dia no parque

  • Universos infinitos: Mundos que van a estallar si mi vida es la apuesta. Y yo ya no puedo hacer más si este más siempre resta
  • La niña imantada: Los días sin ti serían precipicios. No hay manera humana de escapar.
  • Noches reversibles: ¿No ves que si hemos perdido hemos ganado historias que contar? Más que algunos tienen.
  • Los colores de una sombra: Te he dedicado líneas sin sentido, líneas que sin puntos son abismos, te podrías asomar.
  • Un día en el parque: Si de todos mis delirios y mis cuentos sólo el tuyo ha mejorado el argumento.
  • Villancico para mi cuñado Fernando: Porque te acabas de buscar la ruina y me da igual que sea Navidad, con hilo dental pienso hacerte la circuncisión.
  • Shiwa:  Mira como bailan, sandalia aquí, sandalia allá, soy un hombre nuevo, un renacido, un gran Jedai. Me siento tan ah, ah, ah, es como un gran ah, ah, ah.
  • Me amo: Hoy voy a decirlo: ¡cómo me amo! Y tú ya no puedes hacerme daño. Soy un ser divino, ven a adorarme. ¡Qué buena suerte amarme tanto!
  • Historia de una hache que no quería ser muda: Recuerdo que te dije: soy un caso extraño, tan fácil y tan simple y no sé expresarlo.
  • La parábola del tonto: He tirado bolsas llenas de ansiedad y aquellos defectos que uno guarda por guardar. Ya no sé quien soy, tan sólo sé que hay más luz de lo habitual.
  • Dios por dios es cuatro: Nos encantan las mentiras si están dichas de verdad.


Mis partes favoritas de cuentos chinos para niños del Japón de Love Of Lesbian. 

eu não te conheço

eu conheço o seu rosto e a sua gargalhada do fim de uma sexta feira. conheço a sua cara marrenta que usa no trabalho e também o ódio e o amor que grita nas suas redes

mas,

eu não te conheço como você não me conhece

e não sabe sobre a vez que quebrei o braço correndo atrás do carrinho de sorvete

e nem sobre o fato de que eu já tive uma coruja de estimação

você não tocou nem um décimo da minha pele e não sabe um por cento da minha história

eu não sei quem você é

eu sei das sardas no seu rosto e das curvas do seu cabelo mas desconheço a forma como os seus neurônios se conectam e como sua sinapse costuma funcionar

como você pensa

eu quero saber sobre você com a ciência de que nunca saberei

eu quero saber sobre como o sol toca sua pele pela manhã ao entrar pela janela

quero saber se você pega o leite e o toddy antes de decidir o que tomar no café ou se serve o leite e depois se decepciona com a falta de toddy

eu quero saber se prefere café forte ou fraco

com doce

sem doce

quero saber sobre aquele dia no parque em que você correu tanto que quase desmaiou

quero saber sobre como um dia seu peito doeu como o inferno e quero segurar a sua mão durante essa lembrança forte

tem essa música e a willow diz sobre querer conhecer o outro como conhece a si mesma, e como isso seria confuso como o inferno

eu quero me confundir com você

Ostra.

10

DÍA DE MUERTOS

Historia 

El Día de Muertos es una celebración mexicana que honra a los ancestros durante el 2 de noviembre, coincidiendo con la celebración católica del Día de los Fieles Difuntos. Aunque se ve primariamente como una festividad mexicana, también se celebra en muchas comunidades de los Estados Unidos donde existe una gran población México-americana, y en una menor medida también se celebra en algunas partes de Latinoamérica.

Los orígenes de la celebración del Día de Muertos en México, pueden ser trazados hasta la epoca de los indígenas de Mesoamérica, tales como los Aztecas, Mayas, Purepechas, Nahuas y Totonacas. Los rituales que celebran las vidas de los ancestros se realizaron por estas civilizaciones por lo menos durante los últimos 3,000 años. En la era prehispánica era común la práctica de conservar los cráneos como trofeos y mostrarlos durante los rituales que simbolizaban la muerte y el renacimiento.

El festival que se convirtió en el Día de Muertos cayó en el noveno el mes del calendario solar azteca, cerca del inicio de agosto, y era celebrado durante un mes completo. Las festividades eran presididas por el dios Mictecacihuatl, conocido como la “Dama de la muerte” (actualmente corresponde con “la Catrina”). Las festividades eran dedicadas a la celebración de los niños y las vidas de parientes fallecidos Cuando los conquistadores españoles llegaron a América en el siglo XV, ellos estuvieron aterrados por las practicas paganas de los indígenas, y en un intento de convertir a los nativos americanos al catolicismo movieron el festival hacia fechas en el inicio de noviembre para que coincidiesen con las festividades católicas del Día de todos los Santos y Todas las Almas.

Existen versiones que señalan que esta fecha fue establecida como una respuesta ante la celebración pagana del 31 de octubre. Pero estas versiones no resultan muy sólidas por cuanto la celebración del “Halloween” o “día de las brujas” es una festividad proveniente de los Estados Unidos de América.

En España, dentro de la tradición católica se realiza una visita donde yacen los seres queridos. En Cataluña se celebra la denominada castanyada en la que se comen boniatos, castañas y panellets.

En México se hacen ofrendas para agasajar a los fallecidos y celebrar esos dos días, que se quitan el día 2 por la noche, pudiéndose consumir en ese momento.



  • 31-Octubre     1 y 2-Noviembre    2017
As minhas mãos são inúteis quando não estão te tocando, e sei que não deveria dizer isso, mas me sentiria melhor se não as tivesse. Me assemelho com um dia sem sol ou um parque sem balanço, que coexiste com o fracasso. Quando toco algo, sinto que estou covardemente te traindo. E isso machucou o pouco de vida que tinha. Que tenho. Que terei. Amor, fui feita para explorar cada centímetro da sua casa, por favor, não ouse se mudar. Saiba que minhas mãos são inúteis quando não estou te tocando.
—  Victoria Aguiar e Nathalia Cardoso.
Reaction: A Revanche

  Opa opa, cheguei!
  Então pessoinhas, esse foi um dos meus pedidos favoritos, pois enquanto escrevia o reaction “Sendo Sexy Com Você” eu já imaginava um pouco se fosse o oposto, e cá estamos nós ashuashua.
  Caso queiram ver o reaction que antecede esse, é só clicar no link ali no topo. ^-^
  Uma boa leitura by
Miss Writer

  • Kim Namjoon

  Hoje especialmente era o aniversário de namjoon, e como sempre, depois de comemorarem “formalmente” com bolinhos e velas, foi a hora dos rapazes entrarem em ação, arrastando namjoon para uma festa de verdade, especialmente, numa boate. Afinal, vocês estavam a quilômetros de distância de casa, era tarde, e ocasionalmente ninguém teria nenhum compromisso pela manhã, aquela idéia era perfeita.
  Tinha luzes brilhantes para todos os lados, o som era alto e estridente, o balcão de bebidas parecia vibrar junto com os corpos que dançavam pela pista, não era o seu tipo de clima favorito, mas no fundo sabia que comemorações merecia exeçoes.
  — Jagi, isso é incrível, eu estou tão feliz! — Lhe dava diversos beijos enquanto sorria alegremente.
  — Aproveita que é só hoje. — Sorriu de volta. — Mas hey, hoje é seu aniversário, ao menos vai dançar uma música comigo, não é?. — Se virou para ele ao se lembrar desse fato.
  — Amor, você sabe que eu não danço fora do trabalho. — Disse num tom brincalhão.
  — Por favor Joonie. — Fazia manha enquanto agarrava em seu braço.
  — Nada me tira daqui. — A encarou crusando os braços e você o soltou automaticamente.
  — Então é assim kim namjoon? — Sussurrou se afastando do mesmo. — Você que pediu.
  Deixou seu copo sobre a mesa fazendo um barulho relativamente alto, seguindo em direção ao Dj.
  — Ponha essa pra mim por favor. — Passou o nome da música e se retirou apenas aguardando.
  Em seu corpo havia um vestido médio, vermelho, acompanhado de belos sapatos pretos com alguns brilhos na parte de trás, sua maquiagen era leve e seu cabelo era preso de forma singela também, era como se você tivesse transformado um visual chamativo em algo mais encorpado, digamos assim.
  Aos poucos você foi caminhando em direção a pista apenas aguardando aquela batida que tão bem conhecia, se iniciar. Em questão de minutos seu corpo se balançava de um lado para o outro, enquanto seus pequenos prendedores de cabelo caiam pelo chão, transformando suavemente o seu visual, indo para algo mais sexy.
  Rebolar e descer até o chão não faziam parte de seus costumes, mas algumas vezes arriscava uns pequenos passos mais ousados, rezando estar chamando a atenção do homem certo.
  Quando por uns pequenos instantes seus olhos se abriram, pode ver namjoon olhando diretamente para você, mesmo com aquela multidão ainda em sua frente. “Ótimo trabalho”, pensava.
  Derrepente uma mão toca em sua cintura e se vira rapidamente checando se realmente era quem esperava, e sim, era.
  — O que pensa que está fazendo? — Sussurrou contra seu ouvido.
  — Estou dançando sozinha, já que alguém me jurou que não sairia do lugar — Usou um tom de deboche enquanto ele passava a língua por seus lábios.
  — Fez isso comigo só por diversão (S/n)? — Sorria desacreditado.
  — Talvez, mas não ligue pra mim, continue lá me vendo dançar — Você ameaçou se afastar mas ele rapidamente a puxou de volta.
  — Eu não quero te ver dançar, quero dançar contigo. — Beijou seu pescoço.
  — Tarde demais — Se virou de frente para ele, mordendo seu lábio e o puxando, estava aí a sua deixa.
  — Te vejo no Hotel nenêm. — Mandou um beijinho no ar se retirando, podia ver os olhos dele se incendiarem, mas não voltaria trás.

Originally posted by slapmon

  • Kim Seokjin

  Como uma maravilhosa tarde de sábado, você e  seokjin decidiram dar uma volta pelo shopping, para comprar algo ou apenas perder um tempo fora de casa, não importava ao certo, o bom é que ao menos faziam algo juntos.
  — Hey Jin. — Chamou sua atenção. — Preciso ir naquela loja ver um vestido, se quiser pode ir resolvendo outras coisas. — Disse o apertando através do intrelaço de seus braços.
  — Não jagi, eu vou com você. — Sorriu.
  — Jin, não precisa, é sério, tenho certeza de que não vai gostar de ficar sentado num banco vendo a sua namorada experimentar vários vestidos.
  — Porque eu não gostaria (S/n)? Eu adoraria te ajudar, vamos logo, vamos! — Lhe arrastou para dentro da loja.
  Seokjin sempre foi um homem disposto a lhe ajudar com tudo, mas as vezes você entendia que algumas coisas, não necessariamente precisavam dele, mas mesmo assim se via contente quando ele insistia em ajuda-lá.
  Rapidamente você pegou algumas peças indo até o provador, Jin ficou sentado em frente a um puf que daria uma boa visão quando te visse sair da cabine.
  — Hey. — O chamou mostrando o primeiro vestido.
  Era um azul marinho, bem rente ao corpo, acentuava suas curvas maravilhosamente bem, mas mesmo tudo estando perfeito, queria a opinião dele.
  — Eu adorei. — Que, só isso, só adorou?
  Ainda ficou um tempo o encarando esperando mas alguma resposta, mas não vinha nada.
  — Deve ser porque é o primeiro. — Sussurrou para si mesma entrando no provador.
  Mas não era esse o motivo, você experimentou vários vestidos depois e a opinião continuava a mesma, aquilo estava começando a lhe entrigar, “Será que ele realmente estava prestando atenção?”
  Então por um impulso você decidiu buscar outro vestido, diferente de todos os outros, era curto, justo e sexy.
  O vestiu rapidamente e se encarou no espelho, claro que não levaria aquela roupa, mas o que ia valer seria a prova de que ele realmente não estava prestando atenção.
  — Hey. — O chamou mais uma vez. — O que achou?
  — Lindo jagi. — Dizia sem a olhar.
  — Gostou mesmo? Então eu posso sair com ele para uma festa? —   Perguntou com os braços cruzados esperando ele se tocar.
— Claro.
  Não dava para acreditar, ele mal a olhava, então percebeu que aquele era o momento do passo dois.
  Andou calmamente na direção de seokjin parando bem em sua frente, o dando plena visão de suas coxas, enfim reparando em você por completo.
  — Que bom que gostou, vou compra-lo. — Sorriu debochada enquanto ele engolia seco.
  — O que? Não jagi, está louca! — Se levantou.
  — O que foi? — Dizia debochada enquanto ele a empurrava de volta para o provador.
  — Se cubra antes que te vejam. — Num rápido movimento você o puxou para dentro do provador consigo.
  — E se verem, qual o problema? — Sorriu.
  — Não faz isso comigo. — Suas mãos estavam em sua cintura e sua voz parecia bem mais profunda agora.
  — Não faça você — Removeu as mãos de seu corpo, a subindo até seus ombros. — Agora com licença, eu preciso terminar de escolher meu vestido.   — O empurrou suavemente para fora.

