diga ai

NIALL HORAN


  • anna-luisa11 :Faz um do Niall em que a mãe dela não aprova ter filho antes do casamento mas ai ela descobre que tá grávida e se afasta do niall e da família dela mas no final ele pede ela em casamento e ela conta na festa que está grávida? Amo os seus imagines 💓💓💓 
  • Esse tá grande, espero muito que vocês gostem!
  • Boa leitura!



Minha mãe sempre foi aquelas mulheres religiosas, desde que eu era um bebê ela sempre me levava pra igreja, ela até me batizou e tudo mais e quando fiz meus 15 anos ela começou a me prender em casa com medo de eu encontrar um menino, ela sempre diz que sexo e filhos só depois do casamento, no meu  último ano do colégio eu conheci um menino, ele era 3 anos mais velho que eu, o que fez a gente namorar escondido , sempre tinha aqueles momentos que eram quentes entre nós e eu sempre me esquivava lembrando do que minha mãe dizia, é bobagem, mas se eu fizer sexo ou ficar grávida minha mãe me expulsa de casa, eu estou a sete meses com Niall e quando menos esperei aconteceu, nós tivemos nossa primeira vez e foi maravilhoso. O que eu não esperava era que junto com isso iria vim um bebê, eu descobri a uma semana que estou grávida e se minha mãe souber ela me mata, e claro eu não tive coragem de falar para Niall o que fez eu evita-lo por uma semana, ele já veio na minha casa, na minha escola e eu sempre fugia, talvez o certo era não falar mesmo, por mais que ele ficaria muito feliz, mas não quero estragar sua juventude assim como estou estragando a minha.

Tive que tomar uma decisão difícil, mas era necessário, peguei minhas mesadas na minha poupança e peguei uma mala e coloquei algumas roupas dentro, eu iria para casa do meu pai em Boston, sim meus pais são separados desde que eu tinha três anos. Depois de arrumar minha mala eu comprei uma passagem de ônibus para Boston que sairia aquela noite mesmo, eu saio pela janela, já que meu quarto não ficava em cima e sim embaixo. Meu pai nunca foi daquele muito religioso então eu tenho certeza que ele ficaria muito feliz. Cheguei na rodoviária e logo vi meu celular vibrar com um monte de mensagem do Niall do tipo:

“(seu nome)  cadê você? Estou chegando na sua casa”, não respondi apenas ignorei, assim que ele chegasse lá na minha janela eu já vou estar dentro de um ônibus indo para Boston.

Ligue pro meu pai e disse que estava chegando, e ele disse que iria me buscar, ele me perguntou o que aconteceu e eu disse que contaria só quando eu chegasse, assim que cheguei eu vi meu pai com uma das minha irmã mais nova e fui correndo abraça-lo.

­- Oi papai! – dou um sorriso

- Oi minha princesa, você está abatida o que houve?

- Em casa eu te conto, acho que aqui não é uma boa hora – digo e ele assentiu me levando até o carro.

O caminho até sua casa é silencioso e quando eu chego, entro naquela casa onde passei a metade da minha infância e que agora meu pai morava com minha irmã e minha madrasta que me amava. Meu pai me mostra a casa e o quarto de hospedes.

- Então (seu nome) pode começar falar o que aconteceu – ele senta na cama me puxando

- Bom pai, tenho certeza que só você vai me ajudar mesmo, eu conheci um menino e estamos namorando a seis meses e você sabe que a mamãe sempre foi daquelas que dizia que filhos antes do casamento e blá blá blá, e bom eu e Niall a gente vai ter um bebê.

- Mais que legal filha, mas a sua mãe sabe?

- Pai se ela soubesse você acha que eu estaria aqui?

- É verdade, e seu namorado sabe?

