e 2013

anonymous asked:

Você pode me recomendar uns partners com boa escrita?

Poxa, Nony, que pergunta difícil, não acha? Até porque a definição de boa escrita é um tanto quanto subjetiva e a gente pode ter ideias diferentes disso. Também sou suspeita pra falar, porque adoro todxs xs players com que jogo e o jeitinho único de cada umx. De qualquer forma, vou indicar algumxs aqui com quem eu já tive o prazer de escrever e que I stan hard. @khaleesiplots é uma das minhas escritoras favoritas da porra toda. @winterrwrites, @capituwrites, @xiaoliawrites (stanning desde 2013), @moonyplots e @latiplots também dão tiros por onde passam e eu venero. @minniervas é uma das minhas crushes e tem umas ideias maravilhosas. @amaterasuu é outra. @harleyplots, @apollofrps, @bellawrits, @scumbag1x1@alliewriting também lacram. Mal comecei o plot com @winter-1x1, @miss-ironheart, @mihwrites e @nahshedidnot, mas já me apaixonei. @hxzel1x1 é minha baby. @littlemermaid-1x1 tem uma escrita tão gostosinha, na minha opinião. E tenho certeza que to esquecendo de muita gente, porque aff, é muitx partners e todo mundo maravilhoso.

Por outro lado, sem querer me mostrar nem vender meu peixe (até porque eu não tenho a confiança na minha escrita pra isso, mas vi que algumas pessoas me recomendaram e eU AMO VOCÊS ME BEIJEM VOU CHORAR): se você quiser uma palhinha do que eu escrevo, tem minha tag de memes de onde você pode tirar suas próprias conclusões.

8

- and it took me a long time, but i finally found someone who believed me.
- took me years to find someone who did. and, you know what i did then?

anonymous asked:

My dad says Zoo's are becoming politically incorrect. I've seen both arguments but I wanna hear your opinion on it: do you think Zoo's are a good idea?

Well, let’s see if I can keep this response short.

First, I’m guessing that by ‘politically correct’ you mean ‘ethically sound.’ So, is keeping animals in zoos an ethical thing to do? As with many things, there is no easy or even single answer to that question.

Without a doubt, there are bad zoos- private or roadside zoos, zoos that keep their animals in abhorrent conditions, zoos that allow visitors to engage in unsafe things like cub-petting schemes. It is obvious that these types of zoos are unethical and exploitative.

(Hint: something like this is never a good sign.)

On the other hand, what constitutes a ‘good’ zoo? In the best captive conditions currently available, is it okay to keep an animal locked up? Some say no, no matter what; some say what we have now isn’t good enough. Others say yes- the best zoos are able to provide their captives with good lives.

This of course brings us to just what a ‘good’ life is. Those who say that animals should never ever be placed in captivity usually value a sense of freedom above all else. Even in perfect captive conditions, an animal will not be free, wild, or ‘natural.’

However, we must acknowledge that ‘freedom’ is a concept created and defined by humans. A human locked in a prison knows the difference between captivity and freedom, and is able to conceptualize that certain ‘rights’ that they have are being violated. But for animals, this may be too complex to perceive. How far back do you have to move a fence before a kudu decides that he is wild again? The idea that animals sense when they are ‘free’ versus ‘not free’ is, to me, not realistic.

Animals do, however, benefit from the ability to be free to make choices, such as what they eat, where they will go, who they will interact with, and so on. Undeniably, captivity presents animals with fewer choices of these kinds than they would have in the wild. The best zoos are now implementing programs to accommodate these choices, particularly with highly intelligent animals such as elephants and apes.

One such example: the “O Line” at the Smithsonian National Zoo allows orangutans to choose one of two buildings to stay in during the day. Other animals, such as the otters, can choose whether or not to be on exhibit via spaces in their enclosure that are sheltered from the public. Scatter feeding and foraging enrichment is yet another way that zoos allow animals to choose what food they want to eat.

Still, despite these improvements, there will always be limitations of choice in captive environments compared to wild ones by the very definition of ‘captivity.’ Furthermore, while many strides have been taken to update enclosures with choices in mind, the fact remains that the implementation of behavioral science in zoos lags behind the research due to the costs, and often due to the stress of the animals themselves when trying to adjust to new schedules and norms (even if they are theoretically better ones).

A forty-year old captive elephant will have lived through decades of zoo reform, and we can’t erase those negative experiences from her mind.

One danger of comparing captive animals to their wild counterparts is assuming that captive environments should mirror the wild ones as closely as possible. But what the wild even is is not well-defined. ‘Wild’ deer roam my suburban neighborhood: should that habitat be replicated in their zoo enclosure? Wild environments include predators, diseases, and natural disasters: is it better that those be implemented in zoos as well?