Originally posted by bwiseoks

  • Park jimin

  Aquele foi um longo dia de caminhada pelos parques de Seul, algumas vezes vocês precisavam se esconder das pessoas, mas no fundo achavam tudo bem divertido.
  Quando enfim chegaram em casa, ambos se jogaram no sofá e respiraram fundo.
  — Quem vai primeiro? — Perguntou se referindo a ducha.
  — Vai lá, enquanto isso eu vou guardando algumas coisas.
  Sendo assim, você foi tomar seu banho enquanto park jimin resolvia arrumar um pouco da bagunça.
  O banho estava calmo e relaxante, por vontade própria não sairia dali tão cedo, mas sabia que jimin provavelmente estaria cansado e doido para se deitar logo e dormir. Com esses pensamentos, rapidamente desligou o chuveiro se enrolando numa toalha, mas ao abrir a porta se deparou com o rapaz sentado aos pés da cama, fazendo algo no celular.
  — Aish! — Gritou se assustando. — Não sabia que estava aqui! — Disse.
  — Acabei de receber uma ligação do… — Parou para te encarar. — Jungkook… — Falou quase num sussurro.
  — O que tem ele? — Colocou uma de suas mãos na cintura.
  — Preciso ir na empresa… — Ainda dizia de forma baixa como se seus pensamentos estivessem em outro lugar.
  — Mas jimin, nós mal chegamos! — Cruzou os braços. — E PARE DE OLHAR PRA MIM ASSIM! — O despertou de seus devaneios.
  — Eu sinto muito jagi. — Ameaçou se levantar mas você se afastou.
  — Quer saber? Que ótimo que você vai sair, ao menos eu tenho a liberdade de fazer o que quiser. — Suas mãos desfizeram o nó da toalha a deixando cair no chão, quase junto ao queixo de jimin.
  Não se sabia exatamente o que você estava fazendo, mas era tarde demais para pensar nas consequências. Sendo assim, virou de costas retornando para o banheiro sentindo seu rosto se avermelhar, mas aquela não era hora para desistir.
  Quando foi se virar para trancar a porta, alguém mais estava contigo dentro daquele banheiro, retirando sua roupa rapidamente antes de a puxar para um beijo de perder o fôlego.
  Seus lábios foram em direção ao pescoço dele deixando algumas marcas visíveis, suas unhas passavam sem muita sutileza pelas costas daquele homem o ouvindo suspirar.
 — Agora todos vão saber o que você perdeu antes de sair de casa. — Sussurrou próximo ao ouvido dele, abrindo a porta para se retirar.

Originally posted by kpopidolaegyooo

  • Kim taehyung

  Ambos estavam deitados sobre a cama assistindo algo banal na televisão. As luzes já não estavam mais acesas e suas pernas se encontravam entrelaçadas debaixo do edredom, com certeza aquele era um dos melhores momentos que os dois poderiam ter juntos.
  Já fazia tempos que não se viam, por conta das viagens de tae era difícil estarem juntos com frequência, e as vezes a saudade era extremamente grande, mas você sempre se continha, já que depois de uma longa viagem ele merecesse um descanso.
  — Porque está tão quietinha hoje? — Perguntou passando a mão por seu rosto.
  — Nada, só pensando.
  O silêncio voltou a se instalar naquele cômodo, e o mínimo que podia ser ouvido era os suspiros pesados de taehyung.
  — Está com sono? — Te perguntou derrepente.
  — Não, porque?
  As mãos ágeis de kim taehyung foram até seu corpo o segurando de forma firme, ah, aquilo te aqueceu imediatamente, e só conseguia pensar em como parecia uma adolescente carente nessa situação.
  — Senti sua falta. — A beijou suavemente, se permitindo aprofundar aquele toque aos poucos.
  Você queria aquilo na mesma intensidade ou talvez até mais do que ele, sentiu falta de seu corpo todas as noites e por mais que quisesse ser dominada naquele momento, seus desejos ultrapassavam os dele, a permitindo tomar um impulso para algo diferente.
  Seu corpo rapidamente ficou por cima do dele se movendo vagarosamente, você sabia que aquilo era torturante, mas muito mais tinha sido para ti por todo esse tempo longe, aquele contato, realmente precisava daquele contato.
  E por mais que ele quisesse a tocar e comandar seus movimentos, você o repreendia voltando a estar no controle, era uma sensação boa.
  — Quer dizer que eu sou seu escravo hoje? — Sussurrou contra sua orelha a mordendo de leve.
  Você parou o encarando nos olhos, suas mãos seguravam no belo rosto do rapaz, se permitindo tocar suavemente em seus lábios, a imagem dominada de kim taehyung Era divina.
  — Menino esperto. — Sorriu sussurrando contra seus lábios.

Originally posted by girlmeetsyoongismixtape

  • Jung Hoseok

  — Hobi, já é a vigésima vez que te ligam, você vai se atrasar! — Dizia enquanto seu namorado continuava a te dar selinhos.
  — Okay chatinha, já estou indo. — Lhe deu um último beijo indo em direção a porta.
  Hobi tinha que se encontrar com os rapazes para resolver umas coisas de trabalho e comeback, mas mesmo sabendo que estava atrasado, continuava ali, como se aquele pequeno tempo ao seu lado fosse mais importante.
  — Chatinha? Até parece que está falando com uma criancinha. — Cruzou os braços levemente emburrada.
  — Não estou falando com uma criancinha, tô falando com o meu bebê. — Mandou beijinhos enquanto você fazia cara de nojo.
  — Bebê hobi?, sério? — A cara de nojo ainda permanecia.
  — Mas é claro, já olhou pra você? Parece um bebê de tão fofa. — Fez barulhinhos estranhos enquanto a sua cara só piorava.
  — Ah tá, fofa. — Revirou os olhos.
  — Preciso ir jagi, ou então vão me matar, tchauzinho bebê — Fez um coração enquanto você o mandava o dedo do meio, qual é? Bebê? Não mesmo!
  Esperou uns 20 minutos até que tivesse certeza de que ele já havia chegado na empresa, sendo assim, buscou seu celular pronta para mostrar para ele quem era o bebê.
  (S/n): Hey nenem, já estou sentindo a sua falta.
  (S/n): Esse quarto parece tão vazio sem você.
  (S/n): Por um instante eu parei para pensar na noite passada, minha saudade por você só aumentou.
  (S/n): Eu realmente vou ter que fazer isso sozinha?
  Você gargalhava imaginando o que hobi pensaria ao ler essas mensagens, afinal, não era típico seu, então ou ele poderia ficar excitado ou confuso. Bastava apenas esperar.
  Hobi: O que está fazendo (S/n)?!
  Hobi: Como acha que eu posso me concentrar agora?
  Hobi: Eu mal posso entender o que eles dizem, só penso em ir pra casa.
  Hobi: Não ouse se tocar até que eu chegue baby
  (S/n): e se eu me tocar?
  Hobi: Vai pagar o resto da noite por isso.
  (S/n): Minhas mãos estão sobre as minhas coxas, não muito distantes do perigo.
  Hobi: (S/n)…
  (S/n): Meu toque é reconfortante, mas nada que se compara ao seu, oppa..
  E então foi como um silêncio total, não havia mais nenhuma mensagem sendo respondida, e mais uma vez você gargalhava se orgulhando do possível resultado, mas derrepente foi possível se ouvir um baque vindo da porta.
  — Hoseok…— Disse assustada.
  — Eu não quero mais brincar.. — Se aproximou de você com os olhos mais sedentos que já havia visto.
  — Quem é o bebê agora?
  — Eu sou o que quiser, só vamos para o quarto agora, seu Oppa vai te ensinar algumas coisinhas, e uma delas é não o provocar em uma reunião. — A pegou no colo caminhando firmemente em direção às escadas.

Originally posted by silenhciosa

  • Min Yoongi

  Especialmente hoje, era uma data importante na família min, mais um ano de vida era comemorado pela mãe de yoongi, e como ele estava de folga, achou justo ir até lá visita-lá, te levando, claro.
  A família de yoongi sempre gostou de você, te achava uma menina tranquila de personalidade pacífica, e isso te fazia cada vez mais bem vista perante eles, mas no fundo, apenas yoongi que te conhecia bem sabia que aquilo era meramente superficial, existiam vários momentos em que você se mostrava pouco fofa e amigável, ele dificilmente admitia, mas adorava isso em você.
  — Estou bem? — Girou em sua frente esperando ele falar algo do vestido.
  — É um aniversário, não a coroação da rainha (S/n) — Dizia colocando as mãos nos bolsos.
  — Nossa yoongi, obrigada. — Seu rosto se fechou e seus pés faziam caminho de volta para o quarto quando ele a segurou pelo pulso.
  — Não seja boba, está linda.
  — Qual a sua dificuldade em ser um pouquinho mais amável? — Questionou.
  — (S/n), eu sou assim, você sabe, eu não costumo me render fácil.
  — Voce acha? — Perguntou erguendo uma das sobrancelhas.
  — Com toda certeza — A deu um beijo rápido. — Agora vamos antes que minha mãe me mate. — A puxou pelo pulso indo em direção ao carro.
  Demorou algumas horas até vocês chegarem naquela casinha bem arrumada e aparentemente cheia de vida.
  — (S/n), querida, que saudades! — A mãe de yoongi a abraçou apertado. — Achei que ele não fosse te trazer nunca mais.
  — Ele é cabeça dura Sra. Min — Riu.
  — Venha cá filho, pare de fugir de mim. — Ela o abraçou e ele fingiu não gostar.
  — Nunca fugiria da senhora. — A abraçou apertado, aquela era uma das melhores cenas que havia visto.
  Com o passar do tempo ambos já estavam sentados a mesa conversando descontraídamente.
  “Eu não costumo me render fácil…”, aquela frase martelava em sua cabeça, então quer dizer que min yoongi não costuma se render, uh? Veremos.
  Enquanto ele parecia empolgado num assunto com um de seus primos, sua mão pousou vagarosamente em sua coxa, e como reflexo ele a olhou, mas você permanecia conversando com uma das moças na mesa como se nada estivesse acontecendo. Então ele prosseguiu em seu assunto achando que não era nada demais, porém sua mão  caminhava sutilmente em direção ao fecho de sua calça, até ele a segurar.
  — O que está fazendo? — Sussurrou.
  — É melhor você soltar a minha mão antes que eu faça um escândalo. —   Disse por fim dando um risinho antes de se voltar novamente a uma das mulheres.
  Seu pulso foi solto e você esperou alguns instantes antes de retornar à o que fazia, seus dedos ágeis desceram o zíper da calça de yoongi, massageando sua área sensível.
  Você não podia ver seu rosto mas imaginava o quanto ele se continha no instante.
  — Hey yoongi, quer que eu ligue o ventilador? — Ouviu um dos primos dele falar. — Voce está suando cara.
  — Deve ser a jaqueta. — A voz de yoongi estava mais grave e profunda. — Mãe, posso mostrar a casa para (S/n)? — Disse suavemente apressado tentando arrumar suas calças discretamente.
  — Claro filho.
  Num impulso ele a puxou escadas a cima, então quando já não podiam mais ser vistos ele a empurrou contra a parede pressionando seu corpo contra o dele, a fazendo sentir o que havia causado.
  — O que deu em você? — Perguntou próximo ao seu ouvido, fazendo uma trilha de beijos por seu pescoço.
  — Estava só provando para você que quando eu quero, eu te faço se render. — Seu sorrisinho vencedor ainda estava ali.
  — Te digo o mesmo…