- Não  – digo e ele me olha surpreso

- Ele precisa saber (seu nome)

- Eu sei eu sei, mas estou com medo

- Está tudo bem (seu nome), vou respeitar sua decisão e pode ficar aqui o tempo que precisar – ele diz e me abraça

- Obrigado Pai – sorrio

- Jantar vai ser servido daqui a meia hora – ele sai

Passou uma semana desde que cheguei, Niall tem me ligado constantemente e eu apenas recusava, aquilo doía, mas eu não estava pronta ainda. Minha mãe também estava preocupada e eu apenas não atendia. Eu estava tentando achar um emprego mas era difícil aqui em Boston, meu pai disse que não era pra eu me preocupar então eu só ajudava minha madrasta e minha irmã com as tarefas.

[No andar de cima] 

narrador em 3° pessoa

O pai de (seu nome) estava em seu escritório com aquele papel na mão se perguntando se ligava ou não já que ele estava passando por cima da palavra da sua filha então, ele respirou fundo, tomou coragem e discou o numero com ddd de los angeles. Não demorou muito e logo atenderam.

- Alô? – a pessoa do outro lado da linha pergunta

- Alô, é o Niall?

- Sim ele mesmo, quem fala?

- Aqui é o pai da (seu nome) – ele diz

- (seu nome)? Meu Deus o que aconteceu? Ela esta ai? Me diga o que aconteceu com a minha menina – o pai da (seu nome) dá um risinho

- Calma garoto, ela está bem, quer dizer, só se você vim a Boston para conversar com ela, ela tem um assunto muito sério para falar com você.

- O que é?

- É melhor ela te falar, não quero estragar isso.

- Tudo bem, me manda o endereço que estou a caminho – Niall diz e o pai da menina desliga o telefone convicto de que fez a coisa certa.

Narrador em 3°pessoa off

No dia seguinte acordo, tomo meu café e fico um pouco no jardim lendo meu livro preferido, logo sinto uma ânsia de vomito e saio correndo pro banheiro vomitando tudo o que eu comi no café da manhã. Escovo meus dentes e escuto a campainha, abro e meu coração dispara, minhas pernas ficam bambas e eu não tenho reação nenhuma.

- (seu nome), graças a Deus. Porque fugiu de mim? – ele entra e me abraça e eu não consigo retribuir.

- Niall, o que faz aqui? Como sabe que estou aqui? – pergunto

- Seu pai me ligou, mas não fica brava com ele, ele só quer seu bem e estava preocupado – ele sorri e me abraça de novo, puxo ele pro sofá e sento – agora pode me dizer o que aconteceu

- Eu não sei se devo – abaixo a cabeça

- Eu não sai de Los Angeles em vão (seu nome)

- Tudo bem! Eu estou grávida, pronto falei – ele sorrio e fica boquiaberto

- Sério? Eu estou tão feliz meu amor – ele me abraça de novo e beija meu pescoço – Mas porque você escondeu isso de mim?

- Minha mãe na verdade, se ela souber ela vai me matar e matar você – digo

- Sua mãe vai ter que entender (seu nome), a gente se ama e ela não pode fazer nada com você – ele diz

- Eu estou com medo Niall

- Meu amor, eu estou com você e seu pai também que te apoiou todo esse tempo

- Ela vai nos obrigar a casar, e não sei se você vai querer – digo

- Ah, falando nisso – ele mexe no bolso da sua jaqueta e tira uma caixinha de veludo e se ajoelha a minha frente – Você quer se casar comigo?

- Sim meu amor, sim – sorrio e ele me pega no colo

- Agora vamos para Los Angeles e dizer tudo para sua mãe.

- Eu vou, só que não quero deixar meu pai – digo – ele me acolheu esse tempo e fazia muito tempo que não o via

- A gente vai voltar (seu nome), a gente vem visitar eles de vez em quando – sorrio

- Tudo bem, vou só arrumar minhas coisas.

Arrumei minhas malas, arrumei o quarto que fiquei e me despedi do meu pai, agradeci a ele por ter falado com Niall e que estava noiva, ele ficou muito feliz e disse que eu merecia ser feliz.

Chegando em Los Angeles fui para minha casa com Niall, e estava me preparando pra falar tudo pra ela. Quando cheguei e ela me viu, ela veio me abraçar e dizer que estava muito preocupada comigo e perguntou quem era o menino do meu lado, já que namorávamos escondido, expliquei tudo a ela e ela entendeu, eu só não disse da gravidez, eu não tive coragem ainda e decidi contar na festa de noivado que minha mãe insistiu em querer fazer.