In actuality, an animal born in captivity likely has no sense of what its natural environment should look like. Certainly it has natural instincts and inclinations- a tiger likes to urine-mark vertical objects and a gibbon likes to climb- but neither of them specifically needs a tree to do this with- a post or rope swing would also work. The ‘naturalistic’ look of many zoo enclosures is actually for the benefit of the visitors, not the animals. In fact, a lush, well-planted habitat could still be an abysmal one for an animal if all of its needs aren’t being met.

This brings us to one of the most important aspects of zoos: the visitors. Theoretically, one of the major purposes of good zoos is to educate and inspire the public about animals, particularly in regards to their conservation. But do zoos actually do this?

The answer is yes… to a small extent. People given surveys upon entering and leaving a zoo exhibit generally do know slightly more about the animals than they used to, but this depends a lot on how educated they were to begin with. While many visitors express an increased desire to engage in conservation efforts after leaving a zoo, not many of them have actually followed up on it when surveyed again a few weeks later. Still, most zoo visitors seem to leave the zoo with several positive if perhaps short-term effects: interest in conservation, appreciation for animals, and the desire to learn more. If a visitor experiences a “connection” with an animal during their visit, these effects are greatly increased.

However, certain types of animal “connections” and interactions can also produce a negative effect on zoo visitors. This reflects what I said earlier about the naturalistic design of habitats being more for the visitors than the animals. Individuals who view animals performing non-natural behaviors (such as a chimpanzee wearing clothes and acting ‘human,’ or a tiger coming up to be petted) are less likely to express an increased interest in their conservation, and even less likely to donate money towards it. Generally, our own perception of freedom and wildness matters much more than the individual animal’s.

The fact of the matter is that, worldwide, zoos spend about $350 million dollars on wildlife conservation each year. That is a tremendous amount of money, and it comes from visitors and donations. What amount of discomfort on the part of captive animals is worth that money being devoted to their wild counterparts? It’s hard to say.

This is a very, VERY general overview of some of the ethical issues surrounding zoos; to go over it all, I’d need to write a book. But hopefully, it got you thinking a little bit about what your own opinion on all this is. (I didn’t explicitly state mine on purpose, though it’s probably fairly clear.)

Refs and further reading below the cut!

Keep reading

As mensagens e fotos vazadas de Camila em 2015

Antes de ler isso, uma mensagem MUITO (MUITO!) importante: A análise é do tumblr exposing-5h. Lembrem-se que eles vão usar termos bastante fortes com a Camila. Obviamente, por ser um tumblr exposing, eles não pegam leve nisso. Tenham isso em mente antes de me jogar hate, por favor!

O POST NÃO É ÓDIO A CAMILA, ESTOU APENAS TRADUZINDO! É uma tradução pra vocês tirarem suas próprias conclusões e pra quem não sabia sobre isso já que recebi muitas asks sobre e suas dúvidas sobre o que aconteceu acabam aqui! :-)

Hoje nós vamos falar sobre as mensagens que foram vazadas por ukhackersquad. Vamos para as evidências que provam que são reais, e as evidências que provam que não são.

  • As provas que o hacker postou.

Obviamente ninguém é burro o suficiente para fazer afirmações sobre uma celebridade sem ter algo para se sustentar. Então, alguma das provas que o hacker postou foram fotos que nunca foram vistas.

E outras provas (também) foram algumas mensagens privadas no Instagram de Camila com algumas amigas.

“O show foi ok, eu não tenho nenhum interesse nele (não sei quem é), de qualquer jeito te vejo amanhã! UAY, estou animada.“

“Oi. Eu pareço uma viciada em cocaína.”

“Camila: Panera com fones de ouvido.

Amiga: Nós vamos para o Panera também! Mas está fechado.

Camila: Estou três passos na sua frente, NEGRA.”

Uma nota importante: Nigga nos Estados Unidos é considerado uma forma de racismo MUITO séria. É uma gíria que ofende muitas pessoas lá. Resumindo, é uma palavra ofensiva!

Mensagens entre Camila e Michael do 5SOS:

O hacker também vazou umas músicas solo de Camila como Cinderella, Cozy Dolla Bills e um snippet de The Exchange.

O hacker postou um vídeo de um ensaio não visto das meninas dançando Them Girls Be Like, mas ele foi deletado.
Também há vídeos que o hacker fez onde ele estava na conta de Marielle (uma das amigas de Camila que foi hackeada e proporcionou todo esse material). Aqui está o link do vídeo que o hacker filmou na conta de Marielle, e aqui está um print de tela:

"Bem, eu tenho que esperar pra pegar meu celular.
Eu não tenho um.
Eu não sei mas todo momento em que a Ally fala, eu tiro toda a força de mim pra não dar um soco na cara dela. Ela me contou que está desenvolvendo um crush no Harry (Styles), vá para longe de mim.”