Originally posted by bwiseoks

  • Jeon Jungkook

  — Isso não vale jeon! — Dizia mais uma vez depois dele ganhar mais uma partida.
  — É, as vezes a vida é injusta. — Debochava.
  — Você tem prática nisso, já conhece esse jogo a séculos, oras. — Bufava.
  — Não é uma questão de prática, mas sim de atenção. — Não tirava os olhos por um segundo da tv.
  Idéias borbulharam em sua mente como um champanhe quente sendo aberto.
  — Então você precisa prestar atenção, certo? — Se levantava sutilmente do sofá.
  — Uhum
  — Seus olhos precisam estar vidrados na TV,  certo? — Seu corpo parou bem ao lado da tv, mas mesmo assim ele não mudava a direção de seu olhar.
  — Uhum
  — Então não se importaria se eu tirasse a minha blusa assim. — Suas mãos pegaram na barra de sua camisa a puxando para cima ficando apenas de sutiã, e logo percebeu jungkook entrar em conflito interno.
  — (S/n)..
  — Eu só estou com um pouco de calor, uh? — Foi a vez de seu short deslizar por suas pernas, novamente jungkook se via apreensivo, hesitando em olhar.
  Você estava começando a ficar frustrada, então realmente um jogo era mais importante que você?
  — Jungkook… — Começou a Chama-lo manhosa.
  Então ele pausou o jogo e a observou por um tempo.
  — Voce prefere o jogo então? — Brincou com o elástico de sua calcinha.
  Ele continuava sem se mover apenas a olhando fixo, suas mãos fingiram escorregar para dentro de sua calcinha, mas num impulso, jungkook levantou segurando seus pulsos contra a parede, a pressonando, aquele era o resultado que você desejava.
  — Qual o seu problema sobre perder? — Respirava pesadamente.
  — Eu nunca perco.  


Originally posted by theking-or-thekid

… y sigo amando.

Esta es la historia de la persona a la cual mas ame… y sigo amando.

Lo conoci cuando tenia 15 años, simplemente llego a mi casa, desde la primera vez que lo vi me intereso, no se, llamo mi atencion, pero intente no encariñarme con el.

Pasaron dos años, en los que fuimos solo conocidos, hasta nos odiabamos, cada vez que nos veiamos peleabamos, todos nos decian que ibamos a terminar juntos, algo totalmente imposible.Lo consideraba un idiota total.

Hasta que un dia, yo queria ir al cine y no tenia con quien, asi que simplemente lo invite. Ese dia conversamos sobre todo, politica, historia, cultura, el, !que era un idiota!.

Despues que vimos la pelicula, me llevo cargada en su espalda hasta mi casa, casi me muero cuando me bajo y vi su cara llena de sudor, tenia los ojos mas hermosos que he visto en mi vida… eso y luego se levanto la camisa, ese fue el momento en el que mori.

No volvi a ser la misma; hablaba todos los dias con el, no me cansaba, fui enamorandome mas y mas con forme lo iba descubriendo.

Pero luego todo se fue a la mierda; tenia novia. Me senti tan mal, tan avergonzada,hize todo lo posible para alejarme de el, me escabulli lentamente, pero el siempre me descubria y me atraia hacia si…

Un dia fui a su casa, con el fin de simplemente matar mi amor y luego el comenzo a hablar sobre ella, me queria morir, tome mis cosas y casi salgo corriendo, pero el lo evito de una manera muy… no me lo esperaba, pero me beso… asi fue como todo se jodio.

Una semana despues volvi a su casa, nos revolcamos en su cama (No tuvimos relaciones, solo un revolcon), sus besos eran una cosa del otro mundo, me sentia como una perra, su novia… eso estaba mal, nunca tuve el valor de decirselo, no queria dejar de besarlo, no queria dejar de sentir que el era mio y el tampoco me dejaria marcharme, por por cosas de la vida tuve que salir del pais, me tomo mas tiempo del que pensaba y volvi a casa 6 meses despues, demacrada, desnutrida, con mucho sueño y media loca, mi vida se habia vuelto un desastre, me sentia mas una refugiada siria.

En esos meses, discutimos muchisimo, nos dejamos de hablar y volviamos a pelear, asi era todas las semanas, asi que simplemente dejamos de hablar con tal de no discutir hasta que yo llegara, estaba bajo mucho estres, me habia propuesto terminar la relacion, no dormia en las noches por miedo a soñarme con su novia…

Cuando volvi, no pude decirle que no a esos ojos, estuvimos juntos unas 3 veces y las cosas subieron mucho de nivel, un dia el quiso forzarme a hacer algo que yo no queria, no habia visto ese lado de el… me senti tan… mal, me tiro la ropa y me hecho de su casa, cuando llegue a casa tome un puñado de pastillas y me corte las venas, pero no mori, hubiera preferido morir, pase dos semanas enteras llorando, no podia parar, me sentia tan avergonzada.

Pasaron los meses y yo intente seguir adelante, lo vi una vez desde lejos en un centro comercial, lo cual me dio un ataque de panico, pero con los dias me recupere, el no vio, conoci a alguien con quien estaba tratando de llevar una relacion, le pedi que fueramos lento por todo lo que habia pasado, me sentia… estable.

Hasta que un dia fui a un parque y lo vi llegar, en su skate, con su manada de amigos en skate tambien, lo unico que dije fue mierda mierda mierda mierda. Cuando guardaba mis cosas para irme el se sento a mi lado, comenzo a hablar conmigo y pedirme perdon, me dijo que no habia conocido a nadie como yo, que no queria arruinar lo que teniamos, que fue un idiota, que iba todos los dias por mi instituto a ver si me veia y demas, que nadie lo entendia como yo lo hacia, yo no quise creerle, pero me dolia todo lo que me decia, le dije que pensaria lo de su perdon y cuando me iba me sostuvo y me dijo que no me fuera, me obligo a poner una fecha de encuentro.

Nos encontramos dos dias despues en el mismo parque, seguimos hablando y yo no sentia tener opcion, “lo perdone”, lo digo asi porque, volvi a aceptarlo, pero mi mente simplemente no podia borrar ese momento en su casa.

Hize que dejara de fumar (cosa que comenzo a hacer desde la ultima vez que nos vimos), me dijo que habia terminado con su novia… wao

El dia de navidad le envie un mensaje, que abrio un puente de mensajes entre nosotros, uno de esos dias me confeso que queria hacerme feliz y de que queria volver a nuestras revolcadas, no mentire yo tambien lo queria, pero le dije que estaba saliendo con alguien y que simplemente no podia.

Vino a mi casa para el 31, se comporto como nunca lo habia hecho e intento besarme, yo me aleje de el, aunque estaba loca por besarlo, me abrazo fuerte cuando se fue y me dijo que fuera a su casa en dos dias, que estaria esperandome. Sabia que no debia ir, pero aun asi lo hize.

Nos besamos mucho y nos acariciamos mucho… me senti mal, el muchacho con el que estaba, se habia dado cuenta de que estaba perdiendo el interes y en un par de dias termino lo nuestro, llore por un par de dias, la verdad si me sentia mal, no queria hacerle eso.

Nos volvimos a ver un mes despues, no teniamos tanto tiempo por mi universidad y su trabajo, nos acariciamos mucho, fuimos mas cariñosos que muchas otras veces, quizas porque nos sentiamos libres. Pasaron los dias y seguiamos bien, yo intentaba que nos volvieramos a ver pero el siempre estaba ocupado, un dia comenze a acumular esperanza, si eramos libres quizas podriamos estar juntos, yo habia sanado y el tambien, asi que un dia solo decidi proponerle que estuvieramos juntos, pero me dijo que estaba saliendo con otra persona… mande todo a la mierda, decidi de hablar con el y si lo hacia lo trataria cortante, me volvi loca, de nuevo… era demasiado para mi pobre alma, casualmente me encontre hoy con el y fue muy incomodo. Esta es mi historia hasta ahora, perdon si fue un poco larga.

#CuentameTusHistorias.

Pedido: Faz um do Payno q ele é um empresário de sucesso e eles se conhecem desde criança, namoraram, casaram. Tiveram filhos, construíram uma vida juntos mas ele se sente infeliz e pede um tempo pra ela pra poder se divertir, nisso ele começa a sair cm outras, inclusive a secretária dele, a ir em boates e aproveitar muito mas ele n sabia q a (S/n) tava gravida de novo, ela foi embora cm os filhos e depois de um tempo se divertindo ele vai atrás dela q nem um louco e depois de muito tentar a reconquista - Anônimo

Eu fiz algumas modificações enquanto eu escrevia -e eu nem tinha notado isso- então me desculpe por não ter ficado exatamente igual o pedido.

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Liam Payne:

Pov’s Liam

05/06/2004

“S/n é a menina mais bonita da minha rua, com toda a certeza que não existe nenhuma outra igual à ela, pena que somos só amigos, mas isso ainda vai mudar, meu maior sonho é conseguir fazê-la se apaixonar por mim.

(…)

-Lee! Hoje minha mamãe disse que vai nos levar para tomar sorvete!
S/n se aproximou de mim pulando feliz. A garota de dez anos é um pouco mais baixa do que eu o que a faz ficar ainda mais fofa.

-Que bom! Quero te mostrar um lugar, mas preciso pedir pra sua mãe primeiro.
Falei vendo-a parar me olhando curiosa.

-Que lugar?
Perguntou franzindo as sobrancelhas inocentemente.

-Logo, logo você vai saber. Não posso estragar a surpresa.
Sorri e beijei sua testa, vendo-a corar.

(…)

Depois de tomar o sorvete, pedi para a S/m deixar que fôssemos até o parquinho, ela deixou mas disse que ficaria por perto para que não fôssemos sozinhos. Peguei na mão de S/n e caminhei com a mesma até a casinha que tinha no parquinho, a casinha está vazia pois é domingo e não costumam vir muitas crianças de domingo.

-Liam, como você é bobo! Nós já viemos aqui.
S/n falou risonha.

-Não é isso. Eu te chamei aqui por outro motivo.
Falei e ela franziu as sobrancelhas igual mais cedo.

-Pelo o que me chamou?
Perguntou. Respirei fundo antes de perguntar.

-Já beijou alguém?
Perguntei. É claro que eu sabia a resposta, ela é minha melhor amiga e vivemos literalmente o tempo todo juntos, mas ainda sim, quero que ela responda.

-N-não.
Respondeu corando. Sorri, seria agora.

-Então…Eu posso?

-Pode o que?

-Te beijar.

-Mas…Liam…somos amigos, amigos não fazem isso.
Falou baixo. Amigos realmente não fazem isso, mas se ela colaborasse não seríamos apenas amigos.

-Fazem sim!

-Quem disse?

-…Minha irmã!

-Sua irmã?

-Sim, eu vi ela beijando o melhor amigo dela semana passada.
S/n respirou fundo e mexeu os pés inquietamente.

Quando estava quase desistindo, escuto uma voz tímida.

-Tudo bem.
Ela falou fitando o chão.

-Se não quiser eu entendo, não quero te forçar.
Falei. Eu realmente queria aquilo, mas acima de tudo, preferia que ela me beijasse por ela mesma.

-Eu quero, só não tenho certeza se…consigo.

-Como assim?

-Nunca beijei ninguém, não quero que pense que sou idiota por não saber.

-Nunca irei pensar que é idiota por não saber beijar, estou feliz que vou ser seu primeiro.
Sorri e ela levantou seu olhar me encarando.

S/n se aproximou timidamente e eu entendi isso como um sim. Coloquei as mãos em sua cintura e beijei sua bochecha antes para lhe passar confiança, aproximei meu rosto do seu e ri de leve quando a mesma fechou os olhos, aproximei nossas bocas e colei nossos lábios em um selinho, um simples selinho, mas com muito significado.”