Chegando no dia do noivado eu estava apreensiva, mas muito feliz, quando cheguei a festa vi meu pai e fui direto abraça-lo, mas logo chegou a hora do discurso e de eu dar meu anuncio. Subi ao palco segurando a barra do vestido e peguei o microfone.

- Bom, primeiro quero agradecer a todos por terem vindo nesse dia tão especial que é pra mim e pra Niall, e que estou muito feliz de ver minha família e a família do meu noivo aqui – respirei fundo – Bom, agora tenho um anuncio para todos….. Mãe, Pai, Maura e Bob, vocês vão ser vovôs e vovós – disse e logo vi Maura e Bob alegres e meu pai que já sabia piscando pra mim e sorrindo e minha mãe, claro, séria sem sorrir, ela saiu do seu lugar e veio andando até mim.

- (seu nome) – ela respira fundo – Parabéns meu amor – ela sobe e me abraça e depois abraça Niall

- Você não está brava?

- Claro que não, estou feliz que vou ser vovó e parabéns Niall e cuida da minha filha e do meu neto viu – ela diz abraçando meu noivo.

- Pode deixar que vou cuidar da minha menina e do meu menino – ele diz me abraçando por trás e logo veio todo mundo me dar parabéns e para Niall também.

A noite foi longa e foi maravilhosa, como fizemos nosso noivado em um sitio nossas familias estavam todas lá, quando todo mundo foi dormir eu fui para fora, me sentei na piscina e coloquei meus pés na água aquecida, logo sinto Niall sentando do meu lado e ele me abraça

- Eu estou muito feliz sabia? – ele diz

- Eu também meu amor, eu também – digo e lhe dou um selinho demorado.

- Obrigado por tudo (seu nome), por ser essa pessoa maravilhosa, pode deixar que vou cuidar muito bem de vocês – ele alisa minha barriga.

- Eu te amo – sorrio e encosto nossos lábios.

- Eu também – ele me abraça forte e ficamos ali até sentimos sono.

LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

VOLTE NA ASK PARA DIZER O QUE ACHOU POR FAVOR!

Oi solidão queria te pedir um favor, poderia ir embora? Poderia trazer ele de volta? É eu sei que ele não quer, mas diga a ele que eu não parti, e que estou aqui e se um dia, um dias desses qualquer, ele me ver por ai, me diga um oi, e que ele tem razão o amor é um dano.
—  Florejus
E se ela perguntar se me viu por ai diga que me viu sorrindo no barzinho, diz que agora estou tirando o final de semana pra me dedicar mais a rodinha de amigos, diga que me viu na balada esses dias, diz que comecei a trabalhar e que tudo anda bem corrido, diga também que eu encontrei a paz e que estou vivendo a vida que eu tanto pedi pra Deus, Cara diga até que me viu com outra pessoa.
Só não conta a verdade.
—  Eryck
Surpresas do destino

Capítulo 115  :

 E encarando Lua ele voltou a dizer. – Nos vemos por ai… Diga a sua amiga que adoraria a conhecer melhor! Quem sabe uma outra hora!

– Vamos fazer melhor! Que tal você me dar seu telefone e eu sirvo de cúpida para vocês dois!

Ele encarou Lua sem entender o sorriso dela, ela parecia estar debochando. Mas ela era assim, e não era maldade, ela tinha o humor um tanto sátiro!

E piscando os olhos e meio que gaguejando ele concordou e começou a procurar no bolso a carteira e tirou de lá um cartão e entregou a Lua.

– Aqui esta! Vou aguardar os serviços da cúpida! – Ele brincou e beijou a bochecha de Lua e saiu sorrindo.

Lua se virou e encheu sua taça com o que restava da quarta garrafa de champanhe e bebeu de uma só vez, e voltando sua atenção a Laura ela a segurou pelo braço.