  • O tweet do hacker na conta de Marielle

Junto com o vídeo do hacker na conta de Marielle, eles tweetaram na conta também como uma prova de que estavam nela. Muitos fãs viram os tweets mas há prints de tela de diferentes pessoas.

“Eu posto?”

Depois disso tudo acontecer, Camila entrou num controle de danos (fazendo cover de Love Yourself, bloqueando o hacker e fãs que acreditavam nele e entrando na onda do movimento Black Lives Matter). Em razão disso, Marielle deletou a conta depois e os representantes dela não deram nenhum comentário sobre.

  • Tweets após o acontecimento

Ambas Lauren e Normani foram ao Twitter depois dessa situação toda. Normani tweetou isso:

“Eu me sinto mal por aqueles que constantemente precisam se explicar, defender ou se justificar baseado em suas ações. É hora de começar a refletir.”

E isso foi considerado um shade a Camila. Indo pela óbvia distância entre Normani e Camila durante esse período, eu acho que Normani descobriu as mensagens apenas algum tempo depois de nós.
Os tweets de Lauren foram mais óbvios, onde ela basicamente admitiu que Camila foi hackeada.  

“Eu quero dizer agora: qualquer pessoa que pensa que eu segui alguém que violaria a privacidade de alguém de propósito para causar ódio não me conhece e claramente não tem ideia do meu propósito regularmente, que é: nós somos humanos e tudo isso é uma invasão. Eu amo todos vocês mas isso é ridículo.”

  • O hacker foi atrás das outras meninas também

Antes de Camila, foram na Dinah e tentaram ir atrás das outras. Dinah escreveu algo sobre ter sido hackeada no Facebook e Lauren ficou frustrada após quase ter sido hackeada no Twitter. Os hackers (durante o processo com a Dinah) vazaram essa música que as meninas gravaram que era para o Reflection e foi escrita por Lauren e Dinah.

Algumas pessoas já imaginaram que isso aconteceria. Aqui está alguns prints de tela da Camila usando a palavra nigga em uma velha conta de fã no Twitter (o qual ela confirmou ter) em 2012:

Aqui estão alguns tweets racistas que ela deu RT no verão de 2012.

Aqui está um print de Camila falando com uma de suas melhores amigas, Sandra, onde a amiga Sandra usava a palavra nigga livremente em 2013.

“Camila: E se meu professor de tênis ver isso?

Sandra: Nigga, você não tem um professor de tênis. O único exercício que vocÊ faz é ter o seu dedo rolando no mouse.”

Eu já falei aqui sobre outros prints que vazaram de Camila no Facebook falando sobre as meninas, etc:

“Camila: Elas literalmente me odeiam tanto lol.

Marielle: Porque? Isso é tão chato, isso é ruim.

Camila: É porque elas estão com inveja. Eu tenho a maior atenção então elas odeiam. 

Marielle: Que música vocês vão cantar?

Camila: Simon tava literalmente tipo ‘Camila vai cantar a música toda e vocês fazem as partes do fundo da música’ e elas choraram. Isso é porque eu trabalho muito e fico sendo intimidada por quatro negras, é por isso.

Marielle: LOL, sim. Mas Normani é realmente negra (nigga).”

Agora partindo para a história de Camila e Michael. Lol.

Primeiro, tudo começou em 2012.

“Eu meio que tenho uma grande queda por você.”

Ela nunca respondeu ele, mas depois ela o seguiu.

“Ahhh, Camila me seguiu?”

“Aw, hahah. Você é tão doce. Espero te conhecer em breve.”

Louis e Harry também já entrou na conversa deles pelo Twitter.

“Oi Camila. Vou te apresentar pro meu amigo Michael. Ele é um cara legal!”

Enfim, tem muitos prints sobre eles conversando no Twitter. Continuando! Uma foto dos dois foi vazada. Camila postou uma foto em Londres nessa época.

E as mensagens de texto também. Ok, agora fica tenso.

"Eu vou te ver em London. Ou você esqueceu? Nós podemos ter um mapa! Eu poderia te fazer gozar em cada continente. América do Norte - Checado.”

“Fã: Porque você está tweetando ao invés de explorar London?
Camila: Oh, confie em mim, eu fiz váriassss explorações.”

Mensagens da Camila em azul, do Michael em cinza.


“Ok, eu quero ser má por você. Você me faz sentir como se eu não tivesse medo. Hey, eu vou dormir.
Michael: Porque você teria medo, amor? Ok, boa noite.
Camila: Se divirta, amor!”