05/09/2010

“Meu primeiro beijo foi inesquecível, só é uma pena que S/n tenha arranjado um namorado, e este eventualmente não sou eu.

-Liam!
Escutei uma voz irreconhecível me chamar.

Me virei e vi a garota dos meus sonhos correndo em minha direção.

-Hey, não fala mais com sua amiga?
Parou na minha frente sorrindo.

-Não. Pensei que seu namorado poderia ficar com ciúmes.
Respondi indiferente e a vi franzir o cenho, como sempre fazia.

-Namorado?
Perguntou confusa.

-Desculpe, Henry não é seu namorado?
Perguntei vendo-a abrir um sorriso.

-Não! Liam…Henry é gay, ele pediu para que eu fingisse ser namorada dele por causa do pai dele.
Respondeu. Isso foi inesperado, e um tanto triste por Henry mas, S/n não está namorando?

-Então…não preciso me preocupar com ciúmes do seu “namorado”.

-Claro que não. O único ciumento aqui é você!

-Eu?

-Sim. Você sempre foi o único que sentiu ciúmes de mim.

-Claro! Você vive rodeada de…Ok desculpe. Não vou ser tão ciumento.

-Não se preocupa, eu te entendo, também sinto ciúmes de você.

-Sente?

Ela assentiu.

-Por que? Somos só amigos.

-Exatamente por isso.
Um silêncio constrangedor se instalou entre nós.

-Lembra da casinha?
S/n falou de repente.

-Casinha?
A olhei confuso.

-Nosso…beijo.
Respondeu. Ah se lembro, nunca havia sequer esquecido desse dia.

-Eles vão tirar o parque de lá e construir um estacionamento.
Falou triste.

-Não podem fazer isso.

-Mas vão, deixaram um aviso que na semana que vem o parque não vai mais existir.
Falou cabisbaixa.

-Vamos lá.

-O que?

-Vamos no parque! Não quero que destruam antes de eu me despedir.
S/n sorriu e me acompanhou.

Chegando no parque encontramos o mesmo quase vazio, haviam apenas duas crianças no balanço.

-Vamos na casinha.
Falou apontando para a mesma.

Assim que chegamos, tivemos que nos abaixar para conseguir entrar na pequena casa.

-Tenho lembranças tão boas daqui.
Sorriu se sentando no chão.

-Que tal relembrarmos?

-Hm?

-Vamos nos de pedir da casa de um jeito que lembraremos dela para sempre.
Sugeri e ela corou.

-Tudo bem.
Sorri aproximando nossos rostos e logo colando nossos lábios. Me impressionou quando a mesma pressionou sua língua em meu lábio pedindo passagem mas eu logo cedi, sua língua inexperiente explorava minha boca em um doce beijo, muito melhor do que o primeiro.

-Aceita…er…quer ser minha namorada?
Perguntei nervoso assim que terminamos o beijo.

-Aceito!
Respondeu animada.

-Nunca irei esquecer.
Sorri e a beijei novamente.”


04/02/2014

“O grande dia havia chegado. Nunca, nem em um bilhão de anos eu achei que iria me casar com a mulher que eu sempre amei e sempre vou amar.

-Liam James Payne, você aceita S/n/c como sua legítima esposa?

-Aceito!

-S/n/c, você aceita Liam James Payne como seu legítimo esposo?

-Aceito!

-Então…Eu os declaro, marido e mulher.

-Pode beijar a noiva.
E assim, eu sussurrei um “eu te amo” antes de me aproximar e a beijar. Todos no lugar começaram a comemorar e fazer barulho, todos muito felizes.

(…)

Quando a festa estava rolando, chamei S/n na varanda do salão para observar a lua, S/n parecia inquieta mas pensei que fosse pelo casamento. Eu estava completamente enganado.

-Liam…esses dias eu estava um pouco confusa com algumas coisas que estavam acontecendo comigo até que…Eu fiz um…teste de gravidez.
Falou e eu a olhei com um misto de felicidade e descrença.

-E…eu estou grávida.
Falou. Um sorriso rasgava a minha cara.

-Eu…eu vou ser pai?!
Perguntei transbordando felicidade.

-Sim, vamos ter um filho!
Falou e pulou em meus braços me abraçando.”


06/04/2016

“Troye estava completando três anos, o garotinho de olhos castanhos é uma perfeita mistura de S/n e eu. Sua festa do Batman estava muito bem decorada e cheia de nossos parentes. O melhor que eu poderíamos querer.

-Eu gostaria de fazer uma revelação a todos!
S/n chamou a atenção dos convidados.

-Algumas semanas atrás eu descobri que está vindo mais um Payne!
S/n anunciou com alegria todos começaram a sorrir felizes e nos parabenizar.

-Parabéns Liam! Vai ser um ótimo pai.
Andy veio me parabenizar.

Mais um. Ainda estou em choque, mas feliz.”


Atualmente - 2017


Agora com meus dois filhos, Troye de quatro anos e Champ de um ano, vivo uma vida imensamente feliz e corrida. Desde 2015 trabalho em uma das maiores empresas de Londres, por isso, consigo dar do bom e do melhor para meus filhos e minha esposa.

-Liam! Pode me ajudar com a mochila de Champ?
S/n apareceu na cozinha com Champ nos braços e Troye agarrado em sua saia.

-Tudo bem. Hey filhão, porquê não deixa sua mãe e vai terminar de se arrumar para ir para escola?
Perguntei ao pequeno Troye que estava com um bico.

-Não quero ir para a escola, papai.
Troye choramingou. Peguei o mesmo no colo e fui andando até a sala para ir arrumando a mochila de Champ.

-O que aconteceu?
Perguntei a Troye que brincava com minha gravata.

-Ouvi você conversando com uma mulher ontem, meu amigo disse que quando o pai dele fazia isso era porque ele estava deixando a mãe dele. Eu não quero que você deixe a mamãe.
Falou.

-Troye…a mulher com quem o papai estava falando ontem era só a secretária da empresa, não precisa ficar assim, você tem que se preocupar com seus estudos.
Falei ao mesmo que assentiu.

-Tudo bem, desculpe. Eu amo vocês.
Falou me abraçando.

(…)

Mais um dia cansativo na empresa. Cheguei em casa às onze da noite, os meninos já dormiam e S/n estava no sofá me esperando.

-Chegou tarde hoje, está tudo bem? Fiquei preocupada.
Me selou.

-Tudo bem, eu só me atrasei um pouco.
A verdade é que eu não aguento mais, todo dia a mesma coisa. Não queria que isso acontecesse mas a verdade é que eu cansei disso, talvez viver com a mesma pessoa durante treze anos não é as mil maravilhas, chega uma hora que cansa, é difícil ver a mesma
pessoa sempre. O nosso conto de fadas já não está ficando mais legal.

-Ok, vamos dormir então.
Sorriu fraco e subiu as escadas na minha frente.

Eu não sei como eu pensei que continuaria apaixonado pela mesma pessoa para sempre. Ela foi meu primeiro beijo, minha primeira namorada e a única pessoa com que me envolvi a minha vida toda. Eu deveria ter aproveitado mais enquanto era jovem, ter ficado com mais mulheres, me relacionado com outras. Talvez agora eu não estaria nessa situação, e eu não teria que machucar o coração de minha esposa.

-Boa noite.
Sorriu sem mostrar os dentes e apagou a luz assim que terminei de vestir meu pijama.

| Dia seguinte |

-Champ! Não jogue as frutas no seu irmão!

-Mamãe manda ele parar!

-Troye, por favor vai chamar seu pai!
Acordei com a gritaria. Amo meus filhos, mas o que eles tem de beleza tem de bagunceiros.

-Papai!
Troye balançou meu braço e eu me levantei.

-Me espera no banheiro que eu já vou te dar banho.
Falei ao menino todo cheio de restos de fruta pelo corpo e roupa.

Fui até a cozinha ver como estava a situação.

Champ estava no cadeirão com as mãozinhas e a boca sujas, S/n estava toda descabelada tentando limpar a cozinha.

-S/n…viu só, eu disse que era melhor termos contratado uma empregada.
Falei pegando em alguns panos e recebendo a atenção da mulher.

-Tem razão, eu não aguento mais Liam, minhas costas estão acabadas por tanto limpar o chão.
Reclamou largando tudo e me olhando cansada. Abri os braços e a mesma me abraçou.

-Eu te entendo.
Sussurrei.

Depois alguns poucos minutos no abraço me lembrei de Troye que me esperava no banheiro.

-Faz assim, ligue para uma empregada e diga que venha agora, eu posso pagar o salário dela. Vou dar banho no Troye e você tenta limpar o Champ.
Falei a ela que assentiu.

Voltei ao quarto dos meninos e encontrei o garotinho na banheira brincando com alguns brinquedos.

-Demorei demais?

-Não papai!
Troye sorriu.

(…)

-Papai…você ama a mamãe?
Troye perguntou quando estávamos indo para sua escola.

-Por que essa pergunta agora?
O olhei brevemente.

-Mamãe estava chorando esses dias. Pensei que se você ama ela, você podia curar ela, que nem naquela história que você leu para mim onde a princesa acordou com um beijo.
Troye falou. Ok, ele acertou minha ferida.

-Ahm…Troye entenda, você é muito pequeno e essas coisas de adultos são muito confusas. Um dia você vai se apaixonar por alguém e vai me entender.
Troye assentiu em silêncio.

(…)

Hoje nossa empresa estava fazendo vinte anos de negócios, e para comemorar todos os funcionários e empresários foram convidados para uma festa. O problema em sí é, festa, bebida e um cara destruído. Isso não vai dar certo.

-Então Liam, como anda a família?
Andy me perguntou me entregando mais um copo.

-Mais ou menos cara, mais ou menos.
Respondi lento. A bebida já fazia um leve efeito.

-Mas você está bem?

-Essa é a pergunta que me faço todos os dias.

-Uau, me admira ver você, o cara que sempre teve tudo o que queria, destruído desse jeito.

-Pois é Andy, nem tudo é perfeito.

-Mas você se arrepende? De tudo o que te aconteceu?

-Sabe que não? Eu só não acho que agora, tudo esteja bem.
Respondi. Verônica minha secretária estava se aproximando de nós, a mulher morena e bem vestida estava segurando duas taças na mão.

-Mais uma?
Me entregou a taça. Eu não poderia negar que Verônica é uma das mais belas dessa empresa, mas sou casado, e respeito meu casamento enquanto ele ainda existe.

-Vocês estão querendo me ver bêbado hoje.
Falei humorado.

-Pode não ser tão ruim.
Verônica piscou.

Se eu não estivesse tão alcoolizado eu diria que ela está dando em cima de mim.

(…)

Depois da grande festa, cheguei em casa exausto e agradecendo aos céus que hoje é sexta feira e amanhã terei o dia todo para descansar. Ou assim eu acho.

| Dia seguinte |

Acordei completamente exausto, e só quando abri os olhos eu notei que estava no sofá.

Levantei do mesmo e fui para a cozinha procurar algo para comer. Ouvi passos na escada e logo S/n apareceu na porta.

-Bom dia.
Respondeu simples mas sem animação.

-Mais tarde precisamos…

-Conversar. Eu sei.
Me cortou.

-Você sabe?

-Quer começar a conversa agora?

-Tudo bem. Sobre o que sabe exatamente?

-Troye me contou sobre a mulher, é a Verônica? Sua secretária?

-Amor…não assim…

-Não precisa me chamar de amor, essa palavra nem deve ter mais sentido para você.

-Do que está falando?

-Pensa que eu não percebo? Eu não sou idiota Liam!

-Tudo bem. Mas não aconteceu nada entre nós, eu respeito você e o nosso casamento.

-Pode não ter acontecido, mas sei o quanto deve estar infeliz por isso.

-Eu não estou infeliz. Eu só acho…acho que quero um tempo para mim, já fazem treze anos que te conheço, sete anos de namoro e vamos fazer um ano de casados. Eu me sinto preso, sinto como se eu não tivesse aproveitado o bastante.

-Mas foi você que quis isso Liam! Você me deu meu primeiro beijo, você me pediu em namoro, você me pediu em casamento, nós fizemos dois filhos. Como não aproveitou bastante?

