e assist

Sua prima sempre será melhor que você, sua vizinha sempre será a mais esforçada, a filha da melhor amiga da sua mãe sempre será a mais mocinha e mais educada que você. Ela senta que nem moça e não fala palavrão, olha só pra você, senta com os meninos e assiste futebol. E olha só para suas unhas, já pensou em pintar de renda ou fazer uma francesinha? É bem mais coisa de menina, de menina não, de mulher, porque você já uma adulta. Essas gírias todas, todo dia é uma nova, muda esse vocabulário, para onde vai tudo o que você ler? E o que você quer ser, hein? Uma adolescente rebelde a vida toda? A vida é mais que isso, mais que terminar o ensino médio e escrever textinhos por aí, e cuidado com essa língua, nem tudo pede opinião, nem tudo pede um parágrafo, muito menos um artigo. Aceite e será bem sucedida. Revirando os olhos? Onde acha que esses olhinhos revirados vão te levar? Para um bom trabalho? Para uma grande carreira? Um bom marido? Pois eu te falo pra onde, para lugar nenhum. É, é pra lá que você vai.
—  Como está sendo seu dia?
Jobs! #1

Oy! New series: jobs! I’ll try to make the list as complete as I can but make sure to let me know if there’s a category I haven’t taken care of. Cheers!


Regarding school :

- teacher : professeur-e 

- primary school teacher : professeur-e des écoles

- secondary school teacher : professeur-e de collège

- high school teacher : professeur de lycée

- head teacher : principal-e (SS), proviseur-e (HS) 

- student teacher : professeur-e stagiaire

- training instructor : formateur/trice

- guidance counselor : conseiller/ère d’orientation

- educational assistant : assistant-e d’éducation

- probationary lecturer : assistant-e (de + subject)

- academic : professeur-e des universités

- senior lecturer : maître de conférences

- dean : doyen-ne


Regarding health :

- doctor : médecin

- family doctor : médecin traitant, médecin de famille

- nurse : infirmier/mière

- psychiatrist : psychiatre

- psychologist : psychologue

- chemist/pharmacist : pharmacien-ne

- dentist : dentiste

- veterinarian : vétérinaire

- surgeon : chirurgien-ne

- general practitioner : médecin généraliste

- forensic scientist : médecin légiste

- radiologist : radiologue

- paediatrician : pédiatre

- gynaecologist : gynécologue

- urologist : urologue


Regarding law :

- lawyer : avocat-e

- court-appointed barrister : avocat-e commis d’office

- judge : juge

- magistrate : magistrat-e

- cop : policier/cière, gardien-ne de la paix

- detective : détective

- defendant : accusé-e

- culprit : coupable (also guilty)

- witness : témoin 

- solicitor : notaire

- clerk : greffier/ière

- legal adviser : conseiller/ère juridique

- attorney : procureur/curatrice

- bailiff : huissier/ière

- usher : placeur/euse

- traffic officer : agent de la circulation

- warden : directeur/trice de prison

- inmate : prisonnier/ère, détenu-e

How to Hand out a Resume

Updated version of my previous guide.

  • Always ask to speak to the manager or the person currently in charge (i.e. the assistant manager or the team leader.) The manager is the one hiring; they’re the one you want to impress. In some highly competitive retails, some sales associates will throw away your resume before it even gets to the boss(es). 
  • If you’re being accompanied by a friend or a family member, ask them to wait outside while you hand out your resume. Do not let them enter in the shop with you. Do not let them stand beside you as you speak with the manager/the person in charge. It’s unprofessional!
  • If you’re handing out resumes with a friend, do not apply at one place at the same time. Take turns instead.
  • I don’t know if it’s only a personal pet and peeve, but I utterly hate when people’s first question is “Hello, are you currently hiring?” It makes it as if you’re only interested in the workplace if they’re hiring. Maybe currently they are not, but in a few weeks they will? Maybe someone will suddenly quit and they’ll have to dig in old resumes?  
  • “Hello, may I speak with the manager or the person currently in charge? It’s for an application.”
  • “Hello, my name is ___.” Insert handshake here. “I am looking for a part-time/full-time job and I’d like to apply here. Here’s my resume.”
  • Know what you want. I’ve witnessed so many people answer “I don’t know” to the questions they were asked. 
  • On that note: Always be ready to answer some basic questions. Prepare the answers before you go, it helps looking confident. The most common questions are: 
    • How many hours do you want? What are your availability?
    • Which position are you aiming for? 
    • Why are you applying here? (to which you can easily answer: “It’s near home”, “It fits my interests”, “I’ve heard some good stories about working here”, etc. Do not lie though. Be truthful.)
    • Do you have any experience in that particular field? (if no, “No, but I want to learn”. If yes, “Yes, I have worked here and here”.)
  • Smile. I swear to God, the only reason I have my current job is because my manager was “charmed by my smile” (to put you in context, they just had hired someone and they weren’t looking for anyone else.)
  • Put one ounce of extra care in your appearance when handing out resumes. Tie your hair if you need to, do not apply in your school uniform, put your bestest clothes and look genuine. Also, please remove your shades when speaking to the employees…
  • Do not look in hurry. I know handing out resumes can be stressful and anxiety makes you want to get the Hell out of here as soon as possible. But trust me, even if you look like a earthquake of cracked nerves and stress, you’ll do good if what you say is good.