Terceiro print da foto acima:

“Michael: Em uma das vezes literalmente veio muito, LOL. Eu não me lembro qual foi mas foi tipo ridículo.

Camila: HAHAHA, foi delicioso. Segunda rodada?”

“Camila: Você está me deixando louca. Eu quero que você me beije em todos os lugares.
Michael: Eu amo beijar sua bunda mais do que qualquer coisa, apenas adorando. Obama não vai te impedir de enviar fotos de sua bunda.
Camila: Eu amo quando você faz isso, me faz sentir uma rainha. É muito bom.
Segundo print da foto:
Camila: Bebê, eu queria poder. Você está muito longe, ughhhh.
Me deixe te tocar, por favor, você não está ajudando.
Michael: Por favor me toque. Vou bater uma pensando em massagear sua bunda.
Terceiro print da foto:
Michael: UGH, eu estou tão ligado agora. Preciso de você aqui.
Camila: Você não é o único, amor. Queria que você estivesse aqui agora :( Queria poder te tocar. Estou tão molhada, não consigo parar de pensar nisso.“

“Michael: Bom dia de Sydney, Austrália.
Camila: Boa noite de New York, e bom dia Austrália.”

E encontraram uma suposta carta de Camila para Michael e Harry Styles. 

“Querido Michael, às vezes me pergunto se eu poderia ter feito algo diferente.
Às vezes me pergunto se eu deveria ter dito o que eu realmente queria ao invés de "oi”, talvez é meia noite agora e eu poderia estar morrendo de rir de uma de suas piadas idiotas.
Talvez se eu não tivesse escutado minha mãe, eu poderia ter te dado uma chance de se apaixonar por mim como eu faço todos os garotos se apaixonarem.
Se mudar garotos significa mudar defeitos, eu acho que eu realmente gostaria dos seus.
A pior parte? O tempo vai dizer. Eu nunca vou saber como é te beijar ou ficar tarde da noite falando sobre coisas estúpidas ou ficar bêbada com você. Eu não consigo parar de pensar se talvez nós somos feitos um pro outro. E você nunca vai saber.

12:28 AM

Querido Harry,

Eu tenho medo de nunca poder te beijar.
Não há nada mais assustador do que amar alguém da maneira como eu te amo. Por que seja um produto da minha imaginação ou um destino celestial para ficarmos juntos, ninguém me faz sentir do jeito que você faz.
Eu não sei o que é, se é paixão verdadeira ou falsa, mas eu juro que quando estamos no mesmo lugar na mesma hora é como se eu não desejasse mais nada. E quando eu estou aqui, ali ou em qualquer lugar que você não está, eu poderia estar tendo o melhor momento da minha vida e (…)“

Resumindo, foi tudo isso o que aconteceu pra quem não sabe! Achei legal esse post porque explica os prints e fotos que ninguém sabia. Espero que eu tenha esclarecido algo, seja verdade ou não! Tirem suas conclusões.

Plantó un árbol cada día en el mismo lugar. 37 años después el resultado sorprende al mundo

En 1979, Jadav Molai Payeng, un joven local de 17 años de la ciudad india de Jorhat, encontró decenas de reptiles muertos en el banco de arena del río Brahmaputra por la falta de sombra. Apenado por la muerte de los animales advirtió del asunto a los servicios oficiales que le dieron 20 semillas de bambú para que los plantara.

Posteriormente las autoridades forestales del distrito de Golaghat pusieron en marcha un plan para plantar 200 hectáreas de árboles en un área cercana. Molai fue uno de las personas que trabajó en el proyecto que fue completado cinco años después. 

Tras terminar el proyecto Molai decidió quedarse en la zona y seguir plantando árboles a diario en una de las islas arenosas que hay en medio del río Brahmaputra.


35 años después, la cruzada personal de Jadav Payeng, ahora de 50 años de edad, resultó en un enorme bosque casi dos veces mayor que el Parque Central de Manhattan (EE.UU.) que en realidad no debería crecer en un suelo tan arenoso. El bosque se llama Molai en un honor al apodo de Jadav.

No solo su bosque cambió el paisaje local, creando un lugar de sombra para los animales y la gente, sino que también frenó la desaparición de la isla —que iba disminuyéndose debido al flujo del agua en la arena— y ha creado una verdadera reserva natural que alberga tigres, rinocerontes, elefantes, otros animales grandes y pequeños, y varias especies de pájaros.

La increíble historia de Jadav Padeng le ha valido el reconocimiento de las autoridades indias e incluso en 2013 salió el documental “Forest Man” contando su vida. Un ejemplo de como, si se quiere, la humanidad puede crear vida en lugar de destruirla.