-Eu vivi a minha vida inteira só com você. Nunca namorei outras mulheres, nunca me relacionei com nenhuma outra. Sabe o quanto isso é estranho? Como posso saber se te amo se você foi a única?

-Me diga você Liam, já que por todos esses anos você disse que me amava. E agora? Não tem mais certeza?

-Não é isso. Eu só quero um tempo, um tempo para mim, para me descobrir e descobrir o que quero para minha vida. Por favor tente me entender, eu estou confuso e não quero fingir que ainda amo você, por quê eu já nem tenho certeza mais.

-Tudo bem Liam, mas não pense que eu vou parar a minha vida para você decidir a sua. Você tem o tempo que precisar, e se achar melhor, não volte nunca mais.
S/n se levantou e saiu pisando firme.

(…)

Vi S/n arrumar suas coisas e as dos meninos, me cortou o coração ver Troye perguntando a todo momento “Para onde vamos? E o papai?” mas já está decidido, não tem mais volta.

Após os três saírem, me encontrei perdido. A verdade era que eu não havia planejado que as coisas fossem tão rápidas assim.

(…)

Já era de noite, resolvi que teria que sair um pouco, esfriar a cabeça. Liguei para alguns amigos e combinamos de ir em uma boate.
Chegando no lugar, a música alta já se era ouvida e as várias pessoas dançando atrapalhavam o caminho. Pedi bebidas no bar e fui para a pista junto a todos.


Assim que cheguei em casa tinha marcas de batom por todo o corpo, cambaleante e bêbado me joguei no sofá. Estou certo de que nunca havia feito isso antes em todos os meus vinte e três anos de vida. Devo ter ficado com quatro mulheres essa noite, mas ainda não me sinto satisfeito, talvez por quê seja só a primeira noite.

| Dia seguinte |

Acordei com uma enorme dor de cabeça, meu estômago embrulhado e o sono e o cansaço não me deixavam.

-S/n!
Chamei por minha mulher.

-S/…!
Me lembrei. A bebida realmente afetou mais do que deveria.

Levantei do sofá e fui direto para o banheiro procurar uma aspirina. Tomei a mesma e me olhei no espelho, como eu consegui chegar nesse ponto? Será que todos da minha idade que não são casados e não tem filhos vivem assim? Isso é assustador.

Caminhei para a cozinha e preparei um café bem forte. Depois de me alimentar, reparei que ainda uso as mesma roupas da noite passada. Fui ao banheiro tomar banho e colocar roupas limpas e confortáveis. Hoje eu só quero ficar deitado na minha cama.

| Dois dias depois |

Verônica e eu andamos saindo. Verônica realmente é uma mulher maravilhosa, por breve momentos ela até me fez esquecer a S/n, apesar de estar sendo impossível.

-Mas então Liam, por quê você decidiu se casar tão cedo e com a única mulher que você se relacionou por sua vida inteira?
Vero perguntou.

-Porque eu a amava.
Respondi simples. Verônica sorriu.

-Não a ama mais?

-Não tenho certeza.

-Então por quê decidiu sair comigo?

-Por que eu queria me distrair.

-Então eu sou só uma distração?

-Sabe que não quero nada sério ainda.

-Mas eu pensei que…

-Em momento algum eu disse que queria algo sério.

-Tudo bem.

-Mas e seus filhos?

-Podemos mudar de assunto?

-Sabe que não? Eu quero saber se realmente está aqui por que quer ou se só está aqui para provar algo a sí mesmo!

-Como assim?

-Arranjou esses encontros comigo por quê não sabe se ainda ama sua mulher, mas qual é Liam! Ou você a ama ou você nunca a amou.

-Eu a amei sim! Eu era louco por ela.

-E por que acha que isso acabou? O encanto simplesmente se desfez? Isso não acontece Liam!
Verônica falou exaltada. Parei para pensar, talvez ela tenha razão.

-Desculpe eu…

-Liam. Vai resolver esse seu problema, podemos continuar amigos, não se preocupe comigo, se preocupe com você! Você tem uma esposa perfeita te esperando seja lá onde ela esteja e dois filhos maravilhosos que precisam de você, não estrague isso, você teve muita sorte com o que conseguiu.
Verônica falou e deixou um beijo em minha bochecha antes de sair do local.

(…)

Voltei para casa martelando tudo aquilo na minha cabeça. Liguei para Andy, ele é muito amigo de nós dois e tenho certeza de que S/n deve ter mantido contato com ele.

-Andy?

-Oi cara! Eu fiquei sabendo sobre o que aconteceu…

-Sobre isso mesmo que eu quero falar. Sabe onde S/n está?

-Então…ela me pediu para não te contar, mas você é meu amigo e creio que já esteja arrependido pelo o que fez.

-Exatamente. Pode me ajudar?

-Antes disso…creio que tenha que saber de algo.

-O que?

-S/n está grávida.

-…

-Você vai ser pai de novo Liam! Agora mais que tudo S/n precisa de você.

-Por que ela não me contou?

-Você andava distante. Ela pensou que você já sabia e não iria aceitar mais filhos.

-Eu nunca faria isso!

-Mas você sabe como ela é insegura, não é culpa dela.

-Ok, obrigada. Você pode vir aqui e me levar até ela?

-Eu falei que não iria contar, desculpe.

-Você não vai contar, vai me levar até lá.

-…Ok, mas só por quê é por uma boa causa.

Pov’s S/n

Grávida. Era isso o que me preocupava durante essas semanas. Mas então veio Liam e me confundiu mais ainda com toda essa história de “Quero curtir a vida”, eu não o fazia feliz?

-Mamãe! Quando papai vai chegar?
Troye perguntou.

-Não sei querido.
Acaricei seus cabelos castanhos.

-Sinto falta dele.

-Eu também.
Admiti.

A campainha tocou e eu franzi o cenho. Como eu estava na casa de minha mãe ela se ofereceu para ir atender.

-Olá Andy! Quanto tempo não o vejo, entre.
Sorri ao saber que era ele. Andy é o único amigo em que eu posso confiar.

-Olá!
Andy entrou sorrindo e eu retribui. Mas logo meu sorriso se desfez quando Liam entrou atrás dele.

-Vou deixá-los sozinhos.
Minha mãe falou levando Champ que dormia.

-Papai!!
Troye correu para Liam.

-Oi filho.

-Eu senti sua falta.

-Eu também.

-Hey Troye, porque não ajuda o tio com aquele quebra cabeça?
Andy falou para o garoto que logo saiu dos braços de Liam e correu junto a Andy.

Encarei Liam e o mesmo se sentou ao meu lado.

-Por que veio?
Perguntei.

-Por você, eu tentei me encontrar e descobri da pior forma que tudo o que queria, eu já tinha.

-Da pior forma?

-Sim, eu literalmente levei um sermão da mulher com quem eu saí.
Falou e eu ri.

-Mas isso foi bom, me fez perceber que todos estavam certos, eu não preciso ter me relacionado com milhares de pessoas para saber que você é a certa. E essa vida de cara normal de vinte e três anos, bem, eu descobri que não é para mim.
Sorriu. Respirei fundo.

-Tem certeza que não quer mais tempo?

-Eu só preciso gastar o meu tempo do lado da minha esposa e dos meus…três filhos.
Falou colocando a mão em minha barriga.

-Quatro.
Liam me olhou confuso.

-São gêmeas.
Sorri. Liam abriu um lindo sorriso e pude ver seus olhos encherem.

-São duas meninas?

-Sim.

-A meu Deus! Eu realmente não queria coisa melhor.
Falou me abraçando ri de sua felicidade e logo notei bracinhos se juntando em nosso abraço. Era Troye.

-Mamãe e papai estão melhor?

-Sim filho, estamos bem.
Sorri.

***

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante para mim e isso me motiva a continuar.😊❤

Reação do BTS: Quando ele fala mal de você para os membros.

Originally posted by sweaterpawsjimin

➹ ➷ (—–) já estava cansado das piadinhas que andavam rolando entre os membros e os staffs sobre um suposto romance seu com ele, não é que ele não gostasse de você, mas (—-) já estava cansado das piadinhas e dos risinhos que recebia cada vez que saía com você ou quando passavam o tempo juntos. (——) decidiu dar um basta nisso, ele disse algo do tipo “Eu nunca gostaria de uma garota assim, por favor né rapazes.” assim que os meninos e staffs ficassem quietos ele suspiraria pensando que talvez finalmente o deixassem em paz, mas ao se virar e ver você ali com lágrimas nos olhos quebraria o coração dele ➹ ➷

                                       ➹ ➷➹ ➷➹ ➷➹ ➷➹ ➷

Seokjin: Assim que te visse sair correndo deixando as compras que você tinha feito para a Sagrada Sexta- Feira, que era o dia onde vocês iam a casa dele comer porcaria e assistir alguns filmes, Seokjin perceberia a merda que fez e tentaria falar com você a todo custo.

Pode esperar ligações, mensagens, e-mails, até cartas ele te mandaria. Provavelmente ele pensava que você não queria ver a cara dele, e realmente não queria, por isso na primeira semana não apareceria na sua casa, mas depois estaria lá de pé, seja chuva, seja Sol, seja o fim do mundo mas ele estaria ali para se desculpar e se declarar também.

Originally posted by jjilljj

Namjoon: Ele demoraria um pouco até perceber a burrada que fez, só depois de você jogar alguns xingamentos na cara dele e fosse embora ele começaria a se preocupar.

E se você odiasse ele pra sempre? E se fosse não voltasse a ve-lo nunca mais? Como ele iria se declarar para alguém que não queria ver nem pintado de ouro?

Pediria ajuda para os outros membros sobre o que fazer, provavelmente daria um tempo pra você, já que sabia o quão brava você provavelmente estava.

Mas depois disso ele estaria atrás de você tentando de todo o jeito te fazer perdoa-lo e tentando explicar o que aconteceu.

Originally posted by bangdulce

Yoongi: Por mais que parecesse que ele nunca se importava com nada, ele se importava e muito com você.

Ele não esperaria para tentar falar com você, no outro dia sua caixa de mensagens estava cheia por culpa dele.

Ele sabia o quanto você adorava ficar no estúdio com ele escrevendo músicas e ouvindo as idéias dele, sempre sendo a primeira a ouvir qualquer avanço que fosse na música dele.

Ele te escreveria uma música, e por mais estranho que fosse, ele faria uma serenata junto com os membros.

Sim me deixem imaginar essa cena

Mesmo não sendo o estilo do Yoongi ele faria qualquer coisa que surgisse na cabeça dele ou idéias dadas pelos membros para te ver sorrindo.

Naquela noite ele com certeza tinha conseguido.

Originally posted by dreamyoongi

Hoseok: Ele iria se desesperar.

Fato comprovado.

Assim que você deixasse de responder ele, seja por mensagem ou ligação sua mente viajaria pra longe.

Ele pensaria que você não gostava mais dele, que você iria esquecer dele e seguir em frente.

Mas os outros membros iriam jogar ele pra fora de casa dizendo

“Se você gosta mesmo dela, vai FALAR COM ELA!”

Hoseok estava meio receoso, receoso de você confirmar tudo aquilo que era especulação da mente dele.

Eu penso que ele compraria alguma coisa que você gostasse, chocolate e um ursinho de pelúcia talvez.

Algo romântico <3 e se declararia pra você.

Você estava em um café desabafando com suas amigas quando de repente Hoseok iria aparecer ali, surgindo do seu lado mais lindo que nunca, ele tinha um anel em mãos e um sorriso no rosto.

Originally posted by syubto

Jimin: Jimin iria se culpar e muito.

Sua mente viajaria longe, assim como a do Hoseok.

Mas ele não se deixaria ir até você, além da sua timidez o fato de você estar ignorando ele, deixava as coisas muito confusas na mente do pequeno mochi.

Mas ele não iria desistir de tentar falar contigo, até você ceder.

Quando isso acontecesse, mesmo você estando brava com ele, você o amava muito para ignora-lo pra sempre, mas seu coração ainda estava estilhaçado por ter ouvido ele dizer aquelas palavras bem na sua frente, mas mesmo assim iria marcar um dia para conversarem.

