dthalita

Eu quero mesmo é que tudo exploda. E que seja luminosa, a explosão, que ecoe pelos quarteirões e faça tremer teus vidros, quebrar tuas janelas. Que perturbe teu sono e te faça ir pra rua pra ver o que aconteceu. Você não vai me encontrar lá. Eu não sou o piloto. Não sou o passageiro. Não sou o pedestre. Eu sou o acidente, e eu sou grave.
—  Lucas Silveira

Os seus olhos, tão meus
e eu inteira tão sua,
traduzindo o olhar
que reflete a alma nua.

Revelado no seu sorriso
e na pele arrepiada,
quase sinto o gosto
de ter me tornado um nada.

Sua boca, minha boca,
ambas se tocando de lado,
acalmando a dor do outro
tirando o fardo pesado.

Colecionando os seus olhares,
espalhando pelos sete mares
enfeitando o céu com palavras suas
para enfim encontrar-te em todas
as pessoas nas ruas.

Por dentro dói a saudade que invade.
Sem teus sinais me sinto a beira de um cais
prestes a pular, com a alma nua sobre o
reflexo da lua.

E nada é mais frustrante
do que essa espera infinita
que no interior grita, chama,
mas por fora a expressão do rosto
engana.

E quando você vai voltar pra mim?
Meu bem, eu não sei, mas vê se volta
você sabe, eu sempre vou abrir a porta.

—  Thalita Freitas

Sentir a existência deitada
Cada vez que a sua voz intercala as paredes da minha fala.

Olhar a natureza contrária da boca de quem só espalha que não pode faltar a falha.

O erro é fundamental aos olhos de quem não perdeu nada.
A sua face continua beirando os caminhos da minha estrada

Thalita Freitas

Último romance

Eu tento, eu juro que eu tento me convencer que estar perto não é físico, mas tudo vai por água a baixo quando me dou conta que sou toda gota que escorre livre pelo rosto e só sossega quando encontra a sua boca. Quero te contar dessa gente toda, dessa pressa tanta, e desses dias cheios. Se você também está cansado dessa monotonia, o meu peito poderia muito bem ser a tua moradia. Olha, eu não sei se o mundo é bom, mas ele está melhor desde que você chegou. E eu nem vi você chegar. Foi como ser feliz de novo. Percebi que a vida é uma viagem, mas não se preocupe, você não vai se aventurar sozinho se depender de mim. Analisei minhas manhãs antes de você, e vi que manhã cedo, agora é bom de levantar, pois toda dor que me aparece eu te conto, e você me cura sem se quer notar. Juntei minhas músicas preferidas, só pra te dizer que se o tempo for te levar, eu sigo essa hora, eu pego carona pra te acompanhar.

Thalita Freitas.

Não fuja dos quartos
que ainda não passamos.
Não se esconda dos gritos
que ainda não damos.
Por favor, não tape os ouvidos.

Transpareça aquilo que
seu olhar me transpassou.
Permaneça aquilo que continha
o teu sabor.

Não ache fraca as minhas poesias.
Relembre histórias daqueles outros dias.
Fique firme para suportar
toda essa distância fria.

Me entenda, me aguenta
me sustenta, me equilibra
me pacífica.
Só não vá embora com essa tal
“despedida

—  Thalita Freitas
Vício.

Seu olho negro ensina

Sua pele morena por cima

Sua voz, minha sina.

Nem sou mais eu quem falo

No silêncio ou no oco me calo

Pra guardar sua voz num frasco

Num eco, num ego, num mero vazio privado.

                                                                           Thalita Freitas.

Você e os dias da semana.

Não quero passar um dia sem falar com você, não quero ficar com pensamentos da conversa de ontem, quero minhas lembranças atualizadas, assim que ponho a minha cabeça no travesseiro, porque a sensação que eu sinto agora é como um dia de domingo, mas sem aquele tédio horroroso. É como um sábado no parque. É como a sexta-feira quando passamos com quem nos completa, não que você me complete, mas há sim alguma coisa em você que me faz bem, alguma coisa que não me faz odiar a segunda-feira e não faz eu me sentir sozinha na quarta.

-Thalita Freitas