha vontade diária. Eu quero te encontrar por aí. Eu quero te ver, mas quero te ver mesmo. Quero te encontrar com aquele sorriso de quem diz “eu senti sua falta”. Eu quero te ver com os olhos de quem diz “eu tô uma bagunça por sua causa”. E eu quero te abraçar, forte, e dizer que não vou te deixar nunca. Porque na verdade, esse é meu desejo. Meu desejo é não te deixar, é ir embora e saber que o celular vai tocar. Meu desejo é que você se ache e me ache também. Eu quero mesmo que você diga que não suporta viver sem mim, mesmo que isso vá contra todos os seus estudos, suas razões e suas lógicas que eu sei que perde quando a gente se encontra, mesmo errados assim. Mesmo quando nós estamos tão mal que mal conseguimos olhar um pro outro, eu sei que você perde o chão e a hora passa de um jeito que nunca percebemos. Eu sei que quando você me abraça forte é pensando “esse é o nosso último abraço”, mas no fundo, você quer que ele dure pra sempre também. Eu sei que juntos vamos ser uma catástrofe, um furacão, mas vamos permitir ser. Vamos ser a catástrofe de amor mais bonita que esse mundo já viu. Eu ando por aí meio que sem jeito e sem rumo, sem jeito pro seu lado, sem rumo pros teus braços.
—  Azuelar.
Então… tenho boas e más notícias. A má notícia é que, aparentemente, estou morta. A boa é que, se você está lendo isso, você com certeza não está (a não ser que tenha wifi no além). Concordo, é uma droga. É uma droga sem tamanho, mas me sinto muito feliz por ter vivido uma vida tão repleta de amor, alegria e amigos incríveis. Tenho sorte em poder dizer, com toda sinceridade, que tenho zero arrependimentos e que gastei todas as minhas energias tentando viver a vida ao máximo. Eu amo todos vocês e agradeço a cada um por ter dividido comigo momentos maravilhosos. Qualquer que seja a sua religião, eu fico feliz que ela te traga algum consolo. Mas peço que você respeite o fato de nós não sermos religiosos. Então, por favor, não diga a Brianna que estou no céu. Na cabecinha dela, isso significa que eu escolhi estar em outro lugar, que eu a deixei. Na verdade, eu fiz tudo o que pude para ficar junto dela e não há nenhum, NENHUM outro lugar em que eu preferiria estar do que ao lado dela e de Jeff. Por favor, não a confundam, não a façam pensar, nem por um segundo, que isso talvez possa não ser verdade. Porque eu não estou no céu. Estou aqui. Só não estou nesta porcaria de corpo que se virou contra mim. Minha energia, meu amor, meu riso, e todas aquelas lembranças incríveis, está tudo aqui com vocês. Por favor, não se lembre de mim com pena ou com tristeza. Sorria, sabendo o tanto que nós nos divertimos juntos, sabendo que o tempo que passamos juntos foi maravilhoso. Eu detesto deixar as pessoas tristes. Mais do que qualquer coisa, eu adoro fazer as pessoas rirem. Então, por favor, ao invés de ficar remoendo a tragédia da minha morte, ria das lembranças que criamos juntos e do quanto a gente se divertiu. Por favor, conte histórias para a Brianna, para que ela saiba o quanto eu a amo e como sempre vou me orgulhar dela (e me faça parecer muito, mas muito mais legal do que sou). Porque não há nada na vida que eu ame mais do que ser a mãe dela. Nada. Cada momento que eu passei com ela foi uma felicidade que eu não imaginava existir até que ela aterrissou na minha vida. E não diga que eu perdi a batalha contra o câncer. Porque o câncer pode ter tirado tudo de mim, mas ele não tirou o meu amor, minha esperança ou a minha alegria. Não foi uma batalha, foi simplesmente a vida. Muitas vezes ela é brutal e injusta, e é assim que as coisas são. Eu não perdi, caramba. Eu considero a forma como vivi com câncer durante anos uma vitória enorme. Por favor, lembre-se disso. E o mais importante, eu tive a sorte de passar mais de uma década com o amor da minha vida e com o meu melhor amigo, Jeff. Almas gêmeas existem. Cada dia com Jeff ao meu lado foi hilário e repleto de amor. Ele é, com certeza, o melhor marido do universo. Durante toda essa porcaria de câncer, ele nunca titubeou, mesmo naqueles momentos em que a maioria das pessoas iria querer fugir. Mesmo nos piores dias imagináveis, encontramos uma forma de rir juntos. Eu o amo mais do que a própria vida e acredito sinceramente que esse amor, de tão especial, só pode ser eterno. O tempo é o que há de mais precioso neste mundo, e eu sou muito grata por ter compartilhado tantos anos da minha vida com Jeff. Eu te amo. E eu acredito que a nossa filha é uma encarnação desse amor. Só de pensar que vou ter que me despedir de vocês, isso parte o meu coração. E se a sua tristeza for a metade da minha, meu coração se parte de novo, porque a última coisa que eu quero nesta vida é fazer vocês sofrerem. Eu espero que, com o tempo, vocês possam pensar em mim com um sorriso porque, putz, tivemos uma vida incrível. Então pesquisem aí o “Physicist’s Eulogy” no Google e saibam que é um fato científico: eu sempre vou estar com vocês. Eu sei que, se vocês pararem e prestarem atenção, vou estar aí (da forma menos assustadora possível). Vocês são o meu mundo e não há palavras que descrevam o quanto eu amei cada instante que passamos juntos. Amigos, eu amo todos vocês e agradeço a cada um por uma vida inacreditável. E obrigada a todos os médicos e enfermeiros maravilhosos que cuidaram tão bem de mim. Eu não duvido que a minha equipe médica fez tudo o que pôde. Do fundo do meu coração, eu desejo a todos vocês uma vida longa e saudável, e eu espero que vocês possam sentir a mesma gratidão que eu sinto por cada dia vivido. Se você for ao meu enterro, por favor certifique-se de que a conta do bar esteja à altura da ocasião. Liga o som, toca “Keg on My Coffin” (Barril de cerveja no meu caixão) e dance em cima da mesa (em algum momento é bom que haja alguém dançando). Celebre a beleza da vida com uma festa de arromba porque é isso que eu gostaria. Eu acredito que, de alguma maneira, eu vou achar um jeito de estar lá também (você sabe que detesto perder uma boa festa). E como eu estou aguardando ansiosa a oportunidade de assombrar todos vocês, na verdade isso não é um adeus, e sim um até breve. Por favor, só faça uma coisa por mim: tire alguns minutos cada dia para celebrar essa aventura frágil e louca da vida. E nunca se esqueça: cada dia importa.
—  Carta de despedida de Heather McManamy.
Porque esses seus cachos acabam comigo. A maneira descabelada que você usa pra parecer arrumado. E eu amo a sua cara de argentino e que você odeia os argentinos. E eu amo como a sua calça nova cai bem em você e como você fica elegante de chinelo. E eu quero te pedir pra deixar tudo como está e não cortar meus cachos prediletos de todos os cachos. Você me salvou. Eu não aguentava mais pensar nos mesmos caras que eram sempre os mesmos caras.Você é novinho em folha e eu sou louca por você. Mas tudo isso eu não te conto pra você não achar que eu sou louca. Chega. Dessa vez vou fazer tudo certo.
—  Tati Bernardi
E gosto das tuas histórias, do teu riso, do movimento dos cílios, do gosto da pele. Quanto mais te conheço, mais gosto, fico ansiosa esperando pelo próximo capítulo. Gosto da vida que parece mais vida quando estou contigo. Gosto do teu colo que parece lar, dos abraços, os beijos, tuas falas. Gosto de terminar o dia dormindo juntinho, acordar misturada no teu corpo.
—  LolyPoetizando