Vocês iriam ao parque onde tinha sido seu “primeiro encontro”, naquele dia os membros tinham começado as piadas contra ele mas ele estava ali para esquecer tudo isso e finalmente se declararia pra você de uma forma muito romântica.

Originally posted by sosjimin

Taehyng: Ele seria o que mais choraria, depois do Hoseok.

Mas ele não daria um tempo, ele seria louco o suficiente de chegar na sua casa as 3 da manhã jogando pedras na sua janela até você acordar

(S/N): Você é louco Taehyung!

Th: Por você! Agora me deixa entrar porque sua vizinha já falou que vai ligar pra polícia!

Originally posted by sweaterpawsjimin

Jungkook: Ele não iria te deixar nem dois passos para correr atrás de você e te parar no meio do corredor, várias pessoas tinham se juntado ali para ver a cena.

Por mais que Jungkook estivesse tentando esconder seu sentimento por você, ele não podia esperar mais, sabia que iria te perder uma hora ou outra então fez a primeira coisa que surgiu na sua cabeça

Te beijou no meio de todas aquelas pessoas.

Ignorando os gritos estéricos dos meninos você retribuiu, o beijo terminou com vários selinhos e um sorriso no rosto.

Originally posted by sugutie

Imagine - Harry Styles

É gente, eu sumi. Não tenho lá muitos motivos para escrever aqui. Bom, aqui está a segunda parte do imagine meio escrito pela @maytrindex . Espero que gostem. 

Primeira parte 


Após me despedir do casal, subi para meu quarto checando os e-mails que ainda me aguardavam. Agora que nossa “convidada” não estava mais em nossa casa, eu tinha outros afazeres, mas nada que me prendesse muito; as tardes, eu ainda ia para minha cafeteria preferida e ficava lá até enjoar de ver as pessoas entrando e saindo dela.  

Harry levou uma semana e meia para dar sinal de vida; mais uma carta que tive relutância em abrir. Não queria saber sobre mais caprichos de sua nova amante, e pela demora de notícias, até desconfiava de um casamento ser anunciado na carta.  

- Que alguém me salve. – Murmurei antes de romper o selo.  

Abri o envelope para, de certa forma, me decepcionar. Harry chegaria em cinco dias. Mas eram apenas essas palavras escritas no papel timbrado. Meus dias de descanso estavam contados graças a próxima amante que ele traria. E a lista de desejos da próxima? Enviaria mais próximo da sua chegada? Para aproveitar meus últimos dias de descanso usei sua banheira e seu carro, aproveitando a descrição dos funcionários perante seus interrogatórios. Encontrei em seu armário um aromatizante novo de cerejas e me deliciei durante o banho.  

Estava apenas com uma camisola de cetim quando vi o carro do aeroporto estacionar na entrada da sua casa. Somente você desceu do carro; com poucas malas e uma carinha de sono.  

- Olá. – Você murmurou depois de dar um beijinho rápido em meu pescoço.  

- Oi, Harry. Venha, a mesa do café ainda está posta. – Depois de entrelaçar nossos dedos, nos dirigimos a cozinha. – Você ainda vai querer conversar, ou já me considera uma boa menina?  

- Não faça essa expressão, (S/N). Você não vale o café que está bebendo. – Você torceu os lábios ainda me encarando e eu fiquei sem reação. Realmente não sabia do que se tratava.  

- Você pode me explicar do que está falando? – Sua expressão virou irônica aos meus olhos.  

- Você ficava desfilando de roupinhas curtas e justas por essa casa deixando Genevive constrangida; foi por isso que ela foi embora, por sua falta de noção. Você não tem noção de como eu me sinto vendo você nessas roupinhas de dormir e saber que Genevive usava calças e meias.  

Foi ai que eu entendi o que se passava na sua mente. Você estava furioso por eu sempre ser melhor do que elas, as outras. Você jamais esqueceu meu corpo, não é mesmo? Cruzei minhas pernas por baixo da mesa e apoiei meu braço na mesa deixando minha cabeça apoiada nele.  

- Minhas roupas nunca incomodaram você.- Sorri cínica.  

- Não brinque com fogo. – Ele murmurou entre dentes. Me levantei para colocar minha xícara na pia; foram segundos para sentir seu corpo colar no meu.

- Você deve estar louco se pensa que vou deixar você tocar no meu corpo. – Tirei suas mãos de mim.  

- Você acha que eu não sei o quanto excitada você ficava ouvindo meus gemidos. – Ele soprou no meu ouvido.

Suas mãos desceram para meu quadril, inclinando meu corpo sobre a pia, e senti sua intimidade tocar a minha. Você gemeu com a pressão.  

Você me virou com brutalidade e seus lábios tomaram os meus; seguimos a cegas para o quarto misterioso e depois de girar a chave vermelha o quarto, que um dia foi nosso, inundou meus olhos. A roupa de cama que eu adorava usar, os mesmos abajures que eu fiz você comprar e o nosso porta retrato, de um dia no parque.  

Os beijos eram firmes e meus sussurros incontroláveis.  

Você me fez sua mais uma vez, com brutalidade, com vontade e todos os adendos a mais. Quando terminamos me vi perdida, envergonhada, mas satisfeita e saciada. Que saudade dos seus gemidos em meus ouvidos, ou dos seus cabelos pinicando minha pele. Seus cabelos com cheiro de camomila. Seus braços ao redor do meu corpo e toda névoa que o orgasmo me trouxe.  

Você suspirou ao meu lado. Eu despertei do curto momento que eu esperei algum romantismo vindo de você. Levantei da ampla cama  que dividimos um dia, e ponderei todas as opções que eu tinha na minha vida.  

Vesti apenas meu roupão de seda e recolhi do chão as poucas roupas que vestia antes de cometer esse ato de insanidade. Você me olhava com olhos curiosos, mas em nenhum momento pediu para eu ficar. Ao entrar no meu quarto, procurei minhas malas de viagem e peguei uma de tamanho médio. Não sabia ao certo para onde iria, então não fazia ideia de quanto tempo ficaria. Não esperaria você me dar férias, eu mesma faria isso por mim.  

Após um longo banho, vesti um jeans e um agasalho. Estava no corredor, fazendo o mínimo de barulho quando você me abordou e vermelho de raiva não quis me deixar sair. E eu não apenas sai, como também prometi nunca mais voltar.

NCT 127 + TEN Reaction to you taking them to Brazil (Quando você leva eles para o Brasil)

Espero que goste!!

×adm bae×

Taeil:  “I need to talk with my manager to bring NCT Life here!” // “Eu preciso falar com o meu manager para trazer o NCT Life aqui!”

Originally posted by nctinfo

Jhonny: “ Wow beaches here are incredible! I’m so glad I’m here with you!” // “Wow as praias aqui são incríveis! Eu estou muito feliz por estar aqui com você!”

Originally posted by nakamotens

Taeyong: “I love and I love this trip, we should go back here on our honeymoon ;) “ // “Eu te amo e amo essa viagem, nós deveríamos voltar aqui na nossa lua de mel ;)” 

Originally posted by teeuai

Yuta: “Babe, do you care if you go on that monument alone? Those kids asked me if I can go play soccer with them. I promise that I’ll make it up for you later! Love you <3″ // “Amor, você se importa de ir naquele monumento sozinha? Essas crianças me pediram para jogar futebol com elas. Eu prometo que retribuo depois para você! Te amo <3″

Originally posted by nakamotens

Doyoung: *You guys spent the entire day at the park, and Doyoung was so happy playing with the kids there! You’ve never saw him so happy!* // *Vocês passaram o dia inteiro no parque, e o Doyoung estava tão feliz brincando com as crianças lá! Você nunca o viu tão feliz!*

Originally posted by yonges

Jaehyun: “Hey look at the picture I took of you! You made the cenary even more baeutiful” // “Hey olha essa foto que eu tirei de você! Você fez o cenário ficar ainda mais bonito!”

Originally posted by blackgirlslovebts

Ten: *He fell in love with brazilian music, so he woudn’t stop jamming to that the entire trip.* // *Ele se apaixonou pela musica brasileira, então ele não pararia de escutar pelo resto da viagem.*

Originally posted by yumnctgums

Winwin: *He would be exited from the start to the end of the trip! He loves spending time with you, do he would always be by your side.* // *Ele estaria animado do início ao fim da viagem! Ele ama passar tempo com você, então ele sempre ficaria do seu lado.*

Originally posted by stannctchinaline

Mark: “Okay, I already brough the hyungs gifts, now we have to buy the ones for the dream members. Let’s go Y/N! Or we’re gonna be late for the  museum!!” // “Okay, eu já comprei os presentes para os hyungs, agora só falta o dos membros do dream. Vamos S/N! Ou nós vamos nos atrasar para o museu!!”

Originally posted by nct-marklee

Haechan: “Don’t you dare to look to those boys okay? You have the main visual of NCT in front of your eyes” // “Não se atreva a olhar para esses garotos okay? Você tem o main visual do NCT na frente dos seus olhos”

IMAGINE LIAM PAYNE-ESPECIAL B-DAY❤️🎉

Londres,século XIX

Ver a sua maior “inimiga” dançando com o cara por quem sempre sentiu algo muito além de amizade,fazia o sangue de Sn ferver completamente.
Mesmo que não pudesse considerar Sophie sua inimiga,já que não conseguia sentir ódio de alguém,apenas não gostava daquela bela moça,e Sn tinha certeza que seus sentimentos eram recíprocos,não deixava de pensar na hipótese de puxar-la até a bacia cheia de vinho e enfiar sua cara lá dentro até está quase morrendo de asfixia,mas o que poderia fazer?Liam era apenas um amigo de infância,não seu noivo ou marido,embora ela quisesse.

-Você deveria fazer algo.-Jane disse olhando para o casal que dançava alegremente.-Deve lutar pelo que deseja,Sn!-a repreendeu.

POV SN:

Não respondi a Jane.Um tempo depois,a dança acabou e eles se separaram.Sophie foi para o grupo de amigas que sorriam maliciosamente para ela e Liam foi parado grupo de amigos que não estavam muito diferentes como as amigas de Sophie.
Meu coração se apertou.Ele sempre gostou dela,mas não sabia se a amava verdadeiramente.Acho que sim,não falamos muito sobre nossos sentimentos.
Resolvi que tinha que falar com Liam .Tinha que mostrar o que eu sentia,mesmo que não fosse recíproco.
Afastei-me de Jane e andei em sua direção.

-Robert?-chamei um de seus amigos.

-Sn!-ele disse sorrindo-Como vai?

-Bem,obrigada!-sorri,era muito próxima dos amigos de Liam.-Onde Liam está?

Ele calou-se.Talvez pensando no que responderia à garota que sempre fora apaixonada pelo amigo de uma forma que não a magoasse,conhecia Robert muito bem.

-Ele está no jardim!-a Srta.Mendes disse enquanto passava por nós,segurando uma taça.

-Obrigada,Srta.Mendes.-sorri e fui à passos rápidos até o jardim.

-Liam?-o chamei e ele virou-se.

-Pensava que era outra pessoa.-falou com uma voz decepcionada.

-Desculpe-me se não sou Sophie.-disse tentando esconder a frustração.

-Perdão.Eu pedi ao Antony que a chamasse,mas ela não chegou.-falou coçando o pescoço.

-Você vai a pedir em casamento?-perguntei baixinho.

-Sim.-ele respondeu sorrindo,parecia feliz.

-Ah.-suspirei tentando não chorar-Isso é muito bom,Liam.-dei uma sorriso fraco.-Eu só queria te falar algo,mas acho melhor ir embora.Não quero estragar nada.

-Pode falar,Sn.-ele falou.

-Liam,se eu não tivesse sido criada nessa sociedade onde falar algumas verdades para outros fosse uma blasfêmia ou até mesmo um pecado,juro que estaria falando até eu não ter mais cordas vocais…-fui interrompida.

-Querido,mandou me chamar?-perguntou com sua doce voz.

-Sophie.-Liam disse enquanto a abraçava,esquecendo da minha tão notada existência.

-Sn?-Sophie virou-se para mim,confusa.

-Eu só vim falar algo para Liam.Já estou de saída.-falei erguendo meu rosto e sai dali.

Como ele pode ser tão…tão idiota?

•••
Há duas semanas,Liam e Sophie estão noivos.Nesse tempo,Liam não falou comigo e eu também não estava tão interessada.Gostaria de lhe dizer o que eu sentia,mas eu não iria me humilhar desse jeito.

Estava no baile da Sra.Payne,ela e seu marido são grandes amigos dos meus pais.Não queria,mas minha mãe insistiu tanto para que eu não faltasse que aceitei.

-Querida,-a Sra.Payne disse-como vai?

-Na medida do possível.E a senhora?

-Ah,ótima,querida!-bateu as mãos de alegria-Soube que a senhorita é uma ótima cantora e pianista.-sorriu maliciosamente.

Lancei um olhar acusador para minha mãe,que deu de ombros e deu um sorriso amarelo.

-Não sou ótima.-falei envergonhada-Apenas sei o básico.

-Aquelas notas altas são o básico,Sn?-minha mãe perguntou cruzando os braços.

-Bom…-a Sra.Payne me interrompeu.

-Gostaria que se apresentasse quando os violinistas estivessem no intervalo.Seria uma honra.-falou sorrindo e não pude dizer não.

-Tudo bem.

•••
Quando eu estava comendo um doce de chocolate,a Sra.Payne veio me levar até o pequeno palco que havia.
Sentei-me de frente ao piano e suspirei.Estava morta de vergonha.A própria mãe do homem que amo estava me fazendo cantar e tocar piano na frente de todos,bem no baile de noivado dele.

-Boa sorte,querida Sn.-ela disse sorrindo e indo para perto de seu marido que sorria para mim.

Comecei a dedilhar algumas notas no piano e respirei para começar a cantar,sabia a música certa.Não seria uma declaração de amor à Liam,mas também não poderia dizer que não era.

-We were both young when I first saw you-cantei.-I close my eyes and the flashback starts.

Continuei a cantar como se estivesse sozinha.Sempre dá certo,do contrário teria um ataque.

-And I said: Romeo, take me somewhere we can be alone
I’ll be waiting, all there’s left to do is run
You’ll be the prince and I’ll be the princess
It’s a love story, baby, just say yes.

Terminei de cantar e todos aplaudiram.Agradeci Ainda um pouco envergonhada e desci do palco.

-Que belíssima voz,SN!-Sra.Payne disse,batendo palmas.

-Obrigada!-sorri.

-Ela não tem a voz de um anjo,querido?-ela perguntou para alguém,achava que era seu marido até uma voz familiar responder-la.

-Sim.-virei-me e dei de cara com Liam,que segurava uma taça.Ele me olhava com um olhar curioso.-Ótima apresentação,Sn.-ele disse e deu um gole em sua bebida.

-Obrigada,Sr.Payne-respondi um pouco séria e olhei para Sra.Payne.-Se os senhores me dão licença,vou pegar algo para beber.

O casal sorriu e me retirei dali.Enquanto enchia meu copo com vinho,senti alguém atrás de mim.

-Por que Sr.Payne?-ele perguntou,parecia estar ofendido.

-Não é o seu nome?

-Sim,mas somos amigos,Sn.-ele disse-Não precisamos usar essas formalidades.

-Somos?-lancei um olhar irônico para ele-O senhor passou duas semanas inteiras sem falar comigo e tratou-me tão mal naquele dia que pediu a mão de sua amada.-senti meu coração se aperta quando disse “pediu a mão de sua amada” e saber que não sou a amada dele.

-Eu sinto muito.-ele falou baixando a cabeça-Vamos para a sacada.-puxou-me para o lado de fora da casa.Dava para ver o jardim e o céu estrelado.

-Você é um idiota.-falei e ele sorriu.

-Eu sei.O que queria falar comigo naquele dia?

-Ahm,não acho uma boa ideia.-disse.

-Por que não?

-Porque este é seu baile de noivado,Liam.Se eu contasse tudo o que eu quero,estragaria tudo.Até a nossa amizade.

-Vamos,Sn.-ele me encorajou-Nada pode estragar a nossa amizade.Lembra?

-Só prometa que não ficará com raiva.

-Prometo.-falou firme e tomei coragem.

-Eu…e-eu…te amo.-disse e senti minhas bochechas ficarem vermelhas.

Liam arregalou os olhos e percebi que estava um pouco pálido.

-Você o quê?

-Eu sou completamente apaixonada por você,Liam.-ele suspirou alto-Perdoe-me,eu não queria te dizer isso,mas estou tão aliviada com isso.Faz-me pensar que pelo ao menos eu lutei por você.

-Eu não sei o que dizer,Sn.-passou as mãos pelos cabelos e bufou.

-Não precisa dizer nada.Sei que não sente o mesmo e não insistirei.Eu te amo demais,ao ponto de deixar-lo ser livre para ficar com ela.

-Preciso de um tempo.-ele andou até a porta da sacada e virou-se para mim-Desculpa.-foi tudo o que disse e saiu,deixando o meu coração em pedaços.

•••
O casamento de Liam estava se aproximando e desde aquele dia,Liam esteve me evitando.Teve uma vez,que ele saiu do local assim que me viu.Isso doía tanto.Eu não estava pedindo por seu amor,embora eu queira,mas aceitaria a nossa velha amizade.Era a única parte dele que eu tinha e agora não tenho nada.

-Olá,Sn-Antony disse sorridente.-No que está pensando?-perguntou enquanto sentava-se ao meu lado no grande balanço do parque.

-Olá-respondi-Eu,sinceramente,não sei.-ri do meu comentário e ele me acompanhou.

-Você anda diferente esses dias.-ele disse botando seu chapéu no colo.

-De que jeito?

-Parece que nada mais importa para a senhorita.Está parecendo tão tristinha.-deu um sorriso solidário.

-Não sei se posso ter uma conversa deste tipo com você,Antony.-falei cruzando os braços.

-É o Liam,né?-ele lançou um olhar convencido-Sempre é ele…

-Como assim “sempre é ele”?

-Ele tem o poder de mudar seu humor,Sn.-ele riu-Se você está feliz,triste,envergonhada ou nervosa,é culpa dele.

-Eu me declarei pra ele.-falei

-Sn!-ele repreendeu-me-Ele está noivo!

-Eu estava me preparando para dizer no dia que ele a pediu em casamento!-disse segurando as lágrimas.-Ele me tratou como se eu fosse…só uma velha conhecida.

-E você só teve a oportunidade quando…

-No dia do baile de noivado.-respondi e ele arregalou os olhos.-E desde então,ele tem me evitado.

-Ele está há dois meses sem conversar com você?!-perguntou espantado.

-Sim.-falei fungando.

-Ah,Sn.Ele não fez isso,não fez.-falou mais pra ele do que para mim.

Olhei para os lados e vi que Liam estava acompanhando sua noiva.Imediatamente me levantei e ajeitei o vestido.

-Obrigada,Antony,pela companhia,mas tenho que ir.Até breve.-sorri forçadamente e acelerei meus passos em direção ao restaurante onde minha mãe se encontrava com suas amigas,bebendo chá.

-Sn!-alguém me chamou e virei-me,rezando baixinho.

Assim que os abri,dei de cara com Sophie,que sorria maliciosamente,e Liam,que estava sério.

-Um belo dia para ir ao parque,não?-disse tentando sorrir.

-Sim.Por isso Liam me trouxe para cá.Um parque maravilhoso.

-É,o meu favorito.-falei baixinho.-Como anda o noivado?

-Perfeito.-ela respondeu com seu sorriso vitorioso,ela sabia que eu o amava,sentia isso.

-Que ótimo.-respondi fingindo interesse-Bom,tenho que ir.Até breve.-conclui,não esperei por alguma resposta e sai.

•••

O casamento de Liam era amanhã.Estava nervosa,pois depois que ele dissesse sim,tudo estaria acabado.Para sempre.
Juntei todas as minhas forças e fui dar adeus à Liam.
Estava na sala de visitas.Batia os pés freneticamente pelo carpete e suspirava.Que demora!
De repente,vi uma figura esguia entrando na sala e me olhando.

-Sei que não quer falar comigo,mas amanhã é seu casamento e preciso que me ouça.

-Tudo bem.-ele falou sentando na poltrona e me olhando,esperando por uma resposta.

-Nesses dois meses que você passou me evitando,descobri que nunca seria capaz de se apaixonar por mim.Eu tinha um resquício de esperança,mas ela sumiu quando você me deixou.Só vim até aqui para te dizer que não pretendo estreitar relações contigo,vim dar um ponto final nessa palhaçada.-senti-me leve quando joguei tudo para fora.

Ele não respondeu.Apenas me encarava.

-Um feliz matrimônio.-disse e me levantei.-Adeus,Liam.-e sai de sua casa.

E não olhei para trás,do mesmo jeito que ele havia feito.

-Sn!-ele gritou e ignorei.-Sn!-gritou novamente.

-O que foi?-perguntei o olhando.

Ele me puxou até a sala de visitas e trancou a porta.

-Eu não sei o que dizer.-falou e bufei.

-Então por que me puxou até aqui?-perguntei alterada-Deixe-me sair,Liam!

-Não até você me ouvir.

-Dou-te no máximo 10 minutos!-conferi no relógio que estava na parede e o olhei.

-Eu precisava desse tempo para pensar,Sn.-começou-Estava tão confuso,porque eu estou noivo de uma pessoa que não é você.E isso ficou insuportável.

-Aonde você quer chegar,Liam?

-Não pensava que sentia o que eu sempre senti.Não sabia que te amava antes de você se declarar.Achava que amava a Sophie,estava redondamente enganado.

-Não,Liam.-neguei com a cabeça-Você não me ama.

-Agora eu posso discordar com você,Sn,pois tenho certeza dos meus sentimentos.Eu te amo,mas não sabia.Nunca havia amado alguém de verdade,apenas sentia uma atração,que achava que era amor.

-Mesmo assim,nunca poderemos ficar juntos.Você irá se casar amanhã.-falei.

Ele focou na estante que estava atrás de mim,não sabia o que fazer.

-Fica comigo.-pedi.

Eu o queria e ele sentia o mesmo.Então,por que não lutar pela minha felicidade?

-Sn,não posso desmanchar um noivado na véspera do casamento.-lamentou-Perdoe-me.

-Então você não me ama?Está apenas falando para que eu o perdoe?!

-Não!-falou firme-Por Deus,não.Eu te amo,sabe disso.

-Não sei.Se me amasse,faria algo para tudo isso acabar.Mas não.Você tem medo.

-Entenda que também tenho sentimentos sobre Sophie.Não posso escolher uma das duas.

-E como ficarei?-perguntei-Serei sua amante?

Ele não respondeu.

-Você é ridículo,Liam.Seja feliz no seu casamento que de amor não tem nada.

-Não fale assim,Sn.

-Falo da maneira que me convém,Liam.Estou ao ponto de sair daqui e nunca mais olhar na sua cara,mas vou te dar uma última chance.Se você me ama,como tanto diz,encontre-me no chalé fora da cidade.Sem esse anel de compromisso,sem noivado.Só você,todo para mim.Se não for,saberei a sua escolha.-passei a mão na sua blusa branca de montaria.

E sai.

•••
De manhã cedo,tinha ido até o chalé da minha família que ficava fora da cidade.Aleguei que precisava um pouco de ar fresco e arrastei Jane comigo.

-Sabe o que tem em casamentos?-ela perguntou enquanto me entregava uma xícara de chá.

-O quê?

-Homens solteiros e bonitos.-ela disse e ri.

-Você acha que vai ter casamento?-perguntei séria.

-Eu não sei,Sn.Gostaria que não tivesse.

-Eu também não.-respondi e dei um gole na bebida.

Já era fim de tarde e Liam ainda não havia chegado.Estava na cara que ele escolheu ela.

-Qualquer coisa estou no jardim.-avisei para Jane,que apenas assentiu e continuou a ler seu livro.

Fui até o jardim e fiquei olhando as rosas.Vermelhas,brancas e rosas-bebês.