– Vamos amiga, está na sua hora!

– Mas Luinha… Eu estava dançando, e aqui está tão bom! – Laura estava bem alegrinha.

– Amanhã temos muito trabalho! E te aturar de ressaca não vai ser nada agradável! Vamos embora amiga! – Lua disse levando a amiga pela mão.

– Ai Luinha… Você me chamou de amiga de novo! E está cuidando de mim… eu sabia que você me amava muiiiiiito! – Laura já falava com uma voz arrastada.

Logo o manobrista trouxe o carro de Lua e ela pôs sua amiga a segurando pelo braço no banco do carona e deu a volta, entrando no carro e assumindo o volante ela deu partida.

A noite havia chegado ao fim. Ela havia conseguido uma paquera para Laura, e se divertido por algumas horas. Mas seu coração ainda estava vazio.

~~–~~~~

Na manhã seguinte.

– Bom Dia Arthur! – Shanti disse sorrindo ao entra na cozinha e vê-lo sentado a mesa do café lendo o jornal.

– Bom Dia Shanti! E está atrasada! – Ele respondeu ainda com o jornal sobre a sua frente, mas parecia calmo.

– Já estou pronta, só um café rápido e já vamos! – Shanti disse já enchendo uma xícara com o café fresco de sua mãe e mordendo um pedaço de bolo de milho.

– Ok! – Ele respondeu simplesmente.

Shanti estava indo se sentar a mesa, quando ficou no meio do caminho paralisada, em choque.

Arthur parecia calmo, mas de repente ao virar a página do jornal, algo naquela folha fez seu semblante calmo se transformar em fúria. E Voltando a postura ereta ele passava seus olhos com rapidez pela folha como se para ter certeza do que estava lendo. Até que com um salto rápido ele levantou-se da cadeira derrubando a pequena mesa redonda com toda a louça ao chão.

– Inferno! Ela me paga! – Ele gritou e pegando seu chapéu ele saiu da cozinha pela porta dupla que dava para a horta e sumiu… Shanti ficou ali, olhando toda a louça quebrada no chão, misturada a toda a comida posta na mesa para o café.

– O que aconteceu aqui? – Sua mãe perguntou entrando na cozinha no minuto seguinte.

– Um furacão! - Shanti respondeu em voz baixa e baixou para pegar o jornal que estava no chão, sujo de café. E também pirou ao ler a matéria.

*Notas da Matéria do jornal;

A poderosa da Moda Lua Blanco, parece não se importar com os rumores do término de seu relacionamento com o fazendeiro de Jersey. Mesmo o fim do namoro não ter sido comentado por ambos, ela é vista frequentemente na noite Nova Iorquina.

O gato desta vez foi o ator de That’s over, o jovem ator de 24 anos, Mike Ford.

*Actor Chris Hemswhort – personagem Mike Ford

*That’s over- Minissérie Factice

– Ele perdeu totalmente o juízo! – Shanti ouvia sua mãe, Zara, resmungar enquanto já ia pro seu quarto ligar para Laura.

Amor me trará até você

Bota pra fora,
O que esta te corroendo ai dentro,
Diga o que você quer,
Não fique com isso entalado na garganta,
Se não você se sufoca
E irá se engasgar pelo que você deixou de dizer
Me diz o que tu sente
Eu sinto você
Sinto você me tocar
Me diga que sente o mesmo
Me diga se isso é recíproco
Se abra comigo,
Me mande mensagens,
Me mande seus grandes textos,
Eu quero te ajudar,
Mesmo de longe eu quero te salvar
O amor irá destruir essas barreiras
E me trará até você.

-Guilherme.A

Anche se stai male rimani tranquillo, e questo è il senso di una vita ben spesa: qualcuno che ti ama anche quando stai male. Qualcuno che sopporta il tuo odore. Solo chi ama il tuo odore ti ama davvero. Ti dà forza, ti dà serenità. E mi sembra un bel modo di mettere una diga ai dolori che capitano nella vita.
—  Alessandro D'Avenia, Bianca come il latte, rossa come il sangue.