Non si è mai capito perchè, ma quando vomiti ci deve essere qualcuno che ti tiene la testa, ti mette il palmo della mano sulla fronte e assiste a una scena schifosa. É diventata una consuetudine così accettata, che quando ti viene da vomitare il primo istinto che hai è guardare chi ti sta vicino e fargli uno sguardo implorante, che vuol dire “Ti prego, tienimi la testa”. E in ogni caso chiunque ti sta vicino istintivamente quando ti vede vomitare corre verso di te e dice: “Aspetta che ti tengo la testa”.
Sono profondamente grato a tutti quelli che mi hanno tenuto e mi terranno la testa quando mi viene da vomitare.

- Francesco Piccolo, Momenti di trascurabile felicità

“Eu nem sabia o porque de estar chorando. Mas eu sabia que precisava de um abraço bem apertado. Talvez porque aquele tinha sido um dia complicado de sair de casa. Porque eu odiava segundas-feiras. Porque eu não estava numa fase boa. Porque eu sofro por tudo até pela forma que alguém me trata. Pareço uma caixa que guarda tudo e essa caixa está transbordando. Pareço uma filmadora que grava tudo e assiste depois, só que por obrigação. Porque tudo que eu exijo das pessoas é tão simples e elas não sabem dar: Reciprocidade. Ou vai ver que é porque talvez tudo que eu queria era chegar em casa e ter uma mensagem de ’‘Como foi seu dia?” “Que saudade desgraçada do seu beijo” “Boa noite meu amor, pensei tanto em você hoje.” Sei lá mas naquele dia tudo que eu menos queria era ficar sozinha. Eu precisava de atenção, eu precisava de carinho e de um cuidado especial. Precisava que alguém olhasse pra mim, dissese que tudo ia passar e que o sol no outro dia ia brilhar mais forte do que tudo que eu estava passando. E que as coisas boas iam enfim, chegar pra mim. EU PRECISAVA. Nem que fosse algo tão clichê quanto um “eu te amo” ou qualquer outra coisa que eu já soubesse. Mas deixa pra lá nunca soube pedir nada a ninguém, nunca soube dizer que EU PRECISAVA de algo ou alguma coisa. Sempre gostei que as pessoas percebessem. E a parte ruim era que as vezes ninguém percebe que o seu silêncio significa um trilhão de coisas. E a parte boa é que não se pede amor, não se pede atenção, não se implora por nada. É uma questão de amor próprio e de orgulho. Vai ver que no fundo eu sabia exatamente o porque de está chorando.“

The Clover war.

‘The great Kaiser Onyx of the New Unified Changeling Empire has officially signed the declaration of armed conflict against Three Leaves organization and its leader, Mare. As war was officially announced, Onyx calls in his allies of the D.E.S to assist in this defensive conflict against the aggressors.’

'The signal to the other hives has been sent.’

@ask-the-infiltrators @changeling-collective

anonymous asked:

but the dude said she was visiting the set not working there. How much proof you need to see she is dating the misogynist?

The thing is how does the person know that? Is e her assistant? I think you don’t see her in costume and assume she is visiting… to me it’s nothing more than an assumption… there is still no proof of anything. I need solid proof and like I said before so far there is none

eu queria voltar a acreditar
que as coisas voltarão a ser bonitas
e que o mundo será novamente
cheio de balões e flores
como foi aos 15.

mas eu não tenho mais 15 anos,
daqui 8, terei o dobro disso
e é o suficiente pra saber
que até lá extinguirão as flores,
e não fabricarão mais os balões.

não que o futuro assuste,
é que tudo desanda
enquanto a gente assiste.

e o cenário é pavoroso,
e nos melhor dos cenários
nosso futuro é, pelo menos,
horroroso.

Esquece o que é pecado, faz o que te toca, não tem hora ruim pra quem acorda afim de dar risada, se te disseram que não pode, então faça, não deixa marmanjo algum achar que o amor que ele dá já basta. Amor nenhum vai bastar, sempre cabe um pouco mais, num tempo de pouco espaço e muito desejo, avisa ele que isso não é amor, é medo! E medo já vem com a gente, é a tatuagem grátis do nosso chiclete. Mas o sabor de morango tá no beijo de quem se derrete, e está disposto a dizer, “Gosto tanto de você e ainda tenho tanto pra gostar”. Amor nenhum vai bastar! Quando tu acha que chegou no limite, senta e assiste, porque o gostoso é transbordar.

“Quer ir no cinema hoje?” ela disse, depois de se encher de coragem. Ele respondeu, “Prefiro ficar em casa, vem pra cá e a gente assiste um filme”. Ela foi, e eles nunca viram esse filme, não viram filme nenhum por um bom tempo. Na verdade, eles até tentaram, mas era sempre preciso começar de novo, “A gente viu essa parte?”. O primeiro carinho bastava para esquecer o filme, para esquecer tudo. “Amanhã você vem?”, perguntou o garoto, com os olhos dizendo para ela ficar. “Não, amanhã eu não posso, vou viajar, só volto daqui duas semanas”. E no dia seguinte ele assistiu um filme sozinho, do começo ao fim, mal lembrava quando foi a última vez que havia feito isso. Quando completou duas semanas, ele ligou, “Assisti um filme ótimo, você ia adorar”. Ela sorriu em silêncio e disse que se ele quisesse, poderiam assistir no outro dia. Ela chegou e a história foi a mesma, o filme foi o mesmo. Antes de ir embora ela olhou para aquela carinha dele de bobo e disse, “A gente esqueceu de ligar a TV dessa vez”.