-Idiota.-resmunguei baixinho-Achava mesmo que ele viria?Achava mesmo que ele te escolheria?

Uma lágrima escorreu pelo meu rosto.Estava decidido.Passaria minha vida sem um amor.Chega de desilusões amorosas.
Enquanto lamentava o destino da minha vida,ouvi cascos de cavalo batendo no chão.

-A estrada estava uma loucura.-alguém disse atrás de mim-A chuva deixou muitos buracos e passei o dia todo viajando.

Virei-me e o vi.Ele estava ao lado do cavalo e me olhava sorrindo.

-Você…anulou o noivado?

-Ontem à tarde eu conversei com a minha mãe.Ela me disse para fazer a coisa certa.Então fui até à casa de Sophie e anulei o casamento.Ela não pareceu estar triste,então descobri que estava fazendo a coisa certa.Sai após o café e só consegui chegar agora.À carruagem seria muito mais rápido,mas preferi ir de cavalo.

-Achava que não viria.-encarei o chão.

-Às vezes nós temos que lutar pelo que queremos.E é você que eu quero,só você.

Ele estava mais perto.Acariciava meu rosto e senti todo o meu corpo tremer.

-Sem noivado,sem obstáculos,sem confusões.Só você e eu.-puxou-me para mais perto-Você não sabe o quanto esperei por isso.

-Você não faz ideia.-respondi e ele sorriu,em seguida me beijou.
Foi como se uma corrente elétrica tivesse invadido meu corpo e automaticamente senti as borboletas no estômago.E naquele momento,soube que era ele.Só existia ele.

-Vem.-puxei-o-Vamos ser felizes.Só você e eu.

•••
Especial de aniversário do fofinho Liam Payne❤️❤️

Preferences #278- Ele realiza um dos seus maiores sonhos no seu aniversário.

Harry:

Um dos seus maiores sonhos desde pequena foi ir a Disney, você sempre foi apaixonada nesse mundo encantado, Harry soube alguns meses antes do seu aniversário que nunca esteve lá, então ele preparou uma surpresa, ele te enganou dizendo que tinha um trabalho em Orlando e queria que estivesse lá com ele, e no dia do seu aniversário ele convidou você, a família dele e a sua família para passar alguns dias nos parques de lá, para você foi a realização de um dos seus maiores sonhos ao lado dele.

Liam:

Você sempre foi apaixonada por cavalos, desde pequena seu maior sonho era montar em um, mesmo já tendo feito isso antes, Liam descobriu essa sua “paixão secreta”, no dia do seu aniversário vocês dois foram assistir a uma corrida de cavalos, no final da corrida, Liam e você foram até as haras e lá você se apaixonou por um deles, como presente de aniversário, Liam acabou comprando o cavalo de presente para você e a partir de agora, você tinha um cavalo chamado Lion.

Louis:

Um dos seus maiores sonhos sempre foi conhecer Las Vegas, curtir as noites de lá e ver aquela mágica cidade de perto, e Louis como sempre fez um mistério no seu aniversário, vocês estavam de férias em Los Angeles e do nada ele te convida para uma viagem, mesmo sem entender nada você foi, por que confiava nele, assim que chegaram ele apenas te olhou e disse “Está na hora de realizar seu sonho baby” e foi ali que você descobriu que nos próximos dias Vegas seria seu lugar.

Niall:

Você cresceu e sempre morou em cidades grandes, nunca teve a oportunidade de ver a natureza como você sempre sonhou, seu maior sonho sempre foi ir a um acampamento com os seus amigos, desde que Niall descobriu esse sonho, ele planejava como faria isso, na manhã do seu aniversário, ele te levou para comemorar seu aniversário e para a sua surpresa seus melhores amigos estavam lá num acampamento na beira de um lago e você sabia que seria o seu melhor aniversário ao lado do seu namorado e dos seus amigos.

Zayn:

Você cresceu em cidade pequena, era raro você viajar antes de conhecer Zayn, sua vida mudou desde que o conheceu, era seu primeiro aniversário ao lado dele, que acabou descobrindo que seu maior sonho era conhecer Nova York, a cidade que nunca dorme, um dia antes do seu aniversário, ele te convidou para ir a uma festa em alguma cidade dos Estados Unidos, mesmo triste por saber que não iria comemorar seu aniversário com seus amigos, você decidiu ir, então vocês viajaram, quando o avião pousou, você descobriu que estavam em NY, você sorriu para ele completamente animada e ele apenas lhe disse “Gostou do seu presente?”, e ele sabia que você havia amado aquele presente de aniversário.

Eu vou embora e o céu continuará a ser bonito lá pelas quatro da tarde, os dias coloridos serão aproveitados no parque e o silêncio permanecerá acalentador. Foi quando me vi insuficiente aos meus próprios olhos e o mundo tornou-se nítido. A prosa continuará doída, ainda que com uma pitada de delicadeza porque os remendos não silenciam toda a vontade de ser, mesmo quando já não se é. Os dias correrão em passos lentos e depois largos e depois imensos até o calendário se tornar fosco e apagado. Já não me permito tantos rascunhos, é bem verdade. Tenho aprendido a aceitar o vazio em pequenas doses, talvez a realidade é que ele tenha me dominado. 

B dia desses me disse sobre limites, penso ter encontrado o fim da linha. Me sinto numa história repetida com personagens distintos. Vejo-me como a protagonista que se encanta pelo impossível e termina ao pé do abismo, o corpo inerte, como aquela tragédia exagerada que Caio escreveu lá pelos quinze anos. 

G.

Eu te dei tudo, eu me entreguei por completo, mesmo tendo medo de me machucar e de me entregar, eu já tinha sofrido o suficiente, mas eu resolvi dar outra chance ao amor, outra chance ao meu coração e pra isso tudo eu escolhi você, sabia?  Eu confiei em você, acreditava em você, acreditava em nós, deixei minha vida em suas mãos, achei que essa vida era nossa e também deixei você cuidar dela como se fosse sua, eu te amei muito garota e ainda te amo, esperava que você cuidasse desse meu coração machucado, ferido e cheio de cicatrizes do passado. Você se lembra daquele dia no parque? Onde você disse que não queria que eu tivesse de você a mesma mágoa que eu tinha das minhas ex-namoradas se um dia acabasse? Pois bem, você conseguiu ser pior, você eu realmente confiei e me entreguei, de você eu realmente esperava que tudo desse certo, achava que dessa vez minha vida ia engatar a 2ª marcha, que você cuidaria de mim, do meu coração e do nosso amor, que eu poderia contar sempre com você, com a sua presença, suas palavras, seu carinho, seu afeto e seu amor, assim como você sempre contou com o meu, que continuaríamos com essa história linda de amor que tínhamos, uma história que me fez realmente acreditar que o destino existe, mas o que você fez? Bom, você jogou todos esses anos e a mim fora como se fossemos um lixo, como se não pudesse se esforçar para mudar e resolver as coisas, dar valor a isso tanto quanto dava valor ao seu trabalho, eu fui paciente, eu te esperei e você sempre me agradeceu por isso, dizia que me amava muito e tantas outras coisas fofas que de repente sumiram de você. Você não fez o que eu fiz por você, não teve a paciência que tive com os seus erros e a sua ausência e quando pouco se importou, sem mais nem menos, sem sentar pra conversar nem nada, resolveu desistir porque julgava ser o melhor para nós. Para nós? Você não sabe o que é melhor pra mim, se soubesse teria feito mais por mim, teria se esforçado mais por mim como todos falam de você em relação a nós, mas tudo bem, obrigado por ser a maior decepção na minha vida e você fez por merecer essa mágoa que guardo de você agora, muito mais do que guardei das outras.
E se o tempo for te levar... Eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar

Você vai estar a 1.442,09 quilômetros de distância de mim. Quase nem sei pronunciar esse número e quase nem entendo a profundidade que ele tem. Você me ajudou de todas as maneiras que pôde, me ensinou coisas novas e me acompanhou até nos piores momentos. Como retribuir à altura? Acredite, ninguém nunca se importou tanto em cuidar de mim e das minhas dores. Você adulou minha mente, abriu meus sorrisos, mudou minha vida e tudo isso sem usar falsas verdades. Vivemos tantas cenas diferentes que perco as palavras no meio do caso. Lembra dos dias ensolarados no parque? Era nosso costume levar aquela cesta de piquenique com um lençol e um monte de sanduíche, mas eu sempre colocava a bendita da cebola no patê e você detestava com toda sua alma. Ah e nossas noites de pizza? Foram as melhores de todos os tempos. A gente pedia de margherita ou quatro queijos e esquecia que o mundo era, na verdade, uma emocionante perda de tempo. Será? Falando em comida, a primeira vez que provei o molho barbecue foi contigo, naquele dia sujei a pontinha do meu nariz de cheddar e você só sabia rir de mim. Na verdade, me lembro que você costumava dizer que iria ficar com marcas no rosto de tanto que eu te fazia sorrir. Cara, você participou dos meus sonhos. Na primeira noite que entrei no teatro, você estava presente me encorajando. Quando anotei meus primeiros escritos, você fez eu me sentir inteligente com todos aqueles seus comentários motivadores. Agora você vai embora e me deixar. Quem vai me dar apoio moral? Quem vai me dar abraços de dez minutos? Quem vai respeitar o meu silêncio? Quem vai me levar pra fazer uma tatuagem de unicórnio enquanto eu estiver bêbada? Sei que tem que seguir em frente e acredite, apoio todas as suas escolhas, desde que te façam bem. Mesmo assim, estou sentindo uma pontinha de dor na barriga e um medo irracional do futuro… Rafael, espero que tenha aprendido alguma coisa comigo e que guarde minha imagem na sua cabeça, porque eu, amante de cebola no patê, guardarei amor por você até o dia de nosso arrebatamento.

  • Ele: Você deixou algumas coisas aqui em casa. Fui pegar minha escova de cabelo antiga e tinha uns fios loiros nela. Estão aqui, vim te devolver. Depois eu fui mexer no meu computador e tinha umas fotos nossas, umas você fazia careta, outras você tampava meu olho ou me tampava, achando que outra garota iria olhar pra mim. Você esqueceu o pote de morango aberto e eu sei que foi você, porque eram morangos grandes e quando íamos no mercado, você perdia horas escolhendo. Você esqueceu a parede suja de esmalte verde água, daquela tarde de chuva que você tentou pintar meu cabelo porque falei que suas unhas estavam curtas demais. Você esqueceu de deletar suas músicas do meu ipod. Você esqueceu as lembranças dos dias no shopping, dos dias no parque que você sentava no balanço e eu te derrubava, ao invés de te empurrar. Você esqueceu a sua marca de batom no espelho, a declaração de amor na folha do meu caderno e o dia que deitamos na areia de praia pra ver o sol e acabamos se jogando no mar de roupa. Esqueceu de levar suas manias de mordidas e esqueceu de sair dos meus sonhos. Você esqueceu de me ouvir? Enfim, eu só vim devolver o casaco que você esqueceu.
  • Ela: Esse casaco é da sua irmã e você esqueceu de dizer que eu esqueci meu coração com você.
Tudo ao seu lado se torna perfeito. O que seria de um dia ensolarado no parque se eu não pudesse te comprar um sorvete e andar de patinho de água? O que seria de uma montanha-russa se eu não pudesse segurar sua mão? O que seria da minha vida se não tivesse você? Não gosto de fazer essa pergunta, mas as vezes acho que estou vivendo um grande sonho, as vezes me perco em mim e meus pensamentos. Tudo se torna tão bom quando fecho os olhos e você está ao meu lado. Gosto de quando você ri, mesmo não sabendo o motivo me faz bem. Não entendo como você me toma, não entendo como isto acontece. Você me leva a você, e eu nunca consigo ser o suficiente, tudo está muito escuro. O que seria de mim se não estivesse com você? Meu amor saiba que é horrível… o parque está chato, o sorvete está sem gosto, a montanha-russa me dá arrepios, e minha com você? Não existe… Foi tudo um grande sonho, no qual se eu pudesse não acordaria. Tudo se torna perfeito quando estou ao seu lado, mesmo não estando.
—  Sonhar com você me faz bem - Pedro